História Stark, of Winterfell - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arya Stark, Benjen Stark, Brandon "Bran" Stark, Catelyn Stark, Cersei Lannister, Daenerys Targaryen, Davos Seaworth, Eddard Stark, Hodor, Howland Reed, Jaime Lannister, Joffrey Baratheon, Jojen Reed, Jon Snow, Khal Drogo, Lyanna Stark, Margaery Tyrell, Melisandre, Myrcella Baratheon, Oberyn Martell, Olenna Tyrell, Personagens Originais, Rickon Stark, Robb Stark, Robert Baratheon, Sansa Stark, Stannis Baratheon, Tommen Baratheon, Tyrion Lannister, Tywin Lannister, Willas Tyrell
Tags Baratheon, Game Of Thrones, Lannister, Stark, Targaryen, Winterfell
Exibições 57
Palavras 2.362
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi!! Voltei com uma long de Game of Thrones! Para quem não leu as minhas one-shot, acho melhor ler elas primeiro, apenas para se situar, não são muito grandes. Uma é The She Wolf e a outra é O Cranogmano.
Espero que gostem...

Capítulo 1 - Eddard


Fanfic / Fanfiction Stark, of Winterfell - Capítulo 1 - Eddard

Eddard

   Estava com sua esposa Catelyn olhando seus filhos treinarem. Bran e Rickon estavam sendo ajudados por Robb e Jon. Jon... nunca pesou que poderia se parecer tanto um Stark. Bran não conseguiu novamente acertar o alvo com a flecha e ficou bravo consigo mesmo, enquanto Robb e Jon conversavam com ele, tentando o encorajar e Rickon correndo em direção à flecha caída para apanhá-la e levá-la de volta. Bran se preparava mais uma vez para atirar, mas todos foram surpreendidos por outra flecha que foi atirada e, quando se viraram para ver era Arya quem tinha atirado e Lyanna estava ao seu lado. Elas bateram as mãos em forma de comemoração e depois a mais nova fez uma reverência para provocar seu irmão, que acabou indo correr atrás dela. Ned sentia-se feliz por vivenciar esses momentos de seus filhos e, bem, de seu sobrinho. Esse segredo o corroía por dentro, mas não podia compartilhar com ninguém, nem mesmo com sua esposa, sentia que não tinha esse direito, não era um segredo somente seu. Quando voltou a prestar atenção em sua família percebeu que Bran ainda corria atrás de Arya e que Lyanna, Robb e Jon estavam jogando bolas de neve um no outro, até Rickon tinha entrado no meio, percebeu também que faltava Sansa ali no meio. Por mais que somente Lyanna e Arya tivessem caraterísticas nortenhas, lhe parecia que Robb, Bran e Rickon eram mais nortenhos do que sulistas, o mesmo não poderia dizer de Sansa, ela se daria muito melhor no Sul, por isso já estava vendo em segredo alguns pretendentes para ela. O mesmo não poderia se dizer para Lyanna, ela era a sua filha mais velha que parecia ter todo o “sangue de lobo” somente para si, assim como seu irmão Brandon e sua irmã Lyanna, é teimosa e temperamental, mas também não podia negar que sua filha também é obstinada e corajosa. O que preocupava Lorde Stark era o fato que sua filha estava certa de que não queria casamento, o que levava a grandes discussões entre ela e a senhora sua mãe, a sorte de Lyanna era que ainda não tinha sangrado. De algum modo Ned ficava feliz quando via a possibilidade de sua filha ir embora de Winterfell ficava bem longe da realidade, talvez seja por sua filha ser a cópia exata de sua irmã e não quisesse perdê-la mais uma vez.

   Prometa-me Ned. Prometa-me.

   Essas palavras nunca saíram de sua cabeça, nem mesmo depois de tantos anos. Lembrar-se de sua irmã sempre fora doloroso demais e isso acontecia todos os dias ao olhar tanto para sua filha quanto para Jon. Ned esperava que nunca chegasse o dia em que Jon descobrisse toda a verdade sobre sua origem, sabia que iria ser doloroso para ele e também perigoso, ele é o herdeiro ao trono e muitas casas o apoiariam, mesmo se ainda fosse um bastardo. Para alguns senhores seria melhor um bastardo Targaryen do que Robert, pensava Ned, Mas ele não é um bastardo, nasceu dentro do casamento, teria muito mais suporte. Afastava esses pensamentos o máximo que podia. Percebeu que tinha se perdido nos pensamento novamente quando notou um guarda se aproximando rapidamente. Um desertor da patrulha. Teria que fazer a justiça do Rei. Olhou para baixo e todos tinham parado as brincadeiras e estavam olhando em sua direção e, ao ver Bran decidiu que ele iria junto.

   -Tem certeza de que é necessário Ned? – sua esposa Catelyn protestou – Ele é apenas uma criança.

   -Eu sei Cat, mas ele não vai ser uma criança para sempre. Precisa começar a aprender sobre o mundo real e a fazer a justiça do Rei. – nada mais disse e tomou seu rumo, descendo as escadarias para dar de cara com o seu cavalo. Não demorou muito para Lyanna vir implorando para ir com eles. Implorando não, ela nunca implorava. Tentava convencer seu pai de que seria importante – de algum modo – ela ir junto, apesar das reclamações de sua mãe que diziam que aquilo não era apropriado para uma lady.

   -Sou uma lady do Norte mãe, não sou como as outras ladys. – ela simplesmente respondeu e olhou para seu pai com um olhar esperançoso. Deuses! Não há nada que eu não faça por essa menina.

   -Tudo bem, pode vir. Mas não se acostume Lya. – Ned disse e Lyanna voou para abraça-lo e depositou um beijo em seu rosto e ainda ouvia os resmungos de Catelyn e também os de Arya que também queria ir.

   Estavam todos montados em seus respectivos cavalos enquanto viam Lorde Eddard retirar sua espada Gelo da bainha. O desertor estava muito assustado, parecia que nem entendia direito o que estava prestes a acontecer.

   -Em nome de Robert da Casa Baratheon, o Primeiro do seu Nome, rei dos Ândalos e dos Roinares e dos Primeiros Homens, Senhor dos Sete Reinos e Protetor do Domínio, pela voz de Eddard da Casa Stark, Senhor de Winterfell e Guardião do Norte, condeno-o à morte -e ergueu a espada bem alto sobre a cabeça.

   -Não desviem o olhar. Pai saberá se vocês o fizerem – Jon falou em um tom baixo para Bran e Lyanna que concordaram com a cabeça.

   Ned cortou a cabeça do homem com um único golpe. Não se sentia bem tirando a vida de outra pessoa, e era por esse motivo que achava que quem desse a sentença que deveria brandir a espada. No caminho de volta para o castelo se deparam com um obstáculo à frente. Uma loba morta no caminho, bom, uma loba gigante, morta por que veado. Ao chegarem mais perto, seu filho Bran percebeu que a loba havia dado cria e ficou todo entusiasmado, assim como Robb e Lyanna que chegaram mais perto. Achou que Jon também ficou, mas se manteve um pouco afastado mesmo assim. Em meio de toda discussão de como um lobo gigante viera parar desse lado da Muralha e se era um sinal ou não, Ned sabia que assim que fossem embora, os filhotes não sobreviveriam por mais tempo, estavam fadados à morte. Assim, ordenou que Theon Greyjoy os matassem, seria um destino muito melhor.  Bastou que desse a ordem para ouvir protestos de seus filhos que já tinham em seus braços um filhote para cada um, pretendiam ficar com os animais. Poderia até imaginar a reação de sua esposa se chegasse em Winterfell com filhotes de lobos gigantes e teimou em sua decisão de não levar.

   - Lorde Stark - disse Jon - Há seis crias. Três machos e três fêmeas.

   - E então, Jon?

   - O senhor tem seis filhos legítimos - disse Jon. - Três filhos e três filhas. O lobo gigante é o selo da vossa Casa. Os vossos filhos estão destinados a ficar com essa ninhada, senhor. – Ned percebeu porque a conta deu certo, assim como todos que lá estavam, Jon se excluiu e por um momento se sentiu péssimo. Ele é tanto um Stark quanto qualquer um dos meus filhos, mas não havia nada que ele poderia fazer.

   - Não quer uma cria para você, Jon? - perguntou brandamente.

   - O lobo gigante honra os estandartes da Casa Stark - Jon retrucou - Eu não sou um Stark, pai.

   Robb logo tratou de acabar com o silencia que se instalara

   - Cuidarei eu próprio dele, pai - prometeu. - Embeberei uma toalha em leite morno e assim lhe darei de mamar.

   - Eu também! – disseram Bran e Lyanna, embarcando na promessa do irmão mais velho.

   - É fácil dizer, mas é difícil fazer. Não quero vê-los desperdiçando com isto o tempo dos criados. Se querem esses filhotes, vocês os alimentarão. Entendido? – Ned começou e viu o sorriso de sua filha se abrir - Devem treiná-los também. Devem ensiná- los. O mestre do canil não vai querer ter nada a ver com esses monstros, garanto a vocês. E que os deuses os protejam se negligenciarem, maltratarem ou treinarem mal esses animais. Esses não são cães que peçam festas ou se esquivem a um pontapé. Um lobo gigante é capaz de arrancar o braço de um homem com tanta facilidade como um cão mata uma ratazana. Têm certeza de que querem isto?

   -Sim pai. – concordaram os três.

   -Fiquem então com eles, Jory, Desmond, recolham os demais. É tempo de regressarmos a Winterfell. – Ned falou e viu a feição vitoriosa de sua filha, reconhecia essa feição como ninguém, ela sempre conseguia o que queria dele.

   Já estavam todos montados e já voltando para o caminho do castelo quando Jon parou subitamente.

   - Que se passa, Jon? - perguntou Ned

   - O senhor não ouviu? – Jon respondeu com outra pergunta e ninguém parecia ter percido o que ele tinha percebido - Ali - disse Jon. Fez o cavalo dar meia-volta e galopou pela ponte, pelo caminho por onde viera. Viram-no desmontar perto da loba gigante e ajoelhar-se. Pouco tempo depois, cavalgava de volta, sorrindo. - Deve ter se afastado dos outros - ele disse mostrando um filhote inteiro branco.

   -Ou sido afastado - disse o Lorde de Winterfell, olhando a sétima cria – Bom, parece que você também ganhou o seu próprio lobo Jon. – disse e por fim foi para frente daquela pequena comitiva. Olhou por cima do ombro e viu que Lyanna havia se aproximado de Jon e os dois estavam conversando. Ela olhando o filhote que pertencia a Jon e ele olhando para o que pertencia a Lyanna. Por vezes pegava os olhares que eles lançavam um ao outro, era algo mais afetivo do que fraternal e de certo modo, podia ver que eles tentavam esconder ao máximo o que queriam sentir e Ned não podia culpá-los, achavam que eram irmãos.

   Quando chegaram ao castelo, Bran logo foi chamar as irmãs e Rickon. Tinham combinado que se encontrariam na cozinha para dar os filhotes para os outros irmãos e para dar os nomes. Depois de descer do cavalo Ned foi em direção ao Bosque Sagrado, ficar sob o represeiro e rezar aos deuses um pouco. Lá se sentia completamente leve, como se nenhuma promessa pesasse em seus ombros e mesmo que fosse por alguns minutos adorava aquela sensação.  Rezava por seus filhos, por sua esposa, por todos que faziam parte de sua vida e rezava também para que os deuses lhe dessem mais força sobre o assunto da origem de Jon. Queria poder contar tudo para ele, mas achava que o colocaria em riscos demais, não se perdoaria se alguém descobrisse e o machucassem. Agradecia por Howland Reed ser um amigo tão leal, não só para ele, mas para toda a família Stark. É graças a ele que o segredo de Jon está tão bem guardado. Depois de suas preces permanecera ali, agora estava viajando por suas memórias. Recordava muito bem dos anos que permaneceu em Winterfell, recordava de como ele e sua irmã adoravam passar tempo e mais tempo nesse represeiro e de como ela adorava as rosas azuis de inverno, Outra coisa em que ela e minha filha se parecem, pensou. Lyanna, sua filha, também amava ficar no bosque sob o represeiro e amava ainda mais as rosas azuis, amava tanto que no 14º dia de seu nome pediu de presente um lugar cheio dessas flores e então, Ned mandou construir uma estufa pequena, onde somente tinha as flores e um outro pequeno lago, assim como a outra estufa lá é um clima agradável, mas não tão quente porque as flores gostam do frio e não do calor, Assim como ela. Estava pensando em decorar todo o castelo com as rosas azuis este ano para o 16º dia de seu nome, ela ficaria muito alegre e não permitiria que ninguém tirasse uma só rosa sequer do lugar. Percebeu que alguém se aproximava e viu que era a justamente Lyanna, e vinha já acompanhada com sua cria de lobo.

   -Já escolheram os nomes? – perguntou.

  -Eu já. –ela disse se sentando ao lado do pai – Ela se chama Tempestade – disse toda orgulhosa.

   -Você nasceu em um dia de tempestade – ele disse se lembrando da terrível chuva que assolou Winterfell naquele dia.

   -Eu sei... Foi por esse motivo que a dei esse nome – ela falava e via Tempestade se divertir com a neve. Sua loba tinha os pelos brancos, mas não era albina como o de Jon, na parte de cima tinha pelos cinza e preto e seus olhos eram uma cor de mel. – Sansa deu o nome de Lady, bem óbvio, Arya deu o nome de Nymeria por causa da história da princesa Nymeria com os dez mil navios. Robb deu o nome de Vento Cinzento, porque ele é cinza e já se mostrou que será o mais irá correr dos sete, Jon deu o nome de Fantasma por ser muito branco e enquanto todos os lobos estão começando a fazer barulhos o dele não faz nenhum. Rickon deu o nome de Cão Felpudo – ela disse dando risada e Ned a acompanhou – não sei por que, mas ele quis e Bran ainda não sabe que nome dar ao dele, está muito indeciso.

   -Alguma hora ele terá que dar algum nome – ele disse – Como está?

  -Eu? Sobre o que pai?

   -Sobre mais cedo. Você sabe por que eu tive que decapitá-lo, não sabe?

  -Sim pai, o sangue dos Primeiros Homens ainda corre em nossas veias, e mantemos a crença de que o homem que dita a sentença deve manejar a espada.  – ela disse

   -Se tirar a vida de um homem, deve olhá-lo nos olhos e ouvir suas últimas palavras. E se não conseguir suportar fazê-lo, então talvez o homem não mereça morrer. – Ned continuou. Depois ficaram conversando um pouco mais sobre diversos assuntos e viram Tempestade assustar com a água em seu rosto quando colocou o focinho no lago e Lyanna se levantou para mostrar que ela não tinha que ter medo do lago. Pouco tempo depois Catelyn aparece por lá também e os dois sabiam que era algo importante para ela estar ali. Lady Stark não se acostumara com o Bosque Sagrado, mesmo com o passar do tempo. Ela ainda servia a Fé dos Sete.

   -Ned, chegou uma carta para você – ela disse e Ned e Lyanna a observaram – Contém o selo da família real.


Notas Finais


Só para esclarecer algumas coisas: aqui Jon e Robb tem 18 anos, Lyanna irá fazer 16, Sansa tem 15, Arya 13, Bran 11 e Rickon 7. Eu mudei para eles não ficarem tão crianças assim... acho mais fácil e não entra muito bem na minha cabeça crianças fazendo o que eles fazem hahaha. E eu vejo a Adelaide Kane como Lyanna
É isso ai, me falem o que vocês acharam. Críticas são sempre bem vindas, assim como sugestões para a história! Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...