História State Of Grace ( Lutteo e Gastina) - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Gaston, Luna Valente, Matteo, Nina
Tags Amizade, Revelaçoes, Romance, Segredos
Exibições 752
Palavras 2.063
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Primeiro de tudo, tenho que dizer que estamos no INICIO da reta FINAL, pois é tudo que começa tem um fim hahaha, mas ainda tem uns capítulos e algumas coisas pra resolver, então relaxem :D

Segundo, eu respondi alguns comentários hoje, mas aos que eu ainda não respondi tenham um pouquinho de paciência que eu irei :)

Terceiro, EU AMO os comentários de vocês, me faz muito bem o que vocês escrevem, obrigado por todo apoio e carinho. Amo vocês, de verdade. Vocês tornam meus dias iluminados e melhores :D

Por fim, dedico esse capítulo ao Wallace, que por sinal, tem uma fanfic I-N-C-R-I-V-E-L chamada Por Amar você, o casal principal é Gastina <3 Gente sério é muito amorzinho *-*

Capítulo 33 - Rendenção Amorosa


Fanfic / Fanfiction State Of Grace ( Lutteo e Gastina) - Capítulo 33 - Rendenção Amorosa

“Eu te tratava meio mal e agora você sabe que eu fingi, eu te amo muito mais que ontem quando não havia nada pra se preocupar  quando jurei que você ia embora mas você decidiu ficar e, quanto tempo faz, parece que foi ontem mas eu nem me lembro mais de não te conhecer”

 

Obs: As partes "quentes" estão em itálico, como sempre se não gosta é só pular :)

 

- Quieta loira, alguém pode te ouvir. Simón disse e logo em seguida retirou a mão da boca de Ámbar.

- Como você entrou aqui? Ámbar perguntou sentindo seu coração pular no peito.

- Pulei o muro. Simón disse sorrindo.

- Seu vândalo. Ámbar disse tentando segurar um sorriso.

- Isso que eu vi foi um sorriso? O moreno perguntou divertido.

Ámbar revirou os olhos e mordeu os lábios para não sorrir.

- Foi sim. Ele disse a loira não aguentou e sorriu para ele.

- Por que não entrou pela porta, como qualquer pessoa normal? Ela perguntou.

- Porque eu não sabia se você ia me receber e eu precisava te ver. O mexicano disse e colocou uma mecha do cabelo da loira atrás da orelha.

Ámbar fechou os olhos com o carinho.

- Por que sempre torna as coisas tão difíceis? Ela perguntou suspirando.

- Não sou eu quem torna as coisas difíceis loira, essa é sua especialidade. Simón respondeu sincero.

- Você não sabe o quão complicado para mim, aceitar que eu... Ámbar começou mas deixou a frase no ar.

- Que você o que? Simón a incentivou a falar.

A loira respirou fundo criando coragem.

- Que eu te amo. A loira disse com uma intensidade única.

Simón a encarou surpreso, mas logo colocou uma mão na cintura de Ámbar e a puxou para ele.

- Você sabe que agora é que eu não desisto, não sabe? Porque eu também te amo Ámbar e eu nunca quis tanto alguém como eu quero você. Simón disse e acariciou o rosto dela com sua outra mão.

- Nós dois é um amor tão errado, não sei se daria certo. Ela comentou melancólica.

- Podemos fazer dá certo, eu te amo loira, com todo meu coração. Simón insistiu.

Ele colou o nariz no dela, a loira sentiu o hálito dele bater em sua boca, então ela não resistiu e fechou os olhos, queria muito um beijo.

Então como se pudesse ler seus pensamentos Simón a beijou.

Ámbar correspondeu imediatamente colocando suas mãos nos ombros do mexicano o puxado para mais perto.

Ámbar abriu a boca e a língua de Simón adentrou sedenta por explorar sua boca, a loira sentiu seu corpo estremecer, o moreno sorriu entre o beijo ao perceber o que seu beijo causava nela.

Simon andou de costas puxando a loira consigo, até sentir suas pernas baterem na cama dela.

Ele sentou na cama sem parar de beija-la e puxou a loira para seu colo, que não resistiu e foi.

O sentimento os dominava naquele momento, cada célula de seus corpos parecia querer se fundir.

O moreno desceu os beijos para o pescoço dela e sentiu o corpo da loira se arrepiar.

A loira colocou a mão no cabelo dele o incentivando a continuar.

Eles estavam perdendo o controle, o amor e desejo de ambos estava falando mais alto.

Ámbar colocou uma perna de cada lado do corpo de Simón, fazendo que ficassem com os corpos colados.

Simón desceu as mãos para o bumbum de Ámbar o apertando.

A loira gemeu em meio ao beijo.

Então Simón percebeu.

- V-você está nua, não tem nada embaixo do roupão? Ele perguntou nervoso depois de partir o beijo.

- Não. Ámbar disse ofegante, sentindo o tecido grosso da cala jeans do moreno roçar em sua intimidade.

Ámbar não aguentou e começou a fazer movimentos para frente e para trás

- Hummm. A loira soltou se deliciando com o atrito do tecido grosso com sua vagina.

Simón sentiu seu membro latejar dentro da calça, louco para se enterrar dentro dela.

Sabia que eles não namoravam mas faria uma loucura se ela continuasse se esfregando nele daquele jeito.

- Ámbar para, por favor. O moreno pediu segurando um gemido.

- Não consigo, é tão gostoso Simón. Ámbar disse com a voz rouca.

O guitarrista segurou no quadril da loira a ajudando a se esfregar nele.

- Posso te contar um segredo? Ámbar perguntou ofegante.

- Diga meu amor. Simón respondeu excitado.

Ámbar aproximou-se da orelha de Simón, colando sua boca nela.

- Você me deixa tão molhada, eu tenho sonhos Simón, sonhos que me fazem acordar no meio da noite louca para fazer amor com você, você não quer realiza-los? Ela sussurrou de modo sensual e mordeu o lóbulo de sua orelha.

Simón gemeu, estava perdendo a razão, sempre foi o típico bom menino, queria firmar compromisso com ela antes de leva-la para cama, queria ser o namorado dela.

Mas Ámbar parecia não se importar com este “detalhe”.

O moreno olhou para loira e seus olhos desceram para o laço do roupão da loira, aquilo era a única coisa que o impedia de a ver totalmente nua.

Abrir o laço ou não? Simón se questionava.

 

Enquanto isso naquele mesmo momento...

Luna e Matteo estavam no maior amasso no carro do italiano há alguns minutos.

Luna sentia o membro grosso de Matteo completamente duro embaixo da calça.

O italiano estava com as mãos embaixo de sua saia.

O local era totalmente inapropriado, mas a morena sentia-se pingar de tanto tesão.

Matteo colocou uma mão por dentro da calcinha e sentiu Luna totalmente encharcada.

- Já está assim amor? Matteo perguntou safado.

- Você não está muito diferente. A morena respondeu no mesmo tom.

- Que tal irmos para outro lugar? Matteo perguntou sentindo Luna chupar seu pescoço.

- Seu carro tem película? Das que não dá para ver nada do lado de fora? Luna perguntou maliciosa.

Matteo arregalou os olhos entendendo a morena.

- Sim, tem película totalmente preta, mas, você não está pensando em fazer isso aqui? Ele perguntou surpreso.

- Não tem nem como fazer as preliminares amor, não vai dar nem pra tirar a roupa toda. Matteo completou.

- Não precisa amor, só quero sentir você fundo em mim. Luna disse.

Matteo nem sequer contestou, deitou seu banco para trás, para que ambos ficassem o mais confortáveis possível, Luna abriu o cinto de Matteo e abaixou a calça jeans e a cueca até os joelhos dele.

A morena salivou ao ver o membro de Matteo, o liquido do pré gozo escorrendo pela cabeça rosada, queria muito chupa-lo mas estava com pressa.

Ela tirou sua calcinha e jogou no banco do passageiro.

Matteo a puxou pelas coxas e a ajudou a sentar em seu pênis.

Ambos gemeram ao sentir o membro entrar na vagina extremamente molhada.

Luna rebolou fazendo o membro de Matteo ir bem fundo.

- Ahhh que delícia. Matteo gemeu.

- Rebola mais amor. Ele pediu ao mesmo tempo em que impulsionava os quadris para cima dando estocadas.

- Assim? Luna perguntou descendo e subindo no pênis dele freneticamente.

Luna não se reconhecia, mas estava adorando.

Depois de alguns minutos, Luna sentiu sua vagina começar a se contrair, sabia que estava perto de gozar.

Matteo também estava próximo pois sentiu a intimidade de Luna aperta-se deliciosamente mais ainda envolta de seus pênis.

Ambos gozaram ao mesmo tempo.

Ela ajudou Matteo a sair de dentro dela e vestiu a calça nele novamente.

Eles se abraçaram tentando controlar a respiração.

Luna olhou para Matteo e lhe beijou brevemente nos lábios.

- Me desculpa. Ela pediu de modo carinhoso.

- Tudo bem amor, eu também te devo desculpas. O italiano disse no mesmo tom.

- Eu te amo Matteo, não quero te perder. Luna declarou apaixonada.

- Também te amo, a gente pode até brigar, mas não vamos nós separar não se preocupe. O moreno disse apaixonado e logo em seguida se beijaram, dessa vez de um modo calmo e romântico, queriam apenas curtir o momento.

 

Momentos mais tarde Luna entrou na Mansão e Matteo foi para casa e ao entrar no seu quarto viu Gastón estava deitado em sua cama.

-Oi amor da minha vida, achei que estava com a Nina. Matteo disse brincando.

- Oi paixão, vim passar uns dias com você. O loiro disse, mas seu tom era triste.

Matteo deitou-se ao lado do amigo.

Gastón explicou o que estava acontecendo e Matteo ficou revoltado.

- Por isso vim para cá, minha mãe acha mais seguro eu ficar aqui, os Balsano têm fama de serem inatingíveis. Ele disse tentando brincar.

- Bom, você é meu futuro esposo, não vou te negar abrigo. Matteo brincou e Gastón sorriu pela primeira vez desde que o amigo havia chegado.

- Estou com medo Matteo. O loiro confessou.

- Mas não precisa. Disse Maite entrando no quarto junto com William.

- Você é da família Gastón e vamos protege-lo como tal. William disse de modo sério.

Matteo sorriu orgulhoso dos pais.

- Fique o tempo que precisar e pode chamar a tia Bianca para vir também. Matteo se pronunciou.

- Obrigado! Gastón disse.

William se aproximou da cama e agachou-se na frente de Gastón.

- Nada de ruim vai acontecer com você, eu prometo, em breve tudo irá se resolver. William disse.

Gastón não sabia como, nem por que, mas sentiu certeza nas palavras dele.

- Afinal você está na casa dos Balsano e nós somos os melhores. Maite brincou fazendo todos rirem.

- Ai meu Deus, o ego aqui é compartilhado, me ajuda senhor. Gastón disse divertido.

Todos riram mais ainda.

- Aqui é a realeza baby. Matteo devolveu rindo.

E pela primeira vez na semana Gastón se sentiu seguro, sabia que sempre teria um lar entre os Balsano, eles e sua mãe Bianca eram sua verdadeira família.

A madrugada chegou e o loiro não conseguia parar de pensar na sua mãe, ele estava a salvo no momento, mas ela havia ficado na mansão Perida com seu pai, para que ele não fizesse nada ou suspeitasse que Gastón sabia que ele estava maltratando-a.

Matteo acordou com o loiro remexendo-se na cama inquieto.

- Ei, o que foi? O italiano perguntou com a voz rouca de sono.

- Não consigo parar de pensar na minha mãe sozinha com aquele crápula. Gastón respondeu preocupado.

- Vamos dar um jeito, eu prometo. Matteo disse.

- Estou com medo que ele faça algo com as pessoas que eu amo, acho que ele só não tentou algo contra você diretamente por causa dos seus pais, os Balsano são conhecidos e poderosos, e seu pai é uma peste, no bom sentindo é claro. Gastón disse e Matteo sorriu.

Willian Balsano era um homem de bom coração e caráter inabalável, mas quem mexesse com quem ele amava, podia preparar-se para viver o inferno.

- Meu pai é uma fera. Matteo disse rindo.

Gastón mordeu os lábios pensativo.

- Qual a outra coisa que está te perturbando? Pode ir falando. O italiano disse.

- Odeio o fato de você me conhecer bem, sério, é um saco. Gastón rebateu.

- Não me enrola, pode falar ou te coloco para dormir na casinha do cachorro. O italiano ameaçou.

- Como eu disse antes, estou com medo do meu pai fazer algo contra as pessoas que eu amo... Gastón começou mas não terminou.

- Desenrola Gastón, essa parte aí eu já sei, pode falar o resto, mania de ficar arrodeando, parece cachorro quando quer fazer xixi e fica arrodeando o poste, mereço. Matteo reclamou.

Gastón revirou os olhos com a comparação do amigo, mas sorriu.

Logo em seguida o loiro respirou fundo criando coragem.

Ele olhou para Matteo durante alguns minutos, mas não disse nada e então o italiano explodiu.

- PARA COM ESSE SUSPENSE, EU VOU TE BATER. Matteo gritou sentando na cama.

- Fala baixo seu doido, seus pais tão dormindo. Gastón respondeu surpreso com a explosão repentina do amigo.

Matteo respirou fundo e contou até 10, estava a ponto de pendurar Gastón pelos pés na janela, odiava quando o amigo ficava fazendo suspense.

- Diante de tudo que está acontecendo e do meu pai já ter provado ser perigoso, estou pensando seriamente em terminar com a Nina. Gastón despejou de uma vez.

Matteo abriu a boca totalmente surpreso.

- Eu preciso protege-la. Gastón completou.

O italiano olhava em choque para o amigo.


Notas Finais


Comentem para me inspirarem, me deixar feliz, obrigado amores, por tudo <3
Mil beijoos *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...