História State Of Grace ( Lutteo e Gastina) - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Gaston, Luna Valente, Matteo, Nina
Tags Amizade, Revelaçoes, Romance, Segredos
Exibições 637
Palavras 2.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


AMORES DA MINHA VIDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA *-*

Obrigado pelos lindos comentários, como sempre estou respondendo aos poucos, hoje o tempo foi corrido pra mim porque passei o dia fora e só cheguei agora a pouco e corri para escrever o capítulo.

Mas em breve responderei todos, prometo :)

Gente o homem que estava observando a Luna e o Matteo não é o pai do Gastón, porém é o mesmo homem que chegou há pouco tempo na Argentina e que estava disfarçado de enfermeiro e ele tem cúmplice '0'

Algumas pistas de quem é esse homem vão ser deixadas nos próximos capítulos, COMENTEM SUAS TEORIAS hahahaha :D

Mas o cúmplice dele vai ser revelado neste capítulo mesmo.

É um capítulo bem diferente que não tem a "pegada" romântica que vocês tanto gostam, mas é essescial para o desenrolar da história, afinal nem tudo são flores e amores *-*

Boa leitura :D

Capítulo 36 - Pequenos Fragmentos da Verdade


Fanfic / Fanfiction State Of Grace ( Lutteo e Gastina) - Capítulo 36 - Pequenos Fragmentos da Verdade

“Eu prefiro sentir o meu peito doer, do que ver um amigo sofrer”.

 

Um homem estava em um hotel, havia várias pastas em sua cama, entre elas havia uma em especial que ele estava interessado e folheava os papéis que havia dentro dela.

- William Balsano, você parece ser um homem integro e de caráter inabalável, interessante. Ele sussurrou para si mesmo.

- Talvez o poderoso Balsano seja o caminho para meu objetivo. Ele completou sorrindo.

- Maite Balsano, poderosa e uma boa pessoa, porém reclusa, não acho que você seja o caminho. Ele disse olhando a outra pasta mas balançou a cabeça negativamente.

Ele pegou outra pasta na cama e sorriu.

- Ou quem sabe eu deva começar por você. Ele disse abrindo a pasta com o nome “Matteo Balsano.”

- Parece que você tem um bom coração garoto, posso fazer bom uso dele. O homem misterioso disse para a foto de Matteo que continha na pasta.

- O que você acha? Balsano Pai ou Balsano filho? Qual a melhor opção? Ele perguntou para a pessoa que acabava de entrar no quarto.

- Os dois são boas opções, mas o garoto é mais ingênuo, poderá se aproximar dele com mais facilidade, para conseguir aquilo que você tanto quer.  O seu cúmplice que entrou no quarto respondeu.

O cúmplice do homem misterioso era nada mais, nada mesmo do que Felipe Oliver, um grande amigo de William Balsano.

E estava ajudando o homem que chegara a poucos dias em Buenos Aires a esconder sua identidade e colocar seu plano em prática.

O homem misterioso tinha muito interesse em toda família Balsano, pois eles eram a chave para conseguir o que ele queria.

 

Naquele mesmo momento em outro local....

Rodrigo Perida passava as mãos pelo cabelo de forma nervosa, estava desesperado a caixa que lutara por anos para esconder havia sumido, se pusesse suas mãos em quem tivesse pego teria que matar, ali havia provas de seus desvios de dinheiro e de um assassinato.

Na sua frente seu lacaio Charlie tentava acalma-lo, mas por dentro sorria, a caixa já estava nas mãos de William Balsano, a quem ele era muito fiel.

Queria ver a desgraça de Rodrigo Perida e pelo que conhecia de Balsano, não iria demorar a acontecer.

Podiam até armar para Balsano, mas ninguém conseguia derruba-lo de fato.

Dia seguinte...

No Blake, Nina se arrastava de cansaço pelo corredor, estava muito cansada tinha passado a tarde inteira do dia anterior com Gastón e bom haviam feito um grande esforço físico.

E para piorar a situação não havia conseguido dormir durante toda a noite, pois como toda boa menina apaixonada, ficou sorrindo e lembrando dos seus momentos com Gastón.

Ela sorriu ao ver Matteo sentado na escada e foi até o amigo.

- Oi Matt. Ela disse sorrindo.

- Oi Nina. Ele disse sorrindo, mas havia algo estranho em seu sorriso, Nina só não soube o que.

- Eu queria te agradecer por ontem, seu conselho maluco. Ela brincou.

Nina esperou alguma resposta brincalhona da parte de Matteo, mas esta não veio.

O moreno apenas acenou com a cabeça.

- O que você tem? Perguntou preocupada.

- Nada. O moreno respondeu dando de ombros.

Nina se preparou para insistir no assunto, mas Gastón chegou.

- Oi amor. Ele disse e lhe deu um selinho, ao qual Nina correspondeu.

- Oi paixão. Gastón disse em tom de flerte para Matteo, brincando com o amigo.

- Oi Gastón. Matteo respondeu e sorriu, mas foi um sorriso que não chegou aos olhos.

Gastón estranhou a atitude do amigo e ia abrir a boca para perguntar o que era, mas o italiano foi mais rápido.

- Eu tenho que ir, vejo vocês mais tarde. Matteo disse e se levantou.

- Não vai passar o intervalo com a gente? Gastón perguntou estranhado.

- Tenho que revisar a matéria. Matteo respondeu.

- Ahh ele deve querer revisar a matéria com a Luna. Nina disse brincando.

Matteo esboçou um sorriso.

- Na verdade vou estudar mesmo, por favor avisem a ela. Matteo falou e logo em seguida subiu as escadas.

A alguns metros Ámbar conversava com Jazmin e Delfi.

Porém a loira estava observando o italiano desde do início da manhã, tinha achado ele diferente, parecia ter algo errado, desde a hora que haviam se cruzado no corredor, mas agora que tinha ouvido a conversa “sem querer” dele com Nina e Gastón, tinha ficado preocupada com o moreno, havia alguma coisa errada.

Gastón ainda estava parado no mesmo lugar, Matteo realmente havia dispensado o intervalo? E pior dispensado a companhia dele, de Nina e de Luna.

- Gastón eu sei que você está cheio de problemas, mas tenho que ser sincera amor, tem algo acontecendo com o Matteo. Nina disse séria.

- Como assim? Perguntou Luna que havia acabado de chegar, mas tinha ouvido o que a amiga havia falado.

- O Matteo está escondendo algo. Gastón disse.

- Ele está muito estranho, não sorriu direito e nem respondeu a nenhuma das brincadeiras que fizemos com ele. Nina completou.

- Passamos a tarde juntos ontem e ele estava bem, o que pode ter acontecido? Luna disse preocupada.

- Eu não sei Luna, mas seja lá o que for vou descobrir. Não vou deixar ele passar por algo ruim sozinho. Gastón disse sério.

Luna sentiu seu coração apertar.

O que está acontecendo com você Mauricinho? Ela pensou triste.

Nina sentiu seu coração pesar.

Ámbar passou por eles e acenou sorrindo.

Os 3 corresponderam automaticamente.

A loira subiu as escadas e enquanto caminhava no corredor sentiu seu celular vibrar, sorriu ao ver que era uma mensagem de Simón.

“ Não consigo parar de pensar em você, estou sorrindo feito bobo, me sinto perdido de tanto amor por você, seus beijos viraram o ar que eu respiro, você sabe que precisamos de oxigênio para sobreviver, certo? Se não quiser me ver morto me encontras ás 15:00 no Roller, to com saudade. Simón.”.

Ámbar suspirou feliz, ela iria com certeza, apesar de chamar o mexicano de exagerado, ela sentia-se da mesma maneira.

Ela então lembrou-se o que foi fazer ali e começou a procurar Matteo pelas salas.

Até que na última do corredor ela o encontrou, o viu sentado de costas para a porta, pelo vidro da mesma.

A loira entrou e Matteo respirou fundo ao reconhecer os passos.

Ele só queria ficar um pouco sozinho, era pedir muito? O moreno tentou se acalmar para não ser grosso.

- Ei, o que aconteceu? Ele ouviu a voz de Ámbar perguntar e ecoar pela sala vazia.

- Nada, estou bem, apenas com dor de cabeça. Matteo mentiu.

Ámbar andou pela sala até ficar de frente com Matteo, a loira arregalou os olhos ao ver a expressão do moreno.

Ele estava com os olhos cheios de lágrimas.

- Você me ajudou, deixa eu te ajudar. Ámbar pediu.

Queria ajudar Matteo com o que fosse.

O moreno estava abalado e sua expressão estava carregada de preocupação.

Matteo apenas negou com a cabeça, mordendo os lábios com força.

Naquele mesmo momento Luna chegava a porta da sala.

Ela havia decidido procurar pelo namorado.

Havia pedido a Nina e Gastón para ir sozinha.

Ela sabia como dobrar Matteo e faze-lo falar, mas se o italiano não quisesse contar ela não iria força-lo.

Ámbar viu Luna e a chamou com a mão.

A morena rapidamente entrou.

A loira beijou a testa de Matteo e logo em seguida saiu.

Estava preocupada com ele, mas era de Luna que o italiano precisava e ela sabia.

Luna acariciou o rosto de Matteo, mas o moreno permaneceu calado.

Ela viu tristeza nos olhos dele e preocupação.

- Amor, me conta. Ela pediu de modo suave.

Luna pegou a mão dele e automaticamente o olhar de Matteo desceu para as mãos dos dois juntos.

Luna percebeu que seu olhar era distante.

- Me beija. Luna pediu.

Matteo não entendeu o pedido.

- Não precisa nem pedir.  O italiano falou e logo o beijou.

Luna correspondeu ao beijo de forma apaixonada, sua língua se entrelaçava com a de Matteo e arrepios percorriam todo seu corpo.

Matteo a puxou para ele de forma possessiva e agarrou-se aquele beijo.

Por um instante ele esqueceu de tudo que estava acontecendo.

Luna o abraçou pelos ombros e apertou seu corpo contra o dele, Matteo gemeu em meio ao beijo ao sentir o corpo dela colando-se ao seu.

A Menina Delivery tinha o poder de tirar ele do eixo, de fazer um dia nublado iluminar-se com a luz do sol.

Luna partiu o beijo e logo colocou sua boca na orelha de Matteo.

- Não precisa me falar nada amor, eu espero até que esteja preparado para contar. Ela sussurrou e seus lábios roçavam na orelha de Matteo a cada palavra dita, fazendo o moreno se arrepiar.

- Não gosto de te ver triste, posso fazer você esquecer isso, se quiser. Luna completou e chupou lentamente o lóbulo de sua orelha fazendo Matteo gemer baixinho.

- Droga Luna, estou excitado. Matteo sussurrou.

Aquilo era insano, Luna tinha conseguido mudar ele de mortalmente triste, para mortalmente excitado, aquilo não era humano.

- E como você acha que eu estou com as suas mãos pegando na minha bunda por baixo da saia? Eu daria qualquer coisa para estar em uma cama com você agora. Luna disse olhando nos olhos do namorado.

Matteo viu que era verdade e sorriu sinceramente pela primeira vez no dia.

- Safada, só porque eu sou gostoso. Ele sussurrou divertido.

- Ai meu Deus o Mauricinho está vivo. Ela brincou.

- Só você amor, para me fazer esquecer do Mundo. Ele respondeu apaixonado.

- Agora vai me contar o que houve? Luna perguntou passando a mão no peitoral do namorado por cima da farda do Blake.

- Não foi comigo diretamente, mas aconteceu algo com alguém que eu gosto e que vai afetar uma pessoa que eu amo. Ele contou.

- É algo relacionado comigo, não é? Gastón perguntou entrando na sala junto com Nina.

- Eu pedi para ficar com ele sozinha. Luna reclamou.

- Eu conheci ele primeiro, tenho prioridade, além disso ele me ama mais. Gastón disse tentando brincar.

- Matt fala logo, estou aflita. Nina se pronunciou.

- Sim Gastón, tem tudo a ver com você, eu fiquei preocupado e estava tentando achar uma maneira de te dar a notícia e fiquei muito triste quando soube. Matteo disse.

- Meu pai recebeu uma ligação ontem do Delegado Francis, que é um amigo dele, meu pai já havia divido as desconfianças dele com este delegado sobre atividades ilícitas que seu pai pratica. Matteo disse.

Gastón o olhou surpreso, ele sempre suspeitou que o pai fazia algo a margem da lei, mesmo assim era um choque ouvir da boca de outra pessoa.

- Seu pai foi dar queixa na delegacia sobre o desaparecimento da tia Bianca. Matteo continuou.

- Ai meu Deus! Nina disse chocada.

- Minha mãe desapareceu? Gastón perguntou e encostou-se na mesa, parecia que o chão havia sido tirado debaixo dos seus pés.

- Sim, eu sinto muito, mas isso não é tudo. Matteo falou sério.

Luna estava totalmente surpresa com a situação, seu olhar alternava entre Matteo e Gastón.

- Solta a Bomba. Gastón disse de modo triste.

- Há alguns anos atrás houve um desaparecimento, seu pai foi quem deu queixa dele, porém a pessoa nunca apareceu novamente, sendo que o Rodrigo foi o último a ver a tal pessoa viva, o delegado da época era Francis, o mesmo de agora. Depois de algum tempo ele havia concluído que a pessoa não havia desaparecido, mas seu pai havia matado e sumido com o corpo e a denúncia foi só um disfarce para não parecer culpado. Matteo soltou de uma vez.

A essa altura Gastón chorava, seu pai era um monstro, ele não conseguia reconhece-lo.

- Depois de muita investigação o delegado Francis conseguiu reunir algumas provas, inclusive uma delas era uma faca ensanguentada que ele iria mandar para fazer teste de DNA, mas adivinha só? A caixa de evidências sumiu, o delegado não tinha como provar que seu pai era culpado. E agora a história meio que se repetiu, meu pai está preocupado que a tia Bianca não tenha apenas desaparecido, mas que esteja morta. Matteo concluiu de forma triste.

- Eu não queria que você soubesse desse jeito, a sua dor é a minha Gastón, não queria te ver sofrer. Matteo disse e abraçou o amigo que chorava.

- A minha mãe pode estar morta? O loiro perguntou agarrado ao amigo.

- Sinto muito. Foi a resposta de Matteo e o choro de Gastón se intensificou.

- Amor, eu estou aqui. Nina sussurrou e o abraçou também.

As lágrimas caiam pelo rosto de Luna, ela não queria acreditar que poderia existir alguém tão cruel no Mundo.

Ela olhava o abraço entre os 3 amigos.

Viu que Matteo e Nina queriam confortar e proteger Gastón de alguma maneira.

Ela então se aproximou e os abraçou também.

- Estamos ao seu lado Gastón. Luna disse.

O momento era complicado, mas os quatro nunca estiveram tão unidos.


Notas Finais


Amores não deixem de comentar okay? Quero saber a opinião e a teoria de vocês sobre tudo *--*
Obrigado <3
Mil beijooos *O*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...