História Statera. - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jihope, Namjin, Sugakookie, Yoonkook
Visualizações 237
Palavras 4.168
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpe qualquer erro e seja muito bem-vindo (a)!!!

Capítulo 19 - Our hope.


Taehyung colocou as mãos para trás após tocar a campainha. Olhou para Jeon do seu lado, ajeitando a gola da jaqueta que ele usava.

— O que é isso?

— Estou me sentindo em uma cena de filme, sabe? Onde a gente se ajeita todo antes que a porta seja aberta.

O mais novo balançou a cabeça em negação enquanto gargalhava das comparações do amigo. Taehyung era mais velho que ele e, às vezes sentia como se fosse o contrário.

Adorava isso, de todo modo, porque ele trazia alegria ao grupo juntamente com Hoseok. Ficou extremamente feliz de ter feito amizade não só com ele, realmente adorava o grupo que tinha, mesmo que agora estivesse daquela maneira. Mas não gostava de se queixar de nada entre os amigos, pois eles faziam de tudo por todos de uma forma igual, e Jeon apreciava isso demais.

Seus pensamentos haviam sido interrompidos quando a porta foi aberta. A figura baixa, sorridente e notória a semelhança dela com Jimin.

— Jeongguk, olá! — a mãe de seu amigo o cumprimentou, seguido por Taehyung. — Oi Taehyung. Por favor, entrem.

— Não, não. Nós não viemos entrar, só queremos saber como Chimmie está.

— Quer que eu o chame?

— Por favor. — Taehyung retribuiu o sorriso que recebeu, no qual era contagiante demais. Já diziam que a vontade de apertar as bochechas da mãe de Jimin eram imensa, porque ela era tão fofa quanto ele. Mas nunca que fariam isso, então pra suprirem essa vontade os meninos sempre apertavam Jimin. Que era praticamente a mesma coisa.

Ainda parados na porta da casa do amigo, revisavam tudo o que tinham planejado pra que nada saísse errado, ou Jungkook se xingaria pro resto da vida. Pelo menos alguma coisa ele deveria fazer certo. Ele devia isso a Jimin pela briga que teve com Hoseok, sentia-se culpado. E de certo modo era, porque se não fosse sua maldita insegurança nada daquilo teria acontecido.

— Olha só, vocês por aqui. — a voz baixa de Jimin se fez presente quando ele abriu a porta e saiu para a varanda da casa. O previsto aconteceu, Taehyung o puxou junto com Jungkook para um abraço enquanto dizia.

— Os mais novos juntos, isso não é lindo?

— Tae, você vai matar a gente. — Jimin tentava se desvencilhar dos braços do amigo, mesmo que estivesse adorando abraçá-los. Taehyung não estava os machucando, mas fazer um pouquinho de drama nunca era demais.

— Se comporta. — Jeon sussurrou para o amigo após se ajeitar do abraço dado.

Arrumou sua jaqueta e olhou para Taehyung, depois olhou para Jimin esperando o amigo dizer o que eles haviam combinado.

— Então Chimmie, — Tae respirou fundo tentando parecer sério uma vez na vida. — nós ficamos sabendo que você não estava bem e, bom, ficamos preocupados e viemos até aqui.

— Gente, não foi nada disso. — Jimin deu risada, ajeitando a manga do casaco para que cobrisse ainda mais suas mãos. — Eu passei o dia sem comer porque não estava muito bem sentimentalmente e minha mãe me viu quieto, achou que eu estava doente e me levou para o hospital.

— Já sabemos de onde ele puxou o exagero. — Tae recebeu um tapa de Jungkook em seu ombro, reclamando pela leve dor que sentia, mesmo que estivesse rindo.

— Então você está bem, Chimmie?

— Fisicamente sim. — deu um sorriso fraco e desviou o olhar dos rapazes. Sua respiração pesou já imaginando as inúmeras perguntas que receberia após isso, mas não. Foi surpreendido pelas mãos de Taehyung segurando seus ombros. — Onde...

— Queremos dar uma volta com você.

— Pra onde irão me levar?

— Segredo. — Jungkook havia ficado encarregado de dirigir naquele momento enquanto Taehyung ia atrás com Jimin pra conversar, rezando mentalmente para que ele não desconfiasse de nada.

O caminho todo o ambiente do carro fora preenchido pelas conversas que estavam tendo. Jimin não se cansava de perguntar para onde os meninos o levariam e, mesmo sabendo que nenhum deles iria responder, não parava com os questionamentos.

Aquele dia havia sido completamente cansativo para o rapaz. Estava tão entristecido por ter Hoseok longe dele, por terem brigado daquele jeito. Não era drama algum ficar um dia sem comer enquanto sentia aquele vazio dentro dele se instalar pela falta que o rapaz fazia, mesmo sabendo que aquilo poderia passar com o tempo. Mas àquele momento só queria ficar em seu quarto chorando pelo resto da semana. Sua sorte era que já havia parado de chorar horas antes de Taehyung e Jungkook irem até sua casa, ou veriam seu rosto avermelhado e fungando a cada cinco minutos. Era completamente horrível.

— Pronto, chegamos.

— Por que me trouxeram até essa praça?

— Porque vamos dar uma volta. — Jeon estacionou bem em frente ao local, agradecendo mentalmente por isso, já que não precisaria dar tanta volta até encontrar uma vaga. Os três desceram enquanto Taehyung ia na frente, Jungkook ia atrás com Jimin ouvindo seus protestos de como estava tarde e escuro para já estarem ali.

— Se forem me assustar, por favor...

— Relaxa hyung, acha que seriamos capazes disso?

— Quer que eu seja sincero? — Jimin olhou para o amigo, tendo uma careta como resposta. Jeon até não faria isso, mas vindo de Taehyung ele não conseguia duvidar de quase nada.

Ainda olhando para o rapaz ao seu lado, notou que ele olhava para frente e, assim que pararam de andar, Jungkook suspirou. Seus olhos fixaram-se para frente e ele não agüentou a curiosidade em ver o que o amigo olhava também. Seu coração quase saiu pela boca com a visão, só podia ser brincadeira. Ou era uma miragem, ele estava ficando louco, não?

Taehyung voltou a andar até ao lado deles, entrelaçando seu braço no de Jungkook.

— Nós vamos dar uma volta e deixar vocês dois a sós. Qualquer coisa é só me ligar. — avisou o amigo ainda estático, encarando a figura de Hoseok de pé ao lado daquele banco de madeira.

Não conseguiu responder muita coisa a não ser um “ok” enquanto acenava para os rapazes que se afastavam rapidamente dele. Agora era sua deixa, ele poderia sair correndo e voltar pra casa andando, a praça não era muito longe. Mas ficar dentro daquele carro tinha parecido uma eternidade, talvez pelas conversas jogadas fora que teve no meio do caminho. E por que ele não conseguia correr pra longe? Por que continuava ali parado? Tinha que fazer alguma coisa, tinha que pensar em algo.

Mesmo que seu peito estivesse doendo e a vontade repentina de chorar estivesse presente, ele não faria isso. Se fizeram aquilo tinha sido por uma boa causa, então que deixasse se levar pelo momento dessa vez.

Jimin começou a andar em direção a Jung, que mantinha-se quieto e com as mãos em seus bolsos, olhando para frente apenas quando Park estava perto o suficiente. Assim que ergueu sua cabeça, viu o brilho nos olhos bem perto, aquele que não via a dias.

— Jimin.

— Hoseok. — disse quase em um fio de voz.

— Nós precisamos conversar. Sobre nós dois agora. — ouvir a voz dele tão seria daquele jeito lhe cortava ainda mais o coração, mas sabia que tinha sido por sua culpa.

Não completamente, já que Hoseok tinha vacilado também. Aquela conversa era tudo o que precisavam, então ele aceitaria, de qualquer modo. Até porque queria ver o que mais velho teria pra lhe dizer dessa vez. 




— Vamos apostar. — Taehyung deu uma mordida em seu sanduíche.

— O que quer apostar? — Jungkook terminou de mastigar para pegar seu refrigerante no porta-copo que tinha dentro do carro de Hoseok.

— Não sei, deixa eu pensar. — realmente estava pensando no que poderia dizer. 

Tinha algum tempo que haviam deixado Hoseok e Jimin naquela praça praconversarem e esclarecer qualquer tipo de assunto pendente que tivessem. Jungkook tinha tido essa ideia pra não se sentir mais culpado do que já estava. Taehyung apenas aceitou, afinal, estava perdido demais pra perguntar o que estava acontecendo. Depois de deixarem os dois ali, procuraram algum lugar pra comer e resolveram permanecer dentro do carro até que algum dos dois ligasse.

Como Kim mesmo repetiu o tempo todo em que estavam ali, sentia-se um detetive ou em uma serie policial que ele e seu comparsa estavam comendo dentro do carro esperando que alguma ação nas noites de Seul acontecesse para que saíssem em busca do fora da lei. Jungkook engasgou com o refrigerante todas as vezes que Tae mencionava suas idéias em voz alta ou alterava sua voz para sentir-se ainda mais como um policial. Realmente, agora Kook tinha certeza de que ele parecia bem mais novo.

— Que tal, — Taehyung olhou o mais novo esperando por sua resposta. — você me pagar um sushi quando voltarmos pra casa?

— Ah, e se eu ganhar?

— Eu te pago o sushi. 

— Ótimo! — sorriu com a proposta. — Agora tenha consciência de que eu vou ganhar.

— Não me subestime, Kim Taehyung. — foi a vez de Jungkook dizer e, logo em seguida morder seu sanduíche. Tae pegou um pouco do refrigerante e respirou fundo, dando a ultima mordida em seu lanche, assim como o maknae. Ele ficou observando as ações do mais novo enquanto ele jogava o guardanapo de papel no lixinho do carro, tomava do liquido no copo pela metade e olhava pela janela do carro. Algo dizia que Jeon estava quieto, triste consigo mesmo, mas feliz por ter tido aquela ideia. A parte de estar triste era nítida, levando em conta que ele e Yoongi não estavam mais juntos. Queria se segurar pra ficar quieto e não perguntar nada, mas sua curiosidade era ainda maior e ele sabia que isso estava prestes a sair por entre os lábios quando os mordeu, fazendo uma careta antes de perguntar.

— Kook. — o rapaz virou-se para ele com os olhos curiosos. — Está tudo bem?

— Sim, hyung. Estou feliz pelo Hobi e pelo Chimmie, acho que vou gostar de perder essa aposta que fiz com você.

Ele deu risada das palavras do outro, mesmo gostando de saber que ganharia um sushi, de qualquer forma.

— Não. — interveio rapidamente. — Quero dizer, você e Min... Sabe?

— Ah. — sua expressão mudou de sorridente para triste em questão de segundos, fazendo Taehyung querer bater a cabeça no vidro com insulfilm. Por que tinha que ter tocado naquele assunto? Não podia, simplesmente, ficar quieto e guardar sua curiosidade pra perguntar pra algum dos outros meninos depois? — Nós não estamos mais nos falando tem semanas, disso você sabe, não é?

— Sim. — se ele deu continuidade no assunto é porque se sentia a vontade pra falar. Mas Taehyung só conseguiu dizer aquilo, sentia-se invasivo demais depois daquela pergunta.

— Fará três semanas daqui dois dias. — sua risada era sem humor algum, e dava pra perceber que Jungkook choraria se Kim não estivesse ali. Por impulso ele tocou o ombro do amigo, o movendo de um lado pro outro bem lentamente.

— Me desculpa tocar no assunto, saeng, mas é que...

— Tudo bem. — sussurrou, não querendo atrapalhar a fala do amigo.

— Eu me preocupo com vocês. — soltou do ombro de Jeon, apoiando suas mãos em seus joelhos.

— Eu também me preocupo, e demais. — abaixou a cabeça. — Você não faz ideia.

— Como?

Sua respiração alta fez com que Taehyung o olhasse de relance, voltando a encarar os carros que passavam pelo cruzamento um pouco mais a frente de onde estavam estacionados.

— Yoongi te contou o motivo de terminarmos, eu acho. — Jungkook notou que ele concordou, voltando a encará-lo. — Quero que saiba que foi mais do que o que ele disse.

— O que? Mais do que aquele Kwon sendo um otário com você?

Ele riu pela primeira vez desde que tocavam naquele assunto perto dele. Tae conseguia deixar tudo mais cômico, e ele agradecia por isso.

— Ele foi, sim. Mas eu fui ainda mais com Yoongi, não deveria ter feito aquilo.

— Olha só Kook, posso falar o meu ponto de vista? — claro, obteve essa resposta. Ajeitou-se no banco do carro e tomou o resto do refrigerante antes que pudesse concluir sua linha de raciocínio. — Vou conversar com você a mesma coisa que conversei com Yoonie, porque agora estou vendo pelos dois lados.

Então ele havia conversado com Yoongi. Sua vontade de perguntar como o garoto estava, se ele havia perguntado sobre o rapaz... Era muita curiosidade e muitas perguntas rondando sua cabeça, mas não queria atrapalhá-lo.

— Você foi um pouquinho babaca não querendo contar o que realmente está acontecendo, eu achei isso no começo, não vou negar. — vindo de Taehyung aquilo era bem mais forte do que se podia imaginar. Então Jungkook havia sido extremamente babaca. — Mas se é algo tão grave assim deveria ter, pelo menos, alertado Min sobre isso e ir contando sobre o assunto aos poucos.

Não é tão simples assim, queria dizer a ele.

— Mas sei que não deve ser tão simples, porque pelo que Hobi disse sobre você, não é de esconder nada de ninguém. — agora Taehyung também lia pensamentos? Então era melhor parar de pensar sobre as respostas para todas as coisas que ele estava dizendo, ou o rapaz poderia adivinhar. — Só quero que saiba que ele não desistiu de vocês completamente, assim como sei que também não desistiu dele. Yoongi gosta bastante de você e não vai ser tão simples assim já que Kwon praticamente te beijou.

— Nem me lembre. — fez uma careta de nojo ao passar o ocorrido em sua mente, mas agradeceu por ir embora na mesma rapidez que ele lembrou.

— O que eu quero dizer com tudo isso é que sinto que Hoseok sabe o que realmente está acontecendo contigo, por isso a briga com Jimin. — Taehyung estava ligando todos os pontos ou...? — O assunto deve ser muito grave pra você não querer contar assim logo de cara, mas Kook... Guardar, às vezes, não é o melhor. Mesmo que seja o assunto mais complicado do mundo. — ele deu um pequeno sorriso antes de concluir sua fala. — E você é o nosso maknae, nenhum de nós mediria esforços pra te ajudar. Então, por favor, se quiser se abrir com esse assunto comigo... Mesmo que demore tempos pra me contar cem por cento do que está acontecendo, saiba que eu espero. Posso me juntar com Hobi e te ajudar no que for.

— Hyung, eu... Nem sei o que dizer. 

Te pago um sushi é uma ótima resposta.

Estava demorando pras brincadeiras... Ele gargalhou e abraçou Taehyung sem nem esperar por alguma resposta, sentindo que o outro lhe abraçara de volta. Depois de se afastarem, viu que o mais velho ainda sorria para ele, como se passasse confiança ao amigo.

— Pode deixar que, aos poucos, você vai saber do que está acontecendo. Eu prometo.

— Assim que gosto de ver. — bagunçou os cabelos escuros de Jeon.

Sentia, dentro de seu coração, que contar a verdade pra Taehyung talvez fosse uma boa ideia. Aquele discurso todo e a confiança que ele passou naquelas palavras e em todo o momento desde o dia em que o conheceu não era a toa. Kim era tão prestativo quanto Jin ou Hoseok que estavam o ajudando com aquilo. Mesmo que ele fosse o mais palhaço dos amigos, quando queria falar sério conseguia pra valer. Jeon tinha visto isso minutos atrás enquanto ele falava tudo aquilo. Mesmo não querendo que mais ninguém se metesse para proteger os amigos, talvez com uma ajuda mais ele soubesse o que fazer pra sair daquela confusão toda o quanto antes.




A conversa sempre tomava rumos diferentes que não fosse o assunto que Hoseok queria mesmo dizer. Ainda não havia tomado coragem pra falar qualquer coisa que não fosse sobre como tinham passado os dias sem se falar. Deixava que Jimin tomasse a iniciativa pros assuntos, deixava que ele mesmo perguntasse as coisas, queria vê-lo confortável com tudo aquilo antes que tocasse no assunto que realmente deveria.

De início se perguntou o caminho inteiro qual seria o propósito daquele plano de Jeon. Tinha achado completamente ridículo e, com certeza sabia que Jimin o xingaria pra depois sair andando sem deixar que ele falasse qualquer coisa.

— Chimmie. — resolveu reunir toda a coragem que tinha para que pudesse tocarnaquele assunto. Jimin parou de falar empolgadamente sobre qualquer coisa que tinha feito na semana pela faculdade. Na verdade nada de empolgante, já que ele se arrastava até o local praticamente, não querendo freqüentar o mesmo ambiente que Hoseok. Só ia porque realmente era obrigado, e até que gostara àquela semana, já que teve bons resultados na matéria que sempre tinha dificuldade.

— Sim? — respondeu, dando a chance de o rapaz olhá-lo com ainda mais intensidade. Jung deslizou pelo banco até que se aproximasse um pouco mais do corpo do menor.

— Sabe que não sou a melhor pessoa do mundo pra esse tipo de coisa, não é? — o viu concordar, logo sabendo do que ele queria dizer. Deixou que uma curta risada tomasse conta do ambiente enquanto uniu ainda mais coragem para lhe segurar a mão que estava apoiada sobre o próprio colo. Totalmente tímido. — Mas eu também não sou a melhor pessoa do mundo em tentar ficar sem você.

— Não me amolece, Hoseok. Você sabe que...

— Pode me deixar falar dessa vez? Sem discutir? — o viu suspirar pesadamente e, segundos depois, concordar. Jimin não queria realmente ceder a tudo o que ele estavabdizendo, mas também não sairia dali sem nenhuma explicação. Ainda segurando a mão de Jimin, pode senti-lo estremecer com aquele simples toque, mas isso não o tiraria a concentração. Então respirou fundo, passando a mão livre pelos cabelos e, mesmo que os bagunçasse ainda mais, não ligou pra isso. — Qual dos dois foi mais idiota por ter deixado algo bobo se tornar uma briga?

— Você.

— Oi?

— Desculpa, eu respondi rápido. — chacoalhou a cabeça, fazendo uma careta em seguida. Depois da forma envergonhada que Park havia ficado, Hoseok deu risada da forma atrapalhada do rapaz, entrelaçando seus dedos.

— Nós dois erramos nisso tudo, por esse motivo que eu estou aqui. — mordiscou seu lábio inferior e encarou as orbes escuras e curiosas que o olhavam de volta. Vê-las daquela forma o deixava imensamente feliz. Não queria o olhar de Jimin triste e brilhante pelas lágrimas causadas por ele. Não queria isso, definitivamente. Ver que ele estava bem e até sorridente bem a sua frente o trazia uma paz que não conseguia explicar. Então que guardasse pra si aqueles pequenos detalhes e só falasse o que realmente importava. — Vou te contar uma coisa muito importante, mas quero que entenda de coração.

— Serei compreensivo, eu prometo.

O viu suspirar aliviado, talvez fosse isso a única coisa que Hoseok precisava ouvir praque continuasse o que realmente precisava dizer.

— O assunto envolve inteiramente Jeongguk, por isso eu não te contei. — voltou a mordiscar o lábio, desviando o olhar algumas vezes até voltar a encarar o rapaz a sua frente. — Ele não queria me contar também, mas não tinha a quem recorrer e, um dia que você faltou na faculdade ele chegou extremamente perdido e precisou me falar ou senão iria explodir.

— Então por que ele não conta pra gente também?

— Na real? Ele quer proteger todos nós. — alguns segundos depois e os olhos de Jimin já estavam brilhantes, ele poderia chorar ali mesmo. Era uma manteiga derretida e não negava isso a ninguém, ainda mais quando envolvia seus amigos. Então Jung tratou de ser rápido para que ele não chorasse na sua frente. — Kook ainda está perdido com esse lance, é por esse motivo que ele brigou com Yoonie. O fato de omitir não quer dizer que a gente não queira contar... É claro que queremos.

— Ele quer nos proteger...

— Sim... Chimmie?

— Você sabe o quão preocupado eu fiquei com vocês, filhos da puta? — a voz embargada era evidente, e Jimin estava xingando, mas não estava bravo. Parecia mais aliviado por estar sabendo de tudo o que estava acontecendo. Vulnerável e frágil daquele jeito, só precisava dos braços de Hoseok e, em segundos, foi o que recebeu ao redor de seu corpo.

— Todos nós ficamos, Chimmie. Mas foi uma escolha do maknae, então deixa elevcontar no tempo dele. — sussurrou enquanto se abraçavam. — Prometo que JK vaibcontar aos poucos, só deixa ele se sentir bem com isso tudo.

— Tudo bem, eu... — ajeitou-se, sentando novamente e desvencilhando-se dos braços do outro. — Vou esperar o tempo do Kook. Mas ele sabe que você me contou isso? 

— Ele quem pediu pra te dizer. E pra gente se reconciliar, até porque o bobão se sentiu culpado por estarmos brigados.

— Ele se sentiu culpado? Tadinho do Kook.

— Então está tudo bem entre nós dois?

O silêncio que havia se instalado tinha sido ensurdecedor. Estava o deixando cada vez mais agoniado, será que a história toda não tinha comovido Jimin para que eles voltassem a ficar numa boa?

— Eu deveria te odiar tanto e me fazer de difícil por uns dias... Mas sabe o quão ruim é ficar longe da pessoa que você ama?

— Sei, é... Espera, o que disse?

— O que?

— Você disse que me ama?

— Hoseok! Não... Não viaja.

— Você. Disse. Que. Me ama! — se levantou do banco, saltitante e todo sorridente.

Jimin também se levantou, mas no intuito de fazê-lo parar de dançar ali igual uma gazela. Enquanto o rapaz dava risada e cantarolava, ele apenas cruzou os braços e ria de toda aquela situação. Vendo, minutos depois, aquela animação toda se aproximando de si, o puxando pela cintura.

— Já conseguiu se aquietar?

— Com a lembrança de você dizendo que me ama? Não.

— Eu não disse isso.

— Relaxa. Além de ser recíproco eu consigo esperar pela frase propriamente dita. — lhe lançou uma piscadela enquanto aproximava seu rosto ao do menor. Após encostar sua testa na dele, o beijo não foi preciso pedir passagem. A saudade já concedia isso muito bem. Era como se aquele beijo pudesse recuperar todo o tempo perdido enquanto não estavam se falando. Sentir Jimin junto ao seu corpo, sentir os dígitos quentinhos e macios contra seu rosto fazendo um carinho único e gostoso... Hoseok realmente não precisava pedir mais nada.

— Ah não! Não, não! — um grito rouco e grave fez os dois pararem de se beijar aos poucos e lentamente, enquanto ouviam uma outra risada acompanhando aquela voz.

Olharam para o lado vendo Jungkook sentado no chão daquele local, já Taehyung tinha as mãos na barriga e ria sem parar.

— O que é isso?

— Eu não acredito que perdi. Não.

— Agora Kook me deve um maravilhoso sushi.

— Como assim? — Jimin aproximou-se primeiro, já entrelaçando seus dedos aos de Hobi a medida que eles chegavam perto dos amigos.

— Eu apostei que vocês se reconciliariam hoje. — Taehyung ajudou o maknae a se levantar do chão. — E esse narigudo achou que Chimmie se faria de difícil por... Quantos dias?

— Três, quatro. Pô, eu jurava...

— Então está triste que nós voltamos? — Park fingiu falsa indignação.

— Claro que não! Mas também vou querer sushi, vai dividir com a gente?

— Só porque sou uma pessoa muito boa. — Tae saiu andando na frente e, como se já sentisse, Hoseok soltou da mão de Jimin para ir com o amigo. Olhou de relance e sorriu com a cena.

O mais baixo abraçando o mais alto, ele só não estava ouvindo nada da conversa. Se bem que não havia sido muita coisa. Jimin apenas sussurrada para o amigo que estava ali, independente de qualquer situação. Isso seria tudo, Jeon já sabia o que ele queria dizer. Era como se algo se instalasse em seu coração e começasse a repensar em toda aquela idiotice de esconder as coisas dos garotos.

— Posso voltar a dirigir? — Taehyung gritou na parte da frente, quando já estavam próximos do carro.

— Vai, boa sorte. — Jung abriu a porta de trás deixando que Jimin entrasse primeiro, indo logo atrás. Os dois mais novos iriam na frente de novo, mas ele não estava se importando muito.

— Pra onde vamos agora? — Taehyung ajeitou o retrovisor, ligando o carro e saindo dali sem muita velocidade.

— Pra casa do Hope.

— Hope? Quem é Hope? — Jimin perguntou.

— O Hoseok. — Jungkook riu e se virou, aproveitando que não era ele quem precisava manter a total atenção nas ruas. — Ele é a esperança do grupo, então resolvemos dar um segundo apelido, espero que goste. — mostrou a língua n’uma careta, voltando a se virar para frente.

Ainda olhando espantado pra onde Jeon havia acabado de se virar, olhou para Jimin ao seu lado, que tinha o sorriso mais lindo e totalmente contagiante. De orelha a orelha.

— Ele tem razão. — sussurrou após beijá-lo rapidamente. Sentindo-se imensamente bem àquele dia. Nem conseguiria descrever o que estava sentindo, só sabia que era uma das melhores sensações.


Notas Finais


Estou em prantos, ninguém me toca!!! Essa foi a parte em que eu quase chorei escrevendo porque sério, super imagino os meninos assim, juntos independente de qualquer coisa.
Agora voltando, será que o JK vai deixar essa frescura de lado e começar a confiar ainda mais nos meninos? As coisas estão andando super bem, vamos torcer pra que continue, certo?
Obrigada por acompanharem e não se esqueçam nunca: dêem muito amor à Statera. Fighting!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...