História Stay with me - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Tags Jikook, Jimin, Jimin Uke, Jungkook, Jungkook Seme, Kookmin, Romance, Yaoi
Exibições 76
Palavras 2.428
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opaaaaa!!
Tudo bom???
( me responde, vai )
Eu to correndo pra postar esse cap, se não eu enlouqueco! Bom, mesmo se ninguém ler, eu vou falar mesmo assim.
.
Ps¹: Não sei se vocês já viram essa beleza de Deus divina no instagram, mas se não me engano, ele é modelo... ( eu acho ) e eu o encontrei enquanto vagava pelo meu feed e pensei em o colocar na história... Por que? Porque ele é maravilhosamente maravilhoso! <3
Ps²: Não lembro de já ter dito, mas essa é minha primeira fic, então peço perdão pela cena merda de hot que eu fiz, ta? To tentando aprender mais sobre o assunto... *-*
Ps³: A historia vai dar uma pequena avançada, mas é pro bem! Se acalmem... Vocês nem vão notar •~•
Ps⁴: Não me matem e tenham uma boa leitura *-*
.
Fui~

Capítulo 13 - Eu faço o que eu quiser!


Fanfic / Fanfiction Stay with me - Capítulo 13 - Eu faço o que eu quiser!


°•° Jungkook °•° 


 " – Jungkook? " 


 Escutei uma voz grossa me chamar, respirei fundo e abri meus olhos vendo o rosto angelical de alguém que me parecia familiar. Ele sorriu e sem perceber retribui o sorriso, ele se sentou ao meu lado e ficou analisando meu rosto, e aproveitei pra fazer o mesmo. Eu o conhecia de algum lugar, mas não lembrava. 

 – Depois de tanto tempo eu te encontrei aqui... – disse com um sorriso fechado – Você ainda se lembra de mim? 

 – Acho que não... Me desculpe! – falei meio envergonhado e ele riu. 

 – Você não mudou nada, ficou mais bonito, mas continua o mesmo de sempre... – riu e começou a passar a mão em meus cabelos. 

 – Qual seu nome? 

 – Você realmente não se lembra de quem eu sou? – neguei e ele sorriu fraco – Caleb... Lembra desse nome? – perguntou e por instantes achei que desconhecia esse nome, mas logo algo se ascendeu em meu cérebro. 

 – Caleb? É você? – digo incrédulo e ele rir, como estava com saudade desse sorriso...  

– Pensei que tinha me esquecido, seu moleque! – riu socando de leve meu braço. 

 – Ta estudando aqui? 

 – Não, eu trabalho aqui perto... – fez uma pausa como se estivesse pensando – Você estuda aqui desde que saiu do outro colégio? 

 – Sim! Você continuou lá? – falei me encostando na árvore ao lado , ele faz o mesmo e olhou pro céu com um sorriso que parecia meio triste. 

 – Eu queria ter vindo pra cá e com você, mas meu pais estavam brigados e não me deixaram... Mas, estou feliz de ter te encontrado agora! – voltou a sorrir com as bochechas um pouco ruborizadas. 

 – Eu também estou feliz... – ele encostou a cabeça em meu ombro e suspirou – Mas, está de noite... O que você veio fazer aqui? 

 – Eu trabalho em fábrica de doces, e me pediram pra fazer uma entrega de última hora aqui... – falou. 

 – Sério? E pra quem seria? – não evitei a curiosidade e perguntei. 

 – Não sei muito bem, mas a pessoa falou que seu nome era algo como Hope... Não sei direito... – falou tirando a cabeça de meu ombro e me olhando. 

 – J-Hope? – falei sem ânimo e ele acentiu freneticamente – Era pra ele? 

 – Bom, ele pediu pra ir entregar no quarto de um tal de Jimin que ele estaria lá... – deu de ombros e automaticamente a raiva subiu em mim.


 O que ele estava fazendo lá? 


 – Você está bem? – perguntou tocando minha testa. – Parece que vai explodir de tão vermelho... Quer água? 

 – Não, obrigado... – murmurei seco e ele me olhou ainda mais confuso. 

 – Você os conhece? – acenti – E qual o problema? 

 – Nada não... – suspirei – Está tarde... Você já vai? – desvio do assunto. 

 – Acho que sim... – sorriu fraco – Será que... Eu poderia vim te ver amanhã? – falou com o rosto vermelho e coçando a nuca em sinal de nervosismo. 

 – Claro que pode! – ele sorriu e eu retribui – Bom, de manhã eu tenho aula, então você pode vir de tarde ou peço que venha mais cedo e você aproveita e me trás algum docinho... – pisco e ele rir – Mas, eu preciso de seu número... 

 – Pegue! – pegou um papel do bolso e me entregou com um numero escrito no mesmo. 

 – Você já tem isso preparado no bolso, é? – falei rindo e ele acompanhou. 

 – Digamos que sim... – piscou e se levantou me estendendo a mão, a segurei e me levantei também. – Eu já vou indo... 

 – Certo, a gente se vê amanha então... – sorri e fui surpreendido com um abraço seu. 

 – Que bom que te tenho de novo... – murmurou baixo e se afastando, acenei pra ele e o vi sair pelo grande portão daquela escola. 

 – Esse mundo é pequeno de mais... – falei ainda pasmo de ter encontrado meu melhor amigo de infância depois de tanto tempo... 


 •°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•

 [ 09:07 ] dia seguinte...


 – Alô? 

 – Caleb?

 – Kookie? Tudo bem? 

 – Sim... Você pode vim agora? 

 – Não sei... Acho que sim, por quê? 

 – Por nada...Só pra saber mesmo! – sorriu vendo mais uma vez a cena de um Jimin abraçado com o tal Hope. 

 – Espera um pouco... – em um momento o telefone fica mudo – Acho que posso ir! – sinto a animação em sua voz. 

 – Ótimo! E trás uns doces que eu to morrendo de fome... – escuto ele rir. 

 – Espera aí que eu chego já... – ele desliga, coloco o telefone ao meu lado na grama e fecho os olhos tentando ignorar aqueles dois que estavam um pouco longe sentados em uma mesa.

Já era intervalo e o próximo horário seria vago por conta de que o professor de química tinha adoecido. Depois de uns consideráveis minutos sinto algo pesado em minhas pernas, abro os olhos assustado e o vejo com a cabeça em meu colo. 

 – Vou aproveitar e dormir também... – falou sorrindo, fechou os olhos e soltou um leve suspiro. 

 – Onde estão meus doces? 

 – Aqui... – ele me entrega uma sacola um pouco pesada, olho dentro e vejo uma porção de barras de chocolate e outros doces dos quais eu nem sabia que existia, mas que pareciam bons. – O que você estava fazendo? 

 – Você não iria dormir? – digo rindo e começando a comer o que havia na sacola, eu realmente estava com fome. 

 – Iria... Mas, prefiro conversar com você! – ele virou sua cabeça pra cima me encarando com um sorriso. 

 – É, mas eu não quero conversar. Então cala a boca... – digo colocando um pedaço generoso de chocolate em sua boca. Ele resmunga e quase se engasga quando rir, o que me fez rir também. 

 – Isso é ingratidão de sua parte... Eu te trouxe chocolate e você fica me tratando desse jeito... – fez uma expressão triste mastigando o chocolate. 

 – Se reclamar eu vou encher essa sua boca de doce até explodir! – ameaço e ele começa a rir – Estou falando sério! – digo, mas não me aguento e começo a rir junto. Ele revira os olhos e vira de lado novamente. 

 – Você tem muitos amigos aqui? – perguntou. 

 – Mais ou menos, por quê? 

 – Não sei se é impressão minha, mas... Aquele garoto ta olhando pra cá e... – ele para de falar e eu olho na direção que ele apontava e vejo uma das piores expressões que já vi de Jimin. 

 – Nossa... – murmuro baixo. 

 – Parece que ele vai vim te matar em questão de segundos... – fala e rir depois – Conhece ele? 

 – Hã? O que disse? – falo meio atordoado. Ele virou o rosto pra me ver e riu. 

– Pelo visto conhece... – sorriu fraco – Quem é ele? Seu amigo? 

 – É um amigo meu... – ah, se fosse mais que um amigo... – Ele é da mesma sala que a minha! 

 – Entendi... – fala baixo. 

 – E você? Conheceu muita gente nesse tempo todo? – mudo o assunto tentando ignorar aquele olhar de caçador que Jimin me direcionava. 

 – Eu conheci um cara, mas... Ele era muito babaca! – fala meio triste. 

– Um cara? 

 – Vai me dizer que você não sabia que eu sou gay? – pergunta e eu arregalo os olhos surpreso. 

 – Não... – digo perplexo. 

 – Eu vim me auto conhecer melhor a uns dois anos... E você? 

 – Eu o que? 

 – Você conheceu alguém com que se interessasse? – pergunta. Levanto meu rosto vendo que Jimin ainda permanecia me observando e ignorando qualquer coisa que o tal Hope estivesse falando ao seu lado, suspiro e digo um não baixo. Ele me olha surpreso e eu sorriu fraco. 

 – Caleb, você sabe que horas são? – pergunto desviando meu olhar para o mesmo.  

– Onze e dez! Por que? 

 – Sério?! Nossa, a hora passou rápido de mais... Eu tenho que ir pra sala! – digo pegando meu celular e o colocando no bolso. – Sai logo daqui! – falo tirando sua cabeça de meu colo e me levantando rapidamente, mas não deu muito certo e acabei caindo em cima dele. 

 – Bem feito... – falou baixo e fui surpreendido quando ele me virou ficando por cima. – Isso é pra você aprender a deixar de ser um grato, pirralho! 

 – Pirralho o teu... – fiz um gesto com a mão e ele riu saindo de cima de mim e estendendo a mão, a segurei pra me levantar, mas o mesmo a soltou fazendo eu cair no chão novamente. – Seu filho da... – ele começou a correr e eu fui atrás, mas parei quando ele correu para o portão da escola e saiu rindo. Idiota...

 Bufei e voltei para onde eu estava para pegar a minha bolsa, mas quando chego não a vejo. Olhei em volta e não havia mais nenhum aluno, franzi o cenho ao ver o rastro de alguém e decido o seguir. Viro o corredor e não vejo nada além daquele piso sem fim. Começo a andar olhando pelas brechas das portas na intenção de ver se não havia mesmo ninguém, toco na maçaneta da ultima porta do corredor, vejo que estar aberta e decido entrar. Procurei o interruptor para ascender as luzes, mas o mesmo estava falhando. Vejo que também não havia ninguém e resolvo sair, mas sou impedido com um puxão e a dor de minhas costas ao impacto com a parede, fecho os olhos devido ao susto e escuto uma respiração forte e acelerada próximo a mim.

– Quem é você? – pergunto assustado ao sentir o mesmo se aproximando de meu pescoço e grudando seu corpo ao meu. 

 – Quem é ele? – perguntou com uma voz grave ao meu ouvido me fazendo ficar arrepiado. – Me responda, Jungkook! – falou firmemente, e engoli em seco tentando formular alguma coisa.

 – E-Ele quem? 

 – Não se faça de inocente, porque se de uma coisa que eu tenho certeza é de que você não é nenhum pouco inocente, e eu posso provar isso... – senti seus lábios descerem de meu lóbulo até meu pescoço e iniciando uma série de mordidas e lambidas pelo mesmo, coloquei minhas mãos em seu ombro tentando o afastar, mas ele não se movia e só se apertava mais ao meu corpo. 

 – Espere... – respirei fundo aquele doce e forte cheiro masculino – Eu conheço esse cheiro... Ai! – gritei ao sentir ele mordendo meu pescoço e apertando minha cintura com força. 

 – Fique quieto... – murmurou baixo descendo sua mão até minha bunda e a apertando com ainda mais força. Ele saiu de meu pescoço caminhando até minha boca e a selando levemente, e mais uma vez senti um choque se passar pelo meu corpo. 

 – Esses lábios... – murmurei baixo, mas o suficiente para que me escutasse. – Jimin, é você? 

 – Eu falei pra ficar quieto! – gritou com raiva e quase que unindo seu corpo ao meu na parede – Agora, eu quero que me diga quem é aquele ser repugnante que estava com você no intervalo... 

 – Desculpa, mas eu não tenho que lhe dar satisfações... – ele segurou fortemente meu queixo e sussurrou perto de meus lábios.  

– Não me obrigue a fazer o que eu não quero, Jungkook... 

 – Eu não tenho nada a dizer, já que foi você que me trocou primeiro por aquele tal de Hope que você gosta tanto... – digo raivoso e sinto ele largar meu rosto e agarrar minha cintura ainda próximo de minha boca. 

 – Está com ciúmes? – falou e pude sentir o sorriso em seus lábios, tentei me separar de novo, mas falhei novamente. 

 – Jimin, me larga! – me sacudi em seus braços, mas parecia em vão, bufei e ouvi seu riso debochado. 

 – Você é só meu, entendeu? O Hope é só um amigo, e espero que aquele com quem você estava seja menos que isso... – encostou seus lábios aos meus, mas virei o rosto antes que ele iniciasse qualquer coisa. Respirei fundo e nos virei com toda a força que tinha, invertendo as posições. Segurei seus braços ao lado de sua cabeça e fui chegando mais perto de seu rosto. – Jungkook, me solte agora! – disse tentando se soltar de meu aperto, porém não conseguindo.


 Acabei com a distância que havia entre nós e ataquei seus lábios em um beijo afoito, invadindo minha língua em sua boca quente. Ele passou uma perna pela minha cintura e juntou nossos quadris, onde pude sentir um recém volume formado em sua calça. Decidi soltar um de seus punhos e adentrei sua camisa sentindo seu abdômen ficar rígido e sua pele se arrepiar, comecei a subir a mão por sua pele vendo seu corpo estremecer com o ato e um suspiro abafado pelo beijo vindo do mesmo. Sua mão livre foi para meus cabelos os puxando levemente, e seu quadril começou a fazer movimentos de vai e vem com meu que o acompanhava sem exitar. Um choque foi sentindo em meu corpo e um aperto em minha calça foi começando a me incomodar, soltei seu outro pulso levando minhas duas mãos até suas nádegas, e as apertei juntando mais ainda nossos quadris. 

Separamos o beijo por falta de ar, mas ele logo começou outro mais excitante, porém senti que estaríamos indo longe de mais se fôssemos prosseguir com isso.

 – Jungkook... – falou ofegante. 

 – Jimin, eu quero entenda uma coisa... – digo também ofegante – Eu faço o que eu quiser! – dou um tapa em sua bunda e me separo do mesmo, arrumo meu uniforme e saio sem dizer mais nada.


 •°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•

 3 semana depois... 


 Vocês acreditariam em mim se eu disser que Jimin resolveu não falar mais comigo e me ignorar totalmente agora? Pois é exatamente o que ele está fazendo comigo. 

Quando estou com Tae, ele me ignora legal e nem se quer olha pra mim quando estamos na sala. Uma vez eu esbarrei nele de propósito e o mesmo só murmurou um desculpa e continuou sem me olhar. 

Sinceramente, não estou entendendo o que ele está fazendo ou o que quer dizer com tudo isso, mas não estar sendo muito legal ficar sem falar com ele. Eu fiquei estranhamente animado naquele dia que ele praticamente me agarrou naquela sala escura, mas que no final eu acabei invertendo um pouco o que aconteceu. E depois disso ele não falou nenhuma sequer palavra pra mim e isso me incomodou um pouco. Talvez eu tenha sido um pouco cruel em ter o tratado daquele jeito antes de sair da sala, mas ele já estava me enchendo com aquilo. 

 E agora estou aqui fazendo vários nadas, enquanto vejo a variedade de jovens conversando com seus grupos de amigos ao redor da escola. 

 – Jungkook!!! – escuto alguém gritar meu nome, me viro assustado e vejo Tae correndo em minha direção. 

 – O que foi? Aconteceu alguma coisa? Está tudo bem? – falei assustado com o estado em como ele tinha vindo até mim. 

 – Tem algo que aconteceu e você não vai acreditar se eu disser... – falou ofegante. 

– E o que seria? – perguntei.

 – Eu vi o J-Hope... É esse o nome dele, né? – acento freneticamente esperando ele continuar. – Eu vi ele e o Jimin se agarrando no porão da cozinha!!! 

 Eu simplesmente paralisei. Não consegui expressar uma sequer reação, só senti meu coração acelerado e o Tae tentando chamar minha atenção. 

 – O que você disse?







Notas Finais


QUE?
COMASSIM???? '-' '-' '-'
REPETE ISSO! NÃO TO CRENDO... •O•
Geeente do céu... QUE FOI ISSO?
Nem eu sei... °~°
.
O que acharam do Caleb?
Ele é tão lindo... ❤~❤ parei '-'
( ps: esse nome é fictício, o nome real dele é outro! )
E esse final? Alguém explica???
Pq eu morri depois disso...
.
Bom, se vocês estiverem com dúvidas ou algum tipo de critica construtiva, podem me falar! ^-^
Espero que tenham gostado, perdão pelos erros e até o próximo, amores da minha vida!
❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...