História Stay with me - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ao no Exorcist
Personagens Personagens Originais, Rin Okumura, Yukio Okumura
Tags Ao No Exorcista, Drama, Lembranças, Personagens Originais, Rin X Yukio, Romance
Exibições 20
Palavras 1.162
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Estou feliz que no último cap teve 2 comentários, mas vcs acham que minha escrita está confusa?
Hã... Não sei deixe seu comentário, se quiser.
Obrigado a todos que acompanham a fic.

Capítulo 5 - Festa e algo mais?


Hoje era o dia, sábado!

Yukio estava com os nervos a flor da pele, odiava esse tipo de coisa, é... Bem, ele afirmava que era anti social,e sempre quieto. 

Mesmo assim, não sabia como as meninas ficavam em cima dele na adolescência, não tinha nada realmente de especial.

_ Acho que estou bem. - fala se olhando no espelho.

Estava com uma camisa listrada preta e branca, calça Chine bege, uma jaqueta e sapatênis democrata rave cor café.

Não se achava bonito, ele estava com seu habitual óculos, mas... Para seus pensamentos pois ouve a porta bater, vai atende-la.

_ Oie! Yuki-chan está muito bonito. - fala Shiemi.

Ela estava com um vestido florido de cor azul marinho que destacava seus olhos verdes, seu cabelo enrolado em um coque alto e uma tiara de laço rosa, se encontrava de sapatinha de um laço simples e sua cor rosa claro, como sua tiara.

_  Onde está Izumo? 

_  Na festa, vamos! Todos estão lá. 

O moreno acena e pega seu celular, trancando a porta.

~#~#~#~#~#

Eles chegam na boate, Yukio vê que Shima e Bon também estavam lá, além de Izumo que logo deu um abraço na loira e a puxou para um canto afastado.

' Irei segurar vela.' -pensa desanimado.

Mas surpreendido por eles estarem na boate, mas não estava encontrando Taisuke.

Logo Bon e Shima somem, vai para o bar.

Vendo que tinha um cara o encarando, olhos azuis penetrantes. Sorri era o mesmo que havia se esbarrado outro dia.

_ Oi. - comprimenta.

_ Olá, vocês não me disse seu nome. - sorri ainda feliz.

_ Oh... - ele passa a mão nervosamente no pescoço. – Sou Rin, Hatake Rin. 

' Puta que pariu, não consegui pensar em nada, mas vai ser esse nome, e eu peguei o sobrenome do Kakashi! Idiota! Mas, o Yukio não notará, espero.' - pensa Rin.

_ Rin, que coincidência nos encontrarmos novamente.

_ É , gostaria de uma bebida? - pergunta nervoso o moreno mais velho.

_ Tá. - responde Yukio, divertindo - se com o nervosismo do outro.

Eles beberam, conversando sobre o que trabalhavam, Yukio disse que era professor, e Rin pintor.

Estavam ambos omitindo uma parte, não seria considerado mentira, certo?

O mais novo se encontrava meio alegre e Hatake sorria divertido com o jeito do outro de se embebedar rapidamente. Resolveu dar uma parada, indo apenas para o refrigerante, havia tomado apenas metade de uma cerveja.

Iria dirigir, e afastou seu irmão das bebidas para não ficar mais alegre do que já estava.

Começou a tocar a música Right Now Na Na Na, todos começaram a pular na medida da música e jogar os braços para o alto.

O tempo passava, e os dois queriam ambos ir para casa.

_ Hatake, vamos para o meu apartamento ou o seu? 

_ O que? - estava em choque.

Suspirou passando a mão em seu cabelo de fios negros, optaria por deixar Yukio em seu "apartamento", não ficaria com ele desse jeito.

~#~#~#~#~#~#

O menor estava meio tonto, haviam ambos chegado em sua casa. Sentia um calor percorrer seu corpo, talvez por causa da bebida, mas realmente não se importava.

Beijou o maior, com velocidade, logo se separando, para observar se havia alguma rejeição.

_ Porra. - se pronuncia Rin, passando a mão pelos cabelos. – Vou te deixar na cama e vou embora.

Disse levando Yukio para o quarto.

Yukio

Queria sentir seu corpo no meu, não sabia o porquê, mas queria me sentir preenchido.

— Por favor...  —  deixei escapar de meus lábios, estava implorando para o sentir.

—  Caralho...

Ele esbravejou.

—  Você não quer isso. – suspira.

— Eu ou você ? – pergunto mordendo o lábio inferior, sentindo uma pequena pulsação em minhas calças.

—  Você não sabe o quanto quero. 

— Então, por que não ? 

Rin se encontrava em uma batalha silenciosa, consigo ver em seus olhos.

Parece que consegui o fazer perder o controle, não me importo de não lembrar me depois, quero ele aqui e agora.

Seu olhar se fixou em minha boca, ele inspirou parecendo intoxicado com meu cheiro, o tanto quanto eu estava com o dele.

Não esperava por ele dar um passo adiante e colocar os braços em minha volta. Mas, ao fazer isso, gostei da maneira ele se roçava em meu corpo.

Gostei do calor do seu corpo e da sensação de suas mãos em minhas costas e quadris, não percebendo como chegaram lá. Ele era forte, queria sentir mais de seu corpo.

Ele foi devagar, como se querendo me dar tempo para algumas reação; para me afastar se precisasse. 

Permiti que a sensação de segurança me envolvesse. Não sabendo como que Rin a conseguia. Gostava da maneira que ele assumia o controle de mim.

O seu olhar era intenso, quase predatório. Mas não se aproximou para me tocar, além do abraço. Irônico: o fato de ele apenas me abraçar e sentir meu estômago se remexer, como se houvesse borboletas. Pequenos formigamentos passeavam por meu corpo e fazia me sentir dificuldade de respirar.

Coloquei minhas mãos nos seus braços. Lentamente, me ergui até seus ombros largos. Podia sentir os músculos se movendo sob minha pele.

Tudo em relação àquele momento era bom. Certo. E quando ele finalmente abaixou a cabeça para pressionar a boca na minha, cheguei mais perto; aqueles milímetros que faltavam para nossas bocas tocarem.

Os lábios dele eram quentes e firmes, mas ao mesmo tempo suaves. Gostei da maneira que nos encaixamos. A maneira que se movia para frente e para trás, sem intensificar o beijo. 

A maneira como nossas coxas se encostavam, apenas queria tirar esses malditos tecidos, que me impediam de me aprofundar, percorrer cada parte de seu corpo.

Ele alisou minhas coxas, a maneira como era fácil se excitar com suas mãos em meu corpo, me beijou mais uma vez, senti seus lábios nos meus, e rapidamente os abri.

Quero, não necessito dele dentro de mim. Mergulhou em minha boca como se estivesse tão necessitado quanto a mim. Retribui cada movimento, ansiando por cada vez mais.

Projetei os meus quadris para a frente e senti a mesma protuberância dura contra minha barriga. Ele estava tão excitado quanto eu.

Mas ao mesmo tempo hesitava, caralho estou perdendo a paciência, quero seu pau, agora! Penso irritado.

O beijei intensamente, ao mesmo tempo girando meus quadris, pressionando a barriga com força no corpo dele.

As suas mãos desceram até meus quadris e me seguraram no lugar. Seus dedos afundaram e minha pele, e ouvi um gemido baixo. Não sabia de qual de nós vinha, mas não me importava. A ânsia, o calor, a tensão se tornaram mais claras em uma única palavra: desejo.

Pensei que tirariamos as roupas.

Rin se afastou.

— Puta merda, você ainda tem um imenso controle sobre mim.

Não entendi, mas olhava em seus olhos e sentia o mesmo reconhecimento que na primeira vez que nos encontramos.

Antes de podermos continuar, minha vista se escurece e sinto seus braços me segurarem.

" Caralho!" — penso indignado.

 


Notas Finais


Aqui foi mais um cap, não foi aquela revisão mas espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...