História Stepfather - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Got7
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, D.O, Jackson, JB, JR, Kai, Mark, Sehun, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Chanbaek, Exo, Jackbam, Kaisoo, Markjin, Participações Especiais
Exibições 436
Palavras 3.663
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi Meus Amores!!!
Espero que gostem do capitulo!!
Boa Leitura!!!

Capítulo 5 - Capitulo- 05.


Os dois apenas recolheram seus pertences e agradeceram ao proprietário da cafeteira pela oportunidade de trabalharem consigo, o homem realmente não pretendia dispensar-los daquela maneira prematura e qualquer pessoa conseguiria identificar o desapontamento nos olhos cansados dele, o senhor dono de cabelos grisalhos sorriu gentilmente ao lado da sua esposa - uma simpática confeiteira -, enquanto entregava-lhes dois cheques aos respectivos donos contendo o valor das contas que receberiam pelos quase dois anos servindo seus clientes sempre satisfeitos.

– Esse dinheiro só vai ser o suficiente para pagar as cotas desse mês e do próximo... – Jackson resmungou jogando uma mochila meio acabada nas costas, e caminhando em direção a sua inseparável bicicleta devidamente guardada ao lado do estabelecimento, ouvindo os passos ritmados do menor lhe acompanhando. – Como vou quitar o aluguel da quitinete agora? Provavelmente o dono vai querer que eu venda algum órgão no mercado negro para conseguir pagar a divida. – Reclamou suspirando profundamente frustrado iniciando suas pedaladas, apesar daquele lugar ser consideravelmente minúsculo os alugueis costumavam não concordar com o tamanho deles - por que os preços poderiam ultrapassar os limites do aceitável.   

– Esse seria aquele momento em que as coisas inexplicavelmente desmoronam me deixando sem alternativas, e eu sou coagido pelo universo conspirando contra mim, a aceitar minha parte nos bens deixados pelo Raymond, me sinto vivendo numa fanfic... – Refletiu sentindo os pneus deslizando suaves contra o asfalto, e maneou a cabeça negando veementemente imaginando como a vida adorava brincar pregando-lhe peças nada engraçadas.

– Nós somos dois desempregados dongsaeng, é inevitável não pensar que nossas vidas serão mais difíceis agora... Sem trabalho fixo ficar tudo duplamente complicado, e você conhece exatamente minha opinião sobre esse assunto, mesmo não aceitando as outras coisas seria compreensível pelo menos querer sua vaga de estágio muito bem remunerado, e se eu fosse você cobrava meu direito em morar naquela mansão também, aquele lugar é tão espaçoso que eles nem notariam sua presença, sei o quanto gosta do Mark... Seria uma bela oportunidade para estreitarem os laços de amizade. – O platinado sugeriu casualmente - jamais influenciaria diretamente -, mas alguém precisava urgentemente abrir seus olhos e fazer-lo perceber que às vezes orgulho demais não nos leva a lugar algum.

– Você dando sábios conselhos hyung, deve ser realmente o universo conspirando... – Comentou descontraindo soltando uma risada costumeiramente nada discreta, no entanto, menos escandalosa que as habituais eram. – Concordo em pensar com bastante carinho dessa vez. – Prometeu não muito interessado em analisar mais cuidadosamente agora, mas eles estavam precisando de alguma solução eficaz, e talvez aquela fosse sua chance indispensável. – Vou ver se consigo um cargo para você também, deve ter alguma brecha naquele documento! – Murmurou fazendo uma nota mental de procurar algum advogado que entendesse do caso, lembrando que seu vizinho da esquerda estava finalizando seu último período em direito - ele deveria saber lhe explicar melhor.

– Justamente nesse final de semana, que eu pretendia sair um pouco para me divertir em alguma boate ou algo parecido... Estou precisando pegar alguém e aliviar esse estresse dos últimos dias. – Argumentou virando seu boné para trás, conduzindo seu meio de transporte com uma única mão.

– Você precisar parar! – Youngjae alertou enquanto deixava que seus lábios formassem um bico, não concordando com aquele comportamento muitas vezes boêmio demais do melhor amigo, tratando os outros como seres inanimados e sem sentimentos a serem levados em consideração. – Ainda estarei vivo para comparecer ao seu casamento... – O Choi afirmou convicto, ignorando a risada incrédula do loiro descartando completamente aquela possibilidade absurda.

– Seria mais fácil eu aparecer no seu casamento, não ao contrário... O que será desse mundo se eu largar a farra? – Perguntou divertido, ele adorava irritar o pequeno quando desdenhava abertamente das coisas que dizia. – E essa coisa não funciona necessariamente como se eu fosse atropelar meu príncipe encantado por aí! – Argumentou contestando, mas surpreendentemente quando fechou à boca sua bicicleta derrapou perdendo o equilíbrio e apenas por algum milagre divino não tornou-se um acidente de maior gravidade, por que a “vitima” simplesmente levantou batendo uma eventual sujeira das roupas de marca que estava usando.

– Jackson, por que você viver me atropelando? – Bambam questionou encarando o leve machucado no braço, provavelmente teria que limpar o ferimento parcial deixando a pele do cotovelo arranhada soltando finos filetes de sangue.

– Eu não sei, sinto muito hyung! – O Wang desculpou-se tremendamente envergonhado ajudando-o a caminhar passando os braços pela cintura fina do jovem.

É o universo... – Youngjae cantarolou baixinho enrolando alguns fios negros entre os dedos enquanto girava os olhos nas orbes.

– Para com isso, você sabe que eu não acredito nessas besteiras! – Rebateu irritadiço, notando que o lanche do fotografo encontrava-se totalmente perdido no chão.

– Eu mesmo gosto de comprar algo para comer quando posso sair e respirar um pouco. – Justificou jogando sua franja para o lado oposto evitando que a mesma cobrisse-lhe os olhos acastanhados, ele não sentia nenhuma dificuldade para caminhar sozinho, mas ninguém poderia julgar-lo por estar tirando proveito daquela situação permanecendo envolta dos braços protetores do loiro prestativo.

– Seu braço está machucado, tem certeza que não esta sentindo nenhuma tontura, ou bateu com a cabeça? – Iniciou seu interrogatório estudando o ferimento não aparentando muita gravidade, escutando seu amigo dispersando as pessoas que haviam parado ao redor deles querendo saber de alguma coisa, afirmando que estavam todos bem, e agradecendo a preocupação alheia educadamente enquanto pedia que fossem embora, entretanto, o descolorido não parecia realmente convencido analisando todo corpo do mais velho querendo ter plena certeza.

– Garanto que estou bem, obrigado! – O jovem fotógrafo assegurou encarando intensamente aqueles olhos duma tonalidade mais escura que os seus, desde aquele encontro acidental no parque quando esbarraram por acaso, eles haviam criado uma estranha necessidade de trocarem olhares demorados e profundos, parecia que tornavam-se prisioneiros um do outro.

– Vocês estão bem? – O outro estudante de publicidade questionou desconfiado, tentando esconder o sorriso divertido que teimava em decorar seus lábios atraentes, enquanto assistia os dois parecendo meio abobalhados encarando-se como se não houvesse mais ninguém por perto - envoltos num universo paralelo particular pertencente somente a eles.

– Sim... – O Wang foi o primeiro a falar um tanto desorientado cortando abruptamente o contato visual, sentindo que suas bochechas estavam quentes e formigando assim como as orelhas. – Posso te pagar um novo lanche? Afinal você ficou sem nada por minha causa. – Ofereceu enfiando as mãos nos bolsos da calça jeans extremamente apertada pretendendo disfarça seu incomodo, por que seus dedos estavam gelados e as palmas suando discretamente, apenas correspondendo a presença inusitada do fotógrafo, e ele sinceramente não conseguia entender o motivo do seu próprio estômago estar revirando sem razão nenhuma.

– Eu aceito, obrigado! – Bambam não imaginou uma resposta diferente aquela proposta, mesmo ignorando deliberadamente seu coração saltando contra caixa torácica de um modo diferente as outras duas ocasiões onde acabaram se encontrando, mas como era um romântico irrecuperável, ele sabia exatamente o que aquilo significava, apesar de todas as incertezas pairando acima deles - porque ninguém tinha demonstrando nenhum sinal claro sobre qualquer interesse mais abertamente -, então talvez fosse melhor mandar seu coração ficar quieto não criando expectativas para depois sair frustrado, como geralmente acontecia.

Os três caminharam conversando animadamente sobre assuntos aleatórios quando ocuparam uma das mesas espalhadas na calçada dum restaurante simples, porém realmente aconchegante, e principalmente não ostentando preços muito caros.

– Nós fomos demitidos, por isso estávamos voltando mais cedo do trabalho... – Youngjae justificou respondendo a pergunta do fotógrafo, que comia distraidamente assim como o descolorido sentado ao seu lado, ainda soltando questionamentos a respeito do machucado no seu cotovelo - e ele afirmando que estava tudo certo. 

– Então você deveria aceitar seu estágio na agência, seria bem recebido! – O tailandês garantiu sorrindo amistosamente, dando a entender que ele estaria sempre ao seu lado caso resolvesse trabalhar na empresa. – Qualquer coisa que você pode me procurar dongsaeng, estarei sempre disposta a lhe ajudar... Mesmo que meu amigo queria arrancar minha cabeça com as próprias mãos depois. – Comentou rindo do provável escândalo que o publicitário faria quando ficasse sabendo do seu encontro com aqueles dois, ele certamente diria que seu melhor amigo estava passando para o território inimigo, e este pensamento fez novas risadas internas surgirem. – JB poderia facilmente ser do exército, nunca vi alguém gostar tanto de fazer tanta guerra por nada...

– Ele simplesmente não suporta o Jae! – Jackson disse colocando seu copo meio vazio contendo suco de volta sobre a mesa estreita, surpreendendo-se no momento em que o tailandês puxou algum guardanapo, e gentilmente limpou o canto da boca alheia sujo de molho fazendo o loiro prender a respiração, e Youngjae desviou seu olhar fingindo não perceber aquele clima rolando entre eles de maneira explicita até demais.

– Estava sujo... – Bambam explicou recolhendo a mão tentando não evidenciar seu constrangimento, porque de alguma forma o chinês lhe intimidava e ele normalmente conseguia encarar situações como essa com naturalidade, no entanto, as coisas pareciam atípicas daquela vez. – Jackson você já pensou em trabalhar como modelo? Por que eu geralmente tenho olho clínico para essas coisas, e você parece levar jeito com as câmeras, além disso, é inquestionavelmente fotogênico também, JB está negociando com empresários chineses, e nós provavelmente vamos pegar uma campanha milionária para divulgar uma marca de roupas masculinas deles, eles estão procurando um modelo chinês e você seria perfeito! – Ele ofertou esperando que o mais novo aceitasse.

– Eu concordo plenamente com você Bambam hyung, meu amigo adora câmeras, nunca conheci ninguém mais exibido que ele, e seria uma oportunidade de ouro para revelar esse rosto bonito ao mundo. – O Choi argumentou divertido não dando chances para o descolorido negar fazendo tamanha desfeita ao fotógrafo, considerando que ele talvez ficasse triste, e o tailandês era uma pessoa verdadeiramente agradável que merecia ser bem tratado.

– Você dois estão claramente dentro dum complô contra mim, mas tudo bem eu vou aceitar, até por que não estou em condições de rejeitar trabalho nenhum! – O chinês concordou, gostando secretamente daquele sorriso irrevogavelmente bonito desenhando os lábios cheios do fotógrafo realmente contente por ele ter aceitado sua proposta. Bambam e seu melhor amigo trocaram um toque de mão cúmplice comemorando, até pareciam amigos de longa data julgando pela amizade que rapidamente criaram, mas eram pessoas igualmente encantadoras - então não seria surpresa nenhuma se darem bem.

 

(...)

 

Uma Semana Depois...

 

Seus olhos admiravam a fugira acomodada no sofá enquanto discutia sobre os futuros designes que seriam feitos para as próximas capas das revistas espalhadas sobre a mesa, mostrando os exemplares recentemente lançados, o rapaz de cabelos escuros usava charmosos óculos de leitura empoleirados no nariz, concentrado demais na tarefa de apontar onde os erros de edição deveriam ser corrigidos na próxima oportunidade quando lançassem novas campanhas.

Os lábios rechonchudos do adolescente de cabelos rosa repuxaram escondendo um sorriso os delineando inconscientemente, todavia, ninguém poderia lhe acusar porque o Park era simplesmente irresistível aos seus olhos - e pelo visto aos dos outros também -, por que uma das modelos que participaram do catálogo de langeries luxuosas sentou-se bem ao lado do jovem designe ficando desnecessariamente próxima dele - que não fez nada para afastar-la irritando automaticamente o garoto os observando da escada sinuosa.

– Seu irmão já sabe disso dongsaeng? – Kunpimook perguntou o surpreendo enquanto surgia vindo do corredor, o tailandês apoiou-se nas grades do corrimão ouvindo o mais novo soltar um suspiro frustrado.

– Sabe de que hyung? – Devolveu fazendo-se de desentendido, apesar da saber que enganar o fotógrafo era praticamente impossível.

– Que você está evidentemente apaixonado pelo Jinyoung. – Disse sem rodeios, por que sempre fora um grande apreciador da objetividade em tudo aquilo que fazia, e principalmente quando queria conversar assuntos mais sérios com pessoas importantes em sua vida como os irmãos Tuan, por quem nutria um amor fraternal imensurável sempre desejando o melhor para ambos.

– Como sabe disso? – Mark indagou franzindo as sobrancelhas perfeitas, buscando freneticamente dentro da sua cabeça em que momento havia se denunciado sozinho, será que era tão transparente assim, ou o tailandês tinha sagacidade demasiada?

– Eu sou um ótimo observador... Não foi muito difícil perceber, e essa sua expressão de ciúmes deixa tudo mais claro ainda. – Comentou sorrindo fracamente, permitindo que seus olhos encontrassem os do menino espantado por conta daquela revelação, ele já tinha passado por aquela mesma fase recordando as primeiras paixões que arrebataram seu coração durante a adolescência.

– Minha vida é uma merda completa... – Reclamou emburrado cruzando os braços esguios envolta do torso pouco definido por conta da idade, mesmo sendo alto demais para alguém em fase de crescimento desenfreado. – Estou apaixonado pelo amigo do meu irmão e, além disso, ainda sou não sou correspondido, quer algo melhor? – Debochou achando engraçado a própria desgraça.

– Eu acho que você é totalmente correspondido! – Bambam retrucou não evitando revirar os olhos castanhos, porque adolescente adoram dramatizar situações amorosas como se fosse o fim do mundo - mesmo não sendo isso nem de longe -, e acabam ficando incapazes de enxergar os fatos como eles realmente são. – Você ainda é menor de idade, talvez esse detalhe o deixe um pouco receoso em assumir os próprios sentimentos, por que nós dois conhecemos seu irmão mais velho, quando o assunto é você o JB se torna super protetor, ele jamais permitira um eventual namora! E vocês não poderiam ficar juntos sem a permissão dele.

– Nós quase nos beijamos na semana passada! – Confidenciou vendo o mais velho adotar expressões verdadeiramente surpresas. – Mas meu irmão chegou bem na hora, e depois as coisas ficaram entranhas entre nós dois... Não estamos nos falando ultimamente por que fiquei chateado, queria que ele tivesse tomado uma atitude mostrando que estava comigo nessa sabe, mas o Jinyoung não fez absolutamente nada e agora eu odeio ele profundamente por isso. – Contou sabendo que poderia tranquilamente se abrir dividindo suas inseguranças com o fotógrafo, pois ele era alguém de confiança inabalável, e muito discreto também quando assuntos pessoais estavam em questão. 

– Entendo... Mas essas coisas são complicadas mesmo no inicio, em algum momento ele vai tomar coragem, tenha paciência. – Bambam incentivou abraçando o adolescente afagando carinhosamente seus ombros delicados. Ele conhecia o Park muito bem, sabia que sua intervenção seria necessária, caso contrário aquele romance em andamento permaneceria completamente estagnado dependendo somente de uma atitude do designe gráfico - precisaria dar um empurrão para as coisas andaram novamente. – Quando precisar eu estarei sempre aqui, para qualquer coisa! – Assegurou solicito ganhando um beijo estalado na bochecha sobressalente - amava o adolescente como se ele fosse mesmo seu irmãozinho caçula -, mas Jinyoung os encarava com o cenho franzido sem entender o motivo daquela interação toda, e o tailandês sorriu cinicamente em sua direção compreendendo que ele estava ardendo por dentro de ciúmes do menor. Ainda conseguiu entender o xingamento que saíra baixinho, quase ininteligível escapando dos lábios do moreno, ele deveria estar amaldiçoando até a quinta geração do fotógrafo e aquele pensamento arrancou uma risadinha descontraída dele, despedindo-se do adolescente que comentou algo sobre precisar estudar desaparecendo do campo de visão deles. – Quem é vivo sempre aparece... – Comentou sarcasticamente não fazendo questão de camuflar sua ironia, trocando olhares nada amigáveis com a morena chinesa de longos cabelos negros com seus braços apoiados envolta dos ombros largos do namorado, e o publicitário suspirou audível imaginando o que viria pela frente.

– Se estivesse morta, faria questão de voltar apenas para puxar seu pé durante a noite oppa! – Lou Qing retrucou formando um bico convencido nos lábios decorados com batom vermelho discreto, enfrentando o melhor amigo do ruivo que torceu o nariz revirando os olhos nas orbes, observando a outra modelo finalmente partir deixando de perseguir o designe perceptivelmente incomodado com aquela atenção sem necessidade. – Lee é uma ótima pessoa, deveriam se conhecer melhor, eu acharia maravilhoso...

– Uma pena que ninguém pediu sua opinião! – Bambam retorquiu distraidamente enfiando seus longos dedos nos fios lisos colocando sua franja desalinhada para cima, expressando o menor interesse possível nos olhos assassinos da chinesa irritada e Jinyoung mordeu os lábios prendendo o riso ameaçando sair. Talvez arriscando a possibilidade dele estar querendo manter aquela modelo oferecida longe saindo em defesa de Mark. – Tenho certeza que existem pessoas muito mais interessantes para o Junior do que essa menina sem sal... Alguém especial que realmente valha à pena! – Afirmou categórico fazendo questão de frisar as últimas palavras estreitando os olhos sugestivamente na direção do moreno, e pegando suas coisas jogadas no sofá ele arrumou sua bolsa no intuito de ir embora. – Você está me devendo uma dongsaeng... – Sussurrou baixo o suficiente para ninguém além do amigo conseguir ouvir.

– Eu te odeio! – Jinyoung sentenciou sorrindo disfarçadamente, ajustando seus óculos enquanto conversavam aos sussurros.

 – Eu sei! – O fotógrafo ditou provocando encaminhando-se para sair da grande residência.

– Por que você e o Bambam andam cheios de segredinhos pelas minhas costas ultimamente? Sinto que algo estranho esteja acontecendo, mas inexplicavelmente vocês estão preferindo me deixar de fora dessa vez, e suspeito também que meu irmão faça parte disso... – Jaebum ditou ironizando de propósito, compreendendo que o moreno nem fora capaz de sustentar seu olhar por meros segundos reforçando suas suspeitas, seus amigos sabiam perfeitamente bem que ele não suportava ser o último a saber das coisas.

– Seu irmão está precisando arranjar uma namorada oppa, aquele menino vive recluso enfiado nos estudos, e nunca ouvi ele comentando nada sobre nenhuma garota, vocês não acham isso no mínimo estranho? – Indagou externando seus pensamentos sobre o comportamento atípico do adolescente - pelo menos analisando da sua perspectiva observadora.

– Eu gostaria que você deixasse os assuntos envolvendo minha família fora da sua roda de fofocas! – O ruivo disse sério travando o maxilar, encarando a morena carrancuda que adorava soltar a língua quando encontrava suas amigas em saídas eventuais, comentando coisas que não deveria expor as outras pessoas. – Não comente nada com ninguém sobre nossos assuntos pessoais, nós somos apenas namorados, e essa condição pode facilmente sofrer alterações... – Ameaçou nas entrelinhas esperando que ela entendesse, e seguisse seus conselhos se ainda estivesse interessada em levar aquele relacionamento à diante - coisa da qual ele mesmo não tinha mais certeza nenhuma.

 

(...)

 

No dia seguinte Youngjae encheu-se de coragem, e esquadrinhando aquela construção imponente cheia de outdoors imensos repletos de propagandas onde haviam modelos sorrindo, e divulgando as mais variadas marcas parceiras da empresa publicitária sempre lançando tendência no mercado com suas campanhas inovadoras envolvendo todos os meios de comunicação possíveis, ele respirou sorrindo pequeno, imaginando que um dia fora apaixonado pelo dono daquele império, mas agora restava-lhe somente uma saudosa lembrança.

– Vamos, ele disse que está nos esperando! – Jackson bateu em seu ombro despertando o menor dos próprios devaneios segurando seu aparelho celular em mãos, conferindo uma rápida mensagem que o tailandês tinha enviado usando algum aplicativo - porque sim eles haviam trocados seus números alegando precisarem manter contato -, no entanto, falavam-se praticamente todos os dias na última semana ajustando os detalhes do ensaio, pelo menos era o que diziam para justificar aquela aproximação repentina. Os dois amigos seguiram edifico adentro informando suas identificações para uma recepcionista pouco amigável, autorizando que pegassem o elevador com destino ao vigésimo andar.

– Esse lugar é enorme... – O Choi não evitou soltar o comentário admirando o ambiente moderno, e ao mesmo tempo descontraído do lugar decorado com cores surpreendentemente vibrantes, afinal estavam num local de criação onde os publicitários e outros profissionais envolvidos naquela área soltavam suas ideias para o mundo fora daquelas enormes paredes de vidro.

 Eles conversaram brevemente com uma secretária simpática indicando o caminho que deveriam seguir pelo corredor espaçoso cheio de portas, até chegarem finalmente num dos estúdios, mas especificamente naquele onde o tailandês comandava dando ordens aos seus assistentes atentos em receber as orientações do chefe.

– Ele adora mandar pelo visto. – O Wang murmurou observando o rapaz tendo uma câmera profissional pendurara no pescoço, enquanto gesticulava freneticamente dizendo onde cada coisa precisaria ficar posicionada para possibilitar uma iluminação perfeita.

– Bambam na verdade parece meio exigente, mas está apenas cobrando o melhor desempenho das pessoas que trabalham consigo, ele é uma profissional e tem muitas coisas a ensinar... – Youngjae considerou a possibilidade daquilo justificar o falatório alheio. – Nós ainda estamos terminando nossa faculdade, ele tem mais experiência nesse ramo! – Disse assistindo de soslaio o descolorido retrair ligeiramente, entendendo que homens como aquele tailandês poderiam intimidar-lo por que tinham um nível de vida superior ao deles, e na cabeça confusa do loiro ele acabava se inferiorizando.

– Entrem! – Kunpimook mandou convidando os rapazes, apesar de ter soado como uma ordem involuntária arregalando os olhos quando notou seu deslize. – Desculpem é a força do habito. – Retratou-se envergonhado cumprimentando os amigos inseparáveis que fizerem uma reverência breve.

– Nós percebemos hyung. – Jackson soltou sorrindo divertido.

– Está tudo bem! – O menor deles falou desconversando, pretendendo dissipar a tensão estranha que formava-se no ar quando estavam dentro do mesmo ambiente. – Onde fica a sala do seu sunbae, eu estou precisando conversar com ele. – Perguntou apreensivo soltando uma longa lufada para depois preencher os pulmões com oxigênio, e Bambam informou avisando que estavam bem perto dizendo que ele deixasse o loiro sob seus cuidados a partir dali, então confiando nas palavras do fotógrafo o garoto caminhou descobrindo a existência dum novo corredor, estranhando a ausência de uma provável secretária da presidência ocupando aquela mesa vazia encontrando a porta entreaberta, apesar de hesitantes seus dedinhos deslizaram pela madeira polida segurando o trinco dourado, revelando a imagem do publicitário que dispensava usar roupas muito sociais - porém estando sempre bem vestido.

– O que está fazendo aqui? – Jaebum perguntou entre dentes soltando um grunhindo raivoso ficando automaticamente em pé, espalmando suas mãos cumpridas no tampo de vidro provocando um baque que assustou o menor fazendo-o dar um pulinho.

– Nós precisamos conversar hyung! – O Choi tentou ser cordial, mas sabia que nada seria fácil.

– Nós não temos absolutamente nada para conversar! – Retorquiu categórico.

– Temos sim! – Youngjae cortou ganhando todo o atrevimento que precisava para continua, e não sair dali chorando pelas grosseiras do maior como costumava ser. – E te aconselho a se acostumar com a minha presença nessa agência nos próximos meses, porque eu resolvi aceitar meu estágio!

O que? – Bradou incrédulo.

Continua...


Notas Finais


Vejo vocês depois ;) !!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...