História ♦STEREK - My Boyfriend is a Werewolf♦ - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Derek Hale, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski
Tags Boyfriend, Derek, Dylan O'brien, Sterek, Stiles, Teen Wolf, Tyler Hoechlin, Werewolf, Yaoi
Visualizações 230
Palavras 2.258
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Científica, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hi Wolfers♥

Espero que gostem do capítulo. Sorry pela demora. Leiam lá embaixo please.

Capítulo 33 - Make Me Scream!


Fanfic / Fanfiction ♦STEREK - My Boyfriend is a Werewolf♦ - Capítulo 33 - Make Me Scream!

•Stiles•

Algo ruim estava por vir, dava para sentir...

Tyler...

***

Logo após conversar com Derek e Deaton sobre o armário e o que fez o Tyler sai correndo e cair da escada loucamente. Vou para a casa de Scott. Liam, Derek e Dylan ficaram no hospital.

Scott disse que conhecia uma médium que poderia nos ajudar com esse tipo de coisa. Então decidimos cair na estrada.

Paramos em Port Angeles. Lá era onde a médium morava.

Fomos para um bairro nobre dali. Scott parou o carro na frente de uma enorme casa com janelas enormes e parede de tijolos vermelhos.

Ao chegar na porta de madeira negra Scott estende a mão para bater na mesma, mas a porta se abre, é uma jovem de cabelos ruivos com pele pálida e sardas no rosto e incríveis olhos azuis.

-Laila –diz Scott com um sorriso no rosto. A jovem sorri e os dois se abraçam

-Scott

Dentro de sua casa moderna com seus móveis em tons de cinza, explico o que tinha acontecido. Ela compreende tudo e nos pede para acompanhá-la até sua biblioteca no andar superior, ao lado de seu quarto. Ao passar pelo seu quarto vejo que ela é fã dos Beatles, vários pôsteres estavam nas paredes, e a cor de suas paredes me deixavam enjoado. Laranja avermelhado.

-Bem... Cheguei a uma conclusão sobre isso –Laila suspira –Estamos lidando com um demônio que foi despertado, e ele só e o portal que alí continha. E essa mulher que você viu em seu sonho é o demônio que saiu

-Como isso é possível, foi apenas um sonho estranho –digo seriamente

-Assim que você passou por minha porta pude sentir que você é especial, mas ainda não sabe dos dons que tem, você passou de Lobisomem para raposa... E isso é raro, bem... Se você aceitar quero poder examinar você e descobrir quais são esses dons

Scott olha para mim e assenti.

-Esta bem... –digo com um pouco se ressentimento

***

Ela nos leva até seu porão onde tinha uma maca hospitalar. Ela me pede para deitar alí, ela ascende uma luz acima da maca e apaga todas as outras.

Ela se aproxima de mim com uma enorme agulha.

-Isso vai doer! –avisa ela

-Pra que isso!? –dico afastando a mão dela

-Isso vai fazer com que você entre em outra dimensão mais rápido.... Na linguagem atua, você vai morrer!

Começo a ficar desesperado.

-NÃO! –grito. Sinto a mudança em mim, minha raposa ia atacar, eu ia atacar

Quando menor espero ela sai voando da minha frente e é jogada na parede do porão, assim que ela bate na mesma, ela cospe um punhado de sangue. Uma dor de cabeça alucinante começa a martelar. O lugar ao meu redor gira e eu desmaio.

-Stiles? Stiles? –abro meu olhos, e vejo Scott e Laila, eu estava no quarto dela

-Laila... –sussurro

-Estou bem! –diz ela com um sorriso no rosto –Minha teoria foi provada...

Ela sorri.

-Deixa eu explicar... –começa ela –Bem aquela seringa não possuía nada tóxico, era água, eu sabia que se eu falasse aquilo você ia perder o controle, sua transformação estava evidente, mas a raposa foi esperta e usou a telecinese e me afastou...

-Corrigindo... –começo –Te jogou!

***

-Bem... Está certo que você tem alguns dons a mais! –diz ela –E se você se interessar, posso ensinar a usa-los

-E como você vai fazer isso? –pergunta Scott

-Você não é o único com dons especiais meu querido! –diz ela com um sorriso malicioso nos lábios

Tudo a minha volta começava a diminuir, olhei para baixo e descobri que era em quem estava em cima, eu estava flutuando.

-ME COLOCA NO CHÃO! –Berro –TENHO MEDO DE ALTURA!

Ela me coloca no chão.

-Okay... Eu aceito seu treinamento! –digo confiante

***

No caminho de volta para casa, recebemos uma ligação de Lydia. Ela nos chamará. Eu estava muito cansado, o treinamento tinha sido muito extensivo e dolorido. Laila não mostrava ter pena. Ela me levantou várias vezes e me soltou do nada, fazendo com que eu caísse no chão.

Por sorte aprendi a ultilizar dois dons. Telecinese e levitação.

Todos se mostraram úteis. O problema era que depois de usar tal habilidade, eu ficava cansado, eu tinha que aprender a ficar lúcido.

***

-Laila nos deu detalhes sobre o demônio.

Ela disse que esse tipo de demônio é bem perturbado e que fora rejeitado no submundo –digo ao telefone. Derek havia me ligado para dizer como anda a saúde de Tyler –Laila me pediu um fio de cabelo para ela poder ler através dele, assim conhecendo a aparência do demônio. Achei estranho, mas a essa altura eu já não duvidava de nada...

Desligo a chamada e coloco o celular no bolso.

-recebeu notícias do Tyler? –pergunta Scott

-Tyler ainda está na mesma, mas o processo de cura dele já está se desenvolvendo, Melissa disse que ele vai ficar bem logo

-Minha mãe? –pergunta ele

-Sim, ela trabalha no hospital daqui

-Eu não sabia... –ele suspira e se volta para mim –Porque Tyler está demorando para se curar?

-Não sei...

***

Por incrível que pareça, eu tinha mantido a calma esse tempo todo. Sabia que Tyler iria ficar bem, então não posso perder controle... Mas Derek, ele se manteve quando eu estava por perto. Mas comigo distante ele não estava bem.

Eu não contará a Scott que Derek havia perdido o controle, e quase atacado Dylan e Liam. Liam quis que eu não dissesse para Scott, sabia que se contasse, Scott iria para cima e Derek não ia se conter, e os dois são alfas, iria ser uma briga feia.

***

-Ola princesinha! –abraço a filha adotiva de Tyler e Dylan

-Mel! –exclama Scott, ele pega ela no colo e a abraça

-Ela se comportou? –pergunto a Lydia

-Sim. Eu e Melissa nos divertimos muito! –Diz Lydia com um sorriso no rosto. Estava evidente que elas se divertiram

***

•Liam•

Há duas horas atrás, Derek havia surtado, Dylan e eu quase não conseguimos o acalmar. Eu pude entender a dor de Derek, ele temia a perda de seu filho.

Melissa disse que Tyler está se recuperando aos poucos, e logo ele estaria acordado para nos contar o que houve.

-Ele dormiu... –Dylan entra no quarto do hospital –Ele quase destruiu o necrotério

-Ele está no necrotério!? –pergunto

-Sim, ele estava transformado, Melissa jogou wolfsbane nele e ele adormeceu, coloquei ele dentro de uma das cabines –ele se senta ao meu lado na poltrona –a cabine tem mais wolfsbane, ele está seguro lá e nós aqui

•Stiles•

Deixamos a pequena Melissa com Malia e fomos com Lydia para Beacons Hills.

-O que viemos fazer aqui!? –pergunto a Lydia

-Pegar um ser sobrenatural! –diz Scott em resposta –Parrish ainda trabalha aqui?

-Porque vamos precisar de um cão do inferno?

-Simples, tem um demônio á solta, e não sabemos do poder dele, acho que um cão do inferno vai nos ajudar! –diz Lydia

Paramos na frente da delegacia, Lydia nos pediu para ficarmos aqui. Ela anda em direção a porta da delegacia com seus saltos altos vermelhos. Tec-Tec.

-Olha eles aí! –diz Parrish ao se aproximar do carro onde estávamos

***

-Deixa eu ver se entendi... Vocês querem a minha ajuda para destruir um demônio que vocês não sabem que é, e não sabem o poder? –diz Parrish –Que coisa, hein!?

Ao horizonte o sol já sumia e dava lugar as estrelas e escuridão.

-Vamos parar em um hotel, não quero dirigir a noite! –diz Lydia

***

O lugar era gigante, Jane's Hotel. Sua fachada era cinza e tinha várias janelas. Ficamos com o quinto andar quarto vinte e seis. Paredes brancas e duas camas king size, com edredons gigantes.

A fome tinha chegado a todos nós, decidimos comer ali mesmo.

-O telefone não está funcionando... –diz Scott com o telefone que tinha no quarto na mão –acho que vamos ter que descer...

-Que droga...

Ao passarmos pela porta, o som do telefone tocando de dentro do cômodo começava a aumentar. Scott passa por nós e pega o telefone.

-Alo?... Oi? –Scott nos olha –Estou te ouvindo respirar!

-Desliga isso! –falo para ele –estou com fome

***

Na volta para nosso quarto, as coisas começaram a ficar estranhas, primeiro, parecia que os únicos hóspedes daqui éramos nós, e segunda, era que do nada começou a surgir um nevoeiro lá fora e dentro do hotel também e terceiro, estávamos perdidos dentro do hotel. O elevador nos levou para o sexto andar e ele não queria ir para o quinto. Decidimos pegar a escada para descer, mas estava faltando a porta que dava para o quinto andar, do quarto pulava para o sexto.

-Mas que porra tá acontecendo aqui! –exclama Parrish. Ele pega seu celular e liga para recepção –Eu queria dizer que, não estamos achando nosso quarto!

Ele desliga e nos encara.

-Disseram que nosso quarto está no quarto andar número sete

-Que!? Estamos no quinto andar! –exclama Lydia

-Já que a mulher disse, vamos então... –digo

Após chegarmos no nosso 'quarto' decidimos ir dormir. Mas não conseguimos devido ao cheiro de carne podre que vinha do nosso banheiro.

Parrish vai lá ver o que é, e assim que ele abre a porta o cheiro aumenta.

-TEM UM CORPO ESTRAÇALHADO AQUI! –grita ele. Em seguida fecha a porta e liga para a polícia

***

Escolhemos saí daquele lugar e estacionar o carro em algum lugar para dormir. Aproveitamos o vidro escuro. Parrish e Lydia se acomodam no banco de trás, abaixo o banco da frente ao lado do motorista para trás e me deito, Scott faz o mesmo.

Depois de meia hora, algo nos fez acordar, olhamos pela janela e vimos várias silhuetas andarem lentamente feitos zumbis passaram. Uns caiam e batiam no carro, eles se levantavam com seus rostos cobertos de sangue e continuavam como se não tivessem caído.

-What the fuck! –diz Scott –Virou The Walking Dead?

-Pelo visto, sim! –diz Lydia

Scott abre o teto do carro e Parrish coloca a cabeça para o lado de fora.

-Fecha, Fecha, Fecha!

Os zumbis que estavam em volta do carro se viraram e começaram a bater no vidro, com o barulho feito por estes, vieram outros para cima.

-LIGA O CARRO! –grito –AGORA!

Scott ajeita seu banco e da partida no carro. Ao acelerar o carro começa a balançar.

-Estamos passando por cima dessas coisas –diz Lydia com cara de nojo devido ao barulho de ossos quebrando

***

Paramos o carro no topo de um penhasco. A cidade apocalíptica estava lá embaixo.

-Não tem sinal! –digo com o celular na mão

-Eles devem estar bem.... –diz Scott ao meu lado

•Liam•

Após várias tentativas de ligar para Stiles ou Scott, desisto de tentar e olho pela janela. A rua estava vazia e um nevoeiro se estendia lá fora. Estava tão silencioso que eu duvido que tenha mais alguém no hospital.

-Ele está acordando... –diz Dylan entrando no quarto –Melissa vai trazer ele...

***

-Me desculpe, Liam –fala Derek com a cabeça baixa, ele estava deitado ao lado do filho, pelo julgar de sua voz, ele estava chorando

-Não tem nada não... –chego perto dele e bate em suas costas –Vai ficar tudo bem!

•Stiles•

-TEMOS QUE SAIR AGORA DAQUI! –grita Scott. O moreno tinha ido até uma árvore para poder se esvaziar –Temos companhia!

Entramos todos dentro do carro, e Scott acelera. Sem se importar com os zumbis a nossa frente ele continua.

Devido aos corpos abaixo do pneu o carro derrapa e bate em uma árvore.

Saímos de dentro do carro, e começamos a correr, a cada passo íamos direito para escuridão até que não vejo mais ninguém.

Algo me corta, olho através dos olhos da raposa em mim, um silhueta se meche a minha frente, algo não humano, começo a correr, não tem como lutar com algo no escuro. Lembro dos meus dons, paro um instante e olho para trás, a criatura vinha em minha direção, me concentro ao máximo e até lanço para longe.

Assim que volto a correr escuto um grito. Lydia.

•Parrish•

Estava tudo escuro, e eu não via e nem escutava ninguém. Acendo minhas chamas para poder ver melhor, a minha frente vejo algo negro se esconder dentre as árvores.

-QUEM ESTÁ AÍ!? –grito. Nada

Algo me derruba, e assim que caio no chão escuto um grito. Lydia.

•Scott•

Não via ninguém, eu estava dentro do carro, todos correram. Mas de quê? Saio do carro e olho ao redor.

-Onde estão os zumbis? –sussurro em meio ao vento cortante

Um grito é tudo que eu escuto. Lydia.

-LYDIA!

•Lydia•

Algo de estranho está acontecendo, não estou na floresta para onde corri, estou em uma estação de trem. E algo estava me perseguindo.

Não consigo lembrar em que momento tive certeza de que aquilo estava atrás de mim. Apenas quando tive certeza de me encontrar a uma distância favorável da estação comecei a correr, eu estava quase chegando a uma delegacia que havia ali quando fui puxada pelo cabelo com tal violência que cai e bati a cabeça no chão. A escuridão aos poucos ia me consumindo, puxo todo o ar de meus pulmões e grito.

Antes de desmaiar vejo a silhueta preta voando longe e Scott se aproximando rapidamente, assim como Stiles e Parrish.

•Stiles•

Em um piscar de olhos eu me via indo em direção a Lydia, não estava mais na floresta, e sim em uma cidade. Uma cidade fantasma.

***

-Como viemos para aqui? –indago olhando ao redor

-Estavamos correndo em uma floresta... Não stavamos perto da cidade! –diz Parrish

***

Caminhamos até uma concessionária, onde pegamos um carro, para ser mais sensato, roubamos um carro, já que não tinha ninguém alí, ninguém iria se importar.

-Olha! –Lydia aponta para o céu, Scott pra o carro. O céu estava negro –Não estamos no nosso mundo, estamos?

-Sua pergunta será respondida agora, ACELERA! –grito, atrás de nós estava uma grande fileira de zumbis e outras criaturas aladas

•Dylan•

Vou até o almoxarifado do hospital pegar um remédio que Melissa pediu. No caminho uma figura preta aparece em minha frente. Tento trazer meu lobo, mas falho.

A criatura começa a andar, percebo que não vou conseguir trazer meu lobo, começo a correr.

-PAI! –grito

***


Notas Finais


Eaew galeraaa, o que acharam?

•Minha gente estou no Shawn com o episódio 12 de Teen Wolf 😱

Beijinhos no kokore de vocês ♥♥

Meu ❤mozaum começou uma fic Sterek, passem lá.

Link: https://spiritfanfics.com/historia/sterek-i-love-a-sourwolf-9961534


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...