História Stigma - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Kai, V
Tags Baekyeol, Boneco, Bottom! Baekhyun, Bts, Chanbaek, Exo, Kaisoo, Limonada, Sdds Vida Social, Sookai, Taehope, Top!chanyeol, Vhope
Exibições 34
Palavras 1.481
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Fantasia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Poste Orelhudo Á Vista


Fanfic / Fanfiction Stigma - Capítulo 2 - Poste Orelhudo Á Vista

Zonzo. Essa era a palavra que pensei quando acordei, estava zonzo e com dor nas costas por ter dormido no bendito sofá.
Levantei-me preguiçosamente, esticando-me e bocejando, caminhei até a cozinha para construir um café da manhã quente e exemplar.
Após comer meu ramem de ontem como café da manhã, joguei-me no sofá ligando a TV e jogando um game no celular, até ter um Kyungsoo me mandando mensagens no kakaotalk.

                                   Satã Desqualificado

Hey, baby Byun. Estava pensando em você começar a usar roupas femininas, sabe quantas pessoas tem fetiches com cossdress? É um absurdo!

                                  Micão Tour Byun

Ridículo você. Eu ficaria horrível de cossdress! Me imagina com um tutú rosa. Até parece!

                                    Satã Desqualificado

De qualquer jeito.. Não importa. Tenho um encontro marcado pra você esse final de semana, caso você não aceitar, faço você me pagar aluguel por esse apartamento, que por ironia, é metade meu.

Aish, Kyungsoo realmente não sabe brincar. Encontros forçados, quem faz isso em pleno século 21? Aff.

                                         Micão Tour Byun

Eu espero que o JongIn foda com as pregas do seu cú, sua coruja satânica.

Desliguei o ipad e bufei. Esse final de semana?
Ele fala como se hoje não fosse quinta-feira, aaaah Kyungsoo..
A campanhia de casa começou a soar incansávelmente e me levantei respirando fundo para não ter um ADP.
- Mas que merd... –arregalei os olhos ao ver uma caixa maior que minha geladeira em frente minha porta e um entregador parecido com meu bisá sorrindo psicopatamente para mim– Ahn.. Acho que entregou ao apartamento errado, senhor.
- Hm.. Byun Baekhyun, certo? –balancei a cabeça tirando meu cabelo da frente naturalmente diva– Então está certo. Está encomenda é para o senhor! Das empresas... Skotty.
- Skotty? –pergunto pensativo, eu não conheço nenhum Sk... OH, TAEHYUNG!– Oh! Sim! M-Mas a casa n-não é a-aqui e...
- Olha, senhor Byun. Essa caixa é pesada e é entregue ao senhor. Assine aqui e me deixe ir embora. –o senhor apontou grosseiramente para a tabela que estava em sua mãos.
Meu bisávô seria mais simpático.
Assinei as papeladas e observei aquele senhor indo embora, olhei pensativo para a caixa e empurrei-a para dentro com MUITA dificuldade.
- Que boneco... Pesado! Aigoo! –respiro fundo quando percebo que ele ja está no meio de minha sala– Maldito seja Taehyung! –falo e corro para meu celular, discando o número de Taehyung desesperadamente– Atende, seu viadinho adotado lixo de mer...
- Alô?
- TAEHY! –coloco a mão no coração como a boa passiva que sou– Que bom que atendeu. Sua entrega chegou! Venha buscar.
- Oh! Hyung.. Temos um problema. –sua voz parecia baixa e preocupada– Hoseok tem tido uns ataques de ciúme incontrolável e eu não vou poder buscar meu boneco.
- COMO ASSIM NÃO VAI PODER? Taehyung eu não posso guardar uma caixa, quase o triplo do meu tamanho no meu apartamento que MAL me cabe!
- Hyung, é só por um tempo. Até eu resolver. E o boneco não precisa ficar na caixa, você pode... AISH, HOSEOK! EU ESTOU FALANDO COM O MEU IRMÃO, INFERNO!
- E DESDE QUANDO O BAEKHYUN TEM ESSA VOZ GROSSA? –meu lado passiva se ofendeu–
- Taehyung, foca aqui. O que eu faço com a caixa?
- Pode abrir e usar.
- MAS QUE PORRA ELE VAI ABRIR E USAR, TAEHYUNG?

Bip, bip, bip

Olhei pra tela do celular boquiaberto, ele tinha mesmo desligado na minha cara?
Joguei o celular no sofá e encarei a caixa. Só vou abrir pra dar uma olhadinha... Peguei uma faca afiada na cozinha e segui em direção a caixa, cortando as fitas e a caixa, jogando tudo no chão e me deparando com um poste em minha frente. Um poste orelhudo.
- Eu pedi o pior e eles me mandam um desses prédio? –resmungo e peguei o manual.
Blah blah como ligar o boneco, aha.
Vamos tentar.
"Aperte sua mão para ligá-lo, deixe sua mão por mais de dez segundos para o boneco conseguir suas digitais e saber que você é o novo dono."
Não posso fazer isso se vou entrega-lo ao Taehyung.
Porém, seria muito bonzinho da minha parte se eu não fizesse Taehyung sofrer.
E eu não sou bonzinho.
Segurei firme na mão do boneco, vendo a minha mão praticamente sumir e esperei mais de dez segundos. Quando eu estava chegando no vinte, os olhos do boneco abriram surpresos que eu soltei um grito de susto, recolhendo minha mão e a colocando no coração.
O boneco olhava cada canto do apartamento como se decorasse cada parte, até ele parar o olhar em mim e me dar um sorriso.
Que monte de dente é aquele gente?
- Oh, você deve ser meu dono. –falou e que voz grossa é aquela gente?– Olá, mestre.
- Hm.. Sou. Por um tempo. Depois você vai morar com o Taehyung e seu dono vai ser ele. –explico e ele continua com aquele sorriso largo– Não me chame de mestre, me chame de Baekhyun.
- Baek... Baekhyun. –balancei a cabeça e ele se aproximou, me fazendo arregalar os olhos– Você é baixinho, Baekhyun.
Abri a boca ofendido, mal nos conhecemos e ele já está me zoando? Que audácia.
- Bem... Sou! Não importa. –bufo e cruzo os braços– Você não vai ficar aqui por muito tempo então não se acostume.
O boneco assentiu e começou a andar pelo apartamento.
Legal, como faria para ir para a faculdade agora? Deixando um estranho em sua casa.
- Sua casa é bonita. –o boneco ruivo sorriu bobamente.
- Então.. Eu te chamo de boneco ou..
- Chanyeol. Você deve me chamar de Chanyeol. Park Chanyeol. Você deveria saber, você quem escolheu meu nome– dou de ombros e vou até a cozinha– Estou com fome.
- Bonecos comem? –faço careta pegando um copo de água e observando sua feição mudar para irritada.
- Sim. Sou um boneco mas tenho sensações e necessidades humanas. –falou entredentes e eu ri.
- Ya, me desculpe. –levanto as mãos– Bem.. Eu só como besteira. Se quiser ir ao mercado comigo..
- Podemos? –sorriu novamente juntando as mãos me fazendo rir– Vai ser legal.
- Porque você é considerado erro de fábrica? –bebo a água o observando e sua feição mudar drasticamente–
- Skotty são feitos para serem escravos. Obedecer. Não sentir. –sussurrou e eu me esforcei para entender– Já fui vendido uma vez. Mas por eu ser erro de fábrica, me devolveram. Eu sinto, Baekhyun. Sou um boneco diferente por isso. Eu tenho emoções humanas. A sorte é que você encomendou um boneco com erro de fábrica senão eu... –parou de falar e eu suspirei– Bem. É isso. –riu infantilmente– Podemos ir? Estou com fome.
- Sim.. Vamos. –falei pensando em como ele se sentiria quando Taehyung se aproveitasse dele.

Percebi que não é fácil ir ao mercado com bonecos de fábrica.
Por todo corredor que Chanyeol passasse ele queria alguma coisa. Puta que pariu! Eu vou ficar mais pobre que o normal com esse boneco prédio arrombado.
- Baek! Baaaaaek!!! Olha isso, olha isso! –Chanyeol vinha em minha direção com um brinquedo infantil de carros.– Por favor, compre pra mim. Compraaa!
- Não, Chanyeol. Viemos comprar comida, sua mula com gigantismo. Devolve isso. –reviro os olhos– E é Baek-hyung. Sou mais velho.
- Aaaaaaaigoo! –voltou resmungando, crianças.. Viro-me e dou um gritinho super másculo ao ver JongIn em minha frente.
- Baekhyun? O que faz fora de casa?
- Aí meu G-Dragon do coração, menino! ta tentando me matar, filho de uma puta? –coloco a mão no peito respirando fundo– Eu como também, sabia desgraça?
- Desculpe, Hyung – não tem como ficar bravo com o JongIn, ele é um amor– É que eu te vi, e eu nunca o vi fora de casa –riu nervoso coçando a nuca.
- Yah! Sempre tem uma primeira vez. –vejo Chanyeol vindo em nossa direção e arregalo os olhos– JongIn, eu preciso ir agora. Mande beijos para o Kyung, até mais.
- S-Sim, Hyung. –balançou a cabeça e eu saí andando com o carrinhos de compra.

- CHANYEOL! EU NUNCA MAIS VOU SAIR COM VOCÊ, SUA PRAGA ORELHUDA! –berro ao ver eles atacar minhas compras ao entrarmos no apartamento– Eu não mereço isso.
- Isso é tão bom, Hyung.
- NÃO IMPORTA, VOCE DEVERIA TER MODOS E.. Espera, do que você me chamou? –arregalo os olhos–
- De hyung, é assim que me pediu para chama-lo. –sorriu e voltou a comer.
- Olha, sorte que você vai ir morar com o Taehyung, eu já não te aguento mais. –rio e me jogo no sofá–
- Como o Taehyung é, Baek-hyung? –sentou-se nas minhas pernas–
- Ele é legal, apesar de ser bem indeciso e ninfomaníaco. –vi o olhar de Chanyeol em minha direção confuso.
- O que é ninfomaníaco? –sorri com sua inocência.
- Nada, big Chanyeol. Nada. Agora saia das minhas pernas, você pesa.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Ficou pequeno pois não estou acostumada a escrever no celular jxmsjzksjx Se acharem algum erro, reconsidere szszsz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...