História Stigma (Vkook) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, SHINee
Tags Vkook
Visualizações 27
Palavras 5.286
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mais um para os leitores, espero um dia ver comentários por aqui e mais favoritos....Continuo pois me orgulho do que estou escrevendo.

Capítulo 3 - Linhas Cruzadas


Fanfic / Fanfiction Stigma (Vkook) - Capítulo 3 - Linhas Cruzadas

Jungkook

            Minhas boca permanecia aberta enquanto sentia minha respiração ficar acelerada ao mesmo tempo que falha, meu coração batia rapidamente parecendo que o mesmo  sairia de meu peito, quase pude sentir ele   rasgar-se dentro de mim, a força que ele exercia era realmente forte e diferente de qualquer outra que senti, eu estaria ficando louco? Por que meu corpo estava daquela forma ? Ainda mais na rente de um garoto, UM GAROTO! Eu tremia muito, de cima a baixo,  minha boca parecia seca e tremula ao mesmo tempo, era algo surreal para um garoto bobo e ridículo...Meus olhos apenas ficaram presos nos do rapaz de pé a minha frente, só conseguia admirar aquele garoto, e por mais que parece-se estranho eu estava gostando. Quando a ele, o estranho apenas sorria docemente para mim me fazendo perder mais e mais o juízo,  aquele sorriso me trazia tanta paz  que por um momento me esqueci dos problemas que me perseguiam. 

-Oi? Está me ouvindo?- o menino disse estendendo a mão perto do meu rosto e a sacudindo em minha frente, parecia ser uma forma de me despertar do meu breve sonho acordado.-Ei!

-Hã? O quê?- falo sacudindo a cabeça como um idiota, acho que eu acordei naquele momento,  abri e fechei minha boca em seguida por breves segundos, foi estranho mais foi um ato que fiz sem querer.- O que foi?- falo agora mais consciente de minhas ações.

-Ufa está vivo!- disse o garoto afastando sua mão do meu rosto e em seguida colocando em seus bolsos da calça,o mesmo suspira aliviado, em seu rosto ainda tinha o pequeno sorriso de antes, ele me parecia alguém alegre e radiante,  mas  quando olhei melhor as cicatrizes em seu rosto, comecei a  duvidar logo desse pensamento, por algum motivo ele me intrigou.- Achei por um  momento que tivesse te matado de susto.

-Por que?- falo franzindo as sobrancelhas curioso.

-Você parecia meio assustado quando te acordei.- ele disse levando uma de suas mãos até sua cabeça e a coçando em seguida.- E agora parece meio desnorteado, sabe confuso...

-Hmmmm.- disse apenas isso sem saber o que mais pronunciar ao belo estranho, okey é melhor eu parar de reparar nele tanto assim e o elogiar dessa maneira, com certeza isso não é algo normal!

-O que faz aqui? Está tudo fedendo.- disse o estranho olhando tudo em volta com uma careta no rosto.-É um péssimo lugar para dormir.

-Não interessa...-falo bufando e franzindo as sobrancelhas, ele estava começando a se meter no que não era de sua conta.

-Ahhh desculpe...- ele fala meio desconcertado pelo que eu disse.

-Tanto faz.- falo dando de ombros enquanto bufava.

-Nossa eu quase  me esqueci de me apresentar.- ele disse  afobado do nada e colocando a mão que antes coçava sua cabeça agora em sua cintura  enquanto me olhando atentamente, com certeza aquilo me assustou de certo modo.- É importante a apresentação!- aquele garoto era maluco, só podia!

-Para que?- falo intrigado e cruzando meus braços sem entender o por que dele ter falado aquilo tudo para mim, estava cada vez mais estranho.- Você sequer me  conhece...Só me acordou de um sono que eu estava adorando...

-Normalmente pessoas fazem isso quando se conhecem sabe.- ele disse me olhando com uma cara até que engraçada e ignorando meu último cometário.- Além disso quero saber o seu nome garoto.

-Por que?- falo fazendo um pequeno bico de birra e desconfiança, aquele garoto era bem intrometido e estranho, quem saia peguntando o nome dos outros por ai?  Ainda mais para  quem dorme encostado em uma lixeira como eu me encontrava?

-Nossa você faz muitas perguntas hein!- ele disse rindo, o sorriso dele era até que charmoso, transmitia felicidade e paz, acho que já disse isso antes...Mas fazer o que, era a mais pura verdade.- Só estou tentando puxar assunto, afinal você é um jovem bem vestido que está no meio de um beco horroroso!

-Por...-  mas antes que eu pudesse dizer algo a ele ou melhor repetir mais uma vez a pergunta que eu mais fazia, o mesmo que corta de repente sem se importar.

-Nem ouse perguntar por que de novo!- ele disse apressado ainda em minha frente.- Estou tentando fazer uma boa ação sabe? Você podia considerar isso sabe? Além do mais  estou precisando fazer esse tipo de coisa por que ultimamente meras só vem acontecendo comigo...- ele falava gesticulando e de forma rápida sem se aprofundar muito em explicação.- Mas enfim, levanta dai menino, vamos comer algo, estou faminto.- ele disse colocando suas mão dentro de sua jaqueta de cor beje.

-Como?- falo agora realmente confuso com suas palavras, ele falou aquilo mesmo?- Acho que eu não compreendi direito...

-Acho que você entendeu bem menino.- ele disse cruzando seus braços no peito me olhando divertidamente, parecia que ele achava graça nas minhas reações ais que naturais.- Estou te chamando para gente ir comer algo nessa  cafeteria aqui.- o garoto disse apontando para a parede do prédio que eu estava encostado dormindo, entendi que ele queria dizer que aquele era o beco da cafeteria.- Tenho certeza que está com fome, e eu também como já disse sabe? Não comi antes de sair de casa...

-E-eu não tenho dinheiro...-falo gaguejando e tremulo ainda surpreso.

-Relaxa, eu pago para você garoto.- ele disse sem preocupação, como alguém dizia aquilo com tanta naturalidade? Ele era muito diferente das pessoas, um E.T com certeza!

-Por que está fazendo isso?- falo com a voz fraca, a surpresa me dominava em cada parte do corpo.- Me ajudando e me oferecendo comida?

-Eu já disse, preciso fazer boas ações, além de eu precisar de companhia e...- em seguida ele me olha no fundo dos olhos deixando um sorriso fraco dominar seu rosto.- E você parece ser um cara bacana.

                        Não consegui dizer nada depois daquele ato gentil vindo dele, daquelas palavras doceis e convidativas, senti que ele realmente queria me ajudar, minha boca apenas se abriu formando um O grande de tão surpreso que estava e em seguida uma lágrimas solitária e feliz desce pelo meu rosto e chegando em minha bochecha, com certeza nenhum ser humano normal teria convidado um garoto largado, machucado e fedendo a lixo, para tomar um café. Eu realmente não conseguia acreditar que aquele garoto estava tentando me ajudar, só consegui me perguntar do por que tanta bondade:

-Então, vai ficar ai ou vem comigo comer?- ele disse virando para o lado mostrando que pretendia ir embora.- Olha que não sou de esperar muito tempo.

-E-eu v-vou...- falei gaguejando e limpando as lágrima que havia em meu rosto, em seguida me apoiei no chão e me levantei rápido e cambaleando.

                    Assim que fiquei de pé limpei a sujeira da minha blusa e o olhei de forma apressada, ele apenas riu do meu jeito desengonçado de me limpar e do modo tonto que me levantei, logo depois disso começamos a andar juntos para fora do beco indo direto em direção a porta da cafeteria que ficava ao lado:

-A propósito sou Kim Taehyung.- o garoto de cicatrizes me disse enquanto colocava sua mão na barra da porta da cafeteria a abrindo em seguida.-Prazer!

-Eu sou  Jeon Jungkook...- falo sorrindo fraco pela primeira vez depois de muito tempo sem sorrir.- Muito prazer...

                             Então ele sorri feliz fazendo que nós dois entrassemos naquele lugar de cheiro maravilhoso...

DEPOIS DE UM TEMPO NA MESA DA CAFETERIA

                 O local não estava muito cheio então dava para ter calma para analisar o que pediriamos para comer, então apenas ficamos um tempo em silêncio olhando o cardápio analisando o que pegar, eram tantas coisas que eu mal conseguia me decidir, tudo parecia ser tão bom, mas eu  estava meio na dúvida e com medo de pegar algo caro, estou sem dinheiro  como disse antes e pelo que aparenta o garoto...Quer dizer o Taehyung, ele parecia meio "duro" também. Mordi meu lábio com força, estava já decidido do que queria, era  algo simples e que mataria minha fome com certeza, então depois da minha escolha  coloquei o cardápio na mesa o ajeitando, assim que ergui meu olhar em direção ao de Taehyung me assustei de leve ao notar que seu olhar estava vidrado em mim, o mesmo parecia me analisar enquanto estava com as mãos em cima da mesa juntas uma da outra, seu rosto possuía uma expressão misteriosa que não conseguia descifrar:

-O que foi?- falo meio sem jeito pelo modo que ele me olhava.-Algo de errado?

-O que aconteceu com você?- ele disse simples e calmo sem desviar seus olhos dos meus.- Seu rosto está bem machucado, além disso você está sem tênis...

-Olha quem fala, seu rosto está bem pior.- digo rindo fraco com o olhar baixo, mas logo notei o que disse e logo levantei meu olhar arrependido.- Desculpe não queria falar dessa forma...

-Sem problemas.- ele disse rindo fraco.

-Se me permite perguntar...O que foi que aconteceu com você?- falo apontando para suas feridas.- Parece que foi algo bem grave...

-Isso? Ahh foi só uma briguinha boba, coisa de criança.- ele disse apontando para seus ferimentos no rosto. Agora eu comprovei de fato, ele sofria de delírios, aquilo com certeza não era coisa de uma briguinha simples, era de uma briga entre vida e morte, reconheço bem uma coisa dessas.

                                  E antes que eu falasse algo a ele sobre isso, uma linda garota vestida de garçonete para ao nosso lado com um bloquinho branco na mão e uma caneta azul, ambos estavam ao lado se sua cintura pela forma que ela se posicionava, de uma forma brava certamente, a mesma olhava para Taehyung com um olhar sério e um sorriso sarcástico no rosto como se acha-se graça no comentário, seus cabelos castanhos  e ondulados, estavam presos em um rabo de cavalo dando para ver seu rosto muito bem, e notei nitidamente  que ela tinha uma leve semelhança com o garoto que estava a minha frente, acho que podiam ser parentes:

-Briguinha boba hein Tae? Conta outra!- disse a menina de  voz doce porém meio irritada diretamente ao ser machucado, que no caso não era eu, ela olhava para ele com certa raiva.- Chama costelas quebradas e cicatrizes em todo rosto de briga boba?

-Ahhhh Jisoo já falamos sobre isso em casa!- disse Taehyung cruzando os braços e revirando os olhos, sim eles são parentes.- Não vai dar piti aqui no seu trabalho né? Vai te envergonhar e me envergonhar!

-Não estou dando piti algum e dane-se a vergonha, estou  apenas me preocupando com meu irmão cabeça oca!- ela disse inflando as bochechas de uma forma fofa, sim minha teoria estava certa, eles são irmãos.- Me respeite Kim Taehyung ou eu pioro seu machucados!

-Tá tá, já saquei...Para de drama!- ele disse bufando.

-Drama. se preocupação for drama sou super dramática!- ela disse um pouco mais calma e em seguida cruzou os braços.

-Ainda bem que sabe.- ele disse dando de ombros, logo seus olhos agora vão em direção a  mim, ele sorri meio torto sendo retribuído por mim e então ele continua a falar.- Desculpe Jungkook por essa cena, presenciar isso deve ser um saco.

-Está tudo bem.- falo sorrindo levemente.- Não me incomodo com isso.

-OH me desculpe!- disse a menina que aparentava se chamar Jisoo olhando para mim, ela colocou uma das mãos sobre a boca  e ficou corada, acho que por causa  vergonha da pequena discussão deles que rolava em minha frente.- Não tinha nota o senhor ai, desculpe-me mesmo...

-Por favor me chame de você, senhor me faz parecer velho.- digo fazendo uma careta em seguida.- Além disso está tudo bem, brigas assim é normal.- falo sorrindo para ela sendo retribuído pela mesma.

-Jungkook essa é minha irmã mais nova Kim Jisoo, atrapalhada, extremamente irritante, feia, chata, antipática...- e antes de Tae pudesse terminar com seus nada elogios, sua irmã dá um tapa em sua cabeça com força fazendo o mesmo ir com tudo para frente, nossa até eu senti essa. Em seguida ele coloca a mão no lugar que foi ferido e faz uma careta feia de dar medo, assim ele vira a cabeça e bufa para a irmã com raiva.- Essa doeu  pirralha, me machucou mais ainda!

-Vazo ruim não quebra, e quem mandou me chamar dessas coisas na frente do menino.- ela disse agora revirando os olhos, ri baixo com isso pois essa atitude só a fez parecer mais com o irmão.

-Podia ser mais educada, resolver na violência nunca da certo.- disse eles cruzando os braços como uma criança birrenta, esses dois erma muito engraçados.

- Enfim ignora eles.- ela disse me olhando com seu sorriso.-Eu  sou Jisoo como esse molenga disse antes...Trabalho aqui como garçonete e vou servir vocês hoje.- e por fim ela ergue o bloquinho em suas mãos mostrando que estava pronta para nos atender, muito eficiente ela.

-Maravilha, prepare-se para ter comida queimada.- disse Taehyung fazendo um pequeno drama enquanto me olhava.- Hoje você morre!- nessa hora não me aguentei e dei uma risada meio alta.

-Idiota!- ela disse bufando, mas isso não a fez tirar seu sorriso fofo do rosto.- Então o que vai ser meninos?

-Para mim o de sempre maninha.- ele disse a olhando som um sorriso meigo e com os braços em seu colo.- Sem queimar dessa vez e capricha no molho.

-Por que eu ainda pergunto deus?- ela disse rindo fraco, então ela vira seu rosto para mim.- E o seu pequeno?- disse de forma carinhosa, ela realmente era mais fofa a cada palavra.

-Ahhh eu vou querer um suco e uma torrada.- digo a ela sorrindo fraco.- Apenas isso.

-Certeza anjo?- ela disse meio preocupada.- É pouca coisa.

-Estou bem só com isso, obrigada por se preocupar.- sorri verdadeiro a ela sendo retribuído pela mesma.

-Eu vou pagar o dele mana, não se preocupe.- Taehyung falou depois que Jisoo terminou de escrever meu pedido e o olhou.- Então pod....- mas antes que ele terminasse ela o corta, me lembrou minutos atrás quando foi ele que me interrompeu.

-Deixa tae.- ela disse meiga e suspirando ainda o olhando.- Eu pago a de vocês, sem pressa.

-Não, Jisoo de novo não.- disse o meu novo amigo meio bravo a encarando e negando com a cabeça.- Não vou deixar você fazer isso outra vez, daqui a pouco vai der demitida por isso!

-Tae não fica nessa, já disse que está tudo bem.

-Mas para mim não está, você sabe que não suporto quando faz isso.- ele disse sério olhando nos olhos da irmã, por um momento senti o clima pesar.

-Relaxa irmãozinho,  como disse milhares de vezes, a senhora Li Chang  disse que não tem problema você comer aqui sem pagar... Ela até briga quando eu pago sua parte e a minha. Sei que é chato fazer isso afinal eu me sinto mal também,  mas você sabe muito bem que o seu dinheiro não pagaria nada daqui.- Jisoo dizia séria enquanto olhava triste para seu irmão, o que será que ela queria dizer?

-Eu podia tentar...- ele disse um pouco menos bravo.

-Deixa, apenas me escuta está bem?- ela disse calma enquanto colocava a mão no ombro do irmão. O que será que aquelas palavras queriam dizer?

                                     Depois de alguns segundos de silêncio,  ele desvia o olhar dela e suspira meio irritado e desistente:

-Está bem, você está certa...Vou te escutar- ele disse calmo voltando a olhar.- Peça desculpas a senhora Chang mais uma vez por isso.

-Ela já está acostumada de ouvir isso, e disse que da próxima vez que pedisse desculpas para ela, ia puxar suas orelhas.- nisso Jisoo e Tae riem juntos de uma forma linda e melodiosa

-Deus que me livre, aquela mulher é forte!- o mesmo disse fazendo careta.-Eu ia perder minhas orelhas.

-Seria mais do que justo!

                             Então com isso sua irmã e ele riem uma última vez,  logo ela sai sem dizer mais  nenhuma palavra, os dois pareciam se dar tão bem e serem tão unidos, era legal ver o modo protetor que se olhavam e as brincadeiras infantis que faziam um com o outro, desejava ardentemente poder ter isso, queria muito mesmo  ter tido a oportunidade de ter um irmão para mim, ou um amigo que me trata-se como irmão:

-Eu gostei dela...-falo sorrindo enquanto olhava de longe  Jisoo conversando com uma outra garçonete loira, ambas riam largamente mostrando ambas a beleza natural de seu charme.- Sua irmã parece ser um amor...- e em seguida viro olhando para Tae animado.

-E ela é, Jisoo sempre foi amável com os outros, sorridente e cheia de energia, sempre quer ajudar e dar carinho.- ele disse sorrindo feliz, parecia orgulhoso de sua irmã que tinha, e quem não teria?.- Ela ama trabalhar aqui e eu apoio sua escolha, esse lugar faz bem a ela, assim como as pessoas...São todos de bem.

-Dá para perceber, o sorriso feliz dela entrega e o modo que a outra garçonete fala com ela...Tudo tão perfeito....- falo colocando minhas mãos em cima de mesa pela primeira vez enquanto conversavamos.

-Verdade...Mas enfim...- ele disse erguendo seu corpo um pouco para frente enquanto se ajeitava na cadeira.- Você não disse o  que fazia lá no beco dormindo e ferido, p que foi que houve? Com certeza foi algo grave que aconteceu, afinal um garoto com seu tipo de roupa e sua aparência não parece um simples mendigo de rua...

-Você está certo, na verdade,  isso é algo complicado de explicar...-falo olhando para minhas mãos entrelaçadas em cima da mesa.- Eu fui assaltado no meio da noite enquanto andava perdido pelas ruas, eles levaram tudo o que eu tinha de valor, me deram uma surra tremenda, o que me custou feridas no rosto e na barriga...Doeu muito, achei que ia morrer ali.

-Sei como é...- ele disse sorrindo torto enquanto por um momento abaixou o olhar.- Continue...- ele disse rápido voltando a se concentrar em minhas palavras.

-Bem, depois disso em fui até o beco meio que rastejando em pé, estava cambaleando muito e cheio de dor no corpo, nem me preocupei se o lugar era sujo ou fedia demais, eu apenas queria dormir em paz e relaxar....- tossi de leve em seguida disso.- Foi isso que aconteceu.- termino de dizer essas palavras olhando em seus olhos com receio.  

-Por que não voltou para  sua casa? Digo...Você tem para onde ir, né?- ele disse curioso e com cuidado, senti que de alguma forma ele queria me ouvir dizer a verdade, porém eu não queris preocupa-lo.

-Na verdade, isso é outro assunto...- falo olhando para o lado diretamente para a parede.- Um mais complicado e delicado.

-Entendo...- ele disse baixo.

   DEPOIS DE COMER

                 Eu comia tudo feito um esfomeado, Jisoo não trouxe só torradas, ela me trouxe uma torta também, disse que era por conta da casa, eu nem reclamei pois quado vi a comida só mandei para dentro. E enquanto  eu engolia tudo, Tae apenas ria de mim comendo seu pequeno  pão de queijo, mas não ligava se parecia um louco, a questão era que a fome me dominava e apenas isso me importava no momento. Assim que eu terminei meu café  agora mais calmo, limpei minha boca com o guarda napo e encarei Tae com um sorriso feliz, o mesmo me retribui alegre, ele tinha me ajudado muito no dia de hoje, deu atenção a mim , se preocupou comigo e me alimentou , isso me fez pensar e ter certeza de que aquele menino todo ferrado era alguém doce e gentil, com certeza era alguém que valia ouro:

-Obrigada Tae!- falo ainda sorrindo e cheio de emoção na voz.- Obrigada pela comida, pela companhia...Por tudo!

-Disponha Kook.- ele disse rindo fraco da minha reação, acho que isso o divertia.- Sempre ao seu dispor.

                                Assim virei meus olhos para a parede notando que no relógio da  mesma apontava que já era muito tarde, eu precisava ir, já estava na hora de me encontrar com meu  velho amigo, voltei minha cabeça olhando para Tae:

-Eu acho melhor eu ir, já está no meu horário.- falo meio tristonho e com a voz deprimida, queria tanto poder passar mais tempo ao lado dele, me divertindo mais.- Tenho  umas coisas  importantes a fazer, além disso tenho que ir visitar um amigo que está me esperando...

-Ahh entendo.- percebi que seu olhar ficou baixo e seu sorriso havia sumido, a feição triste tomou o rosto de Tae, meu coração se apertou ao ve-lo daquela forma.- Tudo bem, não se preocupe...

                                      E em um ato impensado deixei as palavras se proferirem de minha boca em eu permitir:

-Podemos nos ver amanhã? Aqui mesmo?- disse sem pensar direito ou analizar o que falei, o que eu estava fazendo? Isso era errado!

-Como?- ele disse levantando seu olhar e me encarando assustado, parecia não acreditar no que disse.

-Podemos vir aqui nos encontrar se você topar, conversar mais sabe.- falei meio sem jeito, eu já havia dito então fugir não é mais opção.- É que eu gostei  de passar o tempo com você, não queria perder contado, além disso estou sem celular sabe... - ri fraco ao lembrar que fui roubado. 

-Eu vou adorar.- ele disse agora deixando seu sorriso voltar, senti um alivio enorme preencher meu peito, ve-lo sorri me deixava bem melhor.

-Então tá.- falo deixando um sorriso sair de meu rosto.- Nos vemos amanhã aqui mesmo?

-Mesma hora e mesma mesa.- ele disse brincando me arrancando mais um sorriso naquele dia.

                          Assim eu me levantei da mesa e me curvei para ele:

-Mais uma vez obrigada!- eme seguida me levanto sorrindo para ele.- Até amanhã Tae!

-Até amanhã Kook!- ele disse animado da mesma forma que eu.

                                 E  assim que sai da cafeteria senti minha vida ficar florida de uma hora para a outra, foi assim desse jeito, que eu pude encontrar o  meu raio de esperança, a pessoa que me faria feliz por essa longa estrada...

Jisoo

-Ele parece ser um bom garoto Tae, foi bem gentil.- falo ao lado de meu irmão enquanto olhavamos a porta de vidro, olhei de leve para o lado e notei que meu irmão sorria feliz,  sorri também ao  ve-lo daquela maneira, percebi que aquele garoto de agora pouco havia dado uma animação ao meu irmão,  felicidade, o que ele a muito tempo não tinha.

-E ele é.- o mesmo disse sorrindo bobo ainda  olhando para a entrada pelo qual Jungkook havia ido embora.- Parece ser bom rapaz mesmo, é quieto mas divertido de certa forma.

-Espero ve-lo aqui mais vezes por aqui.- falo colocando as mãos na cintura olhando para meu maninho.- Apoio a amizade de vocês.

-Eu também apoio, talvez  você vá ve-lo de novo.- ele disse se levantando da cadeira e virando para mim  ainda animado.- Talvez não, sabe-se lá o que pode acontecer...Mistérios!

-Você é tão pessimista as vezes, e péssimo em fazer suspense.- falo rindo dele e de seu modo bobo de falar.- Você sabe bem que ele vai voltar, para de graça.

-Eu sei, só queria fazer meu  suspense  costumeiro para você.- ele disse rindo fraco e em seguida aperta minha bochecha.-Já vou indo então mana...

-Chato, odeio quando aperta minha bochecha.- falo fazendo bico enquanto ele ria.

-Mas eu adoro.- ele disse brincando.- Vida cruel não?

-Muito.- sem querer acabo rindo disso.-Mas então,  você vai vir me busca hoje?- pergunto curiosa e torcendo para que fosse uma resposta positiva.

-Claro.- ele disse sorrindo e me fazendo ficar aliviada e feliz.- Só vou ir ver uns amigos agora mais tarde eu volto  quando você acabar, e depois vamos ao parque juntos.

-Aquele de quando eramos crianças? O parque verde?- falo sorrindo largamente e animada como uma criança, com certeza com meus olhos  estavam brilhando intensamente.

-Esse mesmo.- ele disse vindo até mim e beijando minha testa como sempre costuma fazer. Depois desse pequeno ato carinhoso ele acaba se virando de costas e começa a caminhar calmante em direção a porta de saída.- Nós vemos depois anã de jardim!- ele grita da entrada da sua forma divertida de sempre.

-Até seu Alien.- falo rindo dele e de sua bizarrice.

                             Por mais que ele cometesse seus erros, me preocupasse sempre e me matasse de susto sempre que voltava, eu o amava demais para abandona-lo, minha vida sem o Tae não seria nada, ele que fazia tudo nela ter sentido,  sem ele nada seria legal,  não teria alegria ou animação, eu  protegeria sempre meu irmão com unhas e dentes, não importa o quão frágil eu parecesse e mesmo que ele não quisesse, eu estaria lá para salva-lo, se ele podia eu também faria isso por ele:

-É uma promessa..- sussurro para mim mesma.

                              Em seguida fui até a bancada e coloquei a bandeja suja de minhas mãos em cima da mesma com cuidado, eu continuava sorrindo, sorria por ser meu jeito e  por ver, ter a certeza de que meu irmão maluco ainda estava intacto por dentro:

-Jisoo.- disse minha colega e amiga de trabalho, ela  me chamava do outro lado da bancada me olhando carinhosa.-Tudo bem?

-Estou sim.- falo calma e doce.

-Preciso de um favor seu.- ela disse fazendo uma meia careta enquanto pegava a bandeja suja que eu havia deixado.

-Pode falar Lisa.- digo a olhando tranquilamente.- O que desejas?

-A chefe pediu para você tirar o lixo, então eu precisava que você fizesse isso.- minha amiga disse animada apontando para a saída dos fundos.- Seu dia, então...

-Relaxa eu sei.- falo rindo.- A senhora Chang adora me atormentar com essas tarefas.

-Você é como uma filha para ela.- Lisa disse sorrindo.- Não ligaria de ser atormentada dessa forma carinhosa, se apanha-se dela eu ia gostar também.

-Tá legal.- falo achando graça naquilo, Lisa sempre foi de falar coisas malucas ainda mais em relação a nossa chefe.- Eu vou lá e volto rápido, pode me cobrir?

-Sim, capitã!- ela disse ficando reta e fazendo pose de sargento.

                                  Ri dela uma última vez antes de ir fazer meu dever matinal, Lisa era minha melhor amiga desde que fui contrada aqui a 5 anos, ela  sempre se preocupava comigo, perguntava se eu me alimentava, tudo mesmo ela perguntava, a mesma  me fazia rir quando estava mal e querendo sumir do mundo, ela era felicidade em pessoa para todas as horas, não sei  mesmo o que seria de mim se não fosse ela me animando no único lugar o qual eu me sentia bem... 

      NA HORA DE TIRAR O LIXO

                        Assim que abri a enorme caçamba lancei os sacos pretos os jogando dentro dela com muita dificuldade pois os mesmo eram mais pesados que eu, coma mesma dificuldade que tive que os jogar eu  fechei a caçamba que  faz  um pequeno barulho quando se chocou com a parte de baixo, mas não foi nada muito grava. Arrumei minha roupa que estava meio amassada e suja deixando a bem vista,  na hora que fui me virar para entrar, uma bola de football me acerta em cheio na cabeça. Gemi de dor com o choque, na  mesma hora  acabei erguendo meu braço ao local  que me feri, aquela tinha sido uma bolada entanto:

-DROGA OLHA O QUE VOCÊ FEZ  TAEMIN!- disse uma voz  fina e masculina ali no beco.

                                 Assim que a dor foi passando aos poucos olhei para o lado e dei de cara  com 5 garotos que  juntos com garrafas de bebida na mão meio longe de minha pessoa, eles me olhavam sem graça enquanto dois deles discutiam enquanto apontavam para mim com pressa, eu não queria discutir e pouco me importava quem havia me acertado com a bola, só queria voltar ao trabalho. Então apenas bufei e me virei, mas antes que eu pudesse dar um passo para me mover ouvi alguém dizer:

-Ei espera!- era uma voz masculina bem grossa.

                           Me virei  outra vez e dei de cara com os dois garotos que discutiam a minha frente com olhares sem graça, olhei  de leve os dois de cima a baixo  analizando suas vestes, acabei vendo que ambos possuíam roupas limpas e de certa forma estilosas aquilo indicava que não eram da rua mas sim de uma família até que com bastante grana ao julgar por suas vestes. Eu não podia negar que eles eram lindos de mais, porém minha cabeça mal conseguia raciocinar direito para ver o quanto eles eram realmente gatos, acho que a dor foi mais forte que eu pensei:

-Desculpe menina...- disse o garoto maior e de voz grossa, ele possuía cabelos levemente loiros e olhos pretos arredondados, ele vestia um casaco de couro marrom enorme que ia até os pés, de certa forma o achei bem charmoso.- O meu amigo não controlou a força do chute.

-Não se preocupe, está tudo bem.- falo sorrindo fraco para ele, queria sair logo dali, aqueles meninos me cheiravam a encrenca, pareciam as pessoas que meu irmão se envolvia e isso era um péssimo sinal.- Eu estou bem de verdade, não precisa se desculpar.

-Mesmo assim, não podemos deixar que uma dama se machuque sem ao menos receber desculpa descentes de nossa parte.- dizia o garoto, percebi que o mesmo tinha olhos diferentes e profundos, parecia de outro País...Coreano não era, quer dizer...Eu acho, enfim depois de suas palavras ele olha para seu amigo ao lado.- Taemin peça desculpas a ela.

                                Assim que me foquei no garoto ao lado do maior notei que o mesmo não parava de me encarar fixamente, corei um pouco ao perceber isso, não era acostumada a receber olhares de garotos dessa forma, ainda mais de um garoto tão lindo como aquele, seu olhar me causou arrepios, mas nãos ruins, foram bons. O menino tinha um rosto escultural, delicado, seus lábios eram rosas e bem carnudos, e mesmo sendo magro dava para notar que seu porte físico era perfeito e definido, seu cabelos eram negros e curtos, seus olhos...Seus olhos eram do mais lindo castanho que eu já vi na vida:

-TAEMIN!- disse o garoto maior chamando a atenção dele e minha ao mesmo tempo, nem mesmo eu havia notado que ficamos nos encarando por longos minutos, corei só de pensar nele notando minha admiração sobre seu rosto.

-Desculpe Minho Hyung, estou meio avoado.- disse o tal de Taemin olhando para seu Hyung meio sem jeito, parecia com vergonha.

-Percebi, do jeito que jogou a bola já me comprovou esse fato.- disse o tal Minho enquanto sorria para o amigo, em seguia ele me olha.- Agora você deve desculpas a essa linda menina.

                             Corei  mais ainda assim que ele me chamou de linda, hoje o dia está mais e mais estranho:

-Ahhh claro!-  Taemin disse me olhando e em seguida se curvando a minha frente com rapidez.- Desculpe senhorita pela bolada...

-Está tudo bem.- falo sorrindo docemente.- Eu já disse que estava tudo certo, acidentes acontecem...

-Arr...Bem...Mesmo assim...- o menino jovem disse assim que se ergueu e voltou a me olhar, percebi que ele havia ficado sem graça e um pouco vermelho.- Não medi minha força no chute, de verdade...Sério....- ele dizia bem desconcertado sem saber o que fazer.

-Acontece.- falo rindo do modo embaraçado que ele falava, ele com certeza era muito fofo.- Só tome mais cuidado por aqui, é bem movimentado esse beco.

-Pode deixar.- ele disse sorrindo de canto.

                                     E  foi nesse dia que tudo mudou, que nossas linhas se cruzaram em um destino inevitável, o sorriso daquele jovem, os olhos castanhos, e som da sua voz, tudo isso passou a ser necessário em minha vida sem que eu pudesse me livrar...Mas a pergunta agora é...Quando foi que tudo desmoronou? Quando foi que tudo sumiu?

Eu posso ser seu herói, todos os vilões voltam
Vou prender todos os bandidos
E colocá-los em um caminhão
Todos parecem animais
Vou jogá-los no zoológico
Eles são só conversa
Cuspindo besteiras sem sentido para tê-la

~Hero- (Monsta x)

 


Notas Finais


Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...