História Still fall in love. - Capítulo 14


Escrita por: ~ e ~lusg

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Jimin, Jonghyun Kim, Kai, Kim Hyung-jun, Kris Wu, Lay, Lu Han, Minho Choi, Personagens Originais, Sehun, Taemin Lee, Tao
Tags Abo, Chanbaek, Kaisoo, Mpreg, Taoris
Exibições 268
Palavras 1.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então, eu ainda to com o problema no pc, e o capítulo estava pela metade, então eu resolvi postar. Não é o especial que eu prometi a vocês. Pra ser sincera, eu escrevi o cap. sobre Taoris, but eu não fiquei contente, não tinha o que eu queria que tivesse, por essa razão eu estou pensando em fazer uma história separada só contando a história dos dois, queria a opinião de vocês.
Eu estou terminando a outra parte, porém está no meu celular, assim que eu terminar eu posto.

Capítulo 14 - Smile.


MINHO’S POV

Era definitivo: essa semana foi a pior que eu já passei no hospital, eu estava exausto e quando eu digo exausto é realmente podre.

Aparentemente minha dor de cabeça só aumentou quando eu soube que KyungSoo havia passado o cio com JongIn. É claro que eles acabariam falando do passado e é claro que haveria muitas coisas que eu deveria explicar a ele, ás vezes eu me acho um monstro por ter feito o que eu fiz, mas bem... Eu era imaturo e jurei estar fazendo certo por todos, inclusive por meu pai e bem, não adiantara muita coisa, já que o mesmo faleceu uns dias depois daquilo.

Eu estava caminhando pelo corredor, faltava apenas 10 minutos para o meu plantão acabar e graças a Deus eu iria para a casa, quando eu vejo uma cabeleira preta sentada nos bancos brincando com seus dedos. Seus olhos me localizaram e o sorriso que ele abriu, era maravilhoso, era o sorriso dele.

– Dr. Minnie – ele saiu correndo em minha direção e eu me abaixei para ficar na mesma altura do pequeno ômega.

– Olá pequeno Jae, – eu sorri e ele aumentou o sorriso – o que está fazendo aqui? É novo demais pra ficar sozinho – falei e ele negou com a cabeça

– O Jae já é grande, olha – ele ficou nas pontas dos pés pra ficar maior que eu e eu ri – O Jae tá esperando o omma dele – ele disse eu travei.

– S-seu o-omma está aqui? – me praguejei mentalmente por ter gaguejado.

Eu não estava esperando ver Taemin agora, eu detestaria estar na frente dele do jeito que eu estou. Não posso ser hipócrita e dizer que eu não o amo mais, eu o amei a minha vida inteira, desde a época do colegial, não seria agora que eu deixaria de amá-lo, porém eu não conseguia simplesmente olhar pra ele sem fraquejar, sem querer puxá-lo pra mim, sem querer cravar os malditos dentes nele e o tornar meu.

– Sim, ele veio fazer um exame é... ultra alguma coisa – ele pareceu pensativo, levou um dedo nos seus lábios e fez um bico frustrado. – aish! O Jae não sabe, mas o Jae sabe que é aquele negócio que vê bebê.

– Ultrassom? – eu perguntei receoso e ele assentiu freneticamente.

– Isso, hyung.

– Ele está bem? Ele tem se sentido enjoado – ele me olhou com dúvida e eu decidi deixar pra lá

– Hyung – ele me chamou manhoso e algo me dizia que ele queria alguma coisa.

– Diga, pequeno – eu sorri.

– O hyung pode comprar suco pro Jae? – me olhou pidão e eu suspirei, não sabia como negar algo a ele, assenti e o mesmo abriu o mesmo sorriso iluminado e pulou em meu pescoço, me abraçando.

– Jaemin! – eu ouvi uma voz falar e estremeci, era ele. – O que eu falei sobre sair pulando nas pessoas?

Jaemin me soltou e eu respirei fundo quando aquele odor de rosas invadirem meu olfato, eu congelei. Não tinha coragem de me virar para olhá-lo, mas também a vontade de olhar pra ele e ver como ele havia ficado depois de tantos anos me consumiam incessantemente. Sai de meus devaneios com a voz de Jaemin perto de mim

– Desculpa omma! – ele pediu fazendo um bico e eu ouvi a risada de Taemin – O Dr. Minnie cuidou do Jae quando o Jae teve dodói. – o pequeno sorriu e eu queria sair dali imediatamente

– Ah é? – Jae afirmou com o sorriso nos lábios – E a quem eu devo agradecer? – ele perguntou tocando meu ombro e eu estremeci, meu lobo se agitou na hora em que reconheceu seu toque.

– É... Bem – eu disse a senti sua mão sair dali rapidamente – Olá Taemin! –  disse me levantando e me virando pra encará-lo. – Tudo bem?

– M-MinHo? Você é o doutor Minnie? – ele disse quase baixo.

Ao encará-lo eu pude perceber que a idade não lhe atingira tanto quanto aparentava, apenas lhe deu traços mais maduros e delicados. Seus cabelos, agora em tom castanho estavam mais compridos e seus lábios, ah, eles continuavam levemente rosados  e convidativos. Afastei meus pensamentos e sorri amigavelmente para o ômega que claramente havia sido afetado com a minha presença, afinal não é todo o dia que você encontra seu ex-namorado babaca.

– Sim omma! Ele é o melhor, o hyung fez o dodói do Jae passar rapidinho – o ômega menor sorriu e for para o lado do mais alto.

Os dois eram a cópia perfeita um do outro, exceto pelos olhos e pelo nariz, mas de resto era igualzinho.  Eu sorri, por um momento eu pensei que aquela poderia ser a minha família, a nossa. Suspirei decepcionado comigo mesmo por te feito tanta gente sofrer por causa de um ser egoísta.

– Obrigado por cuidar do meu filho, MinHo. – ele sorriu minimamente para mim e eu sorri sem mostrar os dentes.

– Não há de que, – virei meu olhar para o pequeno ômega a minha frente e eu baguncei seus cabelos – está tomando o remédio direitinho não é?

– Sim! O Jae é um menino bonzinho – ele disse orgulhoso e de certa forma isso lembrava a mim, o baixinho se virou para seu omma e sorriu – não é omma?

– É sim, meu bebê – ele sorriu tão lindamente, do mesmo jeito que sorria para mim e isso só fazia com que eu desejasse ainda mais que o mesmo voltasse para os meus braços – Lembra o que o omma falou?

– Sim! Eu sou um ômega e ômegas devem ser gentis e comportados – ele disse convicto e eu soltei uma risada, Jaemin era tão fofo.

– Bem, se me dão licença, eu preciso ir. Meu plantão acabou – chamei a atenção dos dois e um bico se formou nos lábios de Jaemin

– Mas hyung, você disse que ia comprar suco pro Jae – ele disse choramingando e Taemin lhe repreendeu com o olhar.

– Certo, eu preciso ir, Jae. Eu estou exausto e ainda tenho assuntos pendentes para resolver em casa... – ele ameaçou chorar e eu suspirei – Ok, vai até o balcão e peça o suco que quiser, diga que é por conta do  MinHo – eu disse ele sorriu vitorioso.

                Assim que o pequeno se afastou, ficou apenas eu e Taemin e o clima não era dos melhores. Só foi então que eu reparei que ele carregava um ultrassom nas mãos. A única coisa que se passou pela minha cabeça foi que ele estava grávido, não sabia se era direito meu ou não perguntar, mas eu precisava saber.

                – Está tudo bem? – perguntei e o ômega me olhou confuso – Digo, essa ultrassonografia, você está grávido? – eu não consegui me conter e o mesmo soltou uma risada abafada.

            – Eu não estou grávido, Minho, é apenas exame de rotina. – ele sorriu, mas logo seu sorriso desapareceu – E você, como está?

            – Eu estou bem, apesar da rotina ser um pouco puxada, eu ainda amo o que eu faço.

            – Você realizou seu sonho, não é? – ele disse eu senti uma pontada de  tristeza em sua voz, mas logo ele se conteve – Digo, deve estar casado e aposto que possui uma família linda, além de ser médico aqui.

            – Eu não estou casado, Taemin. Aliás, vo- – fui interrompido por um Jae saltitante com seu suco de morango.

            – Vamos omma? Daqui a pouco o Jae tem escola.

            – Vamos sim, príncipe. Mas antes, agradeça ao doutor pelo suco – ele disse passando a mão em seus cabelos sem tirar os olhos de mim.

            – Obrigada hyung! – eu me virei para o mesmo e baguncei seus cabelos, logo em seguida dei um beijo em sua testa e o mesmo sorriu mais ainda.

            – Se cuide, viu pequeno? – vi o mesmo assentir e eu sorri. – Até outro dia, Taemin.

            – Quem sabe... – ele saiu e antes de passar pela porta, me lançou um sorriso maravilhoso.

            Merda! O sorriso de Kim Taemin conseguia foder completamente meu psicológico.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...