História Still Falling For You - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Bickslow, Cana Alberona, Dan Straight, Erza Scarlet, Flare Corona, Gajeel Redfox, Grandeeney, Gray Fullbuster, Igneel, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Mavis Vermilion, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Fairy Tail, Gale, Gruvia, Jerza, Nalu
Visualizações 79
Palavras 1.708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Como prometido, apesar de estar atraso rs, capítulo duplo hoje, certo?
Nossa turminha vai se juntar novamente e nossos casais vão se ver um pouco. Erza e Mira são as melhores.
Hm... não tenho muito o que falar então boa leitura rs

Capítulo 11 - Capítulo Onze


Lucy

Uma semana depois

Estávamos nos dirigindo ao Restaurante Hargeon, como em todos os dias que viemos trabalhar na primeira semana. A garçonete que havia nos atendido na primeira vez que viemos aqui se apresentou após muita conversa. Mirajane se tornou uma boa amiga em pouquíssimo tempo. Todos os dias, antes de ir ao trabalho e quando saímos, durante o almoço também, passamos no Restaurante e sempre conversamos com a nossa mais nova amiga.

Descobrimos, depois de poucos dias, que Mirajane já foi modelo, porém abandonou a carreira ao ser muito assediada. Jason nos informou que ela foi capa de várias edições e sempre foi muito elogiada por sua beleza e talento.

- Ohayo, meninas. Como vocês estão? – Ela se aproximou de onde estávamos sentadas, próximo ao balcão.

Sorrimos já imaginando que ela estava esperando as fofocas recentes. Levy olhava para o cardápio atentamente.

- Precisamos nos mudar, Mira. Leva muito tempo para que a gente chegue em Hargeon. – Precisávamos de um apartamento o quanto antes.

Mira se distanciou e retornou com um jornal. A página aberta mostrava a parte dos classificados, o endereço e número de vários locais que estavam disponíveis para aluguel. Ela apontou para um imóvel específico e eu rapidamente puxei Levy para que ela visse também.

“Apartamento disponível para aluguel. Dois quartos, sala, cozinha e banheiro. Quarenta mil gemas.”

- Nani? Lu-chan, precisamos ver este apartamento o quanto antes. – Levy mandou uma mensagem para a Mavis avisando que nos atrasaríamos e informou que havíamos encontrado um local interessante.

Mira nos deu um rápido abraço antes de sairmos do restaurante. No caminho, Erza nos ligou.

“Bakas. Como podem não ligar por uma semana?” Erza gritou do outro lado da linha.

Levy riu ao ouvir, mesmo estando distante. Como o apartamento estava próximo ao nosso local de trabalho, fomos andando até lá.

“Erza, não foi de propósito. Você sabe muito bem que estamos na primeira semana de trabalho e não temos tempo para pensar em outra senão o trabalho.”

Erza bufou profundamente.

“Não importa. Vocês estão erradas. Só me mandaram uma única mensagem informando que foram aceitas no emprego.”

Havíamos alcançado o nosso destino e já estávamos de frente ao apartamento.

“Erza, nós precisamos desligar. Podemos ligar ao final do dia?”

Devem ligar! Estarei aguardando.”

Desligamos a ligação e em seguida, batemos na porta. Fomos recebidas pela inquilina.

 

Erza

Desliguei a ligação e caminhei em direção a sala. Todos estavam novamente reunidos em meu apartamento. Jellal estava jogando videogame com os meninos. Natsu parecia bem alegre e descontraído.

Eu não tive oportunidade de conversar com ele sobre a Lucy, mas Jellal me disse que, certas vezes, ele comenta que está contando com o destino. Natsu espera encontrar com a Lucy com uma situação inusitada, como se fosse o acaso.

“Talvez eu possa agir como o acaso e dar uma forcinha ao destino.”

Senti dois braços agarrando minha cintura e desviando minha atenção. Meu noivo estava me abraçando e parecia confuso.

- O que você está aprontando desta vez, Titânia? – Ele estava com suas sobrancelhas franzidas.

Ele afastou um pouco o meu corpo de seus braços e trocou olhares entre eu e Natsu. Agora, ele esboçava uma expressão desconfiada, quase como se ele já imaginasse o que eu estava prestes a fazer.

- Vou adiantar nosso jantar de ensaio para o casamento. – Sorri abertamente e fui em direção ao nosso notebook que estava em nosso quarto.

Segui pelo corredor, entrei em nosso quarto e abri o notebook. Abri minha caixa de mensagens, depois mandei um convite para todos os meus amigos, os quais seriam convidados para o jantar de ensaio. Família, eu não tinha ninguém, pois meus pais morreram quando eu ainda era pequena, portanto, sou uma menina órfã e minha família é, basicamente, Jellal e meus amigos.

Liguei para o espaço reservado onde realizaria a festa e reagendei o buffet. Jellal apareceu no quarto e me mostrou seu celular com o email que eu havia mandado.

- Você tem certeza? – Ele parecia não entender perfeitamente minhas intenções.

- Absoluta certeza. – Sorri satisfeita imaginando o que estava por vr.

- Eu não faço idéia do que você está aprontando, mas estou torcendo para que dê certo. – Ele saiu do quarto rindo.

Ouvi meu celular apitando na cabeceira ao lado da minha cama. O toque indicava a chegada de mensagem. Provavelmente, os convidados informando se vão ou não. Apesar de ter mudado tudo tão rápido, já tinha tudo planejado. Roupa que usaria, local que ocorreria, buffet e a escolha das comidas. Seria um jantar apenas com a organização das mesas conforme a disposição dos convidados. Mesmo o meu discurso já estava pronto, quanto ao discurso do Jellal não posso dizer o mesmo.

Peguei meu celular e atendi a ligação que estava, agora, recebendo sem nem checar o identificador de chamadas.

“Moshi, moshi?”

“Nee, Erza? Acabamos de receber seu email do jantar de ensaio e com certeza iremos, mas eu gostaria de pedir sua ajuda.”

Lucy falou com sua voz manhosa. Ela sempre age assim quando quer alguma coisa e na maioria das vezes, requer muito esforço.

- Erza, o Natsu está atacando a geladeira novamente. – Jellal gritou ao passar pelo corredor.

“Lucy, os meninos estão fazendo bagunça aqui. Poderia desembuchar logo?”

Fiquei impaciente ao imaginar a bagunça que Natsu estaria fazendo enquanto estou presa na ligação com a Lucy.

“Eu e Levy vamos nos mudar para Hargeon. Encontramos um apartamento excelente, próximo ao nosso local de trabalho. Será que você poderia nos ajudar na mudança? Se os meninos estiverem por aí, seria ótimo receber a ajuda deles também.”

“Incluindo Natsu?”

Ri maliciosamente. Talvez pudesse aproximá-los antes mesmo do jantar de ensaio.

“Erza, não estou pensando com segundas intenções. Precisamos mover toda nossa mobília. Nosso chefe já nos deu o dia de folga, porém devemos entregar um artigo até o final de semana que vem.”

Lucy suspirou profundamente e eu pude ouvir Levy gritando alguma coisa com ela.

“Ok, onde encontramos com vocês e quando?”          

“Hoje, em nosso apartamento? Chegaremos em Magnólia por volta de... Hm. Levy-chan, que horas a gente chega lá?”

Caminhei em direção a sala já me preparando para arrastá-los comigo. Não havia desculpas. Natsu está de férias, Gajeel está desempregado, Gray e Jellal estão de folga. Também estou de folga, porém a minha era certa, já que o Museu não abriria nesta segunda-feira.

Parando para me esclarecer um pouco, evoluímos muito desde a adolescência. Natsu trabalha com seu pai, Igneel, como estagiário de Administração. Apesar de Natsu estar formado, seu pai não o deu um cargo com maior responsabilidade, deixando tudo sob a responsabilidade de seu irmão mais velho, Zeref Dragneel.

Gray faz estágio numa empresa de produtos químicos, vinculada a faculdade. Como ele está em seu último ano, os professores convidaram alguns alunos para prestar estágios específicos e então, alguns seriam selecionados e contratados efetivamente.

Gajeel trabalhava como segurança no mesmo museu que eu trabalho. Ele trabalhava até ser demitido por ter discutido com uma criança sobre a existência de dragões. Sim, foi um tanto cômico. Não sabíamos como controlar a confusão que se fez presente. Parecia uma discussão de duas crianças, porém uma delas tem mais de vinte anos.

Eu, como já disse, Curadora de Museu e cuido da concepção, montagem e supervisão da Seção de Armas e Armaduras Medievais. Surpreendentemente, o Ministério da Cultura e Educação solicitou uma reforma do Museu Nacional de Magnólia. Essa reforma está prevista para ocorrer dentro do período de um mês, porém sabemos bem que pode levar mais tempo do que o esperado.

Foi durante a faculdade de História da Arte que conheci Jellal e após trabalharmos no mesmo local, nos aproximamos demais e hoje estamos noivos.

Estava com meu celular ainda ligado a minha orelha, por isso tomei um susto ao ouvir o toque de notificação de mensagem recebida. Olhei para o display do meu celular e reparei que a ligação havia caído ao receber uma mensagem da Lucy.

“Levy me disse que chegaremos em Magnólia ao meio dia. Encontrem com a gente em nosso apartamento. Se possível, pede para alguém arranjar um carro.”

Entrei na sala e fiquei na frente da televisão enquanto o jogo deles ainda estava rodando. Todos começaram a reclamar até que agi como sempre faço quando quero controlar seus ânimos.

- Todos se levantem. Preciso da ajuda de vocês e de um carro. Natsu, você vai pegar seu carro na casa dos seus pais. – Não dei tempo para que eles falassem nada.

Fui na direção do meu quarto e peguei minha bolsa com meus documentos de identificação, os documentos do Jellal também, dinheiro e celular. Coloquei tudo dentro da bolsa e me vesti rapidamente com uma jardineira jeans, extremamente confortável e adequada para arrumar bagunças. Abri a parte do guarda-roupa do Jellal e peguei três bermudas confortáveis, três camisas para emprestar para os meninos.

Jellal já estava vestido com uma roupa confortável e adequada para mudanças, porém eles não imaginam para onde vamos. Entramos num táxi e fomos em direção a casa da família Dragneel. Após ele conseguir pegar seu carro e sair de casa, sua expressão irritada indicava que não foi fácil lidar com todos eles. A maior surpresa foi notar sua irmã mais nova entrando no carro como se fôssemos passear.

- Erza, não sei para onde vamos, mas Wendy se negou a me soltar. – Ele deu partida.

- Sem problemas, Natsu. Mais uma pessoa para ajudar será ótimo. – Jellal me encarou confuso e desconfiado.

Olhando para dentro do carro. Gajeel se sentou no banco do passageiro ao lado do Natsu enquanto o mesmo dirigia. Gray se sentou próximo a janela, atrás do Natsu, Jellal se sentou no meio e eu me sentei ao seu lado com Wendy em meu colo.

Entreguei o endereço para ele e alcançamos o apartamento da Lucy quando ela estava chegando com a Levy em um carro de mudança. Um homem alto e forte demais desceu do caminhão em seguida e as seguiu em direção a entrada do apartamento.

- BUZINA, NATSU. – Gritei. Saí do carro quando o Natsu estacionou.

Lucy e Levy nos encararam e logo vieram na nossa direção. Olhei rapidamente para Gajeel e Natsu, ambos estavam confusos, porém felizes por verem as meninas.

“Parece que me dei bem com o destino.”


Notas Finais


Agora voltarei a escrever mais capítulos e falo com vocês na quarta.
Até mais galerinha : )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...