História Still Loving You - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Bangtan Boys, Bts, Jikook, Kookmin, Namjin, Sugahope, Yaoi, Yoonseok
Exibições 1.005
Palavras 3.730
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá \o/
Mais uma vez, me perdoem pelo horário ;-; Eu juro que tento ao máximo postar mais cedo.
~Well~ A única coisa que eu tenho a dizer sobre esse capítulo é:
JOGUEI A BOMBA E SAÍ CORRENDO, FLW, VLWS

Boa leitura!

Capítulo 9 - Fool For Your Loving


Fanfic / Fanfiction Still Loving You - Capítulo 9 - Fool For Your Loving

Estou cansado de esconder meus sentimentos

Você me deixou sozinho por muito tempo

Eu dei meu coração, e você o rasgou em pedaços

Oh, baby, você me fez mal

Whitesnake — Fool For Your Loving

Jimin arregalou os olhos por um instante.

Não pode ser.

Isso é impossível.

Não fez questão de esconder seu estado de choque. Se aquilo era o conceito de Jungkook de "amor", o alaranjado definitivamente não queria saber qual era o de ódio.

— Você está brincando, certo?  — Jimin tentou sorrir e evitar gaguejar ao máximo. Então, Dak-Ho olhou-o como se tivesse dito a maior asneira do mundo, do tipo "A água é molhada" — O que foi?

— Você é idiota ou o que? — o ômega mais baixo revirou os olhos, voltando a passar a vassoura no chão — É só ver pelo jeito que ele te olha.

— Ele me olha como se eu fosse um pedaço de carne, assim como ele olha pra qualquer ômega ou beta. Eu já o vi olhando desse jeito até mesmo para alfas!

Dak-Ho sentia como se seus olhos fossem dar uma volta inteira em suas orbes de tanto que havia revirado-os apenas naquele momento.

— Não, ele não te olha como olha pros outros. Se você ao menos tivesse se dado ao trabalho de reparar nisso ao invés de ficar bancando o durão, nós não estaríamos aqui, porque você provavelmente já estaria namorando com ele.

— Não viaja.

— Você é quem sabe.

Jimin voltou a esfregar a parede. Mesmo que não quisesse deixar transparecer, aquela simples frase de Dak-Ho havia mexido muito consigo.

Havia amado Jungkook por tanto tempo sem receber um único sinal de que o sentimento era recíproco... isso fazia-o descrer completamente nas palavras de Dak-Ho.

Para falar a verdade, aqueles pensamentos causavam um doloroso aperto em seu coração.

Mesmo que não cultivasse mais os mesmos sentimentos pelo alfa, ainda sentia-se razoavelmente magoado. Os dois eram amigos praticamente desde que nasceram, não era possível que Jungkook fosse traí-lo daquele jeito de uma hora para outra, principalmente se o que Dak-Ho estivesse falando fosse verdade.

No fatídico dia em que havia decidido deixar Seul, a sensação era de que Jungkook apunhalara-o por trás com toda a frieza existente. Sem falar que no mesmo ano, o alfa não fez questão de esconder que estava "ficando" com outros ômegas.

Na época, aquilo machucou profundamente os sentimentos de Jimin. Ao menos gostaria de ter recebido alguma explicação do que estava passando-se pela cabeça de Jungkook. Tinha ciência de que a partir de certa idade, grande parte dos alfas mudava, mas a maneira que o maior havia mudado já chegava a ser exagero.

Sabia que poderia ter perguntado ao alfa o que estava acontecido, porém este parecia tão distante que Jimin simplesmente não sabia mais como iniciar qualquer tipo de conversa com Jungkook. Além de tudo, mal conseguia dirigir uma palavra ao maior, que prontamente era respondido com sentenças curtas, porém frias e rudes.

Com toda certeza, aquele Jungkook que fez parte de grande parcela de sua infância não era o mesmo Jungkook com qual atualmente convivia.

Ao pensar nesta "diferença" entre as personalidades do alfa, uma decrépita  memória ressurgiu à seus pensamentos.

Contavam com treze anos naquela época. Aquele momento ocorreu um ano antes da mudança de Jungkook.

Era uma agradável tarde de outubro. Jimin e o alfa estavam deitados sobre a grama do quintal do, naquela época, moreno, observando o sol se pôr lentamente.

Hey, Kook... Jungkook virou a cabeça para o ômega, esperando pelo resto de sua fala Você já beijou alguém?

Mas que tipo de pergunta é essa?

Foi só curiosidade mesmo.

O maior hesitou por um momento. Por que Jimin estaria tão interessado em saber sobre aquilo?

Mesmo assim, isto acabou atiçando a diligência do alfa. Com aquela pergunta, acabou por pensar se o outro também nunca havia beijado alguém. Não eram muito de ficarem escondendo algo um do outro, mesmo que nunca tivessem tocado naquele assunto.

Para falar a verdade, Jungkook nunca pensara em como seria seu primeiro beijo.

Já havia pego-se pensando em como seria beijar certo ômega, também conhecido como Jimin. Porém, estes eram pensamentos que preferia evitar. Em sua cabeça, aqueles desejos estranhos se faziam presentes apenas por causa da quantidade de hormônios entrando em ebulição em seu corpo.

— Não... eu nunca beijei ninguém. — fez uma pausa, fitando os próprios pés por um instante. Então, olhou para Jimin — E você?

O ômega deu uma breve risada, contida.

— Já.

— COMO ASSIM?! QUANDO? ONDE? COM QUEM? — não pôde deixar de rir mais uma vez. Jungkook com ciúmes era algo extremamente fofo de se ver.

— Com o Hobi, em julho desse ano. — um sorrisinho formou-se no semblante de Jimin — Está com ciúmes?

— C-Claro que não! Eu nunca teria ciúmes de você. — o ômega não queria admitir, mas aquela ênfase à palavra "Nunca" doeu bem em seu coração — Só que... por que você não me contou?E afinal, por que você beijou o Hobi?

— Eu nunca te contei porque eu sabia que você iria reagir assim. E... eu só beijei-o pra ter certeza de que... — Jimin fez uma pausa, parecendo estar resolvendo um conflito interno consigo mesmo — ... eu gosto de garotos.

Jungkook apertou os lábios. Não tinha muito o que reagir.

Várias vezes já havia ouvido declarações vindas de Jimin, porém nunca ligara realmente para elas. Em sua interpretação, o ômega não estava falando sério. Mas após aquela sentença, Jungkook acabou repassando por instante todas as vezes em que rejeitou-o, sem levar em conta a possibilidade de que, talvez, o menor estivesse falando a verdade.

— Eu... ainda não tenho certeza se gosto de garotos ou de garotas. — evitou olhar nos olhos do outro, sentindo um leve constrangimento percorrer-lhe o corpo.

Talvez aquele fosse um bom momento para descobrir.

Jimin permanecia quieto, como se não soubesse mais o que falar.

E aproveitando-se da distração do ômega, Jungkook puxou-o pela nunca e colou seus lábios aos dele.

Foi algo extremamente rápido, tão rápido quanto a reação de Jimin.

Aceleradamente, o ômega empurrou-o, com o rosto completamente vermelho. A velocidade com a qual os fatos ocorreram foi tão grande que Jungkook mal pôde sentir algo. O menor olhava-o, um tanto assustado e confuso.

— O que... v-você fez?

— Foi um beijo, ué. Não é só você que quer descobrir pra qual lado corta. — o constrangimento do ômega transformou-se em divertimento. Logo, ele acabou por soltar uma breve risada — Qual é a graça?

— Chama aquilo de beijo? — ele sentou-se na grama, olhando nas orbes escuras do alfa. Jungkook acabou por fazer o mesmo também — Você poderia ter me pedido... aí eu te mostraria o que é beijar de verdade.

O maior interpretou aquilo como uma provocação. Era como se Jimin estivesse tentando atiçar seus instintos ao máximo.

— Então... me mostre.

O ômega retirou os óculos e sorriu de uma forma que poderia ser considerada, no mínimo, provocante. Era a primeira vez que Jungkook via-o daquela forma, já que Jimin era conhecido por ser normalmente fofo e tímido.E para tornar tudo ainda mais fora do usual, as íris do menor tornaram-se azuis e brilhantes.

Logo, aproximou-se, sentindo a respiração quente do alfa, assim denunciando seu nervosismo.

Quase que instantaneamente, os olhos de Jungkook tornaram-se vermelhos. Suas mãos tremiam e os lábios pareciam secar sobre o olhar que Jimin lançava-lhe.

Estava extremamente alvoroçado. Além de ser a primeira vez que beijava um garoto, também era a primeira vez que beijava alguém.

E com um cuidado surpreendente para uma pessoa tão desastrada como Jimin, este encostou seu lábios cheios e tentadores aos de Jungkook,em um contato diligente e delicado, como se a boca do alfa fosse feita de cristal e pudesse romper-se à qualquer instante.

A primeira coisa que sentiu foi um choque percorrendo sua espinha. A impressão era de que uma onda de satisfação estava atravessando seu corpo em forma de corrente elétrica. E isto que Jimin ainda havia apenas encostado em seus lábios.

Com lentidão e leveza, o menor deslizou a língua adentro à boca de Jungkook, que acabou por suspirar ao sentir esta entrar em contato com o músculo de sua cavidade bucal. Todos os pelos de seu corpo pareciam arrepiar-se conforme a língua surpreendentemente habilidosa de Jimin movia-se.

Mas mesmo que aquilo estivesse deliciosamente bom, ainda era estranho para Jungkook ver o outro de maneira tão provocativa e ainda por cima tomando iniciativa. Na verdade, isto fez com que pensasse se Jimin havia beijado Hoseok com aquela mesma intensidade. E se o ômega havia gostado.

Talvez tivesse, já que de acordo com o próprio, assim que havia descoberto que gostava de garotos.

Isto ocasionou em um sentimento estranho no peito de Jungkook. Não sabia dizer especificamente o que era (ciúme, talvez?), mas... aquilo lhe deixava com uma vontade peculiar de aprofundar ainda mais aquele contato e... mostrar para Jimin que beijava melhor que Hoseok.

Era uma sensação estranha. Muito estranha.

Deixando-se levar apenas por seus instintos, apertou os cabelos negros do ômega entre seus dedos, finalmente decidindo retribuir o ósculo. Seu corpo parecia mover-se sozinho, assim acariciando avidamente a língua de Jimin, sorrindo em meio ao ato ao ouvi-lo suspirar também.

Então, suas mãos percorreram as roupas do menor, até chegarem em sua cintura e trazê-la para mais perto, praticamente colando os corpos agora extremamente quentes.

Ainda agindo por instinto, Jungkook acabou trazendo o contato para fora das cavidades bucais. Ambas as línguas enrolavam-se uma à outra, ato seguido por carícias tímidas e suspiros vindos pelos dois lados.

O alfa empurrou Jimin na grama, logo em seguida sentando sobre sua cintura. Porém, antes que pudesse fazer qualquer coisa, o moreno segurou em seus ombros, impedindo-o de dar início à outro beijo.

Olhou para o garoto abaixo de si, completamente corado e ofegante. Seria impressão sua ou Jimin parecia estar... assustado? Os olhos azuis e brilhantes estavam arregalados e suas mãos exibiam leves tremores. O alfa fitava cada detalhe da face do menor, cada variação presente em suas expressões. Tudo aquilo ainda era muito novo para si. Principalmente quando acabara de descobrir que Jimin possuía um lado mais... provocante.

—Hey, vai com calma. — aproveitando-se do fato de que Jungkook não desviava o olhar de seu rosto, Jimin empurrou-o para o lado, enfim tirando-o de seu colo — Eu não estou à fim de perder a minha virgindade no meio do meu quintal.

—Eu não ia fazer nada demais. — ainda fitava os lábios carnudos e avermelhados de Jimin. Com toda certeza, não admitiria em voz alta, porém havia adorado sentir aquelas boca macia e doce contra a sua —Isso foi só... curiosidade.

— Jimin, em que mundo você está? Já terminamos, você não precisa ficar encarando a parede desse jeito! — Dak-Ho interrompeu sua viagem ao passado assim que bateu palmas na frente do rosto do alaranjado, distraindo-o. Por quanto tempo ficara naquele estado estático?

— Ah, certo. — o menor já dirigia-se até a porta, fazendo com que Jimin precisasse acelerar o passo para alcançá-lo.

— Espero nunca mais ter que dividir o mesmo ambiente com você de novo.

— Igualmente. — então, os dois deixaram a sala, cada um seguindo por seu rumo.

Ainda assim, as palavras de Dak-Ho ecoavam em sua cabeça.

"— Eu não posso ficar com você, porque eu ainda amo o Jimin.".

A sentença, somada à memória anterior, deixava o ômega inquieto. Então, tirou o celular de seu bolso e digitou uma curta mensagem para Jungkook, que provavelmente ainda estava na diretoria com Yoongi.

Jimin:

Quando você sair daí, me encontre atrás da escola. Eu quero falar com você.

◊◊◊

Yoongi e Jungkook estavam sentados lado à lado no par de poltronas da sala do diretor Kwon Jiyong. Os olhos do adulto passavam do ômega para o alfa, em um silêncio quase constrangedor.

Não era a primeira vez que encontravam-se naquela situação, e provavelmente não seria a última.

Mesmo que fosse um ômega, Jiyong sabia impor toda a sua determinação e destreza, assim dirigindo aquele colégio com braço de ferro há anos, e eram poucos os que usavam desafia-lo. Parecia ter respostas para todo tipo de pergunta, desde as mais simples às mais complexas.

— Então, o que aconteceu dessa vez? — finalmente perguntou, já preparando-se psicologicamente para toda a gritaria que viria por parte dos dois ao tentarem explicar ao mesmo tempo.

E assim aconteceu. As poucas palavras que realmente conseguiu entender foram "pênis atrofiado", "bolas" e "idiota".

— Um momento, você estavam em uma aula de educação física ou em uma aula de educação sexual?

— Educação física. — responderam ao mesmo tempo. Então a gritaria recomeçou.

Particularmente, Jiyong não importava-se muito em ouvir os dois gritando e agredindo-se verbalmente daquela forma. Preferia mesmo que desabafassem o quanto pudessem , e depois, ao acalmarem-se, explicassem a situação.

Após alguns minutos, as vozes começaram a abaixar, até que finalmente o silêncio voltou à sala, sendo apenas interrompido vez ou outra pelos ofegos que os dois soltavam.

— Já terminaram? — Jiyong apoiou os cotovelos na mesa, inclinando-se um pouco para frente.

— Sim senhor. — responderam ao mesmo tempo mais uma vez.

— Pelo que eu pude entender, vocês agrediram um ao outro durante a aula mais uma vez, certo? — assentiram. Então, o diretor assumiu uma postura mais séria — É a terceira vez que isso acontece só nesse mês, e as aulas ainda mal começaram. Sinceramente, onde vocês acham que estão? Em uma fanfic escrita por uma garota sem nada melhor para fazer da vida, onde podem fazer o que quiserem  sem que haja nenhuma consequência?

— Não senhor.

— Este comportamento é inadmissível para a idade de vocês. É impossível acreditar que dois rapazes que estão há um pouco menos de um ano de entrarem em uma faculdade estejam comportando-se como duas crianças. Como vocês poderão estabelecer relações com alguém se nem ao menos conseguem resolver um conflito sem partirem para a violência?

— Diretor, em minha defesa, eu...-

— Senhor Jeon, eu lhe dei permissão para falar?

— Não senhor. — Jungkook abaixou a cabeça, visivelmente derrotado. Era bem anormal para Yoongi ver o alfa sendo submisso à alguém daquela forma. Isso fez com que o menor se segurasse com todas as suas forças para não começar a rir.

— Enquanto você, senhor Min... — o ômega gelou naquele exato momento — Se não aprender a controlar esta língua, com certeza terá problemas no futuro.

Os dois não sabiam mais o que dizer. Jiyong estava jogando diversas verdades sobre a dupla de uma maneira tão simples que, de certa forma, deixava-os sem reação.

— Eu não tenho outra escolha a não ser suspender os dois. — Yoongi e Jungkook ficaram chocados, porém não surpresos — Vocês estão liberados pelo resto do dia. Eu espero que até a quinta vocês possam repensar bem em suas atitudes. Dispensados.

Com uma velocidade impressionante, Jiyong preencheu os papéis de suspensão, não fazendo cerimônia ao entrega-los aos rapazes.

Silenciosamente, deixaram a sala. Não era a primeira vez que eram suspensos, porém naquela ocasião, as palavras de Jiyong pareceram afetar realmente os dois.

Sem dizer uma única palavra, tomarem rumos diferentes. Jungkook dirigiu-se até o ginásio, enquanto Yoongi ia até a entrada no colégio, para assim voltar para casa.

O ômega abriu as portas, arrependendo-se poucos segundos depois. Uma certa quantidade de água foi espirrada em seu rosto por causa do grande temporal que ocorria do lado de fora da propriedade escolar.

Sabia que seria loucura sair com toda aquela chuva. Isso significava que teria de ficar ali, sozinho, esperando a chuva passar.

Falando a verdade, já estava acostumado a ficar sozinho daquele jeito. Desde que era uma criança, as pessoas insistiam em taxa-lo como "ignorante" e "metido" devido ao fato de praticamente não falar com ninguém que não fosse Hoseok.

Isso aos poucos foi criando uma péssima reputação para o jovem ômega, levando todos que o cercavam à distanciarem-se de si por terem um certo "medo". E esse foi um dos fatores que levou-o a tornar-se aquela pessoa tão áspera e grosseira que conheciam.

Yoongi era tímido desde que entendia-se por gente, porém os outros simplesmente não entendiam o seu lado. Optavam por temer, culpar e odiar do que compreender, como se preferissem a conveniência à realidade.

Exceto por Hoseok. Hoseok sempre esteve ao seu lado, independente da quantidade de palavras que o ômega era capaz de falar por dia.

 — Hum, Yoongi? — a voz do alfa que anteriormente vagava em seus pensamentos despertou-o de seus pensamentos. Como ele havia chego ali tão rápido? — O que você está fazendo aqui?

— Eu fui suspenso e 'to esperando a chuva passar pra poder voltar pra casa. — respondeu secamente. Afinal, ainda estava irritado pelo ocorrido durante a aula de educação física — E você? Não deveria estar se esfregando no Jimin em algum canto?

Por um momento, o maior arregalou os olhos, surpreso. Mas logo o sentimento transformou-se em uma certa satisfação. O plano de Jimin tinha dado certo.

— E... qual seria o problema se eu estivesse? — perguntou com inocência — Até porque, eu estou solteiro e ele também.

Yoongi realmente não sabia explicar o que estava sentindo naquele momento. A sensação era de estar levando uma facada em seu peito e permanecendo com o objeto cravado ali.

Sentiu a garganta travar. Hoseok tinha razão. Tanto Jimin quanto o alfa não possuíam relacionamento amoroso com ninguém, então obviamente possuíam liberdade total para iniciar algo com quem quisessem.

O ômega perguntava-se o porquê de estar se sentindo tão afetado pelo ocorrido.

— Nenhum! Não teria problema nenhum! Afinal, eu não dou a mínima pra quem você vai foder ou não! — sua intenção não era ser tão grosso daquela forma, porém sentia-se tão irritado que simplesmente não conseguia formular uma frase inteira sem começar a gritar.

Sentindo-se constrangido pelo tom que havia usado com o alfa, virou as costas e tocou na maçaneta da porta, na intenção de sair logo dali, mesmo com a chuva.

Mas antes que pudesse abri-la, Hoseok segurou cuidadosamente em seu pulso, sem qualquer brutalidade ou coisa do tipo. Aquilo estava mais para um singelo toque do que qualquer tipo de repreensão.

— Hey, eu não queria te deixar irritado, ok? — sua voz estava calma e compreensível, completamente diferente do tom que um alfa usaria naquela situação — Desculpe se aquilo acabou te irritando. Não foi a minha intenção.

Yoongi estava chocado. Nunca, em toda a sua vida, havia escutado um alfa pedindo desculpas à um ômega.

— F-Fui eu quem se estressou por nada... — virou-se lentamente para Hoseok, sentindo a face esquentar — Me desculpa.

— 'Tá tudo bem. — ele sorriu, acariciando ternamente os cabelos de Yoongi. Logo em seguida, ouviram o sinal tocar, indicando o fim do intervalo —Eu trouxe um guarda-chuva, quer que eu te leve pra casa?

— É melhor não, você vai acabar se atrasando...

— Eu não me importo. — ele abriu o guarda-chuva, posteriormente tocando a maçaneta — Vamos?

Yoongi optou por não contraria-lo. Afinal, queria voltar para casa o quão antes possível. Então, segurou no guarda-chuva, acidentalmente cobrindo a mão de Hoseok com a sua. O ato fez com que suas bochechas corassem violentamente, fazendo  com que virasse o rosto, na tentativa de não permiti-lo de ver daquela maneira.

Assim, começaram a seguir o caminho para a casa do ômega.

◊◊◊

Jungkook estava sentado na arquibancada do ginásio vazio, ouvindo o som da chuva castigar o teto.

Estava com zero de vontade de enfrentar aquele temporal. Então apenas decidiu espera-lo passar no ginásio.

Entediado, retirou o celular do bolso, percebendo que havia uma mensagem de Jimin.

Jimin:

Quando você sair daí, me encontre atrás da escola. Eu quero falar com você

Jungkook:

Nem dá. Fui suspenso e tá chovendo pra um caralho.

Poucos segundos depois, a mensagem foi visualizada.

Jimin:

Onde você tá?

Jungkook:

No ginásio.

Jimin:

Ok. Chego aí em dois minutos.

Breves minutos de silêncio passaram-se, até que Jimin finalmente entrou no ginásio e avistou Jungkook, rapidamente subindo na arquibancada.

— Então, o que você queria falar? — perguntou o alfa, enquanto o menor sentava-se ao seu lado, parecendo um pouco aflito.

— Bem... depois que você e o Yoongi saíram, eu acabei fazendo uma grande besteira com o Dak-Ho. Aí a gente teve que ficar limpando a sala de artes. E... — fez uma pausa, olhando no fundo dos olhos de Jungkook — Ele me disse que... você só não ficou com ele porque... ainda me amava. Isso é verdade?

Dak-Ho, seu filho de uma cadela. — pensou o maior, razoavelmente desesperado. Se Jimin soubesse de toda a verdade, provavelmente usaria contra si — Ok, relaxe. Não deixe nada transparecer.

Jungkook soltou uma risada irônica, deixando Jimin confuso.

— Claro que não. — seu sorriso cínico mascarava perfeitamente bem o que realmente sentia — Ele só não quer admitir que levou um fora. Como você pode ter acreditado em uma besteira dessas?

— Eu nunca falei que achei que fosse verdade. — um sorriso maligno surgiu nos lábios de Jimin. Este era outro que estava ocultando suas verdadeiras intenções — Eu só pensei que talvez eu tivesse mais alguma coisa para te atormentar. Até porque, eu não sou tão idiota à ponto de amar de novo alguém como você. Eu só queria te dizer isso mesmo. Aproveite seus dias de suspensão.

— Você fala isso como se fosse a melhor pessoa da face da terra para amar.

— E quem disse que eu não sou? Você poderia ter tirado isso à limpo há muito tempo atrás, quando teve chance. Pena que agora você nunca poderá descobrir isso. — e sem dizer mais nenhuma palavra, Jimin levantou-se e deixou o ginásio. Seria impressão sua, ou o menor parecia sentir uma mistura de irritação com mágoa?

Assim que teve certeza de que o ômega não estava mais por perto, Jungkook soltou um longo suspiro.

A cada dia que passava-se, sentia como se estivesse cada vez menos sã na presença de Jimin. Sim, talvez sentisse alguma atração pelo alaranjado que não fosse carnal.

Talvez.

E parte de si sabia que:

1. Definitivamente, era algo muito mais além de atração carnal.

2. Aquilo não era um sentimento novo.

3. Havia sido um grande tolo por não admitir que estava apaixonado por Jimin quando teve chance.

Em grande parte do tempo, conseguia ignorar essa "parte", convencendo-se à si mesmo que eram apenas resquícios distorcidos do passado. Mas haviam dias como aquele que a tarefa simplesmente tornava-se impossível, e aqueles pensamentos invadiam sua cabeça como uma enchente e levavam horas, até mesmo dias para cessarem.

Jungkook não queria que nada aquilo estivesse acontecendo, mesmo sabendo que merecia tudo o que estava ocorrendo atualmente em sua rotina, por culpa de Jimin.

Não.

A culpa não era de Jimin. Sabia muito bem disso.

Desde o início, a culpa era sua.

Toda sua.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...