História Stitches - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias David Luiz, Edinson Cavani, Thiago Silva
Tags David Luiz, Festa, Modelo, Romance, Stitches
Visualizações 64
Palavras 1.428
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Postarei outro ainda hoje se der, estou finalizando.
Espero que gostem.
XO
PS: Se alguém ainda quiser participar do grupo no WhatsApp, só me mandar o número por mensagem.

Capítulo 14 - Chuvendo por dentro


Fanfic / Fanfiction Stitches - Capítulo 14 - Chuvendo por dentro

Em certos momentos da vida, as pessoas se mostram totalmente diferentes daquilo que pensávamos que fosse, já vivi isso um tanto de vezes em minha vida e com isso aprendi a não esperar demais das pessoas com isso o sofrimento e decepção foram evitados até que não restou mais nada, bem, até agora.

-GRÁVIDA? –David passa a mão pelo cabelo e suspira, como um instalo ele para de repente e se vira bruscamente pra mim. –De mim, não pode ser. –Ele cospe as palavras.

-É seu David. –Eu tento manter a calma, mas minha voz sai muito mais nervosa do que eu pretendia.

-Quem me garante que não é daquele seu namoradinho francês?

-Eu garanto David, eu garanto. –Praticamente grito , meu nervos a flor da pele, uma vontade imensa de chorar, o choro engasgado. Ele sem humor.

-O que não é nenhuma garantia.

-Chega, chega! Eu não sou obrigada a ouvir isso, eu contei porque pensei que fosse diferente mas pelo visto você é só mais um entre tantos e eu não preciso de você pra criar esse filho. Passar bem. –Digo tudo de uma vez antes que eu não tenha coragem, pego a minha bolsa e saio do quarto antes que eu de um tapa nele, eu não acredito que esse é o mesmo David Luiz que eu conheci, não pode ser, eu devo ter me confundido. Saio da casa de Rabiot as pressas, e pego o primeiro táxi que passa.

Tem momentos na vida em que você não vê uma luz no fim do túnel, tudo desmorona e você não vê uma maneira de consertar, e eu não vejo, não vejo uma maneira de sair disso, eu estou grávida, meu namorado terminou comigo e o pai do meu filho acha que estou dando golpe da barriga. Tudo estava se quebrando em mil pedaços e eu não sabia como juntas os cacos e nem conseguia vê o fim disso. O táxi para em frente ao meu prédio, eu entrego uma nota de 20 euros ao taxista e digo pra ele ficar com o troco.

Passo pela porta do meu apartamento completamente exausta, tiro os saltos, o vestido e me jogo no chuveiro, fico tanto tempo debaixo do chuveiro que saio quando meus dedos começam a enrugar e o banheiro estar completo de vapor, me enrolo em uma toalha e tento não pensar um segundo nas coisas que estão acontecendo, tento não pensar essa noite nas decisões que terei que tomar amanhã, deixarei elas pra amanhã, hoje eu só quero dormir.

A manhã cinzenta vem carregada de bem mais que somente chuva, o dia acorda chorando assim como meu coração, eu não me mexo quando meus olhos se abrem, fico encarando a chuva escorrer pela minha janela, os barulhos de trovoadas me causam arrepios, eu fui magoada. Fui magoada. Admitir isso dói muito mais do que eu pensei que pudesse doer, admitir isso é como dizer a minha mesma que sou fraca, que não tem nada a ser feito quando o amor te pega de jeito. Mais alguma coisa que eu tenho que admitir, que apesar da mágoa, eu amo sim, David Luiz, amo e não sei como começou e nem imagino o fim disso. Pulo na cama com o susto que a campainha me provoca, mais uma vez, e mais uma vez, quem quer seja, estava bem insistente em me encontrar, tento ignorar o barulho mas ele não para, bufo e me levanto totalmente contra a minha vontade. Abro a porta com uma carranca e me deparo com Valentina, ensopada, ela arregala os olhos e adentra meu apartamento.

-Achei que teria que arrombar a porta. –Comenta ofegante, enquanto tira o casaco molhado, e pendura no meu hall de entrada. Os cabelos pingam. Eu vou até meu armário e pego uma toalha seca, entrego a ela.

-O que ta fazendo aqui, Valentina? –Finalmente me pronuncio a visita inesperada da minha amiga.

-Você foi embora ontem sem avisar, depois o David ficou com uma cara feia a noite interia, perguntei a ele o que tinha acontecido, mas ele se recusou a falar. O que aconteceu, Melissa? –Me jogo no sofá e encaro as enormes portas francesas do meu apartamento, a chuva ainda caía incessante, solto um suspiro.

-Se ele não falou é por que não significou nada. –Respondo. Valentina para na mesinha bem na minha frente e me encara.

-Você tá péssima Valentina, me diz de uma vez o que houve. Você contou a ele? –As lágrimas já estavam prestes a cair antes mesmo de eu começar a falar, tinha medo de começar e não parar.

-Eu contei, contei. Mas ele jogou na minha cara que esse filho não é dele. –Desabo a chorar, minha amiga me abraça, e no conforto de um abraço amigo, eu choro de soluçar, até não restar mais nada.

-Eu não acredito que ele disse isso. –Ela diz com sua cara de raiva.

-Não fale nada pra ele Valentina, eu não quero mais saber dele.

-Você não pode fazer isso, ele é o pai Melissa.

-Só é pai quem cria, e essa criança ele não quer criar. Não diga nada a ele. –Insisto.

-Eu não consigo aceitar uma coisa dessas Melissa. –Escuto o barulho da porta abrir e revelar Pierre, ele tinha a chave do meu apartamento, mas nunca pensei que fosse aparecer aqui novamente. Ele corre os olhos pela sala, e para quando me vê.

-O que houve, Melissa? –Minha cara deve estar péssima tendo em vista o tom de voz que ele faz essa pergunta. Limpo as lágrimas e tento sorrir.

-Nada, não houve nada. –Me levanto do sofá e caminho até ele, paramos a centímetros um do outro, ele pega minha mão e me puxa para um abraço, mais um no dia, de repente eu não me sentia tão azarada.

-Senti sua falta. –Ele murmura.

-Eu também senti a sua.

                                                                            ***

P.O.V David Luiz

Finalmente eu tinha fechado com o Chelsea, e daqui a uma semana eu me mudaria de Paris, tudo aconteceu tão rápido que eu mal acreditei que deixaria Paris, eu sentiria falta dessa cidade que me acolheu com tanto amor e carinho. Mas mudanças existem para serem feitas, e eu não tenho medo de novos desafios. O que me incomodava era deixar a minha história com a Melissa inacabada, desde do dia da festa eu não falo com ela e não tenho notícias, Valentina se recusa a me dar informações, o porteiro recebeu ordem de me enxotar toda vez que eu apareço e quando vou no trabalho dela a Sophie dona da agência diz que também não pode me falar nada. Eu me arrependo pelo modo que falei com ela, já disse isso em centenas de mensagens de texto.

Eu não tinha certeza ainda que esse filho é meu, não me entenda mal mas ela namora esse tal de Pierre, o que me garante que esse filho é meu? Eu sei que ela me garantiu, mas até mesmo ela pode estar errada, eu sempre quis ser pai, então pedi ao meu agente que procurasse isso a fundo.

P.O.V Melissa

Incrível como em mais de 200 canais, não se ache nada de bom para assistir, coloco em um canal qualquer de notícia e resolvo dar uma olhada no instagram, nada de novo me aparece, as mesmas pessoas, nas mesmas festas e nada mudava.

Eu andava muito ansiosa esses dias, afinal amanhã seria minha primeira consulta e ultrassom, eu finalmente ouviria o coração do meu bebê, e eu faria um exame para descobrir o sexo, um exame novo que se descobre só com o sangue da mãe, incrível né? Eu estava contando os minutos e segundos para que amanhã chegasse logo. Depois que Pierre voltou ele tinha me dado, total apoio, em tudo, ele se preocupava comigo, satisfazia meus desejos loucos de grávida. E David, tinha mandado milhões de mensagens, vindo ao meu apartamento uma centena de vezes mas eu simplesmente ignorava, quando eu estivesse pronta eu conversaria com ele, não sou de guarda rancor e Valentina me alertou que ele pode recorrer na justiça, e acima de tudo mesmo com todos os insultos ele era o pai desse bebê. Pierre aceitou isso também.

O micro-ondas apita com a minha comida, me levanto do sofá e vou até a cozinha, pego o prato que dona Marie preparou pra mim, pego um garfo e uma faca, mas antes que eu pudesse chegar na sala, meu prato se espatifou no chão. A notícia que dava no jornal, deixou minhas mãos tremulas e minha perna bambando.

DAVID LUIZ NOVO CONTRATADO DO CHELSEA

 


Notas Finais


O que acharam? O que será que essa mudança vai fazer com esses dois?
Não deixem de comentar e dar o feedback de vocês.
Xoxo
PS: Se alguém ainda quiser participar do grupo no WhatsApp, só me mandar o número por mensagem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...