História Stockholm Syndrome - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Síndrome De Estocolmo
Exibições 127
Palavras 2.138
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oye
Antes de mais nada, quero agradecer a @Hyannia que foi o amorzinho que me incentivou a escrever e foi a primeira a ler <3
Bom, então vamos para os avisos:
Voltei com essa fanfic extremamente polêmica e com certeza vão ter pessoas que vão enxergá-la de um pontop de vista totalmente oposto do meu...
Essa fanfic foi trabalhada em pesquisas e com nenhuma intenção de incentivar a agressão e nada desse sentido! Estou aqui para informar e apenas INFORMAR que existe tal síndrome.
Não concordo com nenhuma prática de tortura que tenha nesta fanfic!!
Bom, aqui em cima é isso mesmo, espero que gostem <3
Boa leitura

Capítulo 1 - Capítulo Único: Who's that shadow holding me hostage?


Fanfic / Fanfiction Stockholm Syndrome - Capítulo 1 - Capítulo Único: Who's that shadow holding me hostage?

Síndrome de Estocolmo ou síndroma de Estocolomo (Stockholmssyndromet em sueco) é o nome normalmente dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor.

2 de março de 1998 

Era um dia nublado, chuvoso. Típicos dias em que você só quer ficar em casa, na sua cama comendo enquanto assiste, ora algum filme ora programa, na televisão, ou apenas fica submerso a um bom livro, aquele em que se pode viajar sem sair do lugar. Porém, Baekhyun estava na sala de aula do colégio mais requintado de Seoul. Seus olhos desfocados apenas observavam a chuva árdua e o dançar delicado de suas gotas escorrendo pelo vidro. Aquele dia estava estranho, algumas coisas de uma forma e outras completamente distintas, como por exemplo a chuva rigorosa e gotas débeis, estava frio e suas mãos quentes, os dias não passando e o tempo correndo. Complexo, não?

O sinal irritante avisava que a aula havia encerrado e que finalmente poderia ir para casa descansar de um dia completamente exaustivo.

Em meio a toda aquela chuva, Baekhyun caminhava tranquilamente, mesmo que seu interior estivesse em alerta, seu amago dizia que algo iria acontecer e mais alguns passos tudo encontrava-se em completo breu.

 

 

Quando Baekhyun acordou, sentiu uma dor de cabeça tão grande que parecia latejar, e se sentado no chão com ambas as mãos, para trás, amarradas em um cano de ferro.

- Onde estou? – Perguntou um tanto grogue.

E com essa fala a porta se abriu dando a visão de um homem desconhecido, bem alto, de orelhas avantajadas e mãos grandes. Baekhyun não pode conter-se em comparar sua situação com a fábula da Chapeuzinho Vermelho.

- Por fim você acordou. – O Lobo disse andando em sua direção, mas parando em um lugar onde era impossível que seu rosto fosse visto.

- Onde estou? – Perguntou assustado por não conseguir enxergar a pessoa a sua frente. – O que eu fiz? Porque estou aqui?

- Ah, meu querido, venho te observando a tanto tempo. – O outro falou. – Não olhe para mim, em momento algum, se olhar, irá ter consequências nada gradáveis para você. Recomendo a nem tentar, mas vamos parar de conversa e vamos logo ao que interessa.

 

4 de julho de 1998 

 

Depois de meses, descobriu que o nome da pessoa que ele intitulara como Lobo era Chanyeol quando estava arrumando uma estante de livros, em um cômodo que seu algoz ordenou que arrumasse, e este nome se encontrava dentro de todos eles. Baekhyun era obrigado a fazer várias coisas, era intimidado diversas vezes, pode-se dizer que, nada era comparado com a tortura de não poder olhar para o seu sequestrador. Sempre que ele se arriscava a olhar Chanyeol, apenas o via de costas ou de um ângulo estranho, mas nada que desse a ideia de como seria seu rosto por completo, contudo, sabia que ele era bonito e ficava idealizando sua face.

 

23 de agosto de 1998

 

Em um dia Baekhyun se encontrava deprimido demais e precisava do consolo humano, de um toque carinhoso, sem ser agressivo, então após algum tempo ponderando se devia ou não pedir, Baekhyun se levantou com dificuldade, por seus braços estarem com uma corrente demasiadamente pesada, disse baixo com medo:

- Eu sei que não sou merecedor de nenhum favor, mas o senhor poderia me dar um abraço? Eu lhe imploro! – Pediu de costas se encolhendo a cada palavra.

Depois de alguns segundos que pareceram uma eternidade para o sequestrado, sentiu um par de braços circundando sua cintura e uma cabeça se apoiando no vão entre o pescoço e o ombro.

- Se quiser se virar, terá que estar de olhos fechados. – Chanyeol disse em um tom seco e grave.

Após escutar isso, Baekhyun fechou os olhos marejados e rapidamente se virou abraçando o rapaz a sua frente com tanta força que quase tremia.

- Muito obrigado. – Disse baixinho, quase em um murmuro se soltando do abraço, olhando para baixo, secou algumas lágrimas e, em silêncio, se sentou novamente no chão gélido daquele quarto sem cor.

 

28 de setembro de 1998

 

Baekhyun caia no sono imaginando como seria uma vida onde ele pudesse olhar o rosto de Chanyeol, como seria bom poder o abraçar sempre que quisesse. Ele não tinha raiva daquele homem que o capturou, mas sim tinha um carinho que ele mesmo estava suspeitando ser algo maior. E pelo fato do maior só querer ele pra si, era um sinal de amor, na perspectiva errônea berrante do Byun. 

 

1 de outubro de 1998

 

Um dia, Baekhyuun se arriscou. Ele queria ver o rosto de Chanyeol a qualquer custo. Não aguentava mais essa curiosidade que o corroía de dentro pra fora, não aguentava mais sonhar com um rosto diferente a cada noite, mas aquele dia, de um jeito ou de outro, ele iria ver o que tanto queria.

Na hora do jantar, quando estava amarrado em uma cadeira com as pernas e braços presos e sua boca tapada com uma fita, aguardou que Chanyeol chegasse segurando a bandeja com alguma comida, que para si era um sinal de que este se preocupava consigo.

- Feche os olhos, estou entrando. – Ordenou o outro atrás da porta. Baekhyun fez o que foi mandado, mas quando Chanyeol botou a bandeja em cima da mesa e estava tirando a fita de sua boca, abriu rapidamente os olhos e o encarou de perto. Chanyeol era tão bonito, seus lábios cheios e rosados, orelhas grandes e olhos redondos.

- Eu mandei você fechar os olhos! – Berrou o agressor.

- Me desculpe. – Disse Baekhyun o encarando ainda.

- Você vai receber o que merece. – Falou de forma grossa tirando o cinto de sua calça.

 

 20 de outubro de 1998

 

Fazia dias e semanas que Baekhyun não sabia o que era comida, apenas recebia água em meio as torturas com um tubo diretamente em sua garganta e o carrasco só precisava fechar as narinas. Quando o estômago de Baekhyun começava a ficar muito cheio, Chanyeol o deitava e o torturador se senta sobre ele, forçando o vômito e assim se repetiam por mais algumas vezes.

Baekhyun estava no chão em meio a lágrimas após outra série de tortura. Ele se perguntava porque ainda não tinha sido resgatado? Seus pais estariam procurando-o ou já tinham desistido? Alguém sentia a falta dele?

Era certo que Baekhyun  estava com transtornos psicológicos e uma certa depressão começava a se instalar em seu coração e em meio a tantas perguntas e dúvidas, não conseguia ver nada estável em sua vida.

E por fim adormeceu sonhando com o nascer do sol, em como sua vida seria se não tivesse esperado sua mãe chegar para buscá-lo.

 

24 de dezembro de 1998

 

Era véspera de Natal e Chanyeol acabara de entrar no quarto quando ouviu Baekhyun dizer:

- Eu queria poder ver seu rosto novamente. – Disse temeroso.

- Qual é o seu problema com ver meu rosto? – Perguntou um tanto alterado.

- Qual é o problema de olhar pra você? Eu só quero saber quem foi que me trouxe pra cá, quero ver cada reação enquanto você faz aquelas coisas comigo. Queria ver se você fica satisfeito com as torturas, se fica tão feliz para sempre repetir. – Falou com a voz mais dura, porém falhando algumas vezes. – Eu já o vi uma vez, não entendo o porque de viver escondendo seu rosto. Eu já sei quem você é.

Aquilo deixou Chanyeol revoltado, porém apenas disse:

- Então tudo bem, você irá ver meus rosto a partir de hoje, contudo, desejará nunca ter dito essas palavras a mim. – Falou levantando o rosto de Baekhyun para que ele pudesse o ver. – Como é Natal, irei te dar uma folga, mas não espera carinho nenhum quando esse passar. Vou cobrar meu presente.

E assim saiu do quarto batendo com força a porta assustando Baekhyun com o baque forte.

 

17 de abril de 1999

Fazia mais de um ano que Baekhyun havia sido sequestrado quando voltava para sua casa. Quando sua vida mudara completamente.

Suas torturas ficaram cada vez mais duras, como ser pendurado pelos joelhos em uma barra horizontal, com as mãos amarradas junto às canelas, o que causava dores terríveis em todo o corpo e a posição o deixa totalmente vulnerável a espancamentos, choques ou queimaduras. Além de ser abusado sexualmente diversas vezes.

Baekhyun sentia pena da pobre alma de Chanyeol e dizia a si mesmo que seu torturador não sabia o que estava fazendo, pois se tivesse sequer uma noção, não faria aquilo tudo com ele.

 

4 de maio de 1999

 

Baekhyun acordou com um estrondoso barulho de portas sendo arrombadas. “O que está acontecendo?” perguntou a si mesmo.

- Procurem em todos os quartos, só parem quando o encontrar! – Alguém desconhecido disse de algum lugar fora de onde ele estava.

Então tudo fez sentido para Baekhyun, estavam lá para salvá-lo.

- Estou aqui! Estou aqui! – Gritou. – Por favor, me tirem daqui!

- Estou ouvindo gritos! Vamos!  - O mesmo homem gritou novamente e não demorou nem cinco minutos e o sequestrado foi encontrado. - Nós o achamos! Olá senhor Byun, estamos aqui para resgatá-lo, nos perdoe pela demora, mas agora vamos leva-lo para casa.

- Muito obrigado! – Disse abraçando o homem a sua frente assim que se viu livre das correntes que o prenderam por muito tempo.

 

 

12 de maio de 1999

 

Baekhyun estava sentado no sofá de sua casa, assistindo ao noticiário da manhã quando ouviu a seguinte notícia:

- Park Chanyeol, o algoz que manteve Byun Baekhyun em cárcere privado, morreu em uma tentativa de fuga nesta manhã de quinta feira. Ele estava dirigindo um carro em alta velocidade, quando perdeu o controle do veículo e capotou. Ele tinha 25 anos de idade e nasceu em Seoul. Segundo a polícia, ele não possui parentes vivos e nenhum registro em sua ficha criminal. O motivo do sequestro de Baekhyun, foi por vingança ao assassinato da ex-mulher, Park Soohyeong, morta em um assalto. Foi encontrado na casa do Park, várias fotos de Baekhyun e do assassino de sua mulher e a polícia informou que ambos eram muito parecidos, gerando a confusão do sequestrador. Agora a polícia procura evidencias que indiquem se Park Chanyeol tinha consciência de seu engano e continuou com a tortura.

Ao terminar de escutar a notícia Baekhyun caiu em prantos. Chanyeol estava morto.

Ele estava em choque, completamente paralisado, sendo abraçado por sua mãe que tinha completa ciência de que seu filho adquiriu a Síndrome de Estocolmo, depois de tanto tempo sofrendo intimidação do, recém, falecido sequestrador de seu filho. A mulher não pode deixar de respirar fundo fechando os olhos por saber que seu filho, agora, não corria mais nenhum risco, caso o outro decidisse voltar a procurar Baekhyun .

 

2 de junho de 1999

 

“- Eu não levo nenhum rancor de Park Chanyeol, o homem que não só me sequestrou, me torturou e abusou de mim, mas também o homem que roubou mais de um ano de minha vida por uma confusão e procurando fazer justiça com suas próprias mãos. Ele não teve piedade nenhuma ao consumar os atos maldosos e nem sentiu remorso ao ver-me chorar, gritando por ajuda, implorando por compaixão e até mesmo sangrando. Contudo, sou grato a ele por ter poupado minha vida. Porque se ele quisesse, poderia ter me matado em qualquer hora, porém ele não o fez, e aqui estou eu, livre, com mais uma chance de seguir a minha vida. Com mais uma chance de fazer as coisas que eu quero, comer as coisas que mais amo, ler meus preciosos livros e aprender a cada dia com mais um erro. A chance que ele não terá nesta vida. Eu o perdoo por tudo o que ele fez e espero que ele se perdoe. Desejo que sua alma consiga descansar, mesmo que tenha feito coisas erradas e absurdas. Muitas pessoas vão escutar isso e dizer “ele só fala isso por ter a síndrome de Estocolmo” e até posso concordar com isso, afinal, eu tenho esse distúrbio. Agora, estou disposto a perdoá-lo, uma coisa que pensei que nunca iria conseguir fazer enquanto estava aprisionado, e pretendo viver a minha vida de forma livre e alegre. Espero que todos tenham um bom dia e que aproveitem o quanto puder e peço que nunca machuquem alguém, nunca cometa o mesmo erro que esse homem cometeu e em vez disso, amem as pessoas, porque, tudo isso começou com ódio. Muito obrigado pelo apoio que venho recebendo de todos.”

- Byun Baekhyun, diz em uma entrevista coletiva dos jornais locais de Seoul em 1999.

 

 

"De quem é aquela sombra

que me mantem refém?

 Estive aqui por dias.

De quem é esse sussurro

me dizendo que nunca fugirei?"

- Stockholm Syndrome - One Direction

 


Notas Finais


Gostaram?
Não vou mentir, fiquei bastante agoniada escrevendo e pesquisando sobre torturas e sobre a síndrome.
Essa fanfic foi feita em base de pesquisa, nada escrito aqui foi romantizado, apenas retratando uma pessoa com esse distúrbio! Não escrevi sem pesquisar bastante!!
O objetivo da fanfic é apenas informar, repetindo!
Botei essa música maravilhosa da 1D para finalizar o capítulo (mesmo não sendo fã, me apaixonei por essa música)
Bom, é isso ai! Final de semana eu volto com Loser <3
Beijinhos de Cerejas <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...