História Stockholm Syndrome - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Drama, Sequestro
Visualizações 90
Palavras 1.276
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Onde Perdas e Sonhos Se Conectam


O peito ofegante, respiração acelerada, a falta de ar. Lauren conhecia todos os sintomas, já havia passado por eles, por tudo isso antes. Mas sempre que a onda de ansiedade batia contra seu corpo, ela continuava a ficar surpresa.

Dessa vez, ocorreu por causa de um pesadelo. No pesadelo, Lauren via Camila se jogando na frente de um carro, seu sangue carmesim pingando pelos braços e deslizando por todo o seu corpo, seu pescoço estava quebrado e olhos admiravam Lauren.

-Por que você me deixou?- Era tudo que o cadáver da menina sussurrava, até que passou a gritar as palavras e a chorar enquanto fazia.

Lauren acordou, e foi aí que sua ansiedade resolveu aparecer, como se fosse predador apenas esperando para que a vítima ficasse fraca.

Suas mãos começaram a tremer. Uma euforia enorme tocou sua pele, inundou sua mente em questão de segundos. Lágrimas de frustração e pavor escorregam-lhe pelos olhos verdes, enquanto a mulher se levantou rapidamente com um susto.

-O que foi?- Camila sussurrou entre um bocejo.

"Eu não posso perdê-la." Foi tudo que Lauren pensou.

"Não posso, não posso...."

"Mesmo que tenha que matá-la para ela ficar comigo para sempre...." Seus pensamentos automaticamente voltaram para as lembranças do tempo em que a torturava. Uma vontade súbita de fazer tudo novamente atacou Lauren.

"Preciso dela... Preciso dela comigo...preciso dela..." Seus olhos marejaram, mais lágrimas deslizando em suas bochechas rosadas. 

"Preciso matá-la...preciso dela... se eu contar, ela vai fugir...ela vai escolher a família...ela nunca irá me escolher...está aqui por pena, está aqui a força..."

Lauren levou as mãos ao rosto, e começou a chorar descontroladamente. Camila, obviamente preocupada, acariciou suas madeixas negras.

-L-Lauren....?- Camila se aproximou mais um pouco, tocando as mãos gélidas da mulher e as tirando de seu rosto. -O que aconteceu? Você está agindo estranha ultimamente.

A morena secou as próprias lágrimas rapidamente, forçando um sorriso com olhos inchados e vermelhos de tanto chorar.

-Preciso que me faça uma promessa.- Ela disse, subitamente séria.-É muito importante para mim, Camila.

-Tem algo envolvido com o porquê de você estar agindo assim?- Ela arqueou as sobrancelhas, desconfiada.

-Sim.- Lauren assentiu com a cabeça.

Camila se ajeitou na cama, arrumando a alça da camisola fina que estava caindo-lhe sobre os ombros.

-O que quer que eu lhe prometa?- A menina sussurrou.

-Quero que você fique.- Lauren disse.- Você disse na sacada, naquela noite, que você queria que eu ficasse para sempre. Foi o seu desejo. Agora, quero que você me prometa que você vai ficar também.- Ela completou.

-Claro, claro que eu fico.- Camila sorriu, pressionando um selinho de leve nos lábios da maior. - Agora, vamos voltar a dormir. É um longo dia pela frente.

-Certo.- Lauren se deitou ao lado dela na cama. -Se é isso que você deseja, majestade.-Ela brincou.

-Idiota.- Camila rolou os olhos e se virou para o outro lado.

                             ****

As duas foram acordadas pelo celular de Lauren tocando. Lauren bufou, abrindo os olhos irritada e deslizando a tela para atender a chamada de seu chefe.

-O que deseja, Vossa Majestade?- Ela brincou, em tom de ironia.

-Alguém acordou com o pé esquerdo hoje.- Maven disse, já sabendo o quão irritada Lauren estava pelo tom de sua voz.- É uma missão surpresa. Sua namorada precisa vir com urgência.

Ao ouvir isso, Lauren quase caiu da cama. É óbvio que Lauren levava Camila para algumas missões, porém, era apenas porque ela achava maid divertido matar com sua namorada por perto. Deixava as coisas bem mais legais para o lado dela.

Mas isso não significava que Camila trabalhava para a Máfia, não, não. Camila não podia se envolver com gente perigosa á esse nível.

-Camila não pode vir.- Lauren pensou na primeira desculpa que pôde.

-Sério?- A desconfiança no tom de Maven foi evidente.- Engraçado porque eu liguei hoje mais cedo para ela, e ela mesma me disse que poderia vir.- Lauren podia praticamente sentir o sorriso do outro lado da linha.- Mentindo para seus superiores, Lauren? E ainda, por motivos pessoais?- A mulher estava prestes a responder, quando Maven interrompeu.- Bem, não importa, preciso que a leve até aqui.

-Me diga sobre o que será essa missão, pelo menos.- Lauren tentou (e falhou miseravelmente) soar um pouco mais confiante.- Preciso nos preparar, afinal e...

-É uma caça.- O homem sorriu.- Cabe a você saber se vocês são o predador ou a presa.- Com isso, o homem desligou.

Lauren teve vontade de jogar o celular na parede e depois, se jogar da sacada do hotel. A missão era obviamente muito perigosa para as duas.

-Por que disse que você poderia ir?!?-Lauren levantou a mão, pronta para dar um tapa em Camila, estava consumida pela raiva. Mas ela parou no meio do ar, abaixando a mão vergonhosamente antes que chegasse a realmente machucar Camila.

-Você me leva em algumas missões. O que essa tem de tão diferente?- Camila perguntou de imediato, percebendo algo errado.

-Eu não sei do que essa se trata. O chefe não me deu nenhuma explicação. É bem mais perigosa que o normal.- Lauren bufou, mais irritada ainda.

-Vai ficar tudo bem, somos parceiras, não é?- Camila sorriu, e por um momento, Lauren pensou que aquilo a acalmaria.

-Sim, somos parceiras.

                             ****

A missão era em Cuba, o lugar em que as duas moças haviam nascido. Já era de noite, e nenhuma delas sabia o que fazer em tal situação.

Acontece que o maldito Maven disse que era apenas para as duas esperarem o sol se pôr em uma rua qualquer. Já estava escuro, e nada havia acontecido até agora.

-Talvez nós deveríamos ir embora, Lolo.- Camila sussurrou, andando ao lado de sua namorada.

-Não podemos.- Lauren respondeu.

Até que as duas ouviram um barulho repentino. Lauren pegou a faca como um reflexo, enquanto segurava a lanterna com a outra mão.

Como o lugar era pouco iluminado, Lauren teve que se aproximar para entender o que estava acontecendo. As duas se aproximaram do local que veio o barulho, se abaixando até ver um..Urso de pelúcia....?

-Um...ursinho...?- Lauren deu uma olhada com a lanterna, tentando entender. Camila se aproximou e pegou o objeto, o abraçando.

-É o meu urso de pelúcia da infância, Lauren! É o Mister Banana!- Ela disse feliz, abraçando o bichinho.

-Mas que porra ele está fazendo aqui?- Lauren falou, ainda confusa. 

-Talvez tenha algo conectado com a missão.- Camila pensou mais um pouco.- o seu chefe disse que tinha que ter certeza que eu estaria aqui hoje.

-Sim...mas por quê?

As duas foran descendo a rua, iluminada apenas pela lanterna de Lauren. Haviam fotos de Camila espalhadas pelas paredes, fotos de sua infância. 

Lauren percebeu que, em todas elas, os rostos dos pais de Camila estavam marcados com um X. 

"Será que isso significa...o sequestro...?"

A mulher não teve tempo de refletir no assunto, pois assim que as duas chegaram ao final da rua, Lauren iluminou o canto da parede com a lanterna.

O grito vindo de Camila ecoou pelo ar. Seus pais estavam mortos, seus cadáveres estavam jogados ali, ensaguentados e com múltiplas facadas. 

-P-pai...- Camila se ajoelhou, tocando o braço frio de seu pai, ela quase não o reconhecia.- M-Mãe...- Seus olhos se encheram de lágrimas.

Camila estalou um tapa no rosto de Lauren, tão forte que a marca de sua mão ficaria ali, grudada em sua bochecha.

-Você...sabia...disso...- Camila gritou o mais alto possível. Lauren estava imóvel, tão chocada quanto Camila. - Você sabia...

-Camila, não! Eu não fazia ideia...- Lauren tentou se defender, apenas recebendo outro tapa.

Camila correu para longe de Lauren, lágrimas em seus olhos castanhos. Lauren a observou, e foi ali que percebeu:

Havia a perdido completamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...