História Stole My Heart - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chandler Riggs, Sabrina Carpenter
Tags Sabrina Carpenter, The Walking Dead
Exibições 139
Palavras 2.002
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tem personagem novo, amores!
Josh: Uriah Shelton

Capítulo 21 - Josh


Fanfic / Fanfiction Stole My Heart - Capítulo 21 - Josh

-Sim??

-Como você está grande!- Ela sorri e caminha na direção da minha amiga.

-Desculpe a falta de educação, mas, eu te conheço?- Emma pergunta, um pouco confusa.

-Ah, sim! Conhece, sim.. Porém, não deve lembrar de mim!

Emma continua com a mesma expressão confusa.

-Enfim, depois conversamos sobre isso. Continuando, sou sua professora de química daqui pra frente. E eu sei que posso ser bem nova, mas sou bem experiente, e espero que gostem de mim. Na maior parte do tempo, eu sou bem tranquila, e não sou de elevar o tom de voz, mas, caso precise eu o faço. Hoje, eu não vou dar muita matéria, porque preciso conhece-los. Façamos assim, eu, por exemplo, decidi o que queria fazer com 13 anos, então, cada um diz o seu nome e o que pretende fazer e contar um pouco da sua vida , caso a pessoa não souber o que quer, só o nome e um pouco da sua vida está bom. Tudo bem?

Todos concordam em uníssono.

Comecemos pela última pessoa da fila direita. Emma.

-Ahn, meu nome é Emma Adams, 15 anos, ahn...- A Srta. Hunterson a encara, com um sorriso interessado e acolhedor ao mesmo tempo.-  Eu moro com o meu pai, Richard, com a minha madrasta, Jessie, com o meu meio-irmão, Charlie, e com a minha irmãzinha, Mindy, e tem a Amanda, também, minha outra meia irmã, mas ela não mora comigo, porque está fazendo faculdade em Dublin. Minha mãe me abandonou, se eu não me engano, dois dias depois do parto, e desde então, nunca tive notícias dela.- O sorriso da professora se desfaz. Thomas lança um olhar preocupado para Emma.- Mas eu to bem! Feliz que meu pai esteja comigo, feliz por ter o meu pai, a Jessie, e os meus irmãos.- Ela sorri.- Quero fazer medicina, na área de genética.

-Interessante! E você, querida?- Ela pergunta para mim, sorridente.

-Bem, meu nome é Alice Farley, tenho 15 anos, e...-O que eu digo?-Ah! Sou brasileira. Eu vim morar aqui esse ano, por conta de um problema pessoal lá no Brasil. Vim pra cá para morar com o Chandler.- Sorrio, enquanto aponto com  o queixo para o meu atual melhor amigo.- E, desde então, não consigo me imaginar sem ele, ou sem ninguém daqui...- Sorrio novamente.

-Adorável!- Ela sorri.- E, tem planos para o futuro?

-Sim! Quero fazer faculdade de arquitetura e depois me especializar em design de interiores, o único problema, é o que está acontecendo no Brasil, o tempo que ficarei aqui é indefinido, mas, se for pra ficar por muito tempo aqui, prefiro fazer faculdade nessa região e ficar por aqui pelo resto da vida...- Chandler me encara, assim como os meus amigos, estão todos sorrindo, mas Charlie tem uma pontada de preocupação em seu olhar. Depois resolvo isso.

                                                       -----------------------------------------------------------------------------

11:45 a.m.

A aula de hoje foi, basicamente, os alunos se apresentando, então, a aula hoje de manhã foi bem tranquila. Seremos liberados mais cedo hoje por algum motivo.

Emma P.O.V.

-Tudo bem, turma! Podem ir, muitíssimo obrigada pelo jeito que me acolheram, e pelo respeito da aula de hoje! Espero que seja assim pelo resto do ano, e espero que gostem de mim tanto quanto gostei de vocês!- Ela fala, sentada na mesa.

Arrumo as minhas coisas, e olho para Thomas, que me espera na porta, junto com Charlie, Chandler e Mingus.

Levanto, e caminho na direção deles com Lu, Sophie, Lucy e Lice comigo.

-Emma, posso falar com você por uns minutinhos?

-Ahn.. Claro.- Olho para Tommy.

-Te esperamos no lado de fora do colégio, amor.- Ele pisca.

-Tudo bem, amor.

A Srta. Hunterson não tirou os olhos do papel até que ficamos sozinhas na sala.

-Então, sobre o que queria falar?- Ela levanta o olhar e tira os óculos.

-Tem certeza que não me reconhece?- Nego. Sua expressão parece triste.- Ah, claro que não reconhece!- Ela retoma o sorriso.- A última vez que a vi foi quando você nasceu!

-Não quero ser rude, mas, não sei de onde te conheço.

-Eu sou uma...- Ela para por um momento.- Velha amiga do seu pai.

-Ah... Ele nunca falou de você, não.

-Ah.. Tudo bem, diga para ele que eu mandei um abraço!

-Tudo bem.. É isso?

-Sim, senhorita. Pode ir.

Saio de sala, ainda um pouco confusa.

Ao atravessar a porta do colégio, meus amigos perguntam:

-O que ela queria?

-Podemos... Simplesmente, esquecer isso, por favor?

Alice P.O.V.

Ao perceber que Emma não entendeu direito a sua conversa com a professora, mudo completamente de assunto.

-Bom, onde vamos almoçar?- Falo, mudando de assunto.

-Humm, pode ser naquele restaurante no dia do seu primeiro treino, pode ser?- Thomas sugere.

-Pode...- Todos falam.

Percebo que Chandler está encarando Brianna, a garota da festa, que está com mais duas garotas, a mesma o encara também.

-Ei,- o cutuco- não quer chamar ela pra ir com a gente?

-Quê?- Ele pergunta, um pouco confuso.

-Qual é, Chandler.- O encaro, debochada.- Dá pra ver que vocês tão se encarando, faça-me o favor.

-Você acha que eu deveria?

-Vai logo.

-Tá bem.- ele fala pra mim- Gente, me esperem, eu já volto.

Ele caminha na direção da garota, acho que ela deve estar achando essa situação um tanto quanto hilária, porque todos nós estamos olhando para eles com uma expressão maliciosa, até que ele vira para nós e fala sem reproduzir som algum: “Dá pra darem um tempo?!”. Todos damos risada e formamos uma rodinha de novo. Sam encara Lucy, que está com os olhos presos no mesmo garoto da festa.

-Lucy....- Sam tenta, de novo, falar com ela, mas sua tentativa é falha- Falar comigo é tão ruim assim?

-De verdade?- Ela fala, ainda com os olhos naquele garoto. Sam murmura um “uhum”.- Eu preferiria trancar a minha língua numa porta de carro.

Todos arregalamos os olhos.

-Puxa, Lucy. Não precisava ser tão grossa...- Sam resmunga.

-Quer que eu seja mais delicada? Tudo bem, Sam, desculpa, mas, eu não gosto mais de você, não desse jeito...

Nisso, Chandler e Brianna chegam.

-Pessoal, essa é a Brianna; Brianna, esse é, bem... O pessoal.- Ela dá uma risada fraca e tímida.

-Oi!!- Falamos em uníssono. 

-Oi.- Ela fala, meio ríspida, mas acredito que seja apenas vergonha.

-Vamos? Estou com fome!- Mingus fala.

Caminhamos até lá calados, aliás, uma parte de nós, porque Mingus e Gray não calavam a boca.

-Oi..- Charlie fala, pousando a sua mão em meu ombro.

-Oi!- Falo, pegando a sua mão e entrelaçando seus dedos nos meus.

-Achei que estivesse brava comigo.

-Não! Por quê estaria?

-Não sei, não nos falamos direito desde ontem...

-Desculpa, não foi por querer...- Beijo a sua bochecha.

 

-No restaurante-

Eu e Charlie conversamos durante o caminho inteiro, agora, estamos todos sentados numa mesa redonda no canto direito do restaurante.

Sam está calado e nem tocou na comida.

-Sam...- Luiza chama a sua atenção.

Ele levanta o olhar, e ela aponta para a comida com o queixo, passa uma mensagem tipo: “Coma”.

-Gente, então, como vocês sabem, meu pai é casado com a mãe da Maggie, e eu tenho um problema... Bem, é mais uma notícia. Uma má noticia..- Gray fala.

-Manda..- Chandler fala.

-Bom.. Meu pai recebeu uma promoção, e... Nós vamos nos mudar para a Itália.- Ele fala, triste.

-Tá de brincadeira, né?-  Sam eleva um pouco o tom de voz, e Gray faz que não com a cabeça.

-Tá bem, eu... Eu preciso de ar.- Sam fala, nervoso, e sai da mesa. Mais especificamente, sai correndo do restaurante.

[...]

15:50 p.m.

Charlie, Thomas, Emma, Lucy, Luiza, Chandler, Mingus e eu estamos saindo da escola, todos nós caminhamos normalmente, até que o celular de Lucy toca.

-Esperem um momento, rapidinho.- Ela fala, atendendo o telefone.

-Alô? Oi! Sim, pai.... Tá, e o que é?.... Ah, por favor!.. Já está lá?.... Tudo bem, nos vemos em casa! Beijos- Ela desliga.

-Tá, gente! Vamos, logo.- Ela fala, animada.

-Aconteceu alguma coisa pra você ficar animada assim?

-Não... Quer dizer, sim! Eu só não sei o que.. Mas, ta lá fora, vamos logo!

Ela sai correndo, não muito rápido, para que acompanhemos ela.

Ao atravessarmos a porta da escola, ela olha ao redor, um pouco ofegante, e com um sorriso enorme estampado no rosto.

 -Então...?- Chandler pergunta.

 Ela continua procurando, até que ouvimos uma buzina de carro, e uma caminhonete preta para na frente, e no lado oposto da rua, e um garoto de aparentemente 19 anos sai dela.

-JOSH!!!- Lucy sorri, e vejo que Chandler também.

Ela atravessa a rua correndo, sem ao menos olhar para os lados, e pula em cima dele.

-Estava com tantas saudades de você!- Não sei dizer ao certo se ela está rindo ou chorando, mas ela está feliz.

O garoto a gira no ar, depois a coloca no chão, e os dois atravessam a rua, e aí percebo: ela está, de fato, chorando. Mas, parece feliz.

-Também senti a sua falta, maninha.

Ele é irmão dela.

-Chandler! Meu irmão!- Ele fala e os dois trocam um aperto de mão estranho, e um abraço rápido.

-Então, pessoal, esse é o meu irmão, Josh. Josh, esses são Mingus, Thomas, Emma, Luiza, o Chan você já conhece, Charlie e Alice.

Ele cumprimentou cada um deles de uma maneira informal e educada ao mesmo tempo.

-É muito bom, finalmente conhecer vocês!

Percebo o seu olhar pesar em Luiza.

-Então, o que faz aqui?

-Bom, já que eu voltei da Califórnia, e a faculdade começa daqui duas semanas, decidi vir mais cedo, já que vou cursá-la aqui mesmo.- Ele sorri, sem deixar de encarar a Lu.

-Humm..

[...]

Eu e Chandler estamos voltando para casa, e eu definitivamente não consigo esconder a minha animação com relação à surpresa.

-Então, você não vai mesmo me contar?

Ele murmura um “nops”.

Resmungo um “Ah, então se fode” em português.

-Hein?

-Ah, então se fode..- Falo para ele, ainda em português.

-Sabe, eu estava pensando... Voce não quer, tipo... Huh... Me ensinar português?

-Claro! Com UMA condição.. – Ele me encara.- Me conta qual é a surpresa?

-Pare de ser curiosa, você já vai descobrir.

Bufo. Ele ri.

Ao chegarmos em casa, Chan faz comida, como de costume , e eu subo para o quarto para trocar de roupa.

Pego uma calça jeans bordô, um suéter bege e uma jaqueta jeans, coloco uma gargantilha e calço um tênis e desço.

-Vai demorar muito pra você parar de me enrolar e me mostrar essa tal surpresa?

-Coma primeiro...- Ele diz, me passando um prato com salada, e bife.

Bufo de novo e começo a comer.

-Chandler, vai demorar muito pra você acabar com esse mistério todo?- Pergunto, já impaciente.

Chandler ainda não me contou qual é a “surpresa”, e isso está me irritando.

-Espera, um minutinho.

-Olha, eu acho muito fofo todo esse lance de surpresa, mas eu to ficando irritada com você, Chandler

Silencio.

-Vou ter que subir ai pra você me contar?!

-Não!- Ele fala, do quarto dele.- Apenas, fique ai na cozinha.

Bufo, irritada.

Ele desce com um tipo de lenço azul escuro em mãos.

-Vire-se.- Ele pede, sorrindo.

Mordo os lábios, mas obedeço. Viro-me e ele cobre os meus olhos com o lenço.

-Certo, agora me de a sua mão.

-Onde você quer chegar com...

-Pare de discutir comigo, e me de a sua mão.- Bufo de novo, mas obedeço.

Ele me guia para algum lugar, só não sei para onde.

-Tudo bem, tem um degrau aqui, cuidado. Um de cada vez...- Subimos as escadas.- Certo, esse é o último... Okay, agora, só me deixe te guiar.

-Isso me assusta.

-Shiu! Olha, aqui tem mais escadas. Um de cada vez.- Subo um degrau, depois outro, e outro, outro,

outro, e outro.- Tudo bem, agora, fique aqui.

Ouço um barulho de cortina abrindo.

-Certo, pode tirar a venda.

Desamarro o nó feito por Chandler, e tiro a venda. Ao tirá-la, não consigo acreditar no que está diante dos meus olhos. Gostaria de falar algo, mas as palavras me faltam.

...


Notas Finais


Então, amorzoes, o que acharam?? Espero que tenham gostado! Até quinta que vem!
Roupa da Alice: http://www.polyvore.com/sem_t%C3%ADtulo_108/set?id=207465722


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...