História Stolen Hearts *JeonWu* - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kris Wu, Seventeen
Personagens Junghan "Jeonghan"
Tags Jeonwu, Kriswu, Storyfromrpg, Yoonjeonghan
Visualizações 11
Palavras 756
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Geeente, que loucura! Nunca pensei que fosse shippar JeonWu. Mas como eu disse: "o acaso nos leva a lugares inimagináveis"
Aqui estou postando o primeiro capítulo , que contém nossos turnos de "RPG" um pouco modificados. Logo você leitor entenderá do estou falando. Então para deixa-los inteirados, eu interpreto o Kris e a Yuno meu Jeonzinho, seme e uke, respectivamente. Por favor, dêem muito amor a esta fic, que em apenas dois meses tomou conta de ambos corações. Espero que gostem °*° ^^

Capítulo 1 - Just a little bite


Fanfic / Fanfiction Stolen Hearts *JeonWu* - Capítulo 1 - Just a little bite


~Kris P.O.V.

Nada era como eu realmente esperava que fosse, isto aqui parece um acampamento de verão para adolescentes, não um acampamento preparatório para resistir às máquinas humanas e impedi-los de exterminar as diferentes espécies de seres. Mas sabe, nada disso faz sentido na minha mente. Primeiramente porque eu sou um Demônio, segundamente porque nenhum humano consegue fazer metade do serviço de um imortal, terceiramente eu poderia acabar com tudo isso sozinho, mas aí não teria graça e eu não ajudo ninguém, e por último...TODOS TEMOS APARÊNCIAS HUMANAS, QUAL A PORRA DO PROBLEMA DESSES CARAS? Enfim, voltando ao início da história...Minha origem talvez seja um pouco peculiar. Sou descendente direto de Azazel, responsável pelo levantamento de faltas humanas, também conhecido como o Pecado da Ira, entre os sete príncipes do inferno. É isso aí, mas não me confunda com um mero e asqueroso nephilin, não sou metade humano. Sou completamente demoníaco, eu sou a prole direta do inferno, Azazel apenas enganou uma mortal qualquer e fez-me nascer em seu útero, portando um receptáculo normal de carne humana, mas que apartir dos meus 17 anos humanos, se destruíu completamente. Todos nós demônios possuímos um receptáculo, que é nada mais do que um corpo humano, que esconde nossa verdadeira aparência horrenda aos olhos de relés mortais e outras criaturas. 


Eu realmente havia me acostumado com aquele afeto materno, me sentia bem com aquilo, mas descobri que não existia afeto entre seres como eu. De todos os receptáculos em que eu vivi aquele era o que eu mais gostava, tinha uma aparência agradável aos olhos humanos, o que por sua vez facilitava meu acesso aos atraentes seres terrestres, ou até mesmo a outras criaturas. Sempre vivi facilmente, roubando coisas, tendo sexo à vontade, experimentando coisas mundanas às quais os humanos se viciavam, mas amor não era uma delas. Eu já estava em um nível de evolução demoníaco bem avançado, meus truques e magias eram bem mais potentes do que os iniciantes recaídos. eu costumava aplicar o Vipera para quase tudo, utilizava da Penitência mental para fazer o humano se culpar e sofrer pelo resto de sua vida e por meio do Punire, me alimentava de seus pecados e corrompia suas almas, mas não era só assim que minha vida seguia. 


Não era completamente mau e manipulador, mas tenho sérias crises de raiva e isso gera sérias consequências na maioria das vezes. Corrigindo...todas as vezes. Fora isso eu vivo como se fosse um humano comum, fazendo idiotices e tendo tudo de graça quando bem entender. Tenho uma adorável casa em Austin nos EUA, que era o meu refúgio, o único lugar em que me sentia em paz. 

Houve uma grande convocação de criaturas de todas as espécies, para participarem unindo forças e atacando as forças armadas das grandes potências mundiais. Fui atrás desse tão falado esconderijo situado em uma ilha distante, sem nome e localização exata. Aquele lugar possuía barreiras incrivelmente fortes, e era praticamente natural, a não ser pela grande construção central onde todos estavam alojados. Haviam algumas cabanas médias de material sólido onde provavelmente seres que eles julgavam mais “importantes”, deviam ficar. Uma dessas cabanas estava sendo disposta para a distribuição de tendas, nas paredes do lado de fora da mesma, haviam folhas com os nomes de cada ser junto com o número de sua tenda e com quem a dividiria. Revirei os olhos em pura decepção.

”Isto aqui é um tédio. Pensei que fosse ser mais divertido.”

Pensei comigo mesmo após passar pelo processo da lista, onde segui até minha tenda. O que eu estava fazendo ali mesmo? Meu suposto “colega de quarto não apareceu no primeiro dia, o que me fez começar a rodar aquela maldita ilha à procura de algo interessante, mas não havia nada. Não sabia porque tinha esperanças. Segundo dia: nada. Terceiro dia: nada além de persuadir belos seres a se submeterem aos meus desejos sexuais. Ao quarto dia, estava na minha tenda olhando o grande vazio sem significado que era estar ali e me irritei profundamente. Mais um dos maravilhosos acessos de raiva. Comecei pelos travesseiros destruindo logo tudo o que via pela frente, a cada coisa quebrada e rasgada, com mais raiva eu ficava, deixei que minhas garras se fizessem presentes junto com os olhos vermelho-escuro. Sem nem mesmo perceber, comecei a gritar loucamente enquanto terminava de socar os ferros da armação da cama, até que um elfo suficientemente ousado e corajoso parou na entrada de minha tenda me mandando calar a boca. E claro, eu quis socar aquela carinha linda.



Notas Finais


Por favor, me ajudem a divulgar! Espalhem para os amiguinhos e faça-nos entrar no nosso mundo mágico, heoeheoehue. Obrigada por ler, Beijinhos calorosos do Kris 🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...