História Stone Cold - Capítulo 13


Escrita por: ~

Exibições 37
Palavras 1.581
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 13 - When I think of not to make matters worse, worse


Fanfic / Fanfiction Stone Cold - Capítulo 13 - When I think of not to make matters worse, worse

                   Pov's Alisson

Lorrane não pode nem sonhar porque que eu vim para Nova York, por mais que eu tenha vontade de lhe falar a verdade acho que seria um choque para a mesma saber disso tão derrepente.

Ela já está passando por tanta coisa, tantos problemas, não quero que ela se preucupe com mais um.Na hora certa irei lhe dizer,se é que tem hora certa.

Depois de terminar o meu café da manhã,me despeço do meu pai e meu irmão lhe dando um beijo,em seguida  sigo rápida indo para a escola pois já estou minutos atrasada.

                 Pov's Lorrane

Estou andando a caminho da escola, mas não consigo parar de pensar onde aqueles cds foram parar, a alguns minutos atrás quando estava em casa ainda tomando café da manhã, perguntei novamente para Ella se a mesma não teria visto eles, mas ela negou de novo.

Eu não sei porque, mas eu tenho uma pequena impressão que Ella está me escondendo algo, eu não gosto de mexer nas coisas dos outros mas se ela pegou esses cds e está escondendo de mim, eu mesma vou até o seu quarto procurar.

Meus pensamentos estão longe, preciso descobrir quem foi a pessoa que pegou aqueles cds de mim, e porque.

—Ai. Tropeço em uma pequena pedra que se encontrava a minha frente.

—Pensativa? Uma voz conhecida fala atrás de mim.

—Oque voçê está fazendo aqui?

                  Pov's Théo

Esse clima que está entre mim e Lorrane, eu não estou gostando nada disso,eu falei a ela que iria respeitar se a mesma não quisesse falar comigo eu não insistiria,mas do jeito que as coisas estão indo acho que para ela tanto faz como tanto fez se não estamos conversando mais.

Faz minutos que estou sentado nos degraus da frente da escola esperando por ela,mas hoje Lorrane está demorando mais do que o custume para chegar.

A minha cabeça está baixa enquanto os meus olhos estão focados nas gramas que estou arrancando do chão, Olho mais uma vez em volta a procura de Lorrane mas não a vejo, então decido entrar de uma vez, Acho que ela não vem hoje. Penso.

Me levanto ainda em cima de um degrau posiciono minha mochila no ombro,quando vou dá meia volta para adentrar a escola avisto Lorrane com alguém ao seu lado,que percebi ela está louca para se livrar.

—Deixa ela. Digo tentando ser o mais calmo possivél.

—Voçê é surdo garoto? Me deixa. Ela joga o braço do mesmo que estava em volta de seu pescoço para longe dela.

—Agente ainda vai se ver muito por aqui.

O mesmo dá alguns passos para longe de Lorrane, ficando agora mais proximo de mim ao meu lado direito. —Maninho.

Ele gesticula discretamente oque disse com a boca para que somente eu entendesse oque ele havia acabado de dizer.

Voçê está bem?Vou para perto de Lorrane colocando meus braços em seus ombros.

—Estou sim.Afirma.—Voçê conhece ele?

—An,é... não,não,claro que não.Digo nervoso junto a vários gaguejos.

—Porquê?De onde voçê conhece ele? Pergunto curioso.

—Bom, ele é o meu ex-namorado, o nome dele é Thomás.

Assim que ouço Lorrane dizer isso arregalo os meus olhos, automaticamente frazo as sobrancelhas e olho para o lado como se estivesse procurando alguém. Sem me despedir dela saiu dalí imprecionado com o que Lorrane acabou de me falar.

                  Pov's Lorrane

Eu não acredito que Thomás está de volta, oque que esse garoto veio buscar aqui? Ele é muito cara de pau de vir me procurar depois de tudo que ele fez comigo, eu não entendo a cabeça dessa pessoa, sinceramente eu não entendo, fazer alguém de palhaça se mudar para outra cidade, e depois decidir aparecer assim do nada com a maior cara de sinico como se não tivesse acontecido nada.

O sinal acaba de tocar, é a hora de almoço, hoje as aulas se passaram tão rápidas que nem vi o tempo passar, literalmente. Eu estava tão concentrada em meus pensamentos que não escutei uma palavra vinda dos professores.

                    Pov's Théo

Não estou com muita fome hoje, então decidir ficar sentado em uns vários degraus que ficam no corredor ao lado dos armários.

—Para onde vai com tanta pressa?

—Nem reparei que estava andando rápido.Me responde.

—Está indo almoçar?Pergunto.

—Não, não estou com fome, não hoje.

—Se quiser me fazer companhia fica a vontade. Rio de mim mesmo fazendo com que Lorrane dê um pequeno sorriso de lado.

—Tabóm. Diz a mesma sentado em um degrau a baixo do meu.

—Alguma novidade? Olho para a minha frente evitando olhar para lorrane, não queria lhe deixar desconfortavél.

—Não nenhuma, só problemas. E voçê?

—Também, só problemas. Digo.

—Quer dividir? Lorrane inclina sua cabeça para cima me olhando.

Péssima ideia.Penso. —Melhor não.Digo.

Logo, logo eu e Lorrane arrumamos algo para conversar, a mesma estava meio timida no começo, acho que por fazer tempo que conversamos sem ter discussão no meio, mas logo ela relaxou oque me deixou muito feliz por ver que a minha relação com a mesma ainda tem chance de melhorar.

O sinal tocou novamente, teriamos agora que nos separar pois teriamos aulas diferentes, me despedir de Lorrane com um Até Mais. E fui direto para a minha sala de aula logo depois.

                  Pov's Alisson

Eu não encontrei Lorrane na escola hoje, não sei se é porque ela faltou ou porque essa escola é enorme, bom de todo jeito se ela veio para a escola irei lhe ver na sala, pois agora teremos uma aula juntas.

Vou rumo a última fileira do lado esquerdo sentando na última cadeira, ainda não conheço muitas pessoas por aqui e também não sou muito boa em fazer amizades mas acho que eu me dou bem sozinha, então prefiro assim.

Enquanto o professor de inglês não chega, pego o meu fone, conecto com meu celular e permito que minhas músicas começem a tocar aleatoriamente.

Estico os meus pés para debaixo da cadeira que está em minha frente e jogo minha cabeça para trás deixando a mesma encostada na cadeira onde estou sentada.

—Pensando em que?

Sinto alguém puxar o fone do meu lado direito do ouvido me fazendo ter um susto pois eu já estava cochilando alí mesmo.

—Oque voçê disse? Pergunto confusa.

—Não importa. Lorrane rir da minha reação. —O professor de inglês não vem hoje. Termina.

Escuto oque Lorrane me disse mas sem consiguir parar de olhar para um garoto que acaba de adentrar a sala de aula.

—Lorrane, quem é esse? Pergunto dando enfâse na frase.

A mesma me olha estranho, em seguida vira a cabeça de imediato para a porta em busca de ver a quem eu me referia.

—Oquê? Ela diz ao ver o garoto.

—Oque foi? Ele é lindo não é? Pergunto animada sem parar de olhar para o mesmo que se senta na fileira do meio.

—Alisson nem pensar, esse garoto não faz o seu tipo.

—Voçê por acaso conhece ele?

—Si...Não, não conheço, mas ele tem cara de ser uma má pessoa.

—Qual é o nome dele? Ignoro tudo oque a mesma me falou.

—É Thomás. Lorrane revira os olhos.

Prendo meu lábio inferior contra os meus dentes sorrindo pelo de canto o mais discreta possivél, enquanto ainda adimirava aquele lindo garoto que parecia perdido em meio a tanta gente na sala de aula. —É um nome bonito.

                 Pov's Lorrane

Como assim? Oque Thomás está fazendo na mesma sala que eu? Era só oque faltava para complementar o meu azar.—Ali, oque voçê está fazendo. Seguro no pulso da mesma que anda em direção a Thomás.

Eu vou falar com ele. A mesma puxa com força o seu pulso da minha mão.

   Isso não vai dá certo, eu posso sentir

Apenas fico no meu canto observando Alisson conversar com Thomás que quem não conhece até pensa que esse ser é inofensivo, mas não é! Eu lhe conheço o suficiente para saber que não.

Percebo que de vez enquando Thomás olha para mim e sorrir sinicamente, reviro os meus olhos e balanço a minha cabeça negativamente buscando olhar para algo mais interessante que não fosse ele.

Me levanto da minha cadeira andando até a porta da sala de aula, logo depois saindo indo a caminho do banheiro.

Abro a porta do mesmo lhe fechando no mesmo instante, me direciono de frente a pia posicionando minhas mãos na mesma enquanto encaro o meu reflexo no espelho a minha frente.

Escuto a porta do banheiro ser aberta e depois avisto Thomás entrar de imediato no mesmo. —Acho que voçê errou de banheiro. Lhe encaro séria.

—Eu também sentir saudades.

—Não lembro de ter dito que eu senti a sua. Olho para o reflexo do mesmo pelo espelho.

—Calma, não precisa atirar pedra.

—Oque voçê quer em? Porque voçê voltou? Me viro ficando em sua frente.

—Eu mudei Lorrane.

—Voçê acha mesmo que eu vou acreditar em voçê outra vez?

—Me dá uma segunda chance, e eu te mostro que voçê pode acreditar em mim outra vez. Ele se aproxima ficando mais proximo de mim.

—Se voçê dá mais um passo eu grito.

—Porfavor Lorrane. O mesmo implora fazendo cara de coitado.

—Eu já te dei um segunda chance Thomás, não vou dá outra. Digo grossa.

Sem permitir que o mesmo falasse mais alguma coisa, saiu de sua frente me dirigindo para a porta do banheiro, que ao sair do mesmo fecho a porta do banheiro batendo a com bastante força.

   Inacreditavél, Quando eu penso que não dá para piorar, piora.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...