História Stories - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias CNCO
Personagens Christopher Vélez, Erick Brian Colón, Joel Pimentel, Personagens Originais, Richard Camacho, Zabdiel De Jesús
Tags Cnco, Estorias, Imaginação, Imagines
Visualizações 34
Palavras 759
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem, pupunhas

Capítulo 8 - A Garota Reggaetón Lento


Sorri ao ver os garotos subindo no palco, felizes e logo animando o público. Não sabia se chorava, ria ou cantava, só sei que acho que fiz os três juntos — ou tentei, né.

Depois de um tempo de show, o som da minha música preferida foi ouvida.

— Qué bien se ve — Erick começou e eu comecei a pular que nem uma louca, gritando e balançando as mãos na direção do palco. Agradeci por ter conseguido uma VIP de última hora.

— Não, não, espera aí, Erick. — Chris o interrompeu, e o mesmo o fitou confuso. — O que acha de fazermos algo diferente hoje? — Ele trocaram olhares cúmplices e sorriram. E eu? Berrei mais que tudo ao ver aquela cena. Sorrisos lindos, pessoas lindas, tem como não berrar?

— O que você vai fazer? — Erick questionou e os garotos pareciam tão confusos quanto o Erick.

— Verás, meu caro amigo, verás. — Ele riu e caminhou até a ponta do palco, passando os olhos pela multidão.

Esse gesto levou as garotas ao delírio, mas eu apenas tratei de tentar enxugar minhas lágrimas pra ver se entendia o que estava acontecendo ali.

— Você aí. — Ouvi a voz de Chris e levantei o rosto, olhando para os lados ao ver ele apontar na minha direção. — Isso, você. — Ele riu e eu fiz uma expressão confusa, segurando a deusa interior que queria gritar e chorar mais ainda por ele estar falando comigo.

— Eu? — Apontei pra mim mesma e ele assentiu. As garotas ao meu lado me empurraram e gritaram, histéricas e eu não fazia ideia do que tinha que fazer.

Chris se agachou e chamou um segurança, sussurrando algo no ouvido dele e o mesmo assentiu, vindo na direção da minha grade. Fitei-o confusa e ele me carregou para o lado de dentro, me fazendo, dessa vez, gritar de alegria.

— Ai meu Deus, o que eu estou fazendo aqui? — Indaguei a ele enquanto ele me empurrava para próximo do palco.

— Sigo ordens, senhorita. — Ele disse, simples e me ajudou a subir no palco.

Chris sorriu e veio na minha direção, me fazendo cambalear e, se o segurança ainda não estivesse ao meu lado, eu teria despencado dali e quebrado todos os meus ossos.

— Qual é o seu nome? — Ele perguntou em meu ouvido. Minha expressão devia ser de espanto. ALGUÉM ME BELISCA POR FAVOR, ISSO NÃO PODE SER REAL.

— S-S/N. — Gaguejei e ele me abraçou de lado, se virando para a platéia.

— Pessoal, essa é a S/N. — Ele disse no microfone e as garotas começaram a gritar novamente. — Ela será uma garota especial hoje. Mais do que já é. — Que raios estava acontecendo? Alguém pode me explicar?

Ele me levou até os garotos e um por um me abraçou, sorriram e eu não consegui segurar as lágrimas, começando a controlar novamente minha histeria interior.

— Ela vai ser a nossa Garota Reggaetón Lento. — Chris explicou, dando um sinal para Erick voltar a cantar e a música voltou a rolar.

Os garotos me rodearam e eu pus a mão na boca, sorrindo e ainda não acreditando no que estava acontecendo.

— Qué bien se ve, me trae loco su figura — Erick se aproximou de mim enquanto cantava, me olhando de cima a baixo e demonstrando que estava cantando aquilo para mim.

Os garotos fizeram o mesmo, e a música foi resumida neles me comendo com os olhos e dançando o Reggaetón comigo. Okay, agora eu já posso pirar???

— Ese trajito corto le queda bien, combinado con su lipstick color café — no final da música, os garotos se afastaram de mim e Erick se aproximou, colando os nossos corpos e passando sua mão livre em meus lábios. Minha deusa interior vibrou? Certeza absoluta! — Qué bien se ve. — Ele finalizou sorrindo maliciosamente na minha direção e pude sentir sua respiração bater contra o meu nariz.

Fui desperta dos meus pensamentos ao ouvir os gritos dos garotos, que começaram a pular ao nosso redor, tirando gracinhas e se empurrando em cima de nós.

— Erick, seja mais discreto! — Richard zombou, me fazendo rir fraco e balançar a cabeça.

— Intervalo, baby. — Joel disse, abrindo um sorriso malicioso pra mim. Vem cá, você não sorri desse jeito pra mim senão eu morro, viu?

— Vem comigo. — Erick sussurrou em meu ouvido, segurando em minha mão e me puxando para sair do palco. Provavelmente para o backstage.

Ri e assenti, dando um gritinho histérico e ouvindo os gritos das fãs e as piadinhas dos garotos assim que nós deixamos o palco.


Notas Finais


Hey hey hey, QUERO SER A GAROTA REGGAETÓN LENTOOO AAAAH ❤😍
Até amanhã, babies


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...