História Stories Lost in the Time - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Amor Doce
Exibições 9
Palavras 2.208
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


oie então cap novo pq já tinha ele escrito

espero que gostem <3

Capítulo 2 - A


    

     Acordei pela manhã com Dragon em cima de mim.

- calma garoto!  Já vou! Dragon! Okay você venceu já estou acordando - digo me levantando da cama e indo tomar um banho rápido para me livrar da baba de cachorro.

     Enquanto tomava banho e me vestia Dragon ficou deitado em algumas almofadas com a cabeça sobre as patas. Eu teria que leva-lo de volta antes que o dono percebesse, se já não havia percebido.

     Pego a mochila e olho para Dragon e o chamo para junto a mim, o mesmo começou a me seguia sem pestanejar, parecia que ele tinha entendido o trato que havíamos feito noite passada, era tão fofo. Deço as escadas, pego um pacote de salgadinhos que havia trazido comigo na viagem, iria come-lo no caminho da escola, teria que ir ao mercado com urgência, estou sem comida. Sai pela porta dos fundos que dá para o quintal, caminho até a portinhola abrindo-a para Dragon passar, antes que ele fosse me agacho para fazer carinho atrás de sua orelha.

- Nós fomos qualquer dia garoto- ele lambia minha mão e pedia carinho- olha eu posso ser coração mole mas você não vai me convencer com essa carinho de cachorro que caio da mudança. - o mesmo bufou e deu de costas contrariado- Ha ha vamos você tem que voltar para seu dono.

     Fecho a portinhola quando Dragon volta para casa do garoto ruivo. Volto para dentro para pegar o celular que havia ficado em cima da bancada.

- Vamos lá Anne, primeiro dia de aula, vida nova, uma segunda chance tudo que você queria, além do mais, e só o ensino médio, não deve ser tãaao horrível assim.- depois do meu discurso motivacional para mim mesma, tomo coragem para continuar o que estava fazendo.

     Tranco a porta dos fundos e saio pela da frente, trancando-a logo em seguida.

     Estava prestes a me virar quando sinto passando pela minha cintura, fico estática e completamente parada, logo em seguida sinto uma leve respiração em meu pescoço seguido de uma voz rouca falando em meu ouvido.

- Então por que você roubou meu cão?  - depressa viro-me e dou um tapa em quem quer que fosse, depois abro os olhos para ver quem era.

- Seboso?! – assim que disse ele sorriu.

- Você ainda vai me chamar assim? – Castiel se referia ao apelido que dei a ele quando eu tinha onze anos, o que eu podia fazer? Havia acabado de terminar toda saga de Harry Potter, e ele tinha cabelos pretos e compridos na época, não podia perder a oportunidade.

- Nã, agora vai ser tomate. – digo rindo. – Mas não justifica você ter me agarrado! – falo fingindo raiva.

-calma baixinha eu só lhe fiz uma pergunta. Que aproposito você não respondeu, não precisava ter passado para agressividade. - Diz me olhando e rindo de leve.

- Bem eu não roubei seu cachorro! - me defendo - ele estava aquando muito ontem a noite então abri a portinhola para ver o que ele queria - ele continuava me encarando, esperando uma resposta - então ele saiu correndo para dentro de minha casa e eu não consegui tirá-lo de lá!

- ta bom, acredito! – diz rindo um pouco. -  Então, quer carona?

-Claro, como sabe qual escola eu estudo?

- somos colegas.

- Não respondeu minha pergunta. – digo imitando-o.

-A diretora Shermansky, diretora da Sweet Amories, é membro do conselho do Clã, anunciou a sua volta uma semana atrás.

     Ele abriu a garagem revelando uma moto, ok, já havia andado de moto antes, eu até tinha uma moto quando morava com tia Agatha nos estados unidos, mas era diferente na minha concepção, e além disso tinha certeza que o Castiel iria acelerar bastante.

     Relutante subi na moto e em menos de 5 minutos já estávamos na frente da escola.

       Deço da moto estava prestes a me virar e entrar na escola quando ouso-o dizer.

- é isso? Quem disse que a carona foi de graça? 15 contos pela corrida viu! – diz com um sorriso torto.

-Mal ai mas hoje eu estou dura, e além do mais, a diretora deve estar me esperando para completar minha fixa. – dito isso corri para dentro da escola.

     Por fora a escola Sweet Amories era completamente cor-de-rosa, por dentro os vastos corredores brancos eram recheados de alunos correndo de um lado para o outro para pegar seus horários e arrumar seus materiais nos armários.

     Assim que entrei fui atendida por Nathaniel, o loiro herege que mora em frente à minha casa, ele parecia que já estava a minha procura.

- Anne, estava a sua espera, a diretora Shermansky me pediu para te levar até a sala dele e lhe explicar como a escola funciona nesse meio tempo. – Explicou.

-Claro, é bom te ver de novo Nathaniel, você não mudou nada! – Acho que ele entendeu a brincadeira, Nathaniel é herege, metade vampiro metade bruxo, na última vez que nos vimos eu tinha doze anos, e dês de que o conheci ele aparenta ter a mesma idade, assim como sua irmã Ambre e Castiel. – Bem, o que tem para me explicar sobre a escola?

- Há, claro, bem a maior parte dos estudantes são sobrenaturais, e todos já foram informados da sua presença aqui, o conselho insistiu em mandar guardas para fazer rondas aqui durante seu período de aula, eles, assim como alguns professores, são treinados para garantir sua proteção. – Ótimo, vou ficar rodeada de babas.

     Continuamos andando pelos corredores até a sala da diretora, a velha Shermansky é uma antiga membra do conselho do clã, lembro-me que ela costumava me assustar quando eu não me comportava direito durante as assembleias ou reuniões do conselho, resumindo eu definitivamente não gostava dela.

     A sala da diretora era estranha, as paredes pintadas de um tom claro de cor-de-rosa, com a maior parte da mobília branca, armários brancos com portas de vidre e fixas de alunos dentro decoravam a parede atrás da mesa da diretora Shermansky, na parede ao lado havia uma janela com cortinas brancas com laços rosas, as outras com fotos de ex-alunos e professores. Eu só conseguia pensar que estava no escritório da Dolores Umbridge, só que sem os pratos decorativos de gatos.

    A diretora estava sentada na cadeira cor-de-rosa atrás da mesa branca me olhando com desgosto.

- é aqui que eu te deixo. – disse Nathaniel saindo da sala.

     Assim que comecei a caminhar em direção as poltronas para me sentar, ouso um rosnado. Um cachorro, provavelmente vira-lata deitado em uma caminha cor-de-rosa, me olhava rosnando.

- Totó, quieto! – disse a diretora com voz autoritária. – sente-se senhorita Vogel.

     Me sentei quieta na poltrona branca enquanto a diretora me encarava, ela parecia estudar cada movimento meu.

-Fico feliz com a sua decisão de voltar para França, assim como o Clã, aqui poderemos te proteger melhor do que a Agatha fazia nos Estados Unidos. – Não faz cinco minutos que eu estou conversando com essa velha e já estou com uma raiva imensa, ela sempre foi contra eu ir morar com tia Agatha na América, sempre alegou que eu estaria desprotegida lá. – Bem mas a questão não é essa, a questão aqui é sobre sua volta.

-Como você sabe, o conselho tenta achar um jeito de quebrar o bloqueio posto por sua mãe dês do dia do incidente, durante o tempo que ficar aqui, nós do conselho continuaremos a procurar uma forma de fazer você retornar ao que era, mas precisamos de sua colaboração, assim lhe pedimos que atendera ao chamado do concelho assim que requisitada, e que comece um treinamento com algum bruxo que for designado para ser seu tutor, decidimos tentar escolher alguém com mais ou menos da sua idade, achamos que teria melhor convivência com essa pessoa se fosse assim.

- Vocês tem alguma previsão de quando conseguirão romper o bloqueio? Não quero esses guardas me segundo o tempo todo. – perguntei.

- infelizmente não, as dicas dadas por sua mãe foram muitos vagas, e mesmo que não fossem não saberíamos como quebrar as duas maldições de transformação ao mesmo tempo, você sabe, morrer com sengue de vampiro no corpo e matar uma pessoa, sangue de vampiro já corre em suas veias mas não teríamos como te matar e fazer você matar alguém ao mesmo tempo, temos que ter certeza quando fomos tentar algo, caso não dê certo, você morrerá, e levara toda a espécie sobrenatural com você. – Sem preção.

- Ahh, e quanto as minhas aulas?

- Bem quase sua turma inteira é sobrenatural, com exceção de alguns poucos, a maioria você já deve conhecer também. – ela me entregou duas fixas, uma com minha sala e meus horários de aula e a outra com meus armários e inscrição para os clubes de dança e música. – Aqui, vi que vez a requisição para esses clubes ontem a noite, agora vá para aula, sua turma é a 202 sala B.

     Sai da sala da diretora e comecei a caminhar pelos corredores a procura da minha sala, depois de alguns minutos vagando sozinha eu achei, a aula já havia começado. Bati de leve na porta e a abria assim que ouvi um “entre”.

- Desculpe o atraso eu sou Anne Vogel. -  disse ao professor, ele era alto e aparentava ter uns quarenta anos, usava óculos e tinha cabelos castanhos.

- Ah claro senhorita Anne sente-se, eu sou professor Faraize e serei professor de História desse ano. – assenti e me sentem na única cadeira livre na sala.

     A minha frente sentava um garoto de cabelos azuis com os fones nos ouvidos, assim que sentei ele me lançou um sorriso simpático que eu retribui logo em seguida. Ao meu lado a garota de cabelos platinados que vi no dia da mudança, assim como o garoto ela me sorrio simpática. No outro lado sentava um garoto com roupas da época vitoriana e cabelos platinados que mal parecia notar o que acontecia ao seu redor de tão concentrado em escrever no pequeno bloco de notas.

     As aulas passaram rápido, assim que me dei conta os três primeiros períodos haviam acabado e já era hora do intervalo, calmamente me levantei e comecei a caminhar em direção ao pátio.

     Quando estava na metade do corredor senti uma mão me puxar, assim que olhei para traz o garoto de capelo azul e a platinada me olhavam sorrindo.

- Oi... – disse o garoto. – Meu nome é Alexy e essa é a Rosalya. – estava prestes a me apresentar quando ele me cortou. – Já sei seu nome a velha Shermansky anunciou que você voltaria uma semana atrás.

- Ah, sim claro. – eu já falei que odeio isso? Precisar ser anunciada, todos saberem quem eu era, é muito estranho.

-Bem eu e meu irmão fomos designados para sermos seus tutores de magia. – disse com um sorriso. – pensei que poderíamos conversar um pouco, já que você e nova aqui e tudo mais.

- ah, claro eu adoraria! – Sorri, seria bom me entrosar com alguém, e eles pareciam ser bem legais.

     Assim os dois me levaram escola a dentro, não consigo lembrar por quantos corredores passamos até chegar no porão, mas foram vários e tenho certeza que eu não saberia voltar para sala sozinha. Ficamos sentados onde parecia ser um palco comendo salgadinhos e conversando.

     Acabei por descobrir que Alexy e seu irmão gêmeo Armin começariam os treinos comigo na sema que vem, para mim poder me habituar coma cidade primeiro. Ele era realmente muito legal, acho que acabei por ficar amiga dele, ele me contou que é gay o que eu não achei nada de mais, marcamos que ele iria na minha casa por essa semana junto com Rosalya para irmos no centro, faz tempo que não perambulo pela cidade e com eles não terei como me perder.

     Já Rosalya de cara se percebe sua personalidade, ela é bem extrovertida e adora conversar, ela é vampira, mas recém criada, está para completar vinte quatro anos mesmo aparentando ter dezesseis, me perguntou várias coisas sobre os Estados Unidos e as línguas que eu falava, os dois entraram em pânico quando eu disse que dançava, e quase me obrigaram a dançar ali mesmo no porão.

     O sinal para voltar as aulas bateu poucos minutos depois que a conversa começou a ficar legal, voltamos todos juntos para sala, e passamos o resto dos períodos conversando tanto que os professores já devem ter decorado meu nome de tanto me chamar a atenção.

     No final da aula voltei de-a-pé junto com a Rosalya, ela me apresentou ao platinado que senta ao meu lado durante as aulas, disse que o nome dele era Lysandre, ele é bem gentil. A Rosa mora com ele e o irmão na casa em frente a minha, perguntei a Rosa por que de Lysandre não voltar com a gente mas ela disse que ele tinha ensaio da banda, dei de ombros e voltamos a caminhar.

     Assim que cheguei em casa me atirei no sofá da sala prestes a dormir de tão cansada, mas lembrei que ainda teria que ir ao mercado comprar comida e copiar a matéria que faltava devido ao fato de ter ficado conversando nas aulas.

     Pensei em levantar do sofá e começar a fazer tudo que havia par fazer, mas assim que me dei conta já estava dormindo.


Notas Finais


favoritem pfv e comente o que acharam <3
beijos de paçoca


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...