História Alternative Future(Sobre edição) - Capítulo 80


Escrita por: ~ e ~ritobeta1

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Frisk, Mettaton, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Chariel, Charisk, Error!sans, Frisk Overpower, Ink!sans, Male Frisk, Papyton, Romance, Sanrisk, Toriel X Asgore, Undertale
Exibições 92
Palavras 4.832
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Magia, Mecha, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Skol está aqui, existia um ditado que eu escutei a muito tempo e eu fiquei imaginando uma maneira que ele poderia ser utilizado "Ou você morre como herói ou vive o suficiente para se tornar um vilão" foi então que eu pensei... Existe alguma história onde o "bonzinho" personagem principal se torna realmente "Evil"? Vocês sabem que meu maior desejo em começar essa fanfic foi escrever sobre uma história que normalmente eu procuro e não acho... Vamos começar? :3


Não esperem mais "virtude" vindo do Frisk, ele vai ter vários Pov ainda mas não vai ser a mesma coisa, não vai ser aquelas histórias de "mudança de personalidade" onde ele fica apenas um pouco mau... As frases serão clichés no inicio mas apenas esperem...
Essa parte foi uma ideia que eu tive quando eu li ZombieTale... O que aconteceria se um zumbi tivesse personalidade e um LOVE gigantesco? :3

Capítulo 80 - "Deus Louco"


Fanfic / Fanfiction Alternative Future(Sobre edição) - Capítulo 80 - "Deus Louco"

Pov. ???

Eu abri os olhos e olhei para o céu - Eu esperei durante muito tempo para assumir o controle, eu finalmente estou livre! - Um sorriso se formou no meu rosto, eu estive sendo contido por décadas, talvez até mesmo séculos, eu não sei... Nada disto importa agora, pois eu é que mando nessa porra a partir de agora! - Philipe! Philipe! Responda! Por favor fique conosco! - Escutei várias vozes vindo de um lado e olhei para eles, humanos de carne e ossos estavam desesperados em torno de um cadáver velho... Por isto humanos são tão patéticos, olhei em todas as direções que eu podia e encontrei algo bom dentro da casa onde eu estava na porta.

 

Tinha um homem segurando algo estranho na mão, ele parecia feliz olhando para o cadáver velho, por algum motivo a atitude dele estava me irritando então eu me aproximei para mais perto dele de maneira sorrateira - Do que você está rindo? - Perguntei com um sorriso no rosto e ele soltou um objeto estranho que estava perto do ouvido dele e apontou uma das coisas estranhas para mim - Aquele era seu pai pirralho? Sinto muito mas eu vou receber uma grana aqui - Até mesmo para mim que tinha acabado de acordar era possível sentir a confiança emanando deste humano, sorri e cheguei mais perto até ele estender o braço para me afastar... Foi nesse momento que eu...

 

Homem - Filho da! - Abri minha boca com todas as minhas forças e enfiei meus dentes no braço dele, o homem começou a balançar o braço tentando me tirar, eu aproveitei o desespero dele e pulei no pescoço dele com a boca aberta e cravei meus dentes com toda minha força na sua garganta, o olhar de desespero nos seus olhos era maravilhoso, então eu continuei mastigando até ele cair no chão igual a carne que ele devia ser, foi um banquete maravilhoso até eu ser incomodado pelos humanos de antes.

 

Humanos  - Que porra de criatura é você?! Foi você que matou o Philipe?! - Falaram eles apontando aqueles objetos estranhos para mim, eu sorri e me levantei deixando o corpo já mastigado no chão, dei um mini arroto e olhei para eles com o melhor sorriso que eu poderia ter - Vocês são minha próxima refeição? Eu ainda estou com fome afinal - Um deles fez o objeto estranho atirar algo na minha direção, segundos se tornaram minutos para mim, tudo estava em câmera lenta, com um passo para o lado eu me esquivei da pequena coisa que estava voando na minha direção e pulei em direção aos humanos com a minha mão em forma de garra, desperdiçar comida é um pecado afinal!

 

Não foi muito difícil matar eles, eles contavam demais com aquele objeto inútil e a única coisa que eu fiz foi enfiar meus dentes nos seus pescoços que eles caíram sem reação enquanto outros eu apertava suas gargantas até seus olhos virarem e eles caírem no chão com a carne intacta, continuei minha brincadeira até que cada um deles estava deitado no chão incapacitado, um sorriso que possuía a maior felicidade do mundo surgiu no meu rosto e eu bati as duas mãos - itadakimasu! - Assim eu comecei o banquete!

 

Pov. Narrador

 

Frisk tinha decaído mais do que ele imaginava, LOVE sozinho já era capaz de o afetar e deixa-lo mais agressivo, mas Frisk desconsiderou algo antigo nele. Talvez por ser algo que ele já estava acostumado, ele foi descuidado e esqueceu o motivo pela sua incapacidade de morrer e assim chegou a situação atual.

 

Frisk mesmo que possa ser chamado de imortal ou divindade por outros, ele ainda é apenas um humano normal, talvez não tão normal como deveria mas seus sentimentos humanos são tão genuínos quanto qualquer um. Integridade para sempre ser bom com quem ama, justiça para punir os malfeitores, bondade com quem é bom para Frisk, perseverança para fazer o que acha correto sem parar de seguir em frente, paciência para ficar sempre calmo independente da situação, bravura para exercer seu poder máximo em situações desesperadoras usando seu corpo como um escudo e como uma arma para escapar dessas situações e por último mas não menos importante... Determinação.

 

Determinação é considerada a alma mais poderosa entre as demais, a junção de cada alma forma no fim "determinação" a vontade de viver, a vontade de persistir tão parecido com perseverança mas tão diferente, determinação é um poder instável capaz de entrar em colapso. Tão dependente de sentimentos mais do que qualquer outra alma, determinação tem um limite seja negativamente ou positivamente.

 

Em seu poder máximo determinação é capaz de resistir a própria morte, fragmentando a própria alma em partes minúsculas se tornando abaixo de 0,9 de HP e em seguida se formando novamente a partir de pedaços minúsculos em uma alma cheia. Durante esse tempo de reconstrução a alma é enviada ao vazio antes de "reencarnar", todas as almas tem esse poder em uma menor potência que a determinação em si.

 

Mas tem um erro fatal com a determinação, diferente de todas as outras almas da virtude, a Determinação pode ser usada para o mau tanto quanto para o bem, assim como Frisk pode salvar inúmeras pessoas ele também pode matar inúmeras. Uma faca de dois gumes é a melhor descrição da Determinação, o poder de decidir entre o bem e o mau, a vida e a morte e manter ambos em equilíbrio.

 

Mas acima de todos os problemas emocionais de Frisk ele estava infectado, infectado pelo Zombie!Frisk, a centenas de anos se acostumando com a sensação que se encontra profundamente no reino de sua alma, um pedido bestial para ser livre, para consumir tudo e todos, para saciar a fome colossal e sem limites que sua alma possuí.

 

Esse sentimento negativo foi confinado dentro de Frisk, no canto de sua alma uma mancha escura vivia, tão pequena e tão frágil com uma figura idêntica a Frisk mas sombria.

 

Um sentimento, uma consequência, uma maldição causada por uma mordida, estresse acumulado repetidamente, morte de quem ama... Qualquer humano cairia nas mesmas situações, talvez se Frisk não estivesse tão cansado de estar lutando contra si mesmo, tentando reprimir dentro de si os sentimentos que querem tanto ser gritados em voz alta - Por que Chara tinha que morrer? Por que eu tenho que viver?! - Ele fez amigos, mas ele sabe que todos um dia também vão morrer, não importa o quanto ele ame... No fim ninguém vai vir quando ele chamar pelo nome, quando uma pessoa continua sofrendo constantemente, ela começa a enlouquecer aos poucos, definhar por dentro e talvez mudar a própria perspectiva do mundo para uma maneira mais obscura.

 

Esse infelizmente não era o caso de Frisk, sua Determinação estava na sua fase mais fraca, talvez pelo acumulo de LOVE repentino ou pela morte de seu filho em frente aos seus olhos... Talvez a junção de tudo que Frisk passou até então. Com esse sentimento negativo em espiral, um novo ser foi criado dentro de sua alma, Chara em várias timelines diferentes também se tornou perversa pelo acumulo de LOVE de Frisk, Chara nunca foi realmente maligna, talvez um pouco distorcida, mas ela era apenas uma criança que teve muito peso sobre si mesma, ela não odiava os monstros mas sim a humanidade, ela lutou para libertar os monstros mas falhou e então Frisk a despertou como espírito... Mas caso Frisk acumulasse LOVE a Chara seria tão influenciada quanto Frisk e se tornaria o verdadeiro demônio que ela diz ser... Pelo menos é o que ela pensava, mesmo as pessoas que caíram para o fundo do Abismo podem voltar para a superfície com uma ajudinha, infelizmente aqueles que cruzaram o caminho de Frisk não tiveram a sorte de o encontrar depois dele se recuperar...

 

Frisk corria como um animal louco pela cidade, seus olhos injetados em sangue, um sorriso macabro no rosto tão semelhante ao que seus amigos diziam que ele tinha durante a rota genocida, ele não estava no seu melhor estado mental e muito menos consciente, o estado que Frisk se encontrava era semelhante a quando Chara assumiu seu corpo pela primeira vez, foi quase como um sonho para Frisk apesar que ele considerava um pesadelo na época... Se Frisk normalmente pode ser chamado de Pacifista e mesmo assim mata seres que causam dor a sua vida, então o Frisk atual seria o Genocida que mata a todos indiscriminadamente.

 

Com seus ataques cruéis, Frisk procurava sua presa os matando das formas mais bizarras e bestiais possíveis, seus movimentos eram erráticos se aproveitando ao máximo da força escondida no corpo de Frisk que se segurava de maneira inconsciente. Pulando nas paredes das casas e prédios e correndo nas mesmas olhando de maneira louca para suas presas, Frisk atormentava seus inimigos até suas balas acabarem e então ele começava seu ataque, um ataque impiedoso com as mãos nuas, sua força era acima da média, talvez até maior do que a da Undyne que treinou durante tantos anos para fortalecer seu físico e Frisk que era um humano tinha naturalmente um físico mais poderoso do que um monstro o que o tornava uma aberração.

 

Com as mãos e sem nenhuma arma, Frisk esmagava os crânios dos seus oponentes, outros ele quebrava os ossos para apreciar a dor e angustia dos seus oponentes, no meio do desespero do inimigo, Frisk se banqueteava com um sorriso no rosto a cada segundo, sua força já estava acima da média sem nenhuma arma, mas quando Frisk encontrou uma arma... Ele se tornou um verdadeiro exterminador do futuro, mas isso se provou entediante para ele que logo em seguida abandonou a arma de longa distância e continuou a atacar com as mãos nuas, ele queria sentir na pele a carne do inimigo se rasgando e sangue jorrando, como uma criança que tinha ganhado inúmeros brinquedos, Frisk não parava somente em uma pessoa.

 

Ele caçava a todos sem nem sequer olhar para seus rostos, pessoas que ele deveria proteger, pessoas do seu próprio reino eram trituradas pelas suas mãos, os aliados se tornaram inimigos e os inimigos se tornaram amigos dos ex-aliados... Uma luta pela sobrevivência ocorria na cidade, uma luta desigual em números e desigual em força. Infelizmente para todos, a desigualdade em força estava inclinada para Frisk, civis pegaram armas e policiais do reino junto aos mercenários tentavam derrotar Frisk, cada ferida de Frisk era curada como se rindo do esforço do inimigo, desespero tomava conta de todos e foi então que um herói apareceu e seu nome... Era "Dead End" ou como Frisk dizia... Bodinho 2.0.

 

Pov. Frans

 

Olhei na direção da barreira que estava ativa na cidade... Nada poderia passar dela nos dois sentidos, nada pode entrar e nada pode sair... Isso é realmente irritante pois eu não tenho tempo para isto, subi em direção aos céus ativando telecinese e olhei para baixo em direção a cidade, com um pouco de dificuldade era possível ver o que estava acontecendo dentro... Destruição talvez seja a melhor maneira de descrever a cena, o castelo grandioso que meu avô tinha caiu aos pedaços e agora só restava escombros, as casas também pareciam destruídas parcialmente e algumas até mesmo soltavam fumaça, cerrei os dentes com a cena - Eu não vou perdoar quem quer que seja que tenha feito isto! - O que eu mais odeio acima de tudo é perder! Eu compartilho do mesmo sentimento do meu pai em relação a isto mesmo que eu não goste muito... Talvez por que meus dois pais eram possuidores de Determinação eu tenha de alguma maneira herdado esta vontade deles...

 

Juntei mana na ponta da minha mão, mana escorria pelo meu corpo saindo da minha alma e atravessando meu corpo até as pontas dos meus dedos. Lentamente eu levantei a mão e mirei na barreira e então na frente dos meus dedos, eu acumulei mana e enviei telecinese de cima para baixo na barreira como se a gravidade estivesse sendo aumentada inúmeras vezes, normalmente eu tentaria cortar a barreira ou algo do tipo, mas pelo tamanho dela isto é impossível então eu tenho que esmagar ela com força, esgotar a energia que ela pode suportar até quebrar!

 

Vendo que eu teria resultado, eu aumentei o poder cada vez mais e mais, o ar tremia e um efeito visível de queda podia ser visto, mas eu ignorei e continuei aumentando a força... Enquanto eu estava no ar a Claire estava no chão com as mãos juntas rezando provavelmente pela segurança do meu pai... Eu pessoalmente não acredito que Deuses existem, mas se tem um momento para ele realizar um desejo esse é o momento.

 

Pov. Narrador

 

Enquanto Frans tentava derrubar a barreira, Frisk continuava seu genocídio lá dentro, correndo de um lado para o outro e abatendo suas vítimas sem piedade, seu LOVE já tinha ultrapassado os 20, o que o deixava cada vez mais poderoso e distante da realidade, seus movimentos se tornavam cada vez mais estranhos como se não pertencessem a um humano mas sim a um animal de quatro patas, Frisk não se movimentava mais em pé mas sim sobre quatro patas... Ou duas mãos e duas pernas, sabe-se que os macacos são os antecedentes dos humanos de acordo com a teoria da evolução e que antigamente nas eras tribais os humanos viviam sim em movimento de quatro(não pensem besteira)... Para qualquer um, Frisk já não era humano mas sim algum tipo de monstro que eles desconheciam e isto somente aumentava o desespero em suas almas enquanto para Frisk, seu prazer em caçar aumentava.

 

Sem qualquer sinal, a barreira estremeceu uma última vez e se quebrou, Frisk se é que pode ser chamado por esse nome, olhou para o céu e percebeu que o mantinha preso ali dentro já não se encontrava mais em lugar nenhum, caçando o humano que estava por perto correndo desesperadamente gritando, Frisk enfiou seus dentes do lado do seu pescoço e com uma força sobre humana arrancou sua carne fora antes de abater sua última presa e começar a fugir do reino.

 

Em seu caminho Frisk encontrou uma humana... Talvez não seja uma humana pois ela emitia um sentimento perigoso para ele, rosnando, Frisk perguntou olhando com cautela para a não-humana na sua frente.

 

Frisk - O que diabos é você? - Os sentidos de Frisk estavam a todo vapor então ele foi capaz de sentir um perigo inevitável vindo da direção da não-humana, com um movimento rápido Frisk se esquivou saltando para trás antes do local onde ele estava ser destroçado por uma força invisível, olhando para o ataque do inimigo Frisk rosnou como um cão louco e disse - Você vai ser minha janta hoje! - Nesse momento Frisk correu na direção da humana que ficava se movimentando pelo ar, deixando Frisk frustado e mais irritado, ele tentava arrancar aquela carne tão familiar na sua frente como se fosse o objetivo da sua vida.

 

~ Quebra do Tempo ~

 

Frisk - Por... Por que eu não consigo te comer? - Falou Frisk olhando para a não-humana que já estava cansada de olhar para ele, o olhar da garota era estranho para Frisk porque de alguma maneira ele se sentia familiarizado com ele, aqueles olhos de cores peculiares que ele não encontrou em nenhum humano até agora - Você vai repetir essa cena quantas vezes ainda? Pensar que você regrediu tanto desde a última vez que a gente se encontrou... - Falou a garota de maneira triste encolhendo os ombros, Frisk a observava com atenção mas ao mesmo tempo com curiosidade.

 

Frisk - Quem é você? Por que você me parece tão familiar... - Falou Frisk olhando bem para o rosto da garota, sua vontade ainda era de destroçar a menina que estava o dando tanto trabalho mas aquele sentimento no seu peito... Ele queria entende-lo, talvez seja isto que ele estava procurando - Perguntar uma coisas dessas para mim... Você é realmente idiota - Falou a menina debochando e colocando uma mão na boca imitando uma menininha nobre.

 

Frans - Ora pai como você pode não se lembrar de mim? afinal sou eu... Eu sou a sua filha! - Falou a menina abrindo bem os olhos mostrando suas órbitas para Frisk, por um segundo... Não, por um instante Frisk se assustou e começou a sentir algo no seu peito que ele não reconhecia, um sentimento ruim que o condenava e o xingava diversas vezes, não era agradável, era como quando uma pessoa percebe seus erros e a realidade vem bater na sua porta te mostrando que está errado e Frisk... Mesmo que não queira, não deixou de ser a mesma pessoa, mas ele estava descontrolado.

 

Apertando seu peito, Frisk começou a respirar asperamente, ele parecia sentir dor em sua alma que soltou para fora do seu peito. Uma alma que era tão brilhante antigamente que parecia um sol em meio a escuridão agora estava manchada por um líquido estranho escuro que escorria de seu centro e se arrastava para todos os cantos, pareciam linhas de fissuras bizarras que estavam causando a anomalia em Frisk, o olhar de Frisk perdeu seu foco e ele começou a chorar por algum motivo... Por que ele fez o que fez? Ele não entendia, ele não podia entender, ele não queria entender... Levado pela dor e pela culpa, Frisk não quis olhar nos olhos da Frans, ele não acreditava que ela o perdoasse e ele também não entendia por que tinha tais pensamentos.

 

Foi então que uma voz preocupada e ofegante surgiu de algum lugar que Frisk não conseguia ver com sua visão desfocada - Fri... Frisk você está bem?! O que aconteceu?! - Para Frisk ele não entendia esse sentimento, alguém se preocupava com ele? Quem e porque? Ele podia ser amado mesmo com seus erros?" Eu sou permitido a existir? "

 

Uma dor de cabeça enorme estava sendo causada a Frisk pensando nisto, Claire tentou se aproximar de Frisk mas foi impedida por Frans, ela já sabia o que estava acontecendo com seu pai e também sabia que ele era o único capaz de sair de tal estado... Aguentar a Zumbificação é algo que nem o Frisk original que contraiu essa maldição conseguiu fazer... Mas talvez seu pai seja diferente e Frans queria acreditar nisto.

 

Neste momento os que restaram dos cidadãos que anteriormente estava sendo abatido por Frisk apareceram armados, junto deles tinha todo o resto do esquadrão do "Dead End", o que anteriormente era um poder militar quase tão grande quanto o de uma nação, atualmente era apenas algumas pessoas que sobreviveram por sorte, o olhar em seus rostos mostravam medo e acima de tudo ódio, Frisk era a causa de todo mau e ele precisava ser eliminado, muitas pessoas presentes ali não tinha conhecimento de quem Frisk originalmente era, mas quem conhecia o que ele se tornou não pode deixar de querer ceifar sua vida.

 

Mas Frisk não estava em condições para ligar para o que pensam dele, ele estava lutando para conseguir ser ele mesmo novamente, uma luta infernal contra si próprio enquanto outros querem sua vida, os papéis se inverteram e quem antes eram o bandido se tornou um herói e quem era uma divindade se tornou um pesadelo. O mundo realmente é um lugar engraçado que pode ser alterado tão facilmente, não é mesmo?

 

Foi então que uma das pessoas com ódio mortal por Frisk disparou, vendo o perigo que seu pai se encontrava Frans parou as balas no ar com telecinese, mas quase como se ignorando, algumas balas simplesmente continuaram seu caminho e atravessaram o corpo de Frisk sem piedade, olhando isto Claire gritou e pediu para pararem, mas com o inimigo de sua vida bem em sua frente alguém pararia? A resposta é obviamente não.

 

Enquanto Frans usava sua magia para incapacitar seus oponentes que eram muito grandes em número e continuavam a tentar matar Frisk, em um lugar escuro, duas pessoas se encontravam... Para ser exato a mesma pessoa, mas que seguiram caminhos diferentes estavam de frente um ao outro... Seus nomes eram respectivamente Frisk Genocida e Frisk Pacifista.

 

~ Dentro de Frisk(existe um lugar na alma muito mais profundo do que pensam, onde memórias esquecidas podem ser desenterradas, onde é impossível mentir e impossível enganar a si mesmo, esse lugar se chama "Reino Espiritual") ~

 

Frisk - Por que continua fazendo isto? Você deseja continuar perdendo quem você ama? Quantas vezes você tem que sofrer até desistir... - Falou um deles para o outro e em resposta ele recebeu um sorriso fraco junto a uma voz rouca, nesse lugar Frisk não é jovem e muito menos imortal, aqui é sua alma e sua alma está muito velha e cansada com todo esse passar do tempo - Eu ainda tenho quem me ame e eu amo eles de volta... Isso não é o suficiente? - Falou um dos Frisk se sentando no chão e colocando seu corpo abraçado em seus joelhos.

 

Frisk - Se isso é o suficiente? Olha para você, olha para nós! Nós perdemos Chara a tempo demais, você está preso a algo que não existe! Você acha que em cada vida a Chara vai te aceitar com um sorriso no rosto? Lógico que não! Abra os olhos Frisk, e veja a verdade! Não temos um propósito para existir e muito menos para viver! Você vai continuar vivendo nesse mundo para que? Deixe eu assumir o controle, eu posso mudar isto eu posso dar um propósito divertido para nós dois! Eu posso trazer a felicidade novamente para nós - Falou de forma dramática um dos Frisk, as ideias deles são opostas sobre as coisas e essa briga provavelmente vai durar para sempre ou foi isto que eles pensavam.

 

Foi quando eles sentiram sua consciência sendo estremecida e ambos olharam na direção do que aconteciam na realidade, o corpo real de Frisk estava sendo baleado e Frans tentava proteger ele desesperadamente, Claire estava chorando para os atiradores enquanto juntando as mãos como se rezando e gritando. Os dois Frisk pararam sua confusão e olharam para a cena, os dois são a mesma pessoa querendo ou não, eles podem fingir ou até se forçar a esquecer o que o outro se lembra e sente mas no fundo eles são os mesmos então eles entendiam o que estava acontecendo.

 

Ambos balançaram a cabeça de forma piedosa e continuaram em silêncio até Frisk que estava abraçado em suas pernas dizer com sua voz rouca - Causamos muita dor a essa gente, não podemos viver mais naquele lugar... Eu entendo que você também se importa conosco mas para nosso próprio bem... Não machuque quem a gente ama, isso não vai fazer a gente parar de se importar e sim apenas se torturar inutilmente.

 

O Frisk que estava de pé olhou bem para o que estava abraçado nas próprias pernas e disse - Por que você está me dizendo isto? Vai dizer que deu o pé para trás? - Falou rindo ironicamente antes de desfazer seu sorriso com o aceno de cabeça do outro Frisk, seus olhos se tornaram frios como se estivesse olhando para um inseto - Você está falando realmente sério? Você sabe que eu não vou ficar todo sentimental como você, se não fosse por sua interferência, aquela garota estaria morta, me deixe usar magia e você verá - O Frisk que estava abraçado em si mesmo riu com o que foi dito - Você sabe que não precisa de mim para usar magia... Se você for virtuoso também vai poder usar tal poder - Quando isto foi dito o Frisk de pé deu um bufo de desgosto e disse - Vai começar a ser cínico agora? Velho gaga, pedófilo, pegador de menininha - Para Frisk era engraçado que sua outra parte fosse tão infantil então ele não pode deixar de rir.

 

Frisk - Se idade realmente importasse nós dois, jamais nos apaixonaríamos novamente - Disse o Frisk abraçando suas pernas observando a outra parte - Quem precisa de amor? Temos LOVE e isto já é o suficiente - Tem que admitir que esse foi um péssimo trocadilho que acabou de ser dito, ficando em silêncio, Frisk que estava no chão fechou os olhos e o outro percebeu o que ele planejava fazer, as vinhas que prendiam as seis almas murcharam como se fossem nada e caíram ao chão e durante alguns momentos as almas como se agradecendo ficaram se movendo para cima e para baixo.

 

Frisk - Como você pode fazer isto?! Você me traiu! - Disse o Frisk que estava de pé levando em resposta um pequeno aceno de cabeça negando a afirmação dita - Eu não te trai, mas deixar você lá fora com tamanho poder é perigoso... Que tal você experimentar o mundo como eu fiz? Aposto que você vai mudar de ideia - O verdadeiro Frisk que estava no chão olhou para si mesmo que tinha sido criado em sua alma, com certo conhecimento sobre a sua existência, mas essa foi a primeira vez que os dois se encontraram e confirmaram a existência um do outro... Desde que Frisk "acordou" ele sentiu que suas almas estavam "desligadas" e estranhou o ocorrido, depois que ele foi entender que foi uma tentativa de conter a infecção da "zumbificação" em sua própria alma.

 

Mas isso não importa agora, o Frisk que está na sua frente jamais viu o mundo e pode ser considerada uma criança que apenas possui lembranças de um adulto mas não experiência própria - Bem meu amigo... Eu desejo sorte a você - Dizendo isto todo o reino da consciência de Frisk começou a desmoronar, Frisk estava saindo do seu transe enquanto rindo da cara de loucura do seu outro eu.

 

~ Enquanto isto na realidade ~

 

Em meio a tentativa de assassinato contra Frisk e da tentativa de Claire e Frans de proteger seu pai amado, Frisk abriu os olhos e sorriu amplamente, uma mistura de bondade e maldade em seu rosto claramente estranho e então com uma voz calma mas profunda, essas palavras saiu de sua boca - Não se preocupe comigo... Eu voltarei - Essas foram as últimas palavras de Frisk antes de uma mana descomunal sair de seu corpo, o próprio tempo parecia que tinha sido pausado e as pessoas ficaram sem reações, mesmo Frans que já tinha tentado bater em seu pai se assustou, o sentimento que Frisk passava era transcendental mas isso não importava para ele.

 

Com uma ligeira curva de sua parte de cima para baixo, Frisk baixou a cabeça em direção aos cidadãos e falou - Eu sinto muito pelo que eu causei, eu estava fora de mim mesmo... Eu não posso recompensar vocês e nem devolver os estragos que eu fiz, mas eu não posso sair apenas com desculpas, mas eu também não posso morrer... Sinto muito - Uma grande quantidade de GOLD começou a surgir para todo o lado, Frisk achava necessário tal quantidade vendo toda a destruição causada, sua expressão mudou de repente para selvageria e então ele olhou na direção de "Asriel" como ele reconhece - Você queria ser um príncipe não é mesmo? Mas da maneira que você está indo apenas a ruína te espera... Eu poderia cortar sua cabeça fora aqui mesmo, mas eu decidi que seria melhor te deixar vivo... Proteja as pessoas daqui de gente como eu e acima de tudo, não desvie de seu caminho novamente, Asriel Dreemurr - Seu olhar era sério olhando para "Dead End" que como todos os outros estavam "paralisados", nem mesmo um aceno de cabeça foi devolvido não por que ele não queria, mas por que não podia.

 

Então Frisk olhou para Frans e Claire, e disse seu adeus de maneira triste e disse - Por favor não me procurem... Talvez eu não seja o mesmo nesse momento - Toda a magia que estava transbordando de seu corpo foi recuando de volta para dentro de Frisk e como se nunca tivesse existido, Frisk desapareceu na frente dos olhos de todos.

 

Ano "219" no calendário de Ebott, Frisk Dreemurr massacrou seu próprio povo durante uma loucura repentina e em seguida como se Deus estivesse aparecido e assumido seu corpo, Frisk se desculpou e desapareceu... Esse dia ficou conhecido como "Queda do Deus Louco" e também o dia em que "Dead End" hoje em dia conhecido como "Glunho" subiu ao poder do trono mesmo não possuindo relações sanguíneas com a nobreza... O motivo disto foi as palavras de ameaça que a filha do "Deus Louco" deixou para trás dizendo que ela não perdoaria ninguém por ter feito seu pai se tornar o que se tornou e que era para ouvir seu último pedido ou senão...

 

Claire ficou bastante reclusa depois disto, mas se tornou cada vez mais próxima de Frans, Philipe teve o devido enterro junto as centenas chegando, a milhares de pessoas que não tiveram sorte naquele dia, Frans e Claire se tornaram cada vez mais próxima até que...


Notas Finais


"Até que...", eu não especifiquei o que exatamente é isto então podem pensar a vontade u-u
Eu demorei mais do que o esperado para escrever isto, talvez eu realmente esteja com problemas para escrever afinal!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...