História Alternative Future(Cancelada) - Capítulo 83


Escrita por: ~ e ~ritobeta1

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Frisk, Mettaton, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Chariel, Charisk, Error!sans, Frisk Overpower, Ink!sans, Male Frisk, Papyton, Romance, Sanrisk, Toriel X Asgore, Undertale
Visualizações 93
Palavras 4.470
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Skol está aqui, então você está em um belo dia jogando normalmente no computador e encontra seu pai que não mora mais com você e vive com outra mulher... Eu não soube o que fazer, eu amo meu pai mas eu não sei o que falar com ele, eu não sei como expressar a falta que eu sinto e acima de tudo estou preocupada... Preocupada que ele pense que eu não gosto mais dele, preocupada que ele pense na minha falta de jeito de se expressar como "frieza"... Eu não sou uma pessoa fria eu apenas... Sou ruim em me expressar(não a nível Frisk mas eu sou horrível em demonstrar o que sinto).

Eu estava vendo os capítulos passados e eu notei que coloquei o título como Arco 5.2: "xxx" sendo que em nem um outro Arco eu coloquei em cada capítulo de qual Arco se tratava... Mas eu não vou mudar e vou deixar desse jeito! Eu queria que o Rito me respondesse como eu deveria começar esse capítulo(as minhas histórias sempre tem vários caminhos diferentes para seguir, vocês não tem ideia de quantas versões diferentes dessa história se passou na minha cabeça já... No mínimo eu já pensei em 13 finais diferentes por detalhes e outros por uma margem gigantesca) mas infelizmente Rito foi dormir então... Como punição eu vou fazer o oposto do que ele me sugeriu! Eu tinha perguntado se escrevia sobre o passado de Frisk no "Old World" nesse capítulo e ele disse que "não" e que eu deveria criar outra fanfic e etc... Você me traiu Rito e agora vai pagar as consequências!

Sem mais delongas vamos começar a escrever isto! Eu vou demorar muito nesse capítulo acredito eu... Principalmente se eu quiser terminar o Arco 5.2 nesse capítulo... Então lá pelas 4 horas talvez(uma estimativa maior do que eu espero na verdade). Devo apenas complementar que atualmente são 00:50 ou seja vamos ver quanto tempo eu demoro para escrever um capítulo? :3

Capítulo 83 - Retorno ao começo


  Pov. Sofia

 

Quando eu acordei eu demorei 0,7 segundos para entender o que tinha acontecido e então eu quase engasguei quando eu percebi - Por que eu ainda tenho o acesso ao Sistema? - Eu me levantei rápido da onde eu estava e olhei para o menu que pairava ao meu lado, estranho... Isso é definitivamente estranho, esse poder originalmente não é meu e sim de Frisk então por que eu ainda possuo isto? Espera cadê Frisk? A cor no meu rosto começou a ficar pálido e eu me apavorei quando eu percebi que a consciência de Frisk não estava sendo compartilhada comigo, eu cliquei no menu e rolei as opções até encontrar as informações sobre os seres vivos, coloquei o número de série do Universo em que estamos e pesquisei Frisk Dreemurr... Eu tinha esquecido que tinha tantos Frisk!

 

Isso está errado, não deveria estar acontecendo assim, eu deveria ter acordado na minha casa anos após isto no meu corpo e Frisk deveria ter voltado para o corpo dele dessa época, mas o lugar onde eu estou agora é possível ver o Planeta Azul na distância... Pelo que eu me lembre esse lugar é chamado de Lua, pelo menos eu devo verificar como Frisk está antes de tudo! Vamos voltar para o planeta e depois eu começo a tentar resolver o que diabos aconteceu!

 

Pov. ???

 

Acordei com batidas de leve no meu rosto, comecei a abrir meus olhos vagarosamente e olhei no rosto de um rapaz com um avental que me segurava enquanto olhava para o meu rosto - Você está bem? Como você chegou aqui? - Ele me perguntou me ajudando a se levantar e eu aceitei a sua bondade... - E... Eu ah - Minha voz estava estranha, eu tentei forçar ela para fora da minha garganta mas é como se eu não tivesse força nenhuma para dizer nada, vendo isto o rapaz me levou para dentro de um lugar semelhante a uma escola...

 

~ Quebra do Tempo ~

 

Algumas crianças foram reunidas ao meu redor e elas me trataram gentilmente, em resposta a bondade delas eu não pude deixar de sorrir genuinamente - Então garoto... Qual o seu nome? Te chamar de garoto toda hora é um pé no saco sabe! - Falou uma das crianças, um garoto atrevido com alguns cortes na bochecha, eu fui abrir a boca para responder ele mas no mesmo momento eu paralisei... Qual o meu nome? - Ah... Eu... Não lembro... - Consegui juntar força o suficiente para minha voz sair e um silêncio se espalhou na sala, tinha 4 crianças e um rapaz de olhar gentil olhando com preocupação para mim o que me deixava bem... Desconfortável.

 

Pov. Sofia(essa parte vai mudar muito entre Pov. Sofia e Pov. Frisk)

 

Cheguei ao Planeta Azul e comecei a pesquisar pelo nome de Frisk Dreemurr... Mas eu não encontrava ele em nenhum lugar, desespero estava tomando conta de min - Não pode ser certo? Somente eu voltei? - Se isto realmente aconteceu então é o pior, Frisk tinha o conhecimento e eu o corpo e poder... Sem Frisk eu não sei qual caminho seguir... Espera um pouco, será que... Frisk está no Mont. Ebott? Me lembro que minha mãe é desse lugar... Isso é ruim até mesmo minhas memórias estão começando a falhar, eu viajei durante muito tempo no espaço tentando chegar ao Planeta Azul para conseguir resetar... Eu tenho que ser rápida e achar Frisk e resolver isto com ele! Acelerei com telecinese em direção ao Reino de Ebott.

 

Ou pelo menos esse lugar devia ser um reino... Atualmente existia apenas uma Vila em Ebott, visitei a casa dos país da minha mãe na esperança de que Frisk desse Mundo fosse filho deles também... Minha decepção foi instantânea antes mesmo de ver meus avós afinal nem casa tinha no lugar onde deveria ter... Eu continuei passando pela pequena vila na esperança de um sinal de encontrar Frisk mas... - Filha da puta! Essa encarnação do demônio encostou em min! - Olhei na direção da confusão e a cena na frente dos meus olhos me chocou... Chara estava apanhando sem piedade de um adulto e ela era apenas uma criança tão pequena... Raiva subiu a minha cabeça e eu fui na direção do homem e segurei o braço dele que estava levantado para dar um soco no rosto de Chara - O que você pensa estar fazendo? - Falei em um tom frio e o homem se assustou no mesmo momento.

 

Homem - Por... Por que você está protegendo esse demônio? Você é contra a vontade de Deus também?! Você é uma aliada do demônio?! - O homem começou a dramatizar e uma plateia se formou envolta da situação... Olhando ao redor eu não pude deixar de pensar comigo mesma "mas eu sou uma deusa... Como eu vou ir contra a minha vontade?", eu estava prestes a abrir a boca para repreender eles quando eu recebo um soco na perna, abaixei meu ponto de vista e quem estava me encarando com raiva nos olhos era Chara... - Não se meta onde você não foi chamada! - Dizendo isto ela me empurrou e foi embora com pressa... - Você viu o jeito que aquele demônio agiu? Cuidado filho, não fique perto dela tudo bem? Ela não tem nenhum sentimento humano como gratidão - Escutei uma mãe dizendo isto para o seu filho e não pude deixar de cerrar os dentes... Chara estava quase chorando quando ela foi embora, era óbvio olhando para os seus olhos que ela só não queria trazer problemas para min... Por que tudo tem que ser tão problemático?!

 

Depois de afastar aquele homem de antes que fez todo o fiasco eu me afastei da vila bufando de raiva - Por que tudo isto tem que acontecer? - Entrei na floresta e continuei meu caminho indo em direção ao Mont... Em meu caminho na floresta eu encontrei um lugar velho, eu duvido que alguém vivesse aqui, quando eu me aproximei melhor notei que era um orfanato, olhei pelas janelas quando e encontrei algumas pessoas la dentro - Sério que existe gente que vive aqui? - Duvidei dos meus próprios olhos afinal esse lugar está acabado!

 

??? - Tia... Por que... Você está espionando? - Me assustei e virei para trás na direção da voz desprovida de sentimento, eu sempre consigo sentir as formas de vida ao redor, acredito que seja alguma autoridade de "Deus", apesar de ser apenas um pressentimento mas dessa vez... Eu não senti nada e por isto fiquei surpresa. Olhei na direção da criança que tinha falado de maneira tão sem sentimento... Espera ele é - Frisk?! - Sem dúvidas a criança na minha frente é Frisk! A criança com um rosto totalmente neutro inclinou a cabeça do lado e disse - Quem é Frisk? - Eu congelei novamente quando ele disse isto... Não pode ser certo?

 

Olhei bem para Frisk pensando que eu tinha visto a pessoa errada e notei algo estranho, na verdade anormal... Essa criança não tem nenhuma alma! Todo ser vivo precisa ter uma alma mas essa criança parecida com Frisk não tem o menor índice de ter uma, eu dei dois passos para trás vendo a anomalia e a criança continuou me encarando por algum motivo, eu não deveria sentir medo mas... Sabe aquele momento que você encontra algo incompreensível e não sabe o que fazer? Eu estava desse jeito e não podia deixar de olhar de maneira idiota para a criança parecida com Frisk - Tia... Se você... - Quando ele esticou a mão para min, reflexivamente eu me teleportei para longe... Mesmo quando eu estava em um lugar seguro meu coração não parava de bater alto... O que foi aquilo? O que é aquilo?

 

Pov. ???

 

O tempo passou e eu me acostumei a viver aqui junto com minha família... Eles chama esse lugar de "orfanato" e dizem que é um lugar para crianças "perdidas", eu não entendi muito bem mas isso não importa! Eu tenho tudo que eu sempre quis aqui, eu tenho meus amigos que sempre são legais comigo, eu tenho os irmãos mais velhos que me ensinam sempre que tem tempo livre. O fato de que eu ainda não tenho um nome é um problema mas ninguém age estranho comigo por causa disto, na verdade eu notei que eles me tratam mais gentilmente ainda! Eu sou realmente grato a eles e a todo momento que eu estou aqui eu não posso deixar de sorrir pelo ambiente confortável que tem ao meu redor, eu sou a criança mais feliz do mundo!

 

Um dia eu estava brincando no pátio do orfanato, eu estava brincando de tentar fazer um castelo de areia quando eu notei uma "tia" olhando pela janela do orfanato para dentro... Eu ouvi dos irmãos mais velho que as vezes certas pessoas vem para cá para levar um de nós crianças para um lugar melhor e mais confortável, apesar de ser triste me separar dos meus irmãos eu não posso ficar para baixo! Me levantei e limpei a areia da minha mão e me aproximei da tia que estava murmurando algo, abri um sorriso gentil no rosto e perguntei de maneira animada para ela - Tia, por que você está espionando? - Afinal não tem motivos para ela ficar olhando as crianças daqui de fora, se ela entrar ela pode ter uma melhor visão não é mesmo?

 

Tia - Frisk?! - Ela gritou de repente me assustando, Frisk? Isso é um nome? Espera ela vai me dar um nome? Ela vai me escolher!!! Oh, eu não estava preparado... Espera, eu não posso ficar tirando conclusões precipitadas! Se acalme e tire esse sorriso bobo do rosto! - Quem é Frisk? - Perguntei rindo da minha própria perguntei e esperei ansiosamente ela dizer que esse era nome que ela vai me dar! Não é que eu queira deixar meus irmãos aqui mas eles disseram que a melhor coisa que pode acontecer com a gente é ser "adotado" então eu não vejo por que não ficar feliz não é?

 

Enquanto eu esperava com paciência para a "tia" dizer que ia me adotar eu notei que ela estava suando por algum motivo... Será que ela está bem? Preocupação começou a ficar visível no meu rosto... Talvez essa tia seja ruim em conversar e por isto ficou escondida aqui fora! Como eu pude ser tão descuidado assim! - Tia se você... Quiser entrar para conversar... - No meio da minha frase ela simplesmente sumiu sem deixar nenhum rastro, eu olhei de um lado para o outro com os olhos arregalados, ela simplesmente sumiu! Que legal eu também quero fazer isto!

 

Depois disto eu corri para dentro do orfanato e contei sobre a tia para as outras crianças, elas tinham expressões estranhas no rosto mas elas viram minha animação e sorriram gentilmente para min - Alias essa tia me deu um nome! Ela me chamou de Frisk! - Falei estufando o peito com orgulho, agora eu também tenho um nome! Eu não sou mais um "garoto" ou "rapazinho" a partir de hoje meu nome é Frisk!

 

Pov. Sofia

 

Depois que eu me acalmei e esfriei a mente eu percebi o meu erro - Aquele talvez realmente era o Frisk... - As semelhanças eram fortes demais, ainda mais que eu tinha visto na minha casa fotos de quando a minha mãe era mais nova... Mas se ele é o Frisk por que ele não se lembra de nada? Ele devia ter resetado junto comigo certo? Vamos Sofia pense! Você teria conseguido resolver isto se estivesse com Frisk então você consegue agora!

 

Espera quando eu encontrei Frisk no vazio ele era apenas... Uma Chama celestial ou seja a essência de Deus... Quando eu absorvi sua essência eu absorvi tudo que restava dele então... Oh meu deus! Aquele Frisk então não tem alma... Por causa de min?! Isso faz sentido já que eu ainda tenho a Chama celestial dele dentro de min mas não sua consciência... Então Frisk se separou de min durante o Reset e se tornou uma criança sem alma e sem memórias já que elas estão comigo também... Meu deus Frisk... O que que nós fizemos? O que eu faço agora? Eu tenho que pelo menos cuidar do Frisk já que fui eu que causei isto a ele...

 

Pov. Frisk

 

Cada dia eu aprendia uma coisa nova no orfanato, sobre o sonho do Tio Pedro que é ser um policial e defender a todos da maldade e punir os bandidos, sobre o Tio Jack que é filho de um cozinheiro e quer superar seu pai... Tio Jack vem diariamente até o orfanato por que seu pai venho originalmente daqui e bem... Eu só posso agradecer por isto já que Tio Jack é sempre gentil com todos nós. Entre as crianças tem o Claudio que é sempre corajoso e nas brincadeiras de susto sempre vence... Julie que está sempre perto de mim, cuidando de mim mesmo que ela seja da mesma idade que eu, o jeito que ela age sempre silenciosa e paciente nas histórias que eu conto é sempre reconfortante.

 

Alias eu fiquei bastante conhecido entre os meus amigos pelas histórias que eu invento, elas simplesmente me veem a cabeça as vezes e então eu sinto vontade de contar, algumas histórias tristes e outras felizes, sobre heróis que lutaram em guerras, sobre monstros que se juntaram a os humanos graças a uma criança piedosa... Mesmo que minhas histórias sejam absurdas a Julie sempre me escuta com paciência, ela realmente é uma boa garota.

 

Também tem a Shizuko que é a mais inteligente de nós, ela sempre carrega um livro consigo e quando eu perguntei ela respondeu que era um "diário" apesar de eu não saber o que é isto não deixa de ser incrível! E por último mas não menos importante temos a Dani que sempre junta todos nós nas brincadeiras, ela é a garota que mais faz questão de todos nós ficarmos juntos! Uma garota gentil que não gosta de ver ninguém sozinho.

 

~ Quebra do Tempo ~

 

Hoje um casal veio até o orfanato e escolheu o Claudio... Eu não entendi o que estava acontecendo e naquela noite tivemos uma reunião no nosso quarto e eles me explicaram sobre a "adoção" e como ela funcionava... Eu me segurei pra não chorar na frente deles sabendo que um amigo meu iria embora... Por que homem não chora!

 

No dia seguinte... Claudio foi adotado.

 

Um més depois... Julie foi adotada, eu e ela fizemos uma promessa, nós dois juramos quando se reencontrar formar uma família juntos... Eu não entendi o que ela quis dizer afinal todos do orfanato já são a minha família...

 

Shizuko também foi adotada um dia depois do meu "aniversário" de 6 anos... Sua despedida foi silenciosa e ela apenas me deu um ligeiro abraço e mexeu nos seus óculos - Existe 70% de chance da gente se encontrar no futuro enquanto vivermos na "cidade" de Ebott, Frisk não perca as esperanças e fique Determinado... Até mais garoto - Disse ela ajeitando os seus óculos novamente e segurando o seu diário com uma mão, eu fiquei assistindo ela partir até o carro e ir embora... Você não pode chorar Frisk! Não desista agora... Ainda tem esperança que nem ela disse!

 

Hoje teve uma "entrevista" comigo, na minha frente um casal estava sentado e os dois estava olhando de cima para baixo em min o que me deixava bem desconfortável - Me diga garota, quantos anos você tem? - Disse o homem com um sorriso estranho e eu vacilei... Garota? - E... Eu tenho 6 anos - Respondi mantendo a calma e o homem levantou uma sobrancelha e disse algo no ouvido da mulher e a mesma me olhou de forma avaliativa e suspirou - Certo... Pode ir agora - Eu me levantei calmamente e sai da sala... Qual era o problema daqueles dois?

 

No dia seguinte... Dani também foi adotada, apenas eu e os Tios permaneciam no orfanato e os dias se passavam de maneira entediante - Eu espero encontrar eles novamente - Era o que eu dizia toda noite antes de dormir... Um dia uma mulher de idade veio até o orfanato e novamente eu tive a "entrevista" só que no momento que ela me viu a mesma começou a chorar...

 

Mulher de idade - Chara é você? - Falou ela chorando sem parar e eu fiquei um pouco confuso "quem é Chara?" mas vendo uma pessoa chorar na minha frente não era algo que eu gostava então eu acalmei ela gentilmente com tapinhas nas costas... No dia seguinte... Eu fui adotado pela Tia Merlinda.

 

Pov. Sofia

 

Eu não tenho muito o que fazer durante esse tempo e acabei formando o hobby de observar as pessoas... Isso não pode ser chamado de Stalkear eu acho já que eu não preciso me mover pra ver elas! Eu observei o crescimento de Frisk sempre com aquele rosto imutável e sem expressão, mas eu notei que mesmo sem alma ele ainda está sendo gentil o que é bem... Estranho no mínimo, não ter uma alma é como não ter consciência mas mesmo assim ele ainda parece ter uma personalidade o que é no mínimo intrigante.

 

Durante as minhas observações eu acabei vendo a imagem da Chara caindo no Underground, ela estava tentando se suicidar pelo visto pois ela estava chorando sozinha durante a ocasião antes de dar um passo e se jogar no abismo... As crianças que estavam com Frisk no orfanato foram adotadas uma por uma e no final ficou somente ele sozinho, se passou 1 ano e meio que Chara caiu no Underground e Frisk ainda continuava no orfanato só que... Sozinho.

 

Uma das crianças amigas de Frisk caiu no Underground também enquanto corria chorando e machucada, eu não sei o que aconteceu com ela mas ela tinha marcas de machucados causados por agressão... Ela usava um tutu que se rasgou um pouco durante sua corrida na floresta e no desespero da sua fuga ela não olhou para frente enquanto corria subindo o morro e caiu... O que uma criança azarada.

 

Por que eu não vou interferir? Eu não sei quais as consequências que eu poderia trazer fazendo isto, eu não fui ensinada pelo meu pai e treinada pelo Frisk atoa, eu pelo menos tenho um pouco de consciência que minhas mãos estão atadas a apenas observar.

 

Frisk foi adotado por uma senhora... Ele mesmo não mostrando sentimentos no seu rosto ainda assim foi pacificamente com a senhora sem mostrar desgosto e ainda tratou ela gentilmente mas por algum motivo... Eu sentia que essa senhora estava escondendo alguma coisa...

 

Pov. Frisk

 

Eu conheci minha nova casa onde eu vou morar com a Tia Merlinda, ela me tratava como se eu fosse realmente da família o que me deixava bem feliz, sempre me dando doces e contando histórias para mim dormir mas só tem uma coisa que me incomodava e eu me sentiria mau por desiludir ela que é o fato dela achar que eu sou "menina"... Eu pelo menos sei o meu gênero e posso dizer com confiança que eu sou um genuíno homem!

 

Ela sempre contava histórias sobre sua neta Chara e como ela ficava triste de só descobrir o paradeiro dela recentemente, ela dizia que eu era muito parecido com a fotografia que ela adquiriu de Chara e ela fazia questão de cuidar do meu cabelo e minha aparência geral como se eu fosse realmente essa sua neta... Isso é desconfortável no mínimo mas eu realmente não quero ferir os sentimentos dela... Que dilema!

 

Recentemente eu ouvi boatos que andam circulando que essa pequena vila vai virar uma cidade e que eles planejam construir um castelo... Eu não entendi muito bem mas pelo visto uma família rica comprou essas terras e planeja desenvolver ela, um pequeno detalhe que eu escutei isto da Tia Merlinda, ela sempre me impediu de sair de dentro de casa o que era estranho mas eu não podia reclamar e nem tinha motivos para ficar reclamando afinal eu tenho uma vó! Eu nunca pensei que teria algo assim!

 

Pov. Sofia

 

As coisas realmente estão se tornando estranhas, enquanto Frisk permanecia com aquela senhora as outras crianças do orfanato da onde ele veio começaram a procurar a criança que caiu... Como se fosse algum tipo de força invisível as crianças subiam Mont. Ebott em busca de pistas e acabavam caindo no Underground, os dois "jovens" que cuidavam do orfanato descobriram também sobre o desaparecimento das crianças que subiram o Mont. e depois de se decidirem subiram juntos e graças a um desmoronamento os dois caíram dentro do Underground...

 

Esse é o poder invisível do Destino? Cada uma dessas crianças e adolescentes estavam destinadas a cair no Underground não importando as circunstâncias e pode até ser irônico que elas só caíram por que se importavam com seus amigos... O conto para assustar as crianças de que quem subia o Mont. Ebott sumia acabou se provando ser real e de uma simples lenda urbana virou uma advertência para todos... "Mont. Ebott é perigoso!".

 

Mas mesmo assim, todo lugar tem seus curiosos e pelo visto um príncipe de algum país estrangeiro veio até essa vila e começou a desenvolver ela e até mesmo construiu um castelo apesar de não ser nada grandioso quando comparado ao que tinha no Meu Mundo e no Mundo de Frisk.

 

O tempo passou e Frisk atualmente era dito para ter 8 anos de idade o que eu obviamente sabia que estava errado... Em um dia específico eu notei Frisk saindo de casa e indo a floresta, eu fiquei curioso pela mudança repentina dele até que eu percebi uma coisa... O lugar onde ele estava era o mesmo da onde minha casa ficava no Meu Mundo, ele ficava olhando em várias direções como se estivesse procurando algo e então como se todo o desespero de achar esse "algo" não existisse ele voltou para casa calmamente e sem expressão como sempre...

 

Depois disto todo dia ele dava um jeito de escapar da casa e ia para o mesmo lugar, eu não sabia se ele estava fazendo aquilo de maneira inconsciente mas era no mínimo estranho, ele acaba se ferindo sem nem perceber e parecia não ligar como se ele não sentisse dor nem nada do tipo... A senhora que cuidava dele começou a ficar preocupada e colocava algumas bandagens na ferida dele sempre que possível, ela era uma senhora um tanto ocupada e ela parecia assim como Frisk procurar algo...

 

Um dia ela levou Frisk para a cidade que tinha se formado, foi a primeira vez que ela e Frisk saíram de casa juntos e também... A última.

 

Pov. Frisk

 

Recentemente eu acabo acordando com feridas no meu corpo e mesmo sendo estranho isto a Tia Merlinda não me pergunta como eu consegui elas e apenas cuida de min... Eu agradeço por ela não perguntar afinal de contas nem eu sei como consegui esses ferimentos.

 

Um dia repentinamente ela me chamou e me convidou para ir a cidade e eu alegremente aceitei! Eu caminhava calmamente vendo as pessoas na rua enquanto de mãos dadas com a Tia Merlinda até que de repente escutamos um grito - Ei! Olha ali quem voltou! - Gritou uma criança e eu segui meu olhar na direção dela já que é estranho gritar do nada assim... Ela estava apontando para min por algum motivo e eu inclinei a cabeça e apontei um dedo para mim mesmo - Sim! Você mesmo! Acha que a gente não iria perceber se você mudasse de roupa e ficasse com os olhos fechados?! - Falou uma outra criança e eu olhei para elas de maneira confusa.

 

Olhei para a Tia Merlinda e ela também não estava entendendo nada... - Ei minha senhora, onde foi que você encontrou esse demônio? Estávamos a um bom tempo tentando encontra-la e você a trouxe assim... Muito obrigado - Disse o homem me puxando para longe da Tia Merlinda, eu olhei para ela suplicando para não me deixar e ela tossiu e disse - Eu acho que vocês estão confundindo... Essa é minha neta então eu agradeceria se soltasse ela - Disse ela um pouco irritada e eu sorri com a expressão que ela estava fazendo de mandona, olhei para o homem e percebi ele franzindo a testa.

 

Homem - Você é a vó do demônio? Você tem ideia do que você criou? Isso aqui não é um ser humano apenas olhe para a expressão que essa aberração está fazendo... Isso não tem sentimentos humanos! - Disse o homem e eu me surpreendi quando levei um golpe do lado do rosto e cai no chão, levantei o rosto olhando para ele com os olhos arregalados - Pare! O que pensa estar fazendo?! - Disse Tia Merlinda indo para cima do homem que segurou os braços dela com força - Ei galera! Olhe ali quem voltou! É o pequeno demônio! Não deixem ele escapar dessa vez! - Algumas pessoas tanto homens como mulheres que estava olhando começaram a caminhar até aqui, eu estava ficando seriamente assustado com tudo e não conseguia compreender o que estava acontecendo.

 

Tia Merilnda - Frisk fuja! Eu vou ficar bem apenas fuja! - Disse a Tia Merlinda tentando escapar dos braços do homem, eu me levantei e comecei a olhar inquieto - Olha pra expressão disso! Nem sequer se importa se tem alguém se importando com ele! - Gritou o homem e as pessoas envolta assentiram - Ela não é assim! Você não sabe nada sobre ela então cala essa sua boca! - Gritou a Tia Merlinda e o homem jogou ela no chão... Eu não sei o que fazer! Eu... Eu... O que eu faço? - Frisk apenas fuja agora! Senão eu nunca vou te perdoar! - Segurei o choro e me virei e comecei a correr passando pelas pessoas.

 

Homem - Peguem essa coisa! - Senti meu corpo ficar leve e delicadamente eu me esquivei de cada um e continuei correndo e correndo e correndo... Passei pela floresta que por algum motivo eu conhecia com a palma da minha mão e olhei para trás, ainda tinha gente me seguindo e por eles serem maiores que eu em breve eles me alcançariam, enquanto eu corria olhando para trás eu bati em um galho que quebrou, eu cai no chão e olhei para as pessoas me seguindo novamente, peguei o galho com força e levei ele comigo e continuei correndo e subi uma montanha... Antes que eu percebesse eu escorrei em algo e senti meu corpo flutuando no ar e então apenas um buraco escuro entrou na minha frente...

 

Frisk - Esse é meu fim? - Perguntei a mim mesmo com lágrimas caindo dos meus olhos e então a escuridão me consumiu e eu desmaiei...


Notas Finais


Sinto muito por todo o tempo que demorei para postar capítulos... Eu vou ficar sem postar até dia 10.
O motivo é graças a um evento de dobro de XP que está tendo no Elsword, dia 10 o evento acaba dai eu vou ficar louco escrevendo capítulo u-u

Já viram a AMV Erase The undeground em russo? Olhem como ficou a voz do Sans... Me apaixonei :c
https://youtu.be/E3z2S_l9fWg?list=RDY-KHvmt6pbY&t=44
Pulei o vídeo pra vocês até a parte da Undyne mas olhem a do Sans como ficou também :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...