História Storybrooke - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emma, Regina, Romance
Visualizações 93
Palavras 7.330
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei com mais um capítulo para a alegria de vocês! :)

Obrigada a todos que comentaram, favoritaram e que acompanham dentro e fora da moita!! Vocês são uns amores e moram dentro do meu coração!!

Capítulo 20 - Capítulo 20


- É brincadeira isso, não é? – comentou Regina ainda descrente no que seus olhos estavam vendo – Katy, fala para mim que isso é ilusão de ótica O que esse encosto está fazendo aqui? Eu também queria saber.

- Acho que está mais para assombração a morena. – comentou Kathryn sarcástica Se bem que a presença dela, pode acelerar algumas coisas, é só saber trabalhar isso a favor de Emma e Regina!

Regina respirou fundo ao ver que as duas mulheres vinham em sua direção. Zelena com o olhar de desculpa e Lily com o sorriso malicioso nos lábios.

- Bom dia! – cumprimentou Zelena assim que se aproximaram. Com um pequeno sorriso no rosto Droga, odeio quando a Lily me coloca nesse tipo de situação!

- Bom dia! – Regina e Kathryn responderam sorrindo para a ruiva.

- Ótimo dia, não? – alfinetou a morena encrenqueira.

- Sim, um ótimo dia. – respondeu Regina educadamente Ótimo onde? Com você aqui? Impossível! Mente. Verdades Regina, apenas verdades e eu sei que você concorda comigo. Sem comentários para você sua mente má.

Lily olhou para Regina – Sim, com certeza será um ótimo dia... – fez uma pausa e olhou ao redor – Onde está a minha loira?

- Desculpe, quem? – perguntou Kathryn com a maior cara de cínica, fingindo não saber de quem se tratava Se você não estiver pronta para se queimar, nem comece a ascender o fósforo.

Lily a olhou brava – Você sabe de quem estou falando.

- Sei? Acho que você está equivocada. – respondeu a loira sarcástica – Que eu saiba, os únicos seres vivos que tem dono aqui são os cavalos. – terminou Kathryn, Zelena e Regina estavam segurando o riso enquanto a cara da Lily ficava vermelha como um pimentão de raiva Argh que mulherzinha mais sabichona essa loira azeda.

- Só não respondo da forma que você merece, pois sou uma pessoa educada. – retrucou Lily. Kathryn a olhou de forma zombeteira fingindo espanto. Regina ainda conseguiu segurar o riso, mas Zelena não, ela gargalhou da afirmação da irmã.

- Ai Lily, essa foi a melhor piada da manhã... – comentou a ruiva quando conseguiu tomar fôlego.

A morena fuzilou a irmã com o olhar – Muito obrigada irmã. – comentou fingindo agradecimento Já não basta essas duas tirando sarro da minha cara, ainda tem a minha irmã zombando comigo.

- Ai disponha Lily. – respondeu Zelena com um aceno de mão, como se realmente ela tivesse elogiado.

- Nossa, se você não tivesse falado eu não teria percebido que você era educada. – dessa vez foi Regina quem alfinetou Muito bem Regina, você sabe alfinetar também! Zelena novamente gargalhou. Kathryn não conseguiu segurar o riso e Regina sorria travessa Isso sua projeto incompleto de assombração, se corroa de raiva! Se a mente de Regina tivesse um rosto, agora com certeza estaria mostrando a língua para a morena a sua frente.

Lily respirou fundo – Bom, eu não vou ficar aqui discutindo com vocês. Se vocês me dão licença, vou procurar pela minha loira Argh pior que minha irmã ainda compartilha das piadinhas sem graça delas, mas não tem problema vou procurar a minha loira e esfregar na cara das duas, principalmente dessa Regina que está se achando rainha.

- Eu vou perder a honra de ficar discutindo aqui com você? Que sacrilégio. Nossa, muita afronta! – comentou Regina sarcasticamente 2x0 para Regina! Lily até tenta, mas não consegue fazer um ataque efetivo. Isso Regina, continue assim!

- Quem seria? – alfinetou Kathryn Um golpe certeiro!

- Emma! – respondeu Lily simplesmente.

Kathryn levou uma mão ao queixo em uma forma pensativa e Lily a olhou curiosa – Sua loira? Emma?... Acho que não são a mesma pessoa... – fez uma pausa dramática Agora irei jogar gasolina na fogueira e ver o circo pegar fogo! – Pois a Emma que eu conheço que conheço está namorando a minha amiga aqui. – terminou de explicar e apontou para Regina, surpresa a morena encarou as íris azuis e Kathryn apenas olhou dizendo Segue o plano, apenas confirme!

- Sério? – perguntou Zelena em um misto de surpresa e alegria Agora sim, fiquei feliz mesmo. Por mais que Lily fosse sua irmã, ela gostava muito de Emma e a loira merecia alguém melhor que a própria irmã para um relacionamento amoroso.

- O que? – foi apenas o que Lily conseguiu dizer. A surpresa era imensa Como? Quando? Impossível!!

- Sim, acabei de ficar sabendo. – comentou Kathryn ao olhar para Zelena E vamos atiçar mais ainda a fogueira! – Não é maravilhoso? Outro golpe certeiro!

Zelena abriu um enorme sorriso – Com certeza é maravilhoso.

- Inclusive a mãe de Regina está aqui, veio direto de São Francisco para conhecer Emma... – continuou a loira colocando mais lenha na fogueira E veio o golpe final!

Ao escutar a notícia, a raiva de Lily ficou mais que estampada em seu rosto. A cada palavra que Kathryn proferia aumentava sua ira mais ainda. Ela estava ao ponto de pular no pescoço da loira e esganá-la a qualquer momento. Zelena ao perceber sua irmã mudar completamente de comportamento, apenas colocou uma mão sobre o ombro, e apertou fortemente Agora que Lily comete um assassinato de verdade.

- Bom, acho que já tomamos muito do tempo de vocês, e nós viemos aqui para cavalgar. – comentou Zelena mudando o foco da conversa – Vamos, Lily, vamos lá para o Bosque e vamos cavalgar. – disse puxando sua irmã pelo braço – Meninas até qualquer hora. – saiu arrastando uma Lily furiosa.

- Ficou louca Kathryn Midas? – perguntou Regina brava, assim que viu que as irmãs estavam longe e não poderiam ouvi-las – Como assim estou namorando a Emma? Realmente até que não é uma má ideia. Mente!! Ai Regina, aposto que você também gostou da ideia de namorar Emma... Imagina aquela loira na cama, chegaria até me dar arrepio se tivesse uma pele. Calada mente, que agora irei discutir com minha amiga!

Kathryn gargalhou da reação da amiga – Ai Rê, isso é apenas um mero detalhe que aquele projeto de encosto não precisa ficar sabendo. – respondeu a loira tirando o celular do bolso para digitar uma mensagem Preciso pedir a ajuda da minha morena fabulosa! – E você não viu a cara de raiva dela, foi impagável. Ela achando que estava por cima da carne seca. Coloquei-a no devido lugar.

09:16 am: Oi morena charmosa! Cheguei e preciso urgentemente da sua ajuda. – guardou o celular no bolso – Agora vamos entrar que eu necessito muito daquele café que só a Eugenia sabe fazer, e você irá me contar tudo que aconteceu com Robin e depois o beijo com a Loirão.

-SQ-

Emma e Ruby estava cavalgando pelas terras da fazenda recém-adquirida, analisando melhor o terreno para ver o que poderiam fazer. Já que Emma iria para Boston amanhã, e entraria em contato com a construtora anterior que fez o projeto do Bosque, que é o espaço destinado aos passeios e trilhas.

- Nessa parte, poderemos aumentar mais o Bosque, e fazer novas trilhas... – comentou Emma apontando o pedaço logo atrás do espaço mencionado – Aqui podemos também ampliar o espaço verde, e ali poderemos construir uma pequena pousada para acomodar as pessoas que vem de longe e não encontram mais lugar para ficar na cidade. – continuou – Poderemos fazer outra entrada para o Bosque e também uma nova entrada de visitantes... – fez uma pausa – Mas verei isso tudo com a construtora.

- Eu acho uma ótima ideia. – concordou Ruby olhando os lugares e já imaginando as mudanças que ocorreriam ali. Estava imersa em seus pensamentos quando sentiu seu celular vibrando. Tirou-o do bolso e viu uma mensagem de Kathryn, ela abriu um sorriso e começou a digitar a resposta.

09:19 am: Oi minha loira deslumbrante. Ae que bom que chegou! Onde é o incêndio? – mandou a mensagem e guardou o celular no bolso.

- Quem era? – perguntou Emma ao ver o sorriso nos lábio da amiga.

- A minha loira. – brincou Ruby e Emma a olhou curiosa.

- Achei que eu fosse a sua loira. – brincou.

- Sim, você é, mas é a minha loira irmã. – explicou a morena – A minha outra loira é a amiga da sua morena. – riu.

-SQ-

Kathryn sentou-se a mesa com uma enorme caneca de café. Seu rosto era o significado da palavra satisfação. Ai como senti falta desse café! Seu celular, que estava em cima da mesa, apitou ao receber nova mensagem. Depois de um grande gole e um gemido de prazer, a loira pegou seu celular para ver a resposta. Regina apenas sorria das reações de sua amiga com o café de Eugenia.

09:21 am: O incêndio se chama Lily e ela acabou de chegar a fazenda. Está atrás de Emma, não as deixe se encontrar. Preciso conversar com você, tenho um plano e preciso da sua ajuda, aliás, eu já o coloquei em prática ao falar que Regina e Emma estão namorando. Onde podemos nos encontrar?­ – terminou de digitar e colocou o celular novamente no lugar e cortou um pedaço de queijo branco – Ter certeza que não posso levar Eugenia para passar uma semana comigo em Boston? Não custa tentar, vai que cola!

A morena sorriu – Tenho! – respondeu depois de tomar mais um gole de café.

- Tia Katy! – Henry exclamou feliz ao vê-la, e a abraçou fortemente – É hoje que vamos brincar na lama? – perguntou esperançoso.

- Oi meu príncipe. – ela cumprimentou de volta o abraçando e beijando as curtas madeixas castanhas – Infelizmente não, pois foi uma emergência eu vir para cá e voltarei no fim do dia para Boston, mas eu volto outro dia para ficar mais tempo e então marcamos a nossa brincadeira na lama.

- Ah tia... – disse ele frustrado.

- Henry! – Regina chamou a atenção dele.

- Tudo bem, marcamos outro dia! – disse e sentou-se ao seu lado, enquanto a loira ajudou-o a se servir para tomar café.

- O que vocês irão marcar para outro dia? – perguntou Cora se fazendo presente – Bom dia. – cumprimentou.

 - Bom dia mamãe. – cumprimentou Regina de volta quando recebeu um beijo de Cora no topo da cabeça.

- Oi vovó. – disse Henry ao terminar de tomar um gole de suco de maçã – Nossa brincadeira na lama. – respondeu.

- Bom dia tia Cora. – cumprimentou Kathryn Preciso conversar com Cora depois, precisarei da ajuda dela também.

Os olhos de Cora se arregalaram surpresos – Brincadeira na lama? Acho que não entendi direito.

- Não mamãe, é isso mesmo. – respondeu Regina cortando um pedaço de queijo branco para si – Henry fez todo mundo prometer brincar com ele na lama.

- Todo mundo? – perguntou curiosa – E porque isso?

- Ah vovó, a mamãe e a Emma brincaram na lama e não me chamaram, então elas prometeram que iriam brincar comigo, assim como tia Katy e a tia Ruby também prometeram – respondeu ele depois de uma garfada em sua panqueca com frutas.

- Temo que ainda não estou entendendo. – comentou Cora ao tomar um gole do café – Que delícia de café.

- Foi Eugenia quem o fez. – disse Kathryn reabastecendo sua caneca Se não conseguir levá-la, pelo menos precisarei de uma garrafa térmica imensa para levar muito café. – Quanto a brincadeira na lama, Emma e Regina uns dias atrás “brincaram” na lama, então todo mundo eu, Ruby, Emma e Regina prometemos que marcaríamos um dia para brincarmos com Henry na lama.

Uma sonora gargalhada foi ouvida – Como você não me disse nada sobre isso Regina?

- Ah mamãe... Foi tão inesperado tudo... – respondeu a morena mais nova sem muito saber o que falar – Que não deu tempo ainda de te atualizar das notícias.

- Quando vocês marcarem esse dia me avise que eu não quero perder por nada nesse mundo. – pediu Cora se acalmando – Porque vai ser a coisa mais cômica ver você e Kathryn brincando na lama. – não aguentando ela voltou a gargalhar.

-SQ-

Ruby tirou o celular do bolso para ver a mensagem recebida. Elas ainda estavam nas terras da fazenda, ainda andavam analisando o terreno – Ai que agora ferrou. – comentou a morena alto o suficiente para Emma ouvir.

- O que foi? Está tudo bem? – perguntou Emma preocupada.

- Sim, está... Digo, não aconteceu nada grave, mas Kathryn acabou de falar que Lily está na fazenda e já está atrás de você! – respondeu Ruby digitando uma resposta O que esse projeto de despacho mal acabado está fazendo aqui?

Emma parou o cavalo e soltou uma grande respiração – Sério? Só pode ser brincadeira... Eu achando que teria um domingo cheio de amor e beijos, mas pelo visto as forças maiores têm outros planos! Hey Loirão não desiste assim tão fácil do seu domingo cheio de beijos e amor. Você está certa, mente, não posso desistir assim. Muito bem, é assim que se fala!

9:25 am: Tudo bem, eu não deixarei elas se encontrarem. Plano? Já falei que te adoro? Vamos marcar no celeiro principal daqui a meia hora. – Sério. O que será que a Katy está aprontando?

- Essa garota não desiste. – comentou a loira desanimada. Seria tudo tão mais fácil se eu não tivesse me envolvido com ela! Maldita hora!

- Mas não se preocupe... O Esquadrão Espanta-Lily entrará em ação. – respondeu a morena assim que guardou o celular no bolso da calça jeans.

- Esquadrão Espanta-Lily? Que raios é isso? – perguntou a loira rindo Lá vem a louca da Ruby e suas ideias mirabolantes.

- É a força-tarefa encarregada de não deixar Lily se aproximar de você e Regina. – respondeu a morena olhando travessa para sua amiga – Que é formada por mim, Kathryn, Zelena, e muito provavelmente Henry se juntará também.

Emma soltou uma gargalha – Vocês não tem jeito! – disse assim que se recompôs Não disse, mais uma ideia louca da cabeça da minha amiga! – Vamos terminar de olhar essa terra e vamos voltar, pois ainda temos muitas coisas para fazer. E uma delas é manter Lily bem distante.

- Bom quanto a isso nós nos encarregaremos! – comentou Ruby andando ao lado da loira enquanto elas cavalgavam pelas terras e conversando sobre os projetos futuros que ali serão construídos.

-SQ-

- Regina, onde fica o celeiro principal? – perguntou para a morena assim que leu a mensagem de Ruby.

- Porque quer saber? – respondeu com uma pergunta assim que voltou da cozinha, onde havia levado as coisas do café.

- Ruby pediu para encontrá-la. – respondeu enquanto digitava a resposta.

9:27 am: Te encontro no celeiro. Me adora, é? Acho que você gosta da minha mente maligna, isso sim! – guardou o celular no bolso ao se levantar.

- Encontro no celeiro? – riu, mas logo parou ao se lembrar do beijo que ela e Emma trocaram no mesmo celeiro ontem ao final da manhã Será que terei outro beijo igual aquele? Ou o da varanda? Ai ai... Suspirando já Regina, realmente você precisar beijar e muito aquela boca da Loirão! Mente. Nossa Regina vamos beijar a loira para ver se essa sua chatice passa! Deva ser isso, falta de beijos da loira fantástica.

- Porque parou de rir de repente?  - indagou a loira desconfiada, Regina instantaneamente ficou vermelha, então os olhos de Kathryn se arregalaram – Foi ali o beijo, não é? Quero saber todos os detalhes desse beijo.

- Shiu! Fale baixo. – pediu Regina se aproximando da amiga e olhando para os lados para ver se ninguém havia escutado, mas Cora que mal havia saído da sala de jantar foi capaz de escutar a conversa e um sorriso amoroso surgiu em seus lábios, e ela continuou se afastando e indo para a varanda da frente, onde seu neto já a esperava.

- Vamos! Assim no caminho você vai me contando tudo que aconteceu. – pediu Kathryn puxando sua amiga para a direção da cozinha.

- Não tenho escolha, não é mesmo? – brincou a morena e Kathryn negou com a cabeça sorrindo – Eugenia, estarei pela fazenda agora pela manhã, se precisar de qualquer me procure, ou então fale com minha mãe se for sobre o almoço, ela saberá te responder também. – comentou e fechou a porta logo atrás dela.

- Por meus botões, o que foi esse furacão? – brincou a senhora ajeitando a louça do café, para logo começar a preparar o almoço Esse furacão tem destino certo!

-SQ-

9:35 am: Também gosto de sua mente maligna. E quero saber tudo sobre esse seu plano! Até daqui a pouco. – digitou a mensagem e guardou o celular no bolso depois de enviar – Vamos voltar Loirão? Eu combinei com Kathryn de nos encontrarmos no celeiro daqui a pouco, para bolarmos um plano de manter Lily afastada.

- Vamos, acho que não se tem mais nada que fazer aqui. – respondeu a loira – Agora é com falar com a construtora... – fizeram a curva e estavam voltando – Encontro com a Kathryn no celeiro, sei? Olha a loba tarada aprontando.

- Como se você pudesse falar alguma coisa, não é Loirão? – brincou a amiga – Porque eu vi o tremendo beijo que você e a dona onça deram ontem!

- Tudo bem, não tenho moral para falar nada... – comentou ela brincando, mas ficou em um segundo em silêncio ao se lembrar do beijo e então soltou uma longa respiração Será que beijarei minha morena hoje?

- Minha amiga está apaixonada. – zombou Ruby Não posso parar de zoar Emma, mas fico feliz que finalmente ela tomou uma atitude quanto a Regina.

- Impressão sua. – disse Emma sem muita importância Apaixonada é pouca! Hey mente! Ah Emma e vai negar? Mesmo depois da conversa que você teve com a Ruby ontem e depois comigo? Tudo bem, não irei negar, mas vou me fazer de difícil para você.

Ruby riu – Vai começar com isso novamente? Acho que a Regina precisa te dar uma chave de beijos e aprofundar para uma chave de pernas.

- Ruby! – exclamou Emma fingindo indignação Ah lá, até a Ruby concorda comigo. Chave de pernas, eita Loba assanhada, não brinca assim não que o coração pode parecer forte, mas dependendo do assunto ele é fraco.

- Ai Loirão, vai me dizer que você não quer as pernas dela brincando de colar em seu pescoço? – cutucou a morena de mechas vermelhas. O rosto de Emma ficou vermelho feito pimentão ao imaginar a cena – Rá! Eu sabia que você queria, então não me venha com esse pudor todo.

- Mas também não precisa escancarar. – gargalhou a loira juntamente com Ruby Ai Ruby não me faça ter imagens impróprias para o horário! Mente, nem pense em cogitar essa hipótese de pensar nessas imagens... Droga mente! Imagens de Regina surgiram em sua mente Ai mente eu disse para não pensar. Desculpa foi mais forte que eu. Emma balançou brevemente a cabeça para limpar os pensamentos. Elas iam cavalgando devagar e conversando tranquilamente.

-SQ-

- Aonde minha loira se enfiou? – perguntou Lily brava Ela só pode estar se escondendo de mim! – Procurei em tudo quanto é lugar e não achei nem um fio loiro, e engraçado que ninguém sabe onde ela foi. – comentou Lily ao chegar perto da irmã que já estava montada no cavalo, pronta para começar sua trilha e limpar a cabeça dos problemas e estresse da semana.

- Olha, vamos cavalgar Lily... – comentou a ruiva olhando para sua irmã Que continue assim, sem Lily encontrar com Emma. - Emma tem serviço para fazer, não é igual a você que vive de mesada do papai. – fez uma pausa – Depois você procura por ela novamente.

Lily suspirou frustrada – Vivo mesmo, ele pode nos bancar, então vou aproveitar. – disse indicando que queria um cavalo também Ainda não desisti de procurar por minha loira!

- Você! Ele banca apenas você... – corrigiu Zelena – Eu só moro com ele, por causa da mamãe. Eu tenho um emprego o qual me sustenta, e uma casa a qual pretendo morar o mais rápido possível.

- Bom, tanto faz... Vamos cavalgar. – comentou Lily emburrada por não ter encontrado sua loira – Mais tarde procuro por Emma.

-SQ-

- Pode começar a contar tudo sobre o beijo... – pediu a loira, que dessa vez soube vir de sapato adequado, ela vestia uma calça preta de tecido de algodão, agarrada as pernas, um bota de cano curto preta, com o solado grosso e salto alto quadrado, juntamente com uma blusa de malha cinza manga comprida e gola alta e uma jaqueta preta por cima. Seu cabelo solto e apenas um batom de cor clara pintava seus lábios.

Regina estava novamente de calça jeans, pois achara confortável a peça para andar pela fazenda. Surpreendentemente estava usando um tênis keds vinho e uma blusa igual a de Kathryn só que vermelha, seus cabelos soltos e sua marca registrada, o batom vermelho em seus lábios.

- Bom, depois que expulsei Robin, eu fui atrás de Emma para conversarmos... – começou Regina – Eu a encontrei no celeiro... – fez uma pausa se lembrando da cena Ai que calor deu de repente! Mente. Credo Regina, você está pior que velha rabugenta, só pode ser por ter visto a Lily! E quem não ficaria assim? Ok, concordo com você nessa! – Emma estava se exercitando pendurada em uma viga...

- Então é assim que ela tem aqueles braços? – interrompeu a loira Será que Ruby tem braços deliciosos? Se não tiver preciso pedir para ela começar a se exercitar junto com Emma.

- Se é assim eu não sei... – riu a morena Mas que eles são uma perdição, eles são! – Então a chamei e ela desceu e se virou para mim e naquela hora tudo parou... – tomou fôlego De novo o calor repentino! – Ela veio com um olhar predador que eu fiquei sem palavras e reação.

- Então foi ela que resolveu dar o primeiro passo? – indagou Kathryn curiosa.

Regina sorriu – Sim... Então ela veio se aproximando, e cada passo que ela dava, meu coração batia mais forte... Não bastasse todo esse ar de predadora, ele levantou a camiseta regata que estava usando para enxugar o rosto e me mostrou seu abdômen... E posso dizer que ele supera os braços Acho que o abdômen supera os braços. Concordo com você mente!

- Que mulher mais safada essa Emma. – riu gostosamente Kathryn Como será o abdômen de Ruby? Curiosidade bateu forte agora!

Regina riu também – Assim que ela se aproximou parou no bebedor, tomou água, lavou o rosto perguntou se eu queria algo e me deu as costas, voltando para onde estava... E não contente em me mostrar o abdômen, levantou a regata novamente, me mostrando a parte baixa das costas e me dando uma melhor visão de seu bumbum Agora sei que eles são uma delícia de serem apertados.

Kathryn gargalhou – Além de safada é muito abusada a loira... Adorei! Ela realmente não estava para brincadeira.

- Nem um pouco... – respondeu a morena rindo também – Então entrei no celeiro e comecei a falar sobre Robin e me desculpar por ele, e no mesmo instante ela me pediu para se desculpar por ele e mudou o foco da conversa.

- Qual o rumo que a conversa tomou?

- Eu a chamei pelo primeiro nome e ela disse que gostou...

Kathryn a olhou confusa – Gostou do que?

- Foi a mesma pergunta que eu fiz ela me respondeu que gostou de eu tê-la chamado de Emma, sem os pronomes de tratamento ou sobrenome. – respondeu a morena.

- Essa loira sabe fazer as coisas. – comentou Kathryn – O que mais?

- Falei que então passaria a chamá-la de Emma e sorri. – disse Regina – No instante seguinte ela me disse que acha bonito meu sorriso, principalmente quando sorrio para Henry.

- Muito galanteadora esse mulher Será que Ruby também tem umas cantadas desse tipo?

Regina sorriu – Eu retruquei falando que ela ficava reparando em mim, e ela disse que não era só isso que ela havia reparado, eu não contente perguntei o que mais ela tinha reparado e a instiguei falando seu nome em um tom sexy. – fez uma pausa e Kathryn a olhou curiosa – Ela falou que reparou em meu perfume e aninhou seu nariz em meu pescoço me arrepiando... – fez outra pausa ao se lembrar das sensações Gente, mas está calor hoje, não? provocou a mente. – Perguntei o que mais ela havia reparado, ela em seguida colocou as mãos em meus quadris e juntou com os dela e remexeu em um rebolado sensual dizendo que ele havia deixado louca naquela noite no pub.

Kathryn gargalhou incontrolavelmente – Realmente essa loira não estava para brincadeira não.

Regina sorriu – Perguntei novamente o que mais dizendo o nome dela praticamente gemendo...

- Você também apelou na brincadeira. – zombou a loira.

- Oras ali valia tudo... Subi minhas mãos fazendo leves arranhões em seus braços até chegarem atrás da nuca dela e ali se entrelaçarem... Isso também me arrepiou.

- Hum continua que está ficando bom. – deu uma risada a loira.

- Ela então gemeu gostosamente e falou que também reparou em meus lábios e no convite silencioso que eles fazem a ela Aquele gemido foi golpe muito, mas muito baixo. O que eu faria para escutá-lo novamente? Acho que qualquer coisa. Regina! Ué, não era você que estava me chamando de velha rabugenta e quando fico mais assanhada você me recrimina? Tudo bem! Concordo que faríamos qualquer coisa para escutar Emma gemendo daquele jeito novamente.

- Convite silencioso? – indagou para lá de curiosa.

- Foi a mesma coisa que perguntei. – disse Regina – Que ela toda vez que os veem, eles pedem para serem beijados.

- Uau! Essa cantada foi muito boa! – disse Kathryn surpresa – E você?

- Oras o que acha que eu fiz? – perguntou de volta a morena e Kathryn apenas a olhou interrogativamente – Eu falei que era falta de educação não atender um pedido.

Kathryn não se aguentou e gargalhou novamente – Gente, eu preciso passar mais tempo com vocês e aprender uma coisa ou outra... Mas continua contando.

- Ela falou que tinha que se redimir e eu concordei e no momento seguinte estávamos nos beijando... – contou Regina Deve ser a menopausa precoce, porque está quente aqui! – As mãos bobas ganharam vida e quando percebi ela havia me tirado do chão, e eu instintivamente abracei a sua cintura com minhas pernas e ela acabou me prensando contra o pilar de madeira do celeiro e aprofundamos o beijo, que virou vários beijos até sermos interrompidas por Ruby.

- Rê me abana que estou passando mal... – brincou Kathryn – Amiga, essa loira tem pegada pelo visto.

- E como tem. – respondeu a morena ficando vermelha no mesmo instante, e arrancando novamente mais uma gargalhada da loira – Bom, chegamos. – disse Regina assim que pararam na porta do celeiro.

- Vamos entrar! – pediu Kathryn, e ao adentrarem viram Emma e Ruby brincando para ver quem fazia mais repetições na mesma viga que a loira estava se exercitando no dia anterior – Assim meu coração não aguenta. Vocês também não colaboram. – a loira comentou alto o suficiente para todas as mulheres ouvirem Poxa Ruby, pelo menos poderia estar só de regata para ver se seus braços são suculentos. Kathryn canibal modo on, ataca! Com certeza mente maligna.

- Conheço o sentimento. – comentou Regina ao ver as duas mulheres ali penduradas Pelo menos hoje está usando a horrorosa camisa xadrez. Assim não tem graça.

Aquele comentário fez com que as duas mulheres soltassem a viga e se virassem para as recém-chegadas – Oi. – cumprimentou Ruby e Emma ao mesmo tempo, um pouco envergonhadas.

- Oi. – disseram Kathryn e Regina de volta assim que se aproximaram.

Um breve silêncio pairou no ar, apenas trocas de olhares entre as loiras com as morenas. Sorrisos adornavam os rostos, mas nenhuma palavra era dita.

- Ok. Vai Loirão, sei que você está morrendo de vontade de sapecar um beijo na sua morena, vá em frente. – disse Ruby quebrando o silêncio e olhou para a amiga E Ruby ataca novamente! – Está esperando o que? Vai! – incentivou ao mesmo tempo em que empurrou o ombro da loira com o seu As vezes essa loira é muito devagar.

Emma ficou vermelha e deu um passo a frente com o empurrão, e se aproximou de Regina, ambas as mulheres sorriam timidamente. A loira se inclinou e depositou um beijo demorado na bochecha perto dos lábios de Regina Ai Emma esse beijo eu dou na minha mãe! disse a mente da loira. Loirão, mas que beijo xoxo foi esse? Para não dizer outra coisa. Não era um beijo assim que eu queria sua loira burra! exclamaram Regina e sua mente.

- Ai eu não acredito! – exclamou Kathryn arrasada e frustrada Esperava mais de você agora, Emma. – Vocês chamam isso de beijo? Esse tipo de beijo eu dou na minha mãe. – comentou a loira sarcástica Está vendo Emma, até a Kathryn concorda comigo! ralhou a mente de Emma. – Será que vou precisar ensinar a vocês duas como beijar?

- Katy... – Regina tentou argumentar.

- Não me venha com desculpas... – interrompeu a loira – Um beijo é assim... – Kathryn se aproximou de Ruby, passou um braço pela cintura da outra mulher, enquanto sua outra mão se embrenhou nos cabelos castanhos atrás na nuca e juntou seus corpos e o instante seguinte estava beijando a morena. O beijo começou lento e devagar, então Ruby acordou para o acontecimento, depois de um breve momento de surpresa, e passou seus braços ao redor dos ombros da loira, abraçando fortemente. Passou a ponta da língua nos lábios da loira pedindo passagem que foi atendida no mesmo instante.

Emma e Regina olhavam as duas mulheres se beijando, no começo ficaram surpresas, mas depois sorriram cúmplices do acontecimento Entenderam? Um beijo é assim!! As mentes das duas mulheres disseram ao mesmo tempo. Esquecidas pelas duas mulheres que não paravam de se beijar, Emma depositou suas mãos nos quadris da morena, trazendo seus corpos juntos. Regina levou suas mãos até as bochechas da loira e lentamente elas se inclinaram. Lábios se encontrando no meio do caminho. Respirações descompassadas, corações batendo fora do ritmo. O beijo no começou era apenas o roçar dos lábios, então brevemente suas línguas se encontraram arrepiando suas peles, ele se tornou desejoso. Mas assim como começou, rapidamente ele terminou.

- Ai gente vocês estão de brincadeira, não é? – exclamou Kathryn exaltada, ela estava de costas para Ruby, que a abraçava por trás, e apoiava sua cabeça no ombro da loira enquanto elas viram suas amigas se beijarem.

- Se contentem, pois é só o que vocês verão. – anunciou Regina descendo suas mãos, até que sua mão direita se entrelaçou com a esquerda de Emma Tudo bem, para um início de dia está bom, mas ainda quero mais beijos. Ai mente concordo com você novamente. Eu sou foda, só falo o que você quer ouvir ou não tem coragem de admitir. Nisso eu não concordo! Tanto faz, pois você sabe que eu só falo verdades!

- Você não sabe brincar, Regina! – comentou Ruby com bico, então olhou para a loira em seus braços – O que você quer conversar comigo?

Kathryn olhou com um cara de safada para a amiga – Bem... – começou Vai Regina pega a deixa e cai fora.

Regina ergueu a mão esquerda – Tudo bem, eu já entendi... Você quer ficar sozinha para aproveitar o momento... Faça bom proveito. – olhou para a loira – Vamos?

Emma abriu os olhos surpresa – Você quer deixá-las aqui sozinhas? – perguntou incrédula, e Regina a olhou sem entender – Com o fogo que elas estão irão queimar todo o celeiro.

Ruby instantaneamente ficou vermelha e Kathryn soltou uma gargalhada – Mas ele está inteiro depois que você e Regina se pegaram aqui dentro ontem. – alfinetou Ruby menos vermelha Amiga, na escola da zombaria que você frequenta eu dou aula.

Neste momento foi a vez de Regina e Emma ficarem vermelhas – Regina sua safada! – exclamou Kathryn travessa – Pelo menos foi bom?

Um breve aceno positivo da morena – Maravilhoso... – murmurou ao mesmo tempo que a vermelhidão dos dois rostos se intensificava e Ruby e Kathryn gargalhavam – Então não se preocupe, se o celeiro aguentou vocês duas, ele nos aguentará também.

- Acho melhor irmos logo, Regina. Não quero ver cenas que não me deixarão dormir mais tarde. – disse Emma começando a andar para a saída do celeiro, sua mão segurando firme a da morena, e a outra esticou para pegar seu chapéu pendurado em outra viga, ao lado do chapéu da Ruby – Antes que elas resolvam que a nossa pele fique melhor no tom vermelho tomate intenso. – terminou colocando o acessório na cabeça.

- Ah Loirão, não preciso fazer isso, a Regina se encarrega, pois essa é a cor do batom dela. – zombou a morena rindo e viu as duas mulheres acelerar o passo para fora do celeiro enquanto riam Boa Ruby, 2x0 para você contra o Loirão!

- Tudo bem, elas estão fora do alcance para ouvir a conversa, agora me diga qual seu plano maligno? – pediu Ruby ao se virar para a mulher em seus braços, dando um selinho rápido e a soltando para conversarem melhor.

- Bom, eu não aguentei a provocação da Lily e disse que Regina e Emma estavam namorando... –começou a loira olhando para Ruby.

Os olhos azuis de Ruby se arregalaram surpresos e travessos ao mesmo tempo – Sério? Adoro essa sua mente maligna!!

- Sim... E ainda falei que Cora havia chegado de São Francisco para conhecer Emma. – continuou Kathryn.

- Cora?

- A mãe de Regina. – respondeu e Ruby acenou entendendo – Devido ao namoro das duas. Regina me olhou surpresa, mas pedi com o olhar que ela continuasse concordando e ela não disse nada contradizendo, e agora preciso da sua ajuda para continuar com esse plano. Falar que Emma e Regina estão namorando e que Cora está aqui para conhecê-la.

- Mas um pequeno detalhe, elas não estão namorando. – comentou Ruby.

- Esse é uma informação que Lily não precisa ficar sabendo. – disse Kathryn maliciosa E se tudo depender do meu plano, elas começam hoje mesmo a namorar.

- Minha loira deslumbrante, você acaba de me dar uma ideia maravilhosa e sei quem mais pode se juntar nos nossos planos. – comentou Ruby colocando sua cabeça para funcionar.

- Quem? – perguntou a loira curiosa.

- Oras, o pai de Emma. – respondeu Ruby – Tempos atrás eu conversei com ele sem Emma saber. Tem todo um esquema por trás para juntar essas duas, e ele começou lá com o senhor Henry.

Os olhos arregalados de Kathryn denotavam sua total surpresa – Me conta essa história direito, que depois precisamos colocar o plano em ação.

- Tio, o senhor tem um minuto para conversar? – pediu Ruby ao adentrar na sala da casa da loira.

- Claro Ruby. – disse o homem saindo da cozinha enquanto enxugava as mãos, depois de ter lavado a pouca louça acumulada na pia – Sente-se. – pediu ao se sentar em sua poltrona – O que você quer conversar?

- Emma e Regina... Eu sinto que está rolando algo, ou que rolará algo entre elas... – riu a morena, fazendo o senhor rir também – E estava pensando que talvez o senhor pudesse me ajudar a apressar as coisas com essas duas.

George riu da sua sobrinha – Mas porque você não deixa as coisas acontecerem de forma natural?

- Porque conhecemos a Emma e sua falta de credibilidade nas pessoas fora de seu convívio social, e sinto que Regina será essa mulher que mudará o jeito arredio de Emma com relação a relacionamentos. – respondeu Ruby – Sei que o que ela passou desde criança e nos poucos relacionamentos que ela teve a fizeram não se apegar a ninguém, mas eu sinto que com Regina é diferente.

O homem ficou olhando para a mulher a sua frente sentada no sofá, soltou uma grande respiração – Sabe, o pouco que eu vi e andei prestando atenção, eu também acho isso... Mas tem uma coisa que você não sabe.

- O que?

- Na época que Henry ainda era vivo, uma vez estávamos ele, sua avó e eu sentados lá na varanda da casa principal, conversando sobre tudo e mais um pouco... – fez uma pausa, e um sentimento de saudade encheu o seu peito, pois se lembrar do amigo ainda mexia com ele – Ele nos confidenciou que queria juntar a própria filha com a minha filha, e pediu a minha ajuda e a da sua avó.

- Não acredito que o senhor Henry já estava arquitetando esse plano. – riu a morena – Mas que velho mais ligeiro.

- Ah querida Ruby, você tem toda razão... Aquele velho Henry era muito do adiantado, enquanto você ainda estava procurando uma isca para pescar o peixe, Henry já estava com o peixe assando no forno. – brincou o homem mais velho – Nós concordamos em ajudá-lo, e que ele já estava colocando o plano dele em prática, ele não nos disse o que era, mas depois que eu vi Regina vindo morar aqui, comecei a ligar os pontos... – fez uma pausa – Tirou a distância, que no momento era o maior empecilho, deixou Emma como a administradora da fazenda, assim elas teriam que interagir e conversar e com nossa ajuda, minha e de sua avó, iríamos começar a juntá-las... Ele tinha a convicção que Regina era perfeita para Emma, assim como minha filha era perfeita para Regina.

Ruby gargalhou – Ainda estou desacreditada que o senhor Henry tenha arquitetado tudo isso. – comentou a morena – Mas uma coisa ele está certo, as duas se completam.

- E nós daremos uma pequena ajudazinha para elas ficarem juntas. – comentou George.

- Disso tio, o senhor não tenha dúvidas!

Os olhos azuis de Kathryn estavam tão abertos em surpresa – Eu não acredito! – riu feliz – Tudo conspira a favor dessas duas! Nós apenas temos que afastar os retardatalhos do caminho.

- O primeiro é Robin, que já foi. – comentou Ruby pensando.

- Agora temos Lily... – completou Kathryn – Mas com certeza Robin irá dar trabalho ainda.

Ruby concordou com a cabeça – Vamos por partes, agora nossa prioridade é Lily... – fez uma pausa – Eu estava pensando aqui com os botões de minha avó... Precisamos armar encontros onde Lily sempre veja Emma e Regina juntas, para ver que ela não tem nenhuma chance com Loirão.

Um imenso sorriso travessa surgiu nos lábios de Kathryn – Eu já tenho em mente um possível encontro... – Ruby a olhava curiosa – Eu só preciso conversar com Cora e sua avó.

- Você não irá me contar?

- Agora não. – deu um selinho na morena – Vá conversar com o pai de Emma, que eu vou conversar com Cora. – outro selinho – Depois te mando mensagem. – terminou saindo sem esperar Ruby dar alguma resposta.

- Eita que fiquei de fora... – riu – Bom, vamos lá conversar com o tio. – disse e saiu pela outra entrada do celeiro.

-SQ-

- Já que fomos expulsas do celeiro... – começou Emma – Será que podemos terminar a conversa sobre os contratos, eu vou aproveitar que estarei em Boston e já resolverei isso.

- Claro, vamos lá no escritório. – concordou a morena que em nenhum instante elas separaram suas mãos Posso segurar sua mão para sempre?

Ao chegarem perto da casa foi que elas finalmente soltaram as mãos, mas não por vontade própria, mas sim porque um pequeno ser saiu correndo na direção da loira.

- Emma!! – exclamou Henry feliz ao vê-la.

- Hey garoto! – disse ela se abaixando para pegá-lo no colo quando se aproximou, abraçando-o forte – Como você está?

- Eu estou bem! – disse ainda abraçado a ela. Regina sorria e continuou sua caminhada até chegar onde sua mãe estava sentada, e sentou ao seu lado.

- É tão incomum vê-lo assim com outra pessoa que não seja eu, você ou Kathryn... – comentou Cora com um sorriso feliz no rosto.

- Ele é assim com ela desde o primeiro momento que se encontraram. – comentou a morena mais nova sem tirar os olhos dos dois, que vinham em sua direção, só que agora Henry estava usando o chapéu da loira que ele havia tirado dela e colocado em si, e ele estava agarrado as costas de Emma. Os dois vinham sorrindo. Cora só observava a cena.

- Pronto! Está entregue! – brincou Emma assim que ajudou Henry descer de suas costas, e ele voltou a sentar-se ao lado de sua avó, após entregar o chapéu para a loira, rodeado por seus livros de história sobre cavalos.

- Mamãe, estaremos lá no escritório revendo os contratos... – começou Regina.

Cora acenou com a mão – Não se preocupe, se precisar a procurarei. – disse sem muita importância enquanto ajudava Henry a ler uma história.

Sem dizerem mais nenhuma palavra, as duas mulheres foram para o escritório resolverem a pendência dos contratos.

Algum tempo depois, Kathryn apareceu na visão da senhora – Kathryn, minha querida, era com você mesma que eu queria conversar. – falou a mulher mais velha assim que a loira se aproximou – Você tem um minuto?

A loira sorriu – Será que é sobre a mesma coisa que preciso conversar com você, tia Cora? – perguntou ela brincalhona ao sentar-se na cadeira de balanço, ocupando o espaço vazio ao lado de Henry.

- Creio que sim. – comentou a senhora – Henry, meu anjo, outra hora terminamos a leitura, tudo bem? – ele a olhou e concordou com a cabeça – Vá ao seu quarto e traga folhas em branco, pois quero que você me faça muitos desenhos. – pediu e os olhos do menino brilharam e ele saiu correndo em direção ao se quarto deixando as duas mulheres sozinhas no momento.

- Emma e Regina? – perguntou Kathryn.

Cora acenou com a cabeça concordando – Exatamente. Mas também quero conversar outra hora com você sobre Robin. – fez uma pausa – Algo entre elas está acontecendo, não está?

Kathryn concordou com a cabeça – Sim... Mas é bem recente. – por fim respondeu – E eu preciso de sua ajuda para juntá-las... – riu a loira juntamente com a mulher mais velha – Pois sabemos o quanto Regina pode ser um pouco lerda nesse sentido... – fez outra pausa – Mais para o fim do dia poderemos conversar sobre Robin.

- Como sabemos sobre a lerdeza de minha filha para assuntos do coração. – concordou – Perfeito! Depois eu a procuro para conversarmos sobre Robin.

- Só que temos um pequeno problema... – retomou a loira a conversa inicial – Agora a pouco chegou uma mulher que acha que Emma é propriedade particular dela... – fez uma pausa e olhou a senhora que não gostou muito do que ouviu – E ela está que nem louca atrás de Emma, mas com a ajuda de Ruby conseguimos que ela não encontrasse Emma ainda... – um sorriso surgiu nos lábios de Cora – Mas um detalhe, quando Regina e eu a encontramos ela quis cantar de galo para cima da Rê e eu cortei, e para provocar a mulher eu meio que disse que Regina e Emma estão namorando e que você veio diretamente de São Francisco para conhecer sua nora.

 Cora gargalhou com a história – Como você é má, senhorita Midas. – comentou sarcástica – Mas achei maravilhosa a história... E no que você realmente precisa de minha ajuda?

Kathryn sorriu maliciosamente – Eu preciso que você confirme que veio para conhecer Emma e que faz muito gosto do namoro de sua filha.

- O qual não existe... Ainda. – comentou a morena.

- Um mero detalhe... – a loira abanou a mão sem importância – Que poderá existir a partir de hoje.

Cora ponderou por alguns segundos, então seu neto voltou todo esbaforido com um monte de folhas em branco, lápis colorido, giz de cera e canetas hidrocor coloridas – Pronto, vovó! – anunciou e foi sentar-se no chão e colocou todas as coisas sobre a mesa de centro – Vou fazer muitos desenhos para você, para mamãe e para Emma.

- Eu não ganho não? – perguntou Kathryn fingindo estar chateada.

- Claro que vai ganhar, muitos também. – respondeu ele dando uma risada feliz – Todas vão ganhar muitos desenhos. – terminou e logo começou a rabiscar nas folhas e se concentrou ali deixando as duas mulheres livres para continuarem conversando.

- Senhorita Midas... – finalmente Cora se pronunciou – A senhorita pode contar com a minha ajuda para seu plano maligno.

Feliz Kathryn surpreendeu a mulher mais velha ao abraçá-la – Eba, muito obrigada! Agora preciso conversar com Eugenia, e por em pratica o meu plano.

- Qual a minha parte? – perguntou Cora rindo da felicidade da mulher mais nova, depois que sua surpresa inicial passou, antes que ela saísse da varanda.

- Apenas seja uma sogra feliz pelo namoro de sua filha e mostre seu total apoio a esse relacionamento. – respondeu Kathryn já se levantando e indo para a cozinha conversar com Eugenia.

 


Notas Finais


Lily chegou achando que estava por cima da carne seca, mas caiu do cavalo com Kathryn kkkk O que será que Kathryn está tramando? Huhuhu Um leve romancezinho entre Emma e Regina... Beijaço de Ruby e Kathryn ensinando as outras duas mulheres como se beija kkkk Como não poderia deixar de ter uma pequena cena fofura entre Emma e Henry! E Cora concordando em ajudar nos planos de Kathryn!! Adoro! E o domingo mal começou! Kkk Aguardem que muita coisa ainda irá rolar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...