História Storybrooke - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emma, Regina, Romance
Visualizações 155
Palavras 7.268
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Último capítulo do dia!! Amanhã eu volto com mais!!

Capítulo 25 - Capítulo 25


Emma e Ruby estavam sentadas a frente a casa da loira, era final de tarde da quarta, geralmente o dia que elas marcam para tomar cerveja. E hoje não seria diferente, mas em vez de irem ao pub, resolveram ficar na fazenda mesmo, elas já estavam na segunda latinha e conversaram amenidades enquanto Ruby mexia em seu celular quando um sorriso de quem iria aprontar surgiu em seus lábios.

- Loirão, me emprestar o seu celular para ver uma coisa. – pediu a morena olhando para a amiga – Não estou conseguindo no meu Vamos apimentar a relação dessas duas. Elas precisam se pegar logo.

 Sem dar muita importância ao pedido, Emma entregou o seu celular desbloqueado a amiga e continuou tomando sua cerveja e olhando a paisagem, concentrada no jantar que teria novamente com sua morena e o filho, juntamente com seu pai e Cora. Ruby mexeu no que queria e entregou o aparelho de volta a amiga Gostaria de ver a reação dela quando perceber o que eu fiz!

- Aqui! – disse chamando a atenção da loira que apenas pegou o objeto e o guardou no bolso sem perguntar o que Ruby teria feito no mesmo.

- Como está o seu romance com Kathryn? – perguntou Emma voltando a atenção para sua amiga Vamos pentelhar a Rubs.

Ruby sorriu bobamente – Está indo bem, apesar de apenas conversarmos ou por ligações ou mensagens... – Queria tê-la aqui comigo todo dia. – suspirou ao final – E você e a dona onça?  - perguntou depois de uns minutos em silêncio.

Agora foi a vez de Emma sorrir bobamente – Estamos bem, estamos conversando bastante... E beijando muito também! – sorriu de lado fazendo a sua amiga gargalhar Eu queria fazer outras coisas, mas vamos deixar acontecer no tempo certo!

- E já rolou os finalmente? – quis saber Fala que rolou, vai!

Emma soltou uma grande respiração – Não... E antes que você fale alguma coisa imprópria, estamos trabalhando nisso... – soltou Emma e Ruby arregalou os olhos surpresa – Eu quero fazer diferente com Regina, quero construir um relacionamento sério, sei que meus hormônios não ajudam muito, pois se dependesse deles eu já teria chegado nos finalmente no nosso primeiro beijo lá no celeiro.

- Entendo... – comentou Ruby ao escutar a justificativa da amiga – Mas de repente não seria o momento de dar um passo a mais na relação de vocês? – fez uma pausa – Vou ser sincera, eu nunca vi você agir desse jeito com ninguém.

A loira soltou uma risada – Eu também nunca me vi agindo assim, e por agir assim que quero fazer diferente do geralmente eu faço... Porque eu sei que a Regina é diferente das outras mulheres.

- Vocês já conversaram sobre isso? – a curiosidade bateu na morena.

- Algumas vezes. – respondeu a loira e Ruby apenas a olhou para que continuasse Vai desembucha logo! – E chegamos ao acordo que ela também quer esperar e fazer desse momento único.

Os olhos de Ruby se pudessem teriam se transformados em dois corações ao escutar o que Emma havia acabado de dizer Ai que coisa mais romântica! – Ai como vocês são tão fofas juntas... – suspirou – Quero a minha loira! – fingiu emburrar feito criança.

- Por que você não vai para lá esse fim de semana? – sugeriu a loira Assim não terá ninguém para atrapalhar nossos beijos para lá de quentes!

- E perder a reforma da casinha da árvore nesse fim de semana? Nem em sonhos! – respondeu a morena, fazendo Emma gargalhar Droga! Abortar plano de beijos mais quentes nesse fim de semana! Não! Vamos continuar com o plano. Mas... Nada de mas, continuaremos com o plano e ponto final.

- Ruby... – começou assim que se recuperou do ataque de risos – A reforma não será feita em apenas um fim de semana... Esse agora irei pegar a encomenda de madeiras e começar a desmontar o que precisar, e isso levará um pouco de tempo, então sugiro que você vá ver sua loira lá em Boston... No outro podemos começar de vez a reforma com você junto Isso tente convencê-la novamente.

Os olhos azuis de Ruby brilharam com a possibilidade então desanimou novamente Isso! Estamos quase conseguindo! – Mesmo assim não poderei ir esse fim de semana para lá!

- Por que?

- Bom, primeiro que domingo será aniversário da minha avó... – então os olhos de Emma se arregalaram, pois ela havia esquecido completamente Droga! Abortar plano ainda? Não, vamos ver como se desenrola o fim de semana, mas mantém o plano em pé! – E segundo é o fim de semana de folga de Whale, então estarei de plantão.

Emma soltou uma respiração longa Droga, como eu pude me esquecer do aniversário da Bah? – Tudo bem, o que você está pensando em fazer para Bah? – perguntou mudando o foco da conversa Vamos replanejar!

- Você sabe que aquela senhora cabeça dura não gosta de comemorar o aniversário... – começou a morena e Emma afirmou com a cabeça – Estava pensando em fazer algo surpresa para ela.

- Podemos pedir para Regina e Cora ajudarem a fazer uma festa para Bah. – sugeriu a loira contente Isso! Traga a Kathryn e assim as duas se pegam e você pode pegar a sua morena! Mente eu concordo com você, mas agora preciso de concentração para bolar algo para a Bah! Ok! Vamos nos concentrar em bolar algo legal para a Bah! Muito bem! – Com certeza elas irão ajudar. – fez uma pausa e seus olhos brilharam – Por que você não faz um jantar para sua avó, melhor, um almoço no domingo e a comida preparada por você mesma... – então surgiu um sorriso maroto nos lábios da loira – Aproveita para conquistar de vez Kathryn, pois eu falei para ela sobre seus dotes culinários.

- Ótima ideia. – disse Ruby empolgada, então se levantou e levou as garrafinhas vazias de cerveja para o lixo, voltando – Acho que está na minha hora. – disse a morena se espreguiçando – Você tem um jantar em família para ir. Vamos conversando sobre isso até sábado para ver qual será o cardápio do almoço.

- Eu estou pronto, Emma. – anunciou George ao aparecer a porta terminando de abotoar sua camisa de cor clara.

- Eu só vou tomar um banho, pai. – Emma falou ao se levantar – Tudo bem, iremos conversando. Até amanhã Rubs. – entrou e foi direto para o banheiro.

- Até Loirão... Bom jantar tio. – desejou a morena – Até amanhã!

- Até Ruby. Obrigado! – agradeceu o homem ao entrar depois que a morena entrou em sua própria casa.

-SQ-

O jantar havia corrido na mais tranquila paz, com conversas descontraídas e muitas risadas. Claro que Cora e George não perderam a oportunidade de contar algumas histórias embaraçosas sobre as duas mulheres. Henry se divertia com tudo e quando terminaram o jantar, ele praticamente arrastou George para conhecer o quarto e mostrar sua coleção de livros e claro mostrar os livros que havia ganhado de Emma.

- Morena... – chamou Emma aproveitando que Henry não estava presente É oficial, a quero sempre em meus braços!– Eu comprei mais um presente para o garoto.

Regina que estava sentada a usando de encosto Quero Emma sempre para me encostar! se sentou melhor e a encarou – Mais um? – incrédula – Emma, você já deu muitos presentes a ele. - Emma a olhou envergonhada e Regina não resistiu Não deixe a loira achar que está fazendo a coisa errada ao dar presentes ao seu filho! Mas ela não pode ficar o enchendo de presentes. Mas ela gosta do menino e não há mal nisso! Tudo bem! e deu um leve beijo nos lábios da loira Agora bem melhor, mas qualquer coisa depois você conversa com ela sobre isso! – Não consigo ficar brava com você quando faz essa cara. – brincou para descontrair a conversa – O que você comprou para Henry? – agora a curiosidade falou mais alto.

- Eu comprei um chapéu igual ao meu, mas o tamanho é para criança... – respondeu a loira sorrindo Depois preciso conversar com Regina sobre isso, acho que ela não gostou muito que eu fique dando presentes para Henry, mas eu gosto tanto dele... Hum por falar em presente, preciso dar um presente algo para dar para a minha morena.

Cora gargalhou – Daqui a pouco ele também usará camisa xadrez... Estou até vendo uma mini versão de Emma em Henry. – brincou – Mas com certeza ele ficará muito charmoso.

- Nem me fale que uns dois dias atrás ele me pediu para comprar umas camisas xadrez para ele. – comentou Regina torcendo o nariz Camisa eu até compro, mas precisa ser xadrez? – E falei que iria pensar sobre isso.

Dessa foi a vez de Emma gargalhar – Ah morena, ele iria ficar um encanto todo country. – comentou a loira – Eu sou toda encanto country também.

- Não se iluda, minha loira abusada. – brincou Regina Mentiu na cara dura!! Mente, eu disse isso para não ter que concordar, pois não concordando ela já está toda convencida, imagina se concordo, o ego vai lá no céu.

- Uma curiosidade, Emma... – começou Cora – Mas por que vocês praticamente usam o mesmo modelo de roupa? – perguntou a morena mais velha no auge de sua curiosidade.

Emma sorriu – A calça jeans é por ser confortável e é o tipo de tecido que demora mais para gastar... – começou a loira – A camisa de manga comprida é por causa do sol, acabam nos protegendo, principalmente no verão... O chapéu é a mesma coisa, proteção... E a bota geralmente comprida, além também de ser confortável, é a melhor escolha para se andar na fazenda independentemente do tempo. – fez uma curta pausa – Andamos na terra, na areia, no mato, na lama quando chove e o cano alto ajuda na montaria também.

- Por que xadrez? – outra pergunta curiosa de Cora.

- No meu caso é porque eu gosto de xadrez. – respondeu a loira sorrindo quando Regina torceu o nariz para o xadrez Ainda te verei usando uma camisa xadrez e vai ser a coisa mais fofa desse mundo senhorita Mills! Mente má, não comece. Anote o que estou dizendo. Não farei nem questão de gastar papel com isso! Veremos! – Mas muitos outros gostam de camisas de cores únicas, o senhor Henry mesmo usava muitas camisas de cores únicas.

- Ele nunca gostou de misturar muitas cores... – comentou Cora – Visto que a pintura aqui da fazenda não muda muito. Mente má faça uma nota mental de para conversar com Emma sobre uma pintura na fazenda. Anotado!

Emma sorriu concordando – Mas voltando ao assunto do presente... – fez uma pausa e a atenção das duas outras mulheres voltou a ela – Eu gostaria de entregar de um modo especial por assim dizer.

- O que você tem em mente, Emma? – agora foi Cora que quis saber Aposto que envolve cavalos!

- Eu queria levá-lo para um passeio a cavalo, e quando ele achar que teria que usar o boné, eu daria o chapéu a ele. – respondeu Rá! Sabia! – E já adianto que ele irá no mesmo cavalo que eu, e tomarei todo cuidado do mundo para não acontecer nada a ele. – já se adiantou em comunicar.

- Que grande ideia, Emma! – se animou Cora – Quando você pretende fazer isso? Pois não quero perder nada disso.

- No sábado antes de começarmos a reformar a casinha na árvore. – comentou a loira – De manhã eu já adianto tudo que tenho que fazer para ter a tarde e a noite livre.

Regina sorriu Concorda Regina, mesmo com seu medo, Emma não deixará nada a acontecer. – Eu sei que você irá tomar todo cuidado necessário. – comentou e deu um leve beijo nos lábios da loira Assim que se fala e faz! – É uma ótima ideia. – concordou por fim.

- Só peço que não comentem nada, quero fazer mais uma surpresa... – disse Emma que foi interrompida por passos vindo da escada.

- Surpresa para quem? – perguntou um curioso Henry.

- Para Bah! – Emma mudou o foco do assunto Rápida no gatilho! – Domingo é aniversário dela, e ela não gosta de fazer festa, e estava falando com Ruby agora a pouco antes de vir para cá, de fazer um almoço para comemorar.

- Mas Eugenia saberia do almoço. – comentou Cora querendo dizer que é a coisa mais óbvia do mundo – Pois ela é quem cuida da comida.

Emma sorriu travessa – Não se for Ruby quem cozinhar... E vocês a despistarem da cozinha no domingo. – aquela informação pegou as duas mulheres da família Mills de surpresa Nota mental em chamar David e Mary para o almoço.

- A Ruby sabe cozinhar? – questionou Regina a ser a primeira a reagir Isso sim me surpreendeu agora!

- Não só sabe como se bobear cozinha até melhor que Eugenia. – comentou George – Mas só tem um pequeno detalhe, ela tem que querer fazer a comida, pois se não até a pior gororoba é melhor que a comida dela.

Cora gargalhou – Espero que ela queira fazer o almoço, pois não estou a fim de encomendar pizza para salvar o aniversário... Se bem que Regina faz uma lasanha de lamber os beiços.

- Com isso não precisa se preocupar, pois ela quer fazer o almoço para avó, e eu também já joguei um adicional de incentivo a mais... – comentou a loira travessa – Sério? Ai lasanha! Adoro lasanha!

- Humm... – Regina fez uma cara pensativa Vamos imaginar quem poderia ser! – Por acaso esse incentivo a mais é uma loira, advogada, que mora em Boston?

- A própria! Como você sabe? – perguntou Emma fingindo surpresa.

Regina a olhou entrando na brincadeira – Você não conta para ninguém? – perguntou e Emma negou com a cabeça – Ela é a minha amiga, praticamente irmã, e me contou que está de rolo com a Ruby.

- Sério? – Emma continuou fingindo surpresa Adoro esse senso de humor dela! – Mas que mundo pequeno não? – terminou a brincadeira e todos ali não aguentaram e caíram em gargalhadas.

- Em estamos todos de acordo em fazer um almoço para Eugenia? – perguntou Emma esperançosa.

- Claro! E pode contar comigo e com Regina para mantermos Eugenia longe da cozinha. – concordou Cora.

- Eu também ajudo! – se incluiu Henry.

Regina sorriu – Mas temos que manter segredo, tudo bem? – falou para o menino.

Henry afirmou com a cabeça – Sim! Eu sei manter segredos! – disse convicto Tudo certo para o almoço de aniversário de Bah. Agora vamos para um assunto que muito me interessa.

- Sério que você sabe fazer lasanha? – perguntou Emma voltando a esse assunto com os olhos brilhando Esse mesmo!

Regina sorriu – Não querendo me gabar, mas ela fica muito boa mesmo... Por que?

- Porque eu amo lasanha. – respondeu ela sonhadoramente.

George riu – Regina você está perdida com essa mulher... Se bobear terá que fazer lasanha pelo menos uma vez por semana, pois se deixar ela come todo dia o dia todo. – brincou.

- Hum... Vamos marcar um dia qualquer que eu faço a minha receita especial de lasanha. – falou a morena Mensagem dúbia agora hein, Regina! Ah mente era só fingir que estamos falando de apenas lasanha! Sim, lasanha, tudo bem! – E faremos um almoço ou jantar.

- Eu mais que concordo. – comentou a loira Hum com certeza eu quero experimentar sua receita especial de lasanha! Qual delas? As duas! SIM!

- Eu também! Adoro a lasanha da mamãe. – se juntou Henry a conversa.

Ficaram ali conversando mais um pouco sobre coisas amenas até que finalmente Henry deu sinal de que estava na hora de dormir e os integrantes da família Swan aproveitaram para se retirarem. Claro que Emma só conseguiu sair depois de dar muitos e muitos beijos em Regina.

A morena havia acabo de deitar, quando pegou seu celular e viu que tinha uma mensagem de número desconhecido, mas a curiosidade falou mais alto ela acabou abrindo a mesma.

6:25 pm: Não tem uma noite se quer desde que eu te conheci que não penso em você antes de dormir. Você povoa meus pensamentos estando eu dormindo ou acordada. Mas o principal pensamento é o que você usa para dormir.

Regina sorriu – Acho que sei quem é a autora dessa frase, bom em parte, mas quero confirmar! – começou a digitar e enviou a mensagem. Ficou esperando para receber a resposta.

...

Emma tinha acabado de se trocar quando escutou o seu celular apitar avisando que havia chegado mensagem – Eita! Quem será que está me mandando mensagem. – pegou o celular e viu um número desconhecido, mas abriu mesmo assim.

9:37 pm: Compartilhamos dos mesmos pensamentos Senhorita Swan. Não há um minuto se quer que eu não pense em você. Especialmente hoje estou usando uma camisola curta de cetim, branca. Sua morena! – Emma abriu um imenso sorriso ao terminar de ler a mensagem Ai morena não faz isso que assim o coração não aguenta e a imaginação voa longe! mas logo em seguida sua testa franziu – Mas eu não mandei mensagem para ela, aliás, para variar eu esqueci de pegar o número de Regina. – murmurou e começou a fuçar em seu celular e viu a mensagem que havia sido mandada e o horário, puxou pela memória então seus olhos arregalaram – Ruby! Eu vou matar aquela loba sarnenta. – respirou fundo Mas se bem que pode vir muito a calhar! – Bom o estrago já está feito, então vamos continuar. Digitou uma resposta e colocou o celular na pesa ao lado da cama e foi para o banheiro.

...

Regina sentiu seu celular vibrar quando chegou a mensagem e abriu um sorriso ao ver que era o mesmo número anterior.

9:40 pm: Só hoje senhorita Mills? Eu lembro muito bem de uma outra noite que você estava usando uma camisola curta e aquela cena mexe comigo até hoje. Sua loira abusada. – ao terminar de ler a morena gargalhou e rapidamente digitou uma resposta e a enviou.

...

Emma havia acabado de deitar quando o celular apitou novamente em cima da mesinha ao lado da cama. Pegou o celular e abriu a mensagem.

9:41 pm: Eu tenho uma coleção dessa camisola, com várias cores, eu poderia fazer um desfile para você... Garanto que você não se arrependeria de assistir ;)

- Por todos os botões de Eugenia! – exclamou imaginando o desfile – Essa mulher quer me matar! Só pode! – falou e começou a digitar ferozmente uma resposta.

...

Regina tinha um sorriso no rosto, pois sabia que a última mensagem havia sido um golpe bem baixo e ficou esperando uma resposta de Emma que não demorou em chegar.

9:41 pm: Isso foi golpe baixo! Só aceito o desfile se eu puder te despir, tirando cada peça rasgando nos dentes. – Regina ofegou ao terminar de ler já imaginando a cena. Um sorriso malicioso surgiu em seus lábios, digitou uma resposta e enviou – Vamos ver o que ela irá responder. – murmurou e aproveitou para salvar o número na agenda do celular.

...

Emma estava terminando de salvar o número em sua agenda no celular quando o mesmo apitou quando a mensagem chegou.

9:42 pm: Isso está ficando perigoso, mas como gosto de um desafio... Me descreva como você faria para arrancar nos dentes a peça de roupa! – os olhos de Emma se arregalaram – Ai morena... – resmungou ao soltar um breve gemido contido – Realmente você quer me matar, eu também gosto de desafios... Desafio aceito. – ficou alguns instantes pensando então começou a digitar a mensagem e enviou – Vamos ver o que você responderá! – voltou a digitar novamente com um sorriso malicioso Não serei misericordiosa! Isso Emma vamos atacar ferozmente!

...

O coração de Regina estava batendo fortemente, pois a demora pela resposta a estava deixando agoniada – Será que eu exagerei na resposta? Ou será que Emma já dormiu? Ai, essa angústia ainda vai acabar comigo. – terminou de resmungar quando seu celular tremeu, e ela soltou um suspiro se acalmando.

9:47 pm: Desafio aceito... Assim que você terminasse de me mostrar a peça, eu pediria para você se aproximar e eu lentamente a despiria com os meus olhos famintos por cada pedacinho de pele não revelada pelo tecido. A faria dar um giro completo apreciando cada detalhe, e parar novamente de frente a mim, então minhas mãos começaria desde lá dos pés e iriam subindo por cada centímetro de suas pernas, até chegar aos seus quadris. Ali eu subiria um pouquinho a camisola só para ver a sua calcinha, que muito provavelmente iria combinar com a camisola...

- Como ela ousa terminar aí a mensagem? – disse Regina já estava com a respiração começando a ficar pesada ao imagina a cena quando recebeu outra mensagem.

9:48 pm: Apreciaria a minúscula peça íntima e vagarosamente passaria a ponta do meu nariz por cima do seu púbis só para sentir a maciez do tecido. Sua respiração entrecorta nesse momento... Minhas mãos segurando firme seus quadris, a virariam de costas para mim e eu apreciaria a parte de trás da peça que tanto já me causa tremores só em pensar... Minhas mãos subiriam pelas laterais de seu corpo, apreciando a maciez de sua pele e levando com elas a camisola que tanto esconde o que eu quero ver...

A morena respirava cada vez mais pesado – Ai, isso é mais que golpe baixo... É praticamente um atentado ao pudor... Você não sabe brincar! – Mas você que começou Regina, então aguente firme porque eu estou adorando e sei que você também... Eu nem vou comentar nada mente má! Acho bom mesmo!

9:49 pm: Ao terminar de levantar a camisola, a tiro sem pressa e jogo em qualquer lugar do quarto... Afundo meu rosto em sua cabeleira castanha e inspiro absorvendo a fragrância do xampu que você usa, e lentamente vou descendo fazendo um caminho de beijos em sua nuca, então pelo pescoço, percorro de um ombro ao outro, e aposto que nessa hora eu escuto um gemido abafado, pois sei que você não quer demonstrar que está gostando, eu dou um sorriso de lado e continuo enchendo suas delicadas costas de beijos, não deixando nem um centímetro sem um beijo...

Regina estava ofegando agora – Ai não sei se aguento até chegar ao final desse desafio... - Sabe sim e você vai, nem que tenha que ficar aqui gritando em sua cabeça!

9:50 pm: Quando chego em seu bumbum não me aguento e dou uma mordida em cada nádega, mas depois beijo cada mordida. Minhas mãos passeiam felizes por seu corpo desvendando cada curva misteriosa que se esconde por baixo das roupas. Elas param novamente em seus quadris, e apertam com força ao ponto de deixar leves marcas vermelhas... Sim eu gosto de marcar território, marcar o que é meu... A virou novamente para ficar de frente para mim, começo a beijar sua coxa direita e passou para a esquerda, então vou subindo, deixando uma trilha de beijos quentes pelo caminho, passou por cima do púbis e ali deixo um beijo mais demorado, e posso sentir um fragrância a mais, despertando ainda mais meus desejos primitivos...

Um leve tremor percorreu o corpo da morena assim que terminou de ler a mensagem e soltou uma longa respiração – Se ela já está fazendo isso comigo através de mensagem quero ver quando realmente acontecer... Acho que não irei sobreviver... – seu celular vibrou novamente com outra mensagem – Agora entendo o que aquelazinha falou no banheiro no banheiro do pub...

9:50 pm: Vou subindo meus beijos, passando pelo sua abdômen, chegando perto dos seus seios que sobem e descem pesadamente com a respiração descompassada... Olho para cima e vejo desejo estampado em seus olhos castanhos que me fascinam, sua boca ligeiramente aberta ofegando... Dou um beijo em cada seio para que não fiquem bravos comigo... Não resisto e deposito um beijo no vale entre seus seios e começo novamente a subir, passando pelo colo até chegar ao seu pescoço e aspirar profundamente seu perfume... Suas mãos me abraçam fortemente... Continuou meus beijos até finalmente chegar aos seus lábios e ali me perder...

Um arrepio percorreu toda a pele morena imaginando o erótico e carnal beijo, praticamente um beijo devasso – Ai loira abusada, olha o que você está fazendo comigo... – murmurou ao soltar uma respiração longa e pesada. Regina sentia um calor vindo do meio de suas pernas, que em um ato reflexo as fechou e não conseguiu segurar um baixo gemido gutural.

9:51 pm: Quando me encontro novamente em seus lábios, a deito vagarosamente na cama e me deparo com a mais linda pintura que nem Michelangelo, Da Vinci ou mesmo Picasso conseguiram pintar... Nem mesmo a genialidade brutal de Dalí não conseguiria imaginar a mais linda beldade jogada nos lençóis brancos, seu peito arfando em desejo e um olhar luxurioso, sua pele levemente ruborizada e eu sou única testemunha desse momento e serei até o fim dos tempos... Lentamente subo a cama e me abaixo para retirar a única peça de roupa que me impede de me satisfazer todos os meus desejos...

- Loira desaforada essa, até mesmo em uma cena erótica ela consegue ser romântica... – sussurrou a morena e mais uma vez seu celular vibrou com nova mensagem.

9:51 pm: Sem pensar duas vezes eu mordo a alça fina de sua calcinha e com força e velocidade suficiente a rasgo satisfazendo o meu desejo mais primal e libidinoso... Soltando junto um gemido gutural animalesco, meus olhos puro instinto primitivo de posse e escuto seu gemido sensual, libertino e imoral... Depois disso não tem mais desfile porque não te deixarei sair tão cedo assim da minha cama...

- Mas nem eu iria querer saber de desfile depois disso... – disse Regina com a respiração descompassada – Nossa preciso de um banho gelado, senão não conseguirei dormir essa noite... – sussurrou e outra vez seu celular vibrou – Ok Emma você venceu o desafio.

9:52 pm: Irei te abandonar, que depois dessas mensagens preciso urgente de banho gelado, praticamente congelando para dormir... Boa noite minha morena, amanhã conversamos mais. Sua loira abusada! PS: você venceu o desafio, pois isso acabou comigo!

Regina sorriu travessamente – Ainda bem que não fui a única a ficar assim... – digitou uma resposta e correu para o banheiro também, aquele banho gelado iria bem a calhar agora.

...

Assim que Emma voltou para sua cama depois de meia hora em baixo da água gelada para acalmar seus ânimos e fazer seus hormônios voltarem ao normal, ela viu que seu celular piscava com uma mensagem de Regina.

9:53 pm: Ainda bem que fui a única que iria precisar de banho gelado... Mas para ser sincera, não vejo a hora que possamos fazer em vez de descrever as cenas... Beijos e até amanhã! Sua morena! PS: Não houve vencedor, houve empate!

Sem tirar o sorriso do rosto, Emma adormeceu. Como Regina também tinha um sorriso sereno nos lábios quando se deitou novamente para dormir, depois do banho gelado.

-SQ-

O resto da semana havia sido corrida para todo mundo, mas isso não impedia de Emma e Regina terem seus momentos de romance ou de família. Continuaram trocando mensagens, mas não tão quentes quanto as daquela noite. Pelo bem da nossa sanidade, melhor nos atermos a apenas mensagens simples! Sexta-feira finalmente havia chegado. Regina havia conversado com Kathryn sobre o almoço em comemoração a Eugenia e a loira falou que sexta a noite já estaria na fazenda.

- Boa tarde Giuseppe. – cumprimentou Emma assim que adentrou na marcenaria do senhor – Tudo certo com a minha encomenda? Porque tenho um garotinho mais que ansioso para começar a reforma da casinha da árvore.

- Boa tarde Emma. – respondeu o senhor de volta – Claro! Vamos lá no fundo pegá-la, você me ajuda? Afinal, não podemos deixar um garotinho ficar esperando.

- Com certeza. – disse ela seguindo o senhor que deu a volta ao balcão e seguiu para os fundos da loja. Demoraram cerca de dez a quinze minutos para pegarem todas as madeiras necessárias e colocá-las na carroceria da pick-up, e Giuseppe ainda deu mais algumas de cortesia e ainda deu mais algumas dicas para Emma, caso ela precise. Ela acertou o preço, e quando subiu do lado do motorista na pick-up seu celular apitou com mensagem. A loira pegou, viu que era da sua morena e abriu.

15:25 pm: Emma, será que tem como você pegar o Henry na escola, acabei perdendo a hora estudando o caso que estou envolvida, pois a data do tribunal está se aproximando. Depois eu te agradeço pessoalmente com muitos beijos. – Emma sorriu e digitou a resposta.

15:27 pm: Sem dúvida que eu pego o garoto. Até daqui a pouco e se prepare para me agradecer quando chegar. Vou querer muitos beijos! – deixou o celular em cima do painel do veículo e saiu em direção a escola do menino.

- Emma!! – Henry exclamou feliz ao ver a loira parada em frente a escola e saiu correndo em sua direção – O que faz aqui? – perguntou ao abraça-la fortemente.

- Sua mãe me pediu para vir pegá-lo. – respondeu depois de soltar o menino do abraço, mas o mantendo no colo – Tudo bem eu levá-lo Zelena? – perguntou ao ver a ruiva se aproximando.

- Claro! Problema nenhum. – respondeu sorrindo – Bom final de semana para vocês.

- Para você também Zelena. – desejou de volta e a ruiva ficou ali vendo os dois conversarem animadamente – Adivinha? – perguntou a loira animada e mostrou a pick-up com as madeiras.

- A madeira da nossa casinha na árvore? – respondeu ele feliz com outra pergunta.

- Sim! – disse ela sorrindo – Ah lembrei de mais uma coisa... – ela disse ao dar a volta e o colocar no banco traseiro e o prendendo bem com os cintos de segurança Nota mental: instalar uma cadeira de criança aqui no banco! Anotado! – Amanhã antes de começar a reformar a nossa casinha, eu preciso resolver alguns assuntos da fazenda e depois vamos dar mais uma volta de cavalo, eu vou te mostrar a parte da fazenda que você ainda não viu. – terminou de afivelar o cinto e olhou para o menino.

- Sério? Você pediu para ela? Minha mãe deixou? – perguntou ele ansioso.

Emma respondeu olhando para o menino – Sim, muito sério, e claro que pedi e ela deixou. – respondeu por fim. Fechou a porta e foi para o lado do motorista – Apertem os cintos senhores passageiros que agora iremos começar nossa trilha de volta para a fazenda Vale dos Sonhos... – fez uma pausa e viu Henry fingindo apertar os cintos – Estamos prontos? – perguntou e olhou pelo retrovisor e o menino acenou afirmativo com a cabeça – Vocês querem uma viagem simples e sem emoção ou uma viagem cheia de emoção?

- Cheia de emoção. – respondeu Henry prontamente.

- Então se segurem que vocês estão prestes a embarcar em uma viagem inesquecível. – ligou a pick-up e saiu em direção a fazenda.

Emma conduziu a pick-up lentamente sobre as ruas da pequena cidade, e quando finalmente ela avistou a estrada que seguia para a estrada de terra da fazenda anunciou – Então senhores passageiros, depois de um começo tranquilo e calmo, agora nós entraremos na estrada que levarão nossas emoções para o alto... Por favor, se segurem fortemente que a estrada começará a sacolejar... – dito isso ela passou em uma parte onde o asfalto estava precário, e fazendo a pick-up sacolejar levemente arrancando risadas de Henry – Para nossa maior alegria faremos um zig-zag para aquecer os pneus, pois daqui a pouco entraremos na nossa corrida de rali. – ela olhou no retrovisor para se certificar que não havia nenhum carro atrás e olhou novamente para frente e também não viu nenhum carro e então virou o volante da pick-up para um lado e depois para o outro e assim repetindo mais duas vezes para cada lado, claro que lentamente para não assustar o menino e também não perder nenhuma madeira que estava na carroceria, então endireitou a pick-up em uma linha reta no seu lado da estrada. Aquilo não tirou apenas mais risadas do menino como também gritinhos felizes.

- De novo! – pediu Henry adorando aquela brincadeira da loira – O que é rali?

- Na estrada de terra eu faço de novo. – comentou a loira sorrindo com a felicidade do menino – Rali é uma corrida de carros em estradas de terra.

- Nós vamos fazer um rali? – perguntou ele empolado.

- Sim! – respondeu a loira – Senhores passageiros, peço novamente a atenção de vocês para que se segurem mais uma vez fortemente, pois entraremos em uma pequena turbulência no nosso carrinho. – assim que ela terminou de falar, a pick-up passou por cima de uma pequena ponte feita de estrados, mais conhecida como mata-burro, que estava localizado sobre um pequeno riozinho. A pick-up tremeu toda e arrancou mais uma gargalhada de Henry – Senhores agora iremos passar por um caminho todo cheio de mato, peço que deixem as janelas fechadas para não acontecer nenhum acidente. – dito isso ela passou a pick-up em uma enorme moita de mato do lado que Henry estava sentado – Mais uma vez iremos fazer um zig-zag para desviar dos buracos deixados pelas chuvas. – anunciou e lentamente começou a desviar dos buracos em uma linha sinuosa.

- De novo! – pediu o menino assim que a pick-up andava em linha reta. Emma sorriu ao olhá-lo pelo retrovisor e novamente andou em linha uma linha sinuosa, arrancando mais risadas do menino.

- Agora peço o silêncio dos senhores passageiros... – começou Emma, ela falava no plural, para brincar fingindo também que era um voo de avião – Pois passaremos pelos montes de areias que dormem profundamente... – fez uma pausa – Se eles acordarem, seremos tragados por eles e não sairemos mais de suas bocas.

Em um movimento rápido Henry colocou suas mãos sobre sua pequena boca para não soltar nenhum barulho, Emma sorriu ao ver o menino imóvel e silencioso. Lentamente ela passou pela parte mais arenosa da estrada – Ufa senhores passageiros, agora que já passamos pela pior parte do nosso caminho... Oh não, mais uma vez peço que mantenham a janelas fechadas, pois vejo a frente muitas moitas e seremos obrigados a passar por elas. – terminou assim que passou pelas muitas moitas de mato alto que havia na estrada. Henry a cada moita soltava uma gargalhada.

- Senhores passageiros, agradecemos a preferência pela nossa companhia nessa viagem... – começou a loira ao avistar a entrada da fazenda – Gostaríamos de agradecer por participar conosco de nosso rali até a fazenda Vale dos Sonhos, esperamos contar novamente com sua participação em uma próxima corrida... Desejo a todos um bom fim de sexta-feira e um ótimo fim de semana! – brincou a loira ao entrar na fazenda e estacionar, e já avistando sua morena aparecendo a porta da casa.

Assim que chegaram a fazenda, Henry tinha um sorriso estampado no rosto não sairia tão cedo, pois ele havia se divertido muito. Emma desceu e foi para o lado do menino a fim de tirá-lo do emaranhado de cinto que ela fez. Assim que terminou de desafivelar os cintos, a loira ajudou o menino a descer que saiu correndo em direção a varanda no mesmo momento que Regina saía para encontrá-los.

- Mamãe! – gritou ele feliz ao abraçar as pernas da mãe assim que se encontraram no meio do caminho – Você precisava ter vindo com a gente. – começou – Foi muito divertido, Emma fingiu que estávamos em uma corrida de carros na terra...

- Um rali. – corrigiu a loira ao se aproximar e dar um selinho na morena que recebeu de bom grado – Estávamos brincando de rali. – explicou – Mas não estávamos correndo. – já se adiantou.

- Sim. Passamos em vários montes de terras, no mato. Foi super legal. – disse ele empolgado – E ela me disse também que amanhã vamos passear de cavalo de novo.

A morena abriu um sorriso – Sim, amanhã vocês irão passear novamente de cavalo...

- Mal posso esperar. – interrompeu o menino ansioso – Falta muito para o passeio? E nossa reforma na casinha da árvore? A gente começa amanhã também, não é? – disse olhando para a loira.

- Sim, faremos tudo isso amanhã. – respondeu a loira ao passar a mão pelo cabelo do menino e abrir um sorriso encantador.

- Bom, então vamos entrar e fazer sua lição de casa, e depois banho... – comentou Regina olhando par ao filho - Daqui a pouco a Katy chega e depois não teremos mais tempo para nada, pois estaremos todos atarefados com as coisas aqui na fazenda.

Sem dizer nada Henry saiu correndo para dentro da casa, assim que chegou a varanda – Vovó! Advinha o que vou fazer amanhã? – e sumiu dentro da casa.

As duas mulheres sorriam com a felicidade do menino – Isso é tudo culpa sua. – acusou a morena ao voltar sua atenção para a loira ao seu lado.

Emma gargalhou – Com certeza disso eu quero ser culpada sempre. – brincou e olhou para a morena. Passou seus braços ao redor da cintura da morena e trazendo para perto – E meus beijos? - tomou seus lábios em um beijo cheio de saudade. Os braços de Regina laçaram a cintura da loira também a abraçando forte. Quando elas iriam aprofundar o beijo escutaram uma buzina e o barulho de carro se aproximando.

- Hey casalzinho! – brincou Kathryn ao colocar a cabeça para fora do carro e gritar para as duas mulheres que interromperam o beijo, mas não o abraço – Deixem para se pegarem mais a noite, quando todos estiverem dormindo. – desligou o carro e saiu para ir de encontro com as duas mulheres.

- E para variar só um pouquinho... Tinha que ter alguém para interromper o momento em que eu estava no céu. – brincou Emma Retomar planejamento do plano para o fim de semana! Sim, vamos retomar! – E quem tinha que interromper? Se não é a Rubs, é a namorada dela. – fez uma pausa dramática – Por todos os botões da Eugenia... Eu ainda devolverei todas essas interrupções a você e Ruby, só estou anotando. – terminou sorrindo maliciosamente E farei com muito gosto!

Regina e Kathryn caíram na gargalhada depois que se soltaram do abraço – Vem aqui sua loira azeda e me dê um abraço. – pediu Kathryn.

 - Como foi de viagem? – perguntou Emma ao terminar o abraço na outra loira, e pegar a mão de morena, entrelaçando seus dedos.

- Achei que você chegaria mais tarde. – comentou a morena Porque se tivesse chegado um pouco mais tarde, não teria interrompido mais uma vez meu beijaço com minha loira. – Mas ficou feliz que você esteja aqui mais cedo.

- Foi bem. – respondeu Kathryn Preciso parar te interromper essas duas antes que elas me matem! – Eu acabei resolvendo umas coisas mais cedo, e consegui sair mais cedo do escritório.  – fez uma pausa – Ah, trouxe os papéis que você me pediu do caso do senhor Montgomery.

- Tudo bem, mas depois vemos isso. – comentou Regina – Vamos entrar que sei que você está doida por uma xícara de café de Eugenia.

- Eu até mataria alguém por uma xícara de café dela. – brincou a loira.

- Adoraria uma caneca de café da Bah agora, mas tenho que descarregar esse monte de madeira e depois ir falar com David e Mary para saber como estão os treinamentos. – anunciou Emma – Aproveito para deixar vocês duas colocarem a conversa em dia.

- Tudo bem. – concordou a morena – Te vejo no jantar? – deu um selinho na loira Não pode ser beijaço, se não a sua amiga loira interromperá!

- Com muita certeza. – afirmou Emma dando um último selinho em Regina e indo para a pick-up, para logo depois seguir para o galpão.

- Ai que todo amor é esse entre vocês? – perguntou a loira quando a pick-up sumiu da vista das duas mulheres e elas caminhavam para dentro da casa, de braços dados.

- Vamos tomar café que te conto tudo. – falou a morena rindo bobamente.

- Para tudo! – anunciou Kathryn escandalosamente, virando a morena de frente para si e olhando bem nos fundos dos olhos castanhos – Minha amiga está apaixonada! – comunicou e a morena ficou vermelha – Ai Rê, estou muito feliz por você. – deu um abraço apertado na amiga.

- Você não tem jeito, não é, senhorita Midas. – brincou a morena ao entrarem na casa e seguirem em direção a cozinha.

- Quando você me conheceu sabia que eu era assim, nunca escondi. – brincou a loira ao entrar na cozinha – Eugenia! – disse abraçando a senhora.

- Oi menina Kathryn. – respondeu Eugenia correspondendo ao abraço – Como passou a semana?

- Muito bem. – respondeu ao se soltar da senhora e receber uma enorme caneca de sua amiga – E você, como foi a semana?

- Bem também. – disse ao pegar o bule de café que havia acabado de fazer e encher a caneca da loira – Acabei de fazer.

- Ai te amo. – disse sincera a loira ao dar um beijo na bochecha da mulher mais velha que sorria, e depois tomar um grande gole da bebida preta – Era disso que eu estava precisando.

- Eu não ganho um beijo também? Até a Loirão ganhou beijo da minha namorada e eu não? – brincou Ruby ao entrar na cozinha pela porta do fundo.

- Não! Você não ganha um beijo. – disse ao depositar a caneca em cima da mesa e se aproximar da morena com mechas vermelhas que estava com cara de poucos amigos após a resposta da loira Ai ela fica uma graça toda séria! Kathryn agarrou a camisa xadrez da outra mulher e a trouxe para perto – Você ganhará muitos, mas muitos e muitos beijos. – terminou dando um beijo nos lábios de Ruby. Que prontamente passou seus braços ao redor do corpo colado ao dela e aprofundou o beijo.

- Hey casalzinho. Vamos parar com esse pegação na cozinha! – disse Emma ao entrar, tirando o chapéu e interrompendo o beijo das duas mulheres Sim! Finalmente, pelo menos uma vez nessa vida! – Aqui mora uma criança. Vocês podem se pegarem a noite quando todos estiverem dormindo. – terminou a loira ao se aproximar e ver a duas mulheres a olhando mortalmente – Está vendo como é gostoso, quando você está no céu e vem alguém para interromper e te derrubar brutalmente na terra.

Segundos depois todas as mulheres ali explodiram em gargalhadas – O que houve? Achei que você iria falar com David e Mary. – comentou Regina vendo Emma se servir de uma grande caneca de café.

- Eu irei. – apontou a caneca em sua mão – Mas não resisti em vir tomar um pouco desse elixir da vida. – terminou a caneca em três grandes goles – Agora vou lá falar com eles. – se virou para sair quando alguém a chamou.

- Emma! – chamou Regina e a loira a olhou interrogativamente enquanto via a morena se aproximar – Não está esquecendo-se de nada não? – perguntou travessa e as sobrancelhas de Emma franziram tentando se lembrar do que poderia ter esquecido, então ouviu a risada da morena – Meu beijo? – elucidou a dúvida da loira. Emma abriu um sorriso e beijos ternamente os lábios da morena Vários beijos morena! – Agora você pode ir falar com David e Mary. – liberou Regina assim que terminaram o beijo. Como sorriso no rosto Emma saiu em dizer uma palavra.

Regina escutou suspiros a suas costas e ao se virar viu as duas mulheres suspirando românticas, mas com tom de tiração de sarro – Nem vou comentar! – brincou Ignora que é melhor! Com certeza!

- A conversa está boa... – disse Ruby – Mas preciso voltar para meus afazeres... Vim só dar um beijo de boas vindas à minha loira estonteante. – beijou-a novamente, depois deu um beijo em sua avó, pegou uma caneca de café – Depois eu trago de volta a caneca, vó! – saiu sem esperar por uma resposta.

- Menina Regina, quer que arrume o quarto para a menina Kathryn? – perguntou a senhora.

- Não precisa Eugenia, eu mesmo arrumo. – disse Regina assim que colocou a xícara de café vazia dentro da pia – Vem Kathryn, enquanto arrumo seu quarto nós vamos conversando... E Eugenia... – chamou e a senhora apenas a olhou – Quando o jantar estiver pronto pode servir, por favor. – já se adiantou e a senhora concordou com a cabeça voltando a picar os legumes que usaria para fazer uma maionese.

 


Notas Finais


Ruby aprontando com o celular da loira kkkk Então momento descontração familiar e troca de mensagens super quentes, quase um hot kkkk Calma que o hot logo sai, já estou pensando nele:quando será, onde será e como será! kkkk Preparativos de uma sexta para o fim de semana com direito a festa de aniversário, reforma da casinha na árvore e passeio a cavalo e de brinde um chapéu novo do Henry!

Para quem tem interesse em saber como é um mata-burro, link abaixo:

http://br.viarural.com/animais/insumos/troncos/tronco-pampa/mata-burros-fixo.htm

Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...