História Storybrooke - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emma, Regina, Romance
Visualizações 112
Palavras 8.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei meio atrasada, mas estou aqui!!

Obrigada a todos que comentaram, que favoritaram e ao pessoal que acompanha dentro e fora da moia! ;)

Boa leitura!

Capítulo 26 - Capítulo 26


O sol matinal estava quente logo cedo, dando indícios de que o verão não demoraria a chegar. Emma fechou a porta atrás de si e se espreguiçou mais uma vez antes de sair em direção a casa principal, onde ela tinha que fazer a parte burocrática que havia programado para aquele dia de manhã, iria passar boa parte da manhã no escritório, e finalmente estaria livre para passear com Henry e depois começar a reforma da casinha da árvore. Sorriu ao olhar a caixa que estava em suas mãos Quero só ver a cara de Henry quando ver esse presente.

- Bom dia Loirão! – cumprimentou Ruby ao se aproximar – O que você tem aí?

- Bom dia Rubs. – cumprimentou de volta – Um chapéu igual ao meu, só que de criança. Presente para Henry.

Ruby sorriu – Agora que ele nunca mais vai querer tirá-lo da cabeça. E Regina irá te matar por isso.

- Só se me matar de beijos... – brincou a loira Até que não é uma má ideia! seguindo caminho juntamente com a morena, as duas iam para a casa principal tomar uma caneca enorme de café para começar o dia.

A morena gargalhou – Isso não te mata mais!

Emma a olhou fingindo estar chocada – Como não mata? – fez uma pausa dramática, colocando a mão sobre o próprio peito – Claro que mata... Me mata de vontade de dar beijos quando não estou beijando Regina. – sorriu safadamente e Ruby gargalhou Minha amiga está pouca apaixonada? Eu não fico muito atrás também não!

- Só você mesmo Loirão. – comentou Ruby limpando os olhos devido aos ataques de risadas agora – Enfim... Eu combinei com Kathryn mais para o final do dia, de irmos ao mercado na cidade e comprar as coisas que precisarei para fazer o almoço da vovó.

Emma afirmou com a cabeça – Eu conversei com Cora e Regina e elas irão manter a Bah fora da cozinha amanhã, então ela será toda sua... – comunicou – Ah e depois do passeio que farei com Henry, começaremos a reforma da casinha.

- Sem problemas! Estou ansiosa para começarmos! – disse a morena eufórica – Bom dia vó! – cumprimentou ao entrar na cozinha, dando um beijo na bochecha da senhora.

- Bom dia Bah. – foi a vez da loira cumprimentar a senhora e dando um beijo na outra bochecha.

A senhora sorriu amavelmente – Bom dia, meninas. – cumprimentou de volta, já entregando uma grande caneca a cada mulher.

- Só um minuto que eu já volto. – anunciou Emma indo em direção ao escritório para deixar a caixa do chapéu e voltou em instantes depois – Pronto.

- O que você foi fazer? – a curiosidade da senhora foi maior.

Emma sorriu, mas fui Ruby quem respondeu – Guardar o presente de Henry. – sorriu maliciosa e Eugenia esperou a continuação – Um chapéu igual ao de Emma.

- Ah! – sua expressão era de surpresa, então abriu um sorriso – Acho que ele irá adorar o presente.

- Eu tenho certeza disso. – confirmou Emma ao terminar de dar o primeiro gole no café.

- Qual a sua certeza? – perguntou Regina ao entrar na cozinha acompanhada de Kathryn – Bom dia! – cumprimentou por fim, e se aproximou da sua loira.

- Bom dia! – cumprimentou Kathryn também se aproximando da morena com mechas vermelhas, e em vez de dar um beijo primeiro, roubou a caneca e tomou um gole da bebida preta. Os olhos arregalados da morena só não caíram do rosto, pois era impossível. Kathryn devolveu a caneca e sorriu maliciosamente – Oi morena estonteante. – deu um leve beijo na bochecha.

As outras três mulheres não aguentaram e caíram na risada – Por essa você não esperava, não é Ruby? – perguntou Eugenia, tirando sarro da própria neta.

- Com uma avó dessas, quem precisa de inimiga. – brincou a morena e olhou para Kathryn, e segurou pela cintura e deu um beijo de tirar o fôlego na sua loira – Agora sim, bom dia. – sorriu travessa ao ver que Kathryn estava ruborizada Rá se não sabe brincar, não comece!

- Oi. – disse Emma ao passar os braços em volta da cintura da mulher morena a sua frente. Sorrindo e beijou levemente os lábios convidativos de Regina Não quero mais parar de beijar esses lábios!

Regina recebeu o beijo abertamente – Oi. – disse depois do beijo Quero mais! – Voltando a pergunta anterior, qual a sua certeza?

- Que Henry gostará do chapéu. – respondeu a loira, e depois deu um gole em seu café, e ofereceu a mulher em seus braços, que sem dizer nada aceitou de bom grado e tomou um gole do café.

Regina tomou mais um gole do café de Emma – O que você fará agora de manhã? – perguntou e devolveu a caneca para a loira, saiu dos braços da mesma e foi atrás de seu próprio café.

- Eu vou passar a manhã no escritório fazendo relatórios e planilhas, e vou adiantar algumas coisas da semana... – respondeu a loira cortando um pedaço de queijo branco e dando uma mordida – Depois darei o presente e irei dar uma volta com Henry.

- Mais tarde iremos começar a reforma da casinha na árvore também. – acrescentou Ruby, depois de engolir um pedaço de pão com geleia Opa que agora eu gostei da ideia de ver novamente os braços de Emma! Mente má! Você também gostou, quem sabe até podemos ter uma visão privilegiada do bumbum dela naquela calça apertada. Procurarei um lugar estratégico para sentar e observar.

- Vocês não preferem comer lá na sala de jantar? – perguntou Eugenia ao ver as mulheres sentarem-se à mesa ali na cozinha mesmo.

- Não se preocupe Eugenia, aqui está ótimo. – respondeu Regina se sentando ao lado de Emma.

- E você o que fará agora de manhã? – quis saber Emma terminando de comer a fatia do queijo.

- Eu irei conversar com Kathryn sobre o caso do senhor Montgomery, pois a audiência está chegando... – disse ao se servir de uma fatia de queijo branco – Podemos dividir o escritório?

- Claro. Eu irei usar o computador e vocês pode usar o resto da sala... – disse pegando uma fatia de pão caseiro que Eugenia havia acabado de tirar do forno Não poderei ficar trocando beijos com ela no escritório! – Depois preciso que você olhe a proposta do senhor Brownstone sobre a ampliação da fazenda, preciso dar uma resposta a ele.

- Posso aproveitar e ver isso também... – comentou Regina passando um pouco de geleia de goiaba na fatia de queijo que havia acabado de cortar Queria ficar trocando beijos com ela no escritório, mas querendo ou não preciso trabalhar! – Foi ele quem fez a construção das outras obras, não? – perguntou e Emma acenou com a cabeça, pois havia acabado de abocanhar um grande pedaço de pão com manteiga – Então acho que você deva fazer a ampliação com ele, pois isso já adianta parte do serviço por ele conhecer o projeto anterior e saber o que vai fazer agora... Mas mesmo assim eu darei uma olhada no projeto e no contrato.

- Tudo bem, então eu telefone para ele na segunda e aviso para ele começar a ampliação no mês que vem. – respondeu a loira – Mas ele comentou que quem ficará a frente da obra é sua filha, pois ele está começando a passar o comando da empresa da filha.

- A filha? Porque isso não me soa tão bem? – disse Regina tomando um gole de café, para engolir o ciúme que apareceu Ciúme Regina! Que bonitinha! Mente má! Isso mostra que você realmente gosta dela!

- Mas ele me disse que ainda será o responsável principal da obra, mas que ela ficará mais presente que ele. – disse Emma Ela está com ciúme, gostei, mas não precisa, meu coração já te pertence morena. – Se ela fizer o excelente trabalho dele, para mim não importa quem fique a frente da obra... – fez uma pausa para tomar mais um gole de café – A única dona do meu olhar é você. – sorriu para a mulher ao seu lado.

A morena sorriu com a resposta Muito bem, assim que gosto! – Espero, pois eu também não tenho olhos para mais ninguém.

- E você senhorita Lucas, espero que não se engrace para o lado dela. – já avisou a loira aproveitando o gancho Se não você está perdida comigo!

Ruby sorriu para Kathryn – Ah minha loira deslumbrante, meus olhos só veem você. – respondeu olhando apaixonada para a mulher ao seu lado.

- Nossa, que clima mais apaixonado logo cedo. – comentou Cora ao aparecer na cozinha – Bom dia, meninas. – sentou-se a cadeira vaga e já foi se servindo de café.

- Bom dia. – todas as mulheres cumprimentaram de volta – E bota clima apaixonado aqui, Cora. – disse Eugenia sorrindo.

- Quando teremos a entrega do presente? – quis saber Cora ao se servir do resto de café que tinha no bule – Eugenia acabou o café. – comunicou a mulher mais velha.

- Já estou terminando de fazer mais... – respondeu colocando a água fervente no coador com o pó – Só um minuto que terei mais café.

- Eu escutei que está saindo mais café? – perguntou George entrando na cozinha – Bom dia!

- Bom dia. Sim, está saindo mais café, por favor, se junte a nós. – pediu Cora ao apontar a cadeira vaga ao seu lado – Eugenia assim que você terminar esse café, também se sente e se junte a nós no café da manhã... – tomou um gole do seu café – Quando você irá entregar o presente ao meu neto?

Emma terminou de tomar seu café e estava esperando a senhora terminar de coar o novo café – Logo que eu fizer meus relatórios... Estarei no escritório agora de manhã. – respondeu.

- Muito bem... Ficarei na varanda lendo... Você me chame assim que terminar suas tarefas, por favor, não quero perder nada. – pediu Cora ao se servir do café recém-colocado na mesa.

Emma colocou mais um pouco de café em sua caneca – Sem problema.

- Vocês todos aqui e nem para me chamarem para tomar café. – veio a pequena voz de Henry assim que apareceu na porta da cozinha – Estou de mal de todos vocês. – disse ao se aproximar de sua mãe, e parar entre ela e Emma.

- Meu príncipe, a mamãe te chamou você que não quis levantar. – comentou a mulher passando a mão pelo cabelo curto do menino É muita manha para uma pequena figura como essa. – Até a tia Katy tentou te levantar, mas não conseguiu.

- Eu estava com muito sono, mamãe. – disse o menino ainda esfregando os olhos – Mas agora não estou mais. - abriu um imenso sorriso e se virou para Emma – Quando vamos passear de cavalo?

- Quando eu terminar os relatórios que tenho que fazer. – respondeu ao colocar a caneca vazia em cima da mesa – Mas não se preocupe, eu te chamarei assim que terminar... E prometo fazer o mais rápido que eu puder.

- Tudo bem! – disse ele se sentando no colo da mãe, já que não havia mais cadeira vazia a mesa – Eu quero um pouco de suco. – a morena colocou um pouco de suco de laranja no copo para seu filho, que tomou um grande gole, enquanto ela cortava uma fatia de pão e passava manteiga e o entregou ao menino, que sorriu e deu uma enorme mordida.

- Com essa fome toda, não parece mais meu filho... E sim filho de Emma... – brincou Regina vendo seu filho devorar a fatia de pão rapidamente Não acharia ruim ele ser filho dela também! – Só coma mais devagar, se não irá passar mal depois. – cortou outra fatia de pão ao ver seu filho gesticular pedindo mais.

- Eu não irei reclamar de Henry ser meu filho. – brincou a loira olhando para o menino no colo da morena Pelo contrário, gostaria muito que ele fosse meu filho também!

- Coisa que praticamente já é, não? – comentou Ruby terminando sua caneca de café – Só falta oficializar a certidão de nascimento. – brincou por fim. 

Emma sorriu e passou a mão pelo curto cabelo castanho – Eu ficaria extremamente feliz com isso. – os olhos da loira mostrava todo carinho que sentia pelo menino Pensou Henry meu filho, ficaria muito feliz!  Regina se emocionou ao escutar o que Emma disse e acabou sorrindo abertamente para a loira Eu também quero muito que Henry seja seu filho! e fazendo todos da mesa sorrirem amavelmente também – Bom, a conversa está muito boa, mas preciso começar a fazer meus relatórios, se não o passeio de cavalo não sai hoje. – comunicou ao se levantar e colocar sua louça dentro da pia – Até mais tarde... – disse se abaixando dando um leve selinho em Regina e um beijo na cabeça de Henry e saiu para o escritório.

Não demorou muito para Regina e Kathryn se juntarem a Emma no escritório, enquanto a loira digitava rapidamente os relatórios, concentrada Ela não tem noção do quão sexy fica toda concentrada! As outras duas mulheres se sentaram no sofá e começaram a conversar sobre o caso do senhor Montgomery e a revisar todas as opções que tinha. Regina e Kathryn depois de muito estudar e debaterem, acabaram por decidir qual a estratégia que Regina tomaria diante do caso. A morena ainda aproveitou para olhar as plantas e contratos da ampliação da fazenda, enquanto Emma ainda estava concentrada nos relatórios e planilhas Para que assim eu não resisto, minha loira abusada!

Findado todos os relatórios e planilhas, Emma imprimiu uma cópia de cada. Levantou-se e arquivou cada folha em sua pasta e gaveta de destino nos arquivos. Salvou os arquivos do computador e o desligou em seguida.

- Então... – disse ao se sentar no sofá de frente para as duas mulheres – O que você achou do projeto de expansão?

- Ele é muito bom... – comentou a morena – O contrato é simples e transparente, e o orçamento também não tem nada errado. – fez uma pausa – Pode falar com o senhor Brownstone para começar as obras.

- Tudo bem, segunda de manhã eu ligo para a construtora e converso com ele. – respondeu a loira com um sorriso, então olhou para o relógio na parede, e viu que passava um pouco da dez da manhã – Bom, acho que está na hora do passeio, pois aposto que tem um menino muito ansioso na varanda junto com sua mãe.

- Isso você pode ter certeza, pois enquanto você estava concentrada nos relatórios, Henry passou algumas vezes pela porta para ver se você já tinha terminado. – comentou a morena sorrindo. Levantaram-se e foram para a varanda.

- Henry, se apronte que eu irei buscar o cavalo para irmos passear. – comunicou a loira assim que apareceu na varanda. Sem dizer uma palavra o menino se levantou rapidamente e saiu porta adentro em direção a o seu quarto.

- Não esqueçao o boné. – comentou Regina, o que fez o menino resmungar enquanto subia a escada.

- Como você é má. – brincou Kathryn.

Regina sorriu – É só para ter uma emoção a mais. – respondeu brincando também – E ele não desconfiar de nada.

- Vou buscar o cavalo e já volto. – disse a loira descendo as escadas da varanda e colocando o chapéu, saiu apressada em direção ao estábulo.

- Ai que eu não estou me aguentando de ansiedade para ver a cara de Henry. – comentou Cora fechando o livro que estava ajudando ao menino a ler – Henry não parou um segundo até agora. Vez ou outra ia até o escritório para ver se Emma já havia acabado de fazer os relatórios.

Regina deu uma risada – Eu o vi todas as vezes que apareceu lá na porta e via a ansiedade em seu rosto... – comentou a morena – Mamãe, eu vi o projeto de ampliação da fazenda, você gostaria de dar uma olhada, já que aqui você é a mais gabaritada para isso.

Cora confirmou com a cabeça – Assim que eles forem passear você me mostre, por favor.

- Pronto! – disse Henry ao aparecer arrumado para passear, e munido de uma garrafinha de água e seu boné – Cadê a Emma?

- Ela foi buscar o cavalo e já volta. – comentou Kathryn sentando-se ao lado de Cora na cadeira de balanço – Confesso que não sou muito fã de mato ou mesmo fazenda, mas esses dias que passei aqui me fez muito bem... Até o trabalho rendeu. – terminou e tirou o celular do bolso – Deixe eu tirar uma foto do meu pequeno cowboy? – pediu a loira e olhou para o afilhado.

Henry fez uma pose para a loira tirar a foto – Olha que coisa mais linda. – mostrou a foto para Cora e depois para Regina que havia sentado em uma cadeira.

- Deixa eu ver? – pediu assim que se aproximou a loira mostrou – Eu ficaria mais parecido se tivesse uma camisa xadrez igual a Emma. – soltou o comentário e as três mulheres caíram na gargalhada.

- Tudo bem... Eu te dou uma de presente no seu aniversário. – disse Kathryn mexendo no aplicativo da câmera do celular para gravar toda a cena que viria Não posso perder nada, vou gravar tudo!

- Katy! – exclamou Regina contrariada.

A loira sorria – Ai Rê, é só uma camisa xadrez, não irá fazer mal. – terminou e mexer no celular Pronto!

- Olha a Emma. – apontou Henry todo feliz ao avistar a loira cavalgando o cavalo na direção da varanda.

- Ah isso é muita sacanagem... – murmurou Regina Pelos botões de Eugenia que a essa hora já não tem mais botões!  pois era a primeira vez que via a loira cavalgando – Ela ainda será a minha morte.

Kathryn tinha os olhos arregalados diante da visão. Emma vinha montada em um cavalo todo marrom, o vento jogando as madeixas loiras para trás, as balançando. O ritmo do galope juntamente com a movimentação do corpo, parecia cena de filme – Será que Ruby também sabe montar? – questionou mais para si do que para as outras mulheres Porque se ela souber quero fazer um filme bem sexy dela cavalgando!

- Ah se eu tivesse alguns anos a menos... – brincou Cora só para ver a reação de sua filha. Regina ao escutar aquilo virou seu rosto rapidamente para a mãe com um olhar mortal, e Cora caiu em uma gargalhada – Estou apenas brincando.

- Cheguei! – disse Emma ao desmontar do cavalo e o amarrar no corrimão da escada a subindo logo em seguida – Você está pronto, Henry?

- Sim! – respondeu ele prontamente, mostrando o que estava em suas mãos – Estou pronto para o nosso passeio.

Emma colocou a mão em seu queixo em um ato típico de quem estava analisando e pensando – Não sei, mas acho que está faltando alguma coisa em você. – disse olhando o menino, Kathryn aproveitou enquanto a loira subia a escada para começar a gravar sem Henry perceber.

- Não está faltando nada. – respondeu ele – Estou de roupa, e tênis... Tenho minha garrafa com água e o meu boné. – mostrou os objetos em suas mãos novamente Não, ainda falta uma coisa!

Emma ficou quieta uns segundos, então pegou seu chapéu e o colocou na cabeça do menino, que ficou feliz pensando que iria usar o chapéu da loira – Humm... Não, ficou muito grande. – disse tirando o mesmo e o menino ficou desanimado – O que aconteceu? Como você foi má agora Emma, calma, só criando um clima para entregar o chapéu!

- Nada! – respondeu ele colocando seu boné a muito contra gosto – Nós não vamos mais passear? – perguntou já olhando para o cavalo.

- Vamos... Mas eu preciso falar um minuto antes com Bah e já volto. – comentou Emma e sumiu para dentro da casa Agora chegou o grande momento!

- O que foi, meu príncipe? – perguntou Regina, o puxando para ela ao ver que o filho havia perdido um pouco do entusiasmo Emma entrega logo esse chapéu, ou se não eu mesma entrego!

- Eu achei que ia passear com o chapéu de Emma. – respondeu ele ainda triste Bem que ela poderia deixar eu passear com o chapéu dela!

- Mas você não tem seu boné? – disse a morena apontando para o objeto em sua pequena mão Ai loira abusada, volta logo com esse chapéu!

Henry concordou com a cabeça – Mas não é a mesma coisa... Eu queria passear com o chapéu de Emma. – fez um bico típico de criança.

- Por que você quer passear com o meu chapéu? – perguntou a loira assim que apareceu a porta segurando a caixa de presente – Se você pode ter um só para você? – disse abrindo um sorriso imenso É agora!

- Mas eu não tenho um chapéu só para mim... – disse ainda olhando para sua mãe – Eu até queria um...

- Você tem certeza? – perguntou ela se aproximando e se abaixando para ficar na altura dele, enquanto segurava a caixa com estampa de cavalos Agora você terá um só seu!

- Tenho... – parou de falar ao ver a loira ao seu lado segurando uma caixa – O que é isso? – perguntou curioso e seus olhos já começaram a brilhar imaginando o que poderia ser.

- Abra e descubra você mesmo. – entregou a caixa para o menino. Kathryn não perdia um movimento se quer do que acontecia com sua câmera, Cora tinha um imenso sorriso no rosto e seus olhos estavam levemente úmidos. Regina tinha o maior sorriso da face da terra, e os olhos levemente úmidos também Pede ela em casamento agora! Mente! Ela é mulher para casar, pelo amor, Regina... Vamos com calma... Não tem que ter calma, tem que agarrar e não soltar mais!

- É para mim? – perguntou ao pegar a caixa das mãos de Emma, que confirmou com a cabeça. Sem dizer mais nenhuma palavra, Henry desfez o laço e lentamente tirou a tampa da caixa. Seus olhos brilharam arregalados. Sua boca fez um oh perfeito. Seu pequeno coração batia fortemente emocionado – Não acredito! – murmurou e vagarosamente suas pequenas e trêmulas mãos entraram na caixa e pegaram o chapéu. Tirou o objeto de dentro da caixa com todo cuidado possível, como se ele derrubasse pudesse se quebrar. Henry ergueu o chapéu a altura de seus olhos, que estavam úmidos. Observou atentamente o chapéu em suas mãos – Ele é igual ao seu! – concluiu por fim, abrindo um imenso sorriso amoroso.

- Sim! – comentou Emma, amor estava estampado em seus olhos – Você não vai colocá-lo?

Então finalmente Henry compreendeu o que estava acontecendo – Mamãe! Eu tenho um chapéu igual ao de Emma! – exclamou feliz ao se virar e mostrá-lo para sua mãe, que o pegou e colocou em seu filho – Agora eu tenho chapéu igual da Emma. – repetiu ao se virar para sua avó – Olha vovó! Meu chapéu novo!

- Estou vendo, e você ficou muito bem de chapéu de cowboy. – disse a senhora pedindo para ele se aproximar, que prontamente foi atendida e deu um beijo em sua bochecha – Você está lindo assim.

- Que coisa mais fofa da Dinda. – comentou Kathryn – Pode deixar que a camisa eu dou. – disse ainda filmando e não perdendo nenhum detalhe - Faz uma pose de cowboy. – Henry se posicionou e colocou a mão no chapéu como se fosse tirá-lo – Perfeito!

- Hey meu príncipe cowboy, como se diz? – disse Regina limpando os pequenos traços de umidade dos olhos, seu coração batia forte no peito, era tanto carinho e amor que estava sentindo que achou que a qualquer momento ele explodiria em seu peito Vai, aproveita o momento e a pede em casamento!

Henry se virou e correu para Emma, sem seguida pulando em seu colo a abraçando fortemente – Muito obrigado, Emma... – apertou mais ainda o abraço – Eu adorei o chapéu! – a loira apenas sorriu e retribuiu o abraço no menino Tudo por você e sua mãe, Henry!

- Acho que agora não está faltando nada para nosso passeio... – disse soltando o menino – Vamos?

- Sim! Vamos! – exclamou feliz e desceu as escadas e se aproximou do cavalo esperando pela loira. Emma se levantou e aproximou da morena.

- Daqui a pouco estou de volta. – comentou e deu um breve beijo na morena, que não resistiu e segurou o rosto da loira e aprofundou o beijo Onde estou? Quero mais! Me dê mais! Vai não seja má, me dê mais beijos! – O que foi isso? – perguntou quando terminou o beijo sem fôlego e um sorriso marcante no rosto – Não que eu esteja reclamando...

- Por fazer meu filho feliz... Muito obrigada. – respondeu a morena sorrindo e deu mais um beijo, mas esse fora rápido Porque se eu continuar desse jeito, eu virarei uma mulher das cavernas e te arrastarei até o meu quarto e não sairei de lá tão cedo! – Vai que nosso pequeno está esperando. – disse e Emma, se possível, abriu mais ainda seu sorriso Nosso pequeno! A loira se levantou e colocou o chapéu, descendo as escadas.

- Vamos pequeno cowboy! – disse erguendo o menino e o colocando na sela, e montando logo em seguida atrás do mesmo – Vamos passear e mostrar a todos que agora você tem um chapéu de cowboy.

- Sim! – confirmou ele juntamente com um aceno de cabeça – Um chapéu de cowboy igual ao seu. – comentou feliz se segurando quando Emma deu o comando para o cavalo e começou a andar em direção oeste da fazenda – Tchau mamãe! Tchau vovó! Tchau tia Katy! – acenou com a mão todo feliz.

- Tchau meu príncipe! – respondeu Regina, enquanto Cora e Kathryn apenas acenavam com a mão. Assim que eles sumiram da vista das mulheres, a loira parou de gravar e salvou o vídeo – Você me manda o vídeo depois. – pediu a morena Quero ter esse momento para sempre!

- Eu também quero. – pediu Cora Essa foi a coisa mais bonita que poderiam ter feito para meu neto! Senhorita Swan, eu já gostei da sua pessoa, mas a partir de agora eu farei de tudo para que você se case com minha filha.

- Estou mandando agora. – comentou Kathryn enviando para os celulares das duas morenas, e aproveitou para mandar para uma outra morena com mechas vermelhas.

- Acho que Henry não vai tirar esse chapéu tão cedo, só não irá tomar banho com ele para não estragar. – comentou Cora sorrindo imaginando a cena.

Regina sorriu – Ele vai dormir com ele, assim como ele dorme com o Spirit desde o dia que ganhou a pelúcia, não tem uma noite que ele não dorme sem ela. – comentou Eu queria dormir com minha loira abusada!

- Rê, minha amiga... – começou a loira – Você tirou a sorte grande com Emma... Ela é uma pessoa maravilhosa, e se você deixá-la sair da sua vida e da vida de meu afilhado, eu juro que corro atrás de você até no inferno e te dou uma surra... – Kathryn fez uma pausa e continuou antes que a morena mais nova falasse algo – E claro, que se Emma também fizer uma barbaridade dessas, eu irei caçá-la até no limbo.

- Concordo com Katy, minha filha... – completou Cora – Eu nunca a vi tão feliz como esses dias, e principalmente nunca vi Henry tão feliz.

- Vocês não sabem como eu estou feliz... – disse Regina olhando para as duas mulheres Ela me faz muito feliz! Já falei pede ela em casamento! Não perca tempo! – Emma... Eu nem sei o que dizer sobre isso... Só que eu estou muito feliz, e quero Emma ao meu lado pelo resto da minha vida. – confessou Por isso, a peça logo em casamento!

Um silêncio leve pairou no ambiente e as mulheres não trocaram mais nenhuma palavra, e aproveitaram para apreciar o momento pensando em tudo que havia acontecido.

-SQ-

- Ruby! – exclamou Henry feliz – Olha meu chapéu novo! – disse e apontou para o objeto em sua cabeça – Emma quem me deu. É igual ao dela. – terminou todo orgulhoso.

- Que chapéu mais bonito o seu... – a morena se aproximou do cavalo, ela havia acabado de ver o vídeo que Kathryn havia lhe mandado – Você ficou muito bonito com ele... Parece um cowboy de verdade. E montado em um cavalo então, estou vendo você como um astro de filmes do velho oeste.

Henry deu uma risada infantil então avistou George passando perto deles – Vovô! Vovô! – chamou o menino acenando juntamente com os braços.

- Ora, mas quem é esse novo cowboy que está na fazenda? – brincou o senhor ao se aproximar de todos ali.

- Sou eu vovô, Henry. – respondeu o menino levantando o chapéu brevemente – Não está me reconhecendo?

Os olhos de George se arregalaram fingindo espanto – Mas eu não reconheci você, pequeno Henry... Esse chapéu é muito bonito, e deixou você com cara de cowboy. – disse abrindo um sorriso.

- Emma que me deu! – disse ele todo orgulhoso – É igual ao dela, só que para cowboys pequenos como eu. – fez uma cara séria.

A loira sorriu e sentiu seu celular vibrar no bolso, tirou e viu que tinha uma mensagem de Regina. Destravou e abriu a mesma.

11:48 am: Meus dois cowboys, o almoço será servido daqui a dez minutos, por favor não se atrasem. Se possível, chame meu sogro e minha cunhada para almoçarmos juntos. Beijos.

- Que cara feliz é essa Emma? – perguntou Ruby travessa, se lembrando da conversa que tiveram quando Emma contou como havia sido a troca de mensagens com amorena Será mais alguma mensagem picante?

- Regina esta falando que o almoço está pronto, e pediu para chamar vocês dois para irmos almoçar. – respondeu a loira guardando o celular depois de digitar a resposta para a morena dizendo que já estavam indo.

- Então vamos. – comentou o homem.

- Sim... Eu só preciso levar o cavalo de volta para o estábulo... Vocês vão à frente junto com Henry que eu já vou. – falou ela já segurando o menino para descê-lo.

- Não! Eu quero ir com você levar o cavalo no estábulo. – disse Henry segurando as mãos da loira – Por favor.

- Vai lá, que esperamos vocês aqui, pois eu ainda tenho que fechar o consultório. – comentou Ruby entrando no imóvel, seguida por George.

- Já voltamos. – disse Emma dando novamente um comando para o cavalo seguir para o estábulo.

O homem estava sorrindo feliz – O que está deixando você feliz, tio? – perguntou Ruby ao fechar o armário de remédios, e depois a porta da sala de estoque.

- Emma... – simplesmente respondeu ao fechar a última janela – Eu estou feliz ao ver a felicidade no rosto da minha menina... Eu não a vejo tão feliz assim desde quando ela era criança...

A morena sorriu feliz – Eu também estou muito feliz por ela, tio... Emma precisava de alguém que a fizesse feliz, não digo só pelo menino, mas também por Regina. – disse Ruby assim que fechou a porta do consultório e a trancou com a chave, pendurando o aviso que caso acontecesse uma emergência ela estava pela fazenda.

George soltou uma risada – Aquele safado do velho Henry previa o futuro, só pode... – comentou rindo ainda – Como ele sabia que essas duas são perfeitas uma para a outra?

Ruby riu – Simples tio, ele conhecia a filha que tinha e conhecia muito bem a Emma... – respondeu – Talvez até melhor que nós.

- Provavelmente... – os dois deram mais uma risada.

- Vamos? – perguntou Emma ao chegar de mãos dadas com Henry. Os dois confirmaram com a cabeça e seguiram em direção a casa principal. Parecia até cena de filme de velho oeste. Emma e seu inseparável chapéu na cabeça, e suas tradicionais vestes, sua camisa xadrez em tons de verde. Henry com seu chapéu ficou faltando a bota e a camisa xadrez. Ruby e seu chapéu preto, sua camisa xadrez era em tons de azul. George não ficou atrás, sua camisa era uma cor neutra, e seu chapéu de feltro mais para o tom de bege.

-SQ-

- Vamos reformar a casinha agora? – perguntou Henry depois de algum tempo que já havia terminado o almoço e todos estavam na varanda sentados conversando sobre coisas sem muita importância.

- O que acha Ruby? – perguntou a loira para a amiga – E você Henry, pronto para colocar mãos a obra?

- Com certeza. – ele respondeu feliz e olhou expectante para a morena de mechas vermelhas.

Ruby se levantou – Só se for agora.

Emma se levantou também juntamente com o menino – Vamos lá no galpão pegar as ferramentas necessárias para tirarmos as madeiras velhas e colocas as novas, assim como a própria madeira. – se virou para as outras pessoas ali – Vocês ficarão aqui? Ou nos acompanharão?

- Eu passo no momento. – comentou Cora – Mais tarde posso dar uma olhada e ver como anda a reforma. – sorriu, Regina havia mostrado as plantas da ampliação da fazenda e Cora ficou maravilhada com tudo o que havia visto.

- Eu adoraria, minha filha... Mas seu velho pai, não tem mais idade para isso. – respondeu ele – Eu ficarei aqui conversando com Cora, claro se ela quiser. – olhou para a mulher mais velha O que aconteceu? O que foi que eu perdi? Emma seu pai tem o direito de gostar de outra pessoa... E acho que ele só irá conversar mesmo! Tudo bem, por enquanto passa!

- Eu agradeço a companhia... – disse sorrindo – Sempre é bom ter alguém para conversar.

- Vocês? – perguntou ao olhar para Regina e Kathryn Mamãe, depois quero saber de tudo! Regina deixe sua mãe, ela pode voltar a gostar de alguém, e pense assim, se acontecer um relacionamento com o pai de Emma, tudo ficará em família, literalmente! Não comentarei nada agora, depois eu converso com minha mãe.

- Acha que irei perder a oportunidade de ver vocês duas trabalhando? – comentou Kathryn séria E ficar babando em Ruby? – Nunca! Vamos Regina! Que isso eu não perco por nada. – se levantou e puxou a amiga pela mão para se levantar.

Emma deu uma risada, assim como Ruby e os cincos partiram em direção ao galpão para pegar o que precisariam e pouco mais de meia hora, tudo que precisavam estava em torno da árvore que tinha a casinha. Kathryn e Regina sentaram no tronco e ali ficaram apreciando a vista de tudo que os três faziam Ótimo lugar! Aqui poderei ver tudo e não perder um detalhe da minha loira trabalhando!

Ruby tirou o chapéu e sua camisa xadrez, ficando apenas de regata vermelha Eita Ruby, que eu já estou morrendo de calor! Calma Katy! Não mente, olhe aqueles braços! Emma fez a mesma coisa, mas com a diferença de cor, sua regata era branca De repente ficou mais quente aqui, não Regina? E como ficou mente! Henry relutou em tirar o chapéu, mas acabou sendo convencido pelas mulheres ao falar que o objeto poderia estragar durante a reforma. A loira amarrou uma bandana na cabeça para o cabelo não atrapalhar e Ruby já fizera um rabo de cavalo alto Ai pelos novos botões de Eugenia! as mentes das duas mulheres sentadas exclamaram ao mesmo tempo.

- Bom, vamos começar a retirar a madeira pelo teto... – comentou Emma – Henry você me ajuda a pegar a escada.

- Sim! – disse ele segurando de um lado e Emma de outro.

- Vamos colocar aqui! – pediu e eles posicionaram a escada e o resto do serviço fora Emma quem fez – Você pegar o martelo para mim? – ele acenou novamente e correu na caixa de ferramenta procurando pelo objeto e assim que achou levou para Emma. Ela subiu na escada e se posicionou para subir no teto e começar a tirar os pregos e as madeiras, dando uma bela vista para a Regina Acho que Eugenia não tem mais botões a partir de hoje, que visão é essa... Ela poderia estar sem a calça jeans, com certeza seria melhor ainda. Calma que uma hora chegaremos a esse ponto. Espero que não demore muito, pois aquelas mensagens ainda estão fazendo efeito em mim. Clama mente má, não é só você que ainda sofre com aquelas mensagens.

- Tem outro martelo, Henry? – perguntou Ruby e ele olhou dentro da caixa e pegou o objeto e levou para Ruby, que também subiu na escada e começou a tirar os pregos e madeiras do lado oposto de Emma.

Kathryn estava com os olhos fixos em todos os movimentos de Ruby Santos botões de Eugenia que acabaram de ser canonizados! – Rê... Que show é esse? – brincou a loira não se contendo Imagina tudo isso na sua cama Katy. Para mente, que isso é golpe baixo, muito baixo.

- Não sei, só sei que eu estou adorando. – comentou a morena de olho fixo em Emma Com muita certeza você está adorando... mas as vezes olhando Henry e vendo o que ele estava fazendo. Ele havia sido encarregado de tirar todas as folhas e galhos ao redor da área que estavam e ele estava fazendo essa tarefa com muita seriedade.

 Emma e Ruby tiraram todos os pregos que prendiam as madeiras, a morena acabou descendo e Emma ai dando uma tábua por vez para Ruby que ia acumulando em um canto separado das tábuas novas. As duas mulheres sentadas estavam adorando todo aquele trabalho, pois tinha a oportunidade de ver toda a musculatura das outras duas mulheres sendo trabalhada Esquentou mais ainda nesse momento, não? Acho que preciso de um banho gelado! Terminada essa tarefa, Emma desceu e juntamente com Ruby verificaram se algumas daquelas tábuas poderiam ser reutilizadas, mas chegaram a conclusão que elas estavam muito desgastadas devido ao tempo. Em um movimento inconsciente, Emma ergueu sua camiseta para limpar o suor do rosto e expondo todo seu abdômen, os olhos de Regina escureceram com tanta luxúria Com muita certeza depois disso eu irei precisar de um banho gelado! Kathryn ficou impressionada Bem que Regina disse, mas quero ver o abdômen de Ruby! E como se a morena tivesse lido a mente de Kathryn, ela também levantou a sua camiseta para limpar o suor do rosto e os olhos de Kathryn se arregalaram com a visão Posso morder esse abdômen? Diz que sim!

- Bom, agora vamos ver as tábuas das laterais. – comentou Emma ao descer sua camiseta, sem perceber o olhar luxurioso que Regina estava dando.

- E eu? – perguntou Henry – Eu já limpei tudo... Acabei minha tarefa...

A loira pensou por uns instante – Você separe aquelas tábuas – apontou para a pilha de tábuas recém tiradas da casinha – E as separe por tamanho, que nós vamos usá-las para outra coisa. – pediu e Henry concordou e foi separar as tábuas.

As duas mulheres fizeram o mesmo processo de retirar os pregos e separar as tábuas, e depois verificaram quais poderiam ser reutilizadas, e daquelas apenas três tábuas poderia ser reutilizadas. Ruby juntou as que não seriam usadas e com a ajuda de Henry, colocaram nas pilhas separadas por tamanho também. E mais uma vez repetiram o processo para as tábuas que serviam de assoalho da casa, elas precisariam trocar algumas tábuas. Verificaram as vigas de escoras da casa, e perceberam que elas ainda estavam boas, mas teriam que aumentar o número, já que elas iriam aumentar o tamanho da casinha.

- Bom... – começou a loira – Vamos começar pelas vigas de escora da casinha, e fazermos um alicerce bem firme, para então começarmos a colocar o assoalho novamente.

- Certo. – concordou Ruby – Me fale como você quer que façamos isso. – pediu e Emma começou a explicar como elas iriam fazer o alicerce. Henry estava junto ajudando em pequenas tarefas.

Ele se aproximou de sua mãe – Nossa, estou cansado... – comentou ele se encostando a ela.

Regina sorriu – Claro, você não parou um segundo desde que chegamos. – limpou o suor da testa do menino – Mas você está ajudando certinho.

- Cadê meu ajudante? – perguntou Emma ao ver o garoto com sua mãe, e sorriu ao vê-lo descansar um minuto.

- Posso descansar um minuto? Estou muito cansado. – pediu ele ao sentar ao lado da mãe.

Emma sorriu – Claro, descanse e depois você continua. – concordou ela e voltou sua atenção ao corte das madeiras que elas iriam usar para as vigas. Com as madeiras cortadas nas medidas que precisavam Emma e Ruby começaram a montar a estrutura e usando furadeiras e parafusos para fixarem melhor a madeira sem o risco de o prego espanar ou a madeira rachar. Emma estava usando a dica que Giuseppe deu sobre os parafusos e calçadeiras, para manter a estrutura junta.

- Nós já voltamos. – comentou Kathryn se levantando juntamente com Regina e Henry Porque se eu ficar mais um minuto aqui serei presa por atentado ao pudor. – Vamos pegar algo para nós bebermos e já voltamos. – avisou.

- Tudo bem. – Emma parafusando uma madeira na outra, enquanto Ruby segurava a estrutura para depois serem parafusadas na árvore.

Emma e Ruby continuaram parafusando as vigas, e conseguiram montar uma parte da base da casinha – Emma e se fizermos um escorregador, desse lado fazemos uma escada com dois lances de escada, e desse lado aqui fazemos uma escada de corda presa ao chão? – sugeriu Ruby apontando os lados enquanto falava sobre o que fazer – E aqui... – apontou o local – Podemos colocar um balanço feito de pneu.

A loira ficou um minuto analisando o que sua amiga havia dito, e não mudaria muito o projeto inicial que havia pensado – Podemos fazer isso sim... – concordou por fim – Ainda podemos colocar um apoio com uma roldana aqui do lado do escorregador com uma cesta amarrada e corda para descê-la e subi-la com coisas. E ali... – apontou uma área perto da casinha, mas debaixo de uma grande sombra – Podemos fazer uma mesa de piquenique e bancos com a madeira que tiramos da casinha e não usaremos de volta, assim reaproveitamos para fazer outra coisa.

- Perfeito! – concordou a morena – Então mãos a obra novamente.

Depois da troca de sugestões elas voltaram a montar novamente mais uma parte da base da casinha, e repetiram todo o processo de parafusar e assegurar que tudo estava bem firme para então fixar na árvore. E mais uma parte da sustentação do assoalho da casinha estava pronto.

- Voltamos! – anunciou Regina enquanto segurava uma bandeja com duas jarras grandes, uma de suco bem gelado e outra com café que Eugenia havia acabado de fazer. Kathryn vinha com uma cesta com pão e biscoitos que haviam saído do forno, e Henry vinha carregando as canecas – Vamos fazer uma pausa, que eu acho que vocês estão merecendo.

- Só deixa terminarmos de parafusar essa parte, para depois só fixarmos a última parte da sustentação do assoalho da casinha. – respondeu Emma furando a madeira. Depois de alguns minutos elas terminaram e deixaram as coisas no chão e foram para a torneira que havia ali perto e lavaram as mãos e os rostos, e foram perto dos três que já havia improvisado uma mesa com as madeiras que tinha ali – O que temos? – perguntou Emma ao dar um beijo na bochecha da morena.

- Temos suco de laranja bem gelado, café que Eugenia acabou de fazer... – respondeu a morena – E aqui temos pão e biscoito que também acabou de sair do forno.

 - Amo o biscoito da Bah. – disse Emma pegando um e praticamente o comendo em duas grandes mordidas, e se serviu de um pouco de suco.

- Ruby, você já decidiu o que vai fazer para sua avó de almoço amanhã? – perguntou Regina bebendo seu café, e comendo um biscoito Preciso urgentemente achar algo para queimar calorias, porque a cosia pode ficar feia. Mas eu sei de um jeito que você pode queimar calorias, e bem prazeroso por sinal... Mente ainda não... Mas que é um jeito isso você não pode negar!

A morena confirmou com a cabeça – Assim que terminarmos por aqui por hoje, vou tomar um banho e Kathryn irá comigo no mercado para comprar o que vou precisar.

- Qual vai ser o cardápio? – quis saber Kathryn assim que terminou de tomar seu café, juntamente com o último pedaço do biscoito que estava comendo Lá vou eu me matar na academia novamente depois desse fim de semana aqui!

- Surpresa. – brincou a morena terminando seu café também, e Kathryn fez um bico parecido com Henry quando contrariado, Ruby não resistiu e salpicou alguns beijos na loira Rá! Descontei o ocorrido hoje de manhã na cozinha! – No caminho eu te conto. – mais um beijo.

- Falta muito para vocês terminarem por hoje? – quis saber Regina Porque acho que não irei aguentar mais um show da minha loira abusada trabalhando!

Emma terminou o café – Não, só falta fixarmos a última sustentação do assoalho da casinha, que já está pronta... E terminamos por hoje. – respondeu – Depois temos que arrumar a bagunça aqui antes que o sol se ponha, pois ainda não temos luz suficiente aqui.

- Entendi. – comentou a morena depositando um beijo na bochecha da loira – O que faremos hoje a noite?

- Hum eu não sei ainda... Você está pensando em algo? – perguntou Emma ao olhar para sua morena.

- Podemos assistir o desenho do Spirit. – sugeriu Henry animado – E podemos pedir pizza.

Regina olhou para o filho e então para as outras mulheres – O que acham? Oportunidade de ficar abraçadinha com a loira tentação.

- Adoro programa caseiro. – concordou Kathryn já pensando na possibilidade de ficar juntinho com Ruby no sofá trocando beijos.

- Hoje não foi fácil quero algo calmo. – concordou Ruby e olhou para Kathryn – Ficar abraçadinha acho que é o que teremos para hoje. – sorriu de lado E se possível dar alguns beijos!

- Pelo visto está decidido. – concordou a loira sorrindo com a possibilidade de deitar ao lado de sua morena Ganhei a minha noite! – Bom, Ruby, vamos terminar a sustentação do assoalho. – Emma beijou brevemente os lábios da morena e se levantou.

- Vamos! – concordou Ruby também beijando brevemente os lábios da usa loira e acompanhando Emma para onde elas haviam deixado as coisas.

Regina, Kathryn e Henry arrumaram tudo e levaram de volta as coisas para a cozinha, e retornaram com Cora e George para olharem como estava indo a reforma da casinha na árvore.

Elas haviam terminado de parafusar as vigas no tronco, e estavam terminando de parafusar as madeiras da sustentação.

- Vocês foram rápidas... – comentou Cora ao ver a base da sustentação praticamente toda pronta – Achei que talvez isso demorasse um pouco mais.

George sorriu – Vocês vão aumentar o tamanho da casinha? – perguntou curioso ao ver a meninas guardando as ferramentas que usaram com a ajuda de Henry, e amontoando as madeiras em uma grande pilha, e a cobrindo com lona para não pegar chuva caso o tempo mudasse. Colocaram as caixas de ferramentas e os maquinários usados nos dois carrinhos de mãos para levarem de volta para o galpão e guardá-las em seu lugar.

- Se eu estivesse sozinha com certeza ainda estaria desmontando a casinha antiga ainda... – respondeu Emma enrolando o fio da extensão e o colocando no carrinho de mão – Mas com a ajuda de Ruby foi até mais rápido que eu havia planejado... Sim, também vamos aumentar o tamanho da casinha, assim Henry pode trazer amiguinhos para brincar. – terminou de explicar E quem sabe eu também não possa usar com uma certa morena em uma tarde qualquer. Ah Emma sua safada! Ora mente, isso seria muito interessante! Com certeza seria.

- Eu também ajudei. – comentou Henry.

- Sim, sua ajuda foi muito importante para sermos rápidas na nossa tarefa. – concordou Ruby.

George sorriu – Lembro que o velho Henry e eu brigamos até não poder mais discutindo como faríamos a casinha, e só sei que para terminarmos só a estrutura de sustentação demoramos quase uma semana... – comentou o homem saudoso – Ele queria fazer de um jeito e eu queria fazer de outro... Dois cabeças duras nunca deram certo. – brincou ele – Mas por fim acabamos nos acertando e a casinha saiu, com um pouco de atraso do tempo previsto, mas saiu. – sorriu ao final.

Cora analisou a estrutura de sustentação – Vocês fizeram um bom trabalho na estrutura para a sustentação da casinha, estou impressionada. – fez uma pausa – Regina me mostrou as plantas da ampliação da fazenda, e devo dizer que você leva jeito para isso Emma.

A loira sorriu – O senhor Bronwtone falou a mesma coisa para mim. – comentou e olhou ao redor para ver se não havia se esquecido de nada, pegou sua camisa assim como seu chapéu – Mas sinceramente eu posso dizer que essa parte eu faço por hobby, pois meu dom mesmo é para domar cavalos e administrar a fazenda – fez uma pausa - Mas eu agradeço o elogio... Bom, por hoje terminamos, Ruby me ajude a levar as ferramentas para o galpão. – pediu e Ruby prontamente se dispôs a ajudar.

- Você Henry, irá para o banho imediatamente. – disse Regina pegando o chapéu do menino e segurando a mão do mesmo – Não adianta reclamar, que vai todo mundo tomar banho... Nos vemos mais tarde. – ela se despediu depois de dar um beijo nos lábios da loira e seguiu em direção da casa juntamente com Cora e Kathryn.

- Até! – respondeu Emma que seguiu para outro caminho juntamente com Ruby e George que resolveu acompanhá-las.

 


Notas Finais


Bom, vamos lá... Momento família no café da manhã... Eu gosto de escrever essas cenas famílias huhuhu Finalmente Emma entregou o chapéu para o Henry! Quem acha que ele irá usar o chapéu até em baixo do chuveiro levanta a mão o/ kkkk A reforma da casinha também está saindo, e Regina e Kathryn ganharam um show a parte das duas mulheres trabalhando. No próximo capítulo continuação do sábado com a sessão cinema e o almoço do domingo...
Essa é a casinha que Emma e Ruby estão montando, em vez dessa escada reta, teremos o escorregador

http://cdn1.mundodastribos.com/507942-como-montar-uma-casa-na-arvore-passo-a-passo-2.jpg


Até a próxima!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...