História Storybrooke - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emma, Regina, Romance
Visualizações 240
Palavras 8.021
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sábado de manhãzinha olha que postando capítulo! kkkk

Mas infelizmente só dá tempo de postar esse, pois daqui a pouco estou indo trabalhar! Amanhã ou segunda eu volto com mais capítulos XD...

Obrigada ao pessoal que comentou, favoritou e ao povo que acompanha dentro e fora da moita!

Boa leitura!

Capítulo 27 - Capítulo 27


Emma entrou na casa carregando cinco caixas de pizzas, enquanto Ruby segurava as bebidas. A loira deixou duas na cozinha onde estavam Eugenia, Cora e George reunidos para jantar Preciso ter uma conversa séria com o senhor George depois! e as restantes levou para a sala de tv. Ruby deixou uma garrafa de vinho e um refrigerante para os três e seguiu Emma para a sala de tv onde já estava arrumada para a sessão cinema. Regina havia tirado a mesa de centro e colocado os colchões das camas de hóspedes no chão, para que todos pudessem deitar para assistir ao desenho.

Henry já estava com seu pijama dos vingadores e esperava ansioso para comer pizza e assistir ao desenho. Ele já havia tomado seu luar no colchão, bem no centro de frente para a tv. Abriu um sorriso ao ver a loira entrando juntamente com Ruby.

- Chegamos. – anunciou Emma colocando as pizzas na mesinha de centro que estava no canto, e tirou suas botas, para subir nos colchões. Sentou-se ao lado de Regina que estava do lado de Henry – Trouxe uma pizza com um monte de coisa verde em cima. – brincou a loira – E duas de sabores tradicionais. – abriu as tampas das caixas.

- Eu quero a de pepperoni. – pediu Henry – E um pouco de refrigerante. – ele foi prontamente atendido – Obrigado. – agradeceu quando sua mãe o serviu.

Ruby colocou a outra garrafa de vinho, mais um fardinho de cerveja e a garrafa de refrigerante junto as pizzas, tirou sua bota e sentou-se ao lado de Kathryn que estava sentada do outro lado de Henry. Emma se serviu de uma long neck de cerveja e um pedaço de pizza de queijo. Ruby acompanhou Emma com relação a cerveja, mas pegou um pedaço de pepperoni. Kathryn e Regina foram no vinho e cada uma pegou um pedaço da pizza com a cobertura verde, segundo Emma. O silêncio prevalecia na sala enquanto degustavam a pizza e a bebida. Muitos minutos depois assim que terminaram, havia sobrado apenas alguns pedaços da pizza com a cobertura verde, um dedo de vinho na garrafa e apenas uma long neck de cerveja, enquanto o refrigerante tinha mais de meia garrafa ainda.

- Bom, acho que agora poderemos assistir ao desenho... – disse Regina assim que juntou a sujeira em cima da mesa, depois ela daria um jeito. Henry se ajeitou em seu lugar e se cobriu com a coberta e seus olhos estavam vidrados na tv. Ruby se aconchegou em algumas almofadas e Kathryn acabou fazendo a morena de travesseiro ao deitar sobre o peito da mesma O mundo pode acabar agora! Emma já se aconchegou atrás da morena, passando seu braço na cintura da morena e entrelaçando suas pernas, e puxou uma manta sobre elas Isso que eu chamo de felicidade! No começo estavam todos prestando atenção a tv, mas com o desenrolar da história, por mais que Emma amasse aquele desenho, estar ali deitada com sua morena, estava mexendo muito com ela O cheiro dela me deixa louca, e pertinho assim é praticamente impossível não resistir. Aos poucos a loira trouxe a morena para mais perto. Regina percebeu que a loira estava mais colada ao seu corpo, a respiração em sua nuca, tudo aquilo estava mexendo com a libido da mulher Ah Emma, jura que você irá fazer isso agora e aqui? Emma não resistiu e depositou um pequeno beijo no pescoço moreno – Emma... – murmurou a morena Não pare, continue! então olhou e viu Kathryn e Ruby se agarrando do outro lado com direito a beijaço e tudo.

Emma sorriu maliciosamente, depois depositou mais um beijo É agora que me vingo dessa loba safada! – Ruby! – chamou a amiga um pouco mais alto.

- O que? Estou vendo tv. – disse ela assustada quase jogando Kathryn fora do colchão, pois a loira estava praticamente em cima dela.

- Nada não! – Emma sorriu maliciosamente e sua amiga a olhou mortalmente Pronto, estou só um pouco satisfeita com isso! – Só não se esqueça de que temos uma criança aqui.

- Sim, você! – respondeu Ruby contrariada, fazendo Regina e Emma sorrirem, enquanto Kathryn se ajeitou novamente em seu lugar e voltaram a prestar atenção no desenho. Henry nem percebeu o que estava acontecendo devido a sua atenção estar voltada ao desenho, mas seus olhos estavam começando a ficarem pesados.

A mão da loira criou vida própria e começou a passear pela cintura da morena, ora descia um pouco para a coxa, ora subia até quase a altura dos seios, então um sorriso maroto surgiu nos lábios da loira e ela enfiou sua mão por baixo da blusa que Regina estava usando, e lentamente começou a fazer carinho com as pontas dos dedos por toda a extensão do abdômen.

Aquele vai e vem dos dedos de Emma em seu abdômen não estavam fazendo muito bem aos hormônios e muito bem a saúde mental de Regina – Emma... – sussurrou ao segurar a mão que estava a deixando louca – Não comece uma coisa que você não irá poder terminar... Puta merda, não para! Mente! Mas está bom demais Regina.

Emma sorriu marotamente – Eu não estou fazendo nada demais, morena... – fez uma pausa e depositou um beijo mais demorado no pescoço moreno Amo beijar esse pescoço cheiroso! tirando um baixo gemido de Regina E ouvi-la gemer! Isso é muito bom! – Estou apenas aproveitando que estamos aqui deitadas juntinhas...

- Você está brincando com fogo, minha loira abusada... – comentou a morena fechando os olhos quando sentiu novamente outro beijo em seu pescoço, mas perto da orelha. Sua pele arrepiou ao sentir a respiração da loira em seu ouvido – Emma... – advertiu com a respiração começando a ficar descompassada Se você não parar agora eu irei te arrastar até o quarto, trancarei a porta e não sairemos de lá até segunda.

Regina se mexeu no abraço da loira e se virou para ficar de frente para a mesma e enterrou seu rosto no pescoço alvo, e aspirou o leve perfume amadeirado da loira, e não resistindo depositou um beijo demorado ali Vamos nos vingar! Sim!  – Ai morena... Não faz isso!... – fez uma pausa ao sentir novamente os lábios de Regina em seu pescoço – Vamos ver o desenho!

A morena sorriu travessamente – Ué, só estou aproveitando que estamos deitadas aqui e não estou fazendo nada demais... – usou as mesmas palavras da loira, mas acabou pousando sua cabeça no peito de Emma e voltou sua atenção para o desenho. Minutos depois, a mão de Regina criou vida e curiosamente quis saber como era debaixo da blusa da loira Como será aquele maldito abdômen que me atormentou essa tarde? vagarosamente a morena passou a mão pelo abdômen que tirou todo o seu sossego essa tarde É melhor do que eu havia previsto! Um baixo gemido saiu dos lábios de Emma que a olhou cheia de desejo – Eu só estou curiosa... – passou as pontas das unhas, arranhando levemente a pele alva e arrepiando todo o corpo da loira Minha vingança!!

Emma deu uma olhada e viu que Henry havia dormido e Ruby e Kathryn estavam mais interessadas na respiração boca a boca que estavam fazendo Minha vez! A mão da loira começou um passeio pelas curvas da morena até parar no bumbum e o apertar afoitamente, a malha fina do tecido da calça não deixava muito espaço para a imaginação, e acabou por trazer o corpo de Regina para mais perto do seu, e no momento seguinte tomou a boca da morena em um beijo necessitado, urgente Eu estou no céu! Quando o ar foi necessário e as bocas separadas, Emma não perdeu um segundo e colou seus lábios no pescoço moreno e ali começou um caminho de beijos quentes. A mão no bumbum apertava avidamente, em um gesto automático, Emma ergueu um pouco sua perna que estava entrelaçada com as de Regina e suavemente tocou na junção das pernas da morena Alcancei o nirvana agora! Um gemido rouco e cheio de excitação saiu dos lábios da morena e instintivamente ela movimentou seus quadris para frente e para trás, tentando tem maior contato com a perna da loira Correção, eu morri e fui para o paraíso!

A mão de morena percorreu toda a extensão do abdômen acima, e despudoradamente se embrenhou nos dois montes alvos, debaixo da roupa íntima que Emma usava Não serei a única a ficar a mercê de suas investidas senhorita Swan! Aquela descoberta arrancou um gemido rouco da loira, atiçando mais ainda a libido das duas mulheres Isso é maravilhoso! A boca de Emma começou um caminho descendente pelo pescoço até o vale dos seios de Regina, que mesmo por cima da blusa conseguia sentir a voracidade dos beijos da loira. Gemidos baixos e roucos saiam de suas bocas Será que podemos ir para o quarto agora? O desejo era latente. A vontade estava gravada na pele. As respirações estavam pesadas, cheias de volúpia. Os corações batiam em ritmo acelerado. O suor surgindo nas peles, trazendo o aroma mais acentuado de cada mulher. A temperatura corporal elevada. Os olhos turvos em excitação. 

Do outro lado, alheias ao clima entre Emma e Regina, Ruby podia morrer naquele momento que morreria feliz, pois o clima entre ela e sua loira não estava muito diferente do clima entre suas amigas. Beijos mais afoitos eram dados como se suas vidas dependessem daquilo. Mãos passeavam pelos corpos, descobrindo o que cada curva escondia. Kathryn praticamente estava novamente em cima de Ruby. O ar no ambiente estava para lá de quente, e carregado de tensão sexual Vamos para o quarto nesse exato momento!

- Não... Vamos para a casinha na árvore... Meu chapéu! Tem o Spirit... – Henry resmungo desconexo em seu sono, alto o suficiente para as quatro mulheres ouvirem, e ele terminou em uma risada infantil, virou-se para o outro lado e continuou dormindo como se ele não tivesse dito nada.

Ao ouvirem as desconexas palavras de Henry as quatro mulheres pararam imediatamente o que estavam fazendo e olharam para o menino em seu sono, e a realidade voltou a imperar no ambiente. Elas se entreolharam culpadas, segundos depois elas caíram em risadas.

- Acho melhor pararmos por aqui... – comentou Kathryn saindo de cima de Ruby e se deitando ao seu lado – Vamos assistir outro filme? Já que nosso escolher de filmes está dormindo?

- Concordo em pararmos, pois não queremos traumatizar o garoto. – comentou Emma, tirando sua perna do meio das pernas da morena e posicionando melhor no colchão Pronto, o último que faltava interromper acabou de fazer! Mas tudo bem, eu ainda terei minha morena a minha mercê e vou domar essa fera.

Ruby limpou a garganta – Concordo em vermos outro filme... Qual é a opção? – perguntou se aconchegando melhor no colchão ao lado de sua loira.

Regina se levantou e pegou alguns DVDs que tinha ali e entregou para a Kathryn – Essas são as opções no momento. – disse ao voltar a se deitar ao lado de Emma Se não fosse por Henry, eu nem sei o que teria acontecido.

Os olhos de Kathryn se arregalaram – Jura que você tem o filme Quando o Amor acontece? – perguntou incrédula – Vamos assistir a esse? Ele me lembra muito vocês...

- Não tem problema por mim! – disse Emma ao abraçar a morena, sem segundas intenções E o clima se dissipou! Pelo menos a minha morena está em meus braços!

Regina sorriu ao se lembrar de quando sua amiga comentou sobre o filme na noite em que foram ao pub – Por mim também não há problema Eu quero é mais ficar sendo abraçada pela minha loira tentação!

- Quem sou eu para reclamar ou discordar? – brincou Ruby – Vamos assistir a esse filme então.

Kathryn mais que feliz, deu um selinho rápido em Ruby e se levantou para colocar o filme no aparelho, e voltou para seu lugar.

Um silêncio agradável pairou no ambiente até que Emma comentou – Pode ser impressão minha, mas mais alguém viu que está acontecendo algo entre meu pai e a minha sogra? Por favor, digam que viram também! Ah Emma seu pai tem direito a arrumar a vida. Não estou reclamando, só não quero ver coisa que as vezes pode não ter.

- Meu tio e sua sogra? – brincou Ruby – Que história é essa Loirão, conta melhor isso!

- Sogra? – questionou Regina ao olhar para a loira atrás de si Sabe que gostei disso! Minha mãe sogra de Emma, e o pai dela meu sogro.

Emma afirmou com a cabeça – Sim, você chamou meu pai de sogro na mensagem hoje na hora do almoço...  Por que não posso chamá-la de sogra também? – explicou a loira sorrindo.

- Gostei de como isso soa. – disse Regina sorrindo também, e deu um leve selinho na sua loira – Mas eu também percebi algo hoje a tarde quando estávamos indo para a casinha na árvore.

Kathryn pausou o filme, antes mesmo de começar – Ufa, achei que somente eu havia visto algo entre eles... Ainda bem que vocês viram, assim não fico achando que é coisa a minha cabeça.

- Pois é Rubs... Não é de hoje que o vejo mais aéreo, na realidade desde que ele reencontrou Cora no almoço que você e Kathryn armaram semana passada, ele está mais aéreo que de costume... E hoje quando ele se ofereceu para ficar e conversar com minha sogra, foi que percebi o motivo dele estar aéreo... Eu fico muito feliz que esteja continuando a vida...

- Ai que tudo! – exclamou Ruby feliz – Mas vocês não podem estar vendo coisa que não exista? Ele e Cora se conhecem a muito tempo, isso que vocês estão vendo pode ser apenas amizade...

Emma ficou um segundo ponderando o que Ruby havia dito – Bom, você pode ter razão... – acabou concordando – Mas também se for outra coisa, fico muito feliz também!

- Eu não vejo nada demais no está acontecendo... – comentou Kathryn – Caso esteja mesmo acontecendo algo entre eles... Tia Cora é solteira, pelo que me consta, e seu pai Emma, pelo que sei é viúvo... – fez uma pausa – Então não vejo nada que os impeçam de ficarem juntos.

- Eu também não vejo nada demais eles ficarem juntos... – comentou Emma sorrindo – Acho até divertido. Ao mesmo tempo minha sogra será minha madrasta e meu pai será ao mesmo tempo sogro e padrasto de Regina... Isso dá um enredo de filme!

Regina sorriu – Concordo que eles têm mais que o direito de seguir a vida deles... – fez uma pausa e as três mulheres acenaram em positivo com a cabeça – Vamos dar tempo ao tempo e ver o desenrolar dessa história... Vamos assistir ao filme!

- Sim! – concordou Kathryn dando play novamente no filme, e o silêncio reinou no ambiente novamente sendo quebrado apenas pelos sons do filme e a atenção das mulheres voltadas para a tv.

-SQ-

- Agora me diga o que está acontecendo entre vocês dois. – disse Eugenia assim que Emma e Ruby estavam bem distantes – E não adianta negar que será pior.

George respirou fundo antes de responder – Não está acontecendo nada entre nós... Apenas dois velhos amigos colocando a conversa em dia... – fez uma pausa – Não irei mentir que não conversamos sobre essa possibilidade, mas decidimos deixar o tempo agir...

- Então vocês admitem que tem alguma coisa acontecendo entre vocês? – pressionou a mulher sorrindo travessamente Ai tem coisa!

Cora sorriu de lado – Não negarei, mas também não afirmarei nada... – fez uma pausa – Como George mesmo disse, conversamos e chegamos a conclusão que deixaremos o tempo agir... Afinal agora o que importa é a felicidade de nossas filhas e netos... – terminou de explicar e apontar para Eugenia também Sabia! Eles até tentam, mas não conseguem enganar!

- Tudo bem, por enquanto eu aceito essa resposta... – falou Eugenia pegando um pedaço de pizza de pepperoni e enchendo seu copo com cerveja – Mais a frente eu volto a perguntar novamente sobre isso.

George sorriu pegando um pedaço de pizza com vegetais em cima e encheu seu copo com o que sobrou a cerveja de Eugenia e abriu outra para completar seu copo – Vai que mais para frente saia um casamento triplo... – olhou travesso – Ou mesmo quádruplo.

- Por que quádruplo? – quis saber Cora.

O sorriso do homem se abriu mais ainda Rá! Te peguei Eugenia! – Vamos fazer as contas... – riu – Regina e Emma, um casamento... Ruby e Kathryn, outro casamento... – sorriu travesso – Meu e de Cora, terceiro casamento... E o último e quarto casamento... – fez uma pausa dramática.

- Por céus homem, diga de uma vez e não me deixe nessa gastura. – pediu Cora que havia acabado de pegar um pedaço de pizza de queijo, e enchido seu copo com vinho.

George ergueu uma sobrancelha de cada vez travessamente – Ora, Cora minha querida... O quarto casamento é de Eugenia e Giuseppe... Você se lembra dele? – perguntou olhando para a morena ao seu lado.

Os olhos de Cora se arregalaram – Claro que lembro... Ele arrastava um bonde por causa de Eugenia.

- Arrastava não... Ainda arrasta e não é só um bonde, mas uma frota interia por causa dela. – brincou o homem.

- Ai parem de falar bobagens... – comentou Eugenia ficando vermelha – Vocês estão vendo coisa onde não tem.

- Tudo bem... Por enquanto eu aceito essa resposta. – disse o homem usando as mesmas palavras de Eugenia para responder de volta - Mais a frente eu volto a perguntar novamente sobre isso. – e os três caíram na gargalhada.

- Ah antes que me esqueça Eugenia... – começou Cora mudando completamente o rumo da conversa – Amanhã quero que você tire o dia de folga... – a morena ergueu a mão antes que Eugenia pudesse falar alguma coisa – Não se preocupe, eu e minha filha nos viramos aqui para fazer a nossa comida... Você precisa de um dia de folga vez ou outra... E não estou aberta a negociação.

Eugenia deu um suspiro – Tudo bem! – concordou derrotada Justo amanhã que eu queria trabalhar para ocupar a cabeça!

Os três ficaram ali conversando sobre tudo e sobre nada, acabaram comendo quase toda a pizza. A cerveja só tinha as garrafinhas, e o vinho também virou lembrança.

- Bom, acho que está na nossa hora... – comentou George se levantando – Cora, minha querida, foi um prazer jantar ao seu lado. – deu um beijo na bochecha da morena.

- Sempre galante esse homem. – brincou Cora e devolveu o beijo na bochecha do homem – Também adorei sua companhia Eugenia.

- Eu agradeço também... – comentou a cozinheira – Como será que estão as coisas lá na sala de tv? – quis saber Só espero que elas tenham consciência de que o pequeno Henry estará com elas.

- Achei que só era eu que estava morrendo de curiosidade. – confessou George Espero que Emma não tenha atacado Regina.

Cora sorriu travessa Será que Regina aproveitou o momento? – Podemos ir até lá e ver como estão as coisas. – sugeriu, e com aceno de cabeça dos outros dois, silenciosamente eles foram até a sala, parando na porta e sorrateiramente colocando a cabeça para dentro da porta e espiar dentro da sala. O que eles viram fez com que abrissem imensos sorrisos.

Emma estava deitada de costas com Regina deitada sobre seu peito, e seus braços envolvendo a morena protetoramente. Henry estava de lado, todo encolhido e segurava sua pelúcia do Spirit, a qual ele havia ido buscar logo no começo do desenho, enquanto dormia. Kathryn estava de costas para Ruby que a abraçava por trás, e tinha seu braço esquerdo envolta na cintura da loira, e suas mãos entrelaçadas. A tv já não exibia mais o filme. Silenciosamente Cora entrou no cômodo e desligou a tv e saiu no mesmo silêncio que havia entrado.

- Acho que hoje o dia foi cheio de emoção e canseira para todos eles. – Cora comentou ao encostar a porta da sala e voltar com os outros dois para a cozinha.

George sorriu – Acho que muitos dos dias serão assim daqui para frente.

- Esperamos que sim. – respondeu Eugenia – Esperamos que sim. – e Cora só afirmava com a cabeça. Ela sabia que mais cedo ou mais tarde, Robin ou até mesmo Lily iria aprontar e todo aquele sossego iria acabar, então que ela preferia que fosse mais tarde.

-SQ-

O sol já havia despontado no horizonte. A claridade se fazia presente na sala onde os cinco integrantes dormiam tranquilamente. Henry foi o primeiro a acordar. Abriu os olhos meio perdido sem saber onde estava, mas logo que reconheceu a sala, olhou para um lado e viu sua tia Katy dormindo abraçada com a tia Ruby. Olhou para o outro lado e viu sua mãe abraçando a loira por trás, já que esta estava de barriga para baixo, e Regina estava sobre suas costas. Um imenso sorriso surgiu em seus lábios, ele jogou as cobertas para o chão e se levantou. Imediatamente ele começou a pular no colchão.

- Vamos todo mundo acordar! – falou alto suficiente e pulando de um lado a outro – Vamos! Chega de dormir! – continuou pulando até que sua mãe finalmente começou a despertar.

- Henry! – murmurou, abraçando Emma como um travesseiro – Vamos dormir mais um pouquinho só. – pediu se aconchegando melhor na loira.

- Não! Vamos todos acordar! – comentou ele pulando – Vamos tia Ruby! Acorda! Hoje é aniversário da Bah. – falou e não parava de pular – Temos que fazer o almoço surpresa para ela.

- Henry seu lindo, deita e volte a dormir. – grunhiu Ruby puxando a coberta para cima da cabeça na tentativa de se esconder da claridade.

- Já disse que está na hora de levantar. – comunicou e continuou pulando – Vamos Emma. Temos que continuar reformando a casinha.

- Ah garoto vamos dormir só mais um pouquinho, vai... – grunhiu sem se mexer.

- Tia Katy! – se virou na direção da mulher enquanto pulava – Vamos tia Katy. Vamos acordar.

Kathryn não abriu a boca e se aconchegou melhor na morena e se escondeu debaixo do cobertor que Ruby havia puxado para cima da cabeça.

- Vocês não tem graça. – disse Henry quando finalmente parou de pular e se sentou, cruzou os braços na altura do peito e nos lábios tinha um bico enorme – Quando vocês levantam todos juntos eu não levanto, e quando eu levanto ninguém quer levantar. – disse contrariado.

Regina suspirou derrotada – Tudo bem, meu príncipe, a mamãe já levantou... – murmurou a morena ao abrir os olhos lentamente. Emma se virou no abraço da morena e acabou ficando de frente para a mulher, envolvendo seus braços ao redor do corpo menor – Emma... – chamou levemente, e a loira só grunhiu. Abriu um sorriso e depositou um beijo na bochecha da loira – Vamos minha loira abusada, hora de acordar, se não um garotinho não nos deixará em paz. – mais um beijo na bochecha Quero ficar aqui o resto do dia tentando acordá-la!

Emma lentamente abriu os olhos, se acostumando a claridade do ambiente – Tudo bem garoto, estamos acordando para tomarmos café da manhã juntos... – murmurou e instintivamente sua mão foi até a cabeleira castanha e começou a fazer carinho Não quero levantar, está muito bom aqui!

- Então vamos levantar. – disse se levantando, saindo da sala e correndo para o banheiro.

- Vamos Emma! – disse Regina que por mais que estivesse gostando de ficar ali sabia que eu filho logo voltaria e não as deixaria em paz – E você também senhorita Midas, nada de deixar seu afilhado acordado sozinho. – disse assim que se sentou no colchão, olhou ao redor procurando por seus chinelos e viu uma calça jeans muito conhecida jogada no chão ao lado do colchão Eu não acredito!

- Tudo bem! Já estou de pé. – disse a loira tirando a coberta de cima de suas pernas, e deixando a mostra sua calcinha Box feminina preta, mas de cintura baixa e curta – Já estou de pé. – repetiu mais uma vez sem perceber os olhos famintos de Regina sobre seu corpo Para tudo Regina, é isso mesmo que estamos vendo? A roupa íntima de Emma? Pelo visto sim! Sentou-se e girou a cabeça procurando por sua calça que havia tirado no meio da noite por estar incomodando no sono, assim que a achou se levantou e deu uma vista privilegiada de seu bumbum semi coberto pelo tecido da peça íntima, os olhos de Regina turvaram mais ainda cheios de desejo enquanto Emma vestia sua calça jeans Morri! Só pode ser isso! Regina pare de babar no bumbum da loira! Mas não tem como! Que visão esplendida logo cedo!! Concordo com você! Será que posso tocar? Posso morder? Lamber?

Então escutaram um assobio e as duas mulheres olharam para Ruby quem havia assobiado Eu tenho que tirar sarro dessas duas! – Isso sim é algo para se olhar logo cedo. – brincou a morena, fazendo ela e Kathryn darem risada.

- Engraçadinha. – respondeu Emma assim que terminou de vestir a calça É muito sono agora cedo, dá um desconto! Mas aposto que a morena gostou do show que você fez! Depois eu converso com ela sobre isso! – Aposto que você também não está usando sua calça... – fez uma pausa e apontou o objeto ao lado da cama Não posso deixar Ruby levar vantagem nessa brincadeira! – Foi o que eu pensei... Então teremos outra coisa para se olhar logo cedo também. – alfinetou.

Os olhos de Kathryn se arregalaram com a possibilidade de ver Ruby em sua peça intima Ai meu coração que não irá aguentar! – Será que terei esse privilégio também ou será apenas a Rê que terá? – brincou maliciosamente.

Ruby abriu um sorriso travesso – Para você minha loira estonteante. – disse ao dar um beijo na bochecha e se levantar sem pudor algum mostrando sua minúscula calcinha enquanto vestia sua calça sem pressa nenhuma.

- Ow sua abusada, acelera que não quero ficar te vendo em trajes íntimos. – brincou a loira ao jogar um travesseiro na amiga, que se apressou em vestir a calça e no último segundo conseguiu desviar do travesseiro.

- Sua estraga prazer. – comentou Kathryn rindo Não vejo a hora de colocar minhas mãos nesse corpinho e fazer um estrago.

- Pense como um pouco de vingança pelas vezes que vocês duas interromperam nossos beijos mais quentes. – comentou Emma sorrindo travessamente.

- Voltei! – comunicou Henry ao aparecer na sala – Vamos tomar café? Vovó já está de pé e esperando pela gente. – disse e saiu correndo para a cozinha.

- Vamos tomar café, depois eu arrumo essa bagunça. – comentou Regina já de pé e colocando seu chinelo e ofereceu sua mão a loira que a pegou prontamente ao terminar de colocar as botas. Elas foram seguidas por Ruby e Kathryn que também haviam terminado de se arrumarem.

-SQ-

Ruby tinha um avental amarrado ao seu redor, enquanto o cabelo estava preso em um coque. Ela mexia o recheio da torta de abóbora na panela, enquanto Emma cortava alguns legumes. A loira podia ser uma negação em cozinhar, mas ajudava sem maiores problemas. A carne que ia para o forno já estava temperada, e a espera dos legumes que a loira estava terminando de cortar. Assim que terminou de cozer o recheio, Ruby começou a montar a torta.

- O cheiro está muito bom... – comentou Cora assim que entrou na cozinha seguida por Regina, Kathryn e Henry – O que vocês estão fazendo? – eles haviam acabado de arrumar a bagunça na sala de tv.

- Carne assada com legumes...

- Que terminei de cortar. – anunciou Emma entregando a vasilha com os legumes em pedaços para a morena que ajeitou na forma e colocou a carne temperada por cima e jogou o tempero em que ela estava por cima, cobrindo com um pedaço de papel alumínio, e colocando a forma logo em seguida no forno. Voltou sua atenção a torta, para colocá-la no forno também, para economizar tempo de cozimento, e acendeu o fogo.

- Arroz, purê de batata, torta de abóbora, milho cozido, salada mix de folhas verdes... – continuou a morena olhando para dentro do forno para acertar a altura do fogo – Ah Emma pegue as verduras, lave-as e limpe-as, por favor, e depois as coloque em uma vasilha grande que antes de ir para a mesa, eu tempero... E a carne assada. – terminou Ruby pegando as batatas cozidas e as esmagando.

- Gostei do cardápio. – comentou Regina que vez ou outra roubava um olhar mais cobiço na loira que estava igual a morena. Tinha um avental ao redor do corpo, e um coque prendendo o cabelo, deixando a mostra todo seu pescoço alvo para os olhos predadores da morena dona da fazenda Posso beijar aquele pescoço e deixar marcas? – Se o sabor estiver como o cheiro, aposto que deva estar muito bom.

- Terminei aqui. – comunicou a loira ao terminar de lavar e limpar as verduras – Quer que eu corte as folhas? – perguntou e Ruby concordou com a cabeça.

- Assim que você terminar com as verduras, por favor, pegue umas seis laranjas e as esprema, vou fazer um molho de laranja para jogar por cima da carne assada depois de pronta. E deixe descascada uma laranja apenas, e corte-a em rodelas finas. – terminou enquanto colocava os ingredientes na panela para fazer o purê de batata.

- Quando eu for cozinhar, será que terei uma ajudante assim tão prestativa? – questionou a morena ao se aproximar de Emma e depositar um beijo na bochecha Mas de preferência só de avental e sem nada por baixo!

Emma sorriu e deu um leve selinho na mulher ao seu lado – Se você for fazer a lasanha, com certeza terá uma ajudante muito prestativa. – brincou e começou a espremer as laranjas.

- O arroz está quase pronto... – anunciou Ruby ao olhar a panela e voltar sua atenção ao purê – O que vocês falaram para manter a minha avó longe daqui? – perguntou curiosa.

Cora sorriu – Eu apenas dei a ela o dia de folga, e quando ela quis retrucar, eu disse que não estava aberta a negociação. – explicou e deu uma risada.

- E ela aceitou assim sem dizer nada? – perguntou a morena incrédula ao escutar a resposta.

Foi a vez de Regina dar uma risada – É que você ainda não conhece o olhar e tom autoritário da minha mãe. – brincou – Ela daria uma boa advogada se tivesse seguido por esse caminho.

- Boa, não! – retrucou Cora – Eu seria uma excelente advogada, diga-se de passagem, mas minha paixão sempre foi a arquitetura.

- Purê está pronto. – disse Ruby ao desligar o fogo tanto da panela do purê como a do arroz – Assim como o arroz, mais um pouco a torta estará pronta... Agora vamos fazer o molho de laranja. – pegou o que precisava enquanto colocava dentro da panela.

Emma sem dizer nada, ia lavando a louça acumulada na pia, pois tudo que tinha que ser cortado, picado, espremido já tinha sido – Quer que eu arrume a mesa? – se ofereceu.

- Por favor... – disse Ruby concentrada no ponto do molho de laranja.

- Eu posso ajudar? – pediu Henry se manifestando pela primeira vez.

Emma sorriu – Claro meu ajudante. Vamos lá que eu vou pegando a louça e você vai colocando na mesa. – saiu com Henry para arrumarem a mesa.

- E você minha loira estonteante, sabe cozinhar? – quis saber Ruby ainda com a atenção voltada para a panela do molho.

- Muito pouco... – comentou vendo sua morena se mexendo para lá e para cá – Só o suficiente para não morrer de fome e está muito bom... Confesso que não tenho tanta vocação para a cozinha como você, sua avó ou mesmo Regina.

- Eu também não sei fazer muita coisa... Mas o que eu sei dá para o gasto. – brincou Ruby assim que desligou o fogo da panela do molho – Agora é esperar terminar de assar a carne... – olhou e aumentou o fogo e tirou a torta de abóbora que já estava pronta.

- Mesa arrumada. – disse Emma assim que voltou para cozinha junto de Henry – Lugares para todos nós, mais meu pai e Bah. – sentou-se ao lado de Regina – Mary e David estão de folga hoje e já haviam marcado de viajarem para a casa dos pais de Mary, então eles não estarão presentes.

Alguns minutos mais tarde Ruby havia desligado o forno – Pronto! A carne está pronta. – disse tirando a forma de dentro do forno.

Tirou a carne e a colocou em uma travessa, colocou os legumes ao redor e por fim jogou um pouco de molho de laranja por cima. Colocou o resto do molho em uma vasilha própria de molho para caso alguém queira colocar mais em cima da carne. Arrumou tudo em suas respectivas vasilhas as comidas e foi colocando a mesa. Por fim temperou a salada de folhas.

- Agora é chamar o tio e minha avó. – comentou Ruby tirando o avental e o pendurando em seu devido lugar, onde já descansava o avental usado por Emma.

- Eu vou lá chamar... – se prontificou a loira.

- Na sua casa tem telefone? – perguntou Cora e Emma afirmou com a cabeça – Então ligue para seu pai e fale para inventar qualquer desculpa e trazer Eugenia com ele.

Emma afirmou em um meneio de cabeça e foi para o escritório ligar na sua casa, pois ela não se lembrava aonde havia deixado seu celular. Minutos depois ela estava de volta – Alguém viu meu celular? – perguntou procurando pelo aparelho.

- Acho que você o deixou lá na sala de tv ontem a noite. – respondeu Regina.

A loira soltou um suspiro – Eu nunca lembro dele, e principalmente onde o deixo. – comentou divertida ao parar do lado de Regina.

- Acho bom você começar a se preocupar em ficar atenta onde o deixa e principalmente quem te manda mensagens. – provocou e sorriu maliciosamente Porque depois daquela troca de mensagens ainda sinto alguns arrepios só de pensar!

Emma retribuiu o sorriso com um maroto Acho que preciso mandar umas mensagens novamente para a minha morena! – Realmente preciso ficar mais atenta a esse objeto... Afinal alguém pode pegá-lo e mandar uma mensagem sem eu perceber. – terminou e olhou para Ruby que sorria travessa.

- Sério que podem fazer isso? – perguntou fingindo incredulidade Mas você pode falar o que quiser, mas no fim foi uma ótima ideia eu ter mandado uma mensagem para a Regina.

- Claro que podem. – respondeu Emma dando uma risada Realmente é bom ficar de olho e mais atenta com o meu celular... – Bom, acho melhor irmos para a sala de jantar, antes que Eugenia chegue e estrague a surpresa.

-SQ-

- Eugenia? – chamou George da porta da casa da senhora – Cadê você mulher? – brincou batendo levemente na porta.

- Calma que eu estou aqui, seu apressado. – resmungou ela ao abrir a porta – Onde é o incêndio?

O homem sorriu amavelmente – Não há incêndio nenhum, apenas vim te trazer essa pequena lembrança. – disse entregando uma pequena caixa embrulhada – E desejar um Feliz Aniversário!

Eugenia sorriu e pegou a pequena caixa – Ah meu amigo não precisava ter se incomodado. – abriu e viu que tinha xale todo trabalhado a mão – Que coisa mais linda. Eu adorei.

- Fico feliz, e também gostaria de vir aqui te fazer um convite para almoçar comigo... – ele continuou assim que ela guardou o xale de volta a caixa – Porque eu sei que fomos trocados... – brincou.

Eugenia suspirou fundo – Tudo bem, eu aceito! – fez uma pausa e dando passagem para o amigo entrar – Só vou me arrumar e já volto.

- Sem problema, que te espero aqui. – disse se sentando no sofá enquanto ela ia para o quarto se arrumar.

Para dar veracidade ao convite George pegou emprestado o carro de Emma, e agora estava ele e a amiga no carro indo em direção a casa principal – Vem comigo convencer a Cora a sair dessa fazenda? – pediu assim que ele desligou o carro – E aproveitamos para avisar aquelas ingratas que estamos indo almoçar fora.

Eugenia concordou com a cabeça e os dois ocupantes do carro desceram e entraram na cozinha – Cora? – ele chamou.

- Aqui na sala de jantar, querido. – ela respondeu alto o suficiente e recebeu olhares inquisidores das outras quatro mulheres – O que? – ela perguntou bem baixinho.

Eles passaram pela cozinha – Ué, cadê aquelas duas ingratas que atendem pelo nome de Ruby e Emma. – comentou a senhora ao ver a cozinha limpa e tudo arrumado – Achei que elas estariam aqui... – parou de falar ao ver todos ali na mesa reunidos.

- Surpresa!! – exclamaram felizes ao ver a senhora ali.

- Essas ingratas estavam aqui a manhã toda preparando um almoço especial de aniversário para a mulher mais rabugenta que conhecemos. – brincou Ruby ao abraçar a avó – Feliz Aniversário.

Emma se aproximou e a abraçou também – Eu diria rabugenta e ingrata, pois até agora não abriu a boca. – deu um beijo na bochecha da senhora – Feliz Aniversário Bah! – soltou do abraço.

Os olhos da senhora estavam úmidos – Isso tudo é para mim? – perguntou incrédula.

- Sim, Bah. – respondeu Henry correndo até a senhora a abraçando – Feliz Aniversário... – abraçou novamente – Você gostou?

- Eu adorei meu lindo... – respondeu.

- Foi tia Ruby quem cozinhou. – adiantou Henry ao se soltar do abraço.

Os olhos da senhora se arregalaram em surpresa – Sério?

- Nossa, quem escuta você dizendo isso vovó, até parece que aconteceu um evento de suma importância para a paz mundial. – Ruby fingiu estar indignada.

- É quase a mesma coisa... – brincou a senhora e fez todos caírem na risada.

- Acho melhor começarmos a comer antes que esfrie. – pediu Cora depois de se recompor – Por favor, vamos nos sentar. - todos assentiram, mas antes que Eugenia se sentasse, tanto Regina quanto Kathryn a abraçaram e desejaram feliz aniversário, assim como Cora.

- O que temos para o almoço? – perguntou George ao sentir seu estômago roncar diante de apetitoso almoço.

- Temos carne assada com legumes e molho de laranja... – começou Ruby toda orgulhosa, pois a maioria dos pratos eram os preferidos de sua avó – Purê de batata, arroz, salada de mix de folhas e torta de abóbora.

- Nossa, que delícia. – comentou ele ao se sentar – Fazia muito tempo que não comia carne assada com molho de laranja.

- Então vamos nos deliciar, pois Ruby prepara essa carne melhor que eu. – comentou Eugenia já se servindo de um pedaço da carne.

O almoço transcorreu na mais perfeita paz, conversaram sobre muitos assuntos. Ruby e Emma arrumaram a cozinha depois do almoço, e agora estavam todos sentados na varanda conversando quando Eugenia chegou com uma grande garrafa de café para eles. Sentou-se com eles e ali ficaram mais um tempo conversando e tomando café até que Kathryn anunciou que precisava ir embora mais cedo devido ao caso que ela estava trabalhando e que também estava começando a fechar o tempo.

Ela se despediu de todos, e se demorou mais com Ruby, mas por fim ela acabou indo embora. O resto do pessoal permaneceu ali conversando até que começou a escurecer. George juntamente com Eugenia, que agradeceu imensamente pelo almoço surpresa, e Ruby seguiram para suas casas, Cora aproveitou a deixa para dar banho no neto, deixando apenas Emma e Regina que ainda estavam sentadas juntas na cadeira de balanço. A morena usando a loira como seu travesseiro particular, pois estavam abraçadas uma de frente a outra.

Emma estava em silêncio, apenas aproveitando o momento enquanto tinha a morena em seus braços e uma de suas mãos fazia carinho na vasta cabeleira castanha. Regina não estava diferente, estava aproveitando os carinhos da loira em seus cabelos e seus braços estavam em volta da cintura da loira enquanto seu rosto estava aninhado no pescoço da loira.

- Sabe... – Regina quebrou o silêncio agradável, mas não tirou seu rosto do pescoço da loira, pois ali definitivamente havia se tornado um dos seus lugares favoritos – Adorei sua calcinha... – brincou e depositou um beijo casto no pescoço E de suas longas pernas!

Emma deu uma risada, fazendo seu pescoço reverberar o barulho e causando leve tremor na pele, fazendo Regina adorar mais ainda ficar ali – Só da calcinha que você gostou? – perguntou travessa.

Regina balançou negativamente a cabeça que ainda estava aninhada no pescoço – Não... Gostei também de ver suas longas pernas sem o empecilho da calça jeans... – fez uma pausa – E antes que você pergunte, também vi seu bumbum e também gostei. – terminou brincalhona Essa é a Regina que eu conheço!

- Mas eu tenho uma namorada tão safada. – zombou Emma apertando levemente Regina em seus braços que sorriu feliz.

- Ah agora somos namoradas? – perguntou Regina curiosa, finalmente tirando seu rosto do pescoço e olhando para aquele par de olhos verdes Posso me afogar neles? Me perder sem me preocupar, pois eu sei que você sempre me achará!

- É o que eu sinto. – respondeu Emma simplesmente sorrindo – Mas se você quiser podemos deixar...

Regina não se aguentou e interrompeu a loira com um beijo simples, mas que acabou virando para um beijo mais demorado – Eu gostei... Eu sou sua namorada, e você é minha namorada. – respondeu dando mais um selinho na loira, que não perdeu tempo e aprofundou o beijo. Cada beijo era mais profundo, urgente, necessitado. A batalha entre as língua estava ganhando proporções perigosas. E silenciosamente elas entraram em acordo para parar ali mesmo antes que acontecesse alguma coisa mais imprópria para o momento ou mesmo o lugar, afinal estavam na varanda da casa e qualquer um poderia passar ali e ver, apesar do tempo ter fechado de vez e era questão de tempo para cair a chuva que estava prometendo Ah para não! Vamos continuar!! Vem me beije! Que eu te beijo de volta!

- Eu gostei de dormir abraçada a você essa noite. – confessou Emma voltando a fazer carinho na cabeleira castanha de Regina, que havia voltado seu rosto para o pescoço da loira, enquanto suas respirações voltavam ao normal depois da súbita elevação da temperatura corporal e dos batimentos cardíacos Na realidade você também estava é gostando de fazer a outra coisa. Isso também, mente, não irei mentir! Realmente estava muito bom. Concordo e muito com isso!

- Eu também gostei, principalmente acordar com você ao meu lado. – confessou a morena se aconchegando mais na loira Ah Regina confessa que você estava mesmo era gostando dos amassos que vocês estavam dando, isso sim! Tudo bem, confesso, aquilo estava muito bom, bem que poderia repetir, mas quem sabe em um lugar mais propício e que ninguém irá atrapalhar! – Gostaria de poder ter mais noites assim.

Emma sorriu – Eu também gostaria... Adorei acordar e te ter em meus braços.

- Acho que podemos ter algumas noites assim... – disse Regina que não conseguia esconder o sorriso E algumas noites regadas a sexo selvagem também? Assim como sexo amorzinho e carinhoso? Mente! Ai Regina está ficando chato isso já, toda vez que falo algo que você não tem coragem você vem me chamar a atenção, cansei disso! Eu só ia dizer que não vejo a hora de ter sexo selvagem e noite de sexo amorzinho! Aleluiaaaa!! – Digo, só dormir mesmo... Podemos ter um dia durante a semana para podermos dormir juntas... Mas se você não quiser por achar que estamos indo depressa, ou mesmo que você...

- Eu concordo. – interrompeu Emma dando um beijo no topo da cabeça da morena Quando poderemos nos deliciar, eu, você e uma cama só para nós? Será que uma dessas noites eu poderei te amar com tudo que tenho, em uma noite cheia de sexo selvagem regado a muito amor? – Podemos começar essa semana já.

- Será perfeito. – concordou por fim e caíram novamente em um silêncio agradável por mais um tempo. Quando finalmente o tempo deu a ameaça de cair água, Emma se despediu de sua, agora, namorada com muitos beijos e foi embora, com a promessa de conversarem e combinarem qual o dia que elas dividiriam a mesma cama novamente, nem que no momento seja apenas para dormir Para a tristeza das duas.

-SQ-

 A segunda-feira amanheceu chuvosa, e de acordo com a previsão do tempo iria chover a semana toda, o que desanimou Henry, pois ele estava ansioso para continuar a reforma da casinha, mas Emma havia explicado que teriam que esperar parar de chover, para eles não sofrerem nenhum acidente enquanto trabalhavam. E como havia combinado com Regina, a loira ligou para o escritório da construtora e conversou diretamente com o senhor Brownstone, e ficou decido que no começo do mês seguinte, as obras começariam na fazenda.

O celular de Regina estava tocando insistentemente – Calma! – ela pediu assim que se levantou de sua cadeira na mesa do escritório e foi buscar seu celular em cima da mesa de centro onde havia deixado – Calma... – disse assim que pegou e viu o nome de Kathryn – Onde é o incêndio, Katy? – brincou a morena ao atender – Porque toda essa pressa, estava estudando o caso do senhor Montgomery novamente.

- Ainda bem Regina... – veio a voz do outro lado da linha.

- Por que? – questionou curiosa Será que aconteceu algo?

A loira do outro lado da linha soltou um longo suspiro – Acabei de receber um documento oficial do juiz Jackson dizendo que a audiência do senhor Montgomery foi adiantada.

- O que? – exclamou a morena surpresa Ai droga! – Para quando? Qual o motivo de adiantarem a audiência?

- O advogado do senhor Moore, conseguiu montar argumentos válidos para adiantar a audiência e o juiz acatou o pedido... – respondeu a loira – A audiência foi antecipada em uma semana e meia, ou seja, para quarta-feira agora, no meio da tarde... E pelo que previmos e está escrito aqui ela poderá durar de um até três dias.

Regina soltou uma longa respiração – Não esperava que isso acontecesse, mas não se tem o que fazer... Podemos até entrar com uma ação tentando fazer a audiência voltar para a data anterior, mas isso levará tempo... – fez uma pausa e soltou outra longa respiração – Tudo bem... Assim acaba logo com isso... Então me aguarde que quarta de manhã cedo estarei em Boston.

- Até quarta, Rê. – se despediu a loira.

- Até Katy. – se despediu e terminou a chamada – Agora preciso do telefone do senhor Campbell para avisá-lo que terei que me ausentar até o fim de semana pelo menos. – voltou para a mesa e procurou pelo telefone do advogado, depois de alguns minutos achou e ligou, eles conversaram e ficou acertado que até o dia da vistia dele na fazenda ele teria uma solução para esses dias ausentes – Agora preciso falar com mamãe e Henry, e depois Emma.

A noite no jantar Regina comunicou que precisaria viajar a Boston por causa da audiência que anteciparam. Cora aceitou de bom grado olhar pelo neto nos dias em que Regina não estaria na fazenda, e ela ainda deu a sugestão de Emma ir junto, já que a morena não gostava de dirigir na estrada em dias de chuva. A loira no começou ficou surpresa, mas depois de um pouco de convencimento por parte de sua morena ela acabou aceitando ir junto a Boston. Cora também acabou comentando sobre as mensagens de Robin e o que ela havia respondido, as aconselhando a ficarem mais atentas as ações dele. Comentou também que havia fingido ser amiga dele e contra elas, só para ver o que ele irá aprontar.

A terça passou normalmente, enquanto Regina arrumava suas coisas e a documentação. Emma deixou algumas coisas a cargo de Ruby e David, e se precisasse de alguma coisa urgente era só ligar para ela. E como não podia deixar da faltar, Ruby tirou sarro falando que finalmente elas teriam um pouco de paz e que era para a loira aproveitar. Ruby mesma não estava se aguentando de ansiedade, pois finalmente ela também iria para Boston passar o fim de semana lá com sua loira.

Quarta-feira amanheceu nublada, mas as nuvens estavam carregadas e a qualquer momento poderia chover novamente. As duas mulheres tomaram café da manhã juntas e se preparam para pegarem a estrada em direção a Boston. Elas optaram pela Ford range azul, e Regina disse que Ruby poderia pegar uma das pick-ups para ir para Boston na sexta. Sem mais elas partiram em direção a grande cidade, pois com a chuva que começou a cair, elas com certeza iriam demorar mais que quatro horas de viagem. Emma ao volante dirigia com cuidado e muita atenção e Regina apenas apreciando a vista, e vez ou outra ainda olhava alguma coisa na suas anotações sobre o caso que iria representar.

 


Notas Finais


Momento família e um pouco de pegação entre os dois casais enquanto assistiam filme kkkk Sem comentar o pequeno show de lingerie de Emma e Ruby kkkk Momento conversa entre adultos na cozinha, vamos ver o que acontece agora que eles irão ficar sozinhos kkkkkk momento festa familiar, esperem três dias de puro amor, romantismo e muito sexo (ou não diabinho, não faz isso que o pessoal enfarta antes de ler o hot) kkkkkk ... Essa antecipação da audiência até que veio a calhar kkkk Porque finalmente irá sair o hot delas, eu escutei um AMÉM??

Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...