História Strange Love. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Zayn Malik
Personagens Zayn Malik
Tags Alisha Malik, Incesto, Zayn Malik
Exibições 212
Palavras 2.191
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha a bicha voltou? Pois é, galera. Aos que gostam do Zayn/Harry estou com um projeto novo, se quiserem saber como ele é, me mandem MP ou no comentário mesmo. Zayn é padrasto da PP e Harry um namoradinho lindo <3
Eu aproveitei, os momentos fora, para modificar e acrescentar algumas coisas nos capítulos. Gostei bastante desse. Espero que gostem também lindos, xx

Capítulo 7 - Surpresas inacreditáveis.


Fanfic / Fanfiction Strange Love. - Capítulo 7 - Surpresas inacreditáveis.

Capítulo 7 ― Surpresas inacreditáveis.

 

Sexta-feira, 24 de junho, Londres.

 

Os gemidos escandalosos, de alguma garota promíscua entorpeciam os sentidos da morena. Levantou-se do banco do vestiário, não suportando mais aquilo. Tudo o que lhe passava pela mente, é que ás pessoas não compreendiam muito bem que a aula de natação, era para nadar. E certamente, estava correta em tal pensamento. Milene estava parada à frente de seu armário, encostada nos mesmos, olhando para Alisha. A mesma lhe lançou um olhar de desprezo, ignorando os risinhos. Abriu seu armário, e pegou suas vestimentas usuais. Grunhiu quando viu porque, ás vadias a rodeavam. Suas roupas estavam cortadas, ao tamanho que alguma delas usaria. Certamente, seu tempo de paz havia acabado.

Sem ao menos olhar para alguma delas, que riam alto. Ela se trocou no banheiro, a calçada que agora era um short, empinava sua bunda mais que o normal. E a blusa decotada, havia sido cortada pela metade, mostrando sua barriga. “Malditas garotas, malditas!” Xingou-as mentalmente. Saiu do local, caminhando pelo corredor e ignorando, os olhares nada inocentes sobre seu corpo. Se sentia exposta naquelas vestimentas, mas podia sentir o desejo alheio lhe tocar com enorme luxúria envolvida. O sinal havia tocado a pouco, não suportaria voltar e esperar Zayn em algum dos pátios, tirando que teria de sentir os olhares sobre si, ainda teria de ouvir os gemidos de alguma das prostitutas dele.

A cortina da secretária batia sinuosamente contra o vidro, distraindo a garota por algum tempo. Olhou por cima do ombro, vendo que o relógio parecia passar tão lentamente quanto poderia. Os ponteiros passavam pelos números tediosamente, mas mesmo ficar ali parada no ambiente ventoso e gelado, ouvindo histórias tediosas da vice-diretora, era melhor que ouvir gemidos esganiçados. A mulher olhava-a de sobrancelha erguida, esperando alguma reação para alguma pergunta dita na conversa, a qual garota não prestara atenção desde de o princípio e perdera-se no assunto. Alisha sorriu com gentileza, fingindo prestar atenção, e logo a moça prosseguiu. Logo voltou a apoiar seu queixo, sobre seus braços. Estava quase considerando pegar condução, de repente tornara-se uma opção divertida. Sua imaginação fértil não parava de imaginar, quantas posições possíveis eles estavam fazendo, já que não dava a mínima para o que a velha ao seu lado, tagarelava.

Algum tempo depois a mulher se despediu, dizendo que estava atrasada para algum compromisso não identificado pela morena. Ela mal conseguira demonstrar, o quanto estava feliz que a mulher finalmente iria embora e a deixaria em silêncio. Porém, seu silêncio não durou muito. Um moreno caminhava tranquilamente, passando a mão pelos cabelos molhados. Ele sorriu quando se aproximou dela, um de seus sorrisos estonteantes. Passeou os olhos pelo corpo da irmã, e ergueu a sobrancelha direita, curioso.

― Decidiu variar o estilo, maninha? ― Questionou, seu tom irônico era audível, assim como era visível em seu sorriso torto. Alisha lançou sua melhor expressão de desprezo, fazendo-o rir baixo. Sua mão esquerda que estava posicionada nos bolsos, saiu lentamente balançando a chave como um prêmio magnifico.

― Vá se ferrar, Zayn! ― Grunhiu, revirando os olhos. Saiu andando à frente, e pisando fortemente no chão. Alá soubesse o quanto aquele ser humano maldito, era insuportável. Se havia alguém no mundo, que detestava Zayn Malik mais que sua própria vida patética, definitivamente era ela. Nem mesmo, a maior concorrência, vencia. Caminhou a frente do moreno, ainda furiosa. Posicionou-se a frente do BMW, esperando pelo irmão. Havia sido difícil convencer Yaser a liberar que Zayn utilizasse aquele carro, mas Alisha lhe suplicara. E não deixaria de atender um pedido, de sua menina. A ideia de ter de subir no banco de uma moto novamente, lhe era realmente insuportável, assim como o ser que a dirigia. Sua mente adorava a adrenalina causada, mas ela odiava qualquer momento em que estava próxima demais ao corpo quente de Zayn. Olhou para o outro lado do estacionamento, onde havia apenas um carro amarelo. Cerrou os olhos, desacreditada. Georgia entrava em seu carro, sorridente. Mas não antes de acenar para Zayn, sem ser correspondida. A boca de Alisha se escancarou.

― Não é possível. Não consigo acreditar mesmo que você conseguiu transar com a nossa professora de Natação. ― Alisha lembrou-se dos gemidos por um momento, e fez uma careta evidenciando algo que pior que nojo, repulsa. Zayn se aproximou lentamente, rindo baixo da reação da irmã. Os garotos do terceiro ano sonhavam com uma “rapidinha” com a mulher, desde sempre. Os hormônios adolescentes dos seres humanos daquela escola, claramente não estavam extremamente aflorados. Eles nem conseguiam fingir, estavam sempre babando por ela, nas aulas.

― Até que ela é gostosa. ― Disse, simplesmente. Passou a mão pelos cabelos de novo, estavam totalmente bagunçados. Alisha o olhou incrédula, de que realmente o ouvira dizendo aquilo. Quando todos os meninos queriam um pedacinho, tudo o que ele era capaz de dizer, era aquilo. Realmente, era um grande idiota. A mulher tinha trinta e três anos, mas era linda e tinha um corpo escultural. Daqueles que qualquer garota quer, daqueles que te dá mesmo vontade de ir à academia. Mal sabia Alisha, que o único motivo de ele ter feito aquilo, era para esquecer os sonhos inoportunos com ela.

― Você é um cretino! Um cretino nojento! ― Grunhiu, e a expressão de repulsa, passou por cima face uma segunda vez. Sua reação conhecida originou risos altos do moreno que se encontrava a sua frente. Não podia negar que Zayn era bonito, mas jamais imaginaria que ele seria capaz de algo como aquilo. Desviou o olhar dele por um momento, não queria transparecer sua surpresa, com aquele fato. Tudo o que menos precisava, era ele murmurando autoelogios, daquele seu jeito convencido, todo o caminho até a casa de ambos.

― Seus adjetivos qualificativos quanto a mim, são sempre surpreendentes. Sabia? ― Aproximou-se lentamente, Alisha o olhou atordoada. Riu baixo, vendo sua expressão. Era divertido, deixa-la perder seu autocontrole. E por alguns minutos, ver ela de guarda-baixa. Porém, em seu interior, não se tratava apenas disso, e sim, do fato de que desde o sonho, queria muito tocá-la. Aquela parecia a maior loucura que poderia cometer, mas não importava. E vê-la com aquelas roupas, só atiçou sua mente ainda mais, em concretizar a insanidade que imaginava. Zayn prensou o corpo da garota contra o capô do carro, deixando a sentada ali.

A mente de Alisha viajava por inúmeros planos de fuga, mas seu corpo não reagia a nenhum deles. Pois, ela não admitia, mas a muito esperava por algum novo contato físico. A mão escorregadia e ágil de Zayn, resvalou dos braços trêmulos da irmã para a cintura fina. Ele utilizou de sua força, e do corpo sem reação da garota a sua frente, e colando seu corpo mais ao dela. Seu membro se agitou em sua calça jeans, decidiu ignorar o mesmo e se concentrar nela.

― Mas saiba também, que ainda prefiro você. ― Um sorriso torto surgiu nos lábios da garota, ela ergueu a sobrancelha em um primeiro movimento. Seu corpo estático, formigava. Não apenas pelo contato físico excessivo, mas pela provocação transbordada de malícia. A mão esquerda de situou em uma das coxas da garota, ela não aguentava mais aquilo, mas seu corpo não reagia como ela queria. Aquilo á deixava, especialmente, irritada. Provavelmente, o que acontecia fazia parte de um maldito jogo de sedução de Zayn. Ele só podia ser doente, ela era sua irmã. Em um último impulso de sanidade, que ela encontrara em algum lugar de sua mente, empurrara ele com força. Surpreso, ele deu licença a ela.

Um tapa estalado bateu contra sua bochecha, fazendo-o rir alto. Passeou a mão pelo local avermelhado, e decidiu que seria melhor não comentar o ocorrido. Ele havia merecido aquilo, mas jamais admitiria. Entrou no carro, ligando o mesmo e dando partida. Alisha não dera nenhuma palavra o percurso inteiro, e tão pouco ele o faria. Os dois eram orgulhosos, afinal tinham o mesmo sangue. Defeitos parecidos, a única coisa que não lhes ocorria, eram quais eram estes. Ora ou outra, acabariam descobrindo.

 

 

 

Alisha observava os pássaros baterem em retirada, por sua janela. Já com sua roupa usual, havia jogado aquelas outras no lixo. Ainda xingava as garotas, adorava aquela blusa. Agora sorria, era o seu horário favorito do dia, não havia nada que gostasse mais que o pôr-do-sol. Talvez, arco-íris, que em sua mentalidade eram quase mágicos. Olhou para a cama, observando o Notebook por um instante. Pensou que seria interessante, fazer uma maratona de séries. Era uma belíssima sexta-feira, seu dia especial de não fazer absolutamente nada. Enquanto Waliyha saía para encontrar algum namorado, Zayn para uma festa e seus pais costumavam jantar fora, e ela ficava em casa. Eles até a convidavam, mas ela preferia mesmo ficar sozinha. Ouviu alguém chama-la no andar de baixo, e revirou os olhos. Saiu de seu quarto, sendo acompanhada por Zayn que caminhava tranquilamente ao seu lado.

Ouviram quando Trisha resmungou algo baixo, parecia relutante á aquilo que lhe fora proposto. Imaginar deixar seus dois filhos, sozinhos por duas semanas completas, lhe afligia. Temia o que poderiam pensar dela, agradar uns e destratar outros. Jamais faria aquilo. Um sorriso gentil apareceu em seus lábios, quando seus dois amados filhos se aproximaram. Ela os abraçou carinhosamente, e pediu os mesmos sentassem no sofá. Ela foi a passos lentos, até o estofado, respirando algumas vezes. Na tentativa, de se acalmar, sem sucesso.

― Esta semana chegou a admissão de Waliyha para um curso, qualificativo para a faculdade. Estou extasiada, porém, é nos Estados Unidos. A América ainda me amedronta um pouco, então nas duas primeiras semanas, eu e seu pai ficaremos por lá. Conheceremos o apartamento, e a vizinhança. Apenas para que eu me acalme, em relação à essa viagem. Segundo Waliyha, só estou sendo protetora demais, como sempre. Entretanto, acho benéfico ter conhecimento de tudo aquilo. ― A mulher despejou, rapidamente. Algumas palavras se perdendo em meio à frase, e deixando os adolescentes à sua frente, levemente confusos. Temia que se permanecesse calma, como de costume, não finalizaria nada. Seu nervosismo estava especialmente, aflorado, naquele dia. ― Considero desnecessário, a ida de vocês, então se despeçam de sua irmã agora á noite, pois ficaram aqui. Deixarei dinheiro suficiente para a compra diária na padaria. E talvez um pouco mais, caso haja alguma urgência.

― Eu também fico extasiada que ela tenha conseguido o curso. Ela merece um futuro brilhante, e com este curso tudo será mais fácil. ― Alisha sorriu alegre, passando a mão no braço da mãe, em reconforto. Não gostava de ver a mulher, tão nervosa. Com o gesto, viu um sorriso aliviado nos lábios da mulher, com a aceitação dos fatos. Notando que era, bobagem se preocupar com Alisha. Ela era uma menina de ouro, tinha sorte em ter uma filha tão maravilhosa. Mesmo com a notável felicidade de Alisha, pela irmã mais nova conseguir o tal curso, no fundo ela tinha certo pesar. Era sua chance de viajar para o local, ela quem havia comentado com Waliyha em primeira mão. Aquilo chegava a ser completamente injusto, mas jamais demonstraria a decepção que seu coração, transbordava. Era sempre fácil, ignorar seus reais sentimentos. Viu quando o seu irmão levantou, para abraçar a mãe.

― Você sabe bem que eu trabalho com regras. Então aqui vão minhas recomendações. Quero que vá com Alisha, duas vezes ao mercado, uma vez por semana. Quanto ao que iram comprar, decidam entre vocês. O cartão de crédito do seu pai, ficará ao lado do pote de dinheiro. Juízo com ele, entenderam? ― Assentiram, sorridentes. A ideia de escolher suas refeições, animou-os. Um olhar cúmplice houve entre eles, com certeza teria lasanha e pizza. ― Outra coisa, quero que a Alisha não saia após ás sete da noite, estou longe, mas os vizinhos ainda estão aqui. Sabe como eles falam. Também não quero, nenhum estranho aqui dentro de casa. Caso seu irmão precise sair, convide Louise para ficar com você. Nenhuma outra, entendeu? ― A morena assentiu, sorrindo. E logo depois revirou os olhos com ás recomendações, o irmão riu baixo do gesto. Sabia que ela era mais responsável, que todos daquela família, mas não perderia a oportunidade de ter ela sob seu comando. A mulher virou-se sorridente, para Alisha. ― Terceira e última regra, pretendo te ligar diariamente, por volta de vinte e duas horas. Ainda terei de me acostumar com o fuso-horário, então ignore se não exatamente no horário marcado. ― A morena assentiu pela quarta vez, naquela noite. Se aconchegou nos braços da mãe, que retribuiu o abraço. ― Venha filho, junte-se a nós. ― Os braços quentes e macios, de repente entraram no círculo também. Alisha se arrepiou, ao sentir aquela pele novamente, tocando-a. Seriam quatorze longos dias. ― O avião sai durante a madrugada, então não nos veremos amanhã. Boa noite para vocês, meus amores. Nos vemos em duas semanas. ― Sorriram simultaneamente, recebendo beijos suaves em suas testas. E logo subiram, para despedirem-se de Waliyha. Quando entravam no quarto, viu que Zayn olhava-a sorrindo. Um arrepio correu por sua espinha, mas dessa vez era ansiedade.

 

Continua? ? ?


Notas Finais


Hm, o que nos espera nessas duas semanas? Ansiosos, como a Ali?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...