História Strange love - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Block B, Got7
Personagens Jaehyo, Yugyeom
Visualizações 12
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem pela demora :p

Capítulo 10 - Protegida


Fanfic / Fanfiction Strange love - Capítulo 10 - Protegida

Clarie on

Jaehyo caminhou ao meu lado até ao portão da escola sem proferir uma única palavra, os seus olhos estavam fixos no chão e com uma expressão indecifrável.
-Podes dizer-me o que estás a pensar? Já sabes que não suporto não saber o que te vai na cabeça.- disse eu quebrando o silencio.
Ele levantou o rosto e sorriu-me daquele um modo desajeitado que eu tanto gosto.
-Está tudo bem…estava a pensar que talvez não devêssemos ir para minha casa, vamos a outro sítio.
-Claro…eu vou onde tu quiseres.
-Eu sei que tu me segues para onde eu for, afinal quem não seguiria sou perfeito.- ele elevou um pouco o rosto e a voz quando disse isto.
-E humilde também.- disse eu ironicamente.
Ele não respondeu agarrou na minha mão e começou a correr que nem um louco enquanto me arrastava com ele.
-Espera, as minhas pernas não são tão grandes como as tuas…não consigo correr tão rápido assim.-disse-lhe eu.
Continuava sem responder e eu sem saber para onde ele me levava, quando finalmente chegámos parámos á porta de um cemitério, eu mordi o lábio enquanto encarava o chão…realmente nunca saberia o que esperar de Jaehyo.
Entrámos devagar e parámos em frente a uma campa recente, esta tinha uma fotografia de um homem, bastante parecido a Jae, apesar de ser mais velho.
-É o meu avô…ele cuidou de mim durante muitos anos e deixou-me a casa, ele era a única pessoa que eu tinha mas morreu com um ataque de coração, depois disso o meu namorado deixou-me e fiquei completamente sozinho, até tu apareceres na minha vida…bem até eu te chamar para ela.
-Eu…não sei o que dizer…lamento muito, a sério.- encarei Jae, ele tinha lágrimas nos olhos e esboçava um sorriso magoado enquanto olhava para a campa.
-Não preciso que digas nada apenas que estejas ao meu lado e que não me deixes…acho que não vou aguentar ficar sozinho de novo.- ele olhou para mim com os olhos inundados de ternura.- Não entendo…
-O quê?- perguntei confusa.
-A nossa relação…nunca me senti assim…quando te conheci sabia que havia algo de errado contigo e hoje…bem hoje soube o que era.
-Não estou a entender o que estamos a falar.
-Não preciso que me entendas…preciso que me ames tal e qual como sou.
Ele pegou no meu rosto com ambas as mãos e aproximou-se lentamente da minha face, os seus olhos estavam abertos enquanto ele analisava os meus lábios de uma forma intensa, de maneira a prolongar o momento antes do beijo, que muitas das vezes ainda é melhor do que o próprio contacto. É um momento mágico, de uma maneira que nem por palavras ou pensamentos sou capaz de explicar.
Finalmente os seus lábios tocaram nos meus de uma maneira doce, enquanto as lágrimas que escorriam na sua face molhavam os nossos lábios e salgavam o interior das nossas bocas. 
Todas as minhas preocupações morreram nos seus lábios, até a maior delas todas…o Kim.
Assim que nos afastamos vimos pessoas a olharem fixamente para nós…provavelmente pensavam que era falta de respeito o que acabamos de fazer, mas não sabem a quantidade de sentimentos envolvidos neste pequeno beijo.
Jaehyo entrelaçou os seus dedos aos meus e sorriu-me antes de irmos embora.


Clarie off


Yugyeom on


Foi estranho para mim ver a Clarie tanto tempo depois, vim aqui para pedir desculpas a Jaehyo, não que eu quisesse voltar para ele de alguma forma, apenas não queria deixar as coisas como estavam.
Ainda sinto algo por ele mas o que sinto por ela é inatingível, eu amo-a sem sombra de dúvidas e sinto que ela me ama de alguma forma mas ama-o mais a ele, pelo menos neste momento.
Pertenço ao passado de Clarie uma época que ela simplesmente apagou da memória…tal como apagou todos os momentos que passamos juntos.
Ela mudou e bastante…mas eu continuo aqui, exactamente o mesmo, com os mesmos sentimentos por ela, ainda sou o seu melhor amigo e ela ainda é a minha pequena.


Yugyeom off


Clarie on


-Vem jantar a minha casa hoje Jae…porfavor…por mim.- pedi eu enquanto fazia beicinho.
Encontrávamo-nos sentados num banco de jardim a comer um gelado. Ele olhou para o gelado dele e logo de seguida passou-o pelo meu nariz sujando-me.
-Eu vou, mas só porque a comida da tua mãe é maravilhosa…porque tu és louca, não me podes ver ao lado de uma cama que já queres que eu quebre a promessa que fiz.
Eu limpei o nariz com o dedo passando-o pela boca logo de seguida.
-Eu amo-te criatura irritante.- disse eu com um sorriso infantil nos lábios.
-Vamos antes que eu tenha que me chatear contigo.
-Porque te haverias de chatear comigo?
-Porque és adorável parvinha.
Bocejei involuntariamente e esfreguei os olhos logo de seguida.
-Vem para as minhas cavalitas, não vou deixar que andes com sono enquanto caminhas…podes cair e magoar-te.- ele abriu os olhos de uma forma preocupada enquanto falava comigo.


 Clarie off


Jaehyo on


Ela obedeceu-me e deixou que eu a carregasse até casa, falámos durante uma pequena parte do caminho até que ela se deixou dormir, senti a sua face junto ao meus pescoço juntamente com a sua respiração quente e regular. Estava com um verdadeiro anjinho às costas.
Á um tempo atrás teria ficado irritado por ter que levar alguém às cavalitas, mas com ela é diferente, tenho necessidade de a proteger, sinto que ela se pode partir a qualquer momento como uma pequena boneca de vidro, por isso todos as vezes que eu lhe toco tenho bastante cuidado, ela é simplesmente especial.
Quando chegámos deitei-a na sua cama e fui ajudar a sua mãe a fazer o jantar e a preparar a mesa.
A Clarie acordou bastante confusa com tudo o que se estava a passar, jantou com uma cara de sono e quase não falou durante esse tempo.
Reparei também que estava com dificuldade em andar direito portanto assim que acabamos de comer levei-a ao colo até á cama.


Jaehyo off


Clarie on


Jaehyo sentou-me com cuidado na cama e começou a mexer no meu armário, tirou de lá o saco das compras que eu tinha feito no dia anterior…se tivesse forças teria me levantado e tirado aquilo das mãos dele.
Ele retirou um sutiã preto e logo de seguida olhou para o talão.
-Compraste isto ontem. Pergunto-me porquê.- ele semicerrou os olhos na minha direcção.- Tu sabias que íamos para minha casa…queres que eu perca todo o controle que tenho.
-Parece que esse controle simplesmente não acaba…agora larga isso e vem aconchegar-me.-Disse enquanto fazia um esforço para manter os olhos abertos.
Ele procurou algo dentro do armário e tirou de lá uma camisa de dormir com ursinhos, aproximou-se de mim e começou a despir-me com cuidado. Não consegui prestar atenção ao que ele estava a fazer…a minha cabeça apenas pensava na minha almofada e em uma boa noite de sono.
-Dormes de sutiã?- perguntou ele.
-Não.
Abri os olhos enquanto ele abria o fecho da minha peça íntima…sorriu assim que me viu nua mas vestiu-me a camisa logo de seguida, ajudando-me a deitar, tapou-me cuidadosamente e despiu-se logo a seguir ficando apenas de boxers.
-Que estás a fazer?- perguntei eu.
-A tua mãe disse que podia dormir aqui hoje…e é o que vou fazer.
Deitou-se a meu lado e puxou-me para o seu peito, a sua pele estava quente, depressa a temperatura do meu corpo ajustou-se á dele.
Sentia os seus lábios no meu rosto e os seus dedos a fazerem desenhos invisíveis nos meus braços enquanto ele cantava uma canção de embalar.
-Não sabia que sabias cantar Jae, amanha canta para mim de novo porque não me vou lembrar do que se passou agora.
-Eu canto meu amor, não te preocupes, agora dome e descansa…eu protejo-te durante a noite para que nada de mal aconteça contigo.
-A única pessoa que me podia fazer mal eras tu.
-Estás demasiado cansada para isso…noutro dia.
Estas foram as últimas palavras que ouvi da sua boca, logo de seguida adormeci nos seus braços onde me senti a pessoa mais protegida do mundo.

 


Notas Finais


Desculpem qualquer erro :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...