História Stranger Dreams (Camren) - Capítulo 57


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Justin Bieber, Lauren Jauregui
Exibições 725
Palavras 2.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 57 - Dear Emma



P.O.V Camila
 Depois de horas deitada na cama sem pregar os olhos, eu acabei levantando para me arrumar, vi meu pai preparando o café e pela suas olheiras ele também não dormiu muito bem. Fui direto pro banheiro e tomei um banho quente, isso acabou me despertando um pouco, apesar de estar acordada é como se a minha mente estivesse em outro lugar. Quando fechei o chuveiro eu ouvi meu pai e a Lauren conversando lá embaixo, ela chegou. 
 Me enrolei na toalha e fui para o quarto. Peguei o celular no criado mudo e derrubei um quadro. Quando o peguei, era uma foto minha com Emma, tínhamos 12 anos quando minha mãe tirou. O vidro de proteção havia rachado exatamente entre nós duas.
- Eu prometo não esquecer de você, não abandonar você. -Disse em voz alta. Se Emma puder me ouvir de onde quer que esteja, sei que vai dizer o mesmo.
As lágrimas começaram a cair sobre a foto e os soluços começaram. Andei de um lado para o outro desesperadamente. Minha melhor amiga morreu e a ficha está caindo agora. O Sonho já não saía mais da minha cabeça. Eu devia ter lembrado, tive mil chances de lembrar e estava ocupada demais pensando em mim mesma. 
Esbarrei de propósito a mão em minha penteadeira levando para o chão tudo o que havia em cima, mas o barulho das coisas de vidro se quebrando ao chão como quando o lustre caiu só piorou as coisas. Eu não quero mais sonhar, não quero mais escolher.
- EMMA! -Gritei de olhos fechados. -Deixa eu salvar você, me deixa eu sonhar. -Continuei de olhos fechados na esperança de dormir e reverter tudo isso, mas nada aconteceu.
Lauren e meu pai entraram no quarto e Lauren correu para me abraçar enquanto tentava me acalmar. Naquele momento a única coisa que me acalmou foi olhar em seus olhos e sentir o seu abraço, sua presença.
- Eu tô aqui, amor. Isso vai passar. -Lauren disse sem nem se dar conta do que me chamou. Apoiou o queixo em minha cabeça e me abraçou mais forte. Meu pai se ajoelhou nos abraçou, mas eu não conseguia parar de chorar.
 Depois de me acalmar meu pai saiu do quarto e nos esperou no carro. Lauren me ajudou a vestir um vestido preto e um casaco bege que ia até um pouco acima da minha canela. Pegamos os guarda chuvas e antes de descer as escadas Lauren me abraçou forte e me deu um selinho demorado.
- Eu vou cuidar de você, eu prometo. -Ela disse beijando minha testa.
...
 Chegamos no cemitério onde seria o funeral e vi Logan chorando desesperadamente nos braços de Niall. Luke estava na calçada com as mãos na cabeça gritando por Emma enquanto seus amigos batiam o confortavam da forma que podiam. Saí do carro antes de Lauren e meu pai e corri até Logan para abraça-lo, mas ele se afastou e levou Niall junto com ele. Ele estava tão arrasado quanto eu. Parei na frente de Luke e o puxei pela mão para abraça-lo. Suas lágrimas caiam em meu ombro sem parar enquanto ele segurava a pulseira que ficara na mão de Emma quando ela morreu.
Lauren apareceu atrás de mim e Luke saltou em seus braços como fez comigo. Não sabia que ele gostava tanto da Emma. Meu pai me abraçou de lado e nos avisou sobre o funeral, então entramos no cemitério e fomos até as cadeiras onde estava o caixão e memorial de Emma. Harry olhava o caixão sem reação, os outros amigos de Emma também. Justin estava sentado no canto apenas olhando a todos com uma expressão de revolta estampada em seu rosto. As lágrimas caiam, mas nada era dito.
 O clima daquele lugar me despedaçava a cada soluço. Fui até o caixão para ver pela última vez minha melhor amiga, mas apenas seu rosto estava á mostra. Comecei a chorar e a soluçar novamente, eu queria toca-la, abraçar e dizer o quanto sentiria sua falta, mas um vidro nos impedia. Emma estava machucada demais para ser exposta por inteiro e isso me quebrava.
Ajoelhei sobre o caixão e apoiei os braços no mesmo encostando a cabeça na madeira fosca.
- Me desculpa, Emma. Me desculpa... -Dizia em meio a soluços.
Ver todos chorando e gritando por ela era como queimar aos poucos em uma casa incendiada. Pensar que eu poderia ter evitado isso me faz querer estar no lugar de Emma, ela não merecia estar envolvida nisso.
Os pais de Emma pediram para que todos se sentassem, sentei ao lado de Lauren e meu pai e segurei a mão dos dois enquanto soluçava de olhos fechados. Poderiam pensar que eu estava orando, mas estava gritando em silêncio por Emma. 
Jacqueline, a mãe de Emma, havia me chamado para dizer as últimas palavras. Como se o único momento de dizer adeus fosse ali, algo tão ignorante de se pensar.
Me levantei e Lauren beijou minha mão. Caminhei até um pequeno palco que haviam montado e então peguei o microfone. Fiquei de frente para Emma e para todos que estavam ali. Não escrevi um elogio fúnebre para Emma, o que tiver de ser dito não será no papel.
- Queria dizer a vocês que as coisas vão voltar a ser como antes, que iriam acordar e ver que era tudo um sonho, mas não posso. Um amigo me ensinou sobre uma teoria chamada Teoria do caos, que diz que uma pequenina mudança no início de um evento qualquer pode trazer consequências enormes e absolutamente desconhecidas no futuro. Emma injustamente foi a vítima dessa mudança que nunca saberemos qual foi. -Comprimi os lábios evitando soluçar. 
- Foi extremamente doloroso acordar sabendo que se eu te ligasse, não retornaria. Sua última mensagem foi ‘’Hoje será um dia que entrará para a história dos aniversários históricos. ’’, e eu respondi que de fato seria, mas eu sei que não receberei uma resposta depois disso. E não importa quantas ligações eu faça em seu celular, não irei ouvir a sua voz dizendo ‘’Se não é a minha nerd favorita!". Me desculpe por estar chorando por você agora, meu novo anjo, sei que não iria gostar de me ver chorar, mas é inevitável. Sei que preferia que eu desse risada por terem passado o batom errado em seus lábios ou a sombra errada... Sei que preferia estar ao meu lado me abraçando forte e contando sobre as palhaçadas e novas reformas de seu quarto. Sei que o seu lugar não era dentro de um caixão. Tentei alcança-la o mais rápido possível, mas eu cheguei e você... você já havia ido embora. Me desculpe pela demora, por não ter dado um último passo para que não te deixasse partir. Se eu pudesse voltar no tempo não estaríamos aqui agora. Aqueles cristais caíram sobre você, mas eu os senti sobre mim. -Olhei para o céu e as nuvens se fecharam trazendo consigo a chuva. Caminhei até o caixão e então sentei no degrau do palco ao seu lado com o braço apoiado no caixão. - Onde você está agora, amiga? Está com medo? Me procure se estiver sozinha, eu te ajudo a encontrar o caminho certo onde quer que esteja. Não tenha medo, sei que é forte e corajosa. Você foi ‘’a melhor amiga que tive em toda a história das melhores amigas’’, como dizia você. Nunca vou esquecer da forma como você sorria, da forma como sempre acabávamos dizendo algo juntas, ao mesmo tempo. -Sorri ao lembrar. - Você é um anjinho agora, ou melhor: uma fada. -Pude ver alguns sorrindo. - E está sempre, sempre e sempre em meu coração. Eu prometo tentar parar de chorar se você me prometer que ficará bem aí. Você estando bem eu fico bem, amiga. Eu amo você. Descanse em paz. -Quando terminei de falar me vi chorar como um bebê, levantei e então depositei um beijo no rosto de Emma através do vidro.
 Todos se levantaram e bateram palmas, menos Logan. Saí do palco e os pais de Emma correram para me abraçar.
- Você significou tudo na vida de Emma. -Seu pai disse e depositou um beijo em minha testa. Sua esposa fez o mesmo e então corri para abraçar Lauren e meu pai.
- Aposto que Emma adorou ouvir tudo isso. -Lauren sussurrou em meu ouvido e beijou meu rosto. 
- Esse elogio horroroso? Emma deve ter tampado os ouvidos! -Meu pai brincou nos fazendo rir depois de um dia sem que isso acontecesse.
- Acho que está na hora de confortar Logan. Ele está perdido. -Lauren disse enquanto limpava as lágrimas em meu rosto.
 Concordei com a cabeça e Lauren disse que iria falar com Harry, depositei um selinho em seus lábios e disse ao meu pai que me esperasse no carro.
Caminhei até Niall e ele me abraçou dizendo que Emma de fato sorriu ao ouvir tudo aquilo. Fui até Logan e ele imediatamente parou de chorar. Como se toda dor tivesse ido embora. Levantou a cabeça, limpou o rosto e me olhou seriamente.
- Está feliz? -Logan disse me encarando sem mexer um músculo. 
- Por que estaria? -Respondi.
- Você matou a Emma. Parabéns, Camila Cabello, ganhou o seu dia. -Logan bateu palmas e começou a andar por entre os túmulos.
- Logan, espera. -Segurei em seu ombro para detê-lo.
- TIRE SUAS MÃOS DE MIM. -Logan se virou assim que o toquei e me empurrou fazendo com que eu esbarrasse em Niall.
- Você teve vários sonhos, sua vadia imunda. Teve a chance de escolher salvá-la em cada um deles. -Logan disse apontando o dedo em minha cara enquanto vinha para cima de mim. - Mas não o fez. -Ele riu ironicamente balançando a cabeça negativamente.
- Eu não pude escolher coisa alguma, Logan. Eu nem mesmo sabia que era Emma debaixo dos cristais! -Disse ao me encostar em uma lápide. Já não havia mais para onde ir e Niall estava paralisado. -Eu não a matei. A morte é inevitável. Ninguém merece morrer e Emma não mereceu, mas não pode me culpar por isso. -Disse por fim.
- Lauren merecia viver mais que Emma? Quando ouviu sobre os cristais correu para salvá-la, mas não pensou que os cristais seriam dados de presente para Emma, pensou? Eu acho que não. E sabe por quê? Você estava preocupada demais com a possibilidade de Lauren ser a sua vítima. -Naquele momento Niall entrou no meio de Logan e eu e colocou a mão sobre o rosto de Logan. Como se Niall fosse sua única forma de voltar para realidade, os olhos de Logan se encheram de lágrimas ao olhar para ele.
- Ela matou a Emma, Niall. -Ele disse apontando para mim por cima dos ombros de Niall.
- Cara, nunca imaginaríamos que fosse Emma, você também ajudou a ir atrás de Lauren e viu quando Camila deduziu que era Emma que seria... que estaria debaixo do lustre. -Niall disse e em seguida engoliu seco.
- Espero que guarde essa lembrança com você, Camila. Você é uma assassina. -Logan finalizou, segurou a mão de Niall e saiu andando.
- EU NÃO SOU UMA ASSASSINA! -Gritei sem pensar nas pessoas que ouviriam.
- CALA A PORRA DA BOCA, SUA IMUNDA! -Logan empurrou Niall e correu até mim com a mão levantada para me bater quando Niall o segurou e Lauren apareceu o empurrando.
- QUE MERDA ESTÁ ACONTECENDO AQUI? -Lauren gritou me puxando para os seus braços. 
- Desculpa, Lauren. Logan não consegue aceitar. -Niall disse completamente assustado e constrangido.
- Conta pra ela, Camila. -Logan disse e então saiu com Niall.
- Contar o quê? -Lauren me olhou confusa. 
- Eu não sei. -Respondi. -Me tira daqui. -Finalizei. 
 Depois do enterro de Emma meu pai insistiu para que eu voltasse para casa para ficar mais uns dias com ele, estava preocupado o suficiente para corrigir até minha forma de andar por conta do pé enfaixado. Mas eu prometi que no próximo fim de semana ficaria com ele e que ficaria bem. Dei um último abraço de urso e esperei que ele fosse embora para então ir embora com Lauren. Me despedi de todos e fomos para o carro. 
Seguimos a viagem de volta para o campus em silêncio, exceto pelas vezes em que Lauren me confortava e xingava as atitudes de Logan. Deitei a cabeça em seu colo e ela me cobriu com sua jaqueta. Fiquei deitada em seu colo até chegarmos no campus. Lauren insistiu que eu fosse deitar, mas tínhamos que guardar as coisas de Emma para entregar para os seus pais. Fomos ao quarto dela e dei um passo para trás ao olhar ao redor. O cheiro do perfume de Emma pairava pelo ar e estava tudo como ela havia deixado.
Organizei tudo com Lauren mesmo chorando. Fiquei com alguns acessórios, fotos e objetos de Emma. Também levei uma blusa que havia o seu cheiro, sempre tão doce. Colocamos as coisas que levaríamos para os seus pais em caixas de papelão e caixas organizadoras. Já estava anoitecendo quando terminamos. Deixamos as caixas empilhadas em seu quarto para que viessem pegar no dia seguinte, saí de seu quarto e antes de fechar a porta olhei pela última vez. O quarto cheio de coisas fofas, cheio de Emma, estava vazio. Não havia nada nas paredes ou cortinas nas janelas. Fechei os olhos e as lágrimas caíram, limpei antes que Lauren as visse novamente. Acho que já me viu chorar o bastante.
- Passa a noite comigo, vou cuidar de você. -Lauren disse fechando a porta e levando para o seu quarto. 
 Chegando lá ela trancou a porta e fechou as cortinas deixando apenas o abajur ligado. Me puxou para perto e me beijou calmamente, sem intensidade, apenas um beijo calmo e acolhedor. Seus dedos acariciavam meu rosto enquanto eu fazia o mesmo, finalizamos o beijo e Lauren me abraçou forte com os dedos enterrados em meu cabelo. 
- Eu estou aqui. Eu amo você. -Lauren.
 


Notas Finais


Vocês estão bem desabados com a morte da Emma... eu sentiria pena se não fosse uma John Green da vida (sim, eu escrevi a morte da Emma). Mentira, eu fiquei triste também.
Acham que Emma seria útil se continuasse viva ou não fez diferença ela morrer?
-S


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...