História Stranger Things - Stay Together - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Chefe Jim Hopper, Dr. Martin Brenner, Dustin Henderson, Eleven (Onze), Jonathan Byers, Joyce Byers, Karen Wheeler, Lucas Sinclair, Mike Wheeler, Nancy Wheeler, Personagens Originais, Steve Harrington, Will Byers
Tags Stranger Things
Visualizações 69
Palavras 1.499
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 30 - O caos. Parte 1


Hopper isolou a área do corredor principal diante do almoxarifado trancando as portas que dariam para a entrada principal. Hopper tinha em mente conseguir tranquilizar todos os pacientes infectados. Ele e Powell estavam segurando armas com dardos com o mais forte anestésico geral encontrado naquele hospital. Alice estava próxima a porta do Almoxarifado, Powell estava tremendo de medo e Hopper suando frio. Alice contou até três e se preparou para abrir a porta, sua mão trêmula se aproximou da maçaneta e a girou devagar, Sua respiração pesada entregou seu medo inato.

   Ela abriu a porta de uma vez e saiu da frente se escondendo atrás da mesma. Não houve movimento algum, ninguém saiu, só se ouviam os sons estranhos que para Hopper parecia com o Demogorgon.

- Acho que dormiram...

    Powell se viu enganado pela própria opinião quando um dos pacientes saiu gritando como um louco raivoso. Sua pele estava criando escamas estranhas além das veias negras, seus olhos virados e sua gengiva mais vermelha que o normal. Hopper não hesitou em atirar contra aquele homem que outrora fora o funcionário de uma loja de videocassetes. O dardo era tão certeiro e o efeito do anestésico era tão forte que o homem caiu em instantes. Logo, mais deles começaram a sair, todos berrando raivosos.

- POWELL ATIRE. - Hopper ordenou.

    Mesmo trêmulo,  Powell conseguiu atirar contra os infectados que caíam enquanto Hopper e ele caminhavam devagar. Mas em dado momento, as munições de anestésicos acabaram e ainda faltavam dois infectados para serem tranquilizados. Hopper, corajoso, largou sua arma, mas Powell não fez o mesmo, talvez porque não tivesse a mesma coragem do grande xerife Jim Hopper.

    Os dois infectados partiram ao ataque, um deles, pela direita, tomou um soco tão forte advindo de Jim Hopper que ele caiu no chão desmaiado. O outro bateu em Powell o jogando para trás. O oficial se defendeu com sua arma, enquanto a criatura berrava bem na cara dele. Powell fazia toda força para se manter em pé, foi graças a Jim Hopper que ele não morreu.

    Hopper desferiu um soco com a lateral da mão e jogou o rapaz contra a parede, O rapaz bateu e Hopper o segurou pelo pescoço o erguendo do chão. Aquele rapaz, que aparentava ter seus 19 anos, fez com que seus olhos voltassem ao normal, Sua pele estava cheia de veias negras e sua gengiva muito vermelha.

- Conheço você. - Sua voz era um pouco rouca. - Jim Hopper. - Quase soletrou o nome.
- Como sabe? QUEM É VOCÊ?
- Ele vai dominar esse mundo, sim ele vai.
- Quem? QUEM? - Hopper apertava mais o pescoço do rapaz.
- Você sabe Hopper. A sua querida Onze sabe muito bem.
- Como conhece a Onze?
- Ele vai matar ela.

    O rapaz soltou um gargalhada rouca e isso irritou Hopper de verdade que deu-lhe um soco tão forte que fez o rapaz desmaiar. Hopper o largou no chão.

- O que está acontecendo? - Perguntou Powell assustado com as mãos apoiadas no joelho.
- Algo muito ruim. - Disse Hopper olhando para todos aquelas pessoas com marcas negras pelo corpo.
- Powell... Powell... Você está ? - Chamou o oficial Callahan pelo rádio na camisa de Powell.
- Aqui é o Powell falando, prossiga Callahan.
- Você e o Xerife Hopper precisam vir para o centro da cidade agora, aqui está um caos.

   Hopper toma o rádio das mãos de Powell e diz:

- Callahan, aqui é Jim Hopper, O que está havendo?
- As pessoas que tomaram da água contaminada, elas estão loucas, elas não podem sair no sol, pois começam a queimar como se suas peles estivessem pegando fogo.
- Estamos indo para aí.

     Hopper desligou o rádio e o devolveu para Powell, ele se voltou para Alice que analisava o almoxarifado. Aquela sala estava cheia da gosma verde e lesma para todos os lados.

- Ouça. - Hopper agarra Alice pelo braço. - Você vai queimar tudo nessa sala, ponha todos essas pessoas em salas fortificadas, se houverem solitárias por aqui, melhor ainda. Você entendeu?

    Alice acenou positivamente meio boquiaberta por não entender o que de fato estava acontecendo. Hopper colocou seu chapéu novamente e seguiu para fora do hospital juntamente com Powell. Ao longe, se ouviam os sons das ambulâncias indicando emergências em todos lugares em Hawkins.

    Haviam duas pessoas se debatendo diante do cinema, Ela pareciam estar pegando fogo, pois fumaça saía de seu corpo, do outro lado da rua, perto da loja de armas havia mais outras duas pessoas se debatendo sem parar como se pagassem fogo. Haviam vários dessa mesma maneira espalhados pela cidade. Pessoas que aparentemente perderam total juízo depois de ingerir a água contaminada, mesmo após o alarme da polícia.

- Tem alguma coisa acontecendo na cidade. - Disse Cinco. - As pessoas estão enlouquecendo.
- Deve ser a água. - Sugeriu Dustin. - Ela está contaminando as pessoas e as deixando como...
- Demogorgons. - Disse Mike.
- E o que vamos fazer? - Perguntou Max.
- Eu não sei. - Disse Cinco se sentando.
- Espera aí gente. Quando eu e o Steve estivemos nos túneis, nós identificamos uma espécie de portal direto, algo quase invisível que faz com que as raízes tenham acesso ao nosso mundo.
- Está sugerindo que Onze pode fechar esse portal?
- Sim, ele deve ser bem menor e mais fácil de fechar.
- Onze, você acha que consegue? - Perguntou Cinco.
- Sim. Mas eu preciso descansar um pouco.
- Tudo bem.
- A gente vai preparar umas coisas com o Harold, tipo umas armas para caso precisarmos. - Disse Dustin.

    Hopper chegou rapidamente ao centro de Hawkins onde carros da emergência e seus funcionários sedavam as pessoas que aparentemente se debatiam sem parar. Mais e mais casos surgiam pela cidade de Hawkins e Hopper já não sabia mais o que fazer. As pessoas iam as pressas comprar água nos supermercados da cidade e com medo esvaziavam as prateleiras, Pois não sabiam o que estava acontecendo.

    Mal sabia Hopper que o grupo em sua casa estava montando uma expedição diretamente para o mundo invertido a fim de parar com a epidemia seguindo uma ideia de Mike a risca. Dustin e Harold prepararam com o que acharam vários itens de combate caso Democães ou Democegos viessem atazanar. Tacos de basebol com pregos, ao qual Dustin fez para cada um de seus amigos que não tinham poderes.
   Harold preparou alguns coquetéis molotov com um álcool e garrafas vazias que encontrou no velho casebre. Dustin ainda produziu capacetes feitos de panelas retorcidas,  e pequenos e eficientes escudos feitos de placas redondas de ferros que ele também encontrou.

    Harold e Dustin produziram um verdadeiro arsenal de guerra e distribuíram para o grupo.

- Com toda certeza. - Dustin deu um taco de beisebol e um capacete para Max. - Haverão perigos para onde vamos, então nós temos que permanecer unidos e garantir a proteção de Onze, Cinco e Quatro.
- Temos que ser corajosos. - Disse Mike. - Não é só nossa cidade que está em jogo, mas o nosso mundo.
- O devorador de mentes! - Cinco chama a atenção deles. - Ele sabe que pretendemos parar a expansão do mundo invertido.
- Isso não importa, nós estamos unidos, somos mais fortes que ele, sempre seremos. - Disse Lucas.
- É isso aí!

   Dustin coloca a mão para frente suspensa no ar. Lucas se aproxima e coloca sua mão por cima da de Dustin. Depois Max, Will, Quatro, Cinco, Harold, Mike e Onze.

- Um por todos. - Diz Dustin.
- E todos por um! - Dizem todos ao mesmo tempo.

    Enquanto parte do grupo se prepara para a missão, Mike tenta reconfortar Onze Depois de sua intensa carga emocional expelida.

- Quero que você saiba que estamos juntos. - Disse Mike. - Eu juro que vou te proteger de tudo.
- Jura?  - Onze olha para Mike com olhos um pouco assustados e preocupados.
- Juro. Pode ser um demogorgon ou um soldado, eu irei te defender porque... porque...

    Quais são as palavras? Diga as palavras Mike Wheeler? Diga que você Ama Jane Hopper. Vamos diga.

- Porque eu me importo com você, me importo muito.
- Obrigado Mike.

    Mike meio sem jeito a abraça firmemente, mas as palavras que ele queria dizer ainda estão guardadas, meio entaladas em sua garganta. Talvez outra hora.

- Gente. - Dustin chama os dois. - Está na hora.

    Como não todos não iriam couber no mesmo Ford Maverick, Max arranjou uma camionete de Deus sabe lá onde para auxiliar no transporte, já que ela sabia dirigir tão bem quanto aqueles pilotos de Fórmula 1.

    Mike foi sentado ao lado de Onze e Cinco no banco de trás da camionete de Max. Para evitar que o medo se espalhasse, Mike segurou a mão de Onze firme e a passou um tipo especial de segurança, uma sensação quase interina de paz.

    Seria essa a última missão do grupo?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...