História Strangers. - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais, Riverdale, Teen Wolf
Personagens Alice Cooper: Mãe de Betty, Archibald "Archie" Andrews, Cheryl Blossom, Derek Hale, Elizabeth "Betty" Cooper, Ethan, Forsythe "Jughead" Jones III, Hal Cooper, Isaac Lahey, Jordan Parrish, Laura Hale, Liam Dunbar, Lydia Martin, Marmaduke "Moose" Mason, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Peter Hale, Polly Cooper, Pop Tate, Reginald "Reggie" Mantle, Scott McCall, Treinador Clayton, Veronica Lodge
Visualizações 21
Palavras 1.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 12 - Gang


Fanfic / Fanfiction Strangers. - Capítulo 12 - Gang

Point of View 

Elizabeth Cooper

 

Abri meus olhos lentamente, me espreguicei e fui até o banheiro. Me desfiz de minhas vestes atuais e adentrei a banheira, tomei um banho rápido, afinal na primeiro dia no jornal eu não podia me atrasar. Após o banho, pus um de meus suéter, uma saia e penteei meus cabelos os prendi no habitual e repetido rabo de cavalo, calcei meus sapatos e desci. 

- Bom dia B. - Disse V, toda animada.

- Bom dia. - Respondi friamente, peguei um pão deixado sobre o balcão, mordisquei e coloquei no mesmo lugar. Endireitei minha bolsa e abri a porta dos fundos. - Você vem?

Ela assentiu e nós formos, ela falou o caminho todo, para variar, eu apenas fiquei quieta. Chegamos na escola, nos despedimos e eu percorri os corredores até o jornal. Joguei toda a papelada sobre a escrivaninha, Joguei minha bolsa sobre o sofá e me sentei na cadeira da escrivaninha, e comecei a organizar a papelada.

- Hey, Eliza.. - Reconheci a voz e lógico, pelo feto dele ser a unica pessoa a me chamar de Eliza, sorri ao vê-lo parado na porta. 

- Hey, Stiles. - Ele me devolveu o sorriso, entrando de vez na sala.

- Soube que você tá cuidando do jornal.. E aí, tá curtindo?

- Não é nada novo para mim, então tá tranquilo por enquanto.. - Franzi os lábios, em um sorriso forçado. 

- Tá.. Tudo bem? - Ele franziu o cenho, um pouco confuso.

- Você conhece um tal de Kevin.. Kevin Keller? - Perguntei, enquanto analisava os papéis com a ficha do garoto.

- Acho que sim.. Quer que eu chame? - Assenti e entreguei os papéis a ele, quando ele estava próximo da porta eu o chamei, ele voltou.

- Você.. pode.. chamar o Juggie? - Perguntei, meio tímida, eu sabia que eles dois não se batiam mas eu precisa falar com ele.. 

- Claro que posso. - Ele falou em um tom baixo, mas que dava para escutar. Saiu da sala e eu tornei a esperá-lo.

****

Não demorou muito para Juggie aparecer, colocou sua mochila sobre o sofá observando todo o local.

- Queria falar comigo? - Ele perguntou, ingênuo.

- Eu queria conversar com você.. - Me levantei da cadeira caminhando calmamente até ele. 

- Se for sobre o lance do lago, não quero falar sobre isso agora. - Ele respondeu diretamente, sentando-se, me sentei ao seu lado.

- Na verdade era sobre isso mesmo.. - Resmunguei. Ele revirou os olhos, tedioso. - Mas não agora, talvez depois.. Preciso de ajuda para levantar esse jornal, afinal, depois de tanto tempo sem funcionar você pode imaginar como ele está..

- Por que você precisa da minha ajuda? Você mesma fala "Eu não preciso de ajuda, sei fazer isso sozinha. " - Ele forçou uma voz fina, ironizando meu jeito de falar. Qual é? Eu nem falo assim.

- Eu não falo assim. - Fiz um bico, um pouco chateada. - Mas me fala, você vai me ajudar?

- Minha resposta é sim, senhorita Cooper. - Ele falou irônico, com um regimento militar. 

- Ah, que ótimo! - Juntei minhas mãos, em forma de agradecimento esboçando um sorriso de alivio.

- Talvez a gente precise matar alguém para render notícias no jornal.. - Um sorriso sombrio mas com um pequeno ar de ironia adornava seus lábios.

- Você é psicopata. - Falei ingênua, mas com um pouco de medo.

- Eu prefiro criativo. - Pegou sua bolsa, colocou-a em suas costas e saiu da sala.

Me sentei na cadeira novamente, e fiquei a espera do garoto.

- Mandou me chamar, Eliza?! - O garota adentrou a sala, sentando-se na cadeira, ficando de frente para mim.

- Sim, preciso ter um conversa com você.. - Pensei em fazer pequenos cortes e enrolações mas vi em seu rosto que ele não estava com nenhuma disposição para isso, então fui direta. -  Me conte mais sobre você, aliás, sobre seus dons!

Ele me olhou assutado, abriu e fechou a boca sem palavras. Respirou e inspirou buscando o ar que precisava para continuar a falar. Me contou tudo, desde quando descobriu e como conseguiu aperfeiçoar isso, me contou sobre Beacon Hills, afinal quase todas criaturas e seres sobrenaturais vem de lá. Nós conversarmos bastante, passei meu número para Kevin para nós trocarmos algumas mensagens, ele me pareceu legal.

- Betty! Você vai para ca.. - Ela cessou sua fala enquanto olhava para o garoto, visivelmente assustada.

- Ah, essa é Vêronica. Minha amiga, aquela de quem eu te falei. - O garoto virou de costas, ficado de frente para V que agora me pareceu mais aliviada. - V, esse é o Kevin.

- Prazer Kevin. - Ela sorriu forçadamente e logo voltou a me olhar. - Eu vou indo, te encontro na Pop's ? 

- Não sei se vai rolar hoje, mas qualquer coisa eu te ligo. 

- Tudo bem, até mais. - Ela saiu apressadamente, não dando tempo para eu me despedir. Me sentei novamente, voltando toda minha atenção ao garoto. 

- Meu Deus, essas botas dela são maravilhosas! - Ele exclamou, maravilhado.

- É, maravilhosas. - Sorri, concordando com ele.

Não demoramos muito, ele assinou alguns papeis  dados pela reitora e foi embora. Organizei mais algumas coisas no jornal, peguei minha bolsa e sai, percorri os corredores vazios e sombrios da colégio, chegando aos imensos jardins. 

Peguei o ônibus que ia até o sul, como sempre, foi um pouco demorado chegar ao centro da cidade, o trânsito estava lento de mais. A noite caia quando eu cheguei ao local, adentrei a Pop's e me dirigi até a ultima mesa, ao encontro dos garotos.

- E aí B, muito correria hoje no jornal? - Perguntou V, afastando-se para que eu sentasse ao seu lado.

- Primeiro dia, mas foi bem cansativo. - Resmunguei, jogando meus braços sobre a mesa e encostando minha cabeça.

- Você precisa pegar leve, como eu te disse: "Aqui nunca tem notícias novas". - Comentou Juggie, dando uma mordida em seu hambúrguer.

- Engano o seu. - Revidei ao seu comentário, mostrando-lhe as fichas dos alunos sobrenaturais de RIverdale. - Quanto mais seres sobrenaturais, mas notícias nós teremos. Pelos meus dados nós temos mais sobrenaturais do que Beacon Hills, é como se eles estivessem migrando para cá por um motivo que ninguém conseguiu descobrir até agora.

- Você não veio de Beacon, Jug? - Perguntou Archie. - Você não sabe nos falar o porque disso?

- Stiles não me disse, só falou que nós tínhamos que sair rápido. - Ele respondeu o ruivo. 

- Caçadores! - Pensei alto, fazendo com que todos me olhassem, intrigados.

- Hãn? - V franziu o cenho, confusa. 

- Caçadores! Esse é o motivo de todo esse pessoal migrar de Beacon Hills para cá. - Exclamei, enquanto guardava as folhas dentro da bolsa novamente. 

- Faz um bom tempo que eu não vejo caçadores, pode ser possível mesmo. - Comentou V. - Você não perguntou aquele garoto que estava com você no jornal hoje?

- Que garoto? - Perguntou Juggie, enquanto me olhava com uma expressão da qual eu não consigo explicar.

- Não, mas ele me disse algo sobre alguns ataques a reserva.. - Ignorei a pergunta de Juggie e tentei me lembrar de mais alguma coisa, mas a minha cabeça doía de tanta coisa armazenada. - Sobre balas.. Com alguns projéteis, com um símbolo de uma flor.. - Estalei os dedos, tentando lembrar o nome da flor. - Droga, eu esqueci.

- Flor-de-Lis. - Completou Juggie. - Scott tem um projétil dessa bala.

- Isso! - Exclamei. - Você.. Você não conseguiu sentir algo quando tocou no projétil? - Perguntei, curiosa.

- Medo, receio.. - Ele se esforçou para lembrar de algo. - É como se algo ou alguém pedisse ajuda, como se tivesse assustado.

 - Que tipo de caçador teria medo de lobisomens? - Perguntou Archie, sinuoso.

- Um caçador novo. Alguém inexperiente no assunto.. - Respondi a pergunta do ruivo. - E talvez esse alguém tenha conseguido ajuda de outra pessoa, e o terror começou.

- Mas essa Flor-de-Lis é o símbolo de uma família de caçadores, os Argentes. - Complementou Juggie. - Scott os conhece, talvez ele possa nos ajudar. 

- Precisamos falar com ele, agora mesmo.. - Coloquei minha bolsa nas costas e me levantei. - Alguém topa?

Os três trocaram alguns olhares meio desconfiados, Jug abriu e fechou a boca, como se fosse falar algo mas V o interrompeu. 

- Eu topo! - Levantou-se ficando ao meu lado. 

- Vamos lá.. - Jug levantou-sem ficando ao lado de V. Como Archie não teve escolha, acabou acomodando-se ao lado do moreno. Nós saímos lado a lado, como uma gangue e seguimos rumo a nossa nova aventura. 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...