História Strawberry - AUTHENTICMEMÓRIA - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Marco Tulio "AuthenticGames"
Personagens Cauê Bueno, Marco Tulio "AuthenticGames"
Tags Authenticgames, Authenticmemória, Baixamemoria, Caûe, Famíliacraft, Galudos, Marco Tulio
Exibições 66
Palavras 1.001
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!

Não se esqueçam de ler a notas finais, boa leitura.

Capítulo 1 - One shot


** POV AUTHENTIC **

    Eu sempre senti uma atração pelo Cauê, no início achei que fosse só uma coisa de melhores amigos, ou sei lá, mas depois isso se tornou bem claro na minha cabeça.

   Cauê e eu estávamos ali, conversando no meu quarto, sinceramente eu queria estar fodendo ele naquele momento, mas nem tudo é como a gente quer. Aquele vídeo, no qual eu disse que se chegasse a 200 mil likes, eu daria um selinho no Cauê, bom.. Chegou a incrível marca de 217 mil likes, nós realmente somos shippados.

  - Quando nós vamos gravar o selinho? -Perguntei-
  - Vai ter selinho mesmo?
  - Sim, eu prometi né, e a galera também deu muito like e tal..
  - Ah, bom.. Vamos gravar agora então, nós estamos sozinhos, é até bom não ter platéia..
  - Tá, vamos postar no twitter?
  - Pode ser!
  - Cauê, tem que der uma coisa rápida.
  - Eu sei, sem mimimi, só o selinho e fim! -Então peguei meu celular e comecei a gravar o vídeo-
  - Fala galera, Marco Túlio aqui! E bom galera, vocês conseguiram bater a marca de 200 mil likes naquele vídeo do selinho, então estamos aqui, Cauê e eu pra gravar o selinho! Se você não viu o vídeo, eu vou deixar o link aqui em cima. Mas, Cauê, vamos acabar logo com isso?
  - Vamos! Galera, vocês não tão entendendo! Eu vou ter que beijar o Authentic!
  - Ah, para! Ninguém nunca reclamou do meu beijo.
  - Olha o cara, galera.
  - Vai logo, Cauê!

   E ali estava, meu melhor amigo na minha frente, de olhos fechados fazendo um biquinho.. Algo dentro de mim não conseguiu se controlar, eu não queria dar apenas um selinho no Cauê, e segui meus instintos.

   Não sei porque continuei gravando, mas continuei! Uma mão estava com o celular, e a outra passei por trás de Cauê, trazendo seu corpo para mais perto do meu.

  - Tetê?
  - Shiu..

   Nossos lábios se tocaram pela primeira vez, sua boca era tão suave, tão doce, o beijo dele tinha o sabor da minha fruta preferida.

   Nosso beijo começou lento e foi ficando cada vez mais quente. Era difícil me controlar perto dele, talvez fosse só uma paixão repentina, um beijo sem compromisso, eu não sei, só sei que um fogo dentro de mim clamava por ele.

   Larguei o celular, minhas mãos o abraçavam como um cobertor no inverno, o corpo dele colado ao meu era como uma chama que ficava mais forte a cada segundo que passava.

   Em meio aos beijos, Cauê foi se despindo e eu também, até que estávamos ali, os dois, de cueca se beijando no meio do quarto, meu membro estava começando a ficar ereto. Minha mão deslizava pelo seu corpo, eu adorava cada centímetro dele. 

   Cauê estava com uma box branca, que marcava muito sua bunda, bunda que eu não parava de apertar, fui abaixando sua cueca e lá estavam as marcas das minhas mãos, estavam nítidas na pela branca e sensível de Cauê.

  Cauê colocou uma mão dentro na minha cueca, e começou a me masturbar, ele causava em efeito em mim que eu nem sabia que existia, ele me tinha da melhor forma.      

   Joguei-o na cama, enquanto ele estava tirando sua cueca, fui até meu banheiro e peguei meu lubrificante, que era sabor morango.

  Deixei o lubrificante em cima da cama, Cauê estava com uma expressão inocente, que só me deixava com mais vontade de tê-lo comigo. Voltei a beijá-lo, os beijos foram descendo e se transformando em chupões, as marcas dos coloriam a pele pálida de Cauê, que só gemia e me olhava com uma carinha de "quero mais".

   Quando cheguei no final do seu tórax, beijei de leve seu membro, fazendo com que Cauê arqueasse suas costas de tanto prazer. Peguei o lubrificante que até agora estava apenas jogado em cima da cama e passei em meu dedo, fui colocando-o devagar em sua entrada, Cauê intercalava breves gemidos com pequenos sorriso.

   Coloquei outro dedo em sua entrada, os gemidos ficavam cada vez mais manhosos, até que finalmente penetrei com meu membro em Cauê. Eu fazia movimentos rápidos e fortes, os gemidos, -que haviam ficado mais longos e graves- eram como um combustível para mim.

   A pedido de Cauê, me sentei na beira da cama, ele se sentou no meu colo, me abraçou forte e começou a cavalgar em mim. Senti suas unhas arranhando completamente as minhas costas. O beijei, para tentar abafar seus gemidos, talvez tenha sido uma tentativa falha.

  - Eu amo quando ouço você gemendo e respirando de forma ofegante, sinal que estou fazendo direito. -Eu disse-
  - Quem diria, transar com meu melhor amigo está sendo umas das melhores sensações da minha vida.
  - Eu espero que, por Deus, você nunca vá embora.
  - Tetê, você tirou as palavras da minha boca.

    Não demorou muito, e Cauê gozou, sujando meu peitoral com seu líquido branco e morno. Ainda cheio de tesão, me deitei na cama e Cauê voltou a me masturbar, ele foi dando pequenos e delicados beijos no meu membro..

  Agarrei seu cabelo e guiei sua boca até meu pênis, sua língua era sensacional. Cheguei ao meu ápice, e não pude conter meu sêmen, que à aquela altura, já havia inundado a boca de Cauê. Nos deitamos na cama, lado à lado, ofegantes, porém felizes.

   Naquele momento concluí que ele era tudo que eu queria para mim. Me apaixonar pelo Cauê foi como aprender a voar, era empolgante e assustador ao mesmo tempo. Eu tinha certeza que o meu pra sempre deveria ser com ele.

  - Tetê?
  - Oi meu moranguinho.
  - Poucas coisas me fazem feliz, e você é uma delas.
 
   Interrompi suas palavras com um beijo. Mesmo estando cheio de trabalho por conta do canal e tendo pouco tempo para passar com ele, Cauê me deu uma eternidade nos nossos dias numerados. E não importa o que aconteça, eu sempre serei o "Tetê" dele, e ele sempre será o meu Moranguinho.


Notas Finais


Aeeeee, the end.
Bom, espero que tenham gostado.. Eu escrevi boa parte da fanfic ouvindo "Tag, you're it" da Melanie Martinez, então imaginem o Cauê como a cry baby, e o Authentic como o sorveteiro lobo mal..

Ahhh, mais uma coisinha.. Eu escrevi uma teoria sobre mitw, me digam se vocês querem ler ela. Caso alguém queira, vou postar no meu twitter (@mmglhs)!
É isso, obrigada por ler e a gente se vê na próxima! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...