História Strength - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias SHINee
Personagens Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, KiBum "Key" Kim, Minho Choi, Taemin Lee
Tags Jinki, Jonghyun, Jongkey, Key, Kibum, Lemon, Minho, Onew, Onho, Psicológico, Romance, Shinee, Taemin, Yaoi
Visualizações 39
Palavras 1.193
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OI MEUS AMORESSSSSSSSSSSSSSSSS
ate que nao demorei pra voltar ne???
eu tava planejando escrever essa jongkey ha meses, e finalmente ela saiu~
nao vou enrolar muito aqui, vamo la

muito obrigada a quem permanece comigo e bem-vindos aqueles que estao chegando agora
nao se preocupem caso esse cap pareça estar incompleto, afinal ele eh apenas uma introduçao ao plot da fanfic. nao sei dizer se eh um prologo ou cap exatamente, entao vamos deixar apenas como uma "introduçao de pouco mais de 1k" jkdjskhksg
espero que gostem, boa leitura ♡

Capítulo 1 - (un)safe


Fanfic / Fanfiction Strength - Capítulo 1 - (un)safe

Uma figura de fios multicoloridos e roupas pretas passava apressadamente por uma multidão que se concentrava por uma das áreas do centro de Daegu. Ao menos a grande maioria daqueles que ali estavam tinham compromissos; trabalho, estudos, seja o que for, todos andavam igualmente em passos mais acelerados. Mas enquanto alguns deviam estar tentando evitar de chegar atrasados ao seus destinos, o motivo de Kibum era diferente. 

Passava longe de ser uma preocupação com atrasos, afinal um sorriso largo e totalmente despreocupado permanecia em seu rosto enquanto pressionava uma pasta também preta contra seu peito. 

Com toda a certeza, os dias das exposições artísticas que ocorriam na galeria de sua universidade eram de longe os seus preferidos. Kim Kibum estava em seu segundo semestre no curso de design de moda, e assim como o seu enorme sorriso denunciava, mal podia esperar para finalmente apresentar seus projetos - enquanto carregava os seus rascunhos e também um pequeno e simples lookbook em sua pasta, suas confecções já estavam todas prontas e os alunos iriam reunir-se no turno da manhã, que normalmente seria o de suas aulas, para que pudessem organizar tudo para a exposição que seria aberta ao público a partir daquela tarde. 

Além de toda a animação que sentia no momento, o doce sorriso de Kibum também expressava o orgulho que sentia de si naquele momento. Por anos de sua adolescência havia planejado estudar e também trabalhar com aquilo que mais amava, e finalmente estava em sua área, finalmente havia chegado o dia – acreditava que seria o primeiro de muitos – em que poderia apresentar todas as suas ideias, mostrar uma parte de si através de suas criações. Sentia como se a universidade fosse o seu segundo lar e sua motivação maior para justificar sua dedicação extrema ao curso sempre foi o amor à moda, seu tipo preferido de arte. 

Por mais ocupada que estivesse a grande parte da população que se ali se encontrava, Kibum ainda recebia alguns olhares nada discretos, mas não é como se não tivesse acostumado com isso. Já havia superado o medo de expressar-se livremente através de seu corpo há anos, e naquele dia soube que o centro das atenções seria o seu cabelo, que em um momento de dúvida entre qual cor tingiria seus fios antes descoloridos, decidiu então transformá-los em um arco-íris com tons pastel. E também sabia o quanto suas peças de roupas negras que usava naquele momento lhe caiam bem, contrastando com seus fios cheios de vida. 

O sorriso que manteve em seu rosto por quase todo o caminho custou a se apagar. Tinha tantos motivos para sorrir, sempre via sua felicidade em cada coisa que fazia. Desde algo pequeno como a coloração de seus fios até pensar que seria sua primeira vez participando ativamente da exposição de arte de sua universidade, não mais como apenas um espectador dentro daquela galeria. 

Ainda enquanto caminhava apressadamente pelas ruas do centro de Daegu mantendo aquele mesmo sorriso e com seus pensamentos quase que desviados totalmente do mundo real, jamais imaginaria que o custo para que este sumisse de seu rosto fosse lhe ser tão alto. Assim que o sinal foi aberto para os pedestres, Kibum desceu a calçada e caminhava quase que saltitando pela faixa de segurança. Tamanha era sua felicidade. 

 

Mas em um piscar de olhos e uma fração de segundo, tudo se apagou. O seu sorriso morreu. 

Tão injusto. 

O freio do veículo que era conduzido sem cuidado algum infelizmente não livrou o universitário a tempo. Com o baque seu corpo foi arremessado a alguns metros e todos os seus sentidos apagaram-se quando sua cabeça atingiu o asfalto. Sequer teve tempo de sentir as dores em seu corpo e ardências em seus cortes e machucados, tudo escureceu em um instante. 

Não pode presenciar conscientemente o momento em que uma multidão que se dividia entre preocupação e curiosidade juntou-se ao seu redor, com alguns rapidamente desviando seus olhares chocados ao perceberem o sangue que escorria e pintava o asfalto como se fosse uma tela, enquanto outros tentavam desesperadamente entrar em contato com uma ambulância, assim como o motorista que saía apressadamente do veículo para socorrer ao corpo desacordado. 

 

 

Kibum abriu seus olhos subitamente. Seus lábios estavam entreabertos e sua respiração pesada por conta do susto. Os pequenos olhos felinos agora arregalados permaneciam encarando sem muito foco o teto do quarto, tanto por sua atenção não estar realmente ali quanto por seus olhos estarem marejados. Por mais que seu corpo no momento não estivesse reagindo tanto, o rapaz estava em desespero por dentro. Incontáveis vezes havia acordado graças a um pesadelo que teve, mas aquele de longe havia sido o pior que já teve. 

Estava quase que totalmente convencido de que logo conseguiria se recuperar do susto até que, assim que tentou se sentar na cama, dores infernais tomaram conta de todo o seu corpo e cortes recém cobertos por curativos arderam, fazendo-o bater as costas contra a cama que agora percebia não ser sua. 

— BUMMIE! 

Uma voz muito bem conhecida por si soou naquele cômodo. Quando Kibum virou sua cabeça para o lado, percebeu uma figura aproximando-se rapidamente de si. 

— Graças a Deus, você está vivo! — o rapaz que parou ao lado da cama tocou suavemente a mão do paciente e a acariciou com todo o cuidado, seus olhos inchados e ainda marejados fitavam Kibum em um misto de preocupação e felicidade. 

Foi então que a ficha finalmente lhe caiu: 

Não havia sido um pesadelo. 

Aquele acidente foi real. Ele quase perdeu sua vida. 

Os mesmos flashes que fizeram-no acordar em desespero voltaram a se repetir várias e várias vezes em sua mente. 

— Jinki-hyung... — pronunciou com dificuldade. Seus olhos encheram-se de lágrimas mais uma vez, e estas não puderam ser contidas. Escorriam impiedosamente por seu rosto enquanto seu corpo tremia. 

— Eu não poderia perder meu irmãozinho. Não poderia... — a mão do rapaz de fios negros agora subiu até o rosto de Kibum, acariciando-o ali com ainda mais cuidado do que antes, devido a alguns curativos e hematomas que ali ainda estavam. O carinho passou a ser feito nos fios multicoloridos do paciente enquanto o outro agora se inclinava e depositava um beijo em sua testa. 

O irmão mais novo sorriu fraco e fechou seus olhos. Gostaria de dizer a Jinki que estava tudo bem agora, pois ao menos ele estava ali, vivo. Mas sabia que suas palavras não convenceriam ao mais velho, afinal o próprio Kibum sabia que não estava bem, ainda que todas as piores dores de seu corpo houvessem passado ou, no mínimo, aliviado. 

O rapaz sempre fora muito transparente e sabia disto, sempre deixava visível quando algo lhe desagradava assim como também demonstrava quando algo causava sua felicidade. Ele sabia que seu estado físico não era dos melhores, mas não gostaria de preocupar ainda mais o seu irmão caso proferisse uma mentira descarada. Por isto optou por não preocupar seu irmão mais velho. Sabia que o fato de ter que ir morar com este em Seoul após receber alta já seria um bom transtorno para que ambos resolvessem e se adaptassem. 

Kibum realmente não se sentia bem, e isto não era sobre seu corpo.


Notas Finais


as atualizaçoes nao terao dias certos, mas eu prometo que vou tentar nao demorar tanto como fazia com minhas fics anteriores (me perdoem, o desanimo ele qqqq) ENFIM
quero dizer tambem que boa parte de mim vai estar dentro dessa fanfic, e pode ser que por isso se torne a minha preferida entre as que eu ja escrevi. de fato, ela vai ser muito especial pra mim

espero que tenham gostado~ ate mais meus anjinhos ♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...