História Stronger Hearts -Liam Payne - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Liam Payne, One Direction, Romance
Visualizações 107
Palavras 1.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu sei, eu sei, sumi de novo... Me desculpem, vou tentar ser mais ativa agora, eu prometo...


Espero muuito que gostem.. <3


Se puderem, chequem as notas finais.. :)

Capítulo 14 - Find a solution


Desde que nos beijamos, em Amsterdam, há duas semanas, as coisas ficaram um pouco estranhas. Como eu imaginava Déborah se afastou de mim. Agora ela só falava comigo sobre trabalho, e quando eu tentava puxar assunto, ela instantaneamente me cortava. 

Eu sabia que isso era normal, ela é muito fechada, e sistemática. Nunca esperei que ela se apaixonasse loucamente, ou se jogasse aos meus braços porque sei que sua confiança demora a ser conquistada. Não tenho pressa,  sei que vale a pena esperar.

A conheço como acredito que poucos conheçam, e sei de seu bom coração, por mais que nem a mesma, bote fé nele, e não há nada no mundo que vai me fazer desistir.  

Mas por outro lado, eu sinto falta da minha melhor amiga. Por mais que ela tenha chegado há pouco tempo, já me acostumei com sua presença. Sinto falta de suas provocações, e ironias, das nossas conversas nos terraços dos hotéis a fora, da minha companhia nas festas, e tudo mais. Além do que, depois de provar daqueles lábios doces e macios, era difícil me manter longe dos mesmos.

Estamos em Milão, hoje a noite tem show, e após o mesmo, estou decidido a falar com ela, depois de ter uma longa conversa com a Zayn sobre isso, chegamos à conclusão de que ela já teve seu espaço, agora eu vou correr atrás, por que se demorar demais, eu provavelmente vou perder tanto minha chance, quanto minha amiga. 

 E ainda assim, falei com Sofie e Danielle, que disseram que não seria má ideia falar com ela pra esclarecer tudo, e ainda me arrumariam como falar com ela, depois do show, não sei ao certo como.

 

>>> 

Já estávamos de volta ao hotel depois de mais um incrível show, os meninos já estavam no apartamento, enquanto eu estava no corredor, esperando que  elevador, onde Déborah supostamente estava subindo para voltar ao seu quarto, sem saber que eu já a esperava lá.

A saída do elevador era onde dois corredores se encontravam, e para chegar até o seu apartamento, ela deveria seguir em frente. Eu não estava escondido apenas onde minha presença não seria evidente, portanto, no corredor que se cruzava com o que ela seguiria, precisamente ao lado do elevador. 

 Minhas mãos estavam suadas, e eu não faia ideia do que faria, só sabia que tinha que fazer alguma coisa, não aguentava mais esse jogo. Nem tinha plena certeza de que ela estava no elevador, estava apenas confiando em suas amigas, que prometeram me ajudar. Lá estava eu, inquieto, esperando a garota dos olhos tempestuosos, torcendo para que tudo de certo e que eu não estrague nada, enquanto mil possibilidades do que dizeres passam pela minha cabeça, e nenhuma delas me parece boa o suficiente. 

Assim quando escutei as portas do mesmo se abrindo há vi, como o combinado, subitamente a puxei de uma vez a colocando contra a parede ao lado, e sem perceber, colei seus lábios aos meus. Era uma das últimas coisas que passariam pela minha cabeça, mas foi que eu fiz instintivamente, quando a vi, mesmo sabendo que isso poderia piorar a situação.

A mesma, por mais estranho que pareça, se entregou totalmente ao que estava acontecendo entre nós, e assim que ambos estávamos sem folgo ela me afastou, e me encarou por longos segundos, nenhum dos dois tinha o que falar no momento. 

Déh: - O que você pensa que está fazendo?  -ela disse furiosa, mas sem se mover ainda entre mim e a parede. Seus olhos tempestuosos, agora pegavam fogo, encarando os meus...

Liam: - Eu não... eu não queria que fosse assim, preciso – necessitei parar para colocar minha cabeça no lugar –precisamos conversar Déborah.

Déh: - Sobre o que precisamos conversar ? – sua ênfase na ultima palavra me mostrou que ela realmente estava furiosa comigo...

Liam: - Sobre isso- eu disse gesticulando  – sobre nós...

Déh:- Ahh  -ela diz sínica – eu diria que isso –imitando o meu gesto anterior – é você tentando estragar as coisas ..

Liam: - Déborah, você é quem está dificultando as coisas. Não precisa ser assim. –ela apenas continuou me olhando nos olhos, sem dizer uma só palavra, então eu prossegui – se você não sente absolutamente nada por mim, me fala agora, e eu nunca mais toco nesse assunto com você... Mas eu sei que não é assim, por que se fosse, voc... –antes de concluir ela me corta.

Déh: - É carnal Liam. – disse como se tivesse medo da minha reação - extrema, e unicamente carnal. Não se sinta ofendido, eu gosto muito de você Liam, você é, ou era, meu melhor amigo – dito isso, toda a sua raiva passou, e ela abaixou a guarda, era evidente - mas eu não posso, entende? Eu não consigo amar você, eu não sei como amar!  

Sai de sua frente e me encostei na parede, deixando meu corpo ser levado vagarosamente ao chão, e me sentando com os joelhos contra o peito, vendo que aquela conversa teria outro rumo a partir dali, e assim fui seguido por uma  Déborah visivelmente mais calma. Mas desta vez que estava em turbulência era eu , não sabia como conduzir o dialogo, estava perdido demais em pensamentos para falar algo. 

Déh: - Olha, serei sincera agora, Leroy – reprimi o sorriso por ela ter usado esse apelido, enquanto meu coração se aqueceu com aquilo. - Se eu fosse gostar de alguém, dentre todos que eu conheço, eu gostaria de você. Eu realmente gostaria se pudesse, e acharia isso um máximo. Você tem todas as qualidades que alguém pode querer de outra pessoa, mas infelizmente é mais difícil que isso. Ainda assim, não seria justo com você, porque enquanto você é um “bolinho”, sejamos realistas, eu não sou nenhum pouco amável.. 

Liam: - Não fala isso.. Você é como devia ser, sistemática, complicada, às vezes até impossível, eu sei bem disso, e eu gostar de você, significa compreender isto também.

Déh: - Você acha que gosta Payne, você acha que pode lidar, que pode tornar as coisas melhores aqui- ela disse colocando a mão sobre seu coração – eu agradeço e, aprecio isso, mas você simplesmente não pode. E assim que perceber isso, vai ver que tá perdendo seu tempo e se desgastando atoa, então por que não me deixa facilitar as coisas?  

Liam: - Pra você facilitar é se afastar e se quer olhar na minha cara? Porque pra mim, isso não facilita nada...

Déh: - Era minha única opção Liam! –ela se defendeu – Eu não sabia o que fazer depois, daquilo, que aconteceu em Amsterdam. Minha única era opção era essa. –assim conforme conversávamos, minha mente se clareava, e nesse momento, eu já sabia o que devia fazer.

Liam: - Senti sua falta. –eu disse aleatoriamente, como se tivesse pensando alto. – Achei que fosse perder toda minha sanidade mental nessas ultimas duas semanas. Isso definitivamente não pode acontecer de novo, okay? –ela não respondeu, passava as mãos inquietas entre os rasgos de seus jeans, provavelmente refletindo sobre o que eu dizia, e escutando tudo atentamente. –Se eu ceder um pouco, e você também, podemos voltar ao que era antes, certo?

Déh: - Não sei se isso é uma boa ideia, mas pra sua sorte, eu tenho um fraco por más ideias. –nós rimos - O que você quer dizer com ceder?

Liam: - Bem, se você tem tanta certeza de que eu estou confundindo as coisas, deixe que eu mesmo perceba isso, no dia-dia. E eu juro fazer o possível pra que esse descontrole de mais cedo não volte a acontecer.

Déh: - Parece justo... -ela avaliou os “termos”.- Sem nenhum clima estranho? –ela perguntou retoricamente

Liam: - Absolutamente nenhum - eu disse com um sorriso no rosto, a puxando para um abraço.

Déh: - Eu nunca vou admitir isso, mas também senti sua falta.. –ela disse rápido, ainda em meus braços sem pressa de sair dali, e eu apenas sorri para sua observação, enquanto meu coração se aquecia...

E assim passamos algum tempo, não faço a mínima ideia de quanto tempo, minutos, ou horas. Ali, no meio do corredor do hotel, trocando pouquíssimas palavras, apenas apreciando a presença um do outro, onde periodicamente passava alguém que estranhava, ou admirava a cena, mas eu claramente não me importava, o mundo por aquele tempo foi resumido a mim, e minha melhor amiga. 


Notas Finais


Não sei se esse capitulo ficou bom, só achei fofinho... Espero que vocês tenham gostado, de qualquer forma, me deixem saber suas opiniões, ajuda muuito pra escrever o próximo.. Então comente, favoritem se gostar, e adicionem as suas bibliotecas pra não perder nada da historia desses bolinhoos! Prometo que no próximo capitulo vai ter mais -diríamos- ação..
P.S. estou sempre deixando uma pergunta aqui, só pra me ajudar a continuar mesmo (por mais que ninguém responda). E a pergunta de hoje é : Vocês gostam da Déborah?? ( se vocês não me deixarem no vácuo igual deixaram no ultimo capitulo eu vou agradecer, muuito) <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...