História Stronger Than Dragon - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Medieval, Orange, Yuri
Visualizações 26
Palavras 2.381
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Orange, Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


PUTA MERDA, EU JURO QUE ACHAVA QUE TINHA POSTADO O ÚLTIMO CAPÍTULO!
Aí chego aqui quase três anos depois, revisando a história pra ver se ela dá uma boa webcomic e... CADÊ O CAP FINAL?
PUTA MERDA MIL PERDÕES, MIL PERDÕES MESMO! Nenhuma desculpa que eu pudesse dar seria boa o suficiente pra vocês me perdoarem!
Eu nem sei se alguém ainda vai ler isso aqui, mas é meu trabalho dar essa história por terminada, então... Obrigada por todo o apoio, e mais uma vez, mil perdões! D:

Capítulo 18 - Capítulo Final - Fita Vermelha


O sol brilhava com força total naquele dia, mas devido ao vento fresco que corria pelas ruas, ninguém reclamava. Até porque ninguém teria tempo para reclamar, já que todo o reino estava em festa: finalmente ocorreria o casamento de Scarlet e Lillian. Todos os habitantes de Tolkien foram convidados sem importar sua classe, idade ou qualquer outro motivo, e todos compareceriam como era o esperado. Vários cidadãos se ofereceram para arrumar a área verde em volta do castelo, onde aconteceria a troca de votos. Mais pessoas ajudavam na cozinha, outras na limpeza e em tudo que se pudesse imaginar...

Lillian e Scarlet se arrumavam cada uma em seu devido quarto e sendo ajudadas por diversas criadas. Lillian era a quem mais precisava de mais ajuda para colocar o vestido, pentear os cabelos, se perfumar e fazer todas aquelas outras coisas que as noivas fazem. Já Scarlet se virava sozinha, deixando as criadas livres para soltarem suspiros apaixonados enquanto a observava.

– Com licença, será que vocês poderiam sair? É que eu consigo me virar sozinha, sabe... - A guerreira disse um tanto sem graça, enquanto abria a porta para que as jovens saíssem dali.

– Eu posso ficar ou você precisa de tanta privacidade assim? - Zea apareceu na porta logo depois da saída das jovens, abrindo um sorriso sincero e oferecendo um abraço confortador para a filha, que nem pensou em recusar. Scarlet se afundou nos braços da mulher de cabelos brancos enquanto abraçava sua cintura, fechando os olhos com certa força.

– Zea, eu estou nervosa... A ideia de me casar com outra mulher continua sendo um tanto... Assustadora.

– O reino já aceitou isso, a rainha já aceitou isso, Lillian já aceitou isso. Não tem nada com o que se assustar, criança. - Zea afagava os cabelos de Scarlet enquanto mantinha um abraço. - E então, deixe-me olhar para você! Não é todo dia que vemos nossa única filha se casando!

Scarlet mantinha um sorriso tímido enquanto Zea a examinava com um sorriso enorme no rosto. A guerreira usava um colete cujo couro havia sido pintado de azul marinho e tinha várias joias encrustadas em suas costas, formando assim a imagem de um dragão. Por baixo do colete cujos botões de cima estavam abertos tinha uma camisa cinza de veludo, cujas mangas iam até os pulsos da mulher. A calça também era de veludo, no mesmo tom de azul do colete e as botas eram do melhor couro cozido que podia se encontrar. O longo cabelo castanho que agora lhe batia na altura das costas estava preso em um rabo de cavalo, com algumas mechas soltas que caíam sobre os ombros da mulher.

– Você está linda, sabia? Mas precisa ver como está Lillian. É certo que aquele vestido lhe deu trabalho, mas aposto que tudo será recompensado quando a ver no meio da multidão. E Helena também não está para trás, o vestido que ela escolheu também realça bastante suas qualidades.

– Ei, Zea... Você vem comigo e com a Lillian pra Eden Edge, não vem? - Scarlet olhou com certa preocupação para Zea, cujo vestido de linho azul claro combinava perfeitamente com seus olhos. Os longos cabelos brancos estavam trançados e pequenas flores adornavam a extensão de seus cabelos, enquanto um colar feito com cipó e as mesmas flores que usava nos cabelos lhe adornava o pescoço do jeito mais simples possível, porém belo.

– Minha pequena... Depois dessa noite, você será uma mulher casada e tomará conta de sua própria família, e terá seu próprio reino. Encontrará crianças que possam lhe chamar de mãe e terá uma vida próspera e feliz. Não precisará de alguém como eu para ficar tomando conta de sua vida.

– Mas é claro que eu preciso! Você é minha mãe, não é? Precisa ficar do meu lado para sempre!

– Nem mesmo pessoas como eu vivem para sempre, minha pequena. Ninguém vive para sempre. Mas não se preocupe comigo, viva sua própria vida. Onde quer que esteja, eu a estarei vigiando mesmo que não me veja.

Os olhos de Scarlet se encheram de lágrimas enquanto Zea terminava de falar, para em seguida voltar a abraçar a mais jovem com força. Do outro lado alguém baita na porta, e quando deram permissão para que entrasse perceberam que era ninguém menos que Helena. A rainha deu um breve sorriso para as duas enquanto aninhava Brian nos braços, que dormia o doce sono permitido aos bebês de sua idade.

– Estão prontas? Já estão todos em seus devidos lugares, menos vocês duas, Lillian e eu. Vamos logo, não devemos atrasar as coisas.

Helena trajava um belo vestido naquela noite, dourado com fios de prata que formavam desenhos pelo tecido enquanto seus cabelos da mesma cor caiam como uma cachoeira cor de ouro pelos ombros. Uma pequena coroa adornada de diamantes estava em sua cabeça, a deixando ainda mais bela. O pequeno Brian estava enrolado em uma manta vermelha com detalhes em fio dourado, que combinava perfeitamente com a cor de seus cabelos. Não demorou muito para que a rainha saísse dali, voltando a deixar Scarlet e Zea sozinhas.

– Vamos? - Zea levantou e pegou na mão de Scarlet, caminhando com ela para fora do quarto. Pelos corredores podiam se ouvir gritinhos das jovens que estavam ajudando Lillian a se arrumar, ou então pessoas correndo para chegar até o local da cerimônia. Ao sair do castelo toda a atenção das pessoas foi voltada para Scarlet, o que deixou a guerreira um tanto constrangida em seu percurso até o jardim.

– É lindo... - Disse Scarlet enquanto admirava o lugar, boquiaberta. Colunas de madeira haviam sido erguidas, todas elas esculpidas, e vários lírios foram envoltos nelas, de todas as cores. Cada coluna do lado esquerdo e direito eram ligadas umas as outras por plantas e principalmente flores que formavam uma espécie de teto, mas deixavam a luz do sol entrar e iluminar a todos. Largos bancos de madeira foram distribuídos entre duas fileiras, deixando espaço no meio para que as noivas pudessem passar. Lá na frente, esperando pelas noivas se encontrava um homem baixinho, calvo e com uma pequena barbicha lhe enfeitando o rosto. Vestia uma túnica marrom e sorria enquanto mantinha os olhos fechados, e mesmo assim conseguia enxergar tudo que acontecia ao redor.

– Um septão? Nunca o tinha visto por aqui.

– Helena disse que ele cuida dos casamentos por esse reino a mais tempo que se imagina. - Zea disse, enquanto caminhava pelo corredor até encontrar seu lugar. -Vá, você fica ali na frente.

Aquilo estava realmente lotado, e Scarlet sentia que todos os olhos estavam concentrados nela, até mesmo aqueles olhinhos fechados do septão, e ela odiava chamar a atenção. Suas mãos tremiam enquanto ela caminhava em direção ao altar, rezando para que todas as pessoas ali desviassem o olhar para outra coisa qualquer ou então desaparecessem. Pareceu demorar uma eternidade até ela chegar ao seu devido lugar, e o pior de tudo, certamente demoraria ainda mais para que Lillian aparecesse.

Ficar admirando o septão não era lá uma boa coisa a se fazer, então a guerreira decidiu se virar e observar seus convidados. Haviam os mais variados tipos de pessoas naquele lugar, lordes e ladys, cavaleiros juramentados e livres mercenários, comerciantes que vinham do outro lado do mundo e muita, muita gente diferente do que Scarlet estava acostumada a ver. E todos eles olhando para ela, como se fosse algum animal exótico ou coisa assim. A mulher virou o olhar para o septão enquanto o rosto corava de vergonha, e olhou para trás quando ele apontou o dedo para frente. Lá estava ela, mais linda do que Scarlet poderia imaginar e com um sorriso no rosto que afastava todas as incertezas da guerreira.

Lillian caminhava lentamente pelo corredor, fazendo com que todos os olhares se dirigissem a ela naquele instante. Usava um vestido de seda de um tom claro de lilás, e as mangas eram de um véu branco repleto de flores bordadas e enfeitadas com pequenos diamantes. Fios de prata ziguezagueavam desde a pequena abertura no decote até o começo da saia do vestido, dando a volta para que pudesse separar ambas as partes. A barra da saia do vestido também tinha várias flores bordadas com fios de prata e mais diamantes que brilhavam com a luz que recebiam do sol, mas nenhum daqueles detalhes importava para Scarlet além da própria Lillian ali, na sua frente.

Ao chegar ao lado da guerreira que lhe ajeitou uma mecha do longo cabelo dourado Lillian deu um sorriso bobo, segurando a mão direita de Scarlet e dando ouvidos para as palavras do velho septão.

– Hoje vocês vieram jurar seu amor perante os deuses, e eles estão prontos para ouvi-las. Podem dizer as palavras sagradas perante todos, e nós as ouviremos.

O septão tinha nas mãos uma fita de seda vermelha longa e fina, e à medida que as duas começaram a falar as palavras, ele atava ambas as mãos com aquela fita.

– Diante de todos os deuses que nos ouvem, os que existem e que um dia hão de existir, venho aqui hoje fazer valer meus votos. - Ambas se olharam, cada uma com um sorriso tímido no rosto - Prometo amá-la deste dia até o fim dos meus dias, e farei com que cada dia seja único e especial. Não me faltará felicidade enquanto estiver ao seu lado, e me certificarei que será tão feliz quanto eu. Que os deuses e os homens sejam testemunhas das minhas palavras e me punam se elas não forem verdadeiras.

Quando terminaram de falar a fita já estava completamente enrolada nas mãos de ambas, e todos os convidados olhavam para elas. O septão acenou com a cabeça e então elas selaram um beijo, e em seguida tudo foi festa. Músicos tocavam alegres melodias e pessoas dançavam, ou se não dançavam, comiam. Mesas gigantescas foram armadas ao ar livre para que todos pudessem aproveitar da farta culinária local e beberem até não aguentarem mais. O sol já havia ido embora e mesmo assim todos continuavam com a farra, sem se importarem com o amanhã.

– Isso parece um sonho! - Lillian pulou nos braços de Scarlet, sorrindo. - O nosso felizes para sempre finalmente começou, certo?

– Que eu saiba ele começou desde quando eu te vi. - A guerreira sorriu gentilmente, caminhando com Lillian nos braços. - Pronta pra partir?

Um navio estava à espera de ambas, mais alguns empregados que haviam contratado e pessoas que desejassem viajar para Eden Edge. A maioria já estava a bordo, e os pertences das duas também já estavam devidamente guardados. Por conta de o antigo porto ter sido destruído tempos atrás, o navio estava ancorado na praia mesmo, o carvalho escuro reluzindo à luz da meia-lua.

Helena vinha atrás de ambas seguida por uma multidão, e por mais que Scarlet procurasse Zea com o olhar, não a encontrava. Colocou gentilmente Lillian no chão, perto da prancha que dava caminho para o navio, se voltando para a rainha em seguida.

– Viu Zea por aí? Ela devia estar aqui, ela tem que ir comigo...

– Não a vi, mas ela conversou comigo de manhã e não tinha a intenção de entrar nesse navio.

– Claro... - Scarlet olhou para a areia da praia, desolada. - Acho melhor ir embora então. Até logo, majestade.

A guerreira ergueu a mão para Helena, e se surpreendeu ao receber um abraço apertado da mesma. Brian estava nos braços de uma serviçal, e sorriu ao receber um afago de Scarlet. Em seguida veio Mino, apertando a mão direita de Scarlet com uma força que não era aparente a sua idade.

– Pegue isso e leia quando estiver no navio. - O mago entregou um rolo de papel para a mulher, que estava selado com cera azul-claro. -Saiba que ela teve seus motivos.

Scarlet ficou olhando para o papel por alguns instantes, enquanto pessoas desconhecidas batiam em seus ombros e lhe desejava sorte.

– Obrigada por ser um bom amigo, Mino. Eu darei uma olhada assim que o navio zarpar.

– Ei, Scarlet! - Lillian a puxou gentilmente pelo braço depois de ser abraçada pela mãe durante incontáveis minutos. -Vamos, já está na hora!

– Sim, claro. Vamos embora.

A multidão gritava fervorosamente enquanto elas entravam no grande navio, acenando e sorrindo para todos. Lá embaixo o pequeno Brian batia palminhas enquanto sorria sem parar, e Helena era amparada por Mino numa tentativa inútil de parar as lágrimas. O vento estava favorável e logo o navio ganhou velocidade, enquanto os homens trabalhavam e Scarlet ficava sozinha na proa, lendo a carta que havia sido deixada por Zea.

“Talvez esteja decepcionada comigo por eu simplesmente ter sumido logo depois da cerimônia. Sinto muito por não poder viajar com você e voltar para a sua tão querida casa, mas meu tempo por aqui está se esgotando... Enquanto escrevo essas palavras, não paro de pensar nas semelhanças entre você e Angela... Finalmente poderei vê-la novamente! Você sabe o que isso significa pra mim, não é mesmo? Finalmente chegou a minha hora de voltar para os céus e dançar com a mais bela de todas as estrelas, a sua mãe. Obrigada por ter me proporcionado bons momentos, e até mesmo tristes também. Espero que você e Lillian tenham uma vida longa e feliz, e que desfrutem dela o máximo que puderem.

Estaremos vigiando vocês lá de cima.

Com amor, Zeanith."

Lágrimas corriam pelo rosto de Scarlet enquanto ela olhava para o céu e via brilhantes estrelas no céu, tão brilhantes que pareciam se moverem. "Dançar com a mais bela das estrelas", pensou a guerreira enquanto guardava a carta e ouvia os passos de Lillian cada vez mais perto.

– Algum problema, meu amor? - A loira secou as poucas lágrimas que ainda restavam no rosto da guerreira que a abraçava com vontade.

– Promete que não vai me deixar, nunca?

– Mas que pergunta é essa? Eu nunca vou te deixar, bobinha. Ficaremos juntas para sempre.

– Para sempre?

– Isso mesmo, e seremos felizes, muito felizes.

Um pequeno sorriso brotou dos lábios da morena, enquanto ela apoiava a cabeça no ombro de Lillian e lhe dava um beijo no pescoço. Como resposta a loira afagou os longos cabelos de sua amada, retribuindo o abraço com força.

E daquele dia em diante, elas seriam felizes para sempre, e não havia nada que poderia impedir isso.


Notas Finais


Mais uma vez, muito obrigada pelo apoio de vocês! É possivel que essa história minha vire uma webcomic, então fiquem de olhos abertos! (E novamente, perdão pelo vacilo!)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...