História Stydia: Um caso de sarcasmo e inteligência - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Adrian Harris, Alan Deaton, Allison Argent, Bobby Finstock, Brett Talbot, Chris Argent, Claudia Stilinski, Danny Mahealani, Derek Hale, Ethan, Isaac Lahey, Liam Dunbar, Lydia Martin, Melissa McCall, Meredith Walker, Personagens Originais, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff John Stilinski, Stiles Stilinski, Vernon Boyd
Tags Banshee, Lobisomens, Lobo, Lobo Adolescente, Lydia, Mtv, Series, Sobrenatural, Stiles, Stydia, Teen Wolf
Exibições 152
Palavras 2.511
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bom gente, ta aí o capítulo da semana. Leiam e não sintam vontade de me matar! Espero que gostem kkkkkk!

Capítulo 21 - Uma possível morte


Fanfic / Fanfiction Stydia: Um caso de sarcasmo e inteligência - Capítulo 21 - Uma possível morte

Stiles acordou com o pai o batendo na porta de seu quarto, e por um instante ele até esqueceu que era segunda e que ele tinha de ir pra escola. No dia anterior ele havia ido dormir tarde, então estava morto de sono, e parecia um zumbi, totalmente sem condições de ir pra escola. 

_Bom dia pai _ ele disse abrindo a porta _, o que foi? 

_Bom dia garotão _ o delegado entrou no quarto, e colocou a mão no ombro de Stiles _, só vim ver se está tudo bem... Ontem não falei nada já que Parrish estava aqui, mas estou preocupado com o fato de você e Lydia terem separado, sei o quanto você a amava... 

_Está tudo bem pai... _ não estava, mas Stiles optou por ocultar a verdade _ Eu e Lydia não separamos, só demos um tempo. Vamos voltar, ok? Mas pode deixar coroa, vou ficar bem. 

O delegado assentiu com a cabeça e saiu do quarto. Stiles foi direto pro banheiro, precisava sentir a água caindo sobre seus ombros, quem sabe assim se sentia mais relaxado. Ligou o chuveiro e entrou embaixo da água quente de uma vez. Sentiu a água quente e fechou os olhos, deixando escapar uma lágrima, e depois outra, e mais outra. As lágrimas se misturavam com a água, de modo que não dava pra perceber que ele estava chorando. Pensou até mesmo em falar que estava doente pra não ir a escola, mas não queria preocupar o pai depois de tudo o que passaram. O pior de tudo seria ver Lydia rodeada de outros garotos, já que ela era linda e cobiçada. Stiles não demorou a sair do banho, então se vestiu e pegou a mochila, pronto pra ir pra escola. Entrou em seu carro, e viu os papeis de chocolate jogados no banco, então se lembrou de Liam. 

_Meu deus, eu espero que ele não venha falar comigo hoje _ Stiles balbuciava pra si mesmo _, já não basta todas as explicações que vou ter que dar apenas porque eu e Lydia estamos temporariamente separados, se me verem conversando com um pirralho, minha reputação vai de mau a pior... 

Ele enfim, afastou os pensamentos ruins e foi pra escola. Desceu do jipe de cabeça baixa, já preparado pro pior. Quando levanta o olhar vê uma pessoa que ele realmente não gostaria de ver o olhando e caminhando em direção a ele com um sorriso no rosto. 

_Ei Stiles! Fui a sua casa ontem, seu pai disse que você não estava _ era Malia, e Stiles não respondeu nada, apenas balançou a cabeça _, então... Eu queria te falar que eu lamento por você e Lydia terem se separado, fiquei sentindo que foi minha culpa... Se eu puder fazer algo por vocês dois, é só dizer! 

_Escute Malia _ Stiles disse, com a voz áspera _, a culpa não foi sua, a culpa não foi de ninguém! Eu e Lydia estamos apenas dando um tempo, nós vamos voltar! Ok? Agora pode voltar pra casa! Estou indo pra aula... 

_Estou estudando aqui agora, não é demais?! Sua aula é de que? Agora eu tenho aula de inglês, não faço a mínima ideia do por que ensinarem isso se a gente já sabe falar. Escola nem parece ser tão difícil do jeito que vocês falam! 

Stiles revirou os olhos quando se lembrou que sua primeira aula também era de inglês, e foi até a sala de aula escutando Malia falar baboseiras e tentando ignorar. Tudo que ele queria no dia era paz, mas obviamente não ia conseguir. O mundo tinha desmoronado por completo.  

_Pessoal _ disse a professora quando Malia e  Stiles chegaram a sala, e observou Stiles correr e sentar no primeiro lugar da fila, já perto daquele lugar todos os outros já estavam ocupados _, essa é nossa nova aluna, Malia Hale. Sinta-se em casa, Malia. 

Malia assentiu com a cabeça, com um sorriso tímido no rosto, e se sentou no único lugar disponível na sala, bem longe de Stiles. A professora até lançou um olhar torto pra Stiles, era estranho que ele se sentasse no primeiro lugar, ele nunca se sentava ali. 

Enquanto Stiles estava se sentido sozinho e deprimido na escola, Lydia tinha optado por não ir a escola, já que não precisava. Ela passou a noite na casa de Allison, mas assim que amanheceu voltou pra casa. Ela ainda estava deitada quando se virou pro lado e viu ali uma foto, a mesma foto que pegou na casa de Stiles. Ela não sabia por que, mas tinha alguma coisa naquela foto que a fazia especial. Era Claudia e Stiles, Lydia achava Claudia tão perfeita... Parecia tão amorosa com aqueles olhos. Lydia se sentou na cama e encostou no colar que ainda estava em seu pescoço, e ela não pretendia tirar. Ela escutou um barulho vindo da cozinha, e pensou ser Erza, a fada doméstica que ela tinha conseguido nas aventuras com o wulver.  

_Erza? _ Lydia saiu do quarto lentamente, chamando pela fada _ É você quem está aí? _ ninguém respondeu, mas mais uma vez Lydia escutou um barulho, e então sem medo nenhum, foi até a cozinha e encontrou uma espécie de duende, e se deparou com Erza dizendo coisas a ele. 

_Não bagunce isso... Solte! Você não pode jogar isso no chão assim _ a fada saía louca de um lado pro outro organizando a bagunça do duende pequeno e cabeçudo, sem contar que ele futricava em tudo. 

_O que é isso Erza?! Quem é esse?! _ Lydia perguntou horrorizada ao olhar a feiura do pequenino. 

_Senhorita! Saia daqui!! _ Erza pareceu extremamente assustada ao ver que Lydia estava ali _ Isso é um hyosube, saia logo! Deixe que eu me livro dele! 

Lydia confiou em Erza e saiu, até porque o anãozinho cabeçudo parecia inofensivo pra qualquer um. Lydia subiu pro quarto, abriu o notebook e foi pesquisar sobre o tal "hyosube". Achou um pequeno texto que dizia: "O problema de cruzar o caminho de um Hyosube é que tradicionalmente avistar uma dessas criaturas está associado a um azar crônico que acaba levando a pessoa a uma morte trágica. Esses duendes não tentam se esconder, eles ficam felizes em transmitir sua má sorte e sentenciar seus desafetos (basicamente qualquer pessoa!) a acidentes fatais. Na lista de acontecimentos trágicos há espaço para atropelamentos, ataques de animais selvagens, afogamento e até queda de raios. 
A única coisa que pode evitar o acidente é deixar uma oferenda para o Hyrosube que o amaldiçoou, de preferência frutas que devem ser esmagadas e abandonadas em um jardim. Nesse caso, a criatura será atraída ao local, comerá tudo, destruirá toda plantação e partirá podendo ou não remover seu mau olhado." Lydia logo imaginou o pior. Se aquele maldito havia entrado em sua cozinha, aquilo significava que ela seria amaldiçoada, teria muito azar, e uma morte violenta? Isso era horrível! E que tipo de oferenda ela deveria fazer ao tal? E como ela faria se nem sabia ao menos se havia mesmo sido amaldiçoada?  

Malia, ainda na escola, não entendia nada que a professora falava, a única coisa que conseguiu entender foi que a sala seria dividida em grupos para fazer trabalhos de casa. Logo ela levantou a mão e disse: 

_Eu posso fazer com Stiles? É que já tenho amizade com ele! 

_Hmmm olha o Stilinski, traindo a Lydia Martin é? Pegador... É só a Lydia faltar na escola que o Stilinski da bola pra outras! _ Stiles revirou os olhos ao escutar a provocação dos meninos, bem idiotas por sinal, e já sem paciência ele se levantou da carteira e saiu correndo. Ele tinha que sair daquela escola, não aguentaria mais provocações ou escutar o som da voz de Malia. E agora estava preocupado com Lydia, ela não foi a escola? Saiu andando a passos longos e firmes, e quando chegou ao estacionamento se deparou com um anão cabeçudo, o mesmo que aparecera pra Lydia. Stiles ficou o observando esperando descobrir o que era aquilo, mas não tinha a mínima ideia. Era feio, e não parava quieto. Quando Stiles tentou se aproximar, o anão saiu correndo, sumindo totalmente da vista de Stiles.  

_Eu devo estar ficando louco! _ Stiles conversava com si mesmo _ Já estou até falando sozinho! Fala sério, o que é que Lydia faz com meu psicológico?! _ Ele decidiu esquecer do anão que ele não tinha certeza se tinha visto. Ele apenas entrou em seu carro e dirigiu sem rumo, não tinha ideia de pra onde ir naquele momento. Já muito longe da escola, ele avistou vários carros de policia, e pensou que alguma coisa podia ter acontecido ali. Ele estacionou o jipe e desceu, e foi se aproximando devagar, pois não parecia ser boa coisa. Quando estava muito próximo, se assustou com o que viu, o lugar estava interditado, mas havia vários corpos mortos e sangrando. Alguns esquartejados, outros pareciam só estar desmaiados, mas Stiles sabia que estavam todos mortos. Ele contou pra ver quantos corpos tinham caídos ali, e o total foi oito, oito pessoas mortas no mesmo lugar. 

_Jovem Stilinski? O que está fazendo aqui? _ Era um dos policiais que trabalhavam na delegacia, um alto de cabelos pretos e bagunçados. Stiles não se lembrava do nome dele então leu no crachá dourado que carregava em seu peito: Phillip Willians. 

_Policial Willians, olá! _ Stiles disse sem graça _ Eu estava dando uma volta pra... Esfriar a cabeça, mas... O que foi que aconteceu aqui? Como foi que essas pessoas morreram?! 

_Não sabemos ainda _ assim que o policial deu essa resposta a Stiles, surgiu Parrish de dentro de um carro. Ele trazia um bloco de notas nas mãos, e logo Stiles imaginou que ele foi fazer perguntas a pessoas que conheciam os falecidos. 

_Stile. Willians. _ Parrish chegou cumprimentando _ Essas pessoas são totalmente distintas uma das outras _ o policial parecia inconformado com aquilo _, a única coisa em comum era que todos eram alcoólatras e estavam aqui de fora esperando que o centro de reabilitação de acoólatras abrisse _ só quando Parrish falou isso foi que Stiles percebeu que realmente eles estavam em frente a um centro de reabilitação _, e outra coisa bem estranha... Recentemente, todos eles disseram que viram uma espécie de duende, pequeno, e com a cabeça grande. As famílias acharam que era alucinação por conta da bebida, mas é muito estranho que todos tenham tido a mesma alucinação. 

Passaram mil coisas na cabeça de Stiles nesse momento, era a mesma descrição da criatura que ele vira agora pouco. Ele precisava contar a alguém inteligente, e tinha três escolhas: Chris Argent, Lydia ou Derek. Ele saiu as pressas e entrou no jipe sem nem mesmo saber onde ir, mas decidiu ir até o pai de Allison no último momento. Ele pisou fundo no acelerador e foi. 

Ele estava com pressa, então desceu do carro em um pulo só. Infelizmente, só pra sua tristeza, desceu caindo em meio as latas de lixo e fazendo muito barulho.  "Por que os Argent insistem em colocar as latas de lixo aqui?", era o pensamento de Stiles. Ele se livrou do lixo, arrumou as latas e foi bater na porta. Depois, se encostou na parede e ficou esperando Chris abrir. Mas nada. Ele devia não estar em casa, então Stiles foi pra casa de Derek, por mais que essa não fosse a melhor opção era melhor que ter que procurar por Lydia depois das discussões que eles tiveram, ele não suportaria vê-la feliz com outro.  

Stiles entrou na casa de Derek com pressa, e ele também não estava lá, mas tinha outra pessoa: Malia.  

_Você está me seguindo?! Não tinha que estar na escola? _ Stiles já estava sem paciência com aquela menina, mas agora o rosto dela parecia diferente. Os cabelos curtos tinham mais brilho e vida, os olhos dela brilhavam, o bronzeado na pele estava evidentemente chamando a atenção de Stiles, e ele estava a achando bonita. 

_Não Stiles... É que assim, depois que você saiu eu me senti mal por ter dito aquilo, percebi os comentários maldosos daqueles meninos e sai também... Não corri atrás de você porque pensei que ia incomodar, então vim direto pra cá. Cheguei rápido já que sou um coiote. 

_Tudo bem... _ Stiles estava estranhando a si mesmo, mas então balançou a cabeça e recuperou o foco _ Derek está aqui? 

_Não... Quando cheguei ele já não estava. 

Stiles assentiu com a cabeça e saiu correndo dali. Sua última opção era Lydia. Ele dirigiu até a casa dela, e parecia tão fácil fazer aquele caminho, tão familiar. Ele desceu do carro mais uma vez as pressas e bateu na porta. Ficou encostado esperando que Lydia abrisse, e pelo menos ela estava em casa. Quando ela abriu a porta, os dois se encararam, mantendo o olhar, tão comum aqueles olhos nos olhos. Stiles viu que por mais que estivesse achando Malia bonita, Lydia era muito mais. Eles sentiram vontade de se abraçar, necessidade de tocar um ao outro, mas acabaram se contendo já que agora eles não passavam de amigos. Chegava a ser estranho pra Stiles ver Lydia sem poder beija-la e não dizer que a ama, ele nem se lembrava do quão ruim era isso.  

_Stiles, o que quer aqui? _ Lydia parecia perplexa, e sua voz saía em um tom áspero, de modo que intimidou Stiles, e nesse momento ele se arrependeu de estar ali, a desejando, enquanto ela conseguia se controlar sem nenhum problema.  

_Lydia! _ Pela primeira vez na vida Stiles não parecia feliz em vê-la, e não conseguia disfarçar a tristeza _ Eu... Eu não vim aqui te atrapalhar nem nada, juro que é sério... Quer dizer, não tem nada a ver com nós dois, não que isso não seja sério porque pra mim é muito... Mas eu preciso da sua ajuda, e tenho que te contar uma coisa que os policiais descobriram! 

_Entre logo Stiles... _ Lydia tentava ao máximo não mostrar sentimentos, e pra isso achava melhor dizer poucas palavras, assim a chance da voz vacilar era menor. Eles se sentaram no sofá da sala mesmo. Erza arrumava a bagunça que o anão tinha feito na cozinha, e a mãe de Lydia já tinha ido trabalhar, substituindo o professor Harris na escola. 

_Você pode até dizer que é loucura _ Stiles disparou a falar _ mas eu juro que é verdade, escute, hoje na escola eu estava me sentindo pressionado, então sai pra esfriar a cabeça, quando eu estava no estacionamento encontrei um anão, parecido com um duende que fugiu quando me aproximei, e depois descobri que as pessoas que viram ele morreram! Você é inteligente, deve saber que tipo de ser sobrenatural é esse duende, e se souber, me diga se eu vou mesmo morrer! 

_Stiles... _ Lydia não aguentou e deixou a voz falhar, e depois uma lágrima correr por sua bochecha _ Aquilo é um Hyosube, eu também o vi... Ele traz azar, e se não fizermos algo... Nós dois vamos morrer! 


Notas Finais


Bom gente, eu ainda não fiz eles voltarem, desculpaaaa! Parece que as coisas estão indo bem ruim, não é? Mas é a regressão a média... Não se esqueçam de que coisas ruins tem que acontecer pra que depois venham momentos melhores ainda... Hahaha! Espero que tenham gostado!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...