História Subindo Pelas Paredes - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Comedia Romantica
Visualizações 126
Palavras 1.987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, oi, depois de dias eu volteeei, finalmente não é ? eu sei, eu sei, que demorei demais, mais prometo recompensa-los :)

Capítulo 6 - Você está tão ferrada Cabello.


 "Ok crianças, eu vou pegar a estrada. Vou parar até amanhã e me certificar de que nós não escolhemos coisas terríveis hoje sob a influência de Mr.&Mrs. T", brinquei no meu caminho em direção à porta. Natalie me pegou pela mão, e apertou. 

*Oh yeah... ela se refere a tequila.

"Obrigada Camila", ela sorriu para mim, e eu sorri de volta. 

"Absolutamente", eu respondi, e caminhei em direção à porta. Sam me seguiu para fora depois de beijar a esposa na testa.

"Você quer que eu chame um táxi?" ele perguntou, olhando-me cuidadosamente.

"Nah, é uma noite linda. Vou caminhar um pouco, eu pego um teleférico* se eu ficar cansada", eu respondi.

Ele ficou em silêncio por um momento, olhando para a noite de São Francisco da varanda da frente.

"Ela teve uma má notícia hoje, não é?" ele perguntou baixinho, com os olhos tristes.

Ele quebrou meu coração nesse segundo, seu amor por ela era tão palpável.

"Vá tomar seu café, ela vai ficar bem," eu respondi, batendo em seu ombro. Ele sorriu e acenou com a cabeça bem.

"Tchau Camila", ele gritou para mim enquanto eu descia os degraus da varanda.

"Tchau Jake", eu respondi, e comecei a andar para casa.

Gostei da minha caminhada, e mesmo que ela tenha sido um pouco longa, o passeio me deixou sóbria. Quando eu dobrei a esquina do meu apartamento, eu notei que a Range Rover não estava em seu lugar habitual atrás do edifício. O que significava que ela estava fora e próxima. Lauren estava de volta a São Francisco. 

Os próximos dias foram tranqüilos. Eu trabalhei, eu andei, eu Clivei**. Eu saí com minhas amigas, eu fiz um pão de abobrinha mortal na minha bem agora nova Kitchenaid, e passei algum tempo pesquisando minhas férias. Todos os anos, eu tirava uma semana e ia totalmente sozinha a algum lugar. Em algum lugar aleatório e emocionante para mim, e eu sempre fui sozinha. Um ano eu passei uma semana caminhando em Yosemite**. Um ano eu fui fazer trilha através de uma floresta tropical na Costa Rica. Em outro ano eu passei uma semana mergulhando ao largo da costa de Belize. E neste ano, eu não tinha certeza de onde eu pretendia ir. Ir para a Europa estava ficando proibitivamente caro nesta economia, de modo que não ia dar. Eu estava pensando em uma viagem ao Peru. Eu sempre quis conhecer Machu Picchu. O outro destino na lista curta era o Alaska, e passar uma semana acampando no Parque Nacional Denali***. Eu tinha muito tempo para decidir, mas eu freqüentemente constatei que metade da diversão era decidir onde eu queria passar minhas férias.

Também passei uma quantidade excessiva de tempo no meu olho mágico. Sim, é verdade. Sempre que ouvia sua porta fechar, eu realmente corria para minha porta. Clive olhava com um sorriso, ele sabia exatamente o que eu estava fazendo. Não pense que eu não percebia como suas orelhas se animavam toda vez que ele ouvia passos subindo as escadas. Gato esperto. Eu ainda não tinha visto o Bate-Parede. Um dia cheguei à janelinha a tempo para vê-la entrando em seu apartamento, mas tudo que eu pude ver foi uma camiseta preta e uma confusão de cabelos. Parecia ser de cor de cobre, mas eu tinha certeza de que era apenas a luz no corredor. Quem realmente tinha cabelos cor de cobre? 

Outra vez eu vi a Range Rover estacionando, bem quando eu estava chegando à esquina do meu caminho de casa ao trabalho. Ela ia passar pela direita, e quando eu estava prestes a virar para ela, para ver realmente a mulher por trás do Bate-Parede, eu tropecei e caí e me esborrachei de bunda na calçada. Felizmente Euan me viu e me ajudou, meu ego ficou ferido, e minha bunda machucada pelo concreto e precisei de um Bactine* com um uísque.

Mas tudo estava calmo durante a noite. Eu sabia que ela estava em casa, e eu podia ouvi-la ocasionalmente. A perna da cadeira se deslocando pelo chão, um riso silencioso ou dois. Mas nem batidas na parede, nem harém.

Uma noite, eu fui recebida com um concerto improvisado, quando eu adormeci ouvindo a melodia de Duke Ellington e Glenn Miller** através das paredes. Meu avô costumava tocar seus discos antigos à noite, e era reconfortante ouvir, assim que eu adormeci Clive se enrolou ao meu lado.

A sensação de calma e tranqüilidade era boa demais para durar, e o Bate-Parede voltou forte e orgulhosa algumas noites mais tarde. 

Em primeiro lugar, suportei mais uma rodada com a Surrada. Ela tinha sido mais uma vez uma menina muito má, e certamente mereceu a surra que recebeu retumbante. A surra que durou quase meia hora, e acabou com as chamadas de "É isso Paizão, ai, Deus, sim, ai!" antes que as paredes começassem a tremer realmente. Deixei que a noite acabasse, rolando os olhos e ficando cada vez mais frustrada enquanto a noite continuava.

Na manhã seguinte, no meu momento no olho mágico, vi a Surrada sair e dei uma boa olhada nela. Rosto rosado e brilhante, era um uma menina pequena com quadris e coxas delineadas, e carregava um lixo enorme no tronco. Ela era baixa, muito baixa, como Ally era baixa, e um pouco gorda. Ela ficou na ponta dos pés quando ela deu um beijo de adeus na Bate-Parede, e eu perdi de vê-la enquanto eu a assisti na ponta dos pés. Fiquei maravilhada com o seu gosto por mulheres, era o total oposto do que eu tinha visto na Purina, que parecia uma modelo. 

Prevendo que Purina seria a próxima na lista, na noite seguinte dei a Clive uma tigela cheia de Catnip*** e uma tigela de atum. Minha esperança era que eu poderia deixá-lo um pouco perdido e dormisse antes que a ação começasse. Isso teve o efeito oposto, o meu menino estava pronto para a festa quando as primeiras estirpes de Purina vieram gritando através das paredes de cerca de 1h15 da manhã.

Se Clive pudesse ter colocado um mini smoking, ele teria. Ele espreitava da sala, andando para trás e para frente na frente da parede, pulando e arranhando. Quando Purina começou seus miaus porém, ele não se conteve e lançou-se na parede. Ele saltou da cabeceira para a prateleira da cômoda, nas almofadas e até mesmo escalou uma lâmpada para se aproximar de sua amada. Quando ele percebeu que nunca seria capaz de se enterrar sob o gesso, ele fez uma serenata para ela com algum tipo estranho de Gato Barry White*, seus miaus e seus uivos combinaram uns aos outros em intensidade. Quando as paredes começaram a tremer, e Lauren estava a fazendo gozar, fiquei estupefata com a forma como elas poderiam manter o controle e o foco com as batidas que estavam acontecendo. Claramente, se podíamos ouvi-las, elas devem ter sido capazes de ouvir Clive gritando a noite toda. Embora, se eu estivesse espetada na Maravilhosa Boceta da Bate-Parede, imagino que eu pudesse me concentrar também...

Mais tarde naquela noite eles foram para a segunda rodada, e cada vez que ela dizia "Da!" Eu respondia de volta em uma voz entediada. Eu estava cansada, eu estava com tesão, sem orgasmos a vista, e meu gato tinha um contonete engasgado em sua boca que parecia assustadoramente como um cigarro minúsculo.

Na manhã seguinte, eu arrastei minha bunda perseguidora de vizinhos para o olho mágico para outra rodada de Assistindo o Harém, e fui recompensada nesta manhã com um breve perfil lateral de Lauren enquanto ela se inclinava para dar um beijo de adeus em Purina. Foi rápido, mas tudo que eu vi foi sua mandíbula. 

A mandíbula era forte.

A mandíbula era definida.

A mandíbula era boa. 

A melhor coisa nesse dia foi a visão da mandíbula. O resto do dia foi uma merda. Primeiro, houve um problema com o empreiteiro geral da casa dos Nicholson. Parece que ele não tinha apenas tomado pausas para o almoço extremamente longas, ele estava realmente queimando um em seu sótão todos os dias. O terceiro andar inteiro de sua casa cheirava a um concerto de Dead. 

Em seguida, um palet inteiro de azulejos para o chão do banheiro veio rachado e trincado. A quantidade de tempo que ia levar para outra encomenda chegar ao local e redefinir todo o projeto de novo, duraria pelo menos mais duas semanas, não deixando qualquer possibilidade de terminar a tempo. Qualquer construção importante ocorre com a data de término do projeto e é sempre um tempo estimado de conclusão. No entanto, eu nunca tinha perdido um prazo. Eu sempre fui capaz de concluir os meus projetos na hora, e este seria um trabalho de alto nível, isso me deixou muito estressada para perceber que não havia nada que eu pudesse fazer além de voar para a Itália e trazer de volta aqueles azulejos malditos por mim mesma.

Eu tive um almoço tardio com Dinah naquele dia, a encontrei no nosso lugar favorito, Harvest and Roe**. Era perto do centro de design, e eles faziam a melhor salada da cidade. Nós pedíamos pra viagem normalmente, mas desde que nós chegamos lá em torno de 2:30, ficamos ali. 

"Então, qual é a mais recente sobre a Bate-Parede, ela trouxe para casa qualquer outra cigana? Ou uma dançarina argentina?", perguntou ela, quando ela mordeu um pedaço de aipo.

  "Oh Deus. As coisas ficaram em silêncio por um tempo, mas agora os orgasmos começaram,novamente, o tempo inteiro. Embora ele pareça ficar com suas galinhas regulares. Londrina não fez uma aparição, mas eu estou apenas esperando isso em qualquer dia agora. Eu mesmo assisti Mary Poppins*** na outra noite se preparando para o ataque", eu suspirei, cavando através da minha salada para chegar a todas as coisas boas da parte inferior. 

Por que eu ainda me incomodava em pedir com alface, quando claramente tudo o que eu queria era o abacate e queijo parmesão? E os croutons. E o palmito. E o... 

"Hey, já colocou os olhos nela. Você a conheceu?" Dinah interrompeu meu devaneio com a salada.   

  "Nope. Embora eu finalmente tenha dado uma pequena espiada nela esta manhã quando Purina estava se despedindo dela", eu respondi, chupando um pedaço de alcachofra.   

  "E?" 

"Eu só vi seu perfil, mas o maxilar era muito lindo", eu respondi, pensando na maneira como ela o apertou quando ela se inclinou para beijar seu adeus em sua gatinha russa.Bebi minha Pellegrino* pensando nesta manhã. 

  "Camila Cabello, olhe para esse rubor", ela riu, e eu olhei para o meu guardanapo.  

  "Cale-se", eu insisti, sentindo meu rosto ficar ainda mais quente. 

"Você tem uma queda por sua vizinha mulherengo que você nem sequer viu ainda! Tão completamente fodida", brincou ela. 

  "Sério, cale a sua boca bonita. Tudo o que eu vi foi o lado do seu rosto, quem sabe como o outro lado parece. Isso pode ser uma situação ridícula, sabe" Eu fiz uma careta, não acreditando nisso por um segundo. O mesmo Deus que deu a este indivíduo o poder de fazer uma mulher miar também é o mesmo Deus que a fez pecaminosamente bonita.  

  "Claro, claro, independentemente disso Cabello. Você está tão ferrada."  

  Depois do almoço eu fiz meu caminho de volta ao trabalho, parando na loja para olhar algumas botas novas. Eu tinha feito planos com um amigo que conheci de Berkeley para caminharmos ao longo da Marina do pontal neste fim de semana. Eu estava checando os modelos diferentes, quando senti uma respiração quente no meu ouvido que eu instintivamente me encolhi. 

  "Ei, você," eu ouvi, e eu congelei em terror. Flashbacks derramaram sobre mim, e vi manchas.Eu senti frio e calor ao mesmo tempo, e minha visão oscilou de dentro para fora. A única experiência mais aterrorizante da minha vida passou diante dos meus olhos, e eu os fechei tentando parar o ataque de imagens que ameaçavam me fazer desmaiar. Eu me virei e vi... 

Cory Weinstein Maldito. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...