História Submissa - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Personagens Anastasia Steele, Christian Grey
Tags Anastasia Steele, Christian Grey, Cinquenta Tons De Cinza, Drama, Hentai, Submissa
Exibições 599
Palavras 1.688
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá amoresssss <3


Está aqui mais um cap, comentem :3

Boa leitura ^.^

Capítulo 4 - Chapter IV


 

Respirei fundo e olhei para o meu ex-gerente.

- Senhor Finn, posso lhe fazer uma pergunta? 

Indaguei.

- Sim Anastasia.

Disse.

- O senhor Grey tem alguma coisa a ver com isso? Seja sincero, por favor.

Eu precisava saber disso. 

Ele suspirou.

- Sim querida tem. Ele me ofereceu uma boa quantia em dinheiro. Esse homem é muito poderoso, e com isso eu poderia melhorar muito esse estabelecimento, me desculpe por isso. Não sei quais são as suas intenções com você, mas aproveite, pense na sua irmã Anastasia. Se você demorar, pode ser que sua irmã não aguente. 

Ele disse com um semblante triste. Eu sabia que esse homem estava metido nisso, mas que droga! Eu não quero nada com esse homem, quero um emprego digno e conquistar tudo com o meu próprio mérito. Mas em partes o senhor Finn tem razão, pois se eu demorar muito, pode ser que Bella não aguente. E isso não pode acontecer, mas sem emprego fica muito complicado. 

- Eu entendo sua situação senhor Finn, mas eu não quero me envolver com esse homem, eu nem o conheço. E algo me diz que o que ele quer comigo não é nada bom. Por favor, não me demita. 

Tentei mais uma vez, não queria acreditar que estava desempregada.

- Não posso fazer nada, já aceitei seu dinheiro. Sinto muito, mas agora tenho que trabalhar. Pode pegar suas coisas e se retirar, boa sorte Anastasia.

Assim que disse se afastou da sala. 

Suspirei. Peguei minhas coisas e me retirei do restaurante que trabalhei por dois anos. Olhei para o local mais uma vez, e fui ao ponto de ônibus. Olhei o horário no relógio e era 20h. Uma raiva se apossou no meu corpo. Eu estava com ódio daquele homem. Ele me fez perder esse emprego, o que esse homem queria de mim afinal? 

De uma coisa eu tinha certeza; iria acabar com aquela cara de anjo dele.

 

 

Peguei outra rota de ônibus, ao invés de ir para casa, ia dar uma visitinha a mansão luxuosa daquele cretino. Nunca fui de ser barraqueira ou algo do tipo, mas isso foi o cúmulo, e ele iria me ouvir.

 

Assim que desci no ponto, andei a passos largos e firmes até a mansão. Apertei no interfone com toda a força que tinha. 

- Sim?

A mesma voz que me cumprimentou na última vez indagou. 

- Anastasia Steele, abra por favor.

Disse sem rodeios, e tentando não ser rude pois a mulher não tinha nada a ver com a minha fúria que sentia pelo seu patrão.

A porta se abriu, e eu entrei rapidamente. Abri a porta da mansão e adentrei rumo ao quarto do Christian Grey. Não queria saber o que ele estava fazendo, apenas queria socar sua cara.

- Querida, por favor, não vá ao quarto dele...

A moça falou, mas eu não dei ouvidos. Segui até o seu quarto, e a porta estava fechada, mas nem bati. E como estava destrancada, abri sem cerimônias.

- Posso saber que merda você quer comigo?

Elevei minha voz ao falar, queria saber de uma vez por todas o que ele queria de mim. Mas só aí, tendo alguns segundos de silêncio, percebo o que estava acontecendo. 

Minha boca abre algumas vezes mas não sai nada. O cenário que estava a minha frente era constrangedor. O senhor Grey estava nu penetrando uma mulher por trás. E quando repararam a minha presença se ajeitaram rapidamente. A mulher estava totalmente corada, e o Christian estava com um sorriso sacana no rosto, e sem nenhuma vergonha por ter sido flagrado.

Eu estava chocada. Eu estava com ódio desse ser, mas eu estava totalmente envergonhada por presenciar algo do tipo. Queria sair dali imediatamente. 

Em um gesto de cabeça o Christian acena para a mulher se retirar, a qual saiu em passos largos e de cabeça baixa, provavelmente por estar com muita vergonha. 

- Estava esperando por você.

Ele quebra o silêncio.

- Por mim? Olha, não me deixe mais furiosa do que já estou. Por quê você fez aquilo? Por quê deu dinheiro ao meu ex-gerente para me demitir? Você sabe o quão importante aquele emprego era para mim? Não né?! Você tem o dinheiro o suficiente para suprir suas necessidades, mas eu não, por favor não arruine minha vida. 

Dizia furiosa. Meu corpo estava quente, minha cabeça girava, eu queria gritar todos os palavrões possíveis para ele, mas estava me controlando para não perder muito a linha.

 

- Sim, por você. Anastasia Steele, quero que saiba de uma coisa. Quando eu quero algo, eu vou até o inferno para conseguir. E não se preocupe, com o emprego que eu tenho a te oferecer, você terá uma vida de rainha. 

Ele disse em um sussurro provocativo. Que por incrível que pareça estava surtindo efeito em mim. Mas logo me recompus, não iria ceder a ele. Mas estava ficando meio que difícil, com a visão nua dele perante a mim. Aquilo era tortura!

 

- Se vista, por favor?! 

Indaguei. Se ele continuasse nu, eu não iria conseguir ter uma conversa "civilizada".

- Por quê? Não vejo problema em ficar nu. Está te deixando molhada? Se sim, irei ficar desse jeito. 

 

Ele estava mesmo me perguntando isso? Nunca na vida que iria admitir algo desse tipo. Eu estava mesmo sentindo algo úmido entre minhas pernas, mas nunca iria admitir. 

- Não, mas quero falar com você com trajes. 

Ele suspirou.

- Tudo bem, então.

Ele pegou uma cueca e vestiu.

- Pronto, Anastasia, pode olhar.

Ele sorriu cínico.

- Ok, que emprego seria esse?

Indago desconfiada. Eu ainda não estava acreditando em nada do que saia da boca desse homem. 

- Me servir, ora essa. Por acaso, a Megan não esclareceu nada a você? 

Questionou com o cenho franzido.

- Servir? Tipo um café, como uma secretária? Quem é Megan?

Se fosse, talvez seria uma boa oportunidade, já que ele é um dos homens mais influentes dos Estados Unidos, um emprego como secretaria renderia um bom salário. 

Ele sorriu debochado de minha frase, o que eu disse de errado?

 

- Você é mesmo muito inocente, Anastasia. Pelo visto ela não disse nada mesmo a você, mas não importa, melhor assim.

Diz passando a língua nos lábios e continua.

- Sim, você faria isso também, mas faria algumas coisas a mais. 

Christian dizia se aproximando de mim, e assim que chegou perto o suficiente, mordeu o lóbulo de minha orelha. Estremeci com o seu toque, por que eu não conseguia recuar? Por que eu clamava por mais toques seus?

- Que tipo de coisas?

Indago.

- Faria coisas que toda submissa faz. 

O olhei incrédula.

- Submissa? 

Indaguei espantada.

- Sim, submissa. E você irá ganhar muito bem. Mas antes de você dizer alguma coisa, acho melhor você pensar bem, pois eu já sei sobre a situação de sua irmã, sei que ela está no hospital e que se você não tiver com dinheiro em mãos, sua irmã não terá chances, além disso sei que você está com uma dívida enorme,  e encontrar um emprego que pague bem não é fácil. 

Sorriu. Como ele sabia de tudo isso? Ele estava definitivamente me encurralando, e ele tinha razão. Se eu não tivesse o dinheiro logo, minha irmã poderia morrer. Eu respirei fundo, isso era muito para assimilar. Eu não podia dar uma resposta assim de imediato, precisava pensar.

- Eu não sei como você sabe disso, não sei por que toda essa cisma comigo, mas eu realmente preciso desse dinheiro, e não pretendo me submeter a isso. Mas estou muito confusa e desesperada, eu posso te dar a resposta amanhã? 

Indaguei receosa. Espero que ele aceite, se não eu me viro de qualquer jeito.

- Sem problemas, não tenho pressa. 

Ele sorriu de novo, mas agora mostrando os dentes perfeitamente alinhados.

Suspirei, e apenas girei os calcanhares para sair do cômodo. Queria sair dali o mais depressa possível, e pensar em tudo que estava acontecendo.

(...)

Cheguei em casa cansada. Peguei a primeira fruta que vi e mordi. Não estava com ânimo para nada. Só queria esfriar e esvaziar a mente, foi o que fiz me jogando na cama para dormir.

(...)

Acordei de mau-humor, fazendo as minhas higienes e logo em seguida indo preparar o meu café, que foi apenas umas torradas com geleia e um suco. Assim que terminei me arrumei e fui para o hospital visitar a minha irmã.

Entrei no hospital e segui direto para o seu quarto, adentrei silenciosamente, e pude ver que minha irmã estava mais pálida. 

Me aproximei, e dei um beijo em sua testa. Com isso ela abriu seus olhos.

- Ana? 

Diz.

- Sim, sou eu meu amor.

Sorrio.

- Senti sua falta.

- Também senti meu amor, como se sente?

Perguntei, fazendo um carinho nos seus cabelos.

- Sinto enjoos.

Responde com um semblante triste.

Assim que diz, ela apenas vira o rosto e põe tudo para fora. Meu coração se aperta, e eu entro em desespero. 

- ALGUÉM POR FAVOR, PRECISO DE AJUDA.

Gritei do quarto, amparando minha irmã. Colocando seus cabelos para trás facilitando, enquanto ela despeja tudo para fora.

E logo a porta se abriu revelando uma enfermeira agitada. 

- Ela vomitou de novo?

A enfermeira indaga.

- De novo? Ela vem vomitando?

Indago preocupada.

- Sim, ontem ela vomitou três vezes, ela está piorando senhorita Steele, ela precisa fazer a cirurgia logo. 

A enfermeira me dizia, enquanto limpava o vômito e dava um remédio a minha irmã. 

- Pronto, se você sentir enjoo de novo, apenas vomite nesse balde, ok?

A enfermeira pergunta, e Bella assenti com um aceno de cabeça.

- Ok, vou me retirar qualquer coisa me avise.

Ela diz e logo se retira do quarto.

- Se sente melhor pequena? 

Perguntei aflita.

- Sim, Ana. Mas esses enjoos estão constantes.

Ela diz cabisbaixa.

- Vai passar meu anjo, você irá fazer essa cirurgia o mais rápido possível.

 Eu ainda não havia pensado na proposta do Christian Grey, mas com o estado piorando de minha irmã, eu já tinha decidido. 

 

Eu iria ser a sua submissa. 

Por você, Bella!


Notas Finais


Bellinha está mal ;(

Ana aceitou ser submissa, e aí o que vcs acham que vai acontecer ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...