História Submissive;; Jikook - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin
Visualizações 295
Palavras 1.993
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi oi, tudo bom?
Estou bem, também.
Fui numa loja com minha mãe hoje e estou apaixonada pelo carinha que trabalha lá. Oremos!

Boa leitura!

Capítulo 31 - Eu estaria melhor com outra.


Fanfic / Fanfiction Submissive;; Jikook - Capítulo 31 - Eu estaria melhor com outra.

 

 

Dou um cigarro ao acastanhado, que estendia a mão com esse intuito. Ele beija o meu rosto com a sua habitual postura educada e  alegre e segura o cigarro entre os seus lábios, imito o seu ato em seguida. Entrego o isqueiro, que consegui roubar de Jungkook, à Taehyung que pedia já com um pequeno bico formado. Rio da sua atitude infantil, da qual eu também faço com bastante frequência, e olho atentamente as suas ações. Ai dele que guarde o meu bonito isqueiro acidentalmente. 

Com o cigarro fixo entre o seu indicador e o seu dedo do meio, Taehyung escreve rapidamente uma mensagem. Claro que não olhei durante muito tempo para o seu celular, não sabendo por isso do que se tratava ou para quem se tratava. Contudo, a minha vontade era essa mesma.

 "Como estão as coisas com a Hwasa?"

 "Eu e a Hwasa somos só amigos, Jimin." Tae afirma após libertar o fumo de forma lenta entre os seus lábios. Notava-se estar relaxado perante a minha pergunta, por isso, decidi ir um pouco mais longe e falar do meu querido amigo.

"E como vão as coisas com Hoseok?"

Os seus olhos arregalaram com a menção do seu nome e quase imediatamente olhou para mim. Parecia surpreso, ainda que já devesse me conhecer melhor. Ele sabe que eu gosto de picar as pessoas e de levá-las ao extremo. Já devia estar esperando que eu falasse do moreno, claramente, que chamou a sua atenção.

 "Nós também somos só amigos."

 "Eu sei que vocês se beijaram."

E aqui estou eu, Park Jimin, adotando os métodos mentirosos de reter informação do atraente e mental sadomasoquista que eu estou namorando. Agora que reflito sobre o nome insultuoso que lhe atribui reparo ter melhorado bastante.

 "Como sabe que nós nos beijamos? Você viu?"

 Ele questiona corado com a vergonha. Taehyung fica logo inquieto, mostrando o quão incomodado havia ficado com a minha mentira. Sorrio pelo meu objetivo ter sido bem-sucedido e dou um pequeno empurrão para que ele ficasse mais à vontade.

 "Não, não vi, nem sequer sabia. Apenas tentei a sorte, mas agora quero saber."

Taehyung dá de ombros, claramente afetado com o meu confronto. Talvez eu tenha exagerado ao ter invadido a sua privacidade ao tentar enganá-lo mas admito não ter sido por mal. Eu gostaria que ele falasse mais comigo visto que é das poucas pessoas com quem me dou aqui, na universidade. Ainda que fale com mais pessoas, Taehyung além de ser meu colega de quarto, é o meu melhor amigo. Queria que ele se abrisse mais comigo, mesmo eu não tendo feito.

 "Eu e o Hoseok não somos nada, Jiminie. Nós apenas nos beijamos, fim da história."

 "Certeza que foi só isso?" Eu questiono, com um grande sorriso esboçado.

 "Jimin, é sério..."  

 Taehyung coloca o seu olhar no cigarro, parecendo pensativo. Olho-o, sem conseguir notar sinais de vergonha ou de timidez, desta vez. Ainda que sem certeza, posso até assumir que Taehyung se encontra triste. Chego mais perto dele e continuo a olhá-lo atentamente, tentando decifrar o que o colocou naquele estado. Terá sido algo que eu disse?

 "O que foi?"

 "Como quer que eu confie em você, se você não consegue confiar em mim?"

 "Como assim?" Questiono completamente perdido na conversa.

   "Jimin, você está ciente de você mesmo? Na semana passada, no seu aniversário, você nos abandonou. Todos os seus amigos, logo no início da noite."

 Tae deixa o cigarro cair no chão e observo-o apagar lentamente devido ao contato com o chão gelado. Refletindo relativamente ao meu comportamento da semana passada, ele estava dotado de razão sobre o assunto do meu aniversário. Eu devia ter dito algo à eles que ia embora, visto que fizeram um esforço para estar comigo naquele dia. Eles podiam ter ido para casa, ver as suas famílias, ou podiam ter ficado estudando para as provas, mas ao invés disso eles deliberaram festejar comigo. Festejo esse que quase não compareci.

 Taehyung prossegue.

"Eu sei que você tem um namorado, é óbvio, ainda que nunca tenha dito nada sobre isso. Apenas queria que confiasse em mim da mesma forma que está pedindo agora."

 "Não é assim tão fácil, Tae." Eu murmuro, olhando o cigarro que ainda ardia entre os meus dedos.

 "Não tem que dizer quem é, eu não te peço isso. Apenas queria que partilhasse alguns momentos que tem com ele comigo."

 "Sim, tem razão. A minha atitude tem sido muito idiota ultimamente, me desculpe. De fato, eu devia ter falado mais sobre isso contigo. "

 "Não faz mal."

 "Estamos bem, então?"

 "Estamos sim, Chimchim." Taehyung sorri e me empurra com seu ombro, brincando comigo com o intuito de quebrar a tensão que a conversa havia gerado. Sorrio também e acabo por lhe fazer o mesmo. "Mas me fala sobre ele." Insiste.

 "Bem, para começar, ele é lindo."

 "Já imaginava que ia dizer algo desse gênero." Taehyung ri. "Fale mais."

 "Ele me convidou para jantar com ele esta noite."

 De fato, Jungkook me surpreendeu quando me fez essa proposta. Eu gosto de passar tempo com ele fora da universidade por isso a minha resposta foi dita quase sem deliberação. Os momentos que passo com Jungkook fora da instituição, além de serem mais divertidos e de nos sentirmos mais livres, transmitem mais a noção da realidade de um relacionamento. Noção essa que não conseguimos ter quando nos encontramos no seu dormitório.

 "Sério? Isso parece ser mesmo sério."

 "Sim. Espero que ele não tenha uma grande ideia porque um fast food basta para me fazer sorrir durante uma semana."

 "Está dizendo que a companhia dele é que importa? Oh, que querido..." Taehyung interpreta, com um olhar apaixonado.

 "Não." Eu franzo a sobrancelha, estranhando a sua observação exagerada. "Apenas estou dizendo que prefiro fast food. Além disso, a comida é mais barata do que num restaurante todo elegante, do qual eu nem sequer me importo."

 Taehyung acaba rindo, concordando comigo, embora antes tenha desaprovado o meu comentário com o seu olhar. Claro que a companhia de Jungkook é importante, mas se o objetivo é jantarmos, ao menos que seja um hambúrguer ou um cachorro quente. Somente desejo algo barato e que alimente, ao invés de amostras de comida.

 "O Hoseok disse que estava interessado em mim." Taehyung expõe, com o seu olhar colocado no chão. "Eu me sinto atraído por ele mas tenho receio de avançar. Quero levar as coisas com calma, mas tenho medo que ele não entenda."

 "Eu sei que o Hoseok não demonstra ter muita maturidade, devido às suas brincadeiras infantis, mas ele é compreensivo e sei que uma conversa séria com ele vai fazer bem. Quem sabe, pode ser o começo de algo."

"Acha mesmo, Jimin-ah?"

 "Sim, acho mesmo." Digo honestamente.

 "Obrigado." Tae me abraça e não consigo evitar sorrir ao ver a sua alegria. Sei que ele ainda está hesitante quanto ao meu conselho mas, pelo que conheço de Hobi, sei que se ele seguir a minha sugestão, ele irá ser compreensivo.

 

 

 "A madame ainda está amuada?" Jungkook questiona colocando a sua mão quente na minha perna. Os meus braços continuam cruzados e o meu rosto está praticamente espalmado contra o vidro gelado. "Já vi que sim." Conclui.

 "Eu queria fast food!" Reclamo sem sequer olhar para ele. Jungkook me informou de que o restaurante ia ser formal. Infelizmente, ele só o fizera quando eu já me encontrava pronto, com as minhas lindas calças jeans e com a minha maravilhosa camisa branca de lã. De fato, uma roupa muito propícia para um encontro tão formal como o que ia ter.

 "Jiminie, está ótimo!"

 "Está vendo uma roupa formal no meu corpo? Não, então não estou ótimo para o jantar."

 "Eu acho que está lindo." Jungkook tenta me beijar mas como eu estava muito afastado e por ele estar conduzindo, acaba desistindo da sua tentativa. "Qual é a diferença entre vestir uma calça jeans e uma blusa ou uma roupa social? Vai acabar sem roupa no final do encontro."

 "Eu estaria melhor com outra."

 "Eu gosto de te ver assim, simples. Sério amor, não fique chateado."

 "Para o próximo, quero um hambúrguer."

 "Eu não gosto muito de hambúrguer."

 "Não gosta de hambúrguer, não gosta de pizza, eu estou namorando com o homem mais esquisito do mundo!"

 "Deixa os meus gostos em paz."

 "São gostos de idoso."

 "Me deixa ser feliz."

 Jungkook ri e continua a sua condução. Na rádio passava uma música animada que ficava bastante na cabeça. Sorrio e passo a mão na minha bochecha gelada, anteriormente esborrachada contra o vidro. Contrariando a meteorologia prevista para o dia de hoje, a chuva acaba por aparecer e acompanhar a viagem interminável até à nossa chegada ao restaurante.

 À primeira vista não parecia um restaurante tão elegante como a minha mente imaginara, mas ainda assim havia pormenores no seu interior que lhe davam um ar sofisticado e complexo. As nossas mãos estavam entrelaçadas, o que era estranho por estarmos em público. Olho atentamente o espaço, em tons de preto, branco e vermelho. O pavimento era preto e com objetos brilhantes e havia pequenas velas acesas centradas nas mesas.

 Jungkook caminha entre as mesas já ocupadas por diversos casais, fazendo o meu coração acelerar de todas as vezes que olhavam para mim. Seguia-o, sem conseguir largar a sua mão, e acabo por assentir à sua decisão.

 A mesa que Jungkook escolhera não ficava ao lado de uma grande janela com uma espantosa vista para um rio ou para um monumento característico de determinada cidade. O nosso namoro não é um resumo de um livro, é algo real, por isso a nossa mesa ficado num lugar discreto e sem grande coisa ao seu redor.

 "Está confortável?"

 "Estaria melhor com outra roupa."

 "E lá vamos nós outra vez..." Jungkook revira os olhos.

 Os cardápios pretos são entregues e os meus olhos deslizam entre a extensa lista de refeições que o restaurante se propõem a cozinhar. Já prestes a desistir de analisar os itens, devido à minha indecisão, acabo vendo algo motivador.

 "Jungkook! Jungkook!"

 "Que foi?"

"Eles fazem hambúrgueres!"

 "Jimin, decerto que é no prato com algo a acompanhar, como salada, batatas fritas ou arroz." Ele explica de forma passiva, deixando escapar um suspiro por entre os seus lábios.

 "Não interessa. Eu estou com desejos."

 "Foda-se, então peça!" Jungkook exclama a minha afirmação, quase instantaneamente. Decido então tirar proveito do seu receio e brincar mais um pouco com a situação.

 "Acha que foi uma boa maneira de dizer que estou grávido?"

 "Engraçadinho. Homens não engravidam."

 "Mas o meu bebê interior quer um hambúrguer e um cachorro quente."

 "O seu bebê interior é você, idiota." Jungkook revira os olhos e bate com a palma da sua mão na testa, mostrando de forma indireta que eu era um caso perdido. "Você tem um bebê interior e tem um bebê exterior. Todos sabem."

 "Você é mau." Fiz birra, batendo com os meus talheres na mesa.

 Jungkook alcança as minhas mãos e para-as, dando um sorrio falso aos empregados que passavam perto de nós naquele instante. Um olhar desaprovativo cai sobre mim e devido à proximidade do seu rosto do meu, acabo por o beijar. Jungkook retribui embora com muito esforço, devido à posição desconfortável em que estava.

 Um aclarar de voz acaba captando a nossa atenção, interrompendo o nosso afeto. Jungkook olha o senhor que se preparava para anotar os pedidos, ligeiramente constrangido. Coloco o meu cotovelo na mesa e tapo a minha boca com a mão para não rir da situação.

 Eu sei o quão infantil sou e sei que as vezes Jungkook não tolera esse meu comportamento, mas eu nunca gostei de um relacionamento sério. Na verdade, relativamente a namoros, nunca fui de extremos. Acho que é necessário a honestidade e a cumplicidade mas, contudo, acho que a diversão e o bom humor são sempre essenciais.

 

 E é assim que eu tento fazer o meu relacionamento com o moreno atraente, que neste momento se encontra envergonhado, à minha frente. 
 


Notas Finais


Hello angel 8*

Olha, queria avisar que a partir do próximo vcs vão me odiar um pouquinho.
Vou tentar atualizar mais tarde, não prometo pq ando muito preguiçosa.

Deem uma olhadinha na minha outra fic Jikook:
https://spiritfanfics.com/historia/o-herdeiro-jikook-9162983

Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...