História Subterrâneo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags C Avernas, Cavernas, Originais, Romance, Subterrâneo, Suspense
Exibições 12
Palavras 667
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


VOLTEI AAAAAAEEEEE
Capítulo curtinho só pra me organizar.
• PERDÃO POR ALGUM ERRO DE EDITAÇÃO DE TEXTO (arrumo no pc)
• Eu queria que ele fosse maior, mas pra organizar e satisfazer vocês eu mandei logo!

Não me abandonem please :')

Capítulo 4 - Perdida


POV'S ERICK

Assim que subi as escadas do alçapão e me despedi de Catherine, me apressei a visitar a nossa rua. Eu não sentiria falta jamais desse ambiente. Eu só queria ficar perto da Cath. Nem meus pais me aceitariam quando descobrisse que tenho magia. Nem iriam acreditar. Deve ser péssimo quando até seus pais deixam de ter confiança em você. Eles começam a duvidar. E te mandam embora.
Antes de ir falar com os pais de Cath, fui até minha casa e observei meus pais pela janela.
Estavam preocupados. Haviam ligado para a polícia. E estavam com um cartaz antiquado dizendo "Desaparecidos. Catherine e Erick. Caso encontre-os ligar para 988654376"  e logo abaixo uma foto nossa de um ano atrás. Os pais de Cath estavam juntos com os meus e esperavam um policial. Eu rapidamente me dirigi a porta de entrada e toquei a campainha. À partir de agora eu seria um "detetive".
Tossi para limpar a garganta e toquei novamente a campainha. A porta se abre e a mãe de Cath aparece enxugando os olhos inchados de lágrimas. Consigo ver minha mãe abraçada com meu pai desesperada. Respiro fundo e falo:
- Olá senhora. Vejo que estão passando por um problema delicado,fuga de seus filhos. Bom, se me permitirem, posso ajudar.
- O-olá senhor -  ela falou me olhando torto. - O s-senhor é um detetive?
- Detetive Alec Mills à disposição - falei tentando dar uma animada no clima - A senhora é a...?
-  Emma. Mãe da Catherine. Esse é meu esposo, William - então ela me apresentou cada pessoa que estava ali.- A mãe de Erick é a Violet e o pai é o August. Estamos aflitos.
Aquela breve descrição de como estavam me deixou um pouco enjoado.
- Pode me chamar de "Você". Bom Sra. Emma, se me der licença irei começar pelos pais de Erick. Algo me diz que eles precisam de um conforto maior. - ver meus pais assim acabou comigo. Pior ainda quando eu lembrei que estavam assim por causa de mim. Me aproximei deles. Tentei ser discreto mas tive que usar magia para conter as lágrimas. Então falei:
- Eu sinto muito por isso. Mas temo que ainda temos chance de encontrá-lo. - dei um sorriso sem graça e comecei as perguntas.
- Sra. Violet, onde vocês viram o Erick pela última vez?
- E-ele estava chateado conosco. Algo de errado havia nele, e ele não queria contar para nós. À dois dias ele ainda estava em casa e depois fugiu, voltou, e fugiu com a Catherine.- ela deu uma pausa para enxugar as lágrimas - Não sabemos o que tinha na cabeça dele.
Eu iria precisar de um psicológico forte. Ver como minha mãe pensa sobre mim é extremamente delicado e emocionante. Mas eu tenho certeza que não me aceitariam.

POV'S CATHERINE

Assim que Erick saiu, tentei me entreter com algo. Comecei a perder a paciência e fui respirar ar puro. Saí pelo buraco da caverna até a floresta e me senti aliviada. Porque tenho que ficar presa aqui? Quando ele vai entender que não sinto a mesma coisa por ele, digo, sinto algo a mais?
Assim que deitei na grama,fechei os olhos e tentei relaxar. Tentei me concentrar em como lidar com os poderes de Erick. Um vento forte veio em minha direção e eu levantei assustada, era tremendamente forte.
Algo estava errado, as folhas das árvores se desprendiam de seus galhos e voavam até bater em meu rosto. Tive que proteger meu rosto com as mãos. Do nada algo, mas parecido com alguém surgiu perto de algumas árvores que estavam se desestruturando. Me desesperei, tentei correr e voltar para a caverna mas a mesma estava trancada, não conseguia me mexer. Lágrimas já escorriam de desespero, até que a ventania parou e eu pude me mexer. Corri até não poder  mais e quando olhei pra trás, não via mais nada. Nem caverna, nem Erick, sem ninguém por perto.

Estava perdida. E não poderia mais voltar.


Notas Finais


<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...