História Sucker for Pain - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Leighton Meester
Personagens Jeremy Bieber
Tags Bullying, Ciumes, Coração Partido, Obsessão
Exibições 102
Palavras 2.107
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tenham uma boa leitura.
Espero que gostem.

Capítulo 4 - Miss nothing


Despertei piscando os olhos lentamente. Me espreguicei de forma espaçosa ocupando grande parte da cama.

Olhei ao meu redor e eu não estava em meu quarto. Me sentei na cama em um pulo ,notando também que estava usando apenas uma cueca.

Que porra é essa? Bieber seu maldito.

Eu nem me lembrava de ter dormido na casa desse garoto. Sera que chorei tanto ao ponto de pegar no sono? Acontecimentos da noite passada voltam em minha mente. Passo a mão no rosto aflita.

Me levanto da cama pegando minhas vestimentas de ontem que estava dobrada encima do sofá de seu quarto. Sai daquele comodo já me dirigindo a sala da casa. Notando que não havia ninguém ali fui para a cozinha tendo a visão das costas de Justin. Ele estava sentado na mesa enquanto mordia uma torrada - percebi pelo som do alimento crocante.

- Meu Deus - dei um pequeno pulo não percebendo que havia outra pessoa ali - Dormiu aqui ,querida? Justin nem me avisou - Dona Pattie disse com uma falsa irritação dando um tapa no ombro de Justin que riu.

- Ahn...sim ,é que - as palavras não saiam de minha boca. 

O choque de saber que Justin havia me visto completamente nua e desacordada bateu contra a minha face. Ele pode ter me tocado ou ter tido pensamentos impuros comigo. Fechei os olhos e respirei fundo me controlando para não surtar ali na frente de sua mãe e contar para ela a merda que seu filho é.

- Ela não queria ficar sozinha em casa mãe. Então a chamei para dormir aqui - disse o loiro virando seu corpo em minha direção e dando uma piscadela. Revirei os olhos.

- Sente -se querida ,sente -se - disse Pattie praticamente me jogando na cadeira ao lado de Justin.

A mulher de cabelos negros voltou a preparar algo na cozinha. Olhei para o garoto ao meu lado com um olhar mortal.

- Então Isa. Sua mãe viajou para onde? - voltei minha atenção para Pattie.

- Para Dubai. Com seu namorado - respondi tentando não demonstrar tristeza.

- Deixou uma garota da sua idade sozinha para viajar com um cara? - assenti cabisbaixa - Isso é triste.

Justin começou a rir e tentou disfarçar fingindo que estava se engasgando. Pattie o olhou com cara feia e ele voltou a comer sua torrada como se ele não tivesse acabado de rir da desgraça de alguém.

- Crianças ,tenho que ir trabalhar - deu um beijo na testa de Justin e na minha - Irão para a escola hoje?

Bieber me olhou com a sobrancelha arqueada. Neguei disfarçadamente com a cabeça. Querendo deixar claro que eu não iria para a escola de maneira alguma.

- Sim ,mãe. Isabella só irá para sua casa se arrumar - o olhei incrédula.

- Então vou indo. Se cuidem anjos - e assim saiu da cozinha. Esperei ouvir o barulho da porta da casa para começar a surtar. Me levantei em um salto fazendo Justin se assustar mas logo sorrir.

- Porque você tirou minha roupa ,seu desgraçado? - gritei - Que porra você ta pensando que é?

- Em primeiro lugar ,não grite comigo se não quiser levar um soco nesse seu lindo nariz - se levantou também me fazendo dar um passo para trás. Apontando o dedo indicador contra minha cara - Em segundo lugar ,você está na minha casa e estava na minha cama. Ou seja ,eu poderia ter feito o que quisesse com você sem sair um "a" de sua boca mas não o fiz - disse por fim e se afastou indo até a sala. Fiquei ali parada tentando digerir suas duras palavras.

Olhei para as minhas unhas e vi o quanto eu estava desleixada nesse últimos dias. Talvez por que o garoto loiro tenha tomado meu tempo ao ponto deu me esquecer de cuidar da minha aparência.

- Vamos Isabella. Não tenho o dia todo - disse impaciente. Fui até ele e notei a alça da mochila em seu ombro direito.

- Vai para a escola? - me aproximei.

- Nós iremos - disse com um sorriso no canto dos lábios.

- Não Justin ,por favor - supliquei enquanto ele sorria maldoso.

- Se eu disse que você vai é porque você vai. Sugiro que não me deixe irritado - disse ameaçador. Não respondi fazendo seu sorriso aumentar.

Saímos de sua casa e Justin trancou a porta com sua chave. Segurou meu pulso para que pudéssemos atravessar a rua. Ele me segurava para que eu não fugisse. Suspirei vendo que não havia como fugir desse vez ,eu teria que encarar esses fantasmas.

Quando passamos pelo jardim e chegamos a porta de minha casa. Justin já foi tirando a chave de seu bolso e a encaixando na fechadura. Abri a boca chocada.

- Antes que pergunte. Peguei do bolso da sua calça ontem quando te deixei peladinha - piscou para mim. Suas palavras me causaram repulsa - Se arrume rápido - olhou em seu relógio de pulso - Você tem dez minutos.

Não respondi nada ,não estava afim de discutir . Cheguei em meu quarto e me joguei em minha cama até que os dez minutos se passassem. Ri mentalmente ,Justin acha mesmo que me fará ir para a escola? Está enganado.

Quando estava quase pegando no sono ouvi o som da porta de meu quarto batendo com força contra a parede e um loiro raivoso passando por ela.

- Seu tempo acabou ,Cinderela - entrou em meu closet e logo saiu com uma calça jeans cinza e um moletom preto em mãos. Quem usa uma merda dessa para ir para a escola? E nesse calor? 

- Não ,não ,não - Justin puxou minhas pernas com força não se importando se iria me machucar e tirou a calça que eu usava colocando a outra no lugar. Ele fazia tudo de forma bruta e rápida o que causava uma leve ardência em minhas pernas. 

Passou o moletom por cima de minha cabeça e antes que eu pudesse raciocinar ele já estava metendo um Vans da cor preta no meu pé.

Parabéns Isabella. Da última vez que pisou naquela escola foi humilhada e agora será de novo graças a essas roupas.

E eu nem tinha tomado banho.

- Que inferno - grunhi irritada sentindo o olhar de reprovação de Justin.

- Vá escovar os dentes - apontou para o banheiro e eu continuei sentada em minha cama - Ou prefere que eu faça?

Andei até o banheiro bufando e comecei a fazer tudo de forma lenta. Desde abrir o armário ,pegar a escova e por a pasta.

- Se demorar vou te puxar pelos cabelos - gritou. Cuspi  a pasta na pia e enxaguei minha boca. Abri a porta e fui puxada para me sentar na cadeira que fica em frente ao meu criado mudo com espelho.

Justin começou a pentear meus cabelos de forma calma e digamos que um pouco carinhosa. Seu olhar se encontrou com o meu através do espelho mas ele logo desviou.

- Vamos. Agora - disse pausadamente. Me levantei e peguei minha mochila que eu já não mexia a décadas e antes que pudesse por no ombro Justin a pegou de minha mão e saiu com ela do quarto sem falar nada. 

Suspirei e fui atrás do mesmo. Saímos de minha casa e ele trancou a porta como se a casa fosse sua e ele tivesse toda a responsabilidade por ela. Cruzei os braços nervosa ao pensar que teria que pisar naquele local novamente. 

Pensei na possibilidade da poeira ter abaixado e as pessoas já terem esquecido daqueles - terríveis - acontecimentos. Seria possível eu recomeçar e trazer todos ao meu favor novamente? Não teria como saber sem dar uma olhada.

Fomos novamente até a casa de Justin dessa vez na garagem. Ele destrancou as travas do seu belo carro dourado sem dizer uma palavra. Entramos e ele logo arrancou dali.

No caminho me permiti a pensar em formas de sair dessa situação. Mas primeiramente eu teria que me livrar de Justin - olhei para o garoto ao meu lado por alguns segundos notando o quanto ele fica sexy com o maxilar travado. 

O carro parou de repente e estranhei por ainda faltar alguns metros para chegar na escola.

- Desça - disse seco. Me deixando confusa.

- O que? Mas não iria me levar para a escola? - perguntei sem entender suas intenções.

- Te trouxe até a metade do caminho. Continue sozinha ,não quero ser visto com você - suas palavras me atingiram em cheio. Abaixei minha cabeça sentido a mesma começar a latejar.  Abri a porta do carro com minha mochila já em meus ombros e sai do auto móvel.

- E não queira se fazer de esperta voltando para casa ou fugindo - disse me olhando pela porta aberta do carro - Faça isso e eu solto mais um de seus segredinhos - lambeu os lábios - Tenha um bom dia ,Senhorita Nada - o ignorei fechando a porta do carro com força começando a andar rumo a meu tenebroso destino.

Depois de alguns minutos parado. O carro do Bieber avançou em alta velocidade e o mesmo ameaçou a vir com o carro para cima de mim que estava na beira da calçada. Senti o forte vento que aquilo havia proporcionado fazendo meus cabelos voarem e se desarrumarem. Olhei seu carro ao longe que logo desapareceu.

Maluco filho da puta. - o xinguei enquanto penteava meu cabelo com os dedos.

                                                                                                                ௫

                                                                                            

Uns riam. Uns me olhavam com nojo. Podia sentir que todos falavam de mim.

"Oque essa vagabunda está fazendo aqui depois de tudo o que fez?"

"Resolveu virar gente? Cadê as roupas de vadia?"

"Libera para mim também gostosa"  

Coisas muito piores e ainda mais risos. 

Meus olhos marejaram então apressei meu passo para sair dali. Como pude achar que poderia ser diferente? Essas pessoas jamais esqueceriam aquele vídeo e todas as outras coisas.

Passei pelo gramado novamente mas dessa vez para sair do local. Praticamente corri pela rua querendo chegar rápido em minha casa e nunca mais sair. Vendo que já havia criado uma certa distancia do grande prédio rustico permiti-me a desabar.

Minha vida acabou. Eu não tenho mais o porque de continuar nessa merda. Ninguém me quer por perto ,ninguém se importa comigo.  Sei que errei ,errei ao transar com um professor. Errei ao transar com o irmão mais novo da minha melhor amiga e errei por ter transado com o namorado da metade das garotas do time; mas já é tarde demais ,não há o que eu possa fazer a não ser aceitar a merda que minha vida se tornou.

É tão difícil...

Pra quem sempre esteve por cima estar nessa situação é vergonhoso. Me sinto impotente por não poder fazer nada a respeito.

Cheguei em frente a porta de casa e me lembrei que Justin estava com a minha chave. Sentei nos degraus da entrada e passei o mão pelo rosto limpando as lágrimas que ainda caiam em excesso.

Estou perdida. Completamente perdida.

- Bella - ouvi a voz que me causava nojo. Não o olhei ,continuei com as mãos em meu rosto.

O som da porta sendo aberta me fez levantar rapidamente. Passei por ele esbarrando com força em seu ombro.

- Veio me ameaçar por ter fugido da escola? - perguntei de costas para ele.

Senti a aproximação do garoto atrás de mim e sua mão tocando meu ombro. Em um movimento rápido me virei dando um tapa estalado em seu rosto. O observei com o rosto virado e com a mão no local.

Imaginei que aquele tapa faria eu me sentir melhor. Mas não ,não chegou nem perto. Voltei a chorar não me importando se o Bieber me veria fraquejar ou se ele me humilharia por te-lo batido. Senti braços ao meu redor e meu corpo sendo apertado contra o peito definido de Justin. Ele me abraçava a força mas não me movi e continuei chorando baixo em seu ombro.

- Por que você faz isso? - sussurrei sem forças.

- Isabella. Olhe para mim - pegou meu rosto com as mãos olhando em meus olhos - Quantas pessoas ainda se importam com você? Quantos continuaram do seu lado nessa fase ruim de sua vida? 

- Nenhuma - disse quase inaudível. Abaixando a cabeça.

- Está errada - levantou meu olhar para o seu - Eu estou aqui. Mesmo que seja de uma maneira torta só quero que entenda que mesmo quando o mundo estiver contra você eu não te abandonarei

 

Eu sou a senhorita nada, eu perdi tudo.


Notas Finais


Sei que vocês vão pensar. "Nossa mas se a Isabella já não tem mais nada a perder - pois todos odeiam ela - que se foda se o Justin contar seus segredos ou não" e muitos também devem pensar na possibilidade dela mudar de país ou de cidade mas a historia é essa né. Se tudo for fácil assim não tem historia >Só esclarecendo algumas coisas.
E a fanfic não vai ficar nessa de chantagem pra sempre porque isso é enjoativo.

Então me digam. Oque estão achando? Gostaram do momento"romantico" ? jkk Espero que sim.
COMENTEM <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...