História Suddenly Forever - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Fifth Harmony, Wilmer Valderrama
Personagens Camila Cabello, Dallas Lovato, Demi Lovato, Lauren Jauregui, Personagens Originais, Wilmer Valderrama
Tags Demi, Dilmer, Hot, Wilmer
Visualizações 101
Palavras 2.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heey, bebês, eu tô soltando o cap hoje pq meu final de semana vai ser bem corrido, preparem o cu e boa leitura. :')

Capítulo 31 - Eu quero a minha filha


Fanfic / Fanfiction Suddenly Forever - Capítulo 31 - Eu quero a minha filha

Havia duas semanas desde que tudo aquilo tinha acontecido e Wilmer não tinha visto Demi nem Aurora, ele ficou sem falar com Rachel por alguns dias já que acreditava que se ela não tivesse feito aquela festa nada daquilo teria acontecido, mas ele não podia culpa-la por sua irresponsabilidade a partir do momento que começou a beber.

Demi ainda não queria ver Wilmer, não confiava nele como seu namorado nem como pai, Aurora ficou chateada com o pai sem querer sair com ele, mas isso foi apenas por alguns dias e ela já perguntava quando o veria de novo, mas Demi sempre dizia que não sabia e de tanto dizer isso Aurora começou a perceber que a mãe estava a enrolando fazendo a mal falar com ela.

Aurora estava de férias da escola e como Demi havia arrumado uma nova empregada, Aurora ficava com ela enquanto estava trabalhando.

– Como está a Aurora? – Marissa perguntou enquanto separava alguns papéis com Demi

– Você acredita que minha filha de sete anos mal fala comigo? – Demi disse

– Ainda por causa do Wilmer? – Marissa perguntou

– Ainda por causa do Wilmer – Demi respondeu – Ele não para de me ligar e eu não vou atender porque eu não quero ouvir a voz dele

– Eu acho que você deveria conversar com ele – Marissa disse

– Não tem o que conversar, Marissa, ele pisou na bola feio – Demi disse – Pode ser que eu mude de ideia futuramente, mas...

– Eu não sei o que acontece que vocês nunca conseguem ficar juntos e felizes – Marissa disse

– Talvez não seja para acontecer – Demi deu de ombros – Isso é o conto de fadas de hoje em dia, mas sem finais felizes – ela disse sem olhar para a amiga

Marissa percebeu uma certa tristeza na voz de Demi, mas sabia que era porque ela estava triste porque estava chateada com Wilmer. Antes que Marissa dissesse algo, seu telefone tocou e ela saiu para atender, aproximadamente cinco minutos depois ela ouviu sua porta abrindo e ao levantar o rosto viu que era Wilmer.

– O que está fazendo aqui? – Demi disse surpresa ao ver ele

– Eu precisava falar com você – Wilmer disse

– Não. Quem te deixou entrar? Alissa, está demitida! – Demi gritou

– Não a culpe, eu entrei quando ela foi no banheiro – Wilmer disse

– O quê? – Alissa disse surpresa se aproximando da porta da sala de Demi

– Nada, pode voltar a trabalhar – Demi disse e ela suspirou aliviada e ela saiu e olhou para Wilmer – O que você quer?

– Demi, preciso que me deixe ver ela – Wilmer disse se aproximando da mesa dela

– Não, eu não confio mais em você com ela, Wilmer – Demi disse

– Então me deixa pelo menos falar com ela por telefone, eu quero me desculpar com ela – Wilmer disse

– Eu já te falei que não, eu não confio mais em você – Demi disse

– Por favor, Demi, ela é minha filha – Wilmer disse

– Ela é minha filha também, mas eu nunca levei ela para uma boate de vagabundas – Demi disse

– Tudo bem, essa parte realmente, foi um erro – Wilmer disse

– Não esquece de dirigir bêbado e ser preso praticamente na frente da minha filha – Demi disse e ele suspirou

– O que ele está fazendo aqui? – Marissa disse quando voltou para a sala de Demi

– Ele já está indo embora – Demi disse

– Demi... – Wilmer começou mas ela o interrompeu

– Você não vai ver a Aurora, Wilmer – Demi disse – Vai embora

Wilmer suspirou e passou os dedos entre os cabelos, se virou e foi embora, ele sabia que se redimir com Demi não seria uma tarefa fácil, mas estava sendo mais difícil do que ele imaginava.

– Isso chega a ser crueldade, Demi – Marissa disse

– Como assim? – Demi disse

– Está na cara que ele não se orgulha de nada disso e quer se redimir com você e com a Aurora – Marissa disse – Sua filha de sete anos mal fala com você porque você a proibiu de ver o pai

– Ela é uma criança, vai passar – Demi deu de ombros – Agora a gente pode voltar a trabalhar sem interrupções, temos uma pilha toda de pastas para a separar – ela disse se referindo a pilha em sua mesa

Demi e Marissa voltaram a trabalhar, elas terminaram se separar os papéis perto da hora do almoço, pensando no que Marissa sobre Aurora estar chateada com ela e ligou para casa e logo a nova empregada atendeu.

– Alô? – ela disse ao atender

– Oi, Sue, como estão as coisas aí? – Demi perguntou

– Estão bem, a Aurora está no quarto brincando e assistindo televisão, eu vou dar almoço para ela agora – Sue disse

– Eu posso falar com ela? – Demi disse

– Claro, só um minuto – ela disse

Sue subiu as escadas indo até o quarto de Aurora e Demi ficou do outro lado da linha, mas quando sua chegou no quarto de Aurora ela não estava lá.

– Aurora? – Sue disse baixo e Demi acabou ouvindo

– Tudo bem? – Demi perguntou

Sue não a ouviu porque tinha tirado o telefone do ouvido para procura-la no banheiro do quarto.

– Sue, cadê a Aurora? – Demi disse com uma pitada de preocupação

– Eu... Eu não sei, ela não está aqui – Sue disse e viu um pote onde Aurora costumava guardar qualquer dinheiro que ganhasse aberto e vazio

– Como ela não está aí? – Demi disse

– Eu vou procurar no resto da casa – Sue disse

Demi ficou na linha enquanto Sue procurava por Aurora, ela procurou em todos os cômados da casa, na varanda, em alguns cantos caso ela estivesse escondida.

– Demi, ela sumiu, eu procurei por todas as partes – Sue disse, Demi não gostava de formalidade com as empregadas

– Não, ela não pode ter sumido, tem certeza que procurou na casa toda? – Demi disse já preocupada

– Absoluta – Sue disse, ela também já estava preocupada – Eu acho que ela saiu, ela pegou o dinheiro que tinha no cofre dela

– Ela não têm para onde ir – Demi disse e então se lembrou de Wilmer – Ou têm, espera, eu já te ligo

Demi desligou e ligou para Wilmer, ela imaginou que talvez Aurora tivesse saído e ido para a casa dele já que queria ver o pai.

– Alô? – Wilmer disse ao atender

– Wilmer, a Aurora está com você? – Demi perguntou

– Não, você disse que eu não posso ver ela, lembra? – Wilmer disse

Demi suspirou preocupada e Wilmer percebeu que tinha algo errado.

– Por que está perguntando se ela está comigo? – Wilmer perguntou

– Ela sumiu, saiu de casa sozinha e eu pensei que talvez ela tivesse ido atrás de você – Demi disse

– Ela deve estar tentando chegar na minha casa, então – Wilmer disse – Eu vou para casa, vou ver se ela está lá

– Tudo bem, quando chegar me liga – Demi disse

– Tá bom – Wilmer disse e em seguida desligou o telefone

Como Wilmer estava no lugar do chefe, ele estava com uma camisa social por baixo do jaleco, ele apenas tirou o jaleco, pegou suas coisas e saiu da sala, primeiramente, a procura de Rachel.

– Silvester – Wilmer a chamou e ela se virou olhando para ele – Eu preciso que fique com minhas cirurgias de hoje

– Wilmer, eu não sei se posso, minha agenda está cheia hoje – Rachel disse

– É sério, por favor, a Aurora sumiu e eu vou ver se ela está lá em casa – Wilmer disse

– Como sumiu? – Rachel disse um pouco confusa e surpresa

– Eu não sei, Demi só disse que ela saiu sozinha, parece, e ela acha que a Aurora foi para a minha casa – Wilmer disse

– Tudo bem, vai lá – Rachel disse, ela cedeu por motivo de força maior – Me dá notícias

Rachel era médica de Demi desde que Wilmer foi para o exército, ela acompanhou a gestação de Demi e até o nascimento de Aurora, então ela gostava da menina e ficou preocupada com seu possível desaparecimento.

Wilmer saiu e foi para casa, ele tentava pensar que ela poderia estar em sua casa o esperando, mas a porta ainda estava trancada como ele havia deixado quando saiu.

– Aurora? – Wilmer a chamou quando entrou em casa

Ele a procurou a chamando pela casa, mas nenhum sinal da filha, ele havia a procurado também durante o caminho e não viu nenhum rastro dela, e então ligou para Demi como ela havia pedido.

– Achou ela? – Demi perguntou ao atender, Wilmer pôde perceber pela voz dela que ela estava se segurando para não começar a chorar

– Não – Wilmer respondeu com um certo pesar e Demi suspirou como se fosse chorar – Demi... – ele começou mas ela o interrompeu

– Eu vou ligar para a polícia – Demi disse

– Espera um pouco, ela deve estar tentando chegar aqui ainda – Wilmer disse – Ela deve ter pegado um táxi, um ônibus, algo assim

– Ela não sabe nome de rua, Wilmer, eu tenho certeza que ela não chegar na sua casa – Demi disse

– Ela pode ter ido para o hospital – Wilmer disse – Fica no centro, é fácil chegar lá

– Você não acabou de sair de lá? – Demi disse

– No tempo que eu vim para casa ela pode ter chegado lá – Wilmer disse – Eu vou ligar para a Rachel

Wilmer desligou o telefone e ligou para Rachel, ele perguntou se Aurora havia aparecido por lá e ela disse que não, Demi não se via em condições de trabalhar com sua filha sumida, ela não conseguia parar de pensar em Aurora, então foi para casa com Marissa, já que a amiga não a considerava bem o suficiente para dirigir e Wilmer foi para a casa dela.

Demi havia mandado fazer uma pulseira de ouro para Aurora com uma plaquinha com o seu número de telefone em caso de emergência, então ela estava esperando alguma ligação, ou algo assim, nem que seja só para saber se ela estava bem.

– Se passaram horas, eu vou ligar para a polícia – Demi disse se levantando do sofá já impaciente

– Não vai adiantar nada, eles só registram o desaparecimento depois de 48 horas – Wilmer disse de pé com os braços apoiados no sofá

– Ela é uma criança, não consegue se virar como um adulto, não dá para esperar dois dias – Demi disse

– Eu também avô acho melhor ligar para a polícia, mas concordo com o Wilmer, pode não adiantar nada – disse Marissa que estava sentada ao lado de Demi no sofá

– Se não fizerem nada eu procuro minha filha sozinha – Demi disse

Ela pegou o telefone e ligou para a polícia, chamou algumas vezes e depois atenderam.

– Alô, eu quero registrar o desaparecimento da minha filha de sete anos – Demi disse

– Há quanto tempo ela desapareceu? – perguntou o delegado do outro lado da linha

– Deve ter umas oito horas, ela saiu era mais ou menos meio dia – Demi disse

– Ela saiu ou desapareceu? – disse o delegado

– Ela saiu sozinha e ela não sai sozinha, têm horas, então ela está desaparecida – Demi disse

– Senhora... – ele começou mas Demi o interrompeu

– Eu não posso esperar 48 horas, ela têm sete anos, ela têm uma pulseira com meu número de telefone, eu esperei ela ligar, mas nada aconteceu – Demi disse – Por favor, minha filha é tudo que eu tenho

– Olha, eu vou te pedir para aguardar que complete 24 horas desde o sumiço da sua filha, caso ainda não tenha notícias ligue novamente e eu vou considerar sua filha como desaparecida – o delegado disse

– Tudo bem, mas se acontecer alguma coisa com ela nesse período de tempo a responsabilidade é sua – Demi disse

– Está bem, eu assumo essa responsabilidade, eu realmente não posso considerar ela desaparecida até passar 24 horas – ele disse e Demi murmurou concordando – Preciso que me passe algumas informações básicas sobre sua filha, como por exemplo, o nome completo dela

– Aurora Marie Lovato – Demi respondeu

– Data de nascimento – ele disse

– 17 de março de 2011 – ela respondeu – Então agora, eu vou esperar completar as 24 horas, obrigada – Demi disse e em seguida desligou o telefone

– E então? – Wilmer disse quando ela desligou o telefone

– Disseram para esperar completar 24 horas desde a hora que ela sumiu e se ainda não tivermos notícias, eles registram o desaparecimento e começam a procurar por ela

– 24 horas? E se algum doido pegar ela de madrugada, alguém fazer alguma coisa com ela, um pedófilo, sei lá – Marissa disse aumentando o medo e preocupação de Demi

– Você não está ajudando – Wilmer disse

– Eu vou tomar um banho para ver ajuda a relaxar o meu corpo, pelo menos – Demi disse

Demi subiu para o seu quarto tomar banho, debaixo do chuveiro ela chorou tudo que segurou o dia todo, tudo que ela mais desejava era ter sua filha de volta, e seu sensor de mãe gritava dizendo que Aurora precisava dela.

Lauren Jauregui morava em South Los Angeles, um dos bairros pobres de L.A, ela foi expulsa de casa quando assumiu sua sexualidade para seus pais que eram bem religiosos e morava com sua namorada Alexa Ferrer.

– ... Mas ela não me disse nada disso quando me pediu para cobrir ela – Alexa disse enquanto elas voltavam do trabalho

– E você vai cobrir ela amanhã? – Lauren perguntou

– Ainda não sei, eu acho que... – Alexa começou mas Lauren a interrompeu

– Alexa... – Lauren a chamou olhando para uma pequena ribanceira

Alexa olhou para o mesmo lugar que Lauren e lá havia uma menina desmaiada com um machucado na testa provavelmente causado pela queda, a menina não aparentava ter mais do que seis ou sete anos, o coração de Lauren cortou ao ver aquela garota ali e a primeira coisa que ela fez foi tirar aquela menina dali e levar para sua casa para cuidar dela.


Notas Finais


Enfim, amores, é isso, eu sei que ultimamente devem estar querendo me bater pq eu tô fudendo muito com o otp e com a Aurora, mas relaxa que no final tudo da certo.
Eu não tenho muito o que dizer hoje, eu só espero que tenham gostado do cap, se quiser falar comigo meu twitter é @Iliedbydemi, amo voces, beijos de neon e até o próximo cap. 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...