História Sugar Cube - Suga - Hot - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga
Tags Bangtan Boys, Bts, Min Yoongi, Suga
Visualizações 326
Palavras 2.043
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Sugar Heart


Sugar Heart 

.

Olhei para o lando vendo Yoongi desligar o carro e jogar a cabeça para trás, os fios loiros deslizando aos montes evidenciando o quão brilhantes era seu cabelo. O mesmo sorriu levemente em minha direção colocando as mãos pálidas sobre o jeans escuro. Ajeitou o a jaqueta de couro no corpo e olhou para o lado de fora vendo a chuva calma que caia sobre nós, o dia nublado e levemente escurecido anunciando que logo estaria de noite.  

- Quanto tempo vamos esperar amor? - questionei calmamente enquanto dobrava minhas pernas a colocando sobre o banco do carro e me encolhia pegando mais um docinho dentro do pacote.  

Senti os olhos escuros do loiro deslizarem por minhas pernas, minha saia estava praticamente toda amassada revelando tudo que era possível e deveria ser impossível de se ver. Mas idaí? Minha fome era maior do que a preocupação com isso.  

- Ah... provavelmente mais alguns minutinhos querida, está bem engarrafado por causa da chuva, até todos os funcionários chegarem... - o mesmo deixou a frase morrer e logo vi seu braço passar por mim como uma flecha agarrando meu pacote com força e metendo a mão dentro do mesmo.  

- Suga! - gritei o loiro me inclinando sobre ele e tentando puxar o pacote, mas o mesmo apenas riu quando fui puxada para trás com violência por causa do cinto de segurança - Yoongi! 

- Estou com fome querida. - o mesmo resmungou baixo e entediado embora em seus olhos estivesse presente um brilho divertido. - Deixa o Oppa cuidar de você, abre a boca. - seu dedo gelado tocou meu lábio inferior afastando meu lábio e empurrando o docinho para dentro de minha boca.  

Mastiguei e tirei o cinto me apoiando na porta e esticando minhas pernas sobre o colo do loiro que massageou minhas pernas enquanto se esticava para ligar a rádio, os olhos rodando pelo estacionamento vazio e o pequeno restaurante fechado. Notei que o mesmo formou um pequeno bico em seus lábios ao pensar que provavelmente o local não abriria, era seu restaurante favorito. 

O cutuquei com os dedos de meu pé e abri os lábios esperando ele colocar outro doce em minha boca, o mesmo apenas riu olhando os dois retrovisores antes de levar a pequena goma aos próprios lábios e se esticar em minha direção deixando o doce preso entre seus dentes. Ri baixo e me inclinei passando minha língua por entre seus lábios tocando-os e escorregando minha língua pela sua ao pegar o doce e me afastar. 

O mesmo riu baixo me encarando e abriu levemente a camisa de botões que usava, notei as pequenas marcas vermelhas ainda em sua pele, marcas de meus lábios e minhas unhas em sua pele clara. Yoongi era muito fácil de ser marcado, era bom e ruim. Bom por que eu gostava, ruim por sua profissão não permitir.  

- Yoongi Oppa... - chamei ganhando sua atenção imediata ao baixar o encosto do banco de uma vez e me virar em sua direção, as pernas levemente abertas e enquanto uma parte da minha saia escondia minha intimidade, levei minhas mãos até a minha própria camisa abrindo os botões e expondo meu sutiã rendado preto, o mesmo me encarava perplexo passando a língua pelos lábios.  

- Fecha essas pernas. - olhou ao redor rapidamente logo se focando em mim, seu rosto se tornando sombrio quando minha mão escorregou em direção a minha intimidade, o mesmo se inclinou e deu um tapa em minha mão se enfiando por debaixo da minha saia - Você não aprende mesmo hein. - resmungou contra minha pele ao ver que eu não usava calcinha. 

Levantei a mesma ao sentir suas mãos abrirem mais minhas pernas e sua língua escorregar até minha entrada antes de voltar e envolver meu clitóris com os lábios puxando suavemente com os dentes, suas mãos apertando minhas coxas com força me mantendo imóvel. Passei a mão pelos seus cabelos sedosos o sentindo circular o local com sua língua quente, o mesmo suspirava erguendo seus olhos para me encarar, os olhos pequenos bem atentos e acompanhando cada um de meus movimento.  

Minhas mãos correram pelo meu corpo indo em direção aos meus seios, que expus ao puxar meu sutiã para baixo, o mesmo resmungou tirando seus lábios de meu corpo e se levantando de uma vez e olhando ao redor. O mais velho afastou minhas mãos com força. 

- Querida tome cuidado, eu não quero ninguém te vendo assim.- tomou meus seios em suas mãos quentes e os apertou suavemente, os lábios apertando meu mamilo com certa força e o mesmo se afastou levemente abrindo mais de minha camisa, para logo as dirigir em direção a sua própria calça soltando um resmungo ao esbarrar no banco do motorista. 

Baixou o zíper e logo sua boxer expondo o membro rosado e ereto, passei o dedo pela glande úmida a rodeando e ouvindo seu suspiro agoniado, o loiro se jogou para trás e bateu nas próprias coxas, dei um sorriso pequeno para o mesmo e passei por cima dele o rodeando com minhas pernas. 

Sua mão segurou minha nádegas as abrindo enquanto eu descia sentindo seu membro me invadir me alargando, Suga sempre gostava quando eu ficava por cima, mas dizia que esse seu desejo havia me tornada abusada demais. Eu concordava, eu sentia como se o dominasse, e ele detestava que eu tivesse controle sobre ele. 

Senti seus fios passarem por de baixo de meu queixo e deslizarem pelo meu pescoço até que seus lábios mordiscassem minha pele a beliscando levemente e me fazendo sobressaltar o apertando em consequência ouvindo seu gemido baixo. Minhas mãos foram para seus ombros apertando a jaqueta de couro preta que exalava seu cheiro doce. 

- Mova-se querida. - pediu baixo me apertando enquanto envolvia meus seios em seus lábios finos e úmidos.  

Suspirei sentindo suas mãos guiarem meu quadril enquanto o sentia deslizar dentro de mim, o mesmo soltando uma risada debochada quando abri a porta em uma fresta pequena para que tivesse maior mobilidade.  

Baguncei seus fios claros os puxando com força e o fazendo me olhar, minha paciência se esvaindo aos poucos. Mordi seu lábio inferior o puxando enquanto o encarava, minhas péssimas intenções mais do que visíveis em meu quando senti o metal de seu cinto encostar em minha coxa me fazendo o agarrar e o retirar de lá. 

Movi meus quadris em direção ao loiro lentamente sentindo suas mãos me puxarem mais contra ele enquanto o beijava, passei o cinto de couro ao redor de seu pescoço e do encosto o fechando e mantendo sua cabeça imóvel e erguida em minha direção, assim que vi que tentou se libertar minhas mãos baixaram as mangas de sua jaqueta a embolando em seus pulsos e impedindo que fosse liberto.  

- Você não aprende nunca. - brinquei com ele vendo seu sorriso prepotente, embora dissesse que não gostava, ele adorava as leves competições. 

- Você que não aprendeu... - me movi lentamente o apertando vendo o mesmo morder o lábio inferior – Mas eu te ensino assim que tirar isso de mim. - mordi meu próprio lábio e levei minhas para meus seios os massageando diante de si vendo seus olhos presos no local enquanto seu rosto se avermelhava - Não faça... isso... 

Aumentei a velocidade de meu movimentos vendo o mesmo levantar levemente o quadril em minha direção, minhas mãos abandonaram meu corpo e abriram sua camisa branca revelando as pequenas manchas avermelhadas em si. Me estiquei sugando sua pele levemente apenas para ouvir seu gemido ressoar pelo carro, o vento frio tocando minha perna exposta. 

Arranhei sua pele quentinha levemente vendo o quão marcada ela ficava facilmente, eu nem mesmo havia colocado o mínimo de força em meus atos, mas aquilo fora mais que o suficiente. 

Ouvi seus  gemidos agoniados anunciando que o mesmo estava próximo, assim como seu membro que já aumentava de tamanho pulsando descontroladamente dentro de mim. Diminui a velocidade baixando as mangas de sua camisa e vendo o seu corpo levemente suado, seu corpo magro com algumas pequenas definições que só apareciam quando o mesmo se tornava tenso. 

- Yoongie... - chamei baixo vendo seus olhos escuros levemente avermelhados, suas bochechas corando fortemente quando o mesmo movimentou o quadril agressivamente para cima quase me fazendo bater a cabeça no teto com o impacto. 

Pesei sobre suas coxas observando o rosto suado, os fios escurecidos grudavam em seu rosto, os lábios mais do que vermelhos estavam entreabertos, os pingos de seu suor desciam pela pele avermelhada se acumulando ao redor do couro preto para logo após descerem pelo corpo magro e marcado. 

Me inclinei passando a língua por entre seus lábios e senti a ponta de sua língua tentar encostar na minha, mas me afastei.  

- Dongsaeng... - repreendeu entredentes e joguei meu corpo para trás, meus cotovelos apoiados no volante.  

Seus olhos baixaram em direção ao nosso quadril ficando por ali enquanto o mesmo tornava a se mover abaixo de mim, estiquei minha mão e abri o fecho do cinto, o mesmo se afastou do banco e ajeitou a blusa se livrando da jaqueta. Suas mãos se enfiaram em minhas coxas apertando com força enquanto o mesmo se movimentava, os lábios sendo mordidos com força enquanto estocava, a cabeça pendendo para trás.  

Senti meu interior estremecer e gemi alto sentindo seus dedos frios se movimentarem pelo meu clitóris, meu corpo tremeu ao sentir o calor relaxante que me atingiu e suspirei o apertando tão intensamente que não soube distinguir o mesmo de mim visto que o seu gemido aliviado havia anunciado que o mesmo havia tido seu orgasmo.  

Tentei sair de seu colo, mas senti seu aperto forte e o encarei vendo o brilho vingativo presente.  

- Não percebeu que eu ainda estou duro? - percebi de imediato que embora o mesmo pulsasse e seu líquido estivesse escorrendo até sua virilha, ele ainda estava completamente duro dentro de mim.  

Yoongi se moveu de forma extremamente lenta apenas para se manter ereto enquanto meu queixo se apoiava no topo de sua cabeça, sua respiração quente batendo em meu pescoço.  

- Yoongi... o pessoal vai chegar... - o mesmo deu um tapa leve em minha nádega, mordeu meu pescoço e senti sua mão se apoiar em minha cabeça me impedindo de bater a cabeça no carro quando o mesmo saiu em meio a chuva com minhas pernas apertando seu quadril – Yoongi! - resmunguei quando o mesmo me colocou deitada no capô frio e molhado.  

Olhei seus fios caindo sobre seu rosto quando o mesmo se inclinou e tornou a se movimentar, dessa forma mais agressivamente. Me estiquei tocando a marca avermelhada ao redor de seu pescoço e beijei o local. Agarrei suas costas o arranhando de leve enquanto o mesmo estocava cada vez mais rápido, seus gemidos altos e mais frenéticos, a essa altura eu já estava o apertando novamente, a excitação e o medo de sermos pegos em um estacionamento se tornava alta a medida que o som de carros passando soava pelas ruas próximas.  

- Vamos nos resolver em casa. - senti o couro de seu sinto passar pelo meu braço enquanto o mesmo abria um sorriso malicioso – Querida Dongsaeng... 

O mesmo deu sua última estocada se liberando de dentro de mim e se inclinando para me dar um de seus beijos doces e carinhosos parecendo voltar a sua personalidade comum.  

O loiro saiu de dentro de mim e eu me sentei arrumando a saia e fechando a camisa rapidamente. Olhei para o loiro vendo o mesmo impecável já completamente arrumado, a expressão curioso e divertida no rosto que já voltava ao seu tom pálido de sempre. O mesmo ajeitou a camisa e me abraçou por trás beijando minha bochecha e se afastando, o loiro olhou pelo estacionamento vendo o carro do dono chegar e olhou em minha direção.  

- Vamos para casa, não quero você doente. - apontou para minhas roupas úmidas.  

O loiro abriu a porta para mim e eu entrei, logo após fui acompanhada por ele que me passou sua jaqueta pesada sem se importar com minhas roupas, o braço magro passando por mim para me prender com o cinto de segurança.  

Suga era realmente um cubo de açúcar.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...