História Suicide love - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais, Ryan Butler
Visualizações 1.691
Palavras 1.598
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 43 - Você não a merecer


- Que porra é essa? –Candice  disse quando viu Justin entrando com Anastásia, a mesma estava com um sorriso vitorioso nos lábios.

         Todos nós estávamos surpresos em vê-los  juntos. Justin ignorou o que Candice dizia e se sentou no outro sofá com Anastásia ao seu lado,  a mesma fazia questão de ficar bem próximo a ele.

         - Justin, eu quero uma explicação. – Candice insistiu. – o que essa vadia está fazendo aqui? – ela foi para perto dele já alterada.

         - eu não te devo satisfação da minha vida Candice.  -  ele  disse encarando-a.  Ela riu fraco e se pôs em sua frente.

         - você não me deve satisfações mesmo. Mas quando se trata da minha amiga, aí sim, você me deve.

         - acho engraçado sua hipocrisia,  você fez o que fez com ela e depois vem pagar uma de amiga preocupada pra cima de mim, francamente. – ele se levantou passando por ela.  – E outra, ela não é mais problema meu.

         - Como assim não é mais problema seu? Justin, o que você fez com ela? – ela foi  para cima dele agarrando em sua blusa.

         - ela se foi. Satisfeita? Ela foi embora. – ele segurou firme nos braços dela.  - se você quer saber onde ela está, pergunte a ele! – ele disse se referindo a mim. Todos que estavam na sala voltou seus olhares para mim.

         -Pra mim?  A ultima vez que eu a vi foi na sua casa. – me manifestei.

         - eu pensei que ela tivesse voltado para seus braços, e assumido o romance de vocês. – ele se fez de sínico.

         -Como assim? Você sabe muito bem que eu nunca faria isso. Ela ao contrario de você, nunca faria isso. -  disse sem acreditar nas palavras que tinha ouvido, era isso que se podia esperar do Bieber.

         - como não? Que eu saiba ela passou a noite na sua casa. – ele me encarou. – e com toda a certeza você tentou alguma coisa. Afinal ela estava frágil, e você como todos aqui  sabem, sempre gostou dela, se aproveitou da situação.

         - eu não estou acreditando no que eu estou ouvindo. – fui  em  sua  direção. – ela passou a noite na  minha casa sim, mas não aconteceu nada, por que ela te ama, ao  contrario de você que não pensou duas vezes antes de trai-la com essa aí. – apontei para Anastásia.

         - o que? Eu ouvi direito? Você traiu a Ly  com essa aí? – Candice disse sem acreditar.

         - É Candice, ela os pegou seminus no tapete da sala. – disse. – ela chegou à minha casa tarde da noite, com os olhos inchados, exausta, pois foi da casa do Bieber até a minha andando, ela estava em estado de choque. -  alterei meu tom de voz. Candice me olhava espantada com o que eu havia acabado de dizer.

         - como você pôde Justin? Como você pode? – ela foi para cima dele o estapeando. Chaz e Chris a seguraram antes que Justin revidasse.  – você não podia ter feito isso com ela. – ela se debatia tentando se soltar das mãos dos garotos. – ela esta grávida Justin. Ela esta grávida e você a deixou ir.

         Confesso que quando ouvi ela dizer aquilo meu corpo gelou, como assim ela estava grávida? E se isso é realmente verdade como ela  vai “se virar” sozinha com essa criança.

         - o que? Como assim ela esta grávida. – disse querendo mais explicações da parte de Candice.

         - foi isso que você ouviu Adam, a Ly está gravida. – ela olhou para mim. – ela esta grávida e esse desgraçado a mandou embora. – ela disse tentando ir para cima dele.

         Todos na sala estavam com uma expressão de espanto no rosto, excerto Justin que aparentava não se  preocupar com tudo aquilo.

         - ela descobriu quando Pattie ela e eu fomos ao shopping. – Candice continuou. – Em pensar que ela estava preocupada com a reação do Justin  quando soubesse da gravidez. – ela olhou para Justin. – e esse crápula fez isso com ela, fez isso com o próprio filho.

         - e quem me garante que esse filho é meu. – Justin se pronunciou.

         - o que? –Candice e eu dissemos em uníssono.

         - esse filho pode muito bem ser de algum homem da boate, afinal foi lá que eu a encontrei. – ele  nos encarou.

         - eu não estou acreditando nisso. Como você tem coragem de dizer uma coisa dessas? –Candice falava indignadamente, afinal isso era inacreditável. – você sabe  muito bem que foi VOCÊ a primeira  e única pessoa que ela teve relações sexuais.  -  ele deu de ombro.

         - Eu posso até ter sido o primeiro, mas tenho duvidas em ser o único. – ele olhou para mim.

         - Justin, você a mantinha trancada naquela casa. Como ela poderia te trair?

         - eu não sei, me diz você. – ele a encarou.

         - você é inacreditável. Você não a merece, ela é boa demais para você. Ela merece uma pessoa boa, que dê valor a ela, cuide, ame, sem machucar. – Candice o encarou.  – ela merece alguém melhor que você. – ela passou por ele  indo em direção a  porta e saindo.

         - se alguma coisa acontecer com ela ou com essa criança, eu te mato, Bieber. Por ter a certeza disso, eu te mato. E não vai ter acordo que me impeça disso. – falei apontando o dedo na cara dele e em seguida sai batendo a porta.

         - Candice! – gritei para que ela pudesse me esperar. – aonde você vai? – perguntei quando cheguei perto da mesma.

         - eu não sei Adam, eu não sei. – ela disse passando as mãos pelos cabelos.  – eu vou procura-la. – ela sentou no meio fio.

         - Pode contar comigo nessa.  -  disse estendendo uma das mãos para ela.

         - obrigada. – ela pegou minha mão.  – obrigada por ter me ajudado e a ela também. – ela me abraçou. – você  é um bom amigo.  Ela merece um alguém como você.

         - pena que ela não intendi isso. – sussurrei baixinho.

 

         Pov. Victor

         Estava em meu escritório, hoje a noite na boate estava movimentada, isso era bom sinal.  Ouvi alguém bater na porta, ordenei  que entrasse.

         - Ora, ora, ora. Que bons ventos te trazem aqui? – disse quando a vejo entrar.

         - maravilhosas noticias meu caro, maravilhosas. – ela se jogou na cadeira rindo.

         -e quais seriam? – perguntei interessado.

         - Sua doce irmãzinha está gravida. – ela disse rindo batendo palmas. -Não é maravilhoso?

         - isso é mais que maravilhoso, é esplendido. Esta melhor do que eu esperava. – ri. – isso encarecera a mercadoria. E isso resultara em milhões a mais. – me recostei na cadeira  rindo.

         - só que teremos concorrência. – ela fez com que eu a olhasse.

         - como assim concorrência? – a encarei serio.

         - O bom samaritano  chamado Adam e a Puta regenerada da Candice estão a procura dela. – ela disse pegando uma dose de Vodka.

         - e eles estão com alguma pista? – peguei um dos copos de vodka.

         - que eu saiba não. – ela bebeu um gole. – eles não sabem nem por onde começar. creio eu.

         - e o Bieber?

         - ele não irá atrás dela. Ele não acredita que esse filho seje dele.

         - tolo. – ri fraco. – que ele continue pensando assim. Não quero ter mais um na jogada.  -  disse levantando a mão em sinal de brinde. – um brinde. – ela levantou o copo brindando.

         - temos menos de duas semanas para acha-la. Temos que ser rápidos, ele não gosta de ficar esperando. – ela deu um gole na bebida.

         - depois que ele souber dessa novidade vai nos dar mais tempo. – disse dando um gole na bebida.  -  agora acho que podemos comemorar. – a puxei para mais perto de mim.

         - eu acho uma ótima ideia. – ela mordeu os lábios inferiores.  A joguei em cima da mesa me pondo entre suas pernas e abocanhando seus lábios em um beijo feroz.

 

         POV. Adam

 

         Eram nove e meia da manhã quando acordei, ou melhor despertei do cochilo com o som da campainha , eu não havia dormido  praticamente nada a noite toda.  Levantei-me e fui ate a porta atender.

         - te acordei?- Candice perguntou entrando no apartamento.

         - Não, falando a verdade eu nem dormi direito. Passei a noite praticamente em claro. – disse fechando a porta.

         - eu também, passei a noite em claro fazendo uma lista dos lugares que a Ly provavelmente foi. – ela me entregou uma pasta com varias folhas. Cada uma continha um endereço e um mapa com rotas.

         - também fiz o mesmo. Fiz uma lista de lugares e pessoas. – fui até minha mesa e entreguei a folha a ela, a mesma começou a analisar.

         - ela não deve ter ido muito longe, afinal ela não tinha dinheiro para isso. –ela se sentou no sofá. – precisaremos de mais pessoas, se não demoraremos um século para encontra-la. E você sabe muito bem que não podemos demorar, além dela está gravida ainda temos o fator Victor.

         - vou contratar alguns seguranças para  nos ajudar nas buscas. – ela assentiu. -  você acha que o Victor já sabe?

         -  aquele ali  astuto, com certeza alguém está servindo de espião para ele. – ela me olhou. – e eu tenho quase certeza de quem é.

         - eu também desconfio de uma pessoa, mas tenho que obter mais provas contra ela. Estou esperando alguns documentos chegarem. – ela concordou.

         -bom, vamos dividir. O que cada um vai procurar. – assenti. – nós podíamos procurar nos lugares daqui e os  seguranças nas cidades vizinhos.

         Ficamos discutindo sobre quais lugares eram importantes e quais eram desnecessários de procurar. Confesso que desconsideramos muitos lugares aqui de Atlanta. Ouvimos um barulho de campainha tocando, ela levantou e foi ver quem era.

         - precisam da minha ajuda. – a pessoa disse assim que a porta se abriu.  


Notas Finais


está curto o cap? está. mas esta com bastante informação (ou pelo menos acho que esta). Bom, proximo cap eu prometo que será maior, com mais badalação, descobertas e tals. :)
sentiram falta de um pov Lilyan? eu senti, mas ok
COMENTEM....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...