História Suicide love - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais, Ryan Butler
Visualizações 1.795
Palavras 5.870
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 50 - You and me


 

Abri os olhos e analisei o ambiente ao meu redor, senti um cheiro familiar, me levantei um pouco e vi que estava deitada nas costas de Justin, depositei um beijo na mesma e me sentei  na cama. Quando ia levantar senti suas mãos me puxarem para  que eu deitasse novamente, assim fiz, me deitei ao seu lado.

         - temos que levantar! - sussurrei bem perto de seu ouvido. Ele apenas balançou a cabeça. - Anda, levanta! - disse o sacudindo.

         - só mais cinco minutos. - ele resmungou.

          - só mais cinco minutos? - perguntei. Ele assentiu. - já são quase uma hora da tarde. – falei rindo.

         Ele se levantou bufando.

          - você é  muito chata sabia? – ele disse enquanto pegava alguma das suas peças  de roupa que estavam espalhadas pelo quarto.

           - mas você me ama. - disse rindo.

         - sorte sua!  - veio para perto de mim abotoando  a calça e me dando  um beijo intenso.

          Ele se afastou indo pegar seus sapatos, me levantei e fui até o banheiro  aonde  comecei a fazer minha higiene matinal. Quando estava escovando os dentes Justin entrou no banheiro me agarrado por trás e dando uma mordida em meu pescoço, vi pelo espelho que havia na minha frente o vermelho que ficou.

           - isso vai ficar a marca sabia? - disse encarando o espelho. Ele encarou o mesmo e começou a rir. - o que foi? -perguntei sem entender.

           - você está parecendo àqueles cachorros com raiva. – ele disse rindo. Ele estava dizendo isso só por que eu estava escovando os dentes e minha boca estava cheia de espuma do creme dental.

          - Idiota! - dei um tapa em seu braço.

           - cachorra raivosa! - ele disse rindo.

          - Sai daqui Justin! - disse jogando uma escova de cabelo que havia perto da pia, mas ele fechou a porta e a escova bateu lá.

         Acabei de fazer minha higiene e sai do banheiro, Justin estava sentado na cama vendo alguma coisa no celular. Aproximei-me  e sentei  em seu colo o beijando, ele não hesitou  em corresponder e começou a passar suas mãos pelo meu corpo subindo até o sutiã tentando abrir o mesmo, mas eu o impedi. Fui subindo sua camisa sem interromper o beijo, quando a tirei por completo finalizei  dando uma mordida de leve em seus lábios e me levantei  levando  a blusa comigo. Ele me olhou confuso.

          - o que foi? Eu preciso de alguma coisa para vestir. - disse enquanto vestia sua blusa.

           - você está muito folgada hein! – ele se levantou vindo até mim. - não é porque você está grávida que pode ficar abusando! - ele segurou minha cintura.

          - será? - disse bem perto de seus lábios. Ele ameaçou me beijar, mas me esquivei saindo rapidamente do quarto e ele veio atrás de mim.

Chegamos a cozinha e Pattie já estava acordada preparando algo.

         - pensei que vocês ficariam hibernando até o dia seguinte. -ela disse quando percebeu nossa presença. 

           - por que você não nos acordou? - perguntei.

    - achei melhor não atrapalhar. Ainda mais depois da noite passada. - ela disse olhando na direção da sala na qual havia algumas peças de roupa minha.  - foi difícil dormir anoite viu? - ela colocou varias travessas de comida na mesa.

         Justin começou a rir, enquanto eu queimava de tanta vergonha.

           - eu acho que vocês dois não entenderam as recomendações do médico. - ela nos olhou. - principalmente você Justin!

             - um pouco de sexo não faz mal a ninguém. - ele sorriu safado, Pattie somente balançou a cabeça.

          - Tá! Agora chega de agarração. - ela disse soltando as mãos de Justin da minha cintura. - e você mocinha, precisa cuidar da alimentação, da sua e  da dos meus netos. - ela me puxou para  sentar a mesa.

Ela trouxe um prato e arrumou minha comida, confesso que fiquei ate um pouco assustada com a quantidade, mas ela disse que a maioria era salada. Ela se sentou junto comigo e almoçamos juntas, Justin estava na sala resolvendo alguma coisa sobre seus esquemas.  Depois  que terminamos de almoçar ficamos conversando um pouco e logo depois rumei para o quarto indo tomar banho.  Não demorei muito, quando sai Pattie havia deixado uma  muda roupa minha para vestir, assim fiz e  fui secar os cabelos. Rumei para a sala e ela não estava lá,  somente Justin , ele se aproximou.

          - você não acha que já esta na hora de voltarmos para casa? - ele disse beijando meu pescoço.

          - serio? - disse manhosa. - aqui esta tão bom. - disse o fazendo olhar para mim.

           - vou fazer lá ficar melhor. - ele me beijou.

         - esta bem, você conseguiu me convencer. - ele sorriu safado. - mas só volto depois da consulta que a Pattie marcou para mim. – ele assentiu.

          - então vamos, antes que nos percamos a consulta. - ela entrou na sala olhando no relógio.

           Assentimos e descemos de elevador, Justin parou na portaria, enquanto Pattie e eu descemos ate a garagem, aonde entramos no carro e  fomos.

         Chegamos ao consultório rapidamente e em cima da hora marcada, a secretaria já havia chamado meu nome três vezes - segundo ela. Entramos no consultório, a doutora estava sentada atrás da mesa.

          - boa tarde! - ela se levantou nos cumprimentando. - sente-se. - ela apontou para as cadeiras que havia em frente à mesa.  - você que é a gestante?

         - sim. - respondi.

          -mãe de primeira viagem?  - assenti. -  e essa deve ser a sua mãe. Estou certa?  - disse apontando para Pattie.

          - tecnicamente ela é minha sogra, mas a tenho como uma segunda mãe.  - a olhei. Pattie retribuiu com um sorriso.

           - bom,  vamos fazer um ultrassom para ver como estão esses bebes? - assenti. - você pode ir ali trocar de roupa. - assenti e fui.

          Entrei em uma cabine aonde troquei  minha roupa  por um macacão  que deixava toda a área da barriga descoberta.

          - pronta? - ela perguntou quando  eu sai da cabine, assenti. - deite aqui. - ela apontou para uma cama.  Assenti e deitei na mesma.

         Ela  passou um gel gelado na minha barriga espalhando pela mesma e começou a passar um aparelho,  as imagens apareciam na tela de uma TV, e eu a olhava fixamente.

            - esta vendo aqui? - ela apontou para uma área da tela. Assenti. – são os seus bebes. - fiquei olhando a área e sorri. -  aqui dá para ver melhor. – ela seu zoom na imagem. – eles já estão em formação, está vendo? - ela apontou. Assenti encarando a tela, confesso que algumas lágrimas escaparam dos meus olhos e Pattie segurou minha mão.

          - eles ainda estão bem pequenos, mas já estão ganhando forma. Aqui já da para ver - ela apontou para a área.   Ela mostrou de alguns outros ângulos. – bom,  agora você já pode se trocar. - ela limpou o gel da minha barrida e desligou os aparelhos. Assenti e me levantei.

          Rumei ate a cabine onde troquei de roupa novamente vestindo a minha.

         - vamos pesar? – ela disse quando sai da cabine. Assenti e caminhamos até onde havia uma balança.

          Lá ela me pesou, mediu minha altura, calculou meu IMC, aproveitou para verificar minha  pressão  e glicose. Logo depois disso tudo ela nos conduziu até sua mesa aonde sentamos na cadeira.

         - você  já está na sétima semana de gestação, e  pode ficar tranquila, seus bebês estão muito bem. – ela disse sorrindo. Confesso que respirei mais aliviada.

         - nossa, eu pensei que fosse mais. – ri fraco.

         - não, não! Você está na sétima semana. – ela sorriu. – é assim mesmo, da a impressão que já faz um tempão. É por causa do enjoou .

 – sua sogra me contou sobre os remédios que o outro médico passou para você. Eu e vejo que não haverá necessidade, você conseguirá levar  a gravidez até o final sem nenhuma dificuldade. Claro que tem que seguir as recomendações, sem fortes emoções e alimentação balanceada.

         - pode deixar, vou tomar conta disso pessoalmente. – Pattie disse me olhando. Sorri.

         - Pelas avaliações rápidas que eu fiz, ela esta muito bem, e espero que continue assim. – ela me olhou sorrindo. Assenti. – bom, me deixa pegar suas fotos.  -  ela se levantou e voltou com uma pasta em suas mãos. – toma, essas são as imagens da sua ultrassom. - as peguei e agradeci.

         - para quando temos que marcar o retorno? – Pattie perguntou.

         - mês que vem!  Mas se alguma coisa acontecer pode vir até aqui antes.  – assentimos e  nos despedimos dela, rumamos para fora do consultório.

         Marcamos o retorno com uma das secretarias e seguimos até o carro aonde entramos no mesmo e rumamos em direção à casa do Justin.

         - temos que começar a montar o enxoval dos bebês. – Pattie  disse empolgada. – temos que começar a montar o quarto, comprar roupinhas, encomendar a primeira joia deles… - ela listava as coisas  com uma empolgação absurda.

         - Hey Pattie!  Acalma-se, ainda falta muito. – ri. – nem sabemos o sexo dos bebês.  Temos a gestação toda para pensar nessas coisas.

         - não, temos que começar desde já. – ela disse parando em frente a casa do Justin. –  para não corremos os riscos de não acharmos o que queremos. – ela disse saindo do carro, fiz o mesmo e fomos caminhando até o interior da casa.

         Ela falava com uma empolgação que chegava ser apavorante, porém engraçada. Ela falava sobre roupas de bebês,  decoração de quarto, ensaios fotográficos,  primeiras joias, enfim, sobre o mundo dos  bebês, mundo esse na qual eu não entendia absolutamente nada.

          Fomos pra cozinha e pedimos Lupy para preparar algo para comermos, nos sentamos à mesa e ficamos conversando enquanto ela preparava nossa refeição. Tecnicamente era Pattie que mais falava, enquanto eu só ficava de ouvinte.

- como vão meus campeões? – Justin chegou por trás da cadeira me abraçando e passando a mão por minha barriga.

- estamos bem. – respondi.

- eu estou falando com os garotos. – ele me olhou e apontou para minha barriga.

- idiota. – disse dando um tapa em seu braço. – e serão meninas, só para você saber.

- quem te enganou? – ele me olhou.

- eu estou dizendo. – o encarei com um sorriso convencido. Ele riu.

- larga de ser iludida! – riu. – serão dois moleques iguais o papai aqui. – ele disse convencido. – Jacke e James! Porque vou manter o “J” da família.  – agora foi a minha vez de rir, ou melhor, gargalhar.

- depois diz que eu sou iludida.

-você vai ver.  Eu sempre tenho razão. – ele disse convencido. Ri. – qual foi o motivo da empolgação dela? – ele disse olhando para Pattie que continuava falando.  Em resposta apontei para minha barriga. – boa sorte! – prendeu o riso. – ela vai falar sobre isso por um bom tempo.

Ele me deu um beijo estalado em minhas bochechas e ameaçou sair.

- aonde você vai? – perguntei segurando a ponta de sua blusa.

- eu não vou ficar para escutar o surto dela. – ele disse bem perto do meu ouvido. Logo em seguida ele me beijou e se foi.

- ele vai te encher o saco  até você mudar de opinião. – Pattie disse.

- Hã?- perguntei sem entender.

- sobre o nome dos bebês e tudo mais. – explicou. – Jeremy fez a mesma coisa. – ela disse enquanto pegava  uma xicara de café que Lupy havia colocado. – obrigada Lupy querida. –agradeceu.

- ele não vai. – ri.

- até parece que você não conhece o Justin. Aquele ali quando coloca uma coisa na cabeça  vai até o fim.

Tá, em parte eu tinha que concordar com a Pattie, quando Justin coloca algo na cabeça, ele vai até o fim. Mas eu serei forte, ou não.

Ficamos conversando por mais alguns minutos até acabarmos de tomar o café. Ela me entregou todos os remédios que o medico já havia receitado, disse para eu prestar atenção nos horários e não esquecer nenhum. Ela passou os horários para Lupy e explicou tudo para ela também, e disse que ela seria seus olhos na casa. Espero que esses olhos não vejam nada que a assustem se é que me entendem. Se bem que Lupy  conhece Justin desde criança e sabe muito bem como ela é. Ela pode ser considerada como uma segunda mãe dele, afinal ela ajudou a cria-lo.

Tomei um dos remédios- um calmante- e fui para o jardim aonde me sentei no gramado, estava batendo um solzinho no mesmo, me recostei e deitei. Aquela área era mais calma, não havia muitos seguranças iguais nas outras. Fiquei encarando o céu por entre os dedos, pois o sol impedia que eu olhasse diretamente.

Senti alguém se por na minha frente e tampar meu sol. Logo olhei e vi que era um loiro sem camisa e todo molhado.

- você está tampando meu sol. –disse. Ele riu e se pôs em cima de mim, sem jogar seu peso e me prendeu entre suas pernas. – você está esta me molhando. - ele balançou o cabelo fazendo gotículas de água cair em mim. –  Justin, diz logo o que você quer?

- bom, já que você perguntou. – ele mordeu os lábios  e sorriu safado.  – eu quero uma coisa sim. – ele se inclinou me beijando enquanto suas mãos desciam pelo meu corpo o acariciando até chegar a minha coxa apertando a mesma.

  - aqui? Bem perto dos seus seguranças? – disse em seus lábios. Eu já havia captado o recado.

- não seria uma má ideia. – ele sorriu. - eu  não me importo  de dar um show para eles mostrando o mestre Bieber em ação. – ele mordeu meus lábios.

- isso não seria uma má ideia. – disse em seus lábios, ele assentiu. – isso seria uma péssima ideia. – cessei o beijo.  Ele saiu de cima de mim. – eu vou subi para dormir, o remédio esta começando a fazer efeito. – disse me levantando.

- que coisa feia Lilyan. Inventando mentira para negar sexo. – ele balançou a cabeça.

- ah amorzinho, você sabe que eu não te nego nada. – me aproximei dele lhe dando um beijo rápido.

- ah não?  Você acabou de negar agora. Uma coisa muito importante. SEXO! – ele disse fazendo drama. Não me contive e comecei a rir.

- prometo que te recompenso mais tarde. – lhe dei outro beijo.

- eu vou cobrar. – ele disse em meus lábios.

- e eu vou esta disposta a pagar. – sorri e finalizei o beijo com uma leve mordida em seus lábios. Ele sorriu de lado.

Segui para o interior da casa até o quarto dele aonde entrei no banheiro e tomei uma ducha rápida, me seguei e vesti uma blusa dele. Deitei na cama e logo adormeci de tanto sono.

 

Senti alguém puxar meu pé, tentei ignorar o máximo possível, mas a pessoa era insistente. Fui abrindo os olhos lentamente a percebi que o quarto estava iluminado por luz artificial, já havia escurecido e eu nem percebi, dormi demais. Esfreguei os olhos e me levantei um pouco.

- toma, veste. –Justin me jogou algo. Peguei.

- pra que isso? – disse olhando o biquíni que ele me entregou.

- menos pergunta e mais ação. – respondeu. O encarei e afundei meu rosto no travesseiro novamente. – levanta. – ele deu um tapa em meus glúteos.

- eu quero dormir. – resmunguei.

         - levanta! – ele insistiu. Levantei bufando  e pegando o biquíni. – agora você sabe como é ruim ser acordado. - o encarei e dei dedo. Ele riu.

         Rumei para o banheiro aonde me arrumei, coloquei o biquíni, penteei os cabelos fazendo um rabo de cavalo alto e coloquei uma saída de praia.

         - satisfeito? – disse quando sai do banheiro. Ele me olhou e sorriu.

         - agora sim! – ele veio até mim. – agora vamos! – ele disse me conduzindo para fora do quarto.

         Desci para a sala reclamando, pois eu preferia está dormindo.

         - AE, até que enfim a nova mamãe desceu. – Candice disse.

         Na sala estavam Chris, Adam, Candice e Chaz, Ryan e Vick. Olhei para Justin com uma cara de “o que você está aprontando?”. Ele sorriu.

         - estava com saudades. – Vick veio ao meu encontro e me abraçou.

         - também estava. Como você veio parar aqui?   - perguntei.

         - digamos que fugi. – ela sorriu.

         - tá agora vocês podem me explicar o que está acontecendo?  - perguntei  a todos.

         - Ué? Viemos parabenizar a novos pais do momento. – Ryan disse.

         - no estilo Bizzle, não se esqueça!  - Chris completou.

         Os encarei aquilo só poderia resultar em treta, da ultima vez que eles disseram isso eu fiquei drogada e acordei dentro de um carro sem lembrar praticamente nada.

            - Vamos começar logo. Por que ainda temos muito que aprontar. – Chaz disse esfregando as mãos.

         Todos confirmaram e rumemos em direção à piscina. Eles  estavam em uma empolgação fora do normal, no meio daquilo tinha treta, e sobraria pra mim.

         - o que vocês estão aprontando? –  perguntei para Justin que estava de mãos dadas comigo.

         - espere e você verá! – sorriu torto.

        

 

- como você é a aniversariante atrasada e a nova mãe do pedaço, resolvemos te parabenizar de uma forma bem especial. – Chaz disse quando chegamos à piscina.   

          Candice e Vick me colocaram sentada em uma cadeira, as olhei confusa. Uma musica agitada foi colocada, fiquei observando para ver o que aconteceria e não acreditei no que vi. Adam, Chris e Ryan  só de sunga e com  um negocio no pescoço na qual eu não conseguia identificar o que era. Eles vieram ao meu encontro e começaram a dançar em volta de mim.

         Depois do choque, comecei a rir e a gritar coisas como “ lindos”, “sexy” junto com as meninas, não conseguia ficar sem olhar para Justin para ver qual estava sendo sua reação , ele estava com o semblante meio fechado, mas mesmo assim estava levando na esportiva, o meu medo era até quando ele levaria assim.

 Toda hora ele falava  coisas do tipo “ isso não estava no combinado”, “ não toque nela” , “Chris seu  filha da puta, não precisa fazer isso com ela”. Confesso que estava me divertindo com os protestos dele.

          A música já aparentava está no fim, vi quando Chaz veio ao meu encontro com um bolo nas mãos. A música acabou,  eles pararam em volta de mim, fiquei olhando para ver o que aconteceria.

         - agora assopra. – Chaz disse. Me inclinei para assoprar as velas que estavam no bolo, mas Chris me impediu.

         - esse bolo não. – ele balançou a cabeça. Olhei confusa. – esse aqui. – ele se pôs de joelhos na minha frente, virou a cabeça para cima, encheu a boca de chantilly e pôs uma vela em cima,  e Ryan a acendeu.

         - agora assopra Ly! – Candice disse.

         - nem pensar! – Justin protestou. – você está perdendo a noção do perigo porra? – Justin disse para Chris e Ryan.

         - Ah vai Justin! É só uma brincadeira. – Ryan respondeu.

        - uma brincadeira? Quero ver se fosse sua mulher. – ele olhou para Vick. Ryan deu de ombro.  – e Chris. Levanta antes que eu apague essa vela com um murro.

         - Hey, calma aí! Isso é só uma brincadeira. – Adam  disse.

         - você é muito sem graça Justin. – Chris disse limpando a boca.

         - já que o plano A não deu certo, vamos de plano B! -  Chaz trouxe o bolo novamente. – assopra! – me inclinei e  assoprei com força as velas. Eles começaram a gritar e bater palmas.  

         - Agora! – Ryan chamou atenção de todos. –  Como todo rei tem sua rainha. E toda rainha tem uma coroa. Aqui está a sua.

         Justin veio para meu lado carregando uma coroa de papel, ou sei lá do que aquilo era feito. Ele fez sinal para que eu me levantasse. Assim fiz, me pus de pé. Ele chegou perto de mim com um sorriso de lado, o olhei desconfiada, aquele sorrisinho de lado estava escondendo alguma treta. Estávamos com nossos copos colados, respiração quase se fundindo.

         - Feliz Aniversario! Atrasado. – sorriu de lado e depositou a coroa em minha cabeça. Sorri. Ele me puxou para um beijo e ouvi as ovações dos outros.

Justin não sessou o beijo, ao invés disso ele passou os braços pela minha cintura, enquanto os meus estava sem seu pescoço. Ele foi andando para frente, e eu só recuava os passos, ele foi fazendo isso até quando eu não senti mais o chão debaixo deles, só senti quando a agua entrou em contato com os nossos corpos. 

Subi para a superfície rapidamente. Engoli um pouco d’agua, pois não estava esperando ser jogada na piscina. Tirei os cabelos dos olhos e abri os olhos e todos estavam batendo palmas. Justin, aquele idiota também estava dentro da piscina rindo do meu estado.

         - Seu idiota! – disse dando um tapa na agua. Ele veio para perto de mim me agarrando. Protestei.

         Não demorou muito para os garotos pularem na piscina gritando “bola de canhão”  e dando impactos fortes na agua. Nenhum deles acertaram em mim, no máximo respingaram gotículas de agua.

Uma guerra aquática foi declarada, os garotos arrumaram pistolas d’agua e começaram  a  duelar. Olhando assim nem pareciam ser os temidos traficantes chefes de uma máfia, mas pareciam crianças. Aquilo tudo durou não muito tempo, depois eles saíram  deixando somente Justin e eu na piscina. Fomos para uma das extremidades da mesma onde ficava uma cascata, ficamos atrás da mesma.

- está feliz? – ele me perguntou.

- se eu estou feliz? – fingi pensar na pergunta. – é claro que eu estou. – sorri e o beijei. – eu nunca imaginei ter tudo isso, mas eu sabia de uma coisa. – o encarei. –  eu sabia que valeria a pena  suportar todas as tempestades, pois eu sabia que o arco-íris uma hora ou outra iria aparecer. – sorri. – e apareceu. – o beijei.

- posso te confessar uma coisa? – ele disse. Assenti. – eu nunca me imaginei com uma mulher só. Eu sempre quis todas para mim. E olha que engraçado, eu encontrei  todas em uma só. – ele riu fraco.

- Eu te amo! – o puxei para um beijo. Ele colou mais nossos corpos segurando minha cintura por debaixo d’agua me suspendendo um pouco.

 

- HEY VOCÊS DOIS! – paramos quando ouvimos alguém nos chamar. Olhamos para ver quem era. – chega mais! -  Chris disse.  Assentimos e fomos.

  - que tal um mini campeonato de sinuca? - Chris disse quando chegamos perto.

          - eu topo! - todos concordaram excerto eu.

           - e você Ly?

         - eu não sei jogar sinuca. - respondi.

           - não tem problema, Justin te ensina. - concordei. - vamos fazer o sistema de duplas. Serão três rodadas e em cada uma delas uma dupla será eliminada ate termos uma vencedora. - ele explicou.

          - ok!.- concordamos.

          - escolham suas duplas e que vença a melhor.

           Assentimos e seguimos ate a sala de jogos. Organizamos as duplas e ficaram assim: Justin e eu, Chaz e Candice, Ryan e Vick, Adam e Chris.

         - Chris, qual vai ser o premio para quem vencer? – Candice perguntou.

          - um integrante da  dupla vencedora  poderá  pedir qualquer coisa para os outros participantes. - respondeu.

        - qualquer coisa?  - Vick perguntou sorrindo de lado.

        - sim, qualquer coisa. - respondeu do mesmo jeito.

         - isso não vai prestar! -Justin resmungou.

         - relaxa mano. - Chaz disse.

           - vamos parar de enrolação e vamos começar. - Adam disse. Assentimos.

           As rodadas se iniciaram, a primeira  foi Candice e Chaz  vs  Adam e Chris ,   enquanto eles jogavam as outras duas duplas ficavam de fora  observando, ou melhor atrapalhando,  indiretas, especulações, deboches não faltavam.

            A primeira rodada teve fim, Adam e Chris venceram. Candice não conseguiu se concentrar nas tacadas, pois Justin começou a jogar piadinhas para ela, eu tentei evitar, mas Justin é Justin.

          A segunda rodada teve inicio, Vick e Ryan vs Justin e eu. A rodada começaria com a primeira tacada sendo da nossa dupla adversaria, Ryan fez as honras e conseguiu encaçapar duas ate que errou a terceira e passou para nós, deixei o Justin ir primeiro, afinal eu não sabia nada sobre esse jogo. Justin também encaçapou duas, na terceira ele se distraiu com os comentários de Chaz e errou. Passou para Vick e ela conseguiu uma, agora era minha hora.

          - eu posso passar a minha vez pro Justin?. - perguntei.

           - não, não vale. Tem que ser você. -  Ryan respondeu.

           - Justin, me ensina. - disse manhosa. Ele sorriu de lado e me conduziu ate perto da mesa.

      - é simples. Você segura no taco assim, se inclina pra frente.- ele ia me  mostrando cada passo. -  e faz esse movimento com o braço. 

         - Justin, é para ensinar a jogar sinuca, não ensinar a fazer outras coisas. – Chris disse rindo. Todos começaram a rir.

         - você não vai conseguir me distrair Chris. – o encarei.

         - tem certeza?

         - tenho! – disse repetindo os movimentos que Justin havia me ensinado. – viu! – disse quando consegui encaçapar a bola.

          A rodada foi passando, consegui acertar quase todas as minhas tacadas e no final conseguimos vencer Ryan e Vick. Até que jogar sinuca não é tão ruim.

         - agora é entre eu e você. – Chris disse para Justin.

         - preparado para perder? – Justin perguntou.

         - só se for para ver você perder. – eles fingiam rivalidade.

         A ultima rodada teve inicio, e digamos de passagem que essa foi a mais animada, era cada comemoração maluca, cada piadinha, indireta, estava difícil de concentrar. Eu errei somente duas tacadas, e para minha sorte Adam também, então estava empatado,  estava na ultima tacada e essa seria decisiva, Chris vs Justin -  deixei ele fazer as honras, afinal eu já não sabia jogar direito, sobre preção muito menos. 

         Chris errou a tacada, porem Justin acertou, vencemos.

         - HM! O que eu disse? Ah é, eu ganhei! – Justin disse para Chris fazendo todos rirem.

         - para de ser idiota Justin, é só um jogo! – Chris respondeu.

         - um jogo que você perdeu! – ele riu. – agora o meu premio. – esfregou as mãos. – eu posso pedir uma coisa para cada um?

         - também não exagera.  Escolha um integrante de cada dupla para você pedir uma coisa.  – Chris disse. Ele deu de ombros.

         - Para você Chris. – ele se virou para ele. – admiti que eu jogo melhor do que você!

         - Ah, fala serio! – Chris protestou.

         - anda admite.

         -  Você é melhor do que eu no jogo. – ele disse entre os dentes.

         - é assim que eu gosto de ver.  – ele disse.

         Todos nós não parávamos de rir.

         - agora é sua vez irmãzinha. – ele se virou para Candice.

         - ah Justin, eu sei que você me ama. – ela debochou.

         - eu não te amo nem te odeio, eu te suporto. – ele rebateu. Ela o encarou dando língua.

         - para você eu vou dar um conselho. Arruma um biquíni descente, nem nossa avó tem um biquíni assim, não envergonha o nome da família. Seja Swag!   - ele disse.

 Todo mundo começou a rir, menos ela que ficou  xingando ele de todas as formas possíveis. Ele estava exagerando nessa parte, ele disse isso só porque o biquíni dela era mais comportado, era meio que no estilo retro.

- agora você Ryan. – ele continuou. – você já sabe o que fazer.

- Hm, eu não conhecia esse seu lado Ryan! – Adam disse fazendo  voz afeminada. Todos começaram a rir.

- larga de ser idiota Adam! – respondeu.

- passa a parada! – Justin disse e Ryan jogou algo para ele, não consegui ver o que era pois ele fechou a mão rapidamente.

- para o Ryan é só isso? – Chris questionou.

- continuando. – Justin ignorou a pergunta. – agora é você. – ele se virou para mim e sorriu. O olhei desconfiada.

- lá vem treta!  -Chaz disse. Todos riram.

 - para você eu vou fazer um pedido. – ele olhou fixo em meus olhos. Assenti. – seja minha, seja somente minha para sempre. – o olhei sem entender. –  casa comigo? – ele abriu as mãos revelando uma caixa vermelha, a qual ele abriu revelando um anel lindo.

Meu mundo parou naquele momento, eu estava sem reação. Meu coração batia em um ritmo frenético, sentia meu rosto quente,  eu estava no meio de  um turbilhão de sentimentos. Senti uma lagrima escorrer pelos meus olhos.

- Sim, sim, sim! – o abracei com urgência, ele me suspendeu com um dos braços. – eu te amo!  - disse olhamos em seus olhos. Ele balbuciou um “ eu também te amo.”  E me puxou para um beijo. 

         Quando finalizamos o beijo ouvimos a gritaria dos outros e comecei a rir.

         - isso aqui te pertence. – ele disse colocando o anel em meu dedo. Sorri e o puxei para outro beijo.

         - eu nunca pensei que viveria para ver esse dia! – Chaz debochou. Comecei a rir.

         - Nem eu Chaz! – Chris completou. – eu imaginava todos, menos ele. O terror das ninfetinhas sendo laçado por uma mulher.

Todos começaram a rir. Nem eu estava conseguindo acreditar que Justin Bieber havia me pedido em casamento, era muita felicidade para um dia só. Eles nos parabenizaram e zoaram da nossa cara também, fazendo piadinhas, mas tudo na esportiva.

Ficamos conversando na sala de jogos mesmo,  fazendo comentários, Candice e Vick dizendo que queriam ser madrinhas do casamento e dos bebês e etc. A hora só ia passando e no relógio já marcava duas horas da madrugada. Vi quando Adam saiu de fininho para que ninguém percebesse, ele estava com um semblante nada bom e com a cabeça abaixada.

- eu já volto. – sussurrei no ouvido do Justin.  Ele assentiu.

Sai a francesa sem ser notada e comecei a segui-lo discretamente, ele não olhava para trás, mas dava para perceber que ele limpava o rosto com brutalidade , alguma coisa tinha de errado com ele. 

Consegui alcança-lo  perto da garagem, ele estava se preparando para entrar no carro.

- Adam! – chamei sua atenção. Ele parou e virou para trás. – ESPERA! – me aproximei. – o que esta acontecendo com você? – ele estava de cabeça baixa. Levantei a mesma para que ele olhasse em meus olhos. – você estava chorando?  - perguntei. Seus olhos estavam vermelhos e um inchado. Ele negou. – então me diz o que esta acontecendo com você!

- não é nada! – ele tirou minhas mãos do seu rosto com brutalidade e ameaçou entrar no carro.

- por que você esta me tratando assim? O que eu fiz para você? – o impedi de entrar no carro. – eu sou sua amiga, você pode confiar em mim.

- você não sabe o quanto me dói ouvi isso de você.

- hã? O que eu fiz?

- será que você não percebe? – o encarei confusa. – eu não te quero como uma simples amiga.

- como assim?

- como assim? – ele bufou. – eu te amo Lilyan. Será que você nunca percebeu isso? Eu te amo. Você é o motivo deu está nesse estado. – eu não conseguia dizer nada, somente o olhava sem esboçar reação. – eu sempre te quis, desde a primeira vez que eu coloquei os olhos em você eu te desejei, eu te amei. Mas eu te perdi para ele, parece que eu estou condenado a isso,  a sempre perder quem amo. – ele passou as mãos pelo meu rosto.  – mas eu não vou desistir de você. – ele foi se aproximando mais nossos rostos.

- Adam, por favor não. – sussurrei, mas ele na me deu ouvidos e colou nossos  lábios, eu não o correspondi. Ele depositou um beijo rápido e leve em meus lábios e se afastou  entrando no carro e indo embora me deixando com aquelas palavras me perturbando.

Eu estava sem reação, ele disse que me amava, ele estava chorando por minha causa, eu tinha destruído o coração dele e agora estou me sentindo culpada.   Retornei para a sala de jogos, mas já não havia ninguém. Rumei para casa e subi direto para o quarto aonde encontrei Justin olhando pela parede de vidro, me aproximei dele tudo o que eu queria era um beijo dele para esquecer tudo, mas ele me negou isso  me virando o rosto. O olhei sem entender.

- você pensa que eu não vi? -  ele tirou minhas mãos do seu rosto. – quando eu coloquei esse anel no seu dedo era para você ser somente minha, mas ao invés disso você saiu beijando o primeiro que vê pela frente.

- eu posso explicar Justin. – tentei toca-lo, mas ele se esquivou.

- eu te pedi em casamento foi para você ser fiel a mim, e não me trair com um amigo. - ele gritou.

- por favor, Justin, não grita comigo. -  implorei.

- eu falo do jeito que eu quiser! – ele aumentou o tom de voz. Lagrimas começaram a rolar do pelo meu rosto. – se começou assim, eu acho melhor nem continuarmos.

- por favor, Justin, não faz isso comigo. – implorei entre as lágrimas.

- não faz isso comigo? Não faz isso comigo?  - ele veio para perto de mim novamente. – olha o que você fez e agora vem me dizer “ não faz isso comigo?” ?

- eu só queria ajudar…

- ajudar o beijando? Era esse o tipo de ajuda Lilyan? – ele disse rude. – eu disse que não queria mulher alguma além de você, eu disse que seria fiel a você, que somente você me bastaria e olha o que você fez! – ele cuspia as palavras. –  você me traiu na primeira oportunidade.

- por favor, Justin, me escuta. – tentei toca-lo, mas ele me impediu e rumou para o outro lado do quarto me dando as costas.

As lágrimas rolavam pelo meu rosto, abaixei a cabeça e sai do quarto batendo a porta, comecei a descer as escadas, mas parei no meio dela e me sentei, minhas lágrimas começaram a descer com mais intensidade. O que eu fui fazer? Eu só quis ajudar, eu só quis saber o que estava acontecendo  e acabei causando essa confusão toda, estou prestes a perder o homem que amo, o pai dos meus filhos. Comecei a fitar o anel em meu dedo e as lagrimas aumentaram, abaixei a cabeça e abracei a mão  que estava o anel.

Ouvi um barulho de porta se abrindo e em seguida passos, me encolhi com medo dele fazer alguma coisa. Senti ele parar na minha frente e me encarar, levantei a cabeça e aquela imensidão cor de mel me olhava.

- eu juro pra você que eu não fiz nada, eu só queria ajudar. – disse, ele apenas assentiu.

- anda, levanta. – ele se pôs de pé e ordenou. Me levantei. – você não pode dormir em uma escada, vamos subir. – assenti e comecei a subir as escadas. Quando terminei rumei na direção do meu quarto. – aonde você vai?

- para o meu quarto. – disse de cabeça baixa.

- não, você vai dormir junto comigo. – ele pegou minhas mãos e juntou nossos corpos.  Eu encarava aquela imensidão cor de mel e não contive as lagrimas, afundei o rosto em seu peito deixando as lágrimas rolarem. – para de chorar. – ele disse baixinho. Tentei conter o choro que foi se transformando em soluços. – olha para mim. – o encarei. – desculpa por ter gritado com você. – ele acariciou meu rosto, assenti.

- posso te pedir uma coisa? – perguntei. Ele assentiu. – promete para mim que você não vai me deixar. – ele sorriu de lado e assentiu.

- nem se eu quisesse eu conseguiria. – ele uniu nossos lábios em um beijo urgente. Isso era tudo que eu precisava para esquecer tudo o que aconteceu. 


Notas Finais


de longe esse foi um dos cap mais dificeis de escrever. rs
bom, espero que tenham gostado.
a fic já está entrando na reta final.
entao #COMENTEM


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...