História Suicide Love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Jeremy, Love, Suicide
Exibições 7
Palavras 1.379
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oieee genteeee ❤❤❤❤ mais um capítulo pra vcs, espero que gostem!! Boa leitura 😘😘😘

Capítulo 3 - Fique aqui


Fanfic / Fanfiction Suicide Love - Capítulo 3 - Fique aqui

Senti alguém se aproximar de mim resolvi somente ignorar a sensação e permanecer de olhos fechados, mas escuto uma voz.

— Key larga isso. – uma voz masculina que tenho uma suspeita sobre quem possa ser.

— Oi Jer. — falei rindo, não sei nem porque talvez seja o efeito da droga — Sabia que você é muito gostoso? – ele revirou os olhos. — Mas você tem dona e por sinal ela é muito gataaaaa!!! — ele somente me olhou com descaso.

Kate off

Jeremy On

Vi a Kate passar por mim e Marjorie, que é minha ficante fixa, e ela parecia meio abalada, ultimamente tenho reparado bastante nela. Ela é toda fechada, mas quando se solta é maravilhosa, ela pode ser tímida, mas sabe como ter uma boa conversa, ela é fofa, baixinha, delicada e… ela é quase que perfeita, quase…

Dei uma desculpa esfarrapada para Marjorie e disse que precisava ir à casa um amigo, e segui Key para saber onde a mesma ia, quando soube e vi não fiquei feliz, flagrei ela fumando um baseado e me aproximei, ela começou falar um monte de merda e rir demasiadamente, fui pega-lá pelo braço pra levá-lá pra casa, mas alguém interveio com um grito.

— Ei! Onde pensa que tá levando ela?! – o moreno com olhos incrivelmente vermelhos gritou provável que foi o infeliz que deu as drogas à ela.

— Pra casa! – gritei de volta e sai rápido dali.

— Uuuuuiiii o Jer tá irritadinhoo!!! Que delíciaaaa!!! – ela quase gritou e eu revirei os olhos.

Não estava suportando ela daquele jeito, era insuportável! Mas mesmo assim não poderia deixar ela na casa dela naquele estado…

— Key tem a casa de alguma amiga que você possa ir enquanto tá assim? — falei fazendo ela olhar pra mim.

— Não sei… se vice percebeu eu nao tenho muitos amigos sabe? – droga.

Agora eu não sabia mesmo o wue fazer, largar ela na rua podia dar merda, deixar ela onde achei ia dar merda com certeza, me restava a opção de levá-la pra minha casa… é vai essa mesmo. Coloquei-me a caminho da minha rua e ela foi resmungando um monte de coisas indecifráveis ao ouvido humano. Chegando coloquei ela pra dentro do meu quarto.

— Você vai me estuprar? – ela falou baixo pela primeira vez.

— Não, sua retardada. — falei revirando os olhos.

— Não sou retardada.

— Perdeu a razão de dizer isso quando usou drogas. – olhei de relance pra ela.

— Na verdade foi só maconha.

— Ah e maconha agora é doce né? – respondi ironicamente.

— Bom… – ela ia falar mais alguma merda com certeza.

— Cala a boca Key. — e assim finalmente ela ficou quieta.

— Mano você tá fedendo! Vai tomar um banho! Pra tirar esse cheiro de droga de você. – achei que ela ia rebater, mas somente se levantou da cama e foi em direção ao meu banheiro. – Key? – ela não respondeu, então bati na porta… nada… abri a porta e ela estava nua e no chão… okay okay, ta tudo bem… NAO TA NAO ELA DESMAIOU E TÁ PELADA!!!! O QUE EU FAÇO? Minha própria mente me enlouquecia.

A peguei no colo e coloquei na banheira que fui enchendo com ela lá mesmo, joguei um pouco de espuma pra esconder o corpo dela, não resistiria ficar só olhando assim. Torci para ela acordar logo, mas isso não aconteceu o que parecia é que ele tava dormindo profundamente. Eu teria de avisar os pais dela sobre isso, ou somente falar que ela dormiria em casa, eles nem ligam pra ela mesmo.

— *Ei cara o que você acha que está fazendo?*

– Sai daqui!

— *Larga essa guria na rua! Se livre dela!* – aquela voz maligna soava em minha mente.

— Seu covarde! Nem aparecer realmente você tem coragem!

— *Ah não?* – de repente uma sombra preta foi se formando à minha frente e imediatamente passei por ela a dissipando dali.

O choro veio fulminante, carregando minha alma pra fora de meu corpo de tão alto que era, foi nessa hora que ouvi a água de mexendo atrás de mim e um corpo molhado entrando em contato com o minhas roupas agora úmidas. Não podia ser.

— Calma Jer. — ela tava me abraçando, enquanto estava nua.

— Key, você ta pelada volta pra banheira. – ela me obedeceu… eu não estava entendendo a Key não é do tipo que gosta de obedecer e que obedece numa boa.

— Por que tava chorando? – ela fala suavemente quando ja estou virado pra ela.

— Nada – respondi seco.

— Sabe que pode me contar tudo que quiser né? – somente assenti e sai dali indo colocar a roupa dela na lavadora.

POV Kate

Eu fui até o banheiro tomar o banho que Jer havia mandado, mas senti uma pontada na cabeça e uma tontura insuportável, de repente tudo havia escurecido.

Acordei dentro na banheira cheia de água bem quentinha e espuma, Jer estava dentro do banheiro chorando alto e eu me perguntava o motivo do choro, ele com aquele jeito ríspido que havia cultivado comigo se negou a dizer e saiu de lá com minhas roupas… ESPERA! MINHAS ROUPAS!!!! FODEU!!!!

Ficarei aqui eternamente, até que minhas roupas estejam de volta… ou não, tomei o banho  me sequei numa toalha que havia ali, me enrolei nela, sai do banheiro e sentei na cama esperando Jer aparecer, mas estava ficando frio então fui para de baixo do edredom que forrava a cama acabei adormecendo e acordei com o som da porta do quarto abrindo.

— Jer? – falei ainda de olhos fechados.

— Tô vendo que já se acomodou né? O que você quer?

— Sim até dormi, eu quero minhas roupas. – disse naturalmente.

— Lavei – ele disse com mais naturalidade ainda.

— E agora?! Como eu volto pra casa?! – quase gritei.

— Não sei, pega uma roupa minha. – ele disse normalmente.

— Eca – eu falei baixinho quando ele entrou no closet.

— Eu ouvi isso! – ele gritou de lá, quando saiu veio com algumas roupas – veste isso aí. – jogou tudo em cima de mim.

— ok.

Me vesti sem mais enrolações, aquilo deixou bem a mostra tudo de um quarto da minha coxa pra baixo, mas mesmo assim, não querendo dar mais trabalho à ninguém fui em direção a porta e desci até lá embaixo até onde ele me seguiu.

— Aonde vai? – ele perguntou com uma cara confusa.

— Pra casa talvez? – falei como se fosse óbvio e era na verdade.

— Não! Já ta ficando meio a tarde e quando você chegasse lá, com certeza já estaria meio escuro. – o olhei confusa por conta da preocupação e ele continuou – Você vai dormir aqui.

— Não posso, meus pais eles...

— Já falei com eles, disse que uns caras estavam te assediando na rua e eu fui te defender e acabamos nos machucando então te trouxe pra cá pra cuidar de ti e que você tomou um banho e dormiu. – ele relatou meu falso dia.

— Nossa! Inventou tudo isso pra eu ficar aqui? – me acomodei à cama — Espero ser bem tratada então.

— Ok, ok, vou pegar um colchão do quarto de hóspedes, ou dormir lá.

— Pega o colchão, vai que sua mãe vem aqui e encontra só eu. — disse rindo do fato dele ter que dormir no chão.

— Que legal, amanhã realmente vou precisar de cuidados, por causa da dor nas costas que prevejo ter. – ele revirou os olhos.

— Você é um tanto quanto ranzinza.

— E você me causa diabetes — ele disse de modo tedioso e demonstrei que não havia entendido. — Você é muito doce.

— Ata – corei de forma estranha que nunca achei que aconteceria.

A noite chegou realmente, eu Jer e a mãe dele Sophia jantamos e conversamos um bocado, logo eu estava de volta à cama de Jer e com pena dele o puxei para dormir junto comigo, só que com uma distância entre nós, o que não foi muito eficiente pelo que vimos no dia seguinte.


Notas Finais


Obrigada por lerem e dêem suas opiniões nos comentários, quero saber se estão gostando, até o próximo capítulo 😘😘❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...