História Heathens - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Esquadrão Suicida, Liga da Justiça
Personagens Personagens Originais
Tags Esquadrão Suicida, Liga Da Justiça, Personagens Originais
Exibições 43
Palavras 1.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, pessoinhas lindas do meu coração <3 Tudo bem com vocês?
Tenho que me desculpar pela demora e também pela qualidade do capítulo. Eu estou meio enrolada com uns problemas pessoais, portanto me perdoem. Fiquei feliz com as novas fichas, principalmente porque conseguimos fechar o Esquadrão, galerinha! Estou orgulhosa de todos nós!
Aliás, quero me explicar em relação à apresentação dos personagens. Galerinha, a coisa será meio demorada, mas porque não quero atropelar ninguém. Mas prometo que todos aparecerão na hora certa.
Beijinhos e boa leitura!

Capítulo 3 - Encaixotados


 Alexander Moone ainda não entendera o motivo pelo qual o haviam enfiado em uma caixa de madeira e, principalmente, não entendera o porquê de terem lhe tirado da cadeia tão prematuramente sendo que o mesmo não cumprira nem metade de sua sentença. Parte de seu instinto gritava loucamente para que ele usasse seus poderes e se libertasse de sua mais nova prisão, todavia se seu instinto gritava sua curiosidade libertava um som gutural e lhe implorava para que o rapaz esperasse e visse o que estava prestes a acontecer. 

 Do lado de fora Will Rock carregava o cubículo de madeira nas costas nuas, agradecendo muito por seu refém ser aparentemente pacífico e também pensando seriamente em aconselhar o garoto a comer mais, certamente não era saudável que alguém tivesse o peso de uma criança de dez anos. Seguindo as ordens de Nathalie Waller, Rock havia raptado Alexander Gordon Moone, também conhecido como Chaos, um dos poucos vilões que havia sido retido antes do desaparecimento da Liga da Justiça. Will já ouvira falar no garoto que era filho de June Moone e Bruce Gordon, o que o transformava em uma bomba mágica e tão poderosa quanto a própria Zatanna Zatara. 

 O trajeto que levara à invasão da penitenciária onde Moone estava instalado não fora fácil para Rock. Despejado por Nathalie Waller e com um prazo de no máximo seis horas para levar Alexander até seus domínios, Will passara por vários apuros. Seu primeiro passo arriscado fora assassinar as escondidas um policial, para que pudesse roubar sua identidade. Ele não havia menor ideia se aquele tipo de tática poderia dar certo, mas lembrava-se de ter assistido determinada vez na televisão e pensou em fazer sua tentativa. Felizmente o sucesso do plano não estava apenas fadado à ficção. Uma vez infiltrado no prédio, foi apenas questão de tempo até que Rock encontrasse o que desejava. Em uma cela fria e solitária Chaos se escondia da luz solar e da companhia de qualquer um. O homem inicialmente se assustara com a aparência do desconhecido, com sua pele branca como a neve e com as mechas igualmente esbranquiçadas. Os olhos eram azuis e profundos e pareciam ler sua mente. De alguma maneira qualquer um poderia adivinhar que magia circundava as veias do jovem rapaz. 

 Alexander, antes que Will pudesse perceber, também havia voltado seus olhos em sua direção. Depois de seis meses encarcerado, Alex certamente poderia dizer com propriedade todos os atributos físicos e mentais de todos os tiras daquele local e com toda a certeza o homem grande e musculoso com a pele negra não pertencia àquele lugar. O garoto observou Rock se distanciar nervosamente e imaginou consigo mesmo quem era aquele sujeito desconhecido. 

 A segunda parte do plano de Will envolvia um apagão geral de toda a penitenciária para que todos os policiais se espalhassem em diferentes direções e se distraíssem o bastante a ponto de não repararem em um rapto. A terceira e última parte era a captura de Alexander, o que de longe havia sido o mais difícil. Sem certezas absolutas o recruta de Waller optara por combater a magia com sua força física e agradeceu aos céus por ter tido êxito, caso contrário poderia ter sido transformado em um sapo. 

 Naquele momento Will carregava seu prisioneiro e sua caixa de madeira até o carro que havia sido enviado por Nathalie. Observou que o mesmo estava sem motorista e portanto deduziu que, pela primeira vez, ele teria o prazer de dirigir um carro livremente. Um pensamento de fuga passou por sua cabeça, mas ao passar a mão em seu pescoço e sentir um caroço lembrou-se do localizador implantado por uma equipe médica pouco gentil. Segundo Nathalie aquele pequeno chip tinha a capacidade de localizá-lo em qualquer lugar da Terra e caso ele seguisse algum caminho errado estaria morto no mesmo momento. Waller dissera que tinha capangas em todo lugar e em cada esquina. Naquele momento em que colocava a caixa de madeira no carro, Will sondava o espaço com os olhos castanhos com medo de estar sendo realmente observado. Percebeu que mais cedo ou mais tarde sairia daquele esquadrão totalmente paranoico: 

 —  Seja bonzinho, está bem? Não quer causar um acidente de trânsito — Will disse enquanto se ajeitava no banco da frente do conversível preto. 

  — Quem é você? — Alexander perguntou, deixando Will surpreso já que o mesmo não esperava nenhuma resposta. 

  — Will Rock, mas costumam me chamar de Street King. E você é Alexander Moone, não é?  —  Rock respondeu tentando parecer o mais simpático possível, ainda tinha medo de ser transformado em sapo. 

 —  Sim, eu sou. Por que me encaixotou? 

 —  Ah, me desculpe por isso. Estamos os dois presos, a única diferença é que você está preso por uma caixa e eu por uma mulher... —  antes que Will pudesse completar sua frase percebeu a presença de Alexander sentado ao seu lado. 

 —  Está casado e sua esposa não o deixa fazer nada? Por isso está preso? —  Chaos perguntou inocentemente, praticamente ignorando o fato de clandestinamente ter saído da caixa. 

 —  Puta merda! — foi tudo o que Will disse antes de encarar o garoto ao seu lado e brecar bruscamente — Você definitivamente não devia estar aqui. Nathalie vai me matar se descobrir... Por favor me diga que não me transformará em um sapo! 

 — Não lhe transformarei em sapo. Só lhe farei dormir um pouco — Alexander disse enquanto jogava um feitiço em Will —  Boa noite, Will. Boa sorte com sua esposa.

 Chaos saiu calmamente do veículo em que estava há poucos minutos atrás. Deu uma última olhada em seu companheiro e o apreciou em um sono pesado. Um ronco ressoava de seu peito e algumas gotas de saliva saíam pela boca. 

 "Boa ação, Alexander. Pessoas boas não assassinam homens de família" pensou consigo mesmo enquanto caminhava calmamente nas calçadas sujas de Louisiana. Apesar de seu passado obscuro, Moone sentia que de alguma maneira um dia salvaria o mundo e por isso se sempre que podia praticava boas ações e se orgulhava muito disso. 

 O rapaz continuou sua caminhada noturna com toda a paciência do universo. Cruzou com uma garota de pele morena. Os lábios estavam tingidos de batom vermelho e seu vestido branco fazia com que a pele escura brilhasse. Seus olhos castanhos o encaravam de maneira ameaçadora, Alexander porém resolveu que ela apenas estava em um dia ruim, ao menos até perceber que a mesma mirava uma arma em sua cabeça: 

 —  Nathalie Waller. Caso tente alguma gracinha, você está morto, Chaos.

 — Você disse "Waller"? Alguma relação com Amanda Waller? 

 — Filha única dela, senhor Moone. Órfã aos seis anos de idade, Amanda me adotou e me treinou para tomar seu lugar. Tudo o que você precisa saber é que trabalha para mim em troca de anistia completa de seus crimes. A Bela- Adormecida no conversível é seu parceiro e vocês dois devem sair pelo país em busca dos vilões que eu resolver recrutar. Caso você recuse o convite, atenciosamente atirarei em seu crânio. 

 Alexander suspirou e deu um sorriso fraco: 

 — Como eu poderia recusar um pedido tão gentil. 

 —  Bem vindo ao Esquadrão Suicida, Chaos. Agora vá e pegue Will Rock, precisamos levá-lo daqui, mesmo ele sendo inútil o bastante para te deixar escapar. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...