História Suki Kirai - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alice Nine, BREAKERZ, Kanon Wakeshima
Personagens DAIGO, Kanon Wakeshima, Shou
Tags Daigo Breakerz, Kanon Wakeshima, Shou Alice Nine
Visualizações 1
Palavras 2.290
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - 10


Aproximadamente 6 da manhã, Kanon acordava ao lado de Daigo. A mesma puxava um pouco o lençol ao lembrar-se que estava completamente nua, ela riu baixo e mordeu o lábio inferior ao varrer o quarto com o olhar e notar que as roupas estavam um tanto longe da cama.  Logo o despertador começava a dar o alarme, acordando o outro que estava no quarto.
-Bom dia, gracinha. – disse o maior bastante animado, já sentava-se na cama e selava a testa da menor.
-Bom dia, Dai-san.- sussurrou a menor, com um sorriso leve na face.
-Vou tomar meu banho rápido e vou te arrumar umas roupas da minha irmã, ela esqueceu umas aqui...então a gente sai e come algo antes de ir para a empresa e...-disse em disparada e logo levantava-se da cama.
-Hn, tudo bem. Mas calma, está muito acelerado.- implicou a menor e piscou um dos olhos.
-Engraçadinha.- disse enquanto ria, já caminhava até a suíte do quarto, onde começaria á tomar seu banho.

Kohara abriu os olhos ao que o menor que havia dormido em seus braços mexeu-se, cutucou a cintura dele e sorriu leve ao ter o olhar alheio virado para si.
-Bom dia, Hi-chan.- falou o maior com a voz ainda rouca.
-Bom dia, gato!- exclamou o menor e roubou um selo dos lábios alheios, levantou-se do sofá e ficou com a face um pouco corada ao notar que o maior ficara um pouco desconcertado com aquele selo inesperado.- Etto...desculpa!?
-Tudo bem, Hiroto. Vamos logo comer qualquer coisa, antes que a gente se atrase.
-Sim! Vamos, mas... a gente vai fingir que nada aconteceu?
-Talvez, ainda não sei...nem quero pensar agora sobre isso.- disse o maior e passou a mão nos cabelos, arrumando os de qualquer jeito.
Ambos se olharam e ficaram em um silêncio mortal por alguns segundos, até que então começaram à se ajeitar para ir trabalhar.

Daigo já havia saído do banho e terminava de se arrumar enquanto Kanon tomava um banho para se arrumar. O celular da menor começava a tocar, Daigo notava aquela música e acompanhava a música até chegar o aparelho, pegando o do chão e olhando o visor:” Sho”. O maior mordeu o lábio inferior e olhou aos lados, estava tentado à atender a ligação e dizer certas coisas para o outro, mas deixou o aparelho sobre a cama, ignorando o.
Logo Kanon saia do banheiro já arrumada, penteando os cabelos, mas não se preocupava em fazer penteado nenhum.  Arqueou as sobrancelhas ao notar o aparelho sobre a cama, voltou o olhar à Daigo, que arrumava seus cabelos sem preocupações.
-Por quê me olha com essa carinha, Non-chan?- indagou o maior, olhando a pelo espelho.
-O celular, estava onde?
-Caído no chão. Peguei quando ele tocou. O Sho ligou...- disse e deu de ombros.
-Etto...você atendeu?- olhava para o aparelho temerosa e voltava a fitar o maior que agora a olhava um pouco sério.
-Não atendi, embora eu queria atender. Tem medo que ele saiba o que fizemos?
-Não sei, mas não conta...-disse em tom de súplica, juntando as mãos.
Daigo suspirou, mas sorriu em seguida, concordando com a cabeça. Caminhou até a menor e abraçava por trás, colando o corpo ao dela, envolvia a cintura dela com ambas as mãos e levava os lábios ao ouvido da mesma.- Espero que não se esqueça de mim, caso resolva voltar à ficar com seu namoradinho...que minha imagem venha à tua mente...- falou com a voz macia e até um tanto erótica, deixando um selo no pescoço da menor e ondulou o corpo ao dela, roçando seu corpo ao dela sem pudor algum por um instante. Logo se afastava e arrumava a gravata, caminhava até a porta.- Vamos, antes que a gente se atrase.
Kanon havia fechado os olhos com aquela provocação do maior e até mesmo ficara ofegante. Não entendeu bem porquê ele se afastava tão abruptamente, mas acabou mordendo o lábio inferior ao abrir os olhos e suspirava. –Você faz isso e se afasta mesmo?- perguntava enquanto caminhava apressada atrás dele, saindo do casa do mesmo e seguia até o carro, entrando após ele.
-Sim. É pra você parar de brincar. Não vê que ele é indeciso? Por favor...- falou um pouco irritado, franziu o cenho, olhando fixo para o trajeto que fazia com o carro.
- Também sou indecisa, Daigo. Não é fácil assim...-murmurava e abaixava o olhar.
-Então vamos brincar...mas saiba que brincar cansa e uma hora um larga o jogo.- advertiu um tanto frio.
-Mas...?- a jovem ficou até mesmo surpresa ao ver o maior falando tão sério como fazia naquele momento.
Daigo notava que a menor ficou um pouco desconfortável por seu jeito mais sério revelado, então levou a mão à coxa dela e fez um leve carinho, abrindo um leve sorriso.- Hey, não fica assim...- falou baixo e assim que estacionava o carro dentro do prédio, roubava alguns selos dos lábios dela e a olhava nos olhos.
-Você quase me assustou, Dai...-murmurou a jovem um pouco manhosa.
-Está vendo como até mesmo um brincalhão nato pode falar sério? Mas não disse para assustar...apenas para te fazer pensar...mas vamos lá, temos um dia cheio.
Sairam do carro e seguiram até o elevador, o maior recostava-se na parede metálica e acariciava a mão da menor levemente, afastando-se um pouco ao que as portas se abriram no andar que trabalhavam. Sairam juntos do elevador e caminhavam próximos uma pequena parte do caminho, mas Kanon fora até a copa da empresa, pegar algo para tomarem de café. Assim que entrou no recinto, reconheceu a silhueta de Kohara, frente à maquina de café. Tentou evitar o contato, então deu a volta e pegava dois bolinhos na cesta junto com duas caixinhas de suco. Quando estava prestes à sair da copa, ouviu a voz do outro.
-Bom dia, Kanon. Perfume novo?- disse Kohara e sorriu leve, dando um gole no café.
-Bom dia, Shou...mas eu não passei perfume, esqueci hoje.- justificou e deu de ombros, olhando o um pouco desconcertada.
-Te liguei hoje, não viu?
-Estava no banho na hora, Sho... desculpa.- a menor abaixava o olhar e suspirava.
-Você está estranha. Aconteceu alguma coisa?
-Não, eu só não dormi bem.
-Parece mesmo, está vestindo algo mais simples hoje...nem arrumou os cabelos. Parece que acordou do lado errado da cama.
-Só preciso dormir bem. Não se preocupa.
Kohara se aproximava da menor e acariciou de leve a lateral da face da mesma, sorrindo leve.
-Tu não sabe como gosto de ti...estou com saudades.-sussurrou.
A jovem fechava os olhos e sorria meio sem jeito, maneava a cabeça afirmativamente e selava a mão que lhe afagava a face.
O maior adorava o momento, até perceber aqueles lanches duplos nas mãos dela, arqueou as sobrancelhas e recolheu a mão.- Agora virou copeira do chefinho? Hn...
-Ahn? – a menor abria os olhos sem entender nada, mas logo lembrava-se do lanche que estava em suas mãos.- Etto...não é bem isso.
-Amigo nada, você estava com ele...sabe-se lá o que fizeram para não terem nem comido nada. Sou muito trouxa.-exclamou visivelmente tomado pela raiva.
-Calma, Shou. Não foi por querer...estou me sentindo culpada. Sei que gosta muito de mim e eu gosto de você, mas aconteceu...
-Que vontade de socar aquele almofadinha safado! E se você não fosse mulher, te socaria também. Que ódio! – fechou o punho e deu um soco na parede.
-Você está muito irritado...depois a gente se fala.- disse nervosa e saia rapidamente da copa.
-Não tenho mais nada pra falar com você, sua safada!- disse o maior em alto e bom som, chamando a atenção das pessoas que estavam perto.
Kanon correu para a sala de Daigo e colocou tudo na primeira mesa que via, sentava-se na mesa e ficava um tempo olhando para o nada, atônita.
Daigo estranhava a pressa da menor e principalmente como ela ficara ao entrar, muda e sem expressão alguma. Levantou-se rápido de sua mesa e caminhou até ela, sentou-se na mesa e levou a mão aos cabelos dela, afagando os sem nada dizer por um bom tempo. Notava que algumas lágrimas vertiam dos olhos dela.
-Conta para mim, Non-chan.- ele disse baixo, olhando a com preocupação.
Kanon avançava sobre os braços dele e o abraçava apertado, começava a chorar forte, afundando a face no peitoral do maior.
-Ele me chamou de safada, em alto e bom tom. Agora vão pensar que sou uma vagabunda.-disse chorosa.
-O Kohara...?
-Sim, ele mesmo. Ele desconfiou e eu acabei confessando mais ou menos sobre o que aconteceu com a gente...
-Se ele fez isso, ele é um criança mesmo. Nem te merece.
-Mas Daigo...está doendo. Acho que gosto dele...estávamos saindo á um tempo...ele foi meu primeiro, me deu valor e me deu carinho...
-Calma, eu sei...eu sei. Quer que eu fale com ele para desmentir ou tentar conversar?
-Não, eu não quero...ele pode estar invocado, mas não poderia falar daquele jeito comigo.- falou um pouco séria e se afastava do abraço, limpava a face e suspirava.
-Que droga, odeio te ver assim. Antes nem tivesse te chamado pra sair, piorei tudo, né.
-Não me arrependo. Foi tudo bom, nossa noite foi ótima...e isso tudo serviu para ver como ele é estúpido.
O telefone da mesa de Kanon começava á tocar, ambos se olhavam e logo o maior resolveu atender a ligação. Abriu um leve sorriso e pegava um pedaço de papel, anotava algo com certa pressa e agradecia várias vezes após dizer “ ela vai sim, será muito bom”. Desligou o telefone e olhava para ela com um sorriso largo nos lábios, mostrando o endereço.
-Ahn?- indagou a menor sem entender nada do que acontecia.- O que houve?
- Este é o endereço que deve ir hoje de tarde, fazer o teste para aquela faculdade de música da França!
-Mas hoje de tarde ainda tem expediente. Como que eu vou? E não vou conseguir, hoje não é meu dia.
-Ahn? Não acredito que vai jogar fora essa chance única por causa desse cara. Não é teu sonho? Corre atrás dele!- exclamou balançando a pelos ombros sem força.
-Etto...mas eu não me sinto bem...
-Não? Deve estar triste e tua cabeça está nessas coisas que ouviu dele. Vou dar um jeito nisso agora!
-Como assim?
Daigo pegou a mão de Kanon e  a puxava até próximo à janela, ao lado de um arquivo velho que havia em sua sala, a recostava na parede e colava seu corpo ao dela, abrindo um leve sorriso.
-Tá louco? Aqui vão nos ver.
-Não vão. Shiiiu!- exclamou e pôs o dedo indicador sobre os lábios da mesma.
Aquele ato fez a jovem rir baixo, levava a mão á lateral da face do maior e logo fechava os olhos ao sentir os lábios macios e carnudos do mesmo tocarem sua boca. Abriu os lábios dando espaço para a língua alheia tocar a sua, movendo as lentamente em um beijo lento e envolvente. O apertava contra si e acariciava as costas do maior, abrindo um leve sorriso contra os lábios do mesmo. Manteve aquele beijo, apreciando o carinho que recebia dele, em ótima hora, fazendo a sentir-se aquecida e feliz apesar do revés daquele manhã. Recebeu inúmeros selos estalados após aquele beijo findar. O olhava nos olhos e abria um largo sorriso, deslizava os dedos nos fios de cabelos do mesmo enquanto recebia o mesmo tipo de carinho dele.
-É inacreditável como você é apaixonante...é um ótimo amante, um ótimo amigo, tão carinhoso e compreensivo.- disse a mesma com um brilho no olhar.
-Se apaixonou só agora? Ó...eu deveria ter te dado esse beijo antes.- o maior brincou  e riu leve.- Mas é bom te ver melhor. De tarde vai fazer esse teste e mais tarde vamos comemorar, pois vai conseguir.
-Vamos sim, vou acreditar em você. Mas...se eu passar, significa que vou ficar bem longe.- disse um pouco desanimada.
-Hey. Existe avião, telefone e vários meios de a gente se falar e se ver. Pense no agora, em ser feliz.
-Obrigada mesmo, Dai-san. Você salvou meu dia. Como posso retribuir?
-Sabe muito bem como. Não vou te deixar dormir hoje. – falou com certa malícia e piscou um dos olhos.
-Você é muito safado!- negou com a cabeça algumas vezes, rindo.


Hiroto seguiu para a sala de Kohara ao ver tal cena na sala do Daigo. O menor bateu na divisória oca e recostou-se na mesa do loiro.
-Shou...você parece irritado.- murmurou o jovem e pendeu a cabeça ao lado.
-Estou irado! Eles estavam juntos!- exclamou ainda visivelmente irritado.
-Eles estavam mesmo, acabei de ver os dois no maior beijo e abraço na sala dele.- falou baixo e levou a mão aos cabelos do loiro, afagando os.
Kohara sentiu seu sangue ferver ao ouvir aquelas palavras, tanto que o lápis que segurava, fora partido ao meio sem muita dificuldade. Suspirou profundamente e deu de ombros.-Que sejam muito felizes, os dois não valem nada mesmo. Que se comam naquela sala pra todos verem e depois a chamarem de vadia.-disse friamente.
Hiroto boquiabriu-se ao ouvir aquelas palavras, mas sorriu leve em seguida.- Não fica assim por causa deles. Vamos fazer algo para esquecer disso, o que acha?
- Podemos conhecer um novo pub que foi inaugurado à pouco tempo...Se tu quiser...
-Claro. Tu me leva lá.
-Okay. Melhor que eu fazer o que quero  fazer mesmo...-falou fechando os olhos com força.-Caralho, como eu gosto daquela mulher...nunca mais quero gostar assim de ninguém.
- O que tu queria fazer hein?- arqueava as sobrancelhas, pois nunca havia o visto tão irado daquela maneira.
-Queria enfiar esse lápis nele e socar muito, até a raiva passar.
-Seu louco! Você iria preso. Não pense em fazer uma idiotice dessas!- o menor o repreendia, mas manteve os carinhos nos cabelos dele, tentando acalmá-lo.

-Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...