História Suki Kirai - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alice Nine, BREAKERZ, Kanon Wakeshima
Personagens DAIGO, Kanon Wakeshima, Shou
Tags Daigo Breakerz, Kanon Wakeshima, Shou Alice Nine
Visualizações 1
Palavras 1.961
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - 08


Kanon acordou naquela manhã no horário de sempre, mas acabou achando engraçado como sentiu a falta de Kohara, afinal já faziam alguns dias que não sabia o que era dormir só desde que começou à sair com o loiro. Tomou um banho rápido e se arrumava com um vestido azul com alguns detalhes em branco, calçava um sapato tipo boneca na cor preto e combinava com uma bolsa na mesma cor, mas com alguns detalhes de laço em dourado. Arrumou os longos cabelos com leves cachos e se maquiava um pouco mais básica, porém demarcava bastante os olhos. Saía até a varanda de sua casa e esperava, porém a espera fora quase nula, já que um carro preto surgiu e parava frente á sua casa. Saía portão á fora e caminhava ao carro, que para sua surpresa, era dirigido por Daigo. Não pôde deixar de reparar como ele estava bem arrumado com aquele terno preto, muito bem casado com a camisa branca clássica e uma gravata vermelha escura.  Ela abriu um sorriso tímido e caminhava ao banco de trás.
-Não...entra aqui na frente, Kanon.- disse ele sorrindo leve.
-Tudo bem. Bom dia, Daigo. –falou um pouco séria e entrava no carro, o olhava e desviava o olhar.
-Bom dia! Está tudo bem?
-Eu só...pensei que seria um motorista que viria me buscar...-disse um tanto desconfiada.
-E viria, mas parece que passou mal, então me avisou ainda à pouco. Sorte sua que já vim aqui, então consegui chegar à tempo. – disse simples e entortou um pouco os lábios ao notar a desconfiança dela.- Se preferir, pode ir de taxi. Parece que não gostou que vim te buscar.
-Não...que isso... eu só achei incomum. Desculpe. – ela falou com a cabeça baixa e mexia na barra do vestido um tanto nervosa.
-Parece tensa. Tem medo que seu namoradinho fique com raiva se souber que vim te buscar?- implicou e deu um sorriso até mesmo um tanto sarcástico.
-Ele não é meu namorado...ele não pediu, né.- comentou ela sem muito ânimo.
-Que cara bobo...deveria ter pedido. Vai que a mocinha dele conheça outro e se interesse.- piscou um dos olhos e já ligava o carro. Dirigia com atenção até  a empresa onde seria a reunião, mas não deixava de olhá-la por vezes, notando que ela ficou mexida com o que acabara de dizer.
Kanon ficava em silêncio ao entender a indireta dele e olhava pela janela, tentando se distrair com a paisagem, afinal aquele outro rapaz a perturbava de uma maneira que não entendia, tanto que assim que ele estacionava o carro, descia com certa pressa do carro, apenas parando ao ouvir a risada dele.
-Hey, calma. Está indo para o lado errado.- falou ainda rindo e caminhou até ela, direcionava os passos para a entrada principal da empresa.- Desculpe se fui deselegante, mas não consigo as vezes guardar o que penso para mim.
-Tudo bem, Daigo...eu só fico confusa.-suspirou.
Aquelas palavras dela o fizeram sorrir de canto, porém disfarçou e voltava a ficar sério. Assim que estavam frente à recepção da outra empresa, dava seu nome e o nome da empresa, aguardava um pouco e logo recebia uma notícia não muito agradável: sua reunião havia sido adiada para a outra semana, tentou conversar, mas deu-se por vencido.
-Que droga...-murmurou ao se afastar da recepção com ela.
-Não acredito que fizeram a gente vir à toa aqui....- balbuciou a jovem e olhava para ele.
-Nem eu. Tem certeza que ninguém desmarcou ontem?
-Não, ninguém daqui ligou.
-Depois vou ter uma longa conversa com o representante deles....- reclamava, mas logo dava de ombros.-Bom, pelo menos a gente pode aproveitar e passear. Não estou com cabeça para ir trabalhar agora, a gente pode pelo menos atrasar um pouco para voltar. O que acha?
-Será que não vão descobrir?- falou Kanon um tanto temerosa.
-Se nós não falarmos, não. Ah... vamos! A gente anda um pouco por aqui. Quanto tempo que não sei o que é andar num parque sem pensar em nada.
-Eu não sei...-murmurou e fitou o céu, acabando por não resistir à idéia já que o clima estava tão convidativo.- Tudo bem, só uma volta e a gente vai para a empresa, tá?
-Claro!
Daigo tocou o ombro dela de leve e atravessava a rua, sendo seguido por ela. Ele afundava as mãos nos bolsos e por vezes a olhava, notando o quanto ela estava perdida em pensamentos. Seguia ao lado dela sem nada falar até chegarem próximos à um vendedor de sorvete, comprava dois picolés de chocolate sem mesmo consultar a menor.
-Tome, para te animar um pouco.- ofereceu à ela com um leve sorriso na face.
-Obrigada, Dai.- sorriu sem mostrar os dentes e olhava o picolé pouco antes de abrí-lo.
-Do jeito que está agindo, parece até que estou te levando para a forca. Isso é estranho.- reclamou o maior, dando uma mordida no picolé.
-Desculpa, Daigo. Mas estou muito confusa.
-Confusa com o quê?- indagava pendendo a cabeça levemente ao lado.
Kanon acabou rindo ao ver aquele ato um tanto engraçado que o maior fizera para si. Negou com a cabeça e tocou o braço dele.
-Assim parece até um cachorrinho confuso. Desculpa, mas pareceu!- falou sem pensar, então pôs a mão nos lábios ao notar o que acabara de falar.
-Não precisa ficar assim. Pode falar o que pensa, linda. Melhor que ficar assim, toda avoada.-disse bem humorado, chutando uma pequena pedra à sua frente. Observava as lindas árvores do local e respirava profundamente.- Mas ainda não me disse o que te confunde.
-Vai me achar meio estúpida. Acho que penso demais ou talvez só esteja brincando e eu levei para outro lado.
-Hn?
-É que às vezes parece que está interessado em mim, mas isso é um absurdo. Temos uma diferença de idade e tudo o mais....
-E o que gostaria que fosse na verdade?- indagava, estando bastante interessado no rumo da conversa.
-Não sei. Às vezes lembro daquele dia no terraço...você teria continuado se eu não falasse que era virgem? Eu seria só aquele fica...?- fazia perguntas seguidas, visivelmente confusa e curiosa.
- Bom...teria continuado com certeza. E acho que não, eu notei que é uma moça diferente desde o dia que pisou na empresa e te entrevistei. Só gostaria de ter mais um tempo perto de você longe da empresa, afinal não podemos agir mais soltos entre nós lá dentro.
-Tipo um encontro? – perguntava boquiaberta e coçava a nuca, arqueando uma das sobrancelhas.- Mas eu não sou mais virgem...
-Não precisa ser um encontro. Pode ser algo menos comprometedor, tipo apenas você me visitar ou vice e versa. E eu sei disso, seu namoradinho...
-Ele não é meu namorado, Daigo...e não quero falar disso. Na verdade, bem lembrado. Melhor eu voltar.- falava e já começava a dar passos para se afastar do maior.
O maior arqueava as sobrancelhas, mas riu bem humorado, deu mais uma mordida no picolé e a seguia sem nada falar. Notava que ela parava no meio do caminho e olhava os lados, então se aproximou e tocou o ombro dela, apertando o por um breve momento.
-Está indo para o caminho errado. Vem que eu te levo, também preciso voltar, hn?- disse um pouco sério, apesar de se segurar para não rir do susto que ela levou ao ter o ombro tocado.
-A-arigato.- disse gaguejando, ainda tentando se recuperar do susto.
Daigo caminhava até o carro e o destrancava, logo entrava e esperava Kanon entrar, logo começava à dirigir em direção à empresa que trabalhavam. A viagem fora um pouco mais longa, devido a falta de conversa entre eles.


Hiroto estava desde o início da manhã enchendo os ouvidos de Kohara, que já estava à um passo de explodir.
-Sabe que nessa altura ela já deve estar no rala e rola com ele, né? E tu não vai ligar para ela?-  falava o menor, pegava o telefone que estava sobre a mesa do loiro e o estendia à ele.
-Que inferno, Hiroto! Eu já disse que não vou ligar! Acredito nela, tenho que parar de ser tão controlador.- vociferou Kohara e cerrou os punhos, batendo os na mesa de madeira uma única vez.
O menor arregalou os olhos e pôs a mão no peito ao tomar aquele susto devido a reação dele, negou com a cabeça e deu de ombros.
-Tá bom. Você quem sabe. Afinal todo mundo aqui acha ela uma graça...-falou em tom de desdém.
-Acho sim, eu gosto dela. E não vai ser me enchendo o saco que vai fazer mudar isso. Vai lá trabalhar...que saco! Tenho muita coisa para fazer.- exclamou já deveras paciente, afinal aquele assunto o deixava nervoso.
-Nossa! Como ele está invocado!- falou aquela voz feminina e tão adorável para ele.
Kohara levantou-se da cadeira e a abraçava apertado, assim que ela aparecia na porta com um sorriso largo na face.
-Está tão estressado assim porquê...Sho.- a jovem sussurrou aquelas palavras e roubou um selo dos lábios dele.
Hiroto revirou os olhos e pôs o dedo indicador dentro da própria boca, fingindo que vomitaria.- Aff! Como tu é chata!- reclamou.
-É esse enjoado, me enchendo a cabeça.- comentava Kohara e acariciava a face dela, desfazendo o abraço em seguida e logo voltava a sentar-se à frente de sua mesa de trabalho.
Kanon olhava para Hiroto e entortava os lábios, negando com a cabeça. Passava por ele e puxava uma cadeira para sentar-se ao lado de Kohara, preferindo ignorar Hiroto, que saia da sala deveras irritado.
-Não estou dizendo que ele me odeia, Shou?-murmurou a jovem e pegou um papel em branco, olhando o sem nada pensar.
-Deixa ele. O que importa é o que penso sobre ti...como foi lá na reunião?
-Não teve reunião. Acabou que fomos à toa lá.
-Não?- arqueou as sobrancelhas e olhou para o relógio na tela do computador á sua frente.- Então porquê chegaram apenas agora?
-Err...a gente tomou um sorvete na praça lá perto e depois viemos.
-A gente...?
-Eu e o Daigo, Shou...
-Mas não ia um motorista lá buscar você? Cadê o motorista?
-Foi ele quem me buscou...- disse e abaixou um pouco o olhar, cruzava os dedos um pouco nervosa.- Ele disse que o motorista teve problemas, ou sei lá.- a jovem deu de ombros e sorriu fraco, olhando o.
-Interessante.- disse sem mostrar os dentes e olhou para a tela do computador por um tempo com o olhar distante.- E o que mais tem para contar?
-Não fica bravo comigo...- disse a menor tocando o braço do loiro, balançando o brevemente.
-Estou um pouco decepcionado... você sabe que ele tem certo interesse em você e fica sozinha com ele...até vai tomar sorvete na praça!
-Mas Shou, eu precisava ir na tal reunião, não teve como evitar.
-Me chamasse para te levar, droga! Te levaria e depois vinha para cá, ou chegava atrasado mesmo. Droga, você é minha garota...-murmurou e fechou o cenho.
-E-eu sou?- perguntou a jovem curiosa e ao mesmo tempo animada por ter ouvido aquilo.
-Já nem sei mais. Logo esse cara cheio de lábia te convence e te rouba de mim, então....- suspirou profundamente e voltava ao desenho que antes fazia.
Kanon sentiu-se triste por ouvir aquelas palavras, suspirou profundamente e levantou-se. O abraçou sobre os ombros sem fazer força, mas logo teve o maior a mexer os ombros na tentativa de se desvencilhar do abraço, afinal estava deveras irritado.
-Preciso trabalhar. Tu deveria ir ver se teu chefinho não quer alguma coisa tua.- disse frio e seco, sem olhar para a menor.
-Eu vou deixar você me procurar então.- falou a jovem visivelmente magoada, segurava o choro e logo saia da sala. Correu até o banheiro onde se recompôs e logo saia do local fingindo estar tudo bem. Trabalhava normalmente.

- Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...